A primeira vez

   BOM ANTES DE COMEÇAR ESSE RELATO VERIDICO VOU ME APRESENTAR….TENHO 21 ANOS SOU BRANCO ,TENHO OS CABELOS NEGROS E MÉDIO ALEM DE TER UM CORPO EM FORMA….

Como voltei a ser a puta da adolescência

Como voltei a ser a puta da adolescência         Costumo dizer tudo tem começo e consequência comigo não foi diferente e para entender o ocorrido preciso voltar 20 anos atrás quando era uma adolescente inocente, para não ficar muito longo irei dividir este conto em partes, me chamo Lisa sou branca tenho 1,68 magra ou a famosa falsa magra, pinto o cabelo de loiro sou queimada de praia seios pequenos bunda arrebitada e pernas grossas de tanto que treino e apesar de ter 38 anos coloco muitas menininhas de 18 no chão, minha história começa quando estava com meus 15 anos e perdi a virgindade com meu primeiro namorado eu era completamente apaixonada por ele, morava de segunda a sexta numa mansão na Barra da Tijuca onde minha mãe trabalhava como empregada doméstica, nós estudávamos na mesma escola de manhã e o via nos finais de semana, uma semana devido um feriadão fomos liberadas na quinta e chegando antes em casa vim a descobrir que ele me traia fiquei completamente decepcionada e revoltada cheia de ódio como toda adolescente impulsiva estava afim de ir as forras, aquelas coisas de adolescente, após um ano de namoro separamos e em menos de um mês transei com três amigos dele por vingança, dois deles estudavam conosco na mesma escola e um deles fazia curso com o filho da patroa que na época tinha 19 anos posteriormente vim a descobrir que nas conversas entre os meninos eu estava com fama de putinha, apesar da pouca idade e experiência eu chupava muito bem e sempre fui tarada na cama então minha fama chamou a atenção do filho da patroa que ficou afim de me pegar também, porem ele era grosso demais, meio arrogante mesmo e eu não dava brechas para uma aproximação dele, depois disso não namorei sério a fama de putinha da escola ficou e durante o decorrer do ano sai com uns 5 ou 6 rapazes diferentes, aos 17 anos durante o carnaval minha mãe foi convidada para ir à casa de praia dos patrões ajudar além de receber um extra poderia me levar, a casa ficava na praia de Arraial era linda com piscina e etc… eu ficava o dia todo na praia para evitar qualquer coisa não usava a piscina nem as dependências apesar da patroa sempre falar que eu poderia ficar à vontade tentava evitar, no domingo de carnaval eles iriam numa cidade ao lado passear e como “todos” iriam inclusive minha mãe resolvi curtir um pouco a piscina acordei já passava de meio dia coloquei um biquíni branco que chamava atenção com minha pela queimada de praia mas quando cheguei na piscina reparei Beto (o filho da patroa) bebendo com um amigo me frustrei já estava dando meia volta quando a convite dele me aproximei, eles puxavam assunto mas tentava me manter meio que afastada Beto me ofereceu uma bebida de vodka com leite condensado e frutas, confesso que adorei a bebida após a segunda já estava meio altinha durante a terceira dose percebi que ambos já se aproximavam um pouco alisavam minhas pernas elogiando minha beleza percebendo um pouco de maldade no ar resolvi ir para o cômodo de empregada mas a bebida havia me deixado acessa ao chegar no quarto me masturbei de leve sem tirar o biquíni apertando o seio e esfregando a bucetinha, estava delirando nos toques viajando a mil quando abro os olhos vejo Beto de pau duro para fora ao meu lado, tentei me recompor brigando e mandando ele sair mas ao levantar ele me empurrou na cama falando “CHUPA PUTA” cai sentada na cama ao levantar de novo ele me deu um tapa na cara que me desnorteou falando “CHUPA PUTA SEI QUE GOSTA” me fazendo sentar de novo na cama já aproximando a rola dura na minha boca enfiando me segurando pelos cabelos não sei porque mas instintivamente abri a boca e comecei a chupar, era enorme e grossa como nunca havia visto em segundos estava de joelhos chupando-o após alguns minutos seu amigo adentrou o ambiente também de pau duro para fora da bermuda, tentei levantar e reclamar mas após outro tapa e outro “CALA A BOCA E CHUPA PUTA” fiquei desnorteada de novo voltei a chupada sendo que agora chupava ambos revezando as rolas em poucos minutos começaram a revezar minha buceta num papai mamãe delicioso, Beto por ser exagerado me fazia ir à lua quando bombava forte ele me chamava de putinha cachorra e cada vez eu me excitava e gemia mais e mais rebolando e gozando feito louca já estava no terceiro orgasmo quando ambos gozaram na minha cara me xingando de putinha, vadia gostosa e etc… Beto levantou e disse “VAI TOMAR BANHO E VOLTA PRA PISCINA MINHA CACHORRA” saiu rindo eu meio que sem ação fiz o que ele mandou, após o banho vesti o biquíni e voltei, os dois ficaram passando as mãos e me bolinando até que estavam duros de novo me fizeram ficar nua e servi-lhes bebidas enquanto davam tapas em minha bunda mandavam chupar suas rolas, após umas meia hora nessa sacanagem me colocaram de quatro na beira da piscina enquanto um comia minha bucetinha outro me mandava chupar revezarem um pouco até que Beto começou a enviar dedos na minha buceta e lubrificar minha bundinha ele enfiou o primeiro dedo com força eu gritei de dor pedindo para parar porem cada suplica minha era um tapa na cara ou na bunda acompanhado de um cala a boca puta logo em seguida foram dois dedos que entravam e saiam me dando certo prazer junto do desconforto até que começou a me penetrar, no início devagar mas quando passou a cabeça ele meteu forte me fazendo urrar de dor porem pouco tempo depois já gozava feito uma cadela enquanto ele bombava forte e quando me via gemendo e gozando falava para o amigo como eu era mesmo uma puta e cachorra eles davam vários tapas na bunda e rosto após vários minutos me castigando no anal ele tirou a camisinha e gozou na minha boca, era tanta porra que engasguei sendo seguido pelo seu amigo que também meteu forte na minha bundinha me levando a um quarto orgasmo depois também gozou na minha boca enchendo minha cara de porra quente, sentaram na beira da piscina mandaram que limpasse a rola deles que estavam ainda meio bomba e depois limpasse o chão e recolhesse as camisinhas, sempre me chamando de sua putinha Beto era um arrogante mesmo mas eu estava perdida nas mãos dele, ficamos na praia até sexta após o carnaval Beto de comeu todos os dias sempre me tratando como puta eu não conseguia dizer não, confesso que gostava, na quinta ambos me comeram de novo juntos quando fiz minha primeira dupla penetração chegando a desmaiar por alguns segundos com o orgasmo intenso que tive e como da primeira vez fui abusada de todas as formas possíveis e imagináveis, exatos 10 dias após retornarmos dessa viagem a mãe de Beto faleceu e minha mãe perdeu o emprego, por indicação de uma parente dela minha mãe foi trabalhar em São Paulo, terminei meus estudos tive dois namorados na faculdade o segundo aos meus 19 anos foi Flavio um carioca que também morava em Sampa por quem me apaixonei e vim a casar aos 23 anos fomos morar juntos criamos família.No próximo conto a continuação 20 anos após.                                

Tudo comecou no supermercado

Dia desses fui fazer compras no supermercado aqui perto de casa,andando por la pegando os produtos quando me deparei com uma deusa, linda, loirinha,olhos verdes,uma verdadeira tentacao,ela no inicio nao me viu , mais eu comecei a andar atraz dela e so imaginando aquela garotinha sendo fudida por mim.O problema era que a mae dela estava por perto,nao saia do lado dela,ate que por um instantes ela entrou no banheiro do supermercado e a filha ficou pegando uns produtos, foi quando eu me aproximei,e puxei assunto ela disse que se chamava camila, e que tinha so 13 aninhos..ai que maravilha…entao aproveitei e peguei seu telefone e disse se podia ligar logo mais para ela que confirmou que sim….entao continuei comprando normal e logo sai..cheguei em casa , dei um tempo e liguei para minha surpresa a gatinha atendeu o telefone e conversamos,disse que tinha ficado afim dela e ela para minha surpresa disse o mesmo de mim, bom entao faltava nos vermos novamente,marquei com ela que disse que no mesmo dia nao dava , mais que no outro dia sua mae ia sair e seu pai tambem, ia ficar so ela tomando conta do seu maninho de 6 meses,otimoi tudo o que eu queria..No outro dia acordei cedo e imaginando o que eu faria com aquela princesa,..chegando perto da casa dela liguei do celular para me certificar que estava realmente so,sim ja estava so..entao cheguei bati, ela veio me atender,com um shortinho minusculo e uma camiseta grande dessas que as minas usam para dormir,bom,entrei e comecamos a conversar ,ela me disse que ja havia ficado varias vezes,mais nada serio..aproveitei que ela levantou-se para ir ver seu maninho que chorava no quarto fui atraz,chegando la ela tava fazendo ele dormir novamente,entao esperei,quando ela saiu do quarto e eu a agarrei e beijei e ela correspondeu me beijando ardentemente, nisso comecei a alisar seu corpo descendo pela sua bundinha, apertando de leve..nisso parei levantei sua camiseta e vi aquele seios pequeninos mais muito lindos,coemcei a beija-los e a morde-los bem de leve,nisso ela comecou a suspirar e a gemer bemn baixinho,so pedidndo pra mim nao parar,..entao comecei a beijar seu pescoco,dai desci pelo seios,depois barriguinha,e cheguei ao shortinho,fui tirando eles com calma, e fico so de calcinha pequenina tudo dentro da bundinha,entao tirei e deixei ela pelada na minha frente com uma bucetinha com alguns pelinhos loirinhos mais bem delicados,abri sua perna e comecei a passar a lingua no seu grelinho,e ela coemcou a gemer alto,eu deitei ela no chao mesmo,abri suas pernas e melhorei a posicao e comecei a chupar mais ainda aquela bucetinha virgem,que nunca havia sido penetrada e muito menos chupada, passado uns 15 minutos que eu fiquei so chupando ela coemcou a dar impressao que tava gozando, e tava mesmo foi sua primeira gozada, nisso ela levanta e parte para o meu pau, meiuo sem jeito ela pegou nele e levou ate a sua boquinha, lambia,chupava, eu fui dizendo como ela devia fazer,entao chupou mais e mais, ate que resolvi fazer um 69 nela,mais uns minutos de novo so nos chupando,ate que disse para ela que ia gozar ela disse que queria que fosse na boca dela,seu primeiro esperma na boca,ficou com a boca cheia, engoliu m pouco e uns escorria pelo canto da boca,cena linda de uma gatinha daquela,entao fomos para seu quarto,ate entao estavamos no corredor da casa,la eu botei ela deitada na cama, e mandei ela lamber deixou tudo molhado,nisso comecei a penetrar bem devagar,ja que ela disse que er apara ter cuidado pois era virgem,fui colocando bem devagarinho ,,e ela gemendo , dizia que tava doendo , mais qu nao queria para , ate que netro a metade da pica,resolvi meter tudo logo ela deu um grito e comecamos um vai e vem muito gostoso,ela gemia muito alto, e eu so estocando,ela comecou a pedir para mim meter mais forte que ela tav gostando apesar da dor,fui so atendendo aquela deusa,mudamos de posicao,eu coloquei ela de 4 e fiquei metendo nossos corpos faziam barulhos quando se encontravam naquels estocadas fortes, e elea so gemia,ate que me deu vontade de gozar, tirei do seu grelinho quase gozando direto para sua boquinha que novamentge se encheu de porra,nisso terminei melando seus seios cara cabelo,toda meladinha..caimos pro lado exausto ja fazia mais de 2 horas esde a hora que cheguei que estavmos transando..dai me vestir, e marcamos de nos encontrar e continuar o resto pois su amae ja tava para chegar..as gatinhas que queiram mandar email, mandem que eu respondo ok,mesmo para dizer se gostaram ou nao.

não imaginaria que seria tão bom!

Meu nome é pedro, e história que vou contar aconteceu em 2004. Sempre tive vontade de transar com duas mulheres, mas sou casado e não tenho intenções de trair minha esposa.Minhas fantasias são ditas prá minha mulher e ela até fantasia junto comigo, mas na real não sabemos se faríamos. Nossas fantasias quase sempre tinham uma amiga dela de faculdade como uma das protagonistas.Num dia qualquer, essa amiga que morava em outra cidade nos liga e disse que iria nos visitar. Minha imaginação foi a mil.Quando ela chegou eu estava trabalhando e fui vê-la apenas mais tarde.Conversávamos na sala e tomávamos vinho e cerveja. Dentre tantos saiu um assunto sobre sexo. A amiga de minha esposa comentava de um namorado que não apreciava muito sexo…….. Meu pau começou a ficar duro vendo ela contar e imaginado eu, minha esposa e aquela amiguinha dela.Minha esposa e sua amiga logo notaram minha bermuda subindo, mesmo eu tentando disfarçar. Fiquei espantado quando minha esposa disse:

Traí meu maridinho sem dó !!!

Olá, meu nome é Eliana, sou branca, tenho 31 anos e sou casada com Gabriel de 42. Temos um casamento extremamente amoroso, e nunca passou pela minha cabeça em trair meu maridinho. Primeiro deixe-me contar como sou: 1,67cm, 64 kg,loira, olhos castanhos e um corpo bem malhado, pois não tem um dia que não vou a academia.

Atendendo pedido da minha cunhada

A minha vida estava bastante corrida e muitas vezes voltava para Salvador somente no sábado e tinha varias coisas para fazer.Na quinta feira recebi uma ligação da minha cunhada de Recife que me deixou todo feliz e que vontade de poder passar um tempo com ela,mas notei que estava aflita e perguntei se poderia ajudar e ela foi me dizendo que sua filha Tania viria a Salvador na sexta ficando ate domingo pois tinha umas provas a fazer e ela não queria deixar ela desamparada e fui perguntando que horas chegaria e a deixei tranquila que cuidaria dela,e pedi para dar meu telefone para ela.Mudei a minha programação e estava no aeroporto a sua espera e quando a vi fiquei doido,estava linda,com uma saia justa e uma blusa que realçava seu corpo e veio toda sorridente me abraçar e foi me beijando gostoso.No caminho fui perguntando o que teria que fazer nestes dias para poder a ajudar e me disse que teria uma entrevista as 10 hs do sábado.Viemos conversando e ela toda feliz e foi com sua mão alisar minha rola e foi dizendo quero ser sua,quero que você tire o meu cabaço tio gostoso..Entramos no meu apartamento e fui colocando sua mala no quarto de hospede e ela sorrindo começou a tirar a sua roupa e me perguntou se poderia lavar as suas costas e logo nus fomos ao banho e logo a fui encochando e sentindo sua linda bunda,e minha rola deslizava nas suas nadegas.Saímos do banho e fomos nus para o meu quarto aonde fui mamando sua xoxota,e ela toda aberta e curtindo uma de puta,e logo a coloquei de 4 e fui com tudo me saciar com seu cu apertado e ela foi dizendo estava com saudades da sua rola e gemia toda feliz e logo a enchi de porra.Resolvi dar uma saída com ela e que linda ficou com um short curto,blusa colante e sapatos lindos e a levei ao shopping aonde tomamos um lanche e ela foi olhando para mim com olhar de desejo e queria voltar para casa pois sonhava em ser iniciada pela minha rola.Logo que entramos ela foi tomar um banho e toda nua veio se encontrar comigo que estava no alpendre e logo a abracei por tras e fui alisando seu corpo,tocava seus seios e fui a deixando toda entregue.tinha um mesa no alpendre e fui a colocando de pernas abertas e abrindo suas pernas fui de língua na sua xoxota e ela foi ficando toda entregue e ergui suas pernas e fui direcionando minha rola comecei a roçar na sua xoxota e logo senti que estava no ponto e fui pressionando e minha rola queria entrar,mas algo segurava e dei um tranco e minha rola foi entrando a fazendo mulher e comecei a meter gostoso e ela foi ficando no clima e começou a se contorcer e sentir o gozo de ser amada e fui acelerando e sentia sua xoxota quentinha,gostosa,e senti que iria gozar e de pronto tirei e a porra foi na sua barriga.Fomos ao banheiro e logo estávamos deitados curtindo o momento,e ela se colocou ao lado e foi me perguntando se tinha gostado,se seria o macho dela,e a fiz parar com um dedo em seus lábios e fui mamar seus seios,alisar suas ancas e logo fui a colocando de 4 e me posicionei e fui com minha rola buscar sua xoxota por trás e fui metendo com vontade,fazia com que ela nunca esquecesse este momento de se transformar uma mulher e ela aguentando a minha socada.Ficamos deitados nus e ao acordar na manha ela estava com um semblante lindo,e fui beijando seus seios,deslizando minha rola a entrada da xoxota,e aos poucos foi entrando e comecei a comer com vontade e ela sorrindo dizia que macho gostoso..

conheci no chat, e ela mentiu a idade

Meu nome ficticio é Carlos… moreno 1,75… 82kg… um cara simpatico. Ja tenho uns contos aki. Vou contar o q aconteceu comigo no inicio desse mes. Entrei numa sala de bate papo de Vitoria (ES) e tinha uns 16 homens e uma mulher apenas. Joguei a cantada, e ela respondeu. Dai papo vai.. papo vem, a convidei pra sairmos juntos. Nos conhecemos, e falamos sobre muitas coisas inclusive sexo, traição, o q é bom .. o q naum é bom etc e tal. Fiquei surpreso quando ela me disse q havia mentido a idade pra mim. No chat ela me disse ter 39 anos. Na verdade ela tem 49 anos. Agora meus amigos, ca entre nóis, ela tem um corpo divino, durinho, bundona arregitada, anda rebolando, tem um olhar de safada bem gostosinha, pesa 52k +/- e 1,70 de altura +/-. Bom mas vamos ao q interessa. Neste primeiro encontro, roubei um beijo dela. Combinamos de nos encontrar outro dia, e no dia seguinte nos encontramos. Fomos a um motel em Jardim Camburi. Ela estava com uma roupinha apertadinha… uma calça bem apertadinha resaltando sua bunda maravilhosa. Entramos no quarto e começamos a nos beijar (gosto de preparar o terreno antes), comecei a deixar o beijo bem caliente, precionava ela na parede e ia contornando seu corpo até q coloquei minha mao na bucetinha dela por cima da calça. Ela começou a gemer e a tremer… ai dai pra frente foi só estinto. Fui tirando a calça dela e ela pediu pra irmos para o chuveiro. Tirei minha calça e tomamos um banho delicioso. Quando ela me viu no banheiro disse olhando pro meu pau: Bela especie heim… e deu um sorrisinho safado. Virei ela de costas pra mim … comecei a beijar o pescoço dela.. e com minha mao fui enfiando meu dedo na bucetinha cabeludinha dela. Ela tremia as pernas .. de tesao… balançava o corpo inteiro…. com aquela agua morna caindo sobre nóis. Saimos do choveiro e fomos para a cama.. ela fez um boquete maravilhoso… ai eu comecei… a faze-la gozar. Enfiei a minha boca na bucetinha dela… ela deitada na cama e eu encima dela… somente eu chupando a bucetinha dela. Eu começava do clitoris e parava na portinha da bucetinha… e quando eu chegava na portinha ela começava a gemer… mas gemia alto.. muito alto mesmo.. chegava a berrar .. de tesao… eu nem liguei… tava adorando.. e por isso … sempre dava uma paradinha na portinha da bucetinha dela…. ela adorava… cada vez q eu parava na bucetinha dela com minha lingua.. ela dava uma gozada… e foi umas 5 vezes mais ou menos. Ela pediu pra eu parar pois queria gozar com meu pau dentro dela. Ja sacando de como ela gostava virei ela de 4 e comecei a enfiar meu pau na buceta dela bem devagarinho.. e dizendo: Sente ele dentro de vc vai sente… minha putinha safadinha….. ela ia a loucura … Entaum soquei de veiz meu pau dentro dela … e naum deu outra… na primeira socada ela gozou… e dai em diante… a cada 5 a 7 bombadas fortes na sua bucetinha ela dava uma gozada…. Acreditem .. ela gozou umas 9 vezez em apenas 30 minutos de eu socando a bucetinha dela…. ate q ela me disse: Nossa… vc me deixou de pernas tremendo…… e falava isso ofegante com um sorriso maravilhoso no rosto. Nesta vez naum aguentei de ver ela gozar tanto e gozei tb. Deitamos um pouco, tirei a camisinha, e ficamos conversando. Quando estava dando a hora de irmos.. inesperadamente eu levantei sem dizer nada.. olhei pra ela.. e disse: Se prepara. …. E ela perguntou: Pra q?…. Coloquei outra camisinha e meeti mas uns 10 minutinhos na buceta dela …e ela deu mais umas 3 gozadas… gritando como uma louca no quarto… era realmente ensurdecedor os gritos dela… mas ela tava adorando.. . Nos recompomos e saimos. Ela me disse: Como vc sabe tratar uma buceta bem. … Eu sorri pra ela e disse: Engraçado .. achei q era sacanagem mas me disseram isso ja tb…rss… e dei um sorrisinho bem safadinho. Q coroa gostosa… maravilhosa…. depois disso saimos outras vezes… mas vou contar na proxima vez como comi o cuzinho dela apezar de ela estar com medo do tamanho de meu pau..rs…. esse fica pra proxima. Um beijo a todas as gatas q leem este conto. e qualquer coisa me escrevam….. até mais.                                 

MINHA FILHA, UMA DELICIOSA PUTA

Aqui em casa temos o hábito de ficar pelados. Com as crianças crescendo a gente não fica mais pelados o tempo todo. Mas dormimos pelados. Uma noite dessas, peladão na cama, resolvi assaltar a geladeira e fui à cozinha como estava, pelado. Ao me virar, saindo da geladeira, dei de cara com minha filha. Fiquei um pouco constrangido porque senti que o cacete começava a endurecer. Ela estava linda demais vestindo uma mini camisola transparente. Seus mamilos sobressaiam, suas coxas lisas e lindas. Aquilo mexeu comigo e o pau subiu. Fiquei vermelho! Ela sorriu e disse paizinho você tem um pinto muito bonito, ainda mais duro assim como está!. Puxei uma cadeira e me sentei, tentando disfarçar o constrangimento. Ela se dirigiu à geladeira e se abaixou para pegar um refrigerante e, nessa posição, deixou à mostra sua bela bundinha. O tesão era enorme, mas o constrangimento também era enorme, quando ela se virou para mim e me perguntou. – posso sentar no seu colo? Respondi que podia e ela sentou-se em cima do meu cacete, amassando-o. Não resisti e levei AS m/aos em suas coxas. Alisei-as e comecei a passar as mãos por seu corpo. Ela arfava e gemia toda arrepiada. Manei que ela saisse do meu colo. Disse-lhe que não podíamos fazer aquilo e fui para o quarto, ainda cheio de tesão. Ela veio dai a alguns minutos, tirou a camisola e deitou-se ao meu lado. Não resisti. Virei-me para ela e comecei a beijá-la, a lamber suas orelhas, o seu pescoço os seus seios e fui descendo até aquela linda bucetinha a qual chupei, mordisquei e lambi gostosamente. Ela se virou de frente e pediu para eu enfiar o pinto na sua bucetinha. Disse-lhe que na buceta não. Era perigoso. Eu colocaria no seu cuzinho bem devagar. Ela disse que estava bem. Lambuzei o pau com KY, enfiei o dedo no cuzinho dela lubrificando-o bem, coloquei-a de 4, segurei-a pela cintura e enterrei o pau todinho naquele delicioso cuzinho. Trabalhei como se fosse um garotão de 20 anos. Dei uma das melhores gozadas de minha vida. A partir daquela noite, sempre que podemos, fudemos. É melhor putinha com quem já transei. Ainda não com,a sua bucetinha, Não sei por quanto tempo aguentarei sem enfiar o pau na bucetinha dela. O cuzinho dela já recebe com grande facilidade o meu pau. Ah! Ela chupa bem. Ensinei-a a chupar um pau o que ela faz muito bem. Outro dfia conto mais. Tchau.

viadinho-dois machos

Após a experiencia aonde tive dois machos me submetendo aos seus desejos algo mudou na minha cabeça e me via vivendo este momentoEstava em casa olhando emails e deparei com um novo e tinha fotos e um video e de imediato fui checar.As fotos tinha eu chupando a rola do negão,de 4 dando para o negão,e uma foto eu chupando e tendo o outro macho comendo meu cúFoi gostoso ver meu semblante nestas fotos,estava feliz curtindo o momento.Abri o video e apareci deitado com as costa na cama e as pernas abertas e o negão me comendo,metia gostoso no meu cú e me vi falando-mete macho,firme fundo e ele socava gostoso.Respondi o email e dizendo que gostaria de ter uma nova experiencia com dois machos e de pronto ele me respondeu-nos pegue amanhã no mesmo horarioConfesso fiquei tesudo e no horario já estava pegando meu negão e fiquei preocupado com o amigo-negão,grande,forte,Entramos no motel e me vi nu sendo acariciado pelo negão,fui entrando no clima,mamando sua rola e senti seu amigo me alisando meu cuzinho,dedo com gel metendo de leve,dois dedos e mamando a rola do negão fiquei a disposição com meu cú piscando.O macho se debruçou sobre mim e deslizou sua rola gostoso nas minha nádegas,estava bom demais e senti ele se posicionar sua rola na portinha do meu cú que piscava sedento.e neste momento o outro começou a meter na minha boca e estava em extase e senti sua rola avançar meu anel e abrindo literalmente meu cú,foi deslisando e aos poucos se amoldando ao invasor,continuou metendo de leve me dando a sensação de cheio,mas deslisava e me amoldava ele enfiava mais e disse que cú guloso viadinho e fui aguentando até ele exclamar viadinho bom aguentou toda minha rola no se cú.Ficou um tempo até meu cú acostumar com sua rola e começei a rebolar e sair e colocar de novo e fui aumentando aos poucos,e já sentia confiante e disse mete gostoso meu macho seu viadinho quer sentir a sua pegadaComeçou a tirar e meter varias vezes e tirou tudo,que sensação de vazio,e de pronto meteu de uma vez só ate o fundo e começou a socar pra valer,que gostoso ter esta rola me enchendo e ver a alegria do macho em dizer vc é o primeiro que me deixa meter tudo,perdi noçao de tempo eme concentrei em receber esta rola gostosa.Me pós de frango assado e meteu tudo de uma só vez,deitou sobre mim e metia fundo fazendo um pouco de incomodo,mas aguentei firme ate o momento que senti ele me encher e jatos de porra me inundaram e quando tirou veio pelos lados e mamei gostoso sua porra.Ele me olhando disse vc é um viadinho para se ter sempre a mão,minha rola vai ter saudade deste cú.O outro macho queria gozar e através de um boquete gostoso ,punheta com carinho ele encheu minha boca com seu semem e engoli gostoso.Fui tomar uma ducha e voltei para cama e a rola do negão estava em riste e pude ver in loco o que tinha aguentado.Sorrindo para mim me pós de lado ,ergueu uma perna e encaixou sua rola no meu cú e socou gostoso,indo fundo e dizia viadinho vc terá sede desta rola,vc é meu, submisso ao meu chamado e quando socava ia pra frente e ele me trazia de volta.Me pós de 4 e começou a meter de uma maneira suave,e me via aos poucos relaxando e rebolando com ele,aumentou a sua metida e fui na dele e senti meu cú vibrar e gozar gostoso e ele logo me encheu de sua porra e meu cú piscava de desejoDeitado vi meu negão mamando na rola do seu amigo e aos poucos se colocou de 4 e disse me come mas só até a metade.,e o negão ria dizendo talvez vc se motive e deixe eu meter até o talo.Foi gostoso ver o meu macho comer seu amigo,e ver a sua virilidade,sua socada e sabia que estava preso a sua rola–Alexandre

Ilustre Desconhecido

Estava uma noite quente, não se via nenhum movimento nos galhos das árvores. O céu estava estrelado. Eu estava dentro de casa. Como eu queria ficar bem conhecido pelos cachorros da minha rua, resolvi sair de casa e dar uma volta no quarteirão. Logo que saí encontrei meu primeiro macho. Ele veio ao meu encontro todo feliz, talvez lembrando do dia em que me tirou a virgindade, rsrsrsr. Passei a mão na sua cabeça, mas continuei andando, ele me seguiu… Achei ótima a idéia dele me seguir, pois se não conseguisse nenhuma iria dar para ele novamente. Quando cheguei na esquina, vi um cachorro que nunca tinha visto na vizinhança. Era preto, enorme, bem maior que o meu primeiro desbravador. Tentei chegar perto dele, mas ele correu. Se para tudo tem que haver um incentivo, resolvi voltar para casa. Como o meu desbravador estava junto comigo, deixei ele entrar em casa também. Fiquei nu na frente dele, nossa …. ele começou a babar.Percebi que ele tinha gostado da nossa primeira vez. Virei minha bunda para ele, rapidinho ele começou a lamber. Nossa… faltava até o ar a cada lambida que ele dava em mim. Fui me abaixando até ficar de quatro. Ele mais que rápido subiu em mim e começou a bombar. Não acertava, tive que ajudá-lo. Coloquei seu cacete na porta do meu cuzinho e ele empurrou com vontade. Fiquei segurando o nó, não queria ficar outra vez engatado com ele. Queria algo mais grosso e novo. Mas, foi ficando muito lubrificado meu cuzinho e o cacete dele que acabou por escapar da minha mão e entrou tudo. Foi crescendo dentro de mim e eu fui às nuvens, pois não tinha amaciado meu cuzinho. Foi demais. Ele me apertava com suas patas e estocava bem lá no fundo. Foram uns 35 minutos de êxtase. Tudo esquentou, ele gozou dentro de mim. Rapidamente me levantei para que ele não me lambesse, queria ficar sujo com sua porra para chamar a atenção de outro cachorro. Talvez aquele que fugiu de mim antes. Coloquei meu short e a camiseta, sentia a porra dele saindo o meu cuzinho. Isso aumentava ainda mais meu tesão. Fui para rua e meu desbravador continuava me seguindo. Lá na esquina eu avistei aquele cachorro enorme. Imaginava quão grosso deveria ser seu cacete, o seu nó… Fui chegando perto dele, nossa… ele é muito bom de faro, pois dessa vez ele não fugiu, pelo contrário veio ao meu encontro e começou a me cheirar. Não deixei não, pois podia aparecer alguém. Dei meia volta e voltei para casa. Agora não era mais só o meu desbravador ame seguir, aquele desconhecido também me seguia. Me seguia tão de perto que quase colocava seu focinho na minha bunda toda molhada de porra. Andei mais rápido, pois eu estava à mil e fiquei com medo de cair ali mesmo na rua. Cheguei em casa e só deixei meu ilustre desconhecido entrar. É que eles poderiam brigar e quem sairia perdendo seria eu. Meu ilustre desconhecido parecia louco, me cheirava as pernas, as coxas, e só parava na minha bunda. Não tirei o short, pois queria ver seu cacete antes. Me abaixei perto dele, mas ele pulou em cima de mim e eu vi seu cacete. Vermelho, com aquela pontinha vermelha, seu nó não vi, pois não saiu. Ele começou a estocar no ar. Me preocupei com aqueles gestos, pois ele poderia gozar sem estar posicionado. Saí debaixo dele e tirei meu short, nossa que língua. Ele lambia tudo que saía do meu cuzinho. Fiquei de quatro e deixei ele subir em mim. Subiu e começou a estocar minha bunda sem acertar o alvo que já estava todo lubrificado. Resolvi ajuda-lo e com a mão coloquei o cacete do meu ilustre desconhecido na entrada do meu cuzinho. Foi só ele sentir o calor começou a estocar forte. Senti uma dorsinha no fundo do meu cuzinho. Foi aí que percebi que seu cacete era bem maior que do meu desbravador. Ele me apertava com muita força e empurrava seu cacete no meu cuzinho e ao mesmo tempo me puxava contra ele. Eu comecei, instintivamente, a gemer, a gemer, a gemer, até que numa estocada mais forte ele enterrou seu nó em mim. Na hora dei um grito de dor, pois era enorme. Comecei a me arrepender de ter tido essa vontade de dar para ele, poderia muito bem ter ficado com o meu desbravador, mas agora eu sabia que era tarde para arrependimento. Sentia seu cacete crescer dentro de mim, parecia que meu cuzinho seria rasgado, fui me ajeitando no chão, procurando desesperadamente uma posição para poder acomodar aquele imenso cacete que não parava de crescer dentro de mim. Passei a mão no meu cuzinho e percebi que ele estava abrindo de dentro para fora. Até parecia que tinha engolido uma bola de tênis. Fui me ajeitando, puxei uma almofada de cima do sofá e coloquei embaixo da minha barriga. Eu sentia a ponta do seu cacete forçando a volta do meu cuzinho querendo passar para o intestino grosso. Mas, meu ilustre desconhecido não estava nem aí, só afim de me comer todinho. De repente ele parou. Percebi que faria a mesma coisa que meu desbravador fez: virar e ficar bunda com bunda. Foi exatamente o que ele fez. Num salto pro lado ele virou. Que dor! Que prazer! Tudo se misturava. Eu continuava sentindo seu cacete pulsando dentro de mim. Não sei porque, mas ele começou a querer andar. E começou a andar e me puxar pela sala. Aquilo aumentou meu tesão, apesar da dorzinha que eu sentia com o movimento. Eu gemia, gemia, como nunca. Estava nas estrelas. Bom demais. Ele parou. Senti que estava esquentando, ele estava gozando dentro de mim. Senti como se estivesse fazendo uma lavagem estomacal. Chegou a me dar cólicas no intestino de tanta porra que ele soltava dentro de mim, pois, pelo tamanho do seu nó, sua porra não tinha para onde sair, somente entrar cada vez mais dentro do meu intestino. Depois de algum tempo, nem consegui marcar, senti seu cacete a voltar ao normal e sair de mim. Dessa vez, ele me limpou, só que não saiu muita porra na hora, começou a sair um pouco mais tarde quando estava tomando banho,pois tinha ido muito no fundo. Abri a porta e ele saiu. Hoje, 06 de janeiro de 2005, fazem três dias que ele me comeu e não o vejo.Estou com muita saudade dele, pois meu cuzinho está bem aberto por causa do cacete dele e o cacete do meu desbravador não me satisfaz mais. Se por ventura alguém quiser me escrever, responderei com prazer.

corno goiano

não é todo dia que nos conseguimos uma bucetinha especial…este dia aconteceu comigo……..estava eu..moreno 1.80..80 kg….peludo …cabelos negros ( 20 cm de rola ).39 anos…fazendo caminhada no VACA BRAVA…quando passa por mim duas deusas….uma mais loirinha e a outra de cabelos castanhos….com roupas de malhas modelando aqueles corpinhos maravilhosos deixando bem delineada duas bundas que me fizeram apertar o passo e caminhar bem pertinho delas….elas coversavam entre si e tacavam o pau em seus companheiros, dizendo; que eles só tinham tempo p/ trabalhar e ganhar dinheiro que elas queriam se divertir mais ..que estavam carentes ( vai entender mulher, o cara da de tudo e elas continuam reclamando )….mas aquilo estava ficando bom……quando ja na segunda volta uma delas para para amarrar o tenis…e eu não tinha como parar também diminui o rítimo e disse bem baixinho…..se quiser eu amarro p/ vc…não fica bem uma coisa linda desta ficar de 4 no meio da rua…..a loirinha ficou brança..e eu antevendo um xingamento …me abaixei e amarrei seu tenis…..as duas ficaram mudas……logo me alcançaram e me passaram e eu deixe escapar …um comentário tipo A SE EU PUDESSE E MEU DINHEIRO DESÇE dai uma dela vira pra mim e diz …homem rico..nos ja temos……..ai respondi que tal um pobre mas macho…? no que elas continuaram a caminhar ate CHEGAR em uma barraquinha de coco gelado……eu continuei andando….na ultima volta a loirinha quando estou passando perto dela disse discretamente……mostrando o tenis olha desamarou de novo… eu mais do que de pressa disse pode deixar que amarro.. me abaixei segurei firme seu pezinho e pus em cima de minha cocha e disse …bem baixinho…… voce é mais bonita te olhando daqui ela perguntou porque …..ai eu disse seria indelicado te disser. .ai a de cabelo castanho insiste e eu com a cara mais safada do mundo acabei falando é por que caminhando atraz de vcs….só tenho olhos pro bubum de vcs….. ..antes que brigassem comigo perguntei seus nomes ..fiquei sabendo que a lorinha se chama Gisela e é casada e a de cabelo castanho é a Milena (noivinha)…me disseram que eu era muito atrevido..pedi perdão..mas disse que a culpa era daquelas roupas que marcavam e modelavam seus corpos…mas que achava que tinha muita propaganda enganosa…ai elas se sentindo ofendidas..disseram que era tudo real e sem cilicone….ai disseram que iriam embora….demos tchal e pronto no outro dia encontro a Gisela fazendo caminhada sozinha..e lhe digo hoje vou apertar o passo pra ficar na sua frente…ela ri de mim e me chama de safado…….quando passo ja na segunda volta ela me aponta o tenis dessamarado perto da barraquinha de coco gelado….ai eu lhe digo só amarro se vc tomar um shop comigo do outro lado da rua….ai ela me informa que seu marido é rico, envolvido na política e tem muito amigos que ficaria sabendo que ela estaria sentada tomando um shop comigo em 5 minutos….ai digo que teria outros lugares…..dou o numero de meu cel…e digo a ela…..me ligue…despeço-me com um beijinho….( ja amansei ! )…passado uns três dias quem me liga é a Milena…..me chamando para tomar um vinho…( aqui em Goiânia esta frio )….ai marco de pega-la as 20:00 hs…e a levo lá pro CAVE..( discretíssimo )….depois de uma garafa o papo solto…começo a alizar aquela pele bronseada e digo no pé do seu ouvido..adoraria ver as partes brancas….ela deixa cair a alça do vestido e me mostra um seios durinho empinado e branquinho com marquinha de biquine de forma discreta …e eu por baixo da mesa….pego sua mão e levo no meu PAU ela dá um apertão e diz..sorrindo é o meu numero. …pagamos a conta e ja saimos dando uns amassos..ela no carro …parte p/ cima gruda em mim e diz….isto é só diversão ta ok…? e eu lhe respondo com um beijo na boca…..ela fica alisando meu pau..por cima da calça eu levo a mão entre suas coxas e sinto sua xana molhadinha…..molhando a calcinha…..e ela sussurra em meu ouvido sentiu estou a perigo e continua o corno trocou meu caro e não teve tempo de trocar meu oleo…..rimos e nos dirigimos ao SOLARIM…..ai foi só alegria…..que bucetinha deliciosa..cheirosa….chupei e a fiz gozar gostoso….logo a coloquei de 4 e passei a fude-la..gostoso lhe puxando pelos cabelos…o dedão entrando no cuzinho e ela rebolando me xingando de safado e sacana….puto….enfiei o dedão e ela gemeu alto..gozando…..tirei da xaninha e puz a cabeça da pica no cuzinho…não entrou..tentei e nada….ai pus ela p/ me cavalgar…..fiquei admirando minha amazona ..quando ela quis parar para ir mixar eu não deixei e mandei continua fudendo até mixar … ela de olhos arregalados me disse que não conseguia que sua educação era recatada e que nunca tinha feito aquilo..fui firme e mantive ela sentada passei a acalma-la deixando ela ficar rebolando com o pau dentro de sua xoxotinha ..ate que ela começou a mixar..montada ..em mim …gozou ate desmaiar.gritando coisas que nem eu consegui traduzir …ai .pus ela de lado e fui tomar um banho…..para fazer o baixar. PAU …..passado uns 10 minutos ela vêm se ajoelha e diz..agora quero leitinho pra pode ir embora de barriguinha cheia…….ai eu que ja estava a 40 minutos fodendo sem gozar ….passei a foder… gostoso…segurando-a pelos cabelos…ate que esporei naquela boquinha de ninfetinha …..ela numa crise de vômito ..não engole …e depois me diz ….. que esta é sua fantasia….que um dia ela vai conseguir engolir… ..mas que mixar com a pica dentro dela …….ela achava que gisela iria querer experimentar pois é maravilhoso…..na bucetinha não tinha mais jeito de fuder pois esta toda inchada..no cuzinho não entrava …..ai deixei ela em casa ( lea me prometendo que se eu tivesse calma iria conseguir tudo que eu queria ) …..hoje sou amigo do corno e ainda como a Gisela..( contarei em outro conto ) ..estou fazendo a cabeça das duas …para uma chupar na outra…….a Gisela já até deu a entender que tem tesão em chupar uma xana….mas a Milena…ainda diz que não esta preparada…… eu fiquei amigo dos cornos …e a esposa de um e noiva de outro …acho que estão felizes..pois elas ja não brigam mais com eles…..e quando saem para irem ao Goiânia Shop….ja marcam uma paradinha em meu ape..antes………ate quando isto vai ficar assim não sei….mas por enquanto esta uma delícia……portanto se vc femea compromissada quiser um macho pode me escrever..ou a vc ..corninho enrustico.. me apresente a tua femea que eu cuido de fazer brotar em vc..o que deseja……

A Professora Submissa – Capítulo 25

Este conto já foi publicado em outro site, não por mim, mas por outra pessoa, autora Jessica69, ela os apagou deixando o pessoal sem o conto e sem o final. Como este conto não teve final, eu providenciei a continuação, tentando ser a mais fiel possível a historia, espero que gostem. Outra pessoa publicou este conto em outra pagina de contos, como se fosse o autor, mas deixo claro que a autora foi a Jessica69, e eu Marina G fui a coautora, eu dei continuidade e fim ao conto.Conto de Jessica 69 e Marina GA Professora Submissa – Capítulo 25Quando o carro parou, Mariane olhou pela janela e ficou surpresa ao ver que elas não estavam estacionadas na frente da sua casa. A principio, ela não reconheceu o lugar, mas ficou desesperada quando percebeu que aquela era a casa dos pais da Lisa. A tão temida casa da família Simons. Lisa já tinha trazido a professora aqui antes, mas dessa vez era tarde da noite e a professora estava totalmente exausta. Lisa puxando-a pela coleira, guiou a sua professora para dentro da casa dos seus pais, direto ao porão da casa, onde tirou as algemas da professora, em seguida ordenou que Mariane ficasse na posição de quatro como uma cadela e entrasse em uma pequena gaiola de cachorro.Totalmente humilhada, Mariane ficou de quatro, como ordenado por Lisa e engatinhou para dentro da gaiola, depois que Lisa trancou a porta da gaiola, Mariane tentou se deitar na posição mais confortável possível, mesmo sendo impossível e então cair exausta em sono profundo. Seu short super colado, ainda estava todo molhado de xixi e dentro o plug anal ainda estava devidamente enfiado em seu ânus e o vibrador mesmo desligado ainda estava enfiado em sua buceta raspada, mas nada disso agora, por mais que a incomodasse ou a deixasse excitada, importava. O que ela precisava mesmo agora era dormir.Mariane não sabia por quanto tempo dormira, pois quando acordou, ainda estava escuro no porão e não se ouvia nenhum barulho vindo do andar de cima. De repente ela percebeu o som de uma respiração suave vida de algum lugar de dentro do próprio porão, mas ela não podia ver nada, pois a escuridão naquele porão era absoluta.Ela percebeu que estava tremendo de frio e estava extremamente desconfortável, havia apenas um pequeno espaço para ela se mover dentro da gaiola, estava seminua e não tinha como ela se cobrir. Nua da cintura para cima, a única peça de roupa que usava era aquele shorts, apertadíssimo, mas já seco, pois o xixi já havia secado, só servia para garantir que o plug anal e vibrador não saíssem dos seus respectivos buracos.Ela estava realmente fétida, o cheiro forte de urina tomava conta de todo o porão. Ela fazia o seu melhor para se sentir confortável presa dentro daquela gaiola, mas apesar de estar tonta de fome, conseguiu ainda exausta que estava mais uma vez cair em sono profundo.Mariane acordou chocada e assustada pelo jato de água gelada que saía do bico de uma mangueira, era a mãe da Lisa que estava direcionando o jato de água da mangueira, sobre o corpo seminu da professora engaiolada. A água gelada fazia a professora ficar toda arrepiada de frio e com os bicos dos seios duros.— Nossa como você estava fedendo professora. Eu espero que este banho de mangueira tenha resolvido o problema.O banho com a água gelada da mangueira acabou tão rápido quanto começou e a professora Mariane foi deixada sozinha no escuro do porão mais uma vez. Tremendo de frio, arrepiada e toda molhada, trancada dentro daquela gaiola. Os bicos dos seios ficavam mais duros do que nunca, após daquele banho surpresa de água gelada.Algum tempo depois, as luzes do porão novamente foram acesas, pela mãe e o irmão de Lisa que desciam as escadas. A mãe de Lisa foi até a gaiola da professora Mariane, enquanto que o irmão de Lisa foi até outra gaiola que estava do outro lado da sala do porão. O porão era enorme, era subdividido em cômodos, tinha sala de estar com TV de tela grande e videoteca, um quarto com cama de casal, uma sala de tortura, toalete, banheiro e até cozinha. Mariane tinha ouvido a respiração, mas ela não tinha notado que tinha outra gaiola do outro lado da sala, quando foi deixada ali. A mãe de Lisa destrancou a porta da gaiola e puxando-a pela coleira, fez a professora seminua sair da gaiola. Enquanto saía da sua gaiola, Mariane via uma moça jovem e loira, completamente nua, engatinhando para fora da outra gaiola.— Professora, essa é a escrava atual do meu filho Marcos. O nome dela é Carol. Falou a mãe de Lisa. As duas escravas encoleiradas, olhavam uma para a outra, enquanto a mãe de Lisa continuava a falar. — Ela é escrava do meu filho Marcos já há um mês e está progredindo maravilhosamente bem. Ela assim como você, também tem seus segredinhos que não podem ser revelados para o mundo lá fora, por isso ela obedece a todas as nossas ordens sem questionar, como uma boa cadela de estimação sempre deve fazer.Ela se gabava de algo horrível, como se escravizar alguém fosse algo normal.— Marcos, traga a aqui, vamos permitir que as duas putas conheçam-se melhor.Marcos puxando Carol pela coleira levou-a até Mariane e sua mãe. Assim como ordenado, elas ficaram frente a frente. As duas escravas estavam olhando para o chão neste momento. Mariane notou que Carol também estava usando sapatos de salto super apertados assim como ela. Parecia que aquele era um fetiche da família Simons, obrigar suas escravas a usarem sapatos trituradores de pés, além disso, os sapatos tinham saltos muito altos, assim quando ficavam de pé, a sensação que tinham era de estar calçando funis ao invés de sapatos. Elas ficavam feitas bailarinas, suas bundas também ficavam obrigatoriamente empinadas. Carol estava completamente nua, usando apenas aqueles sapatos de salto e a coleira no pescoço, já Mariane estava nua da cintura para cima, usando também uma coleira, aqueles sapatos de salto vermelhos e aquele short colado em seu corpo. Sem esquecer de que dentro daquele short, existiam um plug anal e um vibrador deliciosamente enfiados em seus respectivos buracos.— Carol, dê um beijo de língua bem excitante na professora. Ordenou o Sr. Marcos.Carol imediatamente se inclinou para frente e colocou seus lábios nos lábios da professora chocada. Ela ainda tentou enfiar a língua dentro da boca de Mariane, mas Mariane se afastou de Carol, interrompendo mais que depressa, aquele beijo lésbico.A Mãe de Lisa ficou furiosa, puxou Mariane pela coleira e já foi logo avisando, qual seriam as consequências daquela recusa de não querer beijar Carol.— Escuta aqui, sua puta! Você vai fazer tudo exatamente como dissermos ou eu vou chamar a sua querida filha para vir ao porão para participar da nossa festinha. Será um prazer ter mais uma escrava a disposição.Mariane ficava aterrorizada com a possibilidade da sua filha também virar uma escrava.— Sim puta, a sua filha Aninha passou a noite aqui na nossa casa. Pra dizer a verdade ela chegou bem antes da minha filha Lisa trazer você. Claro que nós a distraímos até a Lisa chegar com você, mas também tomamos o cuidado de fazê-la dormir antes que vocês duas chegassem, para evitar um encontro acidental entre vocês, porque já sabíamos que você iria chegar quase nua em casa, depois de se divertir tanto naquela boate. Minha filha nos contou tudo, desde o boquete no estacionamento da boate, até o xixi no short. Foi mesmo uma noite louca, não foi?A mãe de Lisa se divertia, fazendo a professora se recordar da noite passada.— A sua filha agora, está na cozinha tomando um delicioso café da manhã com a minha filha Lisa. Você vai ser uma boa cadela e obedecer as nossas ordens ou quer que chame a sua filha para se juntar a nós?— Não… Implorou Mariane, desesperada. — Por favor, não envolva a minha filha nisso. Eu vou fazer tudo o que vocês quiserem, mas, por favor, não envolvam a nisso.— Tudo bem professorinha, não precisa começar a chorar como uma bebezinha. Tudo que você precisa fazer agora é dar um delicioso beijo de língua na Carol e a sua filha será poupada, mas só será poupada enq
uanto você continuar a obedecer, entendeu? Sua puta!— Sim, Senhora Simons. Respondeu a professora com cara de choro.— Pode me chamar de Senhora Silvana, deixe o sobrenome de Simons para a minha filha.— Sim, Sra. Silvana. — Melhor assim, agora beije Carol. Mariane se aproximou novamente de Carol e juntou seus lábios com os lábios dela, dando um beijo apenas superficial e sem nenhuma emoção. Apenas um selinho, nada de língua. Carol, por sua vez, sabia exatamente o que a Sra. Silvana queria. Ela subitamente puxou a professora para junto de si, apertando-a e puxando-a pelos bicos dos seios. Então, ela pôde dar um beijo de verdade na professora. Carol mais uma vez enfiou a língua na boca da professora, finalmente suas línguas se entrelaçavam.Mariane não conseguia esconder o seu desgosto, aquele beijo de língua era bem forçado e ela realmente acreditava que não era lésbica. Ela nunca teve pensamentos ou desejos de se relacionar com outra mulher, principalmente uma muito mais jovem que ela, como era o caso de Carol que deveria ter uns 18 anos.FLASH… Marcos tirou uma bela foto das duas putas se beijando, um beijo forçado por parte da professora é claro, mas já era um beijo. — Professora preste muita atenção no que eu vou dizer, ou você beija a Carol com mais paixão e entusiasmo ou eu vou ser obrigada a chamar a sua filha para substituir você.— Nãããoooo, por favor, não… — Então tente mais uma vez, dessa vez faça direito, porque se você me decepcionar de novo, não vou hesitar em chamar a sua filha. Mariane fechou os olhos e tentou ignorar o fato de que Carol era uma mulher, tentava pensar em seu marido Jhorge enquanto dava um apaixonante beijo de língua na jovem garota, propriedade do Sr. Marcos. Ela sentia a língua de Carol entrando em sua boca e brigando com a sua. As línguas das duas se entrelaçavam em um beijo acima de tudo, erótico. Aquele beijo era muito mais do que erótico, ele atiçava, acendia, provocava o tesão que não diminuía, mas aumentava mais e mais em Mariane.A professora podia sentir a sua própria buceta molhada escorrendo, conforme o beijo delas continuava e continuava.— Continuem se beijando, putas! Vocês só podem para de se beijar, quando eu disser que podem. Mariane chorava, enquanto beijava Carol. Ela mesma não podia acreditar que aquele beijo estava a deixando, cada vez mais e mais excitada e perto de gozar. Não, não podia ser aquele beijo, que estava a deixando, tão excitada. Ela não era lésbica! O tesão que ela estava sentindo só podia ser por causa do enorme plug enfiado no seu cu, do vibrador enfiado em sua buceta. Não podia ser por causa do beijo de língua ou os amasso que Carol estava dando nela, não podia ser o fato de Carol estar apertando a sua bunda, enquanto pressionava os seios dela contra os seus.O beijo delas continuou até o momento em que a mãe de Lisa mandou que elas parassem. Carol imediatamente parou de beijar e empurrou Mariane, mas continuou parada de pé, muito próxima da professora confusa e excitada. FLASH, FLASH, FLASH… Marcos tirava várias fotos.— Ótimo putas! Agora eu quero ver a professora nua, Carol tire esse short da professora. Ordenou o Sr. Marcos. E Carol imediatamente caiu de joelhos diante da professora, começando a travar uma verdadeira luta para abrir o botão daquele short colado. Aquele short estava tão colado e apertado, parecia uma segunda pele da professora, mas depois de muito esforço, Carol finalmente conseguiu abrir o botão e descer o zíper do short da professora, mas todo aquele trabalho não parou. Muito mais dificuldade, iria encontrar agora, tirar o short que além de colado e aperto, também estava molhado, dificultando a vida de Carol ainda mais.A próxima grande dificuldade que Carol encontrou, foi puxar para baixo da bunda naturalmente empinada de Mariane, o short que apertava e modelava o bumbum da professora.Aquele short estava tão apertado que a única solução encontrada por Carol foi vira-lo do avesso, como se estivesse descascando a professora da sua segunda pele.Mariane ficou parada de pé, quietinha, permitindo passivamente que Carol retirasse o short.Assim que o jeans foi puxado para baixo das suas coxas, o vibrador que estava enfiado em sua buceta, espirrou para fora e caiu no chão. De repente Mariane sentiu um vazio em sua buceta, ficou aberta por alguns segundos e foi se fechando lentamente. O plug anal ainda estava enfiado em seu cu, estava bem enfiado e não iria sair de lá sozinho. Carol continuava puxando o short para baixo, descascando a professora. Mariane tirou os sapatos de salto para tornar possível a retirada, depois calçou os sapatos novamente.Agora Mariane estava completamente nua diante do seu ex-aluno Marcos Simons, usando apenas os sapatos de salto vermelhos e uma coleira, além do plug enfiado em seu cu. Embora ela estivesse sendo sexualmente humilhada e tudo aquilo que estavam fazendo com ela, fosse contra a sua vontade. Isso a deixava extremamente excitada e com muito tesão. Ela não conseguia parar de pensar no beijo de língua que acabara de dar em Carol. Seus mamilos ficavam cada vez mais duros, enquanto sua buceta latejava e despejava toda úmida por suas pernas.Mariane foi trazida de volta de seus devaneios com um golpe violento de uma vara que chicoteou os seus belos seios. Suuuuéééééépt… — Aaaaaaaiiiiiiiiiiiiiiiiii…Ela gritou de dor, assim que recebeu a primeira varada em suas tetas. Era a mãe de Lisa quem estava com a vara nas mãos, uma vara de material sintético, bem flexível e com um pedaço de couro na ponta, aquela vara realmente ardia, doía muito, mas apenas deixava uma listra avermelhada nos seios da professora, que chorou pela dor provocada.— Abra as pernas, professora, empine bem a sua bunda. — Sim, Sra. Silvana. A professora com medo de levar outra varada nos seios, obedeceu afastando as pernas e deixando sua bunda bem empinada. Assim que Mariane empinou a bunda, ouviu o Sr. Marcos ordenado que Carol retirasse o plug anal do cu com a boca, logo Mariane com a bunda empinada, sentia a respiração de Carol em sua bunda e os seus lábios e dentes trabalhando ao redor da base do plug que estava enfiado em seu ânus.Conforme Carol mordia e puxava com os dentes, ela sentia o plug anal começando lacear sua esfinge anal que dolorosamente abria caminho para fora do seu cu. Depois de muito esforço o plug anal finalmente saiu, deixando Mariane com mais um buraco vazio. Ela não podia acreditar, mas começou sentindo falta do plug em seu cu e do vibrador em sua buceta. Ela passou a noite toda com esses dois buracos preenchidos, agora eles estavam com saudades de seus dois ocupantes.— “O que eu estou me tornando”? Pensava a professora extremamente excitada. Ela realmente estava desejando que o plug e o vibrador voltassem para os seus respectivos buracos. Ela não acreditava que estava pensando assim.Puxada pela coleira Mariane foi levada para uma mesa erótica que tinha em uma de suas extremidades uma extensão móvel em forma de V. Assim que se aproximaram da mesa, eles mandaram Mariane subir na mesa e esticar as pernas sobre a extensão em forma de V, desta forma seus tornozelos e batatas das pernas e coxas foram amarradas na extensão da mesa. Então presa a mesa, ela foi forçada a inclinar para trás, colocando os seus ombros e costas sobre a mesa e a cabeça pendurada outra ponta da mesa.Tiras de couro também foram passadas por cima da sua cintura, barriga e uma abaixo e outra acima dos seios, deixando-a totalmente presa na mesa. Os braços também foram presos na mesa, um de cada lado do seu corpo. Usando o mesmo artifício… tiras de couro nos pulsos, braços e antebraços. Ela ficou totalmente presa e imobilizada naquela mesa erótica.A extensão da mesa em forma de V, na qual as pernas da professora estavam amarradas, foi aberta ao máximo, deixando Mariane perto de formar um “T” com seu corpo. Isso não provocou apenas a abertura total das pernas da professora, mas também a abertura total de sua buceta e deixando seu cu totalmente livre para ser usado.Mariane levantou a sua cabeça e se sentia tã
o humilhada, quando viu a posição obscena em que estava amarrada, olhando para um espelho que havia no teto, justamente sobre a mesa onde estava amarrada.— Bem professora, você não estava entusiasmada na boate ontem à noite? Minha filha me contou. Você não encorajou os seus parceiros de dança a fazerem mais do que apenas passar a mão nos seus seios e na sua bunda? Você hesitou na hora em que Lisa mandou você fazer xixi na calça na frente daqueles rapazes no estacionamento da boate. Hoje você deixou o vibrador sair da sua buceta e cair no chão quando a seu short foi abaixado, sem a minha devida permissão. E como se tudo isso não bastasse, você não beijou Carol do jeito que eu queria, logo da primeira vez. Diante de todos estes maus comportamentos, eu suponho que você realmente está querendo agora é receber uma boa punição para aprender a obedecer às ordens de seus donos e superiores, não é mesmo cadela? Falou a mãe de Lisa, mais uma vez segurando a sua inseparável vara.— Não Sra. Silvana. Eu sinto muito. Por favor, punição não, eu imploro.— Bem professora, eu vou dar duas opções pra você escolher. Você quer ser punida para aprender a obedecer as nossas ordens ou quer que eu chame a sua filha aqui embaixo para que você mesma possa explicar para ela, qual é a sua situação? O que você prefere?— Por favor, não chame a minha filha, senhora Silvana. Suuuuéééééééépt…— Aaaaaaaaaaiiiiiiiiiiiiiii…A ponta de couro da vara chicote bateu no seio direito da professora, um pouco abaixo do mamilo.— Eu não mandei você dizer o que você não quer sua puta! Eu mandei você dizer o que você quer, ou seja, punir você ou chamar a sua filha! Você deve escolher o que prefere.O seio que recebeu a varada estava ardendo e as suas pernas totalmente abertas já estavam começando a dar cãibras, Mariane precisava tomar uma decisão rápida. —Por favor, me castigue para que eu aprenda a obedecer as suas ordens, Sra. Silvana. A mãe de Lisa sorriu com a vara nas mãos.— Então você prefere a punição, não é mesmo cadela? Então uma boa punição é o que você vai ter. Tente não fazer muito barulho durante a sua punição, alguém no andar de cima poderá nos ouvir. A Sra. Silvana alertou, mas o que Mariane não sabia, era que aquele porão era totalmente a prova de som.A Mãe de Lisa segurou firme na vara chicote e começou a bater nos seios da professora amarrada na mesa erótica. Suuuuéééépt, suuuuéééépt, suuuuééééépt, suuuuéééépt… — Huuummm, Aaaauuuu, Huuummmm, Oooouuuu, Huuummm, Aaaaauuuu…Todas as varadas eram dadas nos seios e ao redor dos mamilos. Mariane amarrada na mesa começava a gemer e a morder os lábios tentando se controlar e não gritar de dor. Então a mãe de Lisa ordenou a Carol.? Carol comece a lamber a buceta desta puta, faça tudo que puder para que ela goze, mas você sua puta educadora, se gozar vai apanhar até não ter mais a pele para cobrir este seu lindo corpinho.E voltou a bater na professora.Suuuuééééééépt, suuuuuéééééépt, suuuuéééépt… — Huuuummm, Aaaauuuu, Ooooouuu, Huuuummm, AaaauuuuOs seios da professora ficavam cada vez mais vermelhos e inflamados. De repente, a ponta de couro da vara chicote bateu bem forte no mamilo esquerdo da professora, fazendo Mariane puxar a respiração e ao mesmo tempo ficar sem ar de tanta dor.A punição continuava e com Carol lambendo a professora fazia com que Mariane ficasse confusa, pois não sabia se era a dor que a enlouquecia ou Carol lambendo sua buceta. A mãe de Lisa de vez em quando batia nos mamilos da professora, só para vê-la arfar de dor. O fato da professora pensar que não podia gritar, o desespero do tesão que precisava controlar era ainda mais excitante. Por mais forte que a vara chicote batia em seus seios e mamilos, lágrimas escorriam dos seus olhos, mas ela não gritava. Por mais dor que ela sentisse ela apensa se limitava a gemer, gemer e gemer de dor e prazer.Suuuuuééééééépt, suuuuééééééépt, suuuuuuééééééépt… De repente nos mamilos… Suuuuuuuuuuuéééééééééééépt… — Aaaaaaaaaaauuuuuuuuuuu… Mariane se segurava ao máximo para não gritar e não gozar, mas alguns gritos de dor tinham escapado…A Sra. Silvana sorria.— Será que alguém escutou lá em cima cadela? Não faça isso de novo para o seu próprio bem! Se sua filha ouvir alguma coisa e começar a fazer perguntas, nós vamos ter que a trazes aqui em baixo para que veja o que está acontecendo.E a punição com a vara chicote continuava, agora, todas as varadas eram dadas nos seus mamilos. De certa forma a dor provocada no bico de seus seios a impediam de gozar, o que para sua sorte era uma alento.Suuuuééééééééépt, suuuuuuééééééééépt, suuuuuuuuéééééééépt… — Huuuummmm, Aaaaauuuuu, Ooooouuuuuuuu, huuuuuummmm… — Só mais um pouco professora.Suuuuéééééépt, suuuuuuuéééééépt, suuuuuuuéééééépt… De repente, a mãe de Lisa parou de açoita-la com a vara chicote, mandou Carol para de lambê-la. Assim que a Sra. Silvana parou, foi a vez de seu filho Marcos entrar em ação. Ele se aproximou da professora e já foi logo colocando nela, um par de prendedores de mamilos com correntinha. Ele colocou os prendedores para morder os mamilos muito machucados, abusados e inchados da professora e ainda puxou a corrente que os conectava, só para ter certeza de que estavam bem presos aos mamilos da pobre professora. Mariane gemia.Ele puxava as correntinhas e Mariane gemia.— Perfeito professora, é assim mesmo que eu gosto.Silvana se posicionou entre as pernas abertas da professora, agora começava a esfregar a vara chicote na buceta aberta de Mariane. — Professora, professora, parece que você realmente é bem forte aguentou bem as lambidas de Carol e gosta de ser punida, sua buceta está tão molhada e escorrendo que vejo um filete se sua umidade escorrendo para a porta do seu cu, isso é simplesmente lindo de se ver.Silvana passou a ponta da vara no cu de Mariane e recolheu um pouco da umidade que escorria e passou nos lábios da professora.— Muito bem, agora vamos começar com a segunda fase da sua punição, chegou a hora da sua buceta ser espancada, mas desta vez vamos mudar o instrumento de punição, vou usar uma cinta de couro da largura na sua buceta, quero ver esta sua buceta inchada e bem visível mesmo quando estiver usando uma calça leg ou outra vestimenta como um maio ou biquíni. A Sra. Silvana começou esfregando a cinta de couro na xoxota da professora, a fazendo gemer de prazer, em seguida esfregou o cabo de couro da cinta na entrada do cuzinho da professora, quando Silvana percebeu que a professora, começando a gostar no novo tratamento. Suuuuuuuuuéééééééééééépt… — Aaaaaaaaaaaaaaaaiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii…Silvana deu-lhe uma bela cintada que cobriu toda a sua buceta.— Acorda sua puta! Não é hora para devaneios. Vamos continuar com a sua punição.Silvana posicionada entre as pernas abertas da professora começou a bater suavemente com a cinta de couro na buceta de Mariane que começava a inchar. A cinta de couro batia em toda a buceta de Mariane. Plac, plac, plac, plac, plac, plac, plac, plac plac, plac…— Ah, você realmente gosta disso não é mesmo professora? Sua buceta está toda encharcada, chega a espirrando sua umidade. Ela voltava a esfregar a cinta chicote na buceta inchada e vermelha, já arroxeando e aberta da professora, fazendo Mariane estremecer de prazer.— Mas, sinto muito ter que dizer, a partir de agora vamos começar a sua punição de verdade.Suuuuuuuuuuuééééééééééééépt… — Aaaaaaaaaaaaaaaiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii…Suuuuuuuuuuééééééééépt, suuuuuuuéééééééééépt, suuuuuuuuuuééééééépt… — Aaaaiiiiiiiiii…, Aaaaaaiiiiiiii, Aaaaaaaaaaaiiiiiiiii…, Nããããoooo… Aaaaaaaaaiiiiiiiiii…Todas as açoitadas eram dadas certeiramente na sua buceta e com muita força, Mariane chegava a ver estrelas, era impossível não gritar de dor. Sentia a cinta bater em seu clitóris inúmeras vezes, sentia muita dor, mas não era s
ó dor, também sentia prazer com a dor. Lágrimas rolavam de seus olhos, seus mamilos mordidos pelos prendedores doíam, suas pernas abertas doíam, ainda mais com as cãibras e sua buceta cada vez mais inchada a levavam as nuvens, era uma experiência única, um misto de dor e prazer. Mariane sentia que poderia gozar daquele jeito, podia acabar gozando enquanto estava levando chicotadas na buceta. Era incrível aquela sensação, estava se descobrindo uma verdadeira masoquista. Até então, nem ela mesma sabia que tinha esse fetiche.Mas, quando a professora estava chegando ao seu clímax, Silvana parou o castigo, o corpo da professora estava em chamas, estava no limite do seu tesão, tudo que ela desejava agora, era um pênis dentro da sua buceta, não importava de quem fosse, mesmo que fosse de borracha, queria uma piroca urgentemente entrando na sua xoxota. Ela nunca tinha sentido na vida, tanta vontade de dar a buceta.— Está pronta para obedecer a todas as nossas ordens, professora? Perguntou a Sra. Silvana.— Sim Mestra, sua escrava obedecerá todas as suas ordens. — Então implore para que o meu filho Marcos coma o seu cuzinho!— Por favor, Marcos, coma o meu cu, eu imploro.Marcos se posicionou entre as pernas abertas da professora e falou enquanto dava um tapa no lado interno das coxas da professora amarrada. — Do que você me chamou sua puta?— Senhor, Senhor Marcos, por favor, coma o meu cu, Senhor Marcos. Mariane desesperada tentava corrigir o seu grave erro.— Assim está bem melhor, professora. Vou realizar o seu desejo e comer o seu cuzinho.Ele ficou entre as pernas abertas da professora que estava deitada sobre a mesa erótica e lentamente ele colocava a cabeça do seu pau na entrada do cu da professora, seu pênis não era maior e nem mais grosso que o plug anal, ao qual o cuzinho da professora já estava acostumado, mas o lubrificante natural que escorriam de sua buceta, ajudou na lubrificação do seu cu, facilitando a entrada da cabeça da rola do Sr. Marcos.Quando a cabeça do pau do Sr. Marcos atravessou o anel da porta do seu cu, Mariane arregalou os olhos. Ela não imaginava que ainda pudesse sentir dor com sexo anal depois do plug. A sensação que ela sentia, era como se estivesse tendo o seu cu com algo bem maior a arranhando por dentro, sentia como estivesse lhe rasgando o ânus.Mariane amarrada na mesa com as pernas abertas chorava, ela não sabia se de dor no cu ou de tesão.— A cabeça do meu pau já entrou professora, agora vou começar a enfiar o resto.— Não, por favor, nããããoooo. Mariane implorava e suplicava. Marcos começava a enfiar lentamente o seu pau duro no cu da professora, o pau de Marcos era mais comprido que o plug e foi bem fundo no cu da professora, fazendo-a delirar de dor.Mariane sentia muita dor, mas isso logo foi dando espaço ao prazer, não sabia que sexo anal podia dar prazer a uma mulher, mas ela estava descobrindo isso nela mesma. O sexo anal parecia ser um misto de dor e prazer, quanto mais dor ela sentia no seu cu, maior era o seu prazer, não havia como negar, ela era uma masoquista.Segurando-a pela correntinha dos prendedores de mamilos, Marcos enfiava o seu pau, totalmente dentro daquele cu já não tão apertado. Mariane chorava desesperada e fazia que não com a cabeça, enquanto o seu cu se abria ao máximo, para aceitar a rola do Sr. Marcos.E Marcos foi até o fim, sua rola era muito mais do que o cuzinho da professora conseguia suportar, entrando mais fundo que a professora podia aguentar. Quanto mais fundo ele entrava no cuzinho de Mariane, ela não sentia mais prazer, agora era só a dor. Parecia que uma faca estava entrando no seu cu, principalmente no momento em que o Sr. Marcos deu o seu toque final, enfiando todo o resto de uma só vez. Mariane desesperada mordeu sua própria língua para não gritar, seu cu estava sendo totalmente violado. Uma vez que Marcos conseguiu enfiar o seu pênis inteirinho dentro do cuzinho da professora, ele começou a fazer lentamente o movimento de vai e vem, movimento ritmado, vai e vem, vai e vem, entra e sai, entrado de novo e saindo, vai e vem, vai e vem.O cuzinho da professora lentamente ia se acostumava com o comprimento do seu pau. O movimento de vai e vem, entra e sai, dentro do seu cuzinho ainda fazia a professora sofrer, mas a dor já não era tanta.A professora voltava a ficar excitada, conforme o seu cuzinho se acostumava com a rola do Sr. Marcos, gradativamente a dor começava a diminuir e o seu tesão voltava a crescer. Sim ela voltou a sentir tesão, tesão dando o cu. Claro que o que realmente queria, era estar levando rola na buceta, mas apesar da dor que diminuía ao dar o cu também estava a fazendo sentir muito prazer. Marcos começava a foder aquele cuzinho cada vez mais rápido, o tesão aumentava a cada segundo, nem mesmo Mariane podia acreditar, mas aquilo estava realmente acontecendo. Ela começava a sentir que realmente poderia acabar gozando, somente dando o cu. Sua buceta permanecia intocada, mas em compensação o seu cu estava levando rola a mais de quinze minutos.Exatamente quando a professora começou a sentir que já estava ficando muito próxima de gozar, sentiu o pênis do Sr. Marcos ejaculando dentro do seu cu. Isso deixou Mariane muito frustrada, mais uma vez ficou muito próxima de gozar, mas não gozou.Depois daquela incrível foda, onde somente o Sr. Marcos tinha gozado. A professora mais uma vez, ficou só na vontade, só na vontade e com o cu cheio de porra.— Aperte bem o seu cuzinho professora. Não deixe que a minha porra saia de dentro do seu cu ou você ira se arrepender amargamente, sua puta!Depois disso, Marcos ordenou que Carol chupasse e lambesse o seu pau para deixa-lo bem limpinho. Essa foi uma ordem que Carol obedeceu sem hesitar. — Viu só, puta? Ele falou com a professora. — É assim que você deve responder, quando uma ordem lhe for dada. Você deve obedecer imediatamente para evitar mais punições. Entendeu cadela?— Sim Sr. Marcos, sua puta entendeu. Respondeu a professora nua, ainda amarrada na mesa erótica com as pernas abertas.— Mais uma coisa vadia. Lembre-se de que você deve se referir a si mesma, como a “Cadela de estimação da Srta. Simons”. Mais deslizes como estes e a punição ficará pior.— Sim Sr. Marcos, a “cadela de estimação da Srta. Simons” entende.— Isso é o que vamos ver. — Carol, desamarre a professora. Vamos ver se ela está realmente pronta para obedecer a ordens.Carol desamarrou a professora da mesa. Mariane queria gritar de dor, assim que ela teve as suas pernas soltas e pode fecha-las.— Dê um beijo nela, para que ela se sinta melhor Carol. Ordenou o Sr. Marcos. Mariane abriu levemente a sua boca e aceitou de bom grado o beijo de língua que era dado por Carol. FLASH… FLASH… FLASH…Aquele beijo rendeu ótimas fotos para a coleção da família.— Ok, putas, acho que já chega de fotos. Vamos fazer também alguns vídeos pornôs com vocês duas. Vamos fazer um filme pornô, uma superprodução, o título da capa do DVD. “Buceta em fogo.”, pois a buceta de Mariane estava muito vermelha e muito inchada.Marcos tirava um sarro com Mariane. Realmente ele gostava de bucetas e essas bucetas, não tinham como escapar dele. Assim como a professora, Carol também tinha os seus segredos e também estava sendo escravizada por meio de chantagens.— Eu quero fazer um filme pornô de vocês duas com qualidade profissional, mas para isso vocês devem fazer exatamente tudo o que for ordenado, sem hesitação, vocês devem estar sempre sorrindo quando a câmera filmar os seus rostos. Alguma dúvida, putas?— Não Senhor, a cadela de estimação da Srta. Simons, não tem nenhuma dúvida.— Ótimo. Carol vá fazer a maquiagem na professora e deixar tudo pronto.Mariane se sentou no sofá e Carol começou a fazer a sua maquiagem. Os prendedores de metal com dentes de serrinha ainda estavam mordendo os seus mamilos. Quando Mariane olhou no espelho ficou surpresa, a maquiagem era normal, como ela mesma costumava fazer antes de virar escrava de Lisa. Não era uma maquiagem exagerada como Lisa sempre fazia, até seu ca
belo curto estava com um penteado respeitável. Ela podia ser reconhecida, mesmo com todas as mudanças em sua aparência, ficou feliz por poder se olhar no espelho e se reconhecer. Mas, só então ela percebeu que eles queriam exatamente aquilo, que fosse facilmente reconhecida naquele filme.Depois que Marcos explicou para elas qual iria ser a história do filme, Mariane caiu de joelhos no chão e chorando começou a implorar para que eles não a obrigassem a fazer aquilo. Marcos tranquilamente esperou a professora se recompor e se acalmar, em seguida falou. — Tudo bem professora, se você não quer participar do filme, nós podemos chamar a sua filha para substituir você. Acho que na sua atual condição, seria fácil convencer sua filha a participar desta filmagem, afinal, acredito que ela não gostaria de ver a reputação da família, jogada na lama.Depois de ouvir o que Marcos acabou de dizer, Mariane parou de chorar.— Por favor, não Sr. Marcos, a cadela de estimação da Srta. Simons está pronta para participar do filme. Esta cadela vai fazer tudo que o senhor Mandar.A mãe de Lisa entrou na conversa.— Ótimo, cadelas, eu espero que vocês duas façam um ótimo trabalho, esta será uma superprodução pornô, claro que este filme pornô será colocado na internet, caso qualquer uma de vocês, resolva dar com a língua nos dentes.CONTINUA…Conto de Jessica 69 e Marina G

Depois de insistir muito, saímos eu, ele e meu garoto

olá, tenho alguns contos aqui, e todos são reais. Após algum tempo sem ação, e muito vai e vém, brigas e discussões, resolvemos continuar juntos, mas diferente. Agora resolvemos sair em 3, levando junto meu garoto delícia, insaciável.Agora ele é técnico de computador, e resolvemos chamá-lo em casa para arrumar o meu computador. Ele aceitou rapidamente, nos trouxe presente, chocolato, cerveja, vinho, veio todo preparado. Disse que não conseguia para de pensar em mim, e mesmo namorando outras meninas, ainda me amava e me queria.Meu marido me deixou recebê-lo sozinha e ficou no quarto esperando. Quando ele entrou, fomos par a cozinha e colocamos tudo lá para depois ir comer e ber. Ele já me agarrou e me deu um beijo daqueles.Senti sua rola dura me pressionando. Disse que meu marido estava em casa e ele se assustou, mas expliquei a situação pra ele. A partir de agora poderíamos nos encontrar mais, desde que os 3 juntos. Ele achou estranho, ficou pensativo mas topou. Então voltou a me beijar com força, apertando minha bunda, passando a mão no seios, me desabotoando minha camisa. Eu já estava sem sutiã e ele começou a mamar como louco. Já desabotoou minha saia e baixou. Fiquei só de calcinha. Aí interrompi e disse para irmos ao quarto. Entramos e meu marido estava sentado na poltrona ao lado da cama. Pediu para ficarmos à vontade. Tirei a roupa do garoto e joguei ele na cama. mamei muito, acariciei as bolinhas dele e subi. Deitei ao lado dele, de costas, de cochinha, abri bem as pernas e encaixei a rola dele dentro de mim. ele me segurando os peitos metia rápido, com força e eu gemia. Meu home veio e começou a me lamber o grelo. Eu louca por aquele garoto lindo e gostoso, ele me beijando na boca, segurando meus seios, dizendo que sou deliciosa e linda, cheirosa e o maior tesão, soando aquela rola em mim bem gostoso. Eu sentia o volume entrar, quente, e meu homem me chupando o grelo. Dois homens deliciosos me possuindo e eu estava nas nuvens, sem aguentar mais, e gozei, molhei a cama, a ejaculação não parava, era uma loucura. Depois invertemos, Fiquei cavalgando no meu marido, com meu rabinho pra cima, e o garoto veio naquele beijo grego maravilhoso. Ele passava a língua quente e eu gemia detanto tesão. A rola do meu marido entrada gostoso e ele mamava meus peitos. Não demorou muito e gozei loucamente de novo.o garoto pediu para que eu virasse, e ficasse por cima do meu marido, mas sentada por cima e de frente pra ele porque queria chupar meu grelo também. me virei de costas para meu marido, sentei na rola dele, abri bem as pernas e aquele garoto lindo deitou e mamou gostoso meus peitos, me beijou na boca e pediu: quero chupar seu grelo. Desceu a começou a mamar. A rola gostosa do meu homem me fudendo e aquela boca novinha acariciando gostosamente minha buceta. Segurei ele pelos cabelos e pedi para não parar de lamber. Sentia rola do meu homem entrando gostoso. Sensação que nunca havia sentido. Sem me controlar, sentada naquela rola, segurei o garoto pelos cabelos e apertei junto pra minha buceta. Dei um grito que ia gozar e num salto, sai da rola do meu marido e puxei a cabeça do garoto e ejaculei na cara dele. Sentia os jatos de gozo sair, e quando olhei na carinha dele, estava toda melada.Praticamente desmaiei par trás, no peito do meu home, ele me segurou, acariciou meus peitos e começou beijar minha orelha. O garoto, para matar a vontade, começou lamber toda minha buceta e limpou todo o gozo que lambuzava minha buceta. Fiquei no delírio, sentindo aquela boca me lambendo a buceta, as coxas, e meu homem me abraçando por trás, dizendo que me amava. O garoto subiu e ficou mamando meus peitos. Ficando os três embolados. Ele subiu mais e começou a me beijar também. Me senti possuída por aqueles homens maravilhosos. Duas bocas, quatro mãos, duas rolas que me pegavam a me faziam delirar.Terminamos. O garoto foi embora e disse que sempre que quisessem, podia chamá-lo. E vamos!

Provocando o entregador de pizza

Meu nome é Gabby, tenho 39 anos e sou casada há 18 anos. Meu marido é caminhoneiro e na época viajava para outros Estados chegando a ficar até 15 dias fora de casa. Eu sentia falta de sexo e só masturbação não estava resolvendo. Tive algumas aventuras fora do casamento, que vou contar em outra oportunidade, já que é a primeira vez que criei coragem de contar estas coisas.Vou contar uma aventura que tive com entregador de pizza.No começo eu vestia uma saia curta ou calça legging e uma blusa decotada, só pra ver a reação deles. Aqui no meu prédio o entregador sobe até o apartamento para entregar a pizza, então eu me aproveitava da situação para provocá-los.Isso de provocar e de me sentir desejada ajudava o ego mas com o tempo foi dando vontade de provocar mais. Não pensem que eu pedia pizza toda semana..rs…isso foi acontecendo ao longo de meses e somente quando eu estava sozinha em casa.Comecei a usar uma camiseta regata, bem decotada e bem cavada embaixo dos braços, mas com calcinha e sutiã. Sentia-me excitada ao ver o entregador tentando olhar por dentro da camiseta.Um dia eu estava mais excitada que o normal e deu vontade de provocar mais. Vesti a camiseta só que desta vez eu tava só de calcinha por baixo.O entregador era moreno, magro e devia ter uns 26 anos e não era tão tímido como os outros, que ficavam sem graça. Ao abrir a porta ele já ficou olhando para os meus seios e minhas pernas.Convidei ele pra entrar e deixar a pizza em cima da mesa. Fiquei de costas pra ele e fui até minha bolsa que estava no sofá do outro lado da sala, nisso me curvei pra frente pra procurar o talão de cheques e deixei ele ver meu bumbum.Com o talão de cheques na mão fui até a mesa onde ele estava e me curvei pra escrever o cheque.Nessa posição eu tinha certeza de que ele estava vendo meus peitos. Enquanto eu escreveia o cheque eu reparei que ele já estava de pau duro e isso me excitou mais ainda.Entreguei o cheque pra ele e falei que tinha esquecido da gorjeta e perguntei se tinha algo que eu podia fazer para compensar. Ele começou a falar que eu tinha o corpo bonito e não parava de olhar meus seios. Peguntei se ele queria ver e ele disse que sim. Puxei a camiseta pro lado e deixei um seio a mostra. Cheguei mais perto dele e perguntei se ele queria tocar meu seio.Enquanto ele mexia e apertava meu seio com a mão eu comecei a tocar no pau dele por cima da calça. Eu estava com tanto tesão que abri o ziper da calça dele e fiquei mexendo no pau dele enquanto ele acariciava meus seios.Acabei me agachando e comecei a chupar o pau dele. O pau estava duro e gostoso. Fiquei mexendo com a mão e chupando a cabeça. Depois fiquei chupando sem por as mãos e enfiei na boca o máximo que pude.Não demorou muito eu senti o pau dele inchando e com a cabeça do pau na minha boca eu senti a porra dele saindo. Ele gozou tanto que tive que engolir em 3 goles.Depois de gozar ele se arrumou rapidinho e foi embora. Após ele sair eu me deitei no sofá e ainda com o gosto da porra dele na minha boca eu me masturbei e gozei muito gostoso.Espero que tenham gostado da minha aventura. Logo vou contar outras aventuras.

Dando o cu na sauna

…..de tanto ler sobre sauna gay resolvi conhecer uma na regiao Santa Cecília. Quando lá cheguei, tirei minha roupa ,coloquei uma toalha sobre a cintura e fui conhecer a casa. Como estava cedo ainda haviam poucos homens. Fui até a hidro, a piscina , sala de vídeo onde estava passando filme de homens transando , me acomodei e pouco tempo depois chegou um rapaz , sentou em minha frente e começou a acariciar seu pau já duro , foi a deixa para que me aproxima-se. Peguei naquele pau e comecei a punhetar, nao demorou e já estava a chupar . Chupava suas bolas e subia até a cabeça , engolia ele todinho. Ficamos num 69 gostoso , onde ele chupou meu cu , enfiava a língua, e me chamava de gostoso. Já nao estava aguentando de tesão e pedi para me penetrar. Começou a doer um pouco, mas foi entrando até eu sentir suas bolas baterem no meu cu. Me comeu umas três vezes neste dia. Sempre volto lá na esperança de encontrá-lo novamente. Sou coroa passivo nao afeminado é quem interessar entre em contato.

Meu namorado quase um Corno

Bom, eu me chamo Mariana, sou loira olhos castanhos, 1.61 , 52Kg, tenho peitinhos pequenos meio escurinho, é mole uma delícia de chupar e apertar, tenho uma buceta grande e peluda, minha bunda é grande com algumas celulites de chamar a atenção e deixar qualquer homem louco. Tenho um namorado que se chama Beto, ele tem cabelos pretos e é branquinho de pele, tem olhos bem verdes 1.66, 60Kg tem um pinto de 17.5cm grosso um delícia de cacete e uma bundinha gostosa demais. Temos uma vida sexual muito ativa, transamos quase todos os dias, temos muitas fantasias e o que o deixa mais louco é quando estamos transando ou quando estamos gozando pelo telefone e imaginando que eu estou dando para outros homens, mais do que ele mais sente tesão é quando estou falando do meu ex- namorado, ele fica louco, Vou falar um pouco dele para você. Ele se chama Diego é loirinho tem 1.73 62kg tem um pinto grande de uns 18cm um tesão.E teve um dia que eu estava falando com meu namorado no telefone fazendo ele gozar e falando coisas absurdas quando de repente ouço alguém chegando e fui ver, era o meu irmão com o Diego… eles são super amigos. E aí já falei pro Beto que o Diego estava aqui, quando deu aquele 5 minutos no Beto, ele pediu para que eu fosse até o quarto do meu irmão e provocasse o Diego… na hora eu fiquei meio sem atitude mais já aceitei a tal loucura… só que aí, ele disse para eu ir só de toalha e sem calcinha, e lá fui eu, tirei a roupa me enrrolei na toalha e tirei a calcinha e ja fui, bati na porta do quarto e entrei, sentei na cama com uma perna dobrada e bem aberta para ele ficar olhando minha bunceta, não deu outra ele não tirou o olho, e eu continuei conversando com eles como se nada tivesse acontecendo, aí tal terminei de convresa e saí do quarto dando risada, e quando cheguei no meu quarto o beto tava no telefone ainda… ele ficou esperando e contei tudo, ele fico louco e pediu mais, só q ele queria q eu chamasse o diego no meu quarto por causa do meu irmão… aí eu gritei – Diego vem aki!!! ele veio, bateu na porta e eu falei pra ele entrar, ai eu ja perguntei -Você pensa que eu não vi vc olhando pra minha buceta?!?!?. Ele ficou todo sem graça e falando que não tinha olhado tal, mais eu repiti vc olhou sim q eu vi, ai ele ja se entregou e falou -Você fica me mostrando como que eu não vou olhar, e eu dei risada e falei – ahh intão tá, é só isso que eu queris te perguntar. Ai ele saiu e fechou a porta, e eu ja corri contar para o beto o que tinha acontecidom, mais ele não se contentava sempre queria mais, e eu gritei o diego dinovo, e ele veio e eu perguntei pra ele -Já que vc me viu, eu também quero te ver, na hora ele ficou roxo de vergonha na hora fez um cú doce e disse que não, e como eu ainda estavad etoalha sentada na minha cama eu disse que mostraria meu peito, ele mostraria o pinto e eu mostraria a buceta, e ele acabou sedendo, e quando eu vi aquele pinto meu deu muito tesão, vontade de meter a boca, a buceta sei lá… fiquei molhada na hora, e guardou e saiu de boa do quarto e eu já contei pro beto e ele quase morrendo de tesão do outro lado segurando a porra já, mais continuou pedindo mais… e eu não neguei né, e eu voltei a chamar o diego, e ele veio já imaginando o dessa vez ia ser pior e eu ja mandei, posso colocar a mão??? dando uma de sem vergonha meio inocente, ele ficou meio assustado mais ele queria sim mais tava envergonhado mais eu falei pra ele que ele passaria o dedo na minha buceta e eu passaria a mão no pinto dele, aí sim ele aceito, eu abri as pernas encostei no travisseriro e deu pra ele ver até o meu cú e peguei a mão dele e já passei o dedo dele na minha bucetinha e ele já tava até com cara de tesão e eu também, tava quase puxando ele pra cima de mim e enfiando o pinto dele na minha buceta, mais aí ele tirou o dedo e a briu i shorte quando eu vi, tava muito duro, nadireção da minha boca quase dei uma chupasa, mais era só passar a mão, e quando eu peguei no cacete dele e dei 3 batidas ele já foi tirando a minha mão rápido, parecendo que ia goza, me deixou maluca, e ele fechou a bermuda e saiu, e eu contei pro beto dando risada e ele quase morrendo de tesão continuou pedindo mais, eu pensei só falta meter! aí o Beto disse que podia também… e eu ja chamei ele dinovo correndo neh… e falei pra ele, Quero ver agora vc gozando?!?!?! ele falou que era impossível, alí do nada, e eu fiz uma carinha de safada e ele disse mais intão eu preciso de ajuda sua, e eu concordei, disse que sem problema… aí eu já imaginei vou transar com ele aqui e ele também ja tinha perdido a vergonha, quando iamos começar… o meu irmão bate na porta e entra chamando ele pra sair, não teve como ele ficar. Mais até hoje ele me olha de outro jeito, e tenho certeza que vamos terminar o que começamos…e quando ele saiu contei pro beto e no que eu tava terminado de contar ele deu aquela gozada gostosa e que ele disse que não acabou por aí.

O pintor Ari

O pintor Ari estava pintando uma obra em fase de acabamento e nesta obra o mestre é um velho conhecido do pintor Ari, pois trabalharam juntos em várias obras, como esta obra estava no fim o mestre levou o filho dele para ajudá-lo na limpeza, ficaria trabalhando por alguns dias, o pintor Ari não conhecia o rapaz, mas logo fez amizade com ele. Em conversas dos dois o pintor Ari ficou sabando que ele fazia curso de informática e jogava futebol de salão, o pintor Ari observava o rapaz e ia tendo idéias para ele. Certo dia o pintor Ari perguntou se no curso de informática ele acessava contos ele disse que sim, no que o pintor Ari falou para estimulá-lo que os contos são bons, que conhecia alguns, etc…, perguntou também se os garotos que jogavam bola com ele, tinham o mesmo comportamento que ele, na verdade o pintor Ari queria conhecer bem ele e saber como eram os colegas dele, pois estava pensando na possibilidade da Arisminha dar um trato no rapaz e nos amigos. O pintor Ari falou para ela que adorou a idéia, pois é viciada em cacete, ela tem facilidade para montar um esquema, numa simples entrega de gás ela transforma num esquema, quando olha para um homem, ela despe-o com os olhos e se imagina sugando o cacete num boquete, o cú e a buceta atolada, isso vai dando um tesão nela que logo consegue atrair um esquema. Como tudo estava combinado, um dia quando o pintor Ari chegou na obra disse ao rapaz se ele poderia ficar até mais tarde com ele, pois precisava fazer uma limpeza antes de iniciar a pintura e que depois ele levaria ele pra casa, pediu ao pai que concordou. Por volta das 20 horas, A Arisminha chegou com lanche e vestida com uma roupa bastante provocante que o rapaz a comia com os olhos, se mostrou bastante, o pintor Ari a apresentou como uma amiga. Depois de um tempo ela se afastou juntamente com os ajudantes do pintor Ari, passados akgum tempo, o pintor Ari pediu para o rapaz buscar uma ferramenta que estava com os ajudantes…Quando o rapaz chegou viu a seguinte cena a Arisminha fazendo um boquete num, outro atolado no cú e outro na buceta, ele ficou observando de cacete duro foi quando ela o chamou e fez um boquete nele e logo meteu ele no cú e na buceta, logo depois chegou o pintor Ari e meteram nela várias vezes. O rapaz confessou que era o primeiro cú que comia. depois disso combinaram para ela dar um trato nos amigos de futebol, o rapaz adorou a idéia. Na noite do jogo, quase no final ela chegou, ele disse aos amigos que era uma tia, quando terminou o jogo foram todos tomar banho, o rapaz fez sinal para a Arisminha entrar no banheiro, enquanto os amigos dele estavam no banho ela fazia um boquete nele, conforme eles iam saindo do banho, levam boquete, logo ela estava com dez para boquetar e meter no cú e buceta, ficou toda melada de porra, embora ela goste de ficar assim, nesta noite teve que tomar um banho pois tinha porra pelos cabelos, enfim no corpo todo. Tomou um banho relaxante, estava com a boca seca,com sede, louca para uma cervejinha, saiu dali e foi para um bar de esquema tomar algumas e dar uma trepada saideira. Chegou lá tomou algumas cerveja e foi passear no labirinto, logo estava rodeada por quatro cacetes, não se fez de rogada começou um boquete e logo meteram nela…Tomou mais uma cervejinha para recuperar as energias e foi para o piso de cima só para espiar, segundo o pintor Ari ela tem esta mania, por mais esquema que fez neses bares, sempre antes de ir embora ela faz uma visita nos ambientes que não esteve…quando chegou lá viu que tinha um bolinho em volta de uma mulher, chegou mais perto e levou um susto, pois a mulher é conhecida dela, hesitou um pouco se ficava ou não, resolveu ir embora, quando chegou em casa se arrependeu porque não ficou, embora esta amiga tenha um carinha…ela nunca imaginou encontrá-la lá, comentou isso com o pintor Ari que a conhece por ocasião de serviço, claro que o pintor Ari desconversou dizendo que poderia ter se enganado com alguém parecida, etc…ela não sabe mas o pintor Ari já meteu nesta amiga, mas ele é muito discreto, como sempre recomendei. Ela disse que se encontrar outra vez vai ficar para vê-la. No próximo conto tem o relato de uma caça que ela fez num bar e depois de fazerem um esquema conversaram bastante sobre as fantasias dela, dele e de uns amigos que a levaram num bar de esquema da farrapos e lá viram a perfomance dela e a chamaram de cadela… ela gostou e um disse vou te levar para dar para o meu cachorro, ela adorou a idéia, esses novos amigos, são como ela, tarados… Aguardem.   

COMENDO A MINHA PROFESSORA DE MATEMÁTICA DO ENSINO MÉDIO

CONTO QUE VEIO DE BH ,BEM EU ESTAVA NO TRABALHO MAS RESOLVI IR ATÉ A PADARIA TOMAR UM CAFÉZINHO , CHEGANDO LÁ ME SENTEI E A ATENDENTE VEIO E FIZ MEU PEDIDO , ERA UMA GAROTA MAGRINHA BEM BONITINHA MESMO , COM UM SORRISO MARAVILHOSO , MAS NOTEI QUE EM UM CANTO ESTAVA SENTADO UM CASAL , NOTEI QUE EU CONHECIA AQUELA MULHER , MAS NÃO ME LEMBRAVA DE ONDE , MAS FUI VOLTANDO AS LEMBRANÇAS E VENDO O DECOTE MOSTRANDO A METADE DOS PEITOS DELA , ME LEMBREI ERA A MINHA PROFESSORA DO TEMPO DE EM , A LEDA , ME LEMBRO QUE NAS AULAS DELA EU SEMPRE PROCURAVA ME SENTAR PERTO DELA PRA OLHAR AS COXAS E OS PEITOS ,OS PEITÕES ENORMES NOS DECOTES GRANDES , EU ADORAVA VER E DEPOIS EM CASA EU BATIA UMA PUNHETA AMUADA , TIVE DIFICULDADES DE RECONHECE – LÁ , POIS AGORA ESTAVA DE CABELOS PRETOS , ANTES ERA LOIRO , MAS OS PEITOS ENORMES AINDA QUASE SAINDO DA BLUSA E TAMBÉM MAIS MADURA , NA ÉPOCA EU ERA UM ADOLESCENTE TINHA DE 15 A 17 ANOS E ELA UNS 24 , HJ EU TENHO 25 ELA UNS 33 ANOS , COM ELA EU RECONHECI TAMBÉM MEU EX PROFESSOR DE GEOGRAFIA O CARLOS , QUE ERA DA ÉPOCA QUE EU ESTUDAVA COM A GOSTOSA E ELE NAMORAVA ELA , BEM MAS OS DOIS ALI SENTADOS E POUCO CONVERSAVAM , MAIS MEXIAM NO CELULAR , BEM NOTEI QUE OS DOIS ERAM HJ CASADOS E ALGO ACONTECIA POIS ELES ESTAVAM CALADOS UM COM O OUTRO , ENTÃO FUI ATÉ ELES E DISSE , MEUS PROFESSORES QUERIDOS , ELES FICARAM PARADOS OLHANDO SORRIRAM , EU DISSE NEM SE LEMBRA DE MIM NÉ , PUXEI A CADEIRA E SENTEI , COMECEI A CONVERSAR E CONSEGUI FAZER COM QUE ELES SE LEMBRASSEM , ENTÃO ELOGIEI ELES POIS ME FORMEI E HJ TENHO UM EMPREGO COM UM ÓTIMO SALARIO E QUE ELES ME AJUDARAM MUITO , BOM FALAMOS DE VARIAS COISAS DA ÉPOCA , MAS DEU HORA DELES SAÍREM E QUANDO IAM PAGAR A CONTA EU DISSE NADA DISSO , HJ EU PAGO A CONTA DE VCS , ELE AINDA , QUIZ QUESTIONAR , MAS EU DISSE PODE DEIXAR PROF , FALEI QUE QUERIA MUITO ESTAR COM ELES NOVAMENTE EM OUTRAS OCASIÕES , TROCAMOS CONTATOS , AO SAÍREM EU FIQUEI VENDO AQUELE RABO QUE EU SEMPRE TIVE VONTADE DE COMER , MAS QUE ME FEZ JORRAR TANTO LEITE NA PUNHETA , EITA LEDA RABUDA, FIQUEI LOUCO EM VER ELA , MAS COMO TRABALHO EM UM CARTÓRIO E HAVIA COMENTADO COM ELES , DIAS DEPOIS FUI PROCURADO PELO CARLOS PARA RESOLVER UM ASSUNTO DE BENS DELES , PORRA A LINDA PROFESSORA VEIO JUNTO COM ELE , OS RECEBI COM TODA A ALEGRIA , ELA DELICIOSA TODA SORRIDENTE , EU FIQUEI MUITO FELIZ , CONVERSAMOS MAIS UM POUCO ELES AINDA SEM FILHOS , MAS PLANEJANDO TER UM , MAS RESOLVI A QUESTÃO DOCUMENTÁRIA , TAMBÉM FUI CONVIDADO A IR A CHÁCARA DELES , A MESMA QUE ESTAVA IRREGULAR E DECIDI QUE EU IA MESMO E MARCAMOS NO SÁBADO, FUI LÁ VISITEI , TINHA VÁRIOS FAMILIARES DELES , MAS FUI CONVIDADO POR ELES A IR EM UM EVENTO A NOITE , EU COMO NADA TINHA A FAZER FUI , A LEDA ESTAVA COM UM VESTIDO PRETO , SALTO PRETO , CABELOS LONGOS , UMA FESTA TRADICIONAL NA CIDADE , ESTAVAMOS EM BASTANTE GENTE , MAS A FESTA FOI ACABANDO E A GENTE ALI FELIZ EU HAVIA DADO VARIOS ABRAÇOS NA MINHA EX PROFESSORA DELICIOSA , FOI QUANDO O PROFESSOR CARLOS ME CHAMOU E DISSE O ALUNINHO , VAMOS PRA MINHA CHÁCARA , EU IMAGINEI VIXXI E AGORA , ENTÃO EU DISSE QUEM VAI E ELE DISSE EU VC E A LEDA , ME ANIMOU , POIS A LEDA ESTAVA NO PORRE , MEIO QUE CHAPADA , PARTIMOS PARA A CHÁCARA , ELA ESTAVA MUITO ALEGRE , PROVAVELMENTE O EFEITO DO ÁLCOOL ESTAVA FORTE , FUI COM MEU CARRO ATRÁS , CHEGAMOS LÁ 3 HS DA MANHÃ ,ELE DISSE VOU TOMAR BANHO FICOU PELADO E PULOU NA PISCINA , A GOSTOSA SENTADA FOLOU QUERO TAMBÉM , ELE NÃO EXITOU VEIO E DERRUBOU ELA NA PISCINA COM ROUPA E TUDO , ELA COMEÇOU A TIRAR A ROUPA DENTRO DA PISCINA E ELE AJUDANDO E ME CHAMANDO EU FIQUE NU E PULEI , POIS QUANDO VI AQUELE CORPO DELICIOSO QUE SEMPRE EU QUIZ COMER , FALEI DESCULPA MAS EU BATI TANTA PUNHETA PRA VC PROFESSORA , O CARLOS FALOU SAFADO VC COMIA ELA NA PUNHETA NÉ , EU DISSE SIM , ELA DISSE EU IMAGINAVA , EU ABRACEI OS 2 ALI DENTRO E A PUTARIA COMEÇOU EU BEIJAVA ELA , EU SOLTAVA O CARLOS BEIJAVA EU ERGUIA ELA PRA FORA DA ÁGUA E MAMAVA OS PEITÕES DA PROFESSORA , ELE GRUDADO POR TRÁS , ELA AGORA ERA UMA BONECA NAS NOSSAS MÃOS , SENTAMOS ELA NA BORDA DA PISCINHA , ABRIMOS AS PERNAS DELA E COMEÇAMOS EU CHUPAVA SAIA ELE VINHA E CHUPAVA , ELA COLOCOU AS MÃOS PRA TRÁS E APOIOU NO CHÃO , ELE ERGUIA AS PERNAS DELA E ME MANDAVA CHUPAR O CUZINHO DELA , EU CHUPAVA O CUZINHO ELA DAVA GEMIDOS E O CUZINHO SE CONTRAIA DE TANTO TESÃO , SAIMOS DA PISCINA E FOMOS PARA AS CADEIRA DE SÓL , ALI ELA MAMAVA NÓS DOIS , ELA É UMA PROFISSIONAL NA MAMADA DE VARA E BOLAS , ELA MAMAVA A VARA DELE , MAMAVA A MINHA , MAMAVA AS BOLAS DELE E AS MINHAS , ENQUATO ELA MAMAVA UM , O OUTRO CHUPAVA OS PEITOS A BUCETA E O CU DELA , EU DEITADO ELE VEIO SE ACOCOROU EM CIMA DA CADEIRA E SENTOU NA VARA , SUBIA E DESCIA , O PROFESSOR CARLOS VEIO POR TRÁS E TENTAVA CHUPAR ELA , MAS AS VEZES ELE PASSAVA A LINGUA NAS MINHAS BOLAS , NO MEU CACETE E O FDP LAMBIA MEU CUZINHO , EU LOUCO DE TESÃO , ELE ME SURPREENDEU , PEGOU NO MEU PAU TIROU DA BUCETINHA DA PROFESSORA E COLOCOU NO CUZINHO , ELA DESCEU COM O PAU NO CU E SENTOU , ELE SE POSICIONOU E COMEÇOU A CHUPAR A BUCETA DELA , EU COM O PAU NO CUZINHO DELA E ELE COM O GRELOO NA BOCA , ELA DISSE ASSIM EU NÃO AGUENTO , EU DISSE EO QUE VAI FAZER PROFESSORA , ELA DISSE VC ME COME O CU O CARLOS CHUPA MEU GRELO ASSIM EU GOZO COM SEU PAU NO MEU CUZINHO , E SENTOU GOZANDO COM O CUZINHO PISCANDO , TADINHA GOZOU COM O PAAU NO CU E O MARIDO AINDA VEIO SE AJEITANDO POR BAIXO DE NÓS , ENCOSTANDO EM MIM E COLOCOU O PAU NA BUCETINHA DA PROFESSORA , EU NO CUZINHO ELE NA BUCETINHA , FUDEMOS ATÉ GOZAR , TOMAMOS BANHO E FOMOS DORMIR , AINDA NO OUTRO DIA AS 9:30 DA MANHÃ EU COMI ELA DENTRO DA PISCINA . LEIA MEUS CONTOS ,COMENTE , VOTE , TENHO CONTOS DE MULHERES QUE EU COMI E COMO .

COMI A BUCETINHA E O CUZINHO DA MINHA IRMÃ

LEIA MEUS CONTOS , VOTE NOS CONTOS , ELES SÃO CASSIFICADOS PELOS VOTOS , SE GOSTOU VOTE , SÓ CLICAR EM VOTAR , BEM SEI QUE A MAOIRIA DAS PESSOAS INDEPENDENTE DE SEXO E GENERO ADORA INCESTO , EU SOU UM CARA QUE SEMPRE RESPEITEI MINHAS IRMÃS , PRIMAS , FILHA , MÃE , AVÓ E MAIS DA FAMILIA , MAS UM BELO DIA EU COMECEI A OLHAR MINHAS IRMÃS , CUNHADAS TIAS , PRIMAS , SOBRINHAS , PORRA COMECEI A BATER PUNHETA PRA TODAS ELAS , MAS MINHA IRMÃ MAIS NOVA ESSA SIM DELICADINHA , SOU O XX , HJ TENHO 56 ANOS E MINHA IRMÃ 45 ANOS , A MUITO TEMMPO EU COMECEI A TER VONTADE DE FUDER COM ELA , QUANDO EU A VIA EU FICAVA DOIDO , ALGO NA MENTE LIGA COM O PAU E DA UM TESÃO INCONTROLÁVEL , ELA É A LÚ , 45 ANOS , BRANCA , PEITOS MÉDIOS , BUNDA REDONDINHA , UMA GOSTOSURA , CABELOS A ALTURA DOS OMBROS , FALA MANSINHO ISSO ME DEIXA DOIDINHO , BEM ELA ESTAVA CASADA E EU LOUCO PRA FUDER ELA AINDA CASADA , EU IA NA CASA DELA DAVA UNS ABRAÇOS NA DELICIOSA , NA FRENTE DO ESPOSO DELA , MAS ERA NORMAL NINGUÉM SE TOCAVA , ACHO QUE ELA SENTA OS ABRAÇOS FORTES , MAS ELA DAVA AQUELE SORRISO DELICIOSO E FALAVA MANSINHO , AI QUE MEU CACETE ENDURECIA , MAS AGORA ELA SE SEPAROU DO MARIDO , COMECEI A FREQUENTAR MAIS A CASA DELA , ELA USA UNS SHORTINHOS CURTINHOS , ESTAVA MEIO QUE CHATEADA COM A SITUAÇÃO MESMO ELA TENDO DEIXADO O MARIDO , EU TAMBÉM ME SEPAREI BEM ANTES DELA , BOM EU ESTAVA NA MINHA MÃE , ELA CHEGOU E FICOU BATENDO UM PAPO , SIAMOS PARA O FUNDO ERA NOITE E ESTAVA ESCURO FUI ACENDER A LUZ , MAS ANTES DEI UMA GRUDADA NELA E UM SELINHO NA BOCA DA TESUDA , ELA FALOU TA DOIDO , EU DISSE SIM POR VC GOSTOSA E GRUDEI ELA , ELA SORRIU , FALOU CAI FORA , MAS FICAMOS OLHANDO ALGUNS OBJETOS AO FUNDO E RETORNAMOS , FUI EMBORA E DEIXEI ELA LÁ NA MINHA MÃE , NO OUTRO DIA MANDEI UM OI E ELA RESPONDEU , PERGUNTOU VC SAROU EU DISSE DO QUE , ELA DA LOUCURA SUA , FALEI SAREI , ELA FALOU DEPOIS VC PASSA AQUI , FALEI LÁ PRAS 16 HS PASSO POR AI , ELA BLZ , ENTÃO TOMEI UM BANHO E FUI CHEGUEI NA CASA DA MINHA IRMÃZINHA ELA ME RECEBEU DE SHORTINHO CURTINHO AS COXINHAS DELICIOSAS DE FORA , ENTROU NA MINHA FRENTE EU BABANDO NO RABINHO DELA , SENTAMOS NA ÁREA LATERA E BATEMOS UM BOM PAPO , ELA OFERECEU UMA CERVEJA EU ACEITEI , QUANDO ELA SE LEVANTOU PARA PEGAR , ME DEU UM TESÃO ENORME EM VER O RABINHO DELA BALANÇANDO AS NADEGAS , EU ME LEVANTEI , QUANDO ELA ABRIU A GELADEIRA EU ENCOXEI ELA NO PAU DURO ELA SORRIU DIZENDO SAFADO QUER FAZER BESTEIRA COM SUA IRMÃ , PORRA BEIJEI A BOQUINHA DELICIOSA DELA , ELA SOLTOU A LINGUA DENTRO DA MINHA BOCA EU CHUPEI A LINGUA DELA , COLOQUEI MINHAS MÃOS NA BUNDINHA DELA E SENTI O FIOZINHO ENTERRADO NO CUZINHO , ELA DISSE QUE DOIDURA PARA COM ISSO , MAS EU INSISTI , ELA SAIA EU GRUDAVA ELA , ELA ME BEIJAVA E FUJIA , MAS EU INSISTIA ELA SUSPIRAVA , VOLTAVA E ME ABRAÇAVA , EU PEGUEI ELA NO COLO E LEVEI PRO QUARTO DELA , COLOQUEI ELA EM PÉ AO LADO DA CAMA E COMECEI A TIRAR MINHA ROUPA ELA COLOCOU AS MÃOS NO ROSTO PRA NÃO VER , FIQUEI NU COM O CACETE DURO EM FRENTE A MINHA IRMÃ , TIREI AS MÃOS DELA DO ROSTINHO DELA , ELA OLHOU E DISSE NOSSA QUE DELICIA , LEVEI AS MÃOZINHAS DELA NO MEU CACETE E ELA SEGUROU , ME PUNHETANDO E ALISANDO MINHAS BOLAS , ELA SE AJOELHOU E COMEÇOU A BEIJAR A CABEÇA DO CACETE , MAMOU O PAU , MAMOU AS BOLAS MEU PAU BABANDO NA BOCA DELA , ELA ENGOLINDO A BABA , EU LEVANTEI ELA E TIREI A BLUSINHA , OS PEITOS COM BICOS VERMELHOS EU MAMEI OS 2 , FUI DEVAGARINHO TIRANDO O SHORTINHO DELA , DEIXEI ELA DE CALCINHA EU PLHAVA A CALCINHA AZUL CLARA DEIXAVA A VISTA AO REDOR DA BUCETINHA OS PELINHOS DEPILADINHOS , ENFIEI A MÃO POR DENTRO DA CALCINHA TOQEUI NA BUCETINHA , SENTI UM FILETINHO DE PELOS AO REDOR DA BOQUINHA DA BUCETINHA , MAS LEVEI 2 DEDOS NA BUCETINHA SENTI OS 2 FICAR HUMIDOS , RETIREI E LEVEI AO NARIZ , O CHEIRO DA BUCETINHA ESTAVA DELICIOSO , ME DEU MAIS TESÃO , EU VIREI ELA DE COSTAS E A BUNDA BRANQUINHA TODA DE FORA O FIO ATOLADO NO CUZINHO , IMAGINEI POR ISSO QUE O EX MARIDO DELA AMA TANTO ELA , MAS EU AJOELHEI E BEIJEI ,, LAMBI E MORDI A BUNDA DELA , LAMBI O CUZINHO DELA , TIREI NO DENTE O FIO DE DENTRO DO CUZINHO , CHUPEI O CUZINHO DA MINHA IRMÃ , CHUPEI A BUCETINHA DELA , CARALHO A BUCETINHA TEM 2 TRIOS DE PELOS , DOIS FILETINHOS LINDOS NA BORDA DA BUCETINHA , DEITEI ELA E MAMEI O GRELINHO ATÉ ELA GOZAR NA MINHA BOCA EU ENGOLI TUDO QUE SAIU DE DENTRO DELA , NÃO PODERIA PERDER POIS COMER A IRMÃ É ALGO MUITO DIFERENTE , COLOQUEI MINHA IRMANZINHA DE 4 E PENETREI A BUCETINHA DELA , GRUDEI NAS ANCAS DELA E BOMBEI COM CARINHO ELA ME PEDIA PRA CHAMAR ELA NA VARA EU CHAMAVA ENTERRADO O PAU ATÉ O FUNDO DA BUCETINHA COM CARINHO ELA GEMIA , NÃO AGUENTEI QUANDO ELA DISSE VOU GOZAR , EU GOZEI JUNTO , ENCHI A BUCETINHA DELA DE PORRA , ELA GOZOU NOMEU CACETE , FICAMOS ALI DEITADOS , O AR LIGADO , TOMAMOS BANHO , ELA DISSE QUE DOIDURA , ISSO NÃO PODE , MAS MEU CACETE DURO EU QUERIA MAIS , GRUDEI ELA DERRUBEI ELA DEBRUÇO ELA FALAVA PARA CHEGA , MAS PASSEI GEL NO CACETE ELA SE LEVANTOU , MAS DERRUBEI ELA DE BRUÇO OUTRA VEZ E MONTEI EM CIMA ACERTEI NA PORTA DO CUZINHO E FUI PENETRANDO O CUZINHO DELA , ELA GEMEU NA VARA , ELA PEDIU PRA PARAR UM POUCO EU PAREI COM A CABEÇA DENTRO E ELA DIZIA TIRA , TIRA , MAS FUI INTRODUZINDO DEVAGARINHO ELA GEMENDO , A BIXINHA PEIDAVA NA VARA , ATÉ QUE FOI ATÉ O PÉ , ELA GEMIA DE DOR , MAS EU COMECEI A SIRIRICAR ELA ATÉ QUE ELA FOI RELAXANDO E GOZOU COM MEU PAU NO CUZINHO , O CUZINHO CONTRAIA APERTANDO MEU CACETE , DAVA UMAS APERTADAS QUE GOZEI NO CUZINHO DELA , CARA ELA DEPOIS FALOU QUE SOU TARADO , QUE NÃOIA FAZER MAIS ISSO POIS É ERRADO , MAS JÁ COMBINAMOS DE IR AO MOTEL , SÓ DE IMAGINAR LEVAR MINHA IRMÃ NO MOTEL ME DA UM TESÃO ENORME , A MAIORIA DAS PESSOAS ADORAM INCESTO , MAS AINDA É UM TABÚ PARA MUITOS , SE TIVER A OPORTUNIDADE E FOR DE PLENA VONTADE DOS 2 , TEM QUE SER DE VONTADE PRÓPRIA .

Quando minha Mãe começou a virar Puta 5

Nos contos anteriores contei como minha mãe começou a trair meu pai, e a ter intimidades comigo. Havíamos acabado de gozar nos chupando e minha mãe me levou para o banheiro dela e encheu a banheira. Fez um bochecho e voltou a me beijar alucinada, e obviamente voltou a chupar meu pau que não demorou muito a ficar duro mais uma vez. Ela me explicou que eu deveria tentar me controlar para não gozar rápido e eu fui seguindo suas orientações. Ela parou de chupar e rapidamente montou em mim por cima e foi colocando bem devagar meu pinto em sua buceta. A sensação de transar na água era impressionante e a intensidade era absurdamente maior que as poucas experiências que tive com namoradinhas. Aquela boceta por onde eu havia saído um dia era quente, e apertava meu pau de uma forma impressionante. Eu me concentrava com todas as forças para não gozar, enquanto ela mexia e pulava descontrolada. Ela percebeu que eu não aguentaria muito e parou. Saiu da banheira, me enxugou e me levou para a cama dela, onde me fez chupar mais um pouco aquela buceta fenomenal. Desta vez, não sei o que me deu e eu coloquei um dedo no cuzinho dela, o que fez ela se contorcer mais. Tomei coragem e pedi para come-la de 4. A visão dela empinando aquela bunda que eu tanto desejei quase me fez gozar, mas eu fui forte, e comecei a meter na buceta dela com força. Não sei precisar quanto tempo eu bombei mas quando gozei foi uma sensação indescritível, enchendo aquela buceta maravilhosa, vendo que minha mãe também havia gozado intensamente de novo. Ficamos um bom tempo engatados, até que ela deu um pulo e mandou eu sair e nunca comentar aquilo com ninguém. Eu estava em estado de graça, imaginando se poderia repetir aquela foda incrível.

AS CONTRAÇÕES DA BUCETA E AS PISCADAS DO CUZINHO DA EDNA

CONTO MEU ESTE , GOSTARIA AQUI DE RELATAR QUE TEM MULHER SUPER DIFERENTE , ESTA MULHER É INCRÍVEL TEM UMA DIFERENÇA DA MAIORIA QUE EU JÁ TRANSEI , BEM EU ENTREI EM UM APLICATIVO E CONHECI A EDNA , BATEMOS PAPO , TROCAMOS WATTS E FINALMENTE NOS ENCONTRAMOS , ELA 48 ANOS , MORENA QUASE NEGRA , CABELOS LONGOS E LISOS , PRETOS COMO A NOITE , 1,65 M , 65 KG , NÃO É GORDA E SIM CORPUDA , SEIOS PEQUENOS E O RABO ENORME , COXUDA DEMAIS OS TORNOZELOS GROSSOS, , BARRIGA CHAPADA ,BONITA , USA ÓCULOS , CALÇA JEANS COLADA AO CORPO E UMA BLUSA BRANCA DE BOTÃO , BEM FOMOS AO SHOPPING E ALI TOMAMOS UM CHOPP , CONVERSAMOS MUITO , EU GOSTEI DELA , ELA ESTAVA SEPARADA DO ESPOSO A UNS 2 MESES,ME MOSTROU A FOTO DO ESPOSO UM CARA UM POUCO MAIS VELHO QUE ELA , MAS BARRIGUDO , ALOU QUE ELE NÃO DAVA A MINIMA A ELA QUE O NEGÓCIO DELE É AMIGOS , BEM COM ISSO SE DEU OS PRÓXIMOS ENCONTROS TROUXE ELA EM MINHA CASA , APRESENTEI MINHA CASA FUI AO MEU QUARTO E LÁ ELA DE JEANS COLADA AO CORPO , O RABÃO ENORME EU NÃO RESISTI FECHEI A PORTA E DE PAU DURO COMECEI A JUNTAR ELA , BEIJANDO AQUELA BOCA DELICIOSA , ELA SE ENTREGANDO TODA , EU PASSAVA AS MÃOS PELO CORPO DELA , EU FIQUEI LOGO PELADO COM O CACETÃO ENORME ELA MEIO QUE SEM JEITO , MAS EU FUI TIRANDO A BLUSA E DEPOIS A CALÇA DELA DEU TRABALHO PRA SAIR DO CORPO , O GOSTOSO QUE EU ESTAVA ATRÁS DELA E AQUELE RABO ENORME NA MINHA CARA EU APROVEITEI E COMECEI A LAMBER A BUNDONA , ELA RIA E FALAVA SAFADO , EU CONSEGUI TIRAR A CALÇA DELA E O FIO ENTERRADO NO CUZINHO , EU LAMBIA A BUNDA ENFIEI A LINGUÁ NO REGO QUE LAMBI O CUZINHO DELA , ELA TODA SAFADA , MAS MEIO QUE COM VERGONHA , EM PÉ AO LADO DA MINHA CAMA EU A BEIJEI A BOCA , MAMEI OS 2 PEITINHOS PEQUENOS , DESCI A LINGUA PELA BARRIGA E ENFIEI NO UMBIGO , ELA GEMIA DE TESÃO , LAMBI TODA A BARRIGA E DESCI PARA A BUCETINHA LISINHA LAMBI AO REDOR , COLOQUEI ELA EM PÉ DE FRENTE PRA CAMA , DEBRUCEI ELA COM OS PEITOS E ROSTO NA CAMA , A BUCETINHA FICOU EXPOSTA E COLOQUEI NA BUCETINHA DELA , SEGUREI NA CINTURA DELA E METI NA BUCETINHA DELA , ALI ELA GOZOU , EU GOZEI , USEI CAMISINHA , MAS O MELHOR VEIO DEPOIS , ELA ME DISSE VOU TRAZER EXAMES E QUERO SEU LEITE DENTRO DE MIM , E ASSIM ELA O FEZ , ELA VEIO COM EXAMES REALIZADOS , ENTÃO DESTE DIA EM DIANTE FOI MUITO SHOW , ENTRAMOS NO QUARTO , ELA DE SHORT COLADINHO E BLUSINHA EU JA FUI TIRANDO E BEIJANDO ELA NA BOCA CORPO TODO , MAMEI OS PEITINHOS , LAMBI TODA A BUNDONA , LAMBI O CUZINHO , CHUPEI A BUCETINHA , ELA GEMIA NA LINGUA E DIZIA NUNCA MEU MARIDO ME CHUPOU ASSIM , O MARIDO ERA REALMENTE DAS ANTIGAS , ELE NÃO CHUPAVA ELA , ELA NÃO SABIA CHUPAR O PAU , COMEÇOU FALANDO DE DAR BEIJINHOS , MAS EU A INSTRUI A MAMAR E ELA COMEÇOU A MAMAR , ELA DISSE QUERO SENTAR NO PAU ENTÃO EU ME DEITEI E COM O CACETE PRA CIMA ELA VEIO SENTAR , EU FALEI VEM AMOR COLOCA ELE DENTRO DA BUCETINHA E ELA DISSE BUCETÃO MESMO , VC VIU ELA , CLARO QUE EU TINHA VISTO CARNUDA E LINDA INCHADONA , A POSIÇÃO QUE ELA FODE SENTADA QUE É ESPETACULAR , ELA NÃO SE AJOELHA , ELA FICA DE CÓCORAS , ASSIM DA PRA VC VER O PAU ENTRANDO , ELA COLOCOU O PAU NA BUCETA E COMEÇOU A DESCER E SUBIR , ADMIRÁVEL A FORÇA QUE ELA TEM NAS PERNAS , UM TESÃO DO CARALHO ELA MORDIA OS LÁBIOS GEMIA , SUBIA E DESCIA EU COLOQUEI AS MÃOS POR BAIXO E SEGURAVA NO RABO DELA , MAS QUANDO ELA GEMENDO DISSE VOU GOZAR E SENTOU ATÉ O PÉ , AI SIM DESCOBRI QUE ALI ERA UMA MULHER SUPER DIFERENTE , ELA SENTADA COM O PAU INTEIRO NA BUCETA , EU SENTIA QUANDO A BUCETA CONTRAIA GOZANDO E O CUZINHO DELA PISCAVA , ERA EU SENTIR E GOZAR, PORRA É MARAVILHOSO FUDER COM ELA , FIQUEI 1 ANOS COM ELA , ELA VINHA TODO FINAL DE SEMANA PRA MINHA CASA , ENTÃO EM UMA TREPADA EU ESTAVA COM O PAU NA BUCETA , FALEI QUERO COMER O CUZINHO , ELA DISSE NÃO NUNCA DEI , MAS ELA ACEITOU , COM MUITO GEL E CALMA EU FUI DA SEXTA ATÉ O DOMINGO PENETRANDO NO DOMINGO EU CONSEGUI COMER REALMENTE O CUZINHO DELA , DURANTE O TEMPO QUE FIQUEI EU COMIA SEMPRE O CUZINHO DELA , POIS A BUNDA DELA É MARAVILHOSA , ENTÃO ELA DISSE , ATÉ MEU CUZINHO VC COMEU , MEU MARIDO DEIXOU PRA VC , O LEGAL QUE ELA MORA EM UMA CIDADE VIZINHA , QUANDO ELA VINHA A NORINHA DELA DIZIA É DONA EDNA JÁ VAI LÁ DA ATÉ O CUZINHO NÉ , ELA DIZIA ME RESPEITA MENINA , ELA ME CONTAVA E RIA , AINDA FALAVA VIAJO 100 KM PRA DAR MESMO ATÉ O CUZINHO PRA VC , MAS TERMINEI DELA , MAS ELA É INESQUECÍVEL , POIS QUANDO LEMBRO DA BUCETINHA E DO CUZINHO DELA PISCANDO ME DA UM TESÃO É MUITO FORTE AS CONTRAÇÕES DELA , EU SENTIA AS PISCADAS O LEITE DERRAMAVA DENTRO DA BUCETINHA OU DO CUZINHO DELA, TENHO ELA NO ZAP , ELA VOLTOU COM O MARIDO, REALMENTE A MULHER PRA FUDER OLHANDO O PAU ENTRAR E SAIR , SENTIR , ELA GOZANDO NO PAU , GUARDO AQUI EM CASA COM CARINHO UMA CAMISOLA E UM FIO DENTAL DELA , LEIA MEUS CONTOS , COMENTE E VOTE.

A FOME COM A VONTADE DE COMER

Eu estava literalmente no fundo do poço. Estava totalmente sem rumo… Tinha perdido a empresa, o apartamento, o carro e a namorada. De dono de uma empresa em ascensão passei a ser um simples vendedor; de um apartamento espaçoso em um bairro nobre fui parar em um apartamento apertado na periferia; de um Vectra do ano passei a andar de ônibus; e de uma namorada que eu achava que me amava recebi um pé na bunda. Não queira passar por essa situação, meu caro!A única coisa boa que aconteceu nessa época, era que na frente de minha empresa tinha uma revistaria que eu ia todos os dias após a hora do almoço para passar o tempo, e eles resolveram contratar uma nova funcionaria. Seu nome era Marlene. Uma morena de uns 35 anos, cabelos pretos e ondulados e um corpo escultural. Comecei a sair mais tarde do trabalho para coincidir a pegar o ônibus no mesmo horário, já que seu bairro era perto do meu.A grande chance da minha vida aconteceu quando os motoristas de ônibus resolveram fazer uma greve de advertência em pleno horário comercial, diminuindo a quantidade dos mesmos. Lá estava eu, fim de tarde, no terminal, ao seu lado, trocando algumas palavras quando o buzão chegou e todo mundo se aglomerou para entrar, até que conseguimos e ficamos imprensados na divisória já que não tinha jeito de passar na roleta. Comecei a gostar de estar ali naquele momento sentindo seus cabelos tocarem no meu rosto e minhas pernas entre suas pernas. Ela estava num vestido sexy que mostrava toda a escultura do seu corpo, principalmente pela ausência de sutiã. Sentia meu pau já duro imprensando sua barriga e o volume dos pelos de seu sexo batendo na minha perna. Com o movimento do veiculo nas ruas esburacadas e paradas bruscas, nossos corpos se ralavam e se imprensavam. Sentia seus seios tocando no meu peito, aonde seus mamilos deliciosamente duros e sedentos chegavam a saltar do vestido. Com o passar do tempo, pessoas iam descendo e sobrando mais espaço, o que fez ela ir para frente, não sem antes me avisar: “desço no último ponto”. Essa foi à senha para a realização do meu maior desejo ultimamente: Possuir aquela deusa da sedução!No último ponto desci e a mulher me aguardava. Enquanto caminhávamos até seu apartamento, ela falou que morava sozinha e nunca quis se casar apesar de sempre ter pretendente. Mal entramos no apartamento ela lascou um beijo molhado que parecia querer sufocar a minha língua. Estávamos tão grudados que parecia sermos um só. De repente ela confessou que nunca tinha sentido tamanha excitação e tesão como naqueles momentos passados dentro do ônibus. Então perguntei: – Continua sentindo a tesão? Ela me respondeu: “To com muita tesão, faz tempo que não faço isso… To toda molhadinha e você?” Respondi; – Você sabe, sentiu meu pau duro, latejando de tesão… Nisso voltei a beijá-la loucamente a qual me respondia da mesma forma… Ela me beijava e me unhava. Eu já estava quase subindo pelas paredes, quando comecei a baixar as alças do seu vestido, na qual apareceu um par de seios de tamanho médio, durinhos, com os biquinhos avermelhados olhando pra frente. Comecei a chupá-los bem devagar, passava a língua varias vezes no biquinho, como se quisesse pega-los, levando ela a loucura e soltar gemidos. Enquanto ela tirava a minha camisa eu terminava de descer seu vestido. Ela começou a morder o meu peito que nem louca, me deixando cada vez mais louco. Levantei-me, ficando em pé na sua frente, ela sentou-se na ponta da cama e desesperadamente começou a tirar minha calça e posteriormente a cueca que aos poucos ia abaixando, acariciando, lambendo, chupando… A cada centímetro que descia eu gemia, chegando um ponto que ela enfiou a mão dentro e tirou-o para fora, mas não fez nada… Continuava a abaixar mordendo minha coxa, até que a cueca saiu de vez. Nessa hora ela pegou aquela mão delicada, segurou no meu pau e começou a bater uma punheta bem gostosa, enquanto ela chupava as bolas loucamente… Quase não resistindo tive que interromper senão iria gozar. Ela parou de chupar e bater punheta, porém, colocou a cabeça do meu pau pra fora e começou a chupar bem devagar. Ela chupava gostoso. Ora ela colocava a cabecinha pra dentro ora pra fora… Não agüentando mais, segurei sua cabeça e disse: – Pare senão irei gozar na sua boca… Deixa agora, eu te chupar. Ela levantou para se ajeitar na cama, quando eu mudei a direção, encostando-a na parede… Beijava-a enquanto meu pau roçava sua barriga. Como eu queria deixar mais excitada ainda, então segurei suas mãos acima da cabeça forçando-a contra a parede. Parei d beijar e comecei a chupar e morder seu pescoço, enquanto ela gemia de tesão, dizendo que não estava mais agüentando e que iria gozar… Fui descendo aos poucos e fiquei passando a língua em volta do biquinho dos peitos, em volta dos peitos, mas não soltei suas mãos… Depois subi aos poucos até a parte traseira de seus braços e comecei a mordê-los, nisso, ela soltou um gemido e começou a remexer todo o corpo, esfregando uma perna na outra como uma louca… E ao mesmo tempo pedia que metesse em sua buceta que estava melada, doida pra sentir um pau gostoso… Soltei suas mãos e voltei a chupar seus peitos novamente, depois fui descendo bem devagar, enquanto ela segurava minha cabeça pressionando-a contra seu corpo. Ao chegar a seu umbigo enfiei a ponta da língua dentro dele, que parecia mais uma outra bucetinha… Ela gemia que nem louca de tesão… E eu descia chupando e lambendo até chegar à região dos pelinhos, quando começou a delirar e pedir: “vai logo, quero meter, gozar no seu pau, adoro pau, quero ele todinho em mim, quero gozar gostoso nele… Decidi vira-la de costas, e pedi que ela continuasse encostada na parede. Ela virou-se, voltei a ficar em pé e peguei novamente suas mãos segurando-as acima de sua cabeça. Agachei só um pouco para poder encaixar meu pau naquele belo rabo, e ao arrumá-lo enfiei-o no vão de suas pernas para sentir aquela buceta quente e molhada mesmo estando ainda dentro da calcinha, pois não havia tirado. Então comecei a beijar seu pescoço e esfregar o pau em sua buceta, deixando-a cada vez mais louca. Resolvi soltar suas mãos, parei de beijar seu pescoço e comecei a passar a ponta da língua em sua nuca, já que minha intenção era levá-la ao delírio total. Fiz isso por alguns minutos, depois fui descendo bem devagar pela espinha até chegar a seu rabo, no qual aproveitei para chupar a polpa de sua bunda, que estava toda mole de tesão. Pedi que ela desse uma abaixadinha, ficando um pouco de quatro, sem que eu parasse de chupar aquela bunda com marquinha de biquíni, intercalando chupada e mordida. Ela arrebitava cada vez mais a bundinha. Peguei e puxei a calcinha de lado, e vendo aquela buceta inchada, melada e rosada, não agüentei, enfiando o dedo para bombar bem devagar, enquanto ficava passando a língua no seu cú. Ela não agüentou e gozou outra vez… Após seu gozo, retirei meu dedo todo melado, tirei sua calcinha, e pedindo para que ela continuasse na mesma posição, comecei a beijar aquela buceta que estava totalmente melada, fazendo a soltar longos gemidos, quando resolvi passar a língua no seu clitóris, acariciando-a bem gostoso, mas sem deixá-la gozar… Quando percebi que ela estava quase gozando, fiquei em pé novamente, pedindo que ela vira-se de frente pra mim e comecei a beijá-la enquanto ela segurava o meu pau tentando colocá-lo de qualquer maneira em sua buceta, mas eu me segurava e não deixava ela fazer isso, provocando-a, deixando ela extramente louca, que chegava tremer de tanta tesão… Peguei sua perna esquerda e pedi que colocasse o pé em cima da cama, o que fez, e eu mais uma vez, segurei suas mãos acima da cabeça e comecei a chupar seu pescoço, enquanto isso esfregava meu pau em sua buceta sem deixá-lo entrar. Como continuávamos em pé, obviamente nesta posição sua buceta estava aberta, pronta pra engolir o meu pau; isso fazia que ela gemesse muito, mas muito mesmo, ao ponto de delirar. O tesão era tanto que ela me mordia com for
ça e não parava de dizer:” mete, mete tudo, não agüento mais de tesão, quero gozar nesse pau gostoso, sentir ele entrar bem gostoso na minha buceta… vai enfia logo…mete… você esta me deixando louca… aí meu deus, que tesão!” Enquanto meu pau roçava a sua buceta, teve um momento que chegou a entrar somente a cabeça, me fazendo quase gozar, pois eu também já não estava agüentando, fiz um movimento para trás, tirando-o, para desespero dela que implorava: “ você esta zoando comigo, pára, pára, não faz isso, não agüento mais… deixa ele entrar gostoso, por favor, to louca para ser metida, vai…” E eu mais uma vez fui descendo a língua pelo seu corpo, até chegar na sua buceta toda inchada e melada… Coloquei as mãos em seus quadris e comecei a passar a língua novamente naquela coisinha, enquanto ela segurava meus cabelos com muita força, ora puxando-os, ora apertando minha cabeça contra a sua buceta. A única certeza que eu tenho foi a de que gozou outra vez na minha boca… lembro muito bem de sentir o gozo dela na minha língua, um liquido quente, melado, na qual tinha um gosto meio adocicado. Bom, já perdendo a conta de quantas vezes ela já havia gozado, resolvi que seria então a minha vez… Então, fui subindo, sem parar de chupá-la… começamos a nos beijar, enquanto meu pau latejava, inchado e enorme. Ela continuava com a perna esquerda em cima da cama. Não resistindo, falei ao seu ouvido: – agora sim, vou foder sua buceta bem gostoso!… ela nem esperou eu terminar de falar e já segurou o meu pau, arregaçou a cabeça pra fora e colocou-o na entradinha de sua buceta, dizendo: “mete, mete tudo, arregaça, fode bem gostoso minha buceta, quero você arrombondo-a com esse pau… nossa, meu deus, nunca senti tanta tesão em minha vida… quero dar pra você todos os dias… mesmo se eu tiver casada, quero continuar dando pra você!!!” Enfiei tudo até as bolas, sentindo aquela buceta quente, melada e apertada. Ela gemia demais,não parava de gemer, unhava as minhas costas, me mordia, parecia uma louca… Pedia que metesse com força, e cada estocada que eu dava, ela gritava, pedindo mais… Fiquei ali estocando, estocando até que ela me chamou pra cama… Concordei, tirando meu pau da sua buceta, colocando-a deitada na cama, com a bunda na beirada do colchão, ficando com os pés no chão… pedi pra ela abrir as pernas, e entrei no meio como se fosse deitar por cima, mas não fiz isso, me abiaxei um pouco e coloquei as duas pernas em cima do meu ombro, peguei o meu pau e fiquei passando-o no seu cuzinho bem devagar, as vezes enfiando a sómente a cabeça em sua buceta só pra provocar… mas,infelizmente não sou de ferro, meti gostoso nela, estocando devagarzinho pra não gozar logo, pois queria saborear aquela buceta deliciosa… fiquei ali por vários minutos me controlando, ora metendo rápido e com força, ora bem devagarzinho quase parando. Depois de brincar naquela posição, pedi que ficasse de quatro, tirei o pau da buceta e fiquei em pé, e ela pela primeira vez não atendeu a minha solicitação, pois em vez de ficar na posição pedida, resolveu fazer mais uma chupeta… primeiro segurou minha rola, arregaçou a cabeça pra fora e começou a mamar, parecendo uma criança chupando chupeta, depois enfiou tudo na boca… Quando percebi que ia gozar, segurei sua cabeça e disse: – Não quero gozar na sua boca, quero encher sua buceta de porra! Ou você não quer sentir eu gozando nela? Ela disse: “claro que sim, é o que mais quero… Então virou de costas, ficou de quatro, e eu olhando aquele traseiro enorme, sua buceta toda aberta, inchada e melada, peguei meu pau e enfiei bem devagarzinho, até as bolas… Não agüentava mais de tesão, decidi meter até gozar… fiquei ali metendo e gemendo, enquanto ela já começava a ficar rouca de tanto gemer… Fui estocando cada vez mais forte, e cada segundo mais rápido, o gemido dela ia aumentando. Meu pau parecia que estava inchado como se fosse explodir… Foi então que falei pra ela que iria gozar, ela disse que também ia fazer o mesmo, minhas pernas começaram a ficar bambas, já não tava agüentando parar em pé, passei a estocar mais rápido e mais forte, e ela começou a gritar em vez de gemer: “ aí que delicia, vai, goza, goza, me enche de porra, quero sentir você gozar, sentir esse pau dentro de mim, vai goza, goza que eu também vou gozar, aiii, aiii, aiii, com força, mais forte, me arregaça,huuumm, huuumm, vou gozar, vou gozar…” E eu não agüentando mais comecei a gritar: – Háaa, nossa… que delicia… você é muito gostosa! Enquanto eu gritava senti o primeiro jato de porra sair, sendo que nesse momento tive que colocar as mãos na beira da cama senão iria cair, já que minhas pernas perderam totalmente as forças. Meu pau gozava dentro dela bem gostoso enquanto eu sentia ela mexendo com a buceta como se estivesse chupando minha porra, pedindo para gozar mais… senti outro jato de porra sair, enquanto ela urrava de tesão dizendo: “que porra gostosa, to sentindo seu pau gozar dentro de mim, que coisa boa… goza de novo, que eu quero sentir mais uma vez o seu gozo… vai, me enche de porra… Dei outra gozada um pouco mais fraca que as duas primeiras, mas o suficiente para satisfaze-la… Depois disso fiquei uns dois minutos com o pau na buceta dela, sentindo ela tirar até a última gota de porra do meu pau!!!             Depois desse duelo de tesão, descansamos, tomamos um banho e ela foi preparar algo para recuperarmos nossas forças. Estávamos sentados no carpete da sala quando terminamos, olhamos um para o outro e começamos a rir e se beijar novamente sem medo de congestão. Ela se deitou nua no carpete e colocou sua xoxota na minha cara e abocanhou minha rola num maravilhoso 69. Eu lambia os grandes lábios, o períneo e o seu cú, enquanto ela engolia meu pênis, lambia minhas bolas e transmitia indecifráveis sons. Estava num tesão que senti que iria gozar novamente. Segurei o gozo, a virei e coloquei a glande no local exato e fui introduzindo naquela bucetinha lentamente, até que ela pôs as mãos na minha bunda e empurrou fazendo nossos pentelhos se encontrassem e meu pau introduzindo ao máximo dentro dela. Ela implorava: “me fode gostoso… acaba comigo… me regaça…” e atendendo seus apelos, eu dava violentíssimas estocadas e mordia os seios. Com o pau dentro, ela se virou por cima de mim e começou a cavalgar em cima do meu pau desesperadamente. Percebia que ela adorava uma pica, rebolava gostosamente, e via seus olhos virando de prazer, enquanto eu, enfiava um dedo em seu apertadíssimo cuzinho. A virei de quatro e comi gostosamente por trás. Eu chegava a ficar parado e ela que vinha de ré numa violência fantástica, em que a bunda dela batia em meu quadril. Nisso eu enfiava novamente o dedo, em seu já quase relaxado ânus, ocorrendo uma frenética dupla penetração. Cuspi no seu cú e com o pau lubrificado de fluidos vaginais, fui colocando dentro de seu rosado cuzinho sem avisar. Ela sentindo meu pau desbravar seu ânus gritou: “ vai puto, come o cú de sua putinha”. Forcei e meu pau sumiu dentro daquela bunda maravilhosa. Estava estraçalhando seu cú e ela compensava a gratificante dor se masturbando e eu acariciando seus mamilos já todos castigados. O suor descia sobre o meu peito enquanto eu fodia e não resistindo mais, gozei novamente abundantemente dentro de rabo. Ela se virou, me deu um ardente e demorado beijo e caímos desfalecidos mais uma vez, agora sobre o carpete da sala.Foi uma loucura que nunca mais esqueço, e tenho certeza que ela também nunca se esquecerá… Tivemos outros encontros mas nunca mais foram igual ao nosso primeiro… É aquele velho ditado: “ O primeiro encontro a gente nunca esquece!” mesmo sendo entre duas pessoas maduras e vividas… Foi o encontro da fome com a vontade de comer!

peguei meu marido se masturbandoindio pauzudocasadoacontostrai e me arrependi o que fazersexo elevadorultimos contos eroticos publicadoscontosroticosmulher casada transando com outro homemtransex maceiopau super dotadoestoporadavelha gozagosada dentro da bucetagozou dentro da esposaxuparcachorro fica engatado na mulhercontos eróticos com imagenscasada fudendocartaz de pregasmulheres com duas bucetaschana locahomem ciumento traiconto porno incestocumeu a tiaculpa da bebidavovo pirocudocomendo a ciganabundasgigantesrelato eroticosgarotos de pau molecontos eróticos por categoriacontoerotico.xomcasa dos contos de sexocu quenteexibindo a namoradano cu do cornocomendo a esposa do vizinhomoreno pausudosexo com a psicologafudendo no aviãocachorro transando com sua donameninas safadaménage gostosopauzudo comendo cadelaacervo de contos eróticostransei com minha sogracasas dos contos eróticosbundudinhacasada transandocu de transcasa.dos.contos.eroticosesposa no menagesexo com a psicologanovinha dando o cu para o cachorrocomendo a vizinha velhacomendo a vizinha velhamesa mestiçacontoscategoriascomendo a minha mulhersexo gay pastorconto porno incestobuceta da sobrinhaesposa adora dar o cucasa dos conto eroticoscasada com amantecasa de massagem em maceióexibicionismo realgoza no meu pausexo oral com loiracornos safadosdois pau na bucetafudendo elasem calcinha no restaurantebucetas marcadascass dos contos eroticosamiga dando pro amigocasa dos contos etoticoscasa dis contos eróticoscomadre de casamentocasadosconttravesti rabudonovinha nao aguenta e gozanene da grande familiacasadoscontos ultimosnegro pauzaoengravidando a primacasa doscontos eróticoschupando a bucetinha da filhasexo gay com indiopenis super dotadosesposa punheta