Ela viciou me foder

Como comi deliciosamente o rabinho do meu maridoCasais Contos EróticosSomos um casal bem casado e juntos resolvemos contar nossas fantasias, experiências, queremos mostrar que é possível, ter uma vida ativa sexualmente, picante, excitante, com muita fantasias, desejos, queremos deixar vcs. com água na boca. Naquela noite, que o cuzinho do meu marido foi desvirginado pelos meus dedinhos maliciosos , conversamos sobre o assunto, e ele disse que tinha o enorme tesão em inverter os papeis. Queria que eu fosse o seu macho. Então tentamos chegar num acordo. Pois apesar do tempo que já estávamos juntos ele ainda não tinha me dado seu rabinho . Combinamos então que quando pintasse um clima gostoso, ele iria tentar me seduzir para que eu comece a sua bundinha virgem, se ele tivesse sucesso eu iria comer o rabinho dele…. Vcs. devem estar achando “ QUE CASAL LOUCO”, mas é isso que queremos passar para vcs.,e a pura verdade, a melhor coisa num relacionamento, ou no nosso caso, no nosso casamento, falar de tudo e sobre tudo, é maravilhoso, excitante, tanto eu como meu marido procuramos primeiramente dar prazer ao outro, todo dia procurar alguma coisa diferente, pensamos sempre em algo diferente para excitar o parceiro, pois isso deixa nosso AMOR, cada vez melhor. Esse é o princípio básico, regra numero um. Vcs. podem ter certeza, É MARAVILHOSO e SADIO. Bom passado alguns dias e varias fodas, sempre excitante e picantes, num belo sábado a noite, assistindo um filme, deitado no colchão da sala, pintou uma cena erótica, fiquei excitada, comecei acariciá-lo, passando as mãos pelas sua coxas, senti o calor no meio de suas pernas, sob a sua cueca, senti seu mastro estava muito duro, subi por cima dele, roçando minha xoxota molhadinha contra seu sexo, beijando sua boca, desci, chupei seu pescoço, sussurrei ao seu ouvido, “estou louco de tesão por vc. minha puta”, entre beijos, amassos, tirei o baby doll e pedir que ele usasse, deixando ele como uma mulherzinha pedir que ele tb colocasse a minha calcinha, que já estava com o fundinho meladinho…nossa minha putinha vc está apetitosa….vá dê uma voltinha e se olhe no espelho ele ficou sem graça mas atenteu o meu pedido…., meu esposo percebendo minha cara de tarada, disse o que vc vai fazer comigo… e eu quero que vc seja minha puta…quero ver vc sofrer como eu sofro quando vc come meu cuzinho… Venha mamar minha bocetinha ela está louquinha para sentir sua boca ele caiu de boca, ora chupando, ora lambendo isso minha putinha fique imaginando que é o meu saco, ora dando leves mordidinhas, enquanto minha eu gemia de prazer. Deslizei minha língua por sua barriga, brinquei um pouco sob seu umbigo, enquanto minhas mãos acariciavam suas coxas, desci minha boca mais um pouco, ainda sob a calcinha comecei a morder seu grelinho…..que estava em ponto de bala….ele deu um grito de prazer, cravou suas unhas nas minhas costas, como querendo que eu enfiasse a cara e a lingua dentro da sua bundinha….estávamos loucos de tesão, lentamente, fui tirando sua calcinha com a boca, entre um puxam e outro, chupava seu cuzinho, seu pau, sua coxa, até deixa-lo nu, só com o baby doll…Comecei a masturbá-lo e fui ao mesmo tempo massageando o seu cuzinho… e disse para eu ficar quietinho, e comecei a enfiar um dedinho com bastate saliva… e sussurei ao meu ouvido, hoje eu quero vc. todinho pra mim, vou te levar a loucura….hoje vc é todinho meu e eu farei de vc uma verdadeira putas, isso me deixa louca de tesão por essa bundinha de menina, e disse venha minha vadia, venha fazer seu macho aqui delirar..foi colocando mais um dedinho…tá gostado safada…vc quer mais….eu sei que vc sempre quis dar essa bundinha e não teve coragem… com um apetite voraz, eu enfiava meus dedos com maestria e violência ia empurrando tres dedos…toma vagabundinha…rebole para sua mulherzinha meu viadinho safado….Ninsso ele começou a gemer e rebolar deliciosamente….Eu não tinha nenhum consolo em casa…então madei ele ficar deitadinho de bruços e fui na cozinha e peguei um pepino….melei com um creme hidratante e…comecei a forçar sua entradinha…ele gritou o que é isso…quando ele vio o pepino chiou…por favor isso não vai machucar…eu acalmei….calma meu amor…eu vou ser carinhosa…vc vai aguentar que eu sei….sentir ele estremecer…ele estava com muito tesão e não iria desistir…. segurando com uma mão a base do pepino com força…comecei a empurrar sem dó… e com a outra mão acariciando seu pau e comecei a bater uma punhetinha… era um jeito diferente de sentir prazer…aquilo me deixava muito excitada….era uma emoção enorme eu humilhar aquele machão autoritario…alí estava uma menina assustada…, parecia que não iria caber naquela bundinha…ele reclamava chingava…a pressão do seu cú era muito grande…ele estava sem ação…era todinho meu…eu estava comendo o meu maridinho..começou a entrar…isso amor..relaxa…abra essa bundinha como uma putinha safada…vai amor aceite o meu cacete…estava quase no meio…ele foi rebolando, reclamando mas, ele       estava adorando ser violentado pelo aqule pepino….toma meu viadinho…toma nesse cuzinho…e fui empurranto…até ele acitar todinho….isso minha puta safada entrou tudinho…sinta como é delicioso está todinha preechida….tá gostando minha gata….ele disse que estava uma delicia…foi a senha para eu começar a tirar e botar…assim tá bom…cada bombada a safadinha… soltava um gemido…….veja como está entrando…sinta suas preguinhas dilatando…ele estava entrando em delírio, pediu que eu diminuísse o ritmo, pois queria prolongar o gozo o máximo possível, atendi o seu pedido, já com um friozinho na barriga, misturado com tesão, tara, uma loucura. Disse “ PRONTO MINHA PUTINHA, SEU MACHO ESTA TE ARREBENTANDO…VOU ABUSAR DE VC A NOITE TODA…VC TEM QUE AGUENTAR COMO UMA PROFISSIONAL DO SEXO….TOMA SAFADA…E JUDIAVA MESMO… VC. NUNCA MAIS VAI ESQUECER ESSE DIA, VAI FICAR DELICIOSAMENTE DOLORIDINHA…E BOMBAVA…ISSO SAFADA…NÃO GOZE AGORA…VOU LARGAR O SEU PAU EU QUERO VER ELE GOZANDO SOZINHO COMO UMA XOXOTA NO CIO….VAI SE SOLTE….ISSO MINHA PUTINHA SAFADA…AGUENTE MEU CACETE…., logo , fui tomada por uma sensação gostosa de tesão, tara e comece a gozar…nem sabia que poderia gozar sem ter um mastro dentro de mim…, mas meus bons pensamentos foram interrompidos quando senti um jato do pau do meu marido melar minha mão, o baby doll, o tapete da sala…e ele soltar um gemido como jamais tinah ouvido…isso safada…vc já é uma mulher e será sempre a minha mulhezinha….Agora meu corno meu viadinho, CHUPE , SINTA MINHA XANA MOLHADINHA, e começamos um delicioso 69, voltei a sentir aquela sensação louca com o com a lingua do meu marido dentro da minha xana…, correspondi chupando seu cu, seu pau suas bolas….enquanto penetrava meu dedo sentindo todo o calor daquele buraco gostoso, todo melado, ensopado, ele rebolava sob meu dedo, quando senti os seu seu gozo dentro da minha boca…que delicia…bebi tudinho lambir….mas continuei fudendo o seu rabinho, e ele me olhando com aquela cara de puta, deslizando sua língua por minha virilha e boceta.. e eu freneticamente me fudendo fudendo o viadinho com meus dedos, ISSO MINHA CADELINHA, REBOLA GOSTOSO, TÁ GOSTANDO, HOJE JÁ TE FALEI QUERO COMER VC A NOITE TODINHA, ISSO SAFADA TÁ CANSADINHA…VOU TE CANÇAR MUITO MAIS E ENFIAVA UM DEDO, DOIS TREIS…TÁ GOSTANDO SAFADA…RELAXA SEU PUTO, ESSE CUZINHO É MEU HOJE, TENTEI FORÇAR A MÃO TENTANDO ABRIR AQUELA GRUTA AÍ ELE CHOROU E EU FIQUE COM PENA…MAS, UM DIA EU ENFIO A MÃO NO RABO DA MINHA CADELA E BUSCAR O PRAZER TOTAL…. EU ALIVIEI E VOLTE AO MEUS TRES DEDOS ELE URROU DE PRAZER, É maravilhoso da o rabo, é ou não é…ELE GRITOU É MEU AMOR ISSO METE DE NOVO O PEPINO…METE TUDO, SOCA FUNDO, RASGA MEU CUZINHO QUE É TODINHO SEU,   ele estava louco para gozar pedi para ele cavalgar no meu pau, ele foi sentando, nessas alturas o pepino entrava com facilidade naquele rabo
que piscava de tesão, agora entrou todinho de novo amor tágostoso, ele começo a rebolar, fazendo com que a base do pepino quase sumir no seu raboo, ele gemeu disse ISSO COME A SUA PUTINHA GOSTOSO, VEM QUERO SER FUDIDO POR ESSE SEU PAU GOSTOSO ME FODE BEM GOSTOSO, ENTERRA ESSA VARA, QUERO SENTIR TODINHA DENTRO DE MIM… Ele Começou um delicioso sobe e desce, e eu ajudava como se aquele pepino fosse um pau de verdade, eu enrabava, e ele rebolava naquele pau gostoso comecei a bater uma punheta, até não me controlar mais, vendo a excitação dele fui pedindo “GOZE Minha puta vai…., GOZE PARA MIM, COM ESSE PAU DENTRO DE VC”, ELE ATENDEU gozando com uma pressão que nunca tinha visto, jorrou aquele “cordão branco” sob MINHA BARRIGA, desfalecido, curveu sob seu meu corpo, eu susurrando em seu ouvido, “VC. GOSTOU, MINHA PUTINHA SAFADA…VC GOZOU COMO UMA VERDADEIRA PUTA NO CIO”. Com as pernas ainda bambas, relaxei um pouco, mas mantendo minhas mãos acariciando SUA BUNDINHA. Ele logo correspondeu, acariciando minha xoxota, que rapidamente senti o fogo subindo meu corpo, comecei a chupar seu cacete, deixando durinho e excitados, e ele disse “EU ADOREI DAR PRA VC., MAS QUERO GOZAR MAIS, E AGORA DENTRO DE VC … Minha estava dela molhadinha novamente, cheia de tesão ele me colocou de 4, e meteu sem dó …eu delirava sentindo suas bolas batendo em minha bunda, ELE FALOU COM AUTORIDADE AGORA QUEM RELAXA É VC. SUA BISCATE, VOU ARROMBAR SEU RABO TAMBÉM, VC. VAI VER COMO É BOM, deu mais umas bombadas na xana, abri bem a minha bunda, ele mirou seu pau que pulsava de tesão, e colocou na portinha do meu cu e lentamente fui forçando a entrada, meu cuzinho foi aceitando aquelegrelhão…e com uma das mãos ele começou a roçar meu grelinho por baixo, senti que o maior prazer da minha vida, relaxei um pouco, e curtir as estocadas de um guerreiro cançado de tanto dar a bunda…mas, agora virou um tigre tesudo…com o seu pau todinho dentro do meu rabo, eu comecei a rebolar, e ele começou a fazer um delicioso vai-e-vem, indo pra frente e para trás, no meu cuzinho e eu gritava …AI QUE DOR MARAVILHOSA, ISSO ENFIA TUDO, QUERO SENTIR SUAS BOLAS BATENDO NA MINHA BUNDA, SOCA TUDO”, e como se ainda não tivéssemos gozados, explodimos num gozo. Ele me chamado de PUTA, e eu chamando ele de TOURO TARADO. Acho que nesse dia até os vizinhos escutaram, cada um caiu para um lado, trocamos um olhar, e ele me disse, “ADOREI DAR MEU RABO, MAS MELHOR TB FOI D+ COMER O SEU”, exaustos, sem mais forças para nada, acabamos dormindo, abraçados

ELE QUERIA SER CORNO, ELA QUERIA SER PUTINHA – 2

Olá, meu nome é Paulo, coloquei o número 2 neste conto porque ele é com o mesmo casal do outro conto (não sei o número), mas pode ser lido independente do primeiro. A história toda começou um bate papo na internet, onde o marido queria falar de sua fantasia, que era ver sua mulher agindo como uma putinha. Ela por sua vez queria muito experimentar sexo anal, mas o pau de seu marido lhe machucava por ser muito grande e a minha fantasia era curtir momentos eróticos com uma mulher bem sacana. Meu primeiro contato foi só com ele, tivemos uma afinidade grande porque queríamos vivenciar nossas fantasias com pessoas de bom nível, com muito respeito e a certeza de que uma vez acabado o encontro poderíamos voltar normalmente para nossas vidas sem qualquer problema. Eu sou moreno-claro, 1.77, 70kg, bem apessoado e gostoso, não tenho pau grande como na maioria dos relatos, por isso sou especialista em sexo anal. Bem, o primeiro encontro foi ótimo, mas para o segundo encontro queríamos algo diferente. A mulher, a quem vou chamar de Cris, era realmente muito gostosa, tendo superado inclusive minhas expectativas no primeiro encontro, uma loira alta, com coxas grossas, mas principalmente uma bunda grande mas bem empinada, graças a malhação diária (qdo leio alguns contos fico desconfiado de algumas descrições, mas como este é um caso real, eu não poderia mentir para parecer mais verdadeiro, ela realmente é muito gostosa). O marido , Lucas, também é um homem bem cuidado e de bom papo, todos temos nível superior e situação financeira tranqüila, o que ajudou muito no começo. Mas vamos adiante, como eu disse, depois de um primeiro encontro muito gostoso, planejamos um segundo, onde deixamos nossas fantasias tomarem conta. Queríamos algo diferente de ir direto a um motel, tirar a roupa e transar. As pessoas que curtem sexo tanto quanto eu sabem o quanto é gostoso todo esse clima erótico que se cria numa relação assim e o quanto se pode explorar para aumentar o tempo de excitação. A Cris disse que gosta muito de ficar com um pau à disposição por bastante tempo segurando, mexendo, masturbando e chupando. Queríamos que ela ficasse fazendo tudo isso no meu pau em um lugar público, mas ao mesmo tempo com muita discrição, então resolvemos ir a um cinema. Iríamos sozinhos, para uma sessão de muito arreto e o Lucas nos encontraria depois, quando ligaríamos para ele, que ficaria no trabalho só pensando na sua mulher comigo no cinema. Escolhemos um filme em cartaz há tempo e um horário de pouco movimento. Nos encontramos num shopping em outra cidade, ela estava com uma saia preta, com uma racha na lateral, e uma blusa também preta, com o umbigo gostoso de fora, sem sutiã, claro, estava linda. Quando estávamos na escada rolante eu fui atrás, roçando meu pau e minha mão naquela bunda gostosa. Ela perguntou se eu estava sem cueca, como combinamos, eu disse que sim, ela passou a língua nos lábios e disse que iria tirar a calcinha no banheiro. Entramos depois do filme já ter começado, pois não queríamos que algum conhecido nos visse juntos. Sentamos num lugar discreto e fomos logo no beijando, nossas línguas entravam o que podiam na boca um do outro. Minha mão já se enfiou dentro de sua blusa e fiquei alisando seus seios lentamente. Ela foi logo pegando meu pau por cima da calça, suspirando e dizendo, como está duro …Ela nem me deixou tocá-la direito, abriu minha calça e tirou ele prá fora, coloquei um casaco em cima de sua mão e meu pau e ela ficou assim mexendo nele, eu de olhos fechados sentindo como se eu fosse só um pau, todos os meus sentidos voltados para aqueles dedos que iam desde a cabecinha molhada até as bolas que ela massageava com verdadeiro deleite. Depois de um bom tempo e de muitas chupadas nos seios, puxou a saia para cima e virou a abertura para frente, então com a mão esquerda eu mexia em sua bunda gostosa e com a direita tinha sua buceta encharcada à disposição. Brinquei tanto com meus dedos dentro dela, enfiava um, dois três dedos na bucetinha, apertava, dava beliscões de leve, acariciava os pentelhos, molhava meus dedos e colocava na minha boca prá sentir o gosto daquela buceta deliciosa, às vezes molhava e colocava na boquinha dela (isso me dá muita tesão), ela lambia meus dedos. E com a bunda, ahhh…eu passava a mão nela toda, apertava, brincava com o cuzinho, colocava o dedo na entrada, ficava fazendo círculos, penetrava um pouco. Eu imaginava quantas bundas gostosas eu via na rua e tinha vontade de passar a mão, agora estava ali, me deliciando com uma das mais gostosas,enquanto ela rebolava e gozava muito, teve vários orgasmos ali, gemendo em meu ouvido e eu dizendo que ela era minha putinha. Só quem viveu algo assim pode imaginar o nível de excitação que alcançamos em uma situação assim. Então ela me pediu prá chupar meu pau, eu disse que não (calma…) ela fez um beicinho e disse… ah deixa…eu disse que não, ela insistiu e eu disse em seu ouvido, lambendo sua orelha, só se tu pedir por favor, dizendo que é minha putinha, minha cadelinha que faz tudo o que eu quero, ela disse …aii por favor, deixa eu chupar teu pau, tua putinha quer muito, não agüento a vontade de chupar, tua cadelinha quer lamber a cabecinha molhada do teu pau. Imaginem, isso quase me fez gozar, porque dizendo tudo isso entre gemidos em meu ouvido, ela continuava a me masturbar. Só levantei meu casaco e ela caiu de boca, parecia sedenta, lambia sem parar, enquanto eu enfiava um dedo todo em seu cuzinho. Assim ela ficou, lambendo e chupando como uma cadelinha e eu me esforçando prá não gozar, pois teria que ter gás para o motel. Não agüentávamos mais, então saímos antes do filme acabar, do carro dela que estava no estacionamento do shopping ela ligou para o marido, enquanto eu brincava com sua bucetinha. Ela dizia para o marido o que eu estava fazendo com ela, que ela estava virada numa puta, que só queria chupar e levar pau, combinamos de nos encontrarmos num posto perto do motel. Fomos no carro dela até lá, que tesão, aquele monumento do lado, com a saia bem prá cima, de pernas abertas mostrando a buceta sem calcinha para eu mexer, enquanto ela, quando o trânsito permitia, mexia em meu pau. Chegamos antes do marido dela, que quando chegou ao lado da porta do carro encontrou a mulherzinha dele com a boca no meu pau (eu avisei que ele estava chegando e ela fez questão). O motel fica para outro conto. Escrevam para mim, gosto muito de sexo e conversar sobre todo tipo de fantasia, gostaria de me corresponder principalmente com mulheres que sejam assim, bem comportadas no dia a dia mas com essa vontade de ser uma putinha, maridos que gostariam que sua mulher fosse assim também terão resposta, um abraço a todos.

esposa só fode com amigos e o marido só na punheta

Fiz um comentário em diversos contos que encontrei pelos sites ,e no final ficou bem grande e então resolvi postar aqui como um conto ,,,,espero que os amigos gostemMensagem: Boa tarde eu agradeço muito por ter me enviado outro conto de sua autoria, eu sou violentamente faminto por contos como os seus de dominação com as esposas de cornos …adoro muito e muito mesmo em particular aqueles em que a esposa aos pouco vai deixando de gostar do marido e o dominador aos poucos vai fazendo a esposa não permitir mais ser sexo com seu marido e aos poucos ficar tipo uns seis meses sem fazer nem nada no marido e depois com o tempo deixar de fazer sexo por um ano e mais e mais e mais ate que deixa pra sempre de fazer sexo com o marido e aos pouco ficando apaixonada pelo macho e desprezando o marido eu adoro assim… sou avido de contos assim em que a esposa va deixando de sentir tesao no marido e sempre aumentando o distanciamento mas nunca abandonando o marido sempre morando com o amigo marido eu adoro assim e sempre que leio os contos assim imagino sendo isso tudo com minha esposa … e tipo aos poucos ate a família meio desconfiando que o marido não tem mais nada com a esposa os filhos começando a perceber as poucos ..eu adoro queria que existisse uma sequencia de contos nesse sentido uma longa sequencia de 40 contos numa sequencia com o mesmo casal e queria que fosse os contos mencionados como se fosse com minha esposa e nossa família eu adoro assim contos assim… como queria uma sequencia assim mas são poucos as pessoas que sabem fazer contos maravilhosos assim ricos en detalhes que va aumentando o tesão a medida que vamos lendo e acredite a sequencia de contos deixa o corno leitor aflito e pois ate economizo as leituras dos contos que são em sequencia para não acabaremé delicioso que o conto não chegue logo na foda em si mas que haja uma dominação sempre um namoro em que a esposa sempre prestigia o amante e despreza o marido corno e ainda mais quando a esposa ridiculariza aos poucos cada vez mais o marido para o amante ,,depois para as amigas e depois no trabalho e depois aos poucos os vizinhos desconfiando e ate no final da sequencia de 20-40-contos a humilhação e transformação é total e a esposa ja apenas vive com o corno mas como um amigo um colega e nem se tocam nem mais nada no final eu mostro fotos daminha esposa                                

Fodendo mãe e filha

Fodendo mãe e filhaDepois de um longo inverno, cá estou de volta para narrar as minhas aventuras ao longo de minha vida. Se não posto muitos contos é porquê, além de serem verdadeiros, não é sempre que se apresenta uma história digna de ser contada. Mas não posso deixar de compartilhar a minha mais nova aventura que, ainda bem, está se passando neste momento.Como sabem, gosto de dominar um casal. De preferência que sejam em minha cidade e com pessoas que tenham afinidades comigo. Faz um tempo recebi um e-mail de um homem que se denominava “ corno infeliz “. Fiquei curioso em relação ao nome e resolvi ler seu e-mail.Ele começava me dizendo que era casado há mais de 15 anos com uma mulher que era um mulherão. Loira, alta, sensual mas completamente “ sem sal “ ( segundo suas palavras ) e que não ligava para sexo. O nome deste amigo era Raphael e sua esposa se chamava Cecília. Era uma família de classe média, residente em São Paulo, empregos estáveis e com uma filha de 17 anos e um filho de 19 ( que cursava medicina no interior do Rio ). Contou que se casaram jovens ( porquê ela engravidou do filho mais novo ) quando ambos tinham 18 anos de idade. Se casaram e tinham uma vida pacata e feliz. Ocorre que ele sempre gostou de observar como sua esposa chamava a atenção dos homens quer fosse na praia, no clube ou simplesmente ao sair de casa para ir trabalhar. Disse que no começo, ele morria de ciúmes mas depois foi se conformando ( já que não poderia brigar com todos os homens do mundo ) em ver sua mulher ser observada e, depois de um tempo, até começou a curtir isso. Tentou, ao longo do tempo, falar com sua esposa para que se produzisse mais, tentou comprar roupas mais sensuais e ela reclamava com ele dizendo que onde já se viu o marido comprar roupas para a mulher ser paquerada pelos outros. Que ele não mais a amava, que não sentia mais tesão por Ela, etc…Ele achava que tinha algum problema de sentir tesão ao ver sua mulher sendo observada. Procurou se informar na net ( bendita internet ) e viu que isso era mais comum do que imaginava. Que passou a devorar contos eróticos, especialmente os que falavam de cornos, de maridos sendo chifrados, de esposas safadas, etc…Que ele tinha lido um outro conto meu ( leilão de uma loira ) e que tinha adorado o conto, ainda mais pela mulher ser loira como a mulher do conto. Que não parava de pensar no assunto e que, um dia, depois de tomar umas e outras, resolveu mandar um e-mail para mim.Li seu e-mail bem interessado ( ainda mais por ser casado com uma loira, claro ), trocamos alguns e-mails e marcamos um dia num shopping de SP para tomarmos um chopp. Ao chegar, ele estava visivelmente nervoso. Reparei que ele se expressava bem, tinha senso de humor ( apesar da timidez inicial ) e que estava realmente angustiado com a situação.Disse que iria ajudá-lo a transformar sua esposinha em uma putinha ( ele arregalou um olho ao ouvir isso ) mas que ele teria que me obedecer em tudo. Fiz literalmente uma entrevista com ele para saber até onde eu poderia ir. Decidimos que ele iria me apresentar como um amigo, visto que ele trabalhava na área de TI e tinha vários contatos que eram desconhecidos para Cecília. Como tenho uma empresa de turismo, combinamos que ele diria a esposa que ela tinha reencontrado um amigo e que, ao saber que este amigo tinha uma empresa de turismo, resolveu ver um passeio de final de semana no Rio de Janeiro com Cecília e a filha. Só que todos sabem que quem decide mesmo tudo é sempre a mulher e foi isso o que ele disse para ela. Para não ficar estranho um amigo recém encontrado ir jantar em sua casa, resolvemos ir a um barzinho em Moema. No dia marcado, fui para o barzinho e vi que ele já tinha chegado e que estava ao lado de uma loira simplesmente espetacular. Ambos se levantaram para me cumprimentar, Raphael me deu um abraço e me apresentou Cecília. Ela deu um sorriso doce e disse que finalmente ela tinha me conhecido, pois raphael só falava de mim e da viagem ( como eu o tinha instruído! ).Sou tremendamente observador, além de ficarmos conversando por algumas horas sobre tudo, eu observava como eles se tratavam. Ela tinha uma postura de domínio sobre ele e raphael a obedecia em tudo. O que comer, o que beber, etc…Eu, para chamar a atenção, disse: Ê, Raphael, encontrou uma mulher que lhe pôs o cabresto, hein? Ambos deram risada e Cecília disse: E você, Jorge? Nenhuma mulher lhe pôs cabresto? Eu sorri e disse: E nem vão! Percebi um brilho em seu olhar ao ouvir minha resposta e um sorriso dissimulado. Decidi, então, convidá-los a viajar comigo. Ao invés de ele viajar para o Rio e ficar em um hotel, convidei-os a irem para minha casa que eu tenho em Búzios, igualmente no Rio para quem não conhece. Ela ficou toda feliz e aproveitamos um feriado prolongado de novembro para viajarmos.Neste intervalo, ela sempre me ligava para ver detalhes do que levar, se eu precisaria de alguma coisa em casa, etc…Fui dando corda e brincando com ela sempre que podia e percebi que ela adorava meu jeito de brincar. Uns dias antes ela me perguntou muito sem graça no fone: Jorge, minha filha Thais é muito cara de pau e perguntou se ela também pode ir com o namorado para Búzios!! Eu disse: Claro que sim! Só preciso do nome completo dos dois para comprar as passagens de avião ( a vantagem de ter uma empresa de turismo é sempre sobrar algumas passagens! ) . Ela me deu os dados depois e disse: Você é muito fofo!! ( porra, fofo é meu cachorro!! ). Eu disse: Você comigo pode tudo!! Ela disse, sorrindo: tudo mesmo?? Eu falei: vc pode mandar onde quiser, menos em um lugar específico. Ela perguntou: Qual lugar? Eu dei risada e desliguei o fone!No dia 19/11 ( véspera de feriado prolongado ), nos encontramos todos no aeroporto de Guarulhos com destino ao Rio.. Eis que chegam todos!! Cecília de short curto, uma camiseta, colar e pulseira! Ela estava super gostosa e vi, pelo seu rosto, que ela ficou feliz pela forma como eu a olhei!! As suas coxas eram inacreditáveis! Mas ao ver a filha deles ( Thais ) fiquei de queixo caído!! Era um retrato da mãe mais nova mas ainda muito mais gostosa!! Observei que o namorado dela era meio nerd pela forma como se vestia e se portava!!Pensei: agora é comigo! Dei dois beijos no rosto das duas, dizendo: Vou ser o cicerone exclusivo das duas onde quiserem ir!! Elas riam do meu jeito safado e comentavam algo entre si que não pude ouvir.Chegamos em búzios e instalei todos em minha casa. Todos comentaram sobre a casa que era linda, etc..Ao instalá-los em seus quartos, Cecília disse: Jorge, quantos quartos tem a casa? Eu disse: 5! Por que? Ela suspirou aliviada e disse: É que não quero que o namorado de Thais ( Claudio ) durma com ela!! Eu respondi: Que mãe controladora!! Ela disse: Não quero que aconteça com ela o que aconteceu comigo!! Respondi: Mas se eles quiserem, eles dão um jeito!! Ao menos eu daria!! Ela sorriu: Daria é? E eu: Pode apostar que sim!! Mas fiquei muito feliz em saber que Thais dormiria sozinha em um quarto só para ela, claro!!Na quinta fomos todos a praia ( Geribá ) e passamos o dia lá!! Eu amava ver as duas em seus biquínis enfiadinhos e a forma como Raphael estava curtindo meus cuidados com elas!! Uma hora, eu disse: Não desgrude do Claudio este final de semana inteiro, ok? Ele perguntou, surpreso: Por que? O que tem em mente? E eu respondi: Vou virar dono de sua família toda, corno!! E já vou começar!! Vou chamar Cecília para entrar no mar e vc diga que não quer ir quando ela chamá-lo!! E segure sua filha e o corno Junior ai!! Ele se assustou com minha forma de falar mas entendeu que quem mandava era eu!Chamei todos para o mar e raphael deu um jeito de segurar todos com exceção de Cecília!! Fomos andando e eu a deixava andar uns dois passos à minha frente só para olhar aquela bunda perfeita rebolando na minha frente!! Claro que ela reparou mas não disse nada, apenas sorriu.Entramos no mar e fomos andando até a água ficar um pouco acima da cintura dela! E deixei que a correnteza fosse nos levando para mais distante deles
. Comecei a mergulhar e ela disse, triste: Pena que não sei nadar! Eu sorri e disse: Vamos aprender já! Ensinei-a a boiar e é claro que coloquei minhas mãos sobre aquela bunda gostosa e sobre as costas!! Ela disse: Safado, se aproveitando da mulher de seu amigo!! Eu não disse nada e apenas roubei um beijo de sua boca! Ela perdeu o equilíbrio e rolou de meus braços, afundando! Quando subiu me fuzilou com um olhar e disse: Como você ousa? Levantei minha mão e dei um tapa em seu rosto e disse: Beija direito, caralho!! E tornei a beijá-la! Ela tentou me empurrar mas a segurei e ela se entregou!! Aproveitei para enfiar meus dedos em seu biquíni e fiquei dedilhando sua bucetinha! Ela dizia: Pára, Jorge! Não faça isso!! Ou só disse: Cala a boca! Foi uma guerra que durou uns bons minutos até que ela se entregou de vez!! Peguei sua mão e a fiz segurar meu pau duro e ela deu um gemido forte e me beijou com mais força ainda!! Quase a fiz gozar mas parei! Ela me olhou, suplicante, e eu disse: vou te comer como se deve na MINHA CAMA, entendeu?? Trate de dar um porre em todos mas fique sóbria para eu te foder como se deve, ouviu?? Como ela nunca tinha sido desafiada assim, só a via acenar com a cabeça, assustada. Assustada, mas concordando com tudo o que eu dizia!Vou postar, em seguida, a continuação                                

Um pouco de nós

O que passo a relatar não é um conto, é um pouco de minha história… Sou Carlos ( fictício), tenho 36 anos, negro, 1m71, 78 kg, sou casado a 8 anos com a Carla (fictício), 37 anos, morena, 1m55, cabelos longos, 57 kg de gostosura, bumbum grande, chama atenção por onde passa. Sempre fui viciado em contos, revistas e bate papo da uol, onde tive os primeiros contatos com o meio liberal, sai com alguns casais e tive ótimas experiências, solteiro, mas a minha história mudou de direção depois que conheci a Carla, ela tem duas filhas do seu primeiro casamento, quando nos conhecemos eu estava saindo de um namoro complicado, porém com a cabeça bem resolvida, tivemos rolo por um tempo e nos distanciamos. Não demorou muito e a saudades bateu. Pouco tempo depois fui morar sozinho e a convidei, sendo o convite prontamente aceito, moramos juntos e oficializamos a união 1 ano depois. Ela desde o início sabia o quanto eu gostava de putaria e parte das coisas que eu já tinha feito, nunca quis saber detalhes ( ciumenta ). Como sempre tive a mente aberta, depois de um tempo começamos a conversar sobre essas coisas de swing, ménage e eu comecei a indagar sobre o seu passado. Moramos no sul da Bahia, cidade pequena com pouco mais de 20 mil habitantes e todo cuidado é necessário pra não ficar na língua do povo rsrsrs. Descobri que ela era bem safadinha, apesar de tímida até hoje… O que eu não esperava é que o comedor, iria sentir tesão na situação oposta. Começamos a colocar nossas fantasias em prática, conversamos com alguns casais, saímos, foi bom demais com um casal e os demais que conhecemos foi um desastre. Como temos um bom relacionamento, muito ativo na cama, somos bem safados e eu tenho, modéstia a parte, boa pegada, ficamos a nós comparar e isso trouxe frustração. Por outro lado eu comecei a sentir tesão em vê-la com outro, passei a incentiva-la com palavras naqueles momentos, percebi que o tesão dela aumentava e o meu também. Passei a procurar por um single, mas como disse, nossa região é complicada e não viajamos com frequência. Depois de um tempo de procura e um encontro pra conhecer frustado, o cara era muito mala, conhecemos um cara legal, mais ou menos parecido comigo, corpo, dote, boa praça, bom de resenha e marcamos pra sair. Puts foi muito bom, vê minha princesa sentando, chupando, sendo chupada, até dp fizemos, foi um êxtase pra gente, especialmente pra mim. Apesar de morarmos bem próximo e ainda ter o contato, não saímos mais, outras tentativas foram frustadas no primeiro contato e quando chegamos a sair, nossa, decepção.Coisa que eu adoro é perguntar sobre o seu passado, como os ex que a comiam, isso me dá um puta tesão, ela sempre se esquiva, as vezes conta uma história pela metade, mais já é suficiente pra me deixar de pau duro, ainda quero contar com ela deitado em nossa cama, quantos caras já comeram a bucetinha dela, quantos ela já chupou, quantos gozaram dentro, na boca, essas coisas me mata de tesão. Hoje falo abertamente com ela que quero outro metendo nela, mesmo quando estamos só conversando… Isso despertou em mim e eu gosto. Em 2016 no meu aniversário algo inusitado aconteceu, uns amigos foram a minha casa e de última hora fizemos uma farrinha, depois que todos foram embora um voltou só, achei estranho mais tudo bem, continuamos a beber e rolou um ménage, foi bom mais ele ficou muito nervoso, poderia ter rendido mais. Fiquei sem entender o que aconteceu, quando indaguei ela como isso tinha se desenrolado ela afirmou não saber. Fui obrigado a conversar com esse amigo e abrir o jogo, ele se sentiu privilegiado e na obrigação de retribuir, deu merda. Em outra situação com bebidas ele tentou introduzir uma amiga colorida num sexo a 4 e não deu. Pra nossa sorte ela é muito discreta, lá vou eu de novo conversar e abrir o jogo. Situação resolvida, deixamos isso de lado por um tempo, ficamos só nas fantasias mesmo, conversas na hora H e nada de buscar uma nova aventura. Eu porém continuo com tesão em vê-la com outros e isso só aumenta… Resolvi dar uma nova chance a esse amigo, ele faz parte do meu círculo social, mais muito discreto e tem fama de pegador, mais dessa vez eu tomei a iniciativa, conversei, expliquei como agir e o que gostamos, mais o sacana fica nervoso e não rende, pra uma mulher que tem pica a vontade em casa, um comedor que não dá conta é foda, ou não rsrsrs, ela faz comparação, não quer mais sair. Nisso eu fico com a incumbência de achar alguém que preencha nossa fantasia de mais um homem entre nós, pois sinto muito tesão em compartilhar minha esposa com outro homem. Sou hetero, muito ativo, diferente da maioria dos maridos eu tenho muito apetite e uma pica de 19,5 cm. Ela se satisfaz muito mais adora ter 2 homens só pra ela. Não nos encaixamos nos perfis, cuckold, hotwife ou voyeur, apenas gostamos de putaria, sexo gostoso, pegada boa e ela sentindo prazer é um prazer ainda maior pra mim, não curtimos xingamentos como: corno, puta, humilhação. Infelizmente os solteiros não sabem mais abordar um casal ou respeitar suas individualidades. Pra quem mora no interior fica ainda mais complicado. Como disse não foi um conto… Foi um relato de um homem apaixonado por sua esposa e que adora vê-la sentido prazer. Em outra oportunidade contarei uma de nossas aventuras.

presente de natal

Olá meu nome e gustavo tenho 36 anos tenho muitos contos antigos para contar, mas estrei contando que aconteceu este mês.             Nunca tinha transado com um homem antes, ja faz uns tres meses que conheci Paulo e a esposa Andreia ,apesar de linda simpatica e gostosa ,Paulão como gosta de ser chamado nem disfarça as puladas de cerca e ela finge nao perceber nada ou e sonca mesmo,            Paulão tem um 1,85 cm de autura bem destruído em 100 kg, ele e muito forte malhadao ,um negão simpático eu ficava envergonhado perto dele somos negros ele e 10 cm maior e uma musculatura invejável eu 1,75 cm 80 kg as mulheres nem me viam perto dele , nos conhecemos no curso de inglês (como eu disse no meu 1 conto eu moro nos Estados Unidos na região de Boston MA aqui tem muitos Brasileiros)          Paulão trabalha em uma academia e e segurança em uma boate aos fins de semana e em ocasiões especiais ,eu sempre ia para as 6 da manhã em uma outra academia ,mas depois que conheci Paulão pasei a ir as 5 da manhã pois ele trabalha de 5 da manhã as 1 da tarde.assim ele poderia me dar uma ajuda pois nunca tive personal trainer e como a academia que ele trabalha oferece este servico por 3 meses a novos clientes eu fui.          Eu liguei para Paulão pra perguntar se eles iriam abrir no dia 24 ,pois eu malho todas terças quintas e sabados, ele disse que não,mas que ele ia estar la Pará malhar e se eu quesse ir estaria fechada mas ele estaria la dentro era so ligar que ele ia a porta abrir ,e ele disse que seria bom pq ele teria uma companhia,          Chequei atrasado 2 minutos Paulão estava estacionando o carro tbm fomos juntos como esta frio aqui nesta epoca do ano que e inicio de inverno fomos de agasalho,la dentro eu ia indo rumo ao banheiro de clientes e Paulão me convidou a ir ao banheiro de funcionarios eu fui, Paulão e sempre sacana sempre conta suas aventuras e as veses ate relata detalhes de suas transas a maravilhosa Andreia.         Paulão me contou que sua esposa começou um boquete e nao terminou por que ele a chamou de Adriana,me disse que a meta do era conseguir alguem que terminasse e serviço, eu tremi tive medo dele investi contra mim eu nunca fiz isto antes eu nunca transei com um homem.         Ele tirou a roupa para por a roupa de treinamento e eu vi seu pau, me deu algo estranho, aquele pau parecia ter uns 30 cm ,quando eu disse nossa Paulão seu pau ten uns 30 cm ,ele riu e disse não so tenho 22 cm, eu disse impossivel , por que eu tenho 23 ele riu e pediu pra ver, e eu tirei a roupa pois ia trocar de roupa pra malhar e mostrei meu cassete Paulão jurava que o meu era maior, mas no meu angulo eu viu axatamente o contrario, entao fomos malhar ,       Duas hora depois estávamos la de volta e Paulão so me contanto aventuras e me disse de uma cara que ele comeu , eu perguntei Paulão vc transa com homens? ele disse negão eu transo com homem, mulher, travesti meu negocio e gozar eu ja estava com tesão , fiquei mais ainda.      Foi quando ele me perguntou e vc qual a loucura que vc ja vez no sexo? eu disse, comi mulheres casadas ele rui e perguntou so ?      Ele disse cara no dia que transar com um homem vai ver como e gostoso eu disse que era dificil transar com um cara que fosse bi sigiloso ele disse ,não, e facil eu disse não conheço nenhum ,ele disse vc conhece varios eu disse cita um, ele falou EU, eu te conto tudo que faço mas nunca digo o nome, tudo que vc quer e sigilo? eu disse sim      Ele veio de frente pra mim me abraçou eu senti um tesão incrível fomos pra chuveiro ele me beijava o pescoço lambia minha orelha depois parou eu me virei pra reclamar por tinha parado ele estava encostado na parede eu me aproximei dele comecei a beijar seu queijo seu pescoso ,comecei a beijar seu peito musculoso enquanto minhas maos acariciavam sua bunda nossa uma bunda grande e dura gostosa de apertar, fui descendo beijando e lambendo seu abdomen estava com o olhos fechado eu nao tinha nenhuma intensao de chupar seu pau mas quando senti ele no meu queixo eu parei de beixar o abdomen e olhei pra quele raralho segurei comecei a punhetar bem de leve subi e falei em seu ouvido vc disse que a meta do dia era alguem continuar o boquete da andreia mas eu vou punhetar pq nao sei fazer um poquete gostoso iqual eu imagino que ela faz ele abriu os olhos e disse sabe sim vai la e chupa quando eu chupei a 1 vez eu fiz direitinho vai la comeca pelas bolas vai no cu depois termina no meu pau, ele disse isto com a boca bem terto da minha e aquilo aumentnava meu tesao eu querendo ficar ali e sem coragem pra beija-lo falei nao posso, na esperanca de continuar o dialogo ate eu ter coragem de beijar , ele me beijou na boca e disse pode sim eu fui passei a lingua na cabeca do pau dele dei varios beijos ele gemia forte fiu lambendo com um picolé , comecei a lamber e chupar seu saco ele se abaixou um pouco seu cuzinho ficou a vista eu lambia e chupava seu cuzinho enquanto o pau dele batia sobre a minha cara e eu gostei de chupar seu cuzinho sou mestre na arte de chupar um cu ele segurou na minha cabeca e quiou ate seu pau eu fiquei louco e comecei a chupar como louco eu chupava lambia punhetava batia com ele no meu rosto tentei por inteiro na boca engasgava estava louco ,quando ele gozou o primeiro jato foi dentro da minha boca o segundo no meu olho como arde e treceiro os outro eu me virei de costas pra ele pre di seu cassete entre as pernas e simulava como se estivesse me comendo ele veio me abracou e me beijou fiquei meio sem graca quando a fixa caiu ele foi ate a bolsa dele e voltou , o pau dele ainda esta se recuperando eu tinha o meu duro como ferro ele veio sem serimoniae comecou a me chupa enfiava todo o meu pau na boca batia no rosto chupava meu saco enquanto me punhetava era bem conciente sabia o que estava fazendoentao desligou o chuveiro me chamou para o lockroom a sala dos armarios e eu notei que ele colocou um camisinha em mim se pos d 4 e me chamou eu comecei a meter e meu pau entrando sem muitas dificuldades ele gemendo e o pau dele ficando duro eu parei e ele rebolava e fazia os movomentos de vai vem pra mim , ele pediu pra mim me senter no banco e ele veio por cima se assentando sobre mim meu tesao era intenso eu olhava no espelho e via a imagem da quele negro de pau grande sentado no meu colo eu quiz punheta-lo mas ele disse que nao que gostava de gozar sem por as maos na quela situacao e acelerou os movimetos e pedia pra mim chamalo pelo nome da esposa ,ele disia vai metendo e me chamando de Andreia eu seu vc tem vontade comer ela vai safado me chama de Andrei como a buceta da sua lora vai safado ,nao tem buceta lora come cu preto mete porra vai vai, eu comecei , toma Andreia sua gostoso seu corno nao esta aqui toma minha vara sua puta safada ,me virei por cima dele, e eu nos olhava pelo espelho aquele homenzarrao embaixo de mim , eu segurando ele pela sintura , e o chamando pelo nome da esposa , toma Andreia gostosa safada piranha vc vai minha puta sua safada quando vi ja tinha batido dei um tapa no pe do ouvido dele ele gemeu tao gostoso o segurei pelos ombros e meti ate o fundo e disse vou gozar ele disse eu tbm to gozando, olhei no espelho e vi ele gozando sem as maos nos ficamos ali deitado mais uns 40 minutos eu queria ir comer ele na recepcao mas ele me lembrou que o unico lugar que não tem câmera e no banheiro, no recopomos no caminho ate o estacionamento pedi desculpas pelo tapa , ele me disse que na transa e 100% passivo tudo que me de tesao da tesao a ele tbm, peguntei que dia comeria Andreia e disse que eu tinha que conquista-la pq ela nunca topou isto que se eu conseguisse come-la so contar pra ele se transássem
os de novo que fora isto ele não iria querer saber e que juntos os 3 ela jamais aceitaria ,eu entendi e fomos enbora, cada um pra sua casa

Enfim ele conseguiu ser corno!

oi. Meu none é Viviane, tenho 27 anos, 1,72m; sou loira, corpo violão. Onde passo, chamo muita atenção. Sou casada com o Ricardo, a dois anos, somos bem modernos e gostamos de sexo na sua plenitude. Ele é mais novo que eu 1 ano, mas é bem mais experiente.

Corno – aconteçeu comigo

A vida sempre nos apronta surpresas, algumas agradáveis e outras nem tanto, eu achava que tinha uma vida perfeita, mais tive uma imensa desilusão que me destruiu inteiramente.Antes de qualquer coisa, devo me apresentar, sou um homem normal 1,75M. 75 Kg, corpo atlético,35 anos e considerado bonito por muitas mulheres. Minha esposa tem 32 anos, bonita, 1.66M, 53Kg, uma mulher que considero normal, com um corpo proporcional e medidas bem distribuídas num belo rosto de anjo.Estamos casados a 10 anos e temos um filhinho de 6 anos, e durante esse tempo sempre mantivemos nosso relacionamento conjugal em alta, temos uma média de relações muito boa para um casal casado a 10 anos, pois transamos de 3 a 4 vezes por semana, sempre procuro inovar levando-a a motéis, comprando novas calcinhas e sungas e tendo nosso relacionamento sempre em alta. Sempre procuro evitar a rotina e frequentemente viajamos para conhecer novos lugares e curtir, como se fossemos noivos em lua de mel. Eu me julgava um homem de sorte e feliz…È claro que eu já conhecia os sites eróticos e de vez em quando dava uma lida no meu trabalho, mais só a titulo de curiosidade, nunca me identifiquei ou tive nenhuma tara do tipo. Chegava a achar que a maioria dos contos era fruto da imaginação dos seus respectivos autores.Mais vamos aos fatos, na segunda feira ultima (02/04) a diretoria regional da empresa em que trabalho me comunicou que eu teria que ir a capital mineira para participar de um evento cultural e representar minha empresa, que seria homenageada e receberia um premio, eu deveria estar em bh na quarta feira, então minha secretária fez a reserva do vôo e me disse que a passagem estaria a minha disposição as 23:30, daí fui para casa aprontar as malas e comunicar minha família da viagem, me aprontei e me despedi de minha esposa com a promessa de uma surpresa quando retornasse na sexta feira, peguei um táxi e medirigi ao aeroporto por volta das 22:00 hs, lá chegando a minha mulher ainda me ligou para me desejar boa viagem e dizer que estava com saudades, nos despedimos, eu falei que iria desligar o celular e ir para a área de embarque. Fui ao balcão de reservas e quase cai para trás, pois meu vôo era para as 3:35 da madrugada, fiquei puto na hora pois compraram uma passagem de promoção, na madrugada de segunda feira, olhei o relógio que marcava 22:55hs e a primeira coisa que me veio a cabeça foi a de ir a uma termas qualquer no centro da cidade (eu moro no Rio de Janeiro), mais o arrependimento logo bateu, pensei na minha linda esposa, no meu filhinho e desisti, ai num impulso peguei um táxi e voltei pra casa, pois o percurso e rápido e a noite não tem transito, não demorando mais que uns vinte minutos, daí pensei em entrar em silencio para não acordar meu filho e fazer uma surpresa a minha esposa, pois teríamos um pouco mais que duas horas para nos divertirmos. Cheguei paguei a corrida e entrei em casa em silencio, estranhei que o som da sala estava ligado em alto e bom volume, fui ao quarto do meu filho e vi que ele não estava dormindo em casa, ai fiquei apreensivo e subi as escadas em total silencio, chegando a porta do nosso quarto, novamente o som de lá ligado e gemidos que eu conheço bem, então cheguei da penumbra escura da porta entreaberta e olhei, e a visão me deixou puto de ódio, pois um sujeito que nunca vi na vida fazia sexo oral na minha mulher e ela pelo jeito estava adorando, de onde eu estava podia ver tudo, pois duas lâmpadas projetadas no teto do quarto estavam acesas, me deixando no escuro do resto da casa e portanto num ponto cego para eles, fiquei ali, pois queria saber quem era o cara, e quando ele levantou a cabeça percebi que se tratava do diretor da empresa em que ela trabalha, vi o cara poucas vezes mais me lembrei na hora, nesse momento minha mulher estava pagando o maior boquete no cara que parecia estar adorando, e eu estranhamente ali petrificado comecei a experimentar uma ereção, derrepente ele jogou ela na cama e na posição de papai e mamãe meteu com tudo, minha mulher gemia e urrava como nunca a vi assim, nem mesmo nas nossas melhores transas, e olha que o sujeito nem era tão bem dotado assim, ai eles rolaram na cama e ela ficou por cima e cavalgava aquela rola enquanto ele dava fortes tapas em sua bunda deixando-a toda vermelha, aquele cara realmente tinha um grande controle sobre sua ejaculação ou havia tomado viagra, pois metia muito, de forma animalesca e não gozava, já minha mulher estava se derretendo de tanto gozar, e eu ali paralizado e de pau duro olhando tudo, mil pensamentos assombraram minhas idéias mais não tinha forças para me mexer. Derrepente ele a colocou na posição de quatro e meteu novamente fundo nela arrancando gemidos e gritos de amor, gostoso, tesudo, meu homem e ele parecia que ficava enfurecido pois dava tapas na bunda dela, derrepente ele tirou e ao que me pareceu começou a tentar penetrar a bundinha da minha mulher, eu sabia que por ter um pênis menor que o meu não seria difícil, então ele cuspiu na mão e lubrificou o buraquinho e foi penetrando devagar para depois pouco a pouco aumentar o ritmo e meter forte. Até que derrepente de um salto saiu de dentro dela e puxou sua cabeça, gritando e gemendo loucamente, gozando na boquinha da minha mulher que engoliu tudo.Depois disso caíram na cama lado a lado, olhei a hora e já passava da 1:30 hs, sai devagar bem como entrei, fechei o portão e demorei um pouco a achar um táxi, voltei ao aeroporto com a idéia fixa de suicídio, mais acabei relaxando no avião e pegando uma puta na capital mineira, esfriando assim as idéias, agora hoje (sábado ) estou de volta ao Rio e não sei o que fazer, pois fui recebido com juras de amor e com ela super fogosa, mais dei uma desculpa, falei que estava cansado, que não dormi direito e não quis transar com ela, não sei o que fazer, se devo pedir o divorcio ou abrir o jogo com ela, mais o fato é que estou chocado e precisando de ajuda e o pior de tudo, sem poder contar isso a ninguém a nenhum amigo, pois quem nesse mundo quer ser chamado de corno??? Aos leitores e leitoras que queiram me dar uma palavra amiga ou qualquer apoio peço por favor que me escrevam, pois eu mesmo não me conheci naquele dia, ficando ali parado e sem ação alguma, mais volto a frisar que não sou corno manso como os caras dos contos e que não fiquei feliz com o que vi, pelo contrario, quero o divorcio pois em 10 anos de casado nunca tive uma amante e me julgava muito feliz.                                 

Desejo insano

Não sei se estou ficando louco ou realmente me descobrindo quem sou realmente,mas o fato é que ultimamente ando sentindo uma tezão incontrolável de exibir minha esposa para estranhos e,tudo sem ela saber pois eu jamais me submeteria a me passar como um corno perante ela.    Já fui casado uma vez durante uns bons anos,tivemos uma filha e depois veio a separação amigável felizmente e,depois de um tempo solteiro acabei conhecendo minha atual esposa e apesar de não termos casado legalmente ainda já moramos juntos a dois anos.   Ela é bem mais nova que eu,mas devido eu já ser amigo da família dela a bastante tempo e ter o respeito de todos acabei me envolvendo com ela e com o consentimento dos pais dela estamos juntos atualmente.    Eu já tenho 50 anos e apesar da idade sou bem conservado e não aparenta a idade,……ela já bem mais nova com seus 22 anos acabou caindo na minha e se apaixonando devido serem bem humildes e não que eu seja rico, mas sou bem estável quanto a grana e isso acabou ajudando a ganhar ela com vários passeios de moto,o que ela sempre me confidenciou que adora. Eu também me apaixonei por ela pois ela é tudo de bom,…linda,baixinha do jeito que gosto e,apesar de ser bobinha quanto a sexo eu tenho conseguido fazer com que ela se solte bastante durante nossas transas e estou apenas esperando sair meu divórcio oficialmente para nos casarmos no papel.   O prolema é que durante esse período que fiquei solteiro me viciei em ler esses contos eróticos,…. principalmente os de maridos que liberam as esposas e passei a fantasiar essas coisas acontecendo com ela,mas claro,sem ela saber de nada.   Atualmente eu já consegui fazer que ela parasse de usar aquelas roupas bregas que ela usava e passei a comprar legs pra ela,.. vestidinhos curtos de Lycra e shortinhos no qual no começo ela relutou um pouco a usá-los,mas com o tempo passou a gostar pois ela tem um corpinho delicioso e,eu sempre a levo em baladas onde tem várias periguetes da idade dela e ela ficou mais tranquila vendo que não é a única a se vestir assim com sensualidade,mas diante dos parentes dela ela se comporta não usando essas roupas.    Enfim,para não ficar muito longo esse relato a verdade é que fico numa tezão louca misturado com um pouco de ciúmes quando saio com ela e vejo a meus amigos babando com os olhos em cima dela pois a maioria deles são da minha idade e as mulheres deles já são bem caídas de corpo.   Certa vez saímos eu ela e um amigo meu de moto para irmos em uma balada e no caminho minha moto comessou a falhar e ficar fraca,…. paramos num posto de combustível e resolvemos prosseguir mas com ela na garupa dele pois minha moto ficou muito fraca pra andar com garupa e fomos devagar e aí tive certeza que sinto realmente tezão em ver ela com outro pois ela apesar de sair sempre comigo ainda sente medo de moto e abraça forte o piloto com medo de cair e assim ela fez com esse amigo até chegarmos no barzinho.   Sei que ela não tem maldade com isso,mas eu fiquei doido vendo ela na garupa dele bem agarradinha e abraçada a ele e já fiquei de pau duro imaginando um monte de coisas tipo ele a levando pra um motel e metendo a rola nela bem gostoso.   Tanto que nem olhei minha moto pra ver se consertava só pra ver ele levando ela de novo na volta até minha casa novamente.    Com certeza ele se sentiu o máximo com ela na garupa dele,mas ficou só nisso pois o respeito e o medo não deixava rolar mais nada apesar das bebidas que tomamos.      Hoje apesar do medo tenho certeza do que quero,…..ver ela sendo bem fodida por um cara que a trate como uma putinha e a faça gostar de ser uma putinha,mas sei que é difícil devido eu a amar muito e ela só ter olhos para mim, então resolvi contar aqui esse relato meu para que,pelo menos por aqui eu possa expor essa minha fantasia insana e ver os machos a chamarem de gostosa,…de puta,…de vadia etc…mesmo ela não sabendo de nada.    Essa são algumas das fotos que tiro dela escondido desde que comessei a sentir tezão em mostra-la escondido

Minha História de Cdzinha

Olá pessoal, o meu nome é Lorena. Este é o meu primeiro conto, e irei narrar pra vocês como decidi virar Cdzinha. Tentarei não contar muito detalhadamente, pra não estender demais o conto.Espero que gostem!!!Tudo começou na pré-adolescência. Um colega da escola ia lá pra casa ver revistas pornô e batíamos punheta juntos. Não demorou pra ele pedir pra eu pegar no seu pau, e em troca, ele pegaria no meu. Começamos assim, e logo ele me pediu pra colocar na boca. No início fiquei com nojo, mas o objetivo era fazer ele me chupar, então fui lá e coloquei o pau dele na boca. Fizemos isso durante alguns anos. Às vezes brincávamos de roçar no cuzinho do outro (sem penetração, afinal, não éramos viados! Rsrs). Com o tempo, comecei a desejar que ele gozasse na minha boca. Mas não poderia pedir isto sem parecer que gostava, então eu propus que ele deixasse eu meter a cabecinha no cu dele, e em troca ele gozaria na minha boca. Não rolou.Os anos passaram e fui morar em outra cidade, o meu desejo por mulheres cada dia aumentava. Entretanto, a curiosidade por chupar uma pica e levar gozada na boquinha continuava nos meus pensamentos e rendia algumas punhetas. Sempre gostei mais de mulheres. Jamais pensei em beijar um homem, ou algo do tipo. Mas a curiosidade era em relação à uma pica dura na minha boca, ou roçando no meu cuzinho.Quando fiquei adulto, me tornei um cara macho, dominador. Adorava pegar as meninas de quatro, e dar tapas na bunda chamando de vadias e etc…Um belo dia, após uma bebedeira, peguei um travesti e levei pra um motel. O meu objetivo era ser ativo, e comer um cuzinho fácil, já que as mulheres ficavam de frescura. Mas ao chegar lá, ela começou a me lamber, chupar meu pau, passar a língua no meu saco, até que chegou ao meu cuzinho.Que sensação gostosa!!!Me abri todo pra ela, que começou a enfiar o dedo no meu cu enquanto me punhetava.Quando eu já estava perto de gozar, ela parou, e ja veio colocando o pau na minha boca (deve ter percebido que eu estava dominado). Cheguei a engasgar algumas vezes, mas ela não tinha dó. Metia na minha boca segurando os meus cabelos, e me xingando de viadinho, putinha e safada. Lembro bem de uma frase que me deixou excitado. Ela dizia:- Isso putinha, viadinho enrustido. Veio pegar travesti porque queria uma pica né? Chupa que hoje eu tiro esse cabacinho!Me sentia humilhado, e ao mesmo tempo excitado.Até que ela puxou meu cabelo novamente, encostou a pica nos meus lábios, e começou a gozar na minha boca. Levei um susto, e não engoli. Fiquei todo melecado. O meu tesão estava a mil!Comecei então a beijá-la e passar a mão, mas ela disse que o tempo tinha acabado, e que teria que pagar mais. Falei que não tinha gozado, e que não pagaria. Recebi um tapa na cara, e ela disse que se eu não pagasse, iria fazer um barraco ali no quarto.Com medo da exposição, cedi e paguei o combinado.Saí de lá puto da vida e xingando muito.Cheguei em casa cheio de dúvidas, me sentindo mal por ter deixado um travesti me fazer de putinha. Afinal, eu era homem porra, macho!Mas aquela gozada não saía da minha cabeça. E em pouco tempo comecei a bater punheta lembrando da cena, e me imaginando passivo dando a bunda.Aquele travesti desencadeou sentimentos de dúvida nos meus conceitos de macho dominador.Tentei esquecer tudo aquilo, e seguir a minha vida normalmente. Comecei a namorar, foder bastante e o tempo foi passando.Anos depois, já estava solteiro novamente, e fui convidado pra sair em um bloco de carnaval vestido de menina. Achei que seria engraçado, já que todos os meus amigos também estariam vestidos do mesmo jeito.Estava sozinho em casa quando me arrumei. Um vestidinho, cinta-liga, calcinha preta enfiada, peruca loira. Passei um batom vermelho, coloquei uma bota de cano alto e estava pronta. Quando me olhei no espelho, não acreditei. Estava igualzinha a uma mulher! Fiquei logo de pau duro, e bati uma punheta ali mesmo, no quarto.No meio da festa de carnaval, muita cerveja e ice, um carinha passou a mão na minha bunda. Era um moreno claro, pele latina, com o corpo razoavelmente em forma. Fingi repreendê-lo, mas sorri e levei na brincadeira. Afinal, toda hora alguém (homem ou mulher) mexia nos meus cabelos, ou apertava o meu bumbum.Após algum tempo bebendo, resolvi ir pra casa. E quando já estava indo pegar um taxi, o carinha que havia passado a mão em mim me chamou. Falou que eu tinha uma bundinha linda, e que ele queria dar uma conferida.Eu disse que era hétero, e que aquilo era só brincadeira. Mas ele foi insistente. Disse que ninguém saberia, e que eu também poderia ser ativo na brincadeira. Fiquei meio ideciso, preocupado de alguém me ver, e ele percebendo isso, me puxou pela cintura e me deu um beijo molhado. O safado já foi metendo a mão aberta na minha bunda e puxando pra cima, apertando com força.Novamente eu estava entregue. Passei a mão na sua pica por cima da calça e as lembranças vieram à tona.Liguei o foda-se e resolvemos ir pra um motel. O taxista nos olhava com um sorriso sarcástico que me deixou envergonhada e excitada. Afinal, eu estava vestido feito uma putinha, indo pra um motel pela primeira vez com um macho.Ao chegarmos, o rapaz, que já estava com a pica muito dura, foi logo me agarrando por trás. Senti todo aquele volume na bundinha e nem pensava mais em ser ativo. Baixei a bermuda dele com cueca e tudo, e coloquei aquele mastro na boca. Devia ter uns 17cm, e era grosso, mal fechava a mão ao redor.Após chupar bastante, veio o momento decisivo. Fiquei de quatro, e ele começou a passar lubrificante na pica e no meu cuzinho! Senti um arrepio quando ele encostou a cabeça, estava eufórica. Começou a forçar e, quando a cabeça passou, a dor veio junto, fui pra a frente pedindo pra parar, mas ele jogou o corpo em cima de mim entrando de uma vez só! Vi estrelas, comecei a espernear, com lagrimas nos olhos, e num impulso, consegui me virar na cama e tirei ele de cima de mim. O cara ficou rindo, dizendo que eu irira acostumar, que era assim mesmo.Me senti humilhado, dolorido, falei que queria ir pra casa, pedi a conta, paguei e chamei um taxi na rua mesmo.Me senti mal por dias, me achava um otario, me perguntando se eu era um viado. Sem contar o medo de algum dos meus amigos ter me visto saindo da festa com aquele babaca. Fiquei meio paranóico por algum tempo. Depois relaxei. Comecei a viver a minha vida.Passado algum tempo, fiz um perfil (naogozonunca), mostrando a minha pica, esperando comer alguma mulher casada. Me excitava com contos eróticos de cornos e putinhas. Eu já estava com uma nova namorada, e o sexo ia muito bem.Até que me deparei com fotos de uma cdzinha. O pau subiu na hora e gozei vendo aquelas fotos.No dia seguinte, peguei a roupinha daquele carnaval, e mudei o meu perfil. Tirei várias fotos e comecei a postar de calcinha, cinta-liga, peruca. Queria ver o que os homens falariam da minha bunda. Só por curiosidade.Quando começaram a chegar as mensagens, era uma punheta atrás da outra. Me excitava muito lendo os comentários. Me sentia uma fêmea desejada.Fiz também perfil no D4Swing (cdzinhavirgemssa), e no SuaveSwing (este eu cancelei!!!). Tinha vontade de encontrar um senhor, de uns 60 anos ou mais, que eu saberia ser mais paciente, pra perder o cabaço da bundinha de verdade, ser comido (ou melhor, comida!!!), até o cara gozar na minha bunda (de camisinha, logicamente!).Entretanto, trabalhando, estudando, e com uma namorada que está sempre comigo, ficou mais difícil tirar novas fotos, ou mesmo avaliar um possível comedor. Só sei que um dia acontecerá. E também sei que o meu desejo por mulheres nada diminuiu. Pois ainda me excito muito ao ver uma bela gostosa na rua. É só a curiosidade de ser dominada e currada como fêmea, pra entender porque isto me causa tanto tesão.

Namorado corno da turma toda!

Oi pessoal, meu nome é Paty, namorada do Vitor que já escreveu umas 3 histórias minhas aqui. Eu nem sabia, mas um dia vi os arquivos no computador dele e perguntei porque tinha escrito aquilo daquele jeito e ele disse que tinha publicado neste site. Daí acessamos a internet e fiquei impressionada com a quantidade de história que tem aqui!

Mulher mal amada corno a vista

Bem , sou um leitor fiel das paginas dos relatos eróticos e sempre achei que tudo era apenas fantasia das pessoas , até que um dia aconteceu comigo, o que passo a narrar agora é um caso que mantenho até hoje, sou loiro, olhos azuis , tenho um físico normal, tenho 33 anos, bem tudo começou quando fui transferido para Curitiba lá chegando fui morar sozinho como não tinha muitos amigos, sempre ficava em casa e toda a noite me divertia muito navegando na internet e uma das paginas que mais visita era dos contos, mas sempre fantasiando as estórias como se fosse comigo, passado tempo acabei conhecendo muitas pessoas e uma certa mulher me chamou a atenção, era uma princesinha 26 aninhos , 1,60 m de altura morena cabelos longos , corpinho bem feito bundinha arrebitada uma verdadeira loucura, mas pesquisando mais descobri que ela era casada, tentei deixar de pensar nela mas não conseguia, então procurei fazer amizade com as pessoas que conviviam com ela, mas mesmo assim ela mal me cumprimentava, com a convivência fui me aproximando cada vez mais e me tornei um grande amigo de seu marido, certa vez percebi que os dois tinham se desentendido por uma besteira que ele tinha cometido, ele era um cara bacana mas bem mais velho que ela ele tinha 42 anos, mas não era nada responsável com as coisas da família e me parece que isso a deixava irritada, foi então que um dia sem nenhuma intenção eu fui até a casa deles para conversar com o marido dela sobre um projeto de trabalho, mas chegando lá ela estava sozinha e limpando a casa, foi bastante educada me oferecendo um café mas nada alem disso, ela vestia uma mini saia de tricô e uma mini blusa, aquele era o primeiro momento em que eu a via assim mais de perto e mais à vontade, fiquei meio nervoso e tomei o café rapidamente e disse que precisava ir embora, então ela sentou-se ao meu lado na mesa e disse que precisava conversar comigo mas que ali não daria certo poderia chegar alguém à qualquer momento, pediu o numero do meu telefone e perguntou se poderia me ligar, eu dei o numero e disse que a qualquer hora estaria disponível. Voltei para casa tremendo de tesão no caminho comecei a fantasiar um monte de coisas. Chegando em casa fui logo tomar um banho e me aliviar das tensões, passou o primeiro dia e nada , passou o segundo e nada dela ligar , achei que não iria ligar mais, mas então em uma tarde de quarta feira logo após o almoço meu celular toca, não reconheço o numero da chamada, mas quando atendi tamanha foi a surpresa que quase bati o carro, era ela disse que estava em um orelhão e se eu poderia conversar com ela, disse que seria rápido e que não ocuparia muito meu tempo, perguntei-lhe sobre qual era o assunto pois estava curioso, foi ai que minha casa caiu, ela disse que gostaria de fazer algumas perguntas sobre seu marido e como eu tinha ficado muito amigo dele poderia ajuda-la. Naquele momento fiquei calado sem respostas minhas fantasias foram caindo na minha cabeça. Mesmo assim confirmei que iria ao seu encontro marcamos um lugar e eu fui busca-la, ao chegar percebi que ela ficou meio sem jeito para entrar no carro parecia estar com medo de que alguém pudesse vê-la. Assim que entrou eu sai rapidinho dali e tomei um rumo diferente do trajeto de sua casa , fomos até um ponto distante do movimento parei em uma rua ao lado de uma fabrica no distrito industrial, onde não passava quase ninguém e seria muito difícil alguém nos conhecer, quando parei o carro logo perguntei como poderia ajuda-la. Ela começou a chorar e me perguntou se eu sabia de alguma safadeza do marido dela, na realidade eu sabia que ele ia direto em um puteiro lá da vila nem eu mesmo sabia como um cara que tinha uma mulher tão gostosa em casa poderia ir atrás de umas barangas como as que tinham ali, mas com muito cuidado eu disfarcei o assunto não entreguei meu amigo, mas ao mesmo tempo queria agarra-la ali no carro aos poucos ela foi se abrindo mais e contando as coisas que ele fazia com ela, cara eu fiquei muito puto, o filha da puta alem de velho e feio ainda maltratava a mulher, naquele momento eu decidi que ele tinha que ser corno, iniciei um plano para fortalecer sua emoções comecei a elogiar ela como mulher e que não merecia passar por tudo isso, mas o tempo foi passando e logo tínhamos que ir embora, no caminho de volta, perguntei se ela não gostaria de passar uma tarde em algum lugar mais tranqüilo onde pudéssemos conversar mais, ela disse que me ligaria e que tinha adorado nosso papo já estava até mais calma, os dias que se passaram foram uma tortura eu não dormia nem trabalhava direito só pensava no que faria com aquela delicia em meus braços, passado uma semana eu achei que ela tinha desistido do encontro pois percebi que tudo estava bem entre ela e o marido, quando novamente de um orelhão ela me ligou confirmando nosso encontro para aquela tarde, fiquei louco voltei para casa tomei um belo banho me troquei e fui busca-la na hora marcada meus caros ela estava muito gostosa, uma calça apertada um top que realçava ainda mais suas curvas, eu não tava acreditando que aquela mulher tava no meu carro, fomos direto para um parque aqui da cidade, entramos no barzinho e começamos nosso papo ela falou sobre todos os assuntos menos o principal (sexo) então tomei coragem e perguntei como era seu relacionamento ela tentou desviar o assunto mas não deixei e precionei ela então me respondeu que era normal sem muitas novidades nem fantasias apenas um papai-mamãe e caia de lado enquanto ela ia se lavar e tentar se aliviar no banheiro quando voltava ele já estava dormindo, e ela ficava na mão mesmo, questionei como ela conseguia agüentar disse que já estava acostumada, ai achei que era hora de atacar quando ela perguntou como era o meu relacionamento com uma namoradinha que tinha na época. Cara, comecei a falar cada loucura que costumava fazer com as mulheres, percebi que cada posição que eu contava ela ficava mais impaciente e inquieta na cadeira, só poderia estar meladinha por baixo da calcinha, ai ela pediu-me para parar que estava quase louca, e que não acreditava em mim disse que eu estava inventando tudo aquilo, na bucha eu retruquei que se ela não fosse casada eu mostraria tudo o eu uma mulher merece sentir na cama. Na hora ela arregalou os olhos deu um sorriso sem graça e baixou a cabeça dizendo que teríamos que ir embora no caminho para o carro eu coloquei minha mão sobre seu ombro e me desculpei por ter falado tantas besteiras, ao entrar no carro ela disse que tinha sido uma tarde maravilhosa e qualquer dia tornaríamos a nos encontrar, achei que o golpe tinha furado, mas quando ela foi descer do carro me perguntou se só poderia mostrar tudo aquilo se ela fosse solteira mesmo, dei um sorriso safado e disse que não. Ela foi caminhando para o ponto de ônibus e eu fui embora. Na mesma noite estava no computador quando o telefone de casa tocou atendi e para minha surpresa era ela, fiquei assustado e perguntei sobre seu marido ela disse que ele tinha ido ao bar com os amigos e como sempre só voltaria na madrugada, bêbado e fedendo para se deitar com ela, ficamos umas duas horas no telefone ela me perguntava sobre o que eu faria com ela se fosse solteira eu comecei a narrar algumas posições que faria ela ser possuída, percebi que do outro lado da linha ela gemia baixinho, por alguns instantes fiquei em silencio apenas ouvindo seu gemido ela quase que chorando pediu-me para continuar pois estava quase gozando na mão, meu fiquei louco pois também estava me masturbando e disse para ela que também iria gozar ela deu um suspiro e um gemido longo, pronto gozamos pelo telefone, e em seguida ela disse que precisa me ver no dia seguinte e não agüentava mais. Marcamos o local e desligamos, foi a noite mais longa que já tive , quando amanheceu resolvi os problemas que tinha no trabalho e fui busca-la, fomos direto para um motel, la chegando já na porta eu a puxei em um abraço bem apertado e tasquei-lhe um beijo bem molhado ela suspirava e se mexia feita louca nisso meu pau já estava quase estourando a calça e ela es
fregava para sentir ele inteirinho, fui empurrando ela para baixo e abrindo minha calça quando ela percebeu que eu estava sem cuecas ficou doida, soltei o pau na cara dela que de imediato enfiou na boca, cara como ela chupava bem, lambia mordia a cabeça, beijava meu saco ficou nisso por um bom tempo depois a joguei na cama e tirei-lhe as roupas deixando apenas de calcinha iniciei um banho completo começando no pescoço e terminando na calcinha que acabei de tirar com os dentes ela gemia e se contorcia feito uma cobra, quando terminei de tirar a calcinha parei para observar seu corpo e cai de boca na sua buça, cheirosa, fofinha e quase sem pelo, iniciei um trabalho perfeito que em poucos minutos ela estava gritando e tremendo estava gozando na minha boca, acelerei ainda mais as chupadas ela quase desmaiou, quando percebi que ela estava quase sem fala me deitei ao seu lado mantendo as caricias, ela me abraçou e disse que nunca tinha sentido nada igual começou a beijar meu peito e foi descendo até chegar ao meu cacete duro como pedra apontado para teto ai sim vi o que é ver estrelas ela chupava muito bem parecia que nunca tinha chupado um pau antes até que mandei ela parar e fomos para hidro, la comecei tudo de novo ela sentou-se no meu colo e queria ser penetrada mas eu só esfregava o pau na entrada e não enfiava, ela foi a loucura coloquei-a na borda da banheira e cai de boca outra vez até que ela gozou outra vez, ai sim com ela bem mole e quase implorando para ser penetrada coloquei ela de quatro e pau nela , coloquei tudo de uma vez só, ela deu um grito e um gemido alto, fiquei com ele atolado e mexendo o quadril para os lados, cara que buça apertada , depois tirei tudo e só coloquei a cabeça, fiquei num vai e vem só na entrada ela rebolava e pedia que enfiasse tudo as vezes colocava todo em uma estocada só depois tirava e voltava para entrada daquela buça gulosa quando percebi que estava gozando outra vez enfiei tudo e aumentei o ritimo das estocadas fortes até que ela estremeceu e caiu na água meio zonza , dei um tempinho para ela se recuperar e levei-a no colo para cama, deitei ela de bruços coloquei um travesseiro sob seu quadril abri bem sua bunda com as mãos e fui entrando sem dó enfiei até o talo e comecei a socar cada vez mais rápido ela gemia e se contorcia debaixo do meu corpo quando fui gozar mandei que ela levantasse rápido pois queira gozar em seu rosto ela veio direto com a boca aberta engolindo meu cacete e chupando tudo até eu encher sua boca de porra, ela me olhava com cara de safada e babava porra por todos os lados, limpou bem meu cacete e deitamos abraçados, por algum tempo ficamos em silencio mas depois do banho ela voltou para o quarto e me disse que nunca tinha sido tão feliz na cama perguntei porque, vocês não vão acreditar o corno não a deixava chupar o pau dele e nunca tinha comido ela de quatro, eu dei uma risada alta e falei que o que eu pretendia fazer agora ele jamais tinha pensado ela ficou curiosa e queria saber o que eu faria pois ela estava com a buça toda ardida, disse para não se preocupar e deita ao meu lado, a coloquei com a bunda para cima, comecei a morder seu ombro e fui descendo acariciei sua bunda beijava mordia e fui abrindo com as mãos até seu cuzinho ficar bem esposto na minha cara fui passando a língua brincando com ele até enfiar um pedacinho da língua ela gemia e mexia a bunda cada vez mais quando tentava sair ela jogava a bunda contra meu rosto forçando minha língua a entrar cada vez mais no cuzinho dela, então levantei e coloquei ela de quatro peguei um saquinho com condicionador e lubrifiquei meu cacete, joguei um pouco na entrada do seu toba ela assustada olhou para trás e disse que nunca tinha feito isto antes que iria doer e tinha medo, disse-lhe que se doesse eu iria parar , apontei o canhão e fui entrando bem de vagar ela gemia e chora mas não pediu para parar quando estava na metade ela esboçou um pedido para que eu parasse , então segurei forte em seu quadril e fui fundo ela gritou e baixou a cabeça no colchão o que me deu espaço livre para o vai-vem , gente que cu apertado foram poucas bombadas quando vi que ia gozar coloquei a mão entre suas pernas e brinquei com sua buça ate ver que também estava quase gozando aumentei o ritimo e gozamos juntos cai sobre seu corpo com o pau tolado sentia seu cuzinho mastigar meu cacete ficamos ali parados por algum tempo até que ela decidiu ir ao banheiro quando sai de dentro ela seu cuzinho parecia um copo ela pois a mão e ficou assustada disse que estava arrombada mas logo foi fechando normalmente, quando fui ao chuveiro com ela começamos a nos beijar e meu pau ficou duro outra vez ela baixou e foi mais uma gulosa com a água caindo em minhas costas logo gozei na sua boquinha outra vez , cara foi a melhor tarde que passei , nos trocamos e fomos para casa deixei ela no ponto e fui embora antes de sair marcamos novo encontro pois ela estava viciada em uma boa foda e não agüentaria ficar só com o arroz feijão de casa mais, mas isso eu conto em outra oportunidade .

Mulher Casada Descobrindo um Macho de Verdade

Ao final desse relato, deixei o e-mail do macho gostoso e safado que me dominou e me ensinou que o sexo pode ser muito mais maravilhoso do que eu jamais havia sonhado. Só uma mulher que foi comida por um homem de verdade pode realmente entender do que estou falando. Não digo apenas penetração, mas ser tratada como uma puta, usada e abusada em todos os buracos, experimentar um prazer tão grande que parece que se vai morrer ou enlouquecer de tanto levar pau, dedos e língua. Sou casada há 12 anos com um homem que amo e com o qual tenho um filhinho lindo. Contudo, após tanto tempo juntos, é natural que o tesão diminua e fiquemos um pouco cansadas da rotina. Comecei a fantasiar com outros homens, a me imaginar nos braços de machos viris, conquistadores e bem sacanas. Mas jamais acreditei que teria coragem de ir mais fundo nos meus desejos, por medo de prejudicar minha família e meu casamento. Foi quando comprei um computador e comecei a gastar minhas horas vagas circulando pela Internet. Nunca gostei de vulgaridades e baixarias, mas acabei ficando fascinada ao descobrir os sites de contos eróticos. Num deles, acabei esbarrando com os de um homem que parecia ter um tesão incrível em mulheres casadas e comprometidas e se dizia experiente, discreto e muito atencioso em lidar com elas. Confesso que fiquei muito curiosa pela atitude e firmeza de suas palavras. Além disso, seu conto era bem escrito, muito quente e sacana. Ele parecia ser um homem inteligente e sensual ao mesmo tempo. Uma combinação que costuma mexer demais comigo. Fiquei ansiosa para escrever para o e-mail que ele deixara indicado ao final do seu conto. Hesitei muito, pensando que ele poderia ser um louco ou tarado da net. Mas criando coragem e me convencendo que jamais o encontraria pessoalmente, que iria escrever para ele apenas por fantasia e para extravasar meu tesão, fiz o primeiro contado. Foi o primeiro de muitos. Ele era um homem envolvente, experiente, inteligente e muito sedutor. Um perigo para uma esposa carente e cheia de desejos a realizar. Tenho 41 anos, sou morena clara, aparência normal, 1,67 de altura. Após um tempo trocando e-mails, marcamos um encontro. O macho era tão persuasivo e bom de papo que me fez ir até ele (menti para meu marido que iria visitar minha mãe!), já que moramos em cidades diferentes. Instalada em um “hotel”, fui encontrar com ele num restaurante de bom nível e bem público, onde segundo meu futuro amante poderíamos nos conhecer sem perigo para ambos (afinal nunca tínhamos nos visto pessoalmente) e com total liberdade para não seguirmos além da amizade caso não gostássemos um do outros. Ainda bem que ele era um gatinho de 33 anos, cabelos e olhos castanhos escuros, moreno claro, 1,75 de altura e peito peludo. Com meu tesão represado, eu acho que o agarraria se ele tentasse fugir de mim. Felizmente, ele me aprovou também e fomos para o “hotel”. Sozinhos e cheios de tesão, caímos um na boca do outro enquanto ele me despia e me arrastava para o banheiro. Fomos pelados direto para debaixo do chuveiro. Lá nos beijávamos e acariciávamos o tempo todo. Ele me virou do costas, beijava minha nuca, dava mordidinhas, me chamava de puta, piranha; me dava tapas na bunda e eu adorava. Ia ao delírio. Ele abaixou-se e beijou minha bunda, logo em seguida passou a língua em meu rego, o que me fez delirar de prazer. Pegava em meus peitos e chupava-os com vontade, dava mordidas e os apertava com força, me fazendo gemer e urrar. Estava louca de vontade de chupar o pau dele que a toda hora encostava em mim. Eu fazia de tudo para tocá-lo. Abaixei-me e não mais resistindo comecei a mamar com toda a vontade. Engolia tudo, tirava, chupava com rapidez, beijava apenas a cabeça, lambia o saco de bolas peludas e grossas, passava a língua em volta da pica e deixava que ele fodesse minha boquinha. Queria chupar o máximo que pudia, colocá-lo todo em mim, senti-lo na minha língua. A sensação era ótima! Ter aquele cacete duro indo até a garganta, me deixava alucinada. Tudo isso sempre estimulada por ele, meu macho, me chamando de puta, vagabunda, dizendo que eu era boqueteira e meu marido um corno. Não imaginava o quanto ficaria excitada com ele me dizendo essas coisas. Chupei até ele gozar em minha boca. Não resisti e engoli tudo; toda aquela porra quentinha e gostosa. Não deixei escapar nem uma gotinha. O safado ainda me perguntou o que meu maridinho otário pensaria de mim se visse a mulherzinha dela bebendo o esperma de outro homem. Que forte e estranho tesão senti ao ouvir isso! Após este banho maravilhoso, ele me enxugou, sempre me beijando e fomos para a cama, e nela continuavam as carícias e as chupadas. Me chamava de piranha e dava tapas em mim pedindo pra que eu o chupasse da forma que ele quisesse e eu adorava pois estava em minha boca aquilo que tinha esperado por tanto tempo. Fazendo um 69, por cima de mim, ele caiu de boca na minha buça. Que língua endiabrada. Desenhava os lábios da minha vagina, ia e voltava como um trem bala até o fundinho dela, babava e mordia meu grelinho. Sem parar, ele meteu um dedo forte e sacana no meu cu. Urrei de prazer e gozei. Gozei sem parar naquela boca que não dava alívio. Gozei até ficar acabada numa poça do meu próprio suor. Ele mandou então que eu me deitasse e começou a penetrar a minha buceta com os dedos. Ele colocava e tirava com força; quatro, cinco dedos… sentia uma mistura de dor e tesão. Na verdade, nem sabia direito o que estava sentindo, mas não queria que ele parasse. Estava mais molhada do que nunca. Em certo momento disse que não agüentava mais e pedi que ele parasse, mas foi inútil. Ele penetrou também o meu cuzinho com os dedos! Colocou quatro dedos dentro de meu cu e a outra mão, por inteira, em minha buceta. Me sentia aberta, arreganhada, mas mesmo assim sentia muito tesão. Eu gemia, pedia pra ele ir devagar e ele me dizia que eu era a sua puta, a sua piranha e era assim que estava me tratando. Disse para que eu me tocasse, fizesse uma siririca. Sabia que tinha que atender aos desejos daquele macho peludo, malvado e tesudo e assim obedeci, meio sem jeito, pois mesmo estando super molhada e com o tesão a mil, a dor também era bem grande. Mesmo estando sendo invadida daquele jeito, eu sentia que ia gozar… Gozei como uma louca, a todo tempo: qdo ele me tocava, qdo eu me tocava, qdo ele estava com a mão toda em minha buceta, fazendo movimentos fortes e intensos, ou qdo ele tinha enfiado os dedos nos meus dois buracos ao mesmo tempo. Ele mandou ficar de quatro e colocou novamente a sua mão toda em minha buceta arregaçada, e continuou colocando os dedos no meu cu, mandando que eu continuasse a siririca. Eu estava exausta, e já não suportava nem ficar mais naquela posição… Sem dar folga, aquele filho da puta impiedoso me virou de barriga para cima e atolou a vara por inteira na minha xota esfolada. Sem dó, ele metia como um leão faminto. Não demorou para jogar minhas duas pernas sob seus ombros. Sentia agora aquela vara dura e cheia de veias indo fundo em mim, martelando meu útero. Ele parecia uma máquina de foder, mordendo meu pescoço, lambendo minha boca, dando tapas na minha cara, me chamando de piranha ordinária, corneadora, vaca, vagabunda e outros mimos que me faziam gemer ainda mais alto. Aquele tesudo conseguiu me virar de ladinho e depois de quatro sem tirar o caralho da minha buça. E ainda acelerava cada vez mais. O forro da minha xota ardia como se estivesse em carne viva. A dor e o tesão se misturavam, minhas pernas estavam meladas, eu estava totalmente acabada, quase chorava, mas não conseguia nem chorar, pois no fundo estava adorando aquela verdadeira surra de pica. Ele manteve a pirocada por quase uma hora até que explodiu gostoso, gritando no meu ouvido, com os dentes cravados na minha nuca, enchendo a camisinha de porra. Nunca pensei que fosse capaz de suportar algo desse jeito, fiquei surpresa comigo mesma. Ele me beijou, tomamos banho novamente, mas desta vez apenas trocando carícias e logo depois voltamos pra cama, onde ficamos nos acariciando e nos beijando. O
pior (ou melhor) estava para começar agora. “Minha real provação de puta”, nas deliciosas palavras daquele safado peludo. Ele jogou minhas pernas para cima, me colocando literalmente de ponta-cabeça na cama. De pé, aquele canalha desceu a pica dura de uma só vez, toda, dentro do meu cu estraçalhado apenas poucos momentos atrás por até cinco dedos. Senti meu reto em brasas e, sem lubrificante algum ou tempo para respirar ou secar minhas lágrimas, o puto começou um vaivém alucinante. Quanto mais eu pedia para ele tirar por causa da dor, mais ele ria da minha cara. Quanto mais implorava entre gritos, urros e berros para pelo menos ir mais devagar, mais ele acelerava. Para meu desespero e certeza de que aquele macho havia transformado uma esposa comportada numa puta desvairada, meu cuzinho arregaçado começou a irradiar prazer para todo meu corpo. Comecei a me contorcer tanto que ele atolou cincos dedos até fundo da minha xota para firmar meu corpo naquela posição, que de tão desconfortável me enlouquecia ainda mais. Amigas, gozei naquela hora como jamais gozei em toda minha vida. Um gozo profundo, forte, poderoso, a plenos pulmões, daqueles que parece não ter fim. Gozei pelo cu! Algo que nem em meus sonhos mais secretos julgava ser possível! Fiquei mole, mas o macho era insaciável. Sacou o pau de dentro de mim num movimento só, me colocou de quatro e tornou a atolar a vara na minha bunda. Metia já há tanto tempo que eu perdera a sensibilidade do ânus. E continuou seu vaivém até se satisfazer numa esporrada farta, que ele começou na camisinha e veio terminar no meu rosto. Era tanta porra que chegou a colar um dos meus olhos. Eu voltei para casa arrombada, dolorida, toda marcada, mas feliz, com um sorriso de orelha a orelha, e a certeza de ter sido comida como toda mulher sonha e merece. Eu recomendo esse homem porque ele sabe dar prazer. Ele é envolvente, carinhoso, viril e sacana. Através dele, conheci outra casada que ele comeu, trocamos telefones e ficamos amigas. Tricotamos sobre nossos maridos, nossas transas com ele e outros amantes. Escrevam para ele e prometo que vocês não vão se arrepender. Vão se divertir muito, sem medo ou culpa. Ele é um bom amigo, muito atencioso. E ainda incentiva e dá dicas e macetes para suas “amigas” curtirem outros homens.

Deixando a mulher dar pro cara da internet.

Bom gente esse é meu primeiro conto, é uma história verídica,por tanto vou usar nomes fictício para preservar os envolvidos.Eu estava casado na época,tinha 22anos de casado,sou o Marcos,86kg moreno olhos verdes,1,74 de altura, Paula é loira olhos azuis,1,50 de altura,te os dois filhos .Pois sempre fomos felizes em nossa relação,pelo menos eu pensava assim,trabalhava das 7 da manhã até as 19h ,um dia cheguei em casa e como de costume fui ao computador para verificar meus e-mails,e estranhei ele desligado aquele dia,pois sempre está ligado pois minha esposa sempre está mechendo vendo vídeo e e-mail dela,pois ele chega antes que eu todos os dias,aí sentei liguei na tomada e quando ligou veio uma mgm, reiniciar sessão ou iniciar sessão?Estranhei mais ainda ,como reiniciar sessão,claro que eu reiniciei.E abriu no Messenger da minha esposa,e tinha uma conversa com um tal de Richard,comecei a ler as mgm deles meus Deus,parece que me deram uma facada no peito,conversas sobre sexo,entre os dois, fantasias, elogios,e por fim marcaram encontro as escondidas,bom eu não sabia o que fazer direito pois minha esposa estava me traindo com outro,bom copiei as conversas deles para que eu tivesse provas,e resolvi não falar nada e pensar no que fazer,mais claro que não adiantou,na hr de deitar ela percebeu que eu estava diferente,e acabei contando que vi as conversas dela com o cara,nossa chorou disse que não conhecia que era só mgm que não tinha havido nada aquela conversa pra corno acredita kkkkk, dormirmos brigado e ficamos mais uns 3 dias sem se falar e eu pensando o que fazer ,pois 22 anos de casado não é 22 dias,.Resultado voltamos a nos falar e ela me cobrando de um deslize que tive a vinte anos atrás ,e agora como não perdoar pelo deslize dela tbm,acabei deixando quieto e como ninguém mais sabia do acontecimento ,só pedi para ela parar de falar com ele,mais como eu gostava de ler contos e alguns contos se pareciam com minha história acabei em falar com ela sobre tudo,e ver qual era na verdade,ela me confesso que só teve eu como homem na vida dela então era normal ela ter curiosidade em outro homem,aí entrou os contos que eu já Lia e comentamos isso um com o outro ,e acabei ficando excitado,ela mais ainda e por brincadeira falei que se ela quiser eu deixava ela sair uma vez só para experimentar,desde que me contasse tudo ,até das mgm ,e assim aconteceu ,e se vcs estiverem a fim de saber como terminou essa história deixem um comentário obrigado.

sonho de mansidão absoluta com a esposa

Sempre envio comentários nos contos de cornos ou de machos que dominam as esposas e quando reli meu comentário achei que ficou grabde e acabou ficando quase um conto e então resolvi postar aqui como um conto comentário ….        Mensagem Enviada em 26/11/2015 06:00:10 AM Título: delicia de contoMensagem: Boa tarde eu agradeço muito por ter me enviado outro conto de sua autoria eu sou violentamente faminto por contos como os seus de dominação com as esposas de cornos …adoro muito e muito mesmo em particuçar aqueles em que a esposa aos pouco vai deixando de gostar do marido e o dominador aos poucos vai fazendo a esposa não permitir mais ser sexo xom seu marido e aos poucos ficar tipo uns seis meses sem fazer nem nada no marido e depois com o tempo deixar de fazer sexo por um ano e mais e mais e mais ate que deixa pra sempre de fazer sexo com o marido e aos pouco ficando apaixonada pelo macho e desprezando o marido eu adoro assim…sou avido de contos assim em que a esposa va deixando de sentir tesao no marido e sempre aumentando o distanciamento mas nunca abandonando o marido sempre morando com o amigo marido eu adoro assim e sempre que leio os contos assim imagino sendo isso tudo com minha esposa …e tipo aos poucos ate a família meio desconfiando que o marido não tem mais nada com a esposa os filhos começando a perceber as poucos ..eu adoro queria que existisse uma sequencia de contos nesse sentido uma longa sequencia de 40 contos numa sequencia com o mesmo casal e queria que fosse os contos mencionados como se fosse com minha esposa e nossa família eu adoro assim contos assim…como queria uma sequencia assim mas são poucos as pessoas que sabem fazer contos maravilhosos assim ricos en detalhes que va aumentando o tesão a medida que vamos lendo e acredite a sequencia de contos deixa o corno leitor aflito e pois ate economizo as leituras dos contos que são em sequencia para não acabarem ……..é delicioso que o conto não chegue logo na foda em si mas que haja uma dominação sempre um namoro em que a esposa sempre prestigia o amante e despreza o marido corno e ainda mais quando a esposa ridiculariza aos poucos cada vez mais o marido para o amante ,,depois para as amigas e depois no trabalho e depois aos poucos os vizinhos desconfiando e ate no final da sequencia de 20-40-contos a humilhação e transformação é total e a esposa ja apenas vive com o corno mas como um amigo um colega e nem se tocam nem mais nada no final eu adoro isso adoro isso onde mostro fotos daminha esposa                                    

Sexo a quatro com tudo que ela tem direito

Olá sou Oliver 39 anos e a esposa Lúcia 47 anos, tudo aqui aconteceu realmente e as fotos tmb são realmente nossas, como contei nos contos anteriores fomos aos pouco descobrindo o swing e o ménage e nessa brincadeira fizemos alguns gang bang onde muito nos excitou. A Lúcia muito safada e eu adoro quando ela se coloca desse jeito, pra mim não me considero corno pq tudo que fazemos é junto e em cumplicidade, podemos dizer que ninguém traí ninguém pela cumplicidade. Nós apenas realizamos fantasias, as mais ousadas. Mas vamos ao que interessaComo sempre dou liberdade a ela para falar o que ela quer pra brincar e quando ela quer, num desses dias atrás logo cedo ela me falou que queria fazer uma brincadeira a noite e falou que poderia ser dois amigos junto com a gente, como participo do site d4swuing entrei em contato com um amigo que mora junto com o primo e que recebem na casa deles, eles aceitaram e marcamos o horário por volta das 21:00 e falei pra eles que quanto mais animados nós estivesse mais ela se entregaria aos três e que com ela não tem frescura, deixei eles bem empolgados. Na hora marcada chegamos na casa deles onde nos recebeu e apresentou a casa e o quarto com uma cama de casal, conversamos um período e logo ela começou a se exibir dançando para nós três, ela estava com um vestido curto e um fio dental atolado no rabinho, sempre q saímos para as nossas brincadeiras ela prepara uma surpresa q eu só fico sabendo na hora, ela se exibindo dançando mostrando a bunda gostosa dela e a gente louco de tesão, até ela deita na cama de barriga para baixo e empinar o rabão exibindo a minha surpresa q era um plug anal com perola q estava atolado em seu cuzinho bem amostra em baixo do fio dental. Ai sim todos fomos à loucura e partimos para cima dela, três lobos para uma ovelha sedenta.Os dois amigos começaram a acariciar o corpo da minha Lúcia a passar mão, a língua em todas as partes e a dar beijos quentes onde ela retribuia e a deixava arrepiada, tmb quiseram conferir a joia de perto e conferiam com a língua no rabinho e na bct, cena maravilhosa, mas paramos pq ela adora chupar e faz uma chupeta maravilhosa fazendo loucuras com aquela boca quente e gulosa, e chupava um de cada vez e em alguns momentos chupava os três juntos, então um desceu para a bct e ela continuou chupando os dois e assim fomos revezando até ela pedir para ser penetrada, então começamos a penetrar e a arrancar dela gemidos e mais gemidos com cada penetrada dos três um após o outro levando ela a loucura e ao gozo, continuamos penetrando com força e ela cada vez mais se entregando, o amigo tirou o plug q ainda estava no rabinho dela fazendo ela a suspirar de prazer e os amigos a ficarem loucos vendo aquele cuzinho bem a mostra e nessa hora eu me posicionei atrás dela enfiei meu pau em sua bct e comecei a massagear seu rabinho, dei umas estocadas tirei de dentro e levei a cabeça até o rabinho da Lúcia, ela gosta q eu prepare o cuzinho dela para depois os outros brincarem e assim foi, coloquei a cabeça e fui empurrando com carinho ate sentir q seu rabinho já estava preparado então acelerei as estocada e ela gemia abafado com a vara do amigo na boca, então mais uma vez começamos a revezar no rabinho dela. Lúcia estava muito fogosa e queria sentir duas ao msm tempo, onde não perdemos tempo e um amigo deitou embaixo dela lhe penetrando a bct e o outro amigo encaixou atrás levando ela a gemer e se contorcer toda num gozo maravilhoso, nessa hora os dois amigos se aproveitando dela e eu fui e coloquei o pau na boca dela então ela estava completa, numa DP e com a boca cheia abafando os seu gemido.O amigo q estava embaixo não aguentou e encheu a camisinha vindo a gozar, então o outro amigo foi pra baixo e eu comecei a estocar o cuzinho da Lúcia e cada estocada ela gemia, gritava, gozava e nós dois fodendo com força ela, depois de uns minutos já não aguentávamos mais então tiramos ela do meio colocamos ela deitada e o segundo amigo encheu a cara e os seios dela de porra e logo em seguida não aguentei e completei o banho nela e assim todos satisfeitos recuperamos o folego nos arrumamos e ela e eu nos despedimos e fomos embora depois q ela tomou um banho para tirar toda a porra q estava sobre ela. Assim terminou a nossa brincadeira, tudo aqui é real e as fotos são da nossa brincadeira pois adoramos brincar e tirar fotos ousadas para lembrar das loucuras. Curta e comente a vontade

Espiando o Grupinho Secreto da Mamãe

Olá, meu nome é João e o que vou relatar aconteceu a alguns anos atrás, quando tinha 16 anos. Morava na época com meus pais e meu irmão mais velho em Porto Alegre, estudava na parte da manhã e fazia curso inglês a noite,Somos descendentes de alemães, meu pai Carlos, empresário do ramo de calçados, tinha 45 anos na época, cabelo preto alto, magro alto, meu irmão Julho é técnico de informática tinha 19, mesmo estilo do meu pai, porém malhava e se cuidava muito. Minha mãe Renata tinha 39 anos na época era professora em um jardim de infância, loira, 1,70, olhos azuis, cavalona, frequenta academia toda semana, seios fartos e rosados, coxas grossas, ancas largas (quadril de parideira) uma bunda redonda e empinada deliciosa, até está época vivíamos em harmonia, uma família feliz, nunca pensei em transar com mamãe, mas a achava uma gata.As coisas iriam mudar em julho desse ano, quando o acaso me traria grandes surpresas, era sábado e já passava das 10 da noite e meus pais já estavam em casa, chegando a casa depois do curso de inglês, entrei, fui ao banheiro, depois lavei fui para a sala, sem antes passar em frente ao quarto dos meus pais, ouvi um barulho, parecia um gemido, a luz estava acesa, pois passava uma claridade por baixo da porta, uma luz amarelada, parei e encostei o ouvido à porta, ouvi novamente gemidos, pensei, estão transando, subiu um calor pelo, meu pau endureceu na hora, como um robô fui ajoelhando e para minha sorte a fechadura da porta estava sem chave, e consegui espiar pelo buraco da fechadura e a primeira visão meus olhos não acreditaram, a cama ficava bem em frente à porta papai deitado, mamãe por cima, subia e descia nos mastro de papai, que por sinal não deixava nada a desejar, estava de costas para a porta, tinha uma visão privigeliada, pela primeira vez estava vendo a bunda enorme e deliciosa, branquinha da mamãe, papai a mantinha aberta segurando nas ancas de cada lado, aquele cuzinho rosado e bem dilatado, deitada sobre meu pai, nesta posição ficava com os belos peitões roçando na cara dele para cima e para baixo, meu pau estava estourando de duro, abri o zíper tirei-o para fora, a cabeça já estava lubrificada, melada, iniciei uma punheta bem devagar, cadenciada, a cada movimento da minha mão subia um arrepio, tamanha minha excitação, sabendo que gozaria rápido com aquela visão, mas queria retardar ao máximo, com o rosto grudado na fechadura não queria perder um lance, quando mamãe saiu de cima de papai, só aí pude presenciar o pênis era enorme, mamãe o agarrou e punhetou algumas vezes, colocou na boca enquanto ele pressionava sua cabeça fazendo com que ele entrasse todo na boca, os movimentos foram ficando rápidos até que ele gozou na boca dela, ela por sua vez, engolindo tudo sem resistência alguma com direito a uma lambidinha na cabeçada pau, após isso ela levantou e eu corri para meu quarto onde gozei que nem louco lembrando daquela cena que presenciei.Depois do o ocorrido, passei a sentir desejos pela mamãe, minhas punhetas eram em sua homenagem, fazia de tudo para encostar, olhar suas pernas, seus seios quando usava decote, adorava quando ela se vestia para ir malhar, aqueles peitões espremidos no top de lycra e aquela bunda maravilhosa (sempre sem calcinha) esticando a lycra ao máximo, sempre que a via ficava louco, e sempre dava um jeito de pegar a peça na roupa suja quando ela voltava, já bati muitas punhetas sentindo o cheiro daquela lycra suada depois da aula de spinning e depois de gozar fazia questão de colocar de volta lá bem rápido para que ela não percebesse.Também passei a perceber alguns detalhes peculiares da sua rotina, e como se comportava de forma estranha, pois ela trabalhava no turno da manhã na escola e algumas vezes saia a tarde, e quanto meu pai e meu irmão estavam no trabalho com sua amiga Isabela, que é uma bela coroa, personal trainer na academia onde minha mãe malha, casada com um comerciante, sem filhos, tinha pele branquinha com cabelo liso, seios pequenos mas uma bunda empinada e bem malhada, contando cada vez com uma história diferente mas com um coisa em comum: sempre com roupas muito sensuais, bem coladas ou curtas, ficava sempre eufórica na hora de sair e voltava muito carinhosa, acima do normal se me entendem e sempre voltava antes do meu pai e meu irmão voltarem do trabalho.Certo dia estava no curso de inglês na turma da tarde pois a aula da noite havia sido cancelada, e o curso fica próximo à casa da Isabela e como já tinha ouvido minha mãe comentando no telefone que iria sair com ela, dai quando a aula terminou, tentei ligar no celular da minha mãe para perguntar se ela estava lá, pois uma carona até em casa viria bem a calhar, ela não atendeu, então decidi passar na porta para ver se minha mãe estava lá, chegando lá notei que além do carro da minha mãe haviam mais 2 carros, toquei o interfone e nada… de novo… dai uma voz um tanto raivosa perguntou: O QUE QUER???? Reconheci como sendo de Isabela, quando falei meu nome e perguntei se minha mãe estava lá, um silêncio se deu por mais de um minuto, seguido de um: Espera um pouco que ela já vai descer, passado uns 5 minutos minha mãe aparece tremendamente nervosa, descabelada e toda suada, suas roupas tinham um claro sinal de serem vestidas às pressas. Ela me questionou furiosa o que eu estava fazendo ali e como sabia que ela estava lá, assustado com a situação, inventei que ela havia comentado comigo que ia sair com a Isabela, que eu estava no inglês na rua de baixo a ela se iria demorar pois queria aproveitar a carona, ela disse que já estava saindo e pediu que eu esperasse ao lado do carro, e voltou para dentro, dado uns 5 minutos ela veio ja com o cabelo mais arrumado e as roupas ajeitadas e mais calma, entramos no carro, eu com a clara sensação de que estava atrapalhando algo, com uma mistura de espanto e tesão, ela bem sem graça tentando puxar assunto dizendo que ela tinha ido lá porque a Isabela tinha comprado um vestido lindo, porém eu nem tinha perguntado nada, mas ela insistia em se justificar, depois de alguns minutos a clima melhorou,fomos para casa. Chegando lá pude presenciar uma ligação para Isabela onde mesmo ela disfarçando escutei: ….tá tudo bem, eu consegui apaziguar aqui…Eu tinha a clara impressão de que algo estava acontecendo, mas não tinha como ainda ter uma ideia clara do que era, então entrei no Facebook dela depois no de Isabela e vi muitas fotos em sítios, festas porém sem marcação de local ou identificação do nome da balada, sempre com roupas curtas e a mesma turma com muitos abraços até sentando no colo de alguns dos homens e uma afeição um tanto exagerada para digamos: “amigos”. Em uma delas, mostrava um sítio onde minha mãe estava sem meu pai, usava um bikini minúsculo, nunca tinha visto ela com aquele biquíni, estava no meio da galera uma foto bem estranha pois não sabia que ela tinha ido lá e a data batia com um dia de trabalho dela, depois disso fiquei na espreita para tentar ver o que acontecia na entrada e saída da casa da Isabela, porém nas semanas seguintes não consegui sucesso, ela conversava mais baixo ao telefone e não saia muito.Dois meses depois, o feriado prolongado de 12 de outubro caiu na terça, meu irmão havia viajado para uma pousada com a namorada e meu pai estava viajando com volta prevista para a próxima sexta e eu para não ficar em casa atoa minha mãe insistiu veementemente que eu fosse para a casa da minha avó, estava previsto de eu voltar na terça dia 12, mas como estava com muita vontade de jogar vídeo game decidi pegar um ônibus e contar na segunda depois do almoço, ao descer do ônibus notei que havia na porta de casa 3 carros sendo um deles o da Isabela, na hora que vi aquilo gelei todo, logo veio à lembrança daquele famigerado dia que a encontrei na casa da Isabela, fiquei pensando se entro ou não, mas o tesão era forte demais, eu tinha que ver o que acontecia lá, o som estava ligado tocando funk bem alto, coisa estranha pois minha mãe não escutava esse tipo de música em casa
ou no carro.Abri o portão e entrei de maneira bem silenciosa e pela porta da garagem, meu coração batia tão forte que achei que fosse enfartar, quando cheguei na cozinha vi varias garrafas de cerveja, muitas mesmo, além de um pé de sapato feminino de salto alto, nesse ponto mesmo com a música alta começa a escutar gemidos e gritos de várias pessoas, eu estava quando tendo um treco, tremia que nem louco mesmo assim decidi continuar, seguindo pelo corredor, quando estiquei para espiar o que havia na sala, não acreditei no que vi, estava rolando uma suruba com minha mãe, Isabela o marido dela e mais 2 homens que apareciam nas fotos que tinha visto no Facebook da Isabela,Minha mãe estava joelhos, sentado no sofá a sua frente um negro com um cacete, era um absurdo de grande e grosso, devia medir mais de 23 cm que ela punhetava loucamente enquanto ele gritava:…VAI RENATA SUA PUTA! CHUPA ESSA PORRA! SEI QUE GOSTA, ENFIA NA BOCA! Na outra ponta da sala Isabela punhetando o marido e chupando um rapaz bem jovem dizia: …QUE DELÍCIA DE CACETE! QUERO VOLTAR PRA CASA ASSADA HOJE!!! NOSSA TURMINHA ESTÁ A TODO VAPOR!!!!De repente Isabela fez sinal para um homem que estava sentado no doutro sofá, quando ele chegou perto dela, ela agarrou o cacete enfiou na boca, sem parar de masturbar o marido, quando ouvi um gemido, o homem estava gozando:…ISSO MINHA PUTINHA! TOMA MINHA PORRA, QUE DEPOIS VOU COMER SEU CU! MINHA GOSTOSA! Ela enfiou o cacete entre os seios deixando a porra escorrer entre eles para depois enfiar na boca e sorver o restante do esperma, eram seios lindos e firmes, para mim um tesão, para quem vivia só de punheta aquilo era algo arrasador, queria trepar de qualquer forma, pois naquela idade ainda era virgem, de repente o negro e disse: …ISSO RENATA!…CHUPA… TESÃO….JÁ…VOU GOSAR! BEBE MINHA PORRA SEI QUE ADORA!HUMMMMMMMMM! ISSOOOOOOOOOOOOO! MINHA PUTA GOSTOSA! É AGORA! Segurou a cabeça da minha mãe e tentou enfiar mais a pica em sua boca, mas era grande e grossa demais, sentia que mamãe engasgava, de repente vi escorrendo pelos cantos da boca um liquido branco viscoso, mamãe estava levando porra na boca, e em grande quantidade, pois não conseguia dar conta, quando tirou o pau da boca escorreu outra quantidade de porra, vi mamãe passando a língua e lambendo todo o esperma que escorria, percebi o quanto ela gostava disso e a putinha que era, quando vi que estavam se levantando sai para o meu quarto, tentando ouvir, não estavam preocupados com nada, mamãe sabia que papai não iria voltar e eu e meu irmão só voltaríamos no dia seguinte, ficaram algum tempo no quarto dos meus pais, quando percebi que estavam saindo todos ainda nus.Foram em direção a cozinha, rindo falando besteiras pegaram algo para comerem e cervejas e voltaram para a sala, onde depois de algum tempo a sacanagem recomeçou, voltei a espiar, mamãe estava sentada no tapete, Isabela no sofá entre o Negro e seu marido e o mais jovem sentado no outro sofá, todos tomavam cerveja cada qual com uma latinha na mão. Olhava mamãe, falando muita putaria, enquanto riam, Isabela segurava um pau em cada mão, ora apertando ora punhetando já estavam ficando eretos, mamãe falou:…ISSO MMESMO BELA, DEIXA ELES DUROS! POIS VAMOS ACABAR COM ELES! RSRSRSRS! O negro disse: …QUEM VAI SE ACABAR SÃO VOCÊS! E SE PREPAREM QUE VOU COMER O CU DAS DUAS! Elas sorriram e prontamente mamãe disse: …VOCÊ NÃO VAI ENFIAR ESSA TROLHA NO MEU RABO, NÃO! NÃO SOU DOIDA! RSRSRS, dizendo isto foi engatinhando até o marido de Isabela, tirou a mão de Marisa do seu pênis, segurou-o e disse:…DEIXA CUIDAR DIREITINHO DELE! AINDA VAI ME DAR MUITO PRAZER! Colocou na boca e foi engolindo aos poucos, pois não estava ainda totalmente ereto, mas mesmo assim estava difícil de engolir todo. À medida que minha mãe chupava o pau ia crescendo e saindo da boca, o marido falava: …ISSO SUA PUTA GOSTOSA! CHUPA! CHUPA! DEIXA BEM DURO QUE VOU TE FODER A BUCETA LOGO, LOGO! PARA DEPOIS QUEBRAR O CABAÇO DO SEU CU! Rsrsrsrsrsrsrsr. Ele segurava a cabeça de mamãe e fodia sua boca, enterrava o máximo que dava e segurava, sentia que mamãe perdia o fôlego seus olhos ficavam vermelhos, quando tirava o pau da boca fazia gestos de ânsia e escorria a saliva fazendo uma ponte da glande aos lábios. Aquilo me deixava louco, meu pau doía, queria gozar, louco para bater uma punheta, mas não dava jeito, desviei a vista para o lado e Isabela fazia o mesmo com o negro, engolia o pau praticamente todo, pelo visto já tinha mais experiência, pois não fazia cara feia. As cenas de sexo eram excitantes estava a ponto de sair do esconderijo e entrar na sacanagem, mas infelizmente não podia. Minha mãe levantou-se, ficou em pé, de costas para onde eu estava, separou as pernas e se ajoelhou em frente ao negro passando as mãos pelo pescoço enquanto ele acertava a cabeça do pau na entrada da boceta dizendo: …RENATA COMO VC É GOSTOSA! VOCÊ TEM UMA BUCETA QUENTE, DELICIOSA, ADORO FUDER COM VOCÊ! MINHA PUTA GOSTOSA! VAMOS SENTA NESTE MASTRO, ENGOLE TODO MEU CACETE!Com uma mão de cada lado das nádegas O negro as separava, deixando a mostra seu cuzinho, uma visão maravilhosa,Mamãe foi abaixando o corpo, remexendo a bunda compassadamente, indo aos poucos engolindo aquele cacete, gemia, rebolava, suspirava, demonstrando o quanto estava bom, enquanto ao lado O negro também fodia Isabela, esta sentada de costas para ele com os pés apoiados em suas pernas, subia e descia enterrando até o saco, este também não deixava nada a desejar no tamanho.O marido de Isabela parecia já estar no auge, pois falava:…ISSO SENTA, ENGOLE MEU PAU! ….PUTA GOSTOSA!….ADORO FODER ESTA BUCETA!…….VAMOS GOSTOSA REBOLA!…QUERO GOZAR! …. VAMOS!…QUERO TE ENCHER DE PORRA! Nisso estranhei quando Sr. Negro falou! …VEM CARALHO! CORRE SEU PUTO!É AGORA! VEM GALERA!…VEM PORRA!Não entendi nada, mas o que veio a seguir me deixou paralisado, o negro tirou mamãe de cima, levantou-se rapidamente indo em direção ao casal, até aquele momento não entendi nada, mas de repente vejo encostando a cabeça do caralho na entrada da boceta da Isabela e empurrou.Ela soltou um gemido, parecia que tinha sido partida ao meio, e não era para menos, dois cacetes descomunais ocupavam o mesmo espaço, estavam enterrados na buceta, faziam uma dupla penetração vaginal. Não acreditava, não conseguia ver direito, mas às vezes presenciava nitidamente os dois entrando e saindo, arrancando gemidos e urros de Isabela: …CARALHO VOCES ESTÃO ME RASGANDO SEUS PUTOS DO CARALHO!…. MINHA BUCETA VAI RASGAR!.. …PORRAAAAAAAAAAAAAAA!… …..SEUS FILHOS DA PUTA!… ….QUEREM FODER?…ENTÃO FODEM! …METEM ESSA MERDA… ARROMBEM MINHA BOCETA! …CARALHO!!!! …DÓI MAS É BOM DEMAIS! DOIS CARALHOS FODENDO MINHA BUCETA.. DELÍCIA!Agora fodiam mais rápido, pareciam enlouquecidos, O negro e o jovem metiam compassadamente os cacetes ao mesmo tempo até o talo:…ISSO SUA PUTA! AGUENTA, DOIS CACETES ARROMBANDO SUA BUCETA!.VAMOS TE ENCHER DE PORRA!Não havia notado minha mãe chupando o jovem havia ido até eles e olhava a tudo se masturbando, já enfiava quase a mão toda na boceta, gemendo e rebolando sentada no tapete com as pernas abertas.Nisso o negro a olha e diz: …AH! A OUTRA PUTINHA TÁ COM TESÃO! ESTOU INDO AÍ! QUERO GOZAR COM VC GOSTOSA!…Dizendo isso saiu de dentro de Isabela, ainda em pé segurou a cabeça da minha mãe e disse:…VAMOS PUTINHA !…CHUPA MEU PAU! DEIXA BEM MELADO PARA PODER TE FODER GOSTOSO! ISSO BABA BASTANTE, VOCÊ NÃO SABE O QUE TE ESPERA!Dizendo isto colocou mamãe de quatro, empurrando sua cabeça de encontro ao tapete, fazendo-a arrebitar o máximo a bunda dizendo:…VAMOS TESÃO ABRE ESTA BUNDA! MOSTRA SEU CU PARA MIM! SABE QUE ADORO COMER UM CU! Deu uma tapa na nádega de mamãe que estalou, prontamente ela atendeu separando o máximo as nádegas dizendo:…PRONTO É ISSO QUE QUER VER? …OLHA MEU CU APERTADINHO! …SEU PUTO!Estava pensando comigo mesmo, tenho um pai corno e uma mãe puta, caralho é foda! Ajeitei-me estrategicamente no lugar procurando uma posição melhor, po
is estava morrendo de tesão e a todo custo queria bater uma punheta. Puxei a bermuda meu pau saltou duro com a cabeça já toda melada,Via perfeitamente o cuzão de mamãe e a rola encostada na entrada com a cabeça enorme brilhando pelo cuspe e a lubrificação natural com uma mão filmava com a outra iniciei uma punheta lenta e cadenciada,, pois por incrível que pareça já estava quase gozando. O negro encostou a cabeça na entrada do anus de mamãe e disse:…RELAXA MEU AMOR! QUE AGORA VOCÊ VAI VER COMO SE COME UM CU!Dizendo isso forçou a cabeça, minha mãe soltou um gemido, mas ele continuava coma a mão em suas costas a pressionando contra o tapete em quanto ela mantinha a bunda aberta:…VAMOS RELAXA! SE NÃO É PIOR! VOU ENTRAR DE QUALQUER JEITO! VAMOS ABRE ESSE CU! PORRA!Falando isso a puxou pelas ancas a cabeça atolou no rabo de mamãe que soltou um gemido: …ISSO FICA QUIETA AGORA! RELAXA, A CABEÇA ENTROU! RELAXA QUE VOU COLOCAR O RESTO! O CUZÃO GOSTOSO! AGORA VOU COLOCAR O RESTO! RELAXA!…VOU SER CARINHOSO!…VAI ADORAR MEU CACETE TODO NO SEU RABO!Nisso ele olha para o lado e fala:OLHA COMO A PUTA DA SUA AMIGA, REBOLA SENTADA EM CIMA DE UM PAU, ESTÁ TODO ATOLADO NO RABO!Olhei e realmente a cena era excitante, Isabela estava subindo e descendo com o cacete atolado no cu, subia até ficar só a cabeça depois sentava até encostar-se ao saco, o Jovem tirou o pau todo abriu o rabo de Marisa e falou para o negro:…OLHA QUE CUZÃO ARROMBADO! OLHA O TAMANHO DO BURACO!Realmente o esfíncter estava relaxado todo aberto dava para se ver o estrago, pelo tamanho do cu que Isabela estava acostumada a levar no rabo. Prontamente O negro respondeu: …LOGO ESTE AQUI ESTARÁ IGUAL! E riu.Realmente estava explodindo de tesão em ver de minha mãe agüentar um tarugo daquele no cu, mas apesar dos palavrões proferidos, ouvia sua voz falando até com certo carinho com minha mãe:…ISSO… RENATA!…RELAXA!…AGORA VAMOS TREPAR BEM GOSTOSO, MAS PARA ISSO SEU CU TEM QUE ENGOLIR MINHA ROLA!…….VOU DEIXAR COM VOCÊ!…ISSO RELAXA… FAZ FORÇA PARA FORA…COMO SE ESTIVESSE INDO AO BANHEIRO!.VAMOS GOSTOSA!….VAI REBOLANDO BEM DEVAGAR …ISSO…VAI EMPRURRANDO A BUNDA PARA TRÁS!…ISSO TESÃO!…TÁ.. VENDO ESTÁ ENGOLINDO MEU CACETE!…ISSO GOSTOSA!…MEXE ESTA BUNDA!…TESÃO!Apenas ouvia gemidos abafados de minha mãe, mas ela não parava de mexer, rebolar naquele mastro, de repente ouço a voz dela: …AÍ!..QUE GOSTOSO!…ESTOU SENTINDO ELE ENTRANDO… ME ABRINDO TODA!…NÃO ACREDITO QUE ESTOU ENGOLINDO ESTE MASTRO COM O MEU CUZINHO!….DÓI MUITO! HUMMMMMMMMMMM! AAAAIIIIIIIII! MAS É DELICIOSO!Dizendo isso notei que empurrou a bunda para trás se esfregando no cacete, não acreditei fez sumir tudo no rabo estava atolado até o saco:…ISSO MINHA PUTINHA NÃO FALEI QUE CONSEGUIA!.ENGOLIU MINHA ROLA!..AGORA VOU FODER GOSTOSO ESTE CU! VOU FAZER VC GOZAR, COMO NUNCA! Segurando minha mãe pela cintura foi tirando o cacete devagar, parecia que não acabava realmente era enorme, sentia pena de mamãe estava sendo arrombada. O negro tirava quase todo o cacete para em seguida meter de novo, arrancando gemidos da minha mãe, não se era de prazer ou de dor, mas depois notei que eram de prazer, ela estava gostando de tomar no cu: …ISSO!.TESÃO FODE MEU CU!….HUUUMMMMMMM!…SE SOUBESSE QUE ERA GOSTOSO ASSIM, JÁ TINHA DEIXADO VOCÊ COMER FAZ TEMPO!.VAMO FODE!…SEU PUTO!…ME COME! ME ARROMBA!….É UMA SENSAÇÃO DIFERENTE!…UM TESÃO!…DIFERENTE!…ME FAZ GOZAR!.Eu seguia admirando o show, o negro agora fodia mamãe como um alucinado, entrava e saia rapidamente cada vez mais rápido, de vez em quanto tirava o cacete abria o cu de minha mãe e olhava o buracão que ele estava fazendo, para enfiar tudo novamente, parecia aqueles filmes pornôs tirava o pau cuspia naquele cuzão e metia de novo.Ao lado o marido de Isabela estava chegando ao auge, pois gemia e falava palavrões junto com Marisa: ISSO AMOR MECHE, REBOLA… VOU ..GOZAR…QUER QUE GOZE AONDE…SUA PUTA! QUER QUE ENCHA SEU CU DE PORRA?Isabela respondeu: …ISSO SEU PUTO GOZA! ME ARROMBA MAIS!… TESÃO!…… GOZA!,…MAS GOZA NA MINHA BOCA!…QUERO BEBER SUA PORRA!….VAMOS SEU PUTO DO CARALHO! ME DÊ ESSA PORRA PARA BEBER!O marido e o jovem a empurraram de lado, ela levantou punhetou algumas vezes um pau em cada mão, o marido segurou a cabeça de Marisa dizendo: …ABRA A BOCA PUTA DO CARALHO! VOCÊ GOSTA DE PORRA! TOMA TODA! ENGOLE! AHHHHHHHHH! TÔ GOZANDOOOOO!, O primeiro jato do marido acertou em cheio o rosto seguido pelo jovem, Isabela segurou os cacetes e os apertava punhetando forte, com a boca aberta aparando os jatos de porra, engolindo prontamente, para em seguida enfiá-los na boca tirando o máximo que podia, chupando até sentir os paus amolecendo, para em seguida caírem um ao lado do outro. Nisso ouvi a voz da minha mãe:VAMOS FODE MEU CU SEU PRRA! ME FODE! ESTOU GOZANDO PELO RABO! NUNCA PENSEI QUE SERÍA DELICIOSO! FODE SEU VIADO! VAMOS ARROMBA MEU RABO! ENCHE DE PORRA!O negro a segurou pela cintura e fodia cada vez mais rápido: …VOU GOZAR! SUA PUTA! SEU CU ESTÁ ARROMBADO! MEU PAU ENTRA E SAI! VOU TE ENCHER DE PORRA!Mamãe soltou um gemido, que todos olharam:…AHHHHHHHHHHHHH! CARAALHOOOOOOOOOOOO! ESTOU GOZANDO COM UM PAU NO CU! HUMMMMMM! GOZA COMIGO PORRA!Mamãe parece que tinha tido o maior orgasmo de sua vida, deu prá ver perfeitamente seu corpo estremecendo todo, se retesando, enquanto O negro falou:…TOMA SUA PUA PUTA!AHHHHHHH! ESTOUUUUUUU GOZANDO NO FUNDO DO SEU CU! SENTE MINHA PORRA TE ENCHENDO! PUTA GOSTOSA FODI SEU CU! ESTÁ ARROMBADA COM O CU CHEIO DE PORRA!.Ficou parado um tempo, para depois ir tirando a trolha do cu de mamãe, realmente era enorme, sorrindo com o troféu (o cu de mamãe) disse: …ISABELA, O CU DA RENATA FICOU IGUAL O SEU! RSRSRSRS ARROMBADO!Abrindo as nádegas da minha mãe, mostrou o tamanho do buraco, o esfíncter estava relaxado, todo aberto.Isabela veio olhar sorrindo, não esperava ver o que ela fez, abriu as nádegas da minha mãe, viu a porra escorrendo enfiou a língua naquele cuzão arrancando um gemido de mamãe, e começou a lamber a porra, aquela cena me deixou louco. Minha mãe se jogou no chão e parecia adormecida, enquanto Isabela se deitava com a cabeça em suas nádegas, passaram todos jogados uma para cada lado por algum tempo.Minha mãe foi a primeira a se levantar e chamar todos: …VAMOS SEUS PUTOS LEVANTEM! ESTÁ NA HORA! SE ARRUMEM, VAMOS COMER ALGUMA COISA!Todos se levantaram e foram para a cozinha, cheirando a sexo, a suor, a esperma, o cheiro impregnava o ambiente, pouco depois se vestiram, se abraçaram e combinaram outro encontro, agora seria na casa da Isabela, Assim que saíram mamãe foi para o banheiro, saí do esconderijo e fui até a porta da garagem e sai, fechei o portão com cuidado e peguei o ônibus voltei para casa dos meus avós dizendo que mudei de ideia e já ficar mais um pouco, e não resisti, corri para o banheiro e iniciei ali mesmo uma punheta, esporrei para todos os cantos nunca vi tanta porra, minhas pernas ficaram moles, me arrepiei todo, gozei demoradamente, apoiei-me com uma das mãos na pia e fiquei por alguns segundos ofegantes, parecia que minhas pernas iriam se dobrar.Nos próximos contos continuo relatando, isso foi só a ponta do iceberg! Eu mal sabia o que ia descobrir…

Minha casada safada

Ao contrário de muitos contos que são publicados nesse e em diversos sites do gênero na Internet, esse aqui é verdadeiramente real e os nomes não foram trocados, justamente porque uma das coisas que nos excitam é o risco de sermos descobertos, esse gosto pelo proibido que nos une. Não vou dar muitos detalhes de como nos conhecemos (pelo menos não por enquanto), mas o importante é que atualmente somos amantes, nos amamos muito e temos um tesão um pelo outro que aumenta a cada dia e nos leva a nos deliciar cada vez que conseguimos escapar de nossos compromissos (somos ambos casados, eu me chamo Reginaldo, 31 anos, 1,72 m, 73 kg e ela Mariana, uma delícia de 29 anos, cabelos compridos e selvagens, seios deliciosos, lábios carnudos, alta, com uma bunda muito gostosa) para nos perder nos braços um do outro.

Tatiana, a bela evangélica submissa – 2ª PARTE

– CONTINUAÇÃO -No meu conto anterior, relatei como foi que Eu e Tatiana nos conhecemos e, agora continuarei comentando quando realmente a transformei em minha cadela. Bem, após a concordância dela em deixar-me entrar para fugir aos olhares de vizinhos, não dei tempo dela em nada pensar, e num instante a abracei e beijei aquela boca que tanto desejava, ela estava tensa e dura, mas não ofereceu relutância, e logo correspondeu ao beijo, estreitando a mim para junto à ela, pela forma que ela me apertou confirmou que já me pertencia, Tatiana não teve como não perceber que meu membro estava rijo, pois fiz questão de que a sentisse. Apalpei seus peitos que tanto cobiçava sobre o vestido e ela ficou mais nervosa ainda, sua respiração estava tensa. Puxei-a para o sofá que estava próximo e lá voltei a beijá-la. Sentada ela recebia carícias na orelha e pescoço, apalpadas nos seios e beijos na boca. Notei que suava de tão nervosa, mas não se afastava, continuava perto deixando para mim o comando da sedução. Estava muito calor e o problema era sua roupa fechada, abri alguns botões do vestido, vislumbrei um discreto decote. Mais alguns beijos e a abertura nada mostravam de seu corpo, o calor continuava, abri mais alguns botões deixando o vestido aberto até a barriga e Tatiana apenas me beijava não colocando nenhum obstáculo, seu sutiã, desses do tempo de minha mãe quando jovem, imenso. Tatiana estava transpirando cada vez mais, continuei a tirar o restante do vestido e ela ainda imóvel sem nada falar, tirei o tecido dos ombros. Não demorou muito e pouco depois ela já não estava dormente, já participava ativamente e me beijava com mais força, loucamente, sua boca era tão macia, seu beijo maravilhoso me fazia estremecer de tanta tesão em que Eu estava. Beijava seu pescoço, continuava com a mão em seus seios em movimentos circular, beliscando-os de leve e fui descendo até eles com a boca até, agora intumescidos, estavam duríssimos, realmente muitos excitados, abocanhei um deles e chupei como se lambesse uma pêra saborosa, que delícia. Logo, estava beijando toda sua barriga. Tatiana gemia de satisfação e, ela como Eu, deixou o pudor de lado e nos atracávamos como dois famintos e sedentos de sexo, e nada mais nos importava, apenas usufruirmos dos prazeres que o sexo nos ofertava. Levantei a parte abaixo do vestido e contemplei uma visão estonteante, de tão bem feita que ela era, avancei naquela xana perfumada, ainda com a calcinha, que nesse momento, parecia que ela tinha feito xixi de tão ensopada que estava. Puxei de lado a calcinha e pude melhor contemplar, estava diante de uma linda bucetinha, agora volumosa pelo tesão em que ela estava, rosinha e muito cheirosinha. Tatiana num torpor imenso, ávida por sexo pediu que Eu parasse e subisse para o seu quarto e que lá continuaríamos, não esperei segundo convite e foi o que fizemos imediatamente. Na escada não paramos de nos beijar, EU com a mão atarracada na bundinha dela fazendo carinhos, estávamos tão sedentos que quase caímos pelos degraus abaixo, rsrsrsrs. A minha mais nova aquisição me levou ao seu quarto e nos engalfinhamos na sua cama de casal, o sexo foi completo, mas apenas sexo, sem nada ainda de sado e/ou qualquer prática de BDSM nessa primeira vez, para não espantá-la, nesta ocasião iria dar-lhe o que estava tão carente: sexo, sexo e mais sexo. Eu não me fiz de rogado e com toda calma a levava a sentir prazeres totalmente desconhecidos até então a ela, chupava os seus peitos apetitosos deixando a minha mão passear pelo seu corpo, tocando várias e várias vez a sua bucetinha pouco usada, molhadinha e necessitada de amor. E como ela suspirava e gemia, várias vezes desci beijando todo o seu corpo e caia de boca no seu ninho de amor que estava maior ainda que antes de tão inchado, passava minha língua no seu grelinho, ela gemia gostoso com minha língua. Tatiana nunca ou raras vezes fizera preliminar antes da penetração e agora levava um show de pica, como se fala em minha terra, rsrsrs. A puxei ao meu cacete e ela timidamente retribuiu o mesmo prazer que Eu lhe dera, ela estava fascinada e totalmente entregue para mim, fizemos logo depois um 69 a pedido dela, já que nunca fizera e sonhava com isso, já que, invariavelmente lia nos contos e relatos da net. Tatiana explodiu em um gozo fantástico, foi o primeiro orgasmo da noite que pude lhe proporcionar. Ela estava em um estado tão intenso de excitação que Eu obriguei-me a dar-lhe algumas palmadas nas coxas, em razão de que estava completamente fora de si de tanto tesão, transtornada pela trepada EU tinha que controlá-la para que pudesse sentir toda a satisfação que uma boa foda pode dar. A coloquei de quatro na cama, nessa hora não pude me conter e, sem dó nem piedade e com muito menos calma, meti o meu pau grosso na sua buceta, Tatiana agora gemia muito mais gostoso, rebolando bastante com o meu pau na sua xana faminta e gulosa, meu saco chegava a bater no seu corpo, ela só gemia e rebolava deliciosamente em meu pau, estivemos transando durante bons momentos. Após mais um gozo de Tatiana, bastante escandaloso por sinal, descansamos um pouco, ela confessou que estava hiper satisfeita por Eu dar-lhe o que tanto quis e nunca conseguiu: prazer na cama como fêmea, sem nada a limitá-la. Afirmou ainda que anteriormente não conseguisse aferir e ter idéia que o sexo era tão maravilhoso. Ela olhou prá mim fazendo biquinho e afirmou que sentia inveja da minha parceira que deveria estar muito feliz comigo, que Eu era um homem encantador em todos os sentidos, carinhoso, gentil e que a levou a ter orgasmos nunca sentidos. Continuamos ainda por um bom tempo transando e me retirei para minha casa. Deixei-a extenuada, com água na boca e com gosto de quero mais, antes de Eu sair lhe dei a garantia que repetiríamos com muito mais sabor e vigor no próximo encontro. Na hora que estava à porta para sair, ela beijou-me com apetite, força, aflição e sofreguidão imensa, ela já estava apaixonada por aquele que será DONO e SENHOR, brevemente.Juntando a carência que o marido ensejava por falta de atenção e carinhos e agora aliada a sua descoberta dos prazeres do sexo que, deliciosamente Eu lhe proporcionei, aliás, não precisei nem atiçá-la demais para ser minha para um próximo encontro, bastou apenas saber encaminhar à minha doce submissa uma nova possibilidade de estarmos juntos para aflorar seus desejos íntimos e devassos, rsrsrsrs. Logo na noite seguinte, após nossa saborosa trepada, quando estávamos na internet, aproveitei o momento e comentei de na semana entrante irmos para um motel, que ela escolheria da sua preferência, Tatiana sorriu, com carinha de safada, aceitou imediatamente, apenas pediu-me que aguardasse o momento certo, que seria tão logo o corno (marido) dela houvesse necessidade de ir até uma das filiais da empresa e a safadinha sabia que não iria se alongar os dias para ele viajar e deixá-la livre para nós. E não demorou mesmo e surgiu mais outra jornada do marido para inspecionar outra sucursal da firma, esse fato de estar sozinha, aliado a curiosidade de Tatiana em conhecer um motel e ainda mais com o tesão aflorado que sentiu pela intensa situação de luxúria que criamos, várias vezes ela afirmou que foi muito bom o nosso encontro e que queria mais, que seria minha quantas vezes Eu quisesse, bastava apenas termos oportunidade. Deu certo para a primeira terça-feira seguinte, combinamos que Eu a encontraria a duas quadras de sua casa, depois do meu horário de trabalho e dali irmos direto para motel que ela tinha escolhido pela net e, que estava maluquinha para conhecer no real. Ela jamais tinha traído o marido antes de me conhecer, e cá para nós merecia levar chifres mesmo, porque quem não dá assistência abre campo à concorrência e além de tudo ele nem ligava para ela, sendo às vezes até indiferente a esposa. Tatiana estava agora desperta e tomada pelo desejo sexual de ser usada, que era forte demais, ela transbordava alegrias tanto que até o corno a havia visto e comentado que ela a
ndava mais satisfeita e, ela o tratava o melhor possível agora, vivia feliz da vida e, extremamente ansiosa para nos reencontrarmos.Eu procurava dedicar-lhe palavras bem aconchegantes e safadas, especialmente ao teclarmos pelo skype para que ela não esmorecesse de nos vermos, fazia o possível para que não espantasse a linda menina, mas mesmo assim, aos poucos ia aprofundando os conhecimentos de BDSM que lhe informava, não a chamando mais pelo nome de batismo e sim pelo nick de cadela que lhe nomeara, usando palavras firmes e autoritárias para fazê-la acostumar-se a ser servil por completo a mim, meu desejo era adestrar minha linda jóia a ser, com o tempo, a escrava mais próxima do ideal que já esteve sobre minha proteção e guarda, e sei que assim conseguirei desde que investindo em seu aprendizado.Ela procurou e veio a escolher um motel temático de BDSM pela net, de nome Belle, na Rodovia Raposo Tavares, Butantã – São Paulo/SP. Telefonou, fez as reservas e, por sorte deu tudo certo para o dia que previamente selecionamos, segundo as fotos no site era simplesmente divino as instalações do motel, uma das suítes contava com ornamentação e detalhes sado, inclusive com uma cruz em “X” em suas dependências, uauauuuuuuu. Conforme combinamos, fui buscá-la no local escolhido como seguro e, devo dizer que ela estava com roupas bem pesadas, como da primeira vez que a vi. Indaguei o porquê e, segundo ela a indumentária era necessária para não despertar suspeitas. No caminho ao motel Tatiana parecia uma criança quando vai se dirigindo a uma festa de tão alegre que se encontrasse, tirou o casaco que a cobria totalmente e estava excitada e veio o trajeto todo com a mão esquerda em minhas coxas e massageando-me bem gostoso e, volta e meia aproximando-se do meu membro que estava quase rasgando a calça de tão duro e, ela divertindo-se com a situação. Deixei-a bem à vontade para que colocasse para fora toda sua ansiedade, afinal era tudo novo a ela. E ela assim fez, abriu o zíper de minha calça e enfiou a mão dentro da minha cueca e divertia-se pegando no meu pau, punhetava-me com todo o carinho possível, de forma a prolongar o máximo possível do meu gozo, até que aconteceu e, surpreendentemente a safadinha, com um sorriso delicioso, lambeu todo o leitinho que jorrou em sua mão, não deixando nenhuma gota sem levá-la à boca.Quando entramos na garagem do apartamento no motel, após fechar o portão, já a mandei ficar seminua (apenas camiseta e anágua, sem lingerie alguma, tirando o restante das roupas e haja veste, rsrsrsrs), a doutrinei mais uma vez de como deve agir ao estar como cadela diante de mim, quando sozinha, ou seja, sem qualquer outra pessoa afora EU, sempre deverá ficar nua ou seminua, conforme minha ordem e a disposição a mim, seu DONO. O fato de ficar despida tem como símbolo demonstrar submissão e entrega, sem pudores ou rebeldia, sem qualquer tipo de negativa ao seu Senhor e como já esperava que assim fizesse, Tatiana obedeceu à ordem recebida, cabisbaixa e calada. Ao entrar na suíte, Tatiana se extasiou, nunca houvera entrado em qualquer motel e ainda mais um que foi de sua escolha, deixei-a admirando e verificando tudo que a alcova oferecia – o apartamento contava com dois ambientes muito bonitos, com espelhos e luzes que ajudavam a despertar a lascívia, uma varanda bem discreta e ainda uma enorme banheira de hidromassagem dupla jacuzzi na toilette. Para descontrair ainda mais minha escravinha coloquei uma musica extremamente sensual (a primeira a tocar foi “je taime moi non plus”- imaginem o clima criado), com a música suave ecoando no ambiente, tratei de abrir uma cerveja para relaxá-la, liguei a TV em canal de sexo erótico, Ela ficou surpresa e admirando, era sua primeira vez em ver um filme pornô em companhia de qualquer pessoa, até então apenas vira sacanagem pelo computador e sempre escondida para que o marido não a surpreendesse. O filme, por sinal era bem feito e gostoso, versava sobre uma colegial na sua primeira vez com um sessentão, que a levava a loucura provavelmente pela experiência de vida, e afirmo a vocês que um homem mais vivido e que seja inteligente sabe levar e dar prazer à fêmea, bem superior de quando em juventude. Tatiana estava deslumbrada com as cenas do filme. Logo após a deixei conhecendo as dependências do motel durante alguns instantes, esse momento era dela aproveitar e gravar em sua mente tudo que Eu estava lhe oportunizando.Peguei sua mão e a puxei sentando na cama, abracei, apertei seu corpo ao meu, dei-lhe um demorado beijo de língua, ela quase se desmanchou de tanto tesão em que encontrava-se, levantei a camiseta por sobre os ombros deixando a mostra o lindo par de seios que meus olhos não se cansavam de vê-los, apalpei-os, senti a pele macia dos mamilos rígidos, pareciam de uma adolescente, coloquei as mãos por baixo da saia, senti suas coxas, sua pele arrepiou, apalpei as nádegas, conforme passava as mãos constatava o frisson em que ela estava por todo corpo. Tatiana com os olhos cerrados nada dizia, apenas emanava sensações de prazer intenso, era tudo ainda muito novo a ela. Fiquei em pé, abracei e a beijei novamente, ela imóvel sentindo o que lhe oportunizara, grudei seu corpo ao meu, o cacete duro era sentido por ela a altura da boceta, nos esfregávamos. Tatiana estava linda, sentamos nos agarrando, estávamos tomados pela intensa atmosfera que se criou e atiro-a na cama, vou tirando minha roupa e fico apenas de cueca, o cacete saltou duro, a cabeça parecia um cogumelo depois toda minha atenção é para ela. Tiro suas sandálias e começo a beijar seus pés, dando atenção a cada dedo. Primeiro o pé direito, depois o esquerdo, acabei de arrancar a camiseta, a anágua. E assim que a peça de roupa descansa no chão do motel começo a beijar suas pernas, coxas. Sigo beijando sua barriga, e logo depois seu belo e tesudo par de seios, que eu chupo e lambo com vontade, chupo um enquanto brinco com minhas mãos no outro, apertando e brincando com o mamilo entre meus dedos.Depois de dedicar um bom tempo aos seus seios, não lhe dou sossego e continuo beijando-lhe novamente a boca e pescoço, em seguida a coloco deitada de bruços, é hora de beijar e lamber sua nuca, depois costas e bunda. Dedico um longo tempo a beijar e a dar leves mordidas na sua deliciosa bunda e, que bunda maravilhosa, enorme e gostosa, sem nenhuma celulite ou estrias. Continuo a beijar a parte de trás de suas pernas, ao mesmo tempo vou retirando a sua minúscula calcinha. Assim que ela está totalmente nua, volto a colocá-la deitada de barriga para cima e começo a beijar e lamber sua virilha e abro bem as suas pernas e passo a pontinha da língua na sua buceta, que a essa altura dava pra notar que estava molhadinha. Fico pincelando a língua nos lábios da bucetinha dela enquanto agarro com força nas suas coxas, Após alguns instantes a olhei firmemente nos olhos e perguntei a ela se era isso que queria realmente, e afirmei que só a aceitaria em sua nova situação de escrava por sua livre e espontânea vontade, sem EU apressá-la em nada. Ela apenas respondeu: quero pertencer ao Senhor: Dom Grisalho, eu vim hoje já sabendo de que quero ser sua cadela, escrava de meu DONO e MESTRE, é o que mais almejo é servir-lhe em todos os seus desejos, use-me como achar melhor, serei e sou sua para o que quiser.Diante de tão belas palavras, que me comoveram e convenceram-me de que Tatiana me será muito útil, ordenei então que declarasse sua submissão completa a mim da forma correta: ajoelhada e cabisbaixa, disse-lhe ainda que, após seu juramento não teria volta, que seria minha escrava para o que Eu pensar e desejar sem qualquer reclamação, rebeldia ou choro de sua parte. Ela fez o que determinei, repetiu mais uma vez que está totalmente submetida, que faria tudo que EU ordenasse. Continuando que falasse que seu corpo já não lhe pertencia, que seus lindos buraquinhos deveriam estar sempre prontos para receber meu pau e assim ela o fez, alegre por Eu aceitá-la. Em seqüência dentro de minha pasta de trabalho peguei uma coleir
a, dessas de cachorro, bonita e cheia de pequenos ornamentos, mandei-a segurar os cabelos e coloquei em seu pescoço. Informando-lhe que essa coleira representa um compromisso grave, uma relação de propriedade entre ela/cadela e escrava e, EU seu DONO E SENHOR. Saliento que a coleira assemelha-se ao conceito da aliança baunilha, com a diferença que somente a escrava usa a coleira, para mostrar a todos a quem pertence quando em sessão de nosso meio e, no meio comum a instruí a comprar e usar uma ou mais gargantilhas que seria sua coleira social, bem mais discreta que a de sessão. O uso destes símbolos (coleira, gargantilha ou afim) remete a lembrança constante do DONO e de que a Escrava que a porta a ele pertence. A partir de agora a escrava tem um novo nome como escrava/cadela, chamar-se-á tati_kdella, devendo esquecer por completo o nome de Tatiana quando se referir de qualquer modo a mim. – CONTINUA -.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.Ao ler este conto e desejar entrar em contato com dúvidas, informar-se sobre o BDSM e/ou receber outros relatos de minha autoria, entre em contact, ficarei satisfeito por poder mostrar-lhe meus trabalhos e, quem sabe sermos amigos.DOM GRISALHO                                

UMA FODA INESPERADA

Mesmo com a pandemia fomos convidados para comer um churrasco e tomar umas geladas na casa de um casal de amigos roberto e lise ,chegamos e tinha alem do casal mais um amigo do casal o Júlio , que veio de porto alegre para ver eles, assamos carne tomamos umas geladas de latão , e depois da janta sentamos todos juntos e conversamos sobre vários assuntos , nada sobre sexo pois o casal não é do meio , mas notei que o Júlio amigo do casal ficou interessado na minha putinha , que estava de calça jeans de lycra que molda sua bunda e as pernas, uma blusinha meia solta ,brincos de argolas grandes , batom vermelho e de botinha salto médio, cada vez que minha putinha levantava para ir ao banheiro dava para ver que ele não tirava os olhos dela , ela também percebeu , e voltando do banheiro arrumou a cadeira de uma maneira que ele não pudesse ver ela direito, olhei para ela e ela sorriu , pois viu que eu notei o que estava acontecendo, e mesmo nós sendo dessa religião como eu chamo , para a sociedade somos um casal que se ama e nada se faz de errado, e os amigos como eu disse nada sabem e não são do meio , tomamos mais uns dois latão e resolvemos ir para casa , e também por já estar tarde , qual foi a surpresa quando ao nos despedir Roberto pergunta se não damos carona para o Júlio até o hotel onde ele estava hospedado , na hora fiquei sem ter como dizer não pois Roberto sabe que íamos passar no centro da cidade , respondi que sim sem olhar para minha putinha pois eu achei que ela estava incomodada com a situação dele estar olhando para ela , mas tudo bem saímos para fora da casa e entramos na camionete , logo que saímos na avenida ele me pediu desculpa por estar dando trabalho em pedir a carona , claro fui gentil com ele disse que não era trabalho e nem problema , minha putinha estava quieta e então ele falou , você tem uma esposa muito bonita não pude deixar de reparar , eu a olhei e ela sorriu e agradeceu pelas palavras e se soltou um pouco mais , perguntou a ele no que trabalhava ele respondendo falou que era vendedor e que tinha se separado a pouco pois a esposa dele não queria que ele viajasse pois ficava longe de casa muito tempo e coisas assim , quando que de repente minha putinha me olha e fala nós podia fazer algo para ele já que esta sozinho a algum tempo, olhei para ela e sorri pois já sabia o que ela queria , então perguntei ao Júlio , quanto tempo esta sem mulher , ele meio assustado me disse já passa de um mês , então disse a ele que ele teria uma surpresa mas que não podia comentar com o Roberto , ele concordou e mudei o trajeto , indo parar na portaria de um motel , ele cada vez mais apavorado , entramos na suíte , ele meio assustado então disse relaxa e aproveita porque ela viu você comendo ela com os olhos, ela chegou perto dele e foi abraçando e beijando e passando as mãos no corpo dele que custou a entender o que ela queria , ela tirou a camisa dele ele a blusa dela ela soltou a cinta abriu o botão e o ziper se abaixou e puxou para baixo a calça e a cueca , deixando a mostra um saco grande e um belo de um cacete meio mole ainda , a cabeça meia avermelhada e grossa ,ela meteu o cacete na boca fazendo um vai e vem cadenciado e o cacete deu sinal de vida , ficando totalmente ereto , fiquei sabendo depois que tem 22 centímetros e bem grosso , ela subiu para a boca dele e ele tirava a calça dela , quando a viu de fio dental minúsculo seus olhos brilharam e caiu de boca beijando e passando a língua na bunda da minha putinha , ora abria a bunda e passava a língua no rego dela indo até sua buceta que já estava encharcada esperando o cacete dele , ele a virou de barriga para cima e meteu o pau sem dó na minha puta , no papai e mamãe , e se ela não pedisse acho que ele gozaria assim , ele sem experiencia alguma em foder com casada , então ela deitou ele e subiu para cima como ela gosta , meteu todo o cacetão dentro da buceta e rebolava para os lados e para cima e para baixo, deixando ele louco para gozar , el saiu dele e ficou na parede com a bunda arrebitada para trás ele foi e meteu na buceta por trás em pé na minha puta que gemia feito louca no pau dele , foderam um bom tempo com minha puta comandando a foda senão ela gozava , então ela foi para a cama e ficou de quatro com o peito na cama e a bunda toda para cima , oferecendo o cuzinho , pois ela adora um cacetão no rabo , ele lambeu ela e passou saliva no cuzinho , e fazendo o cabeção do pau ir sumindo no cu da puta , ela gemia mais alto e falava fode essa puta , mete todo esse cacete no meu rabo pro meu corno ver , ele deu uma estocada só e deixou só as bolas de fora , esperou um pouco e começou um vai e vem frenético , tirando quase todo o pau para fora do cu e metendo todo de volta para dentro , ela delirava e gozava feito louca , virava os olhos de tesão, eles ficaram assim mais uns quinze minutos e então ela saiu dele indo um pouco mais para frente da cama e pediu para ele por na buceta dela , e então ele começou a socar cada vez mais forte , estalava os ovos dele na bunda dela , então anunciou que ia gozar , ela pediu aos gritos para ele encher ela de leite , e eles ficaram igual cachorro e cadela , os dois entalados , ele urrando gozando junto com ela , ficaram assim uns minutos e caíram um de cada lado da cama , cansados , a buceta da minha puta escorria grande quantidade de leite para fora , depois de se recomporem ela foi ao banho , depois ele , saímos do motel com ela no banco de trás com ele e assim que pegamos a BR ela começou a chupar o pau dele flácido que foi ficando duro e antes de chegar no hotel ele gozou novamente na boca dela , se ajeitaram e ela pulou para o banco da frente comigo e voltamos para casa , em casa chupei e meti nela cheio de tesão como sempre , quem lê meus contos sabe que minha puta adora paus grandes , paus que a preencham toda , paus que ela sinta os lábios da buceta se agarrarem no pau , assim ela goza uma vez atrás de outra, o cara nunca mais nós vimos pois não ficamos com contado .

Fiz ela gozar como nunca tinha feito – ejaculou na minha boca

e aí pessoal,tudo bem? tenho alguns contos aqui onde falo da minha esposa. Ela é linda, gostosa, morena, belos peitos dos bicos bem durinhos, bundinha redondinha, 1,69m, e um belo capô de bussa. Por tudo isso é muito cobiçada e muito safada também. Já aprontou muitas e eu fui deixando. Mas não largo o osso (rsrs) porque a mulher é foda demais.Ontem, 2/5, após completarmos mais de 20 anos casados e as coisas parecem que não vão mudar e nada de novo vai acontecer. Fica tudo aquele marasmo, meio morno na maior parte das vezes. Estávamos em casa, à tarde, sozinhos. Tomei banho e fiquei nu andando pela casa para provocar. Deitei no sofá e coloquei um vídeo pornô.Ela viu e percebeu o que eu queria. Tomou banho e me chamou para o quarto.Subimos e começamos aquela trepada gostosa, ela por cima, cavalgando lindamente e aqueles peitões balançando e eu mamando gostoso. Ela goza muito, a todo momento, e agora está com a mania de dar umas gozadas tão fortes que aperta meu pau, parece uma chave de buceta, mas não é, ela mesmo falou que é tesão, é gozada.Fui por cima e meti forte como ela pede, ela gosta de sexo com força, que enfie até as bolas bater no cuzinho e ela me diz quando isso acontece, e deu mais algumas gozadas, e fomos para a posição que ela mais gosta, de quatro.Meti muito, rápido, aquele rabão apanhando com belas palmadas e ela gosta. A cada gozadas eu ia no cuzinho dela e lambia gostoso enquanto a buceta vibrava de tesão, eu sentia o cuzinho piscando na gozada, e voltava a meter com força. Ela saiu do meu pau e virou para mamar, mama muito gostoso e quase gozei.E ela pedia pra meter mais. Ficou na beirada da cama e arreganhou as pernas, enfiei tudo e ela deu aquele gemido alto que sentiu minha rola ir até o final. Meti forte e rápido e foram mais algumas gozadas. Ela gozou tanto e tão forte que ficou mole, não reagia mais, respirando fundo e largada na cama.Com isso eu parei e meu pau amoleceu e a deixei na cama, descansando. Desci e tomei outro banho, estava lavado em suor. Deitei no sofá pelado e ela aparece, dizendo que estava mole das pernas e não conseguiu mais continuar. Mas queria que eu gozasse nela.Joguei as almofadas no sofá no chão, mandei ela deitar e abrir bem as pernas. Ela segurou os pés lá no alto com as mãos e pediu: mete. Meti forte, com força, ela gozava e eu não parava, sentia a buceta dela apertando meu pau e ela gemendo, gritando, e eu louco, como um animal, vendo tudo aquilo na minha rola e pedindo mais. Há muito tempo não metia assim.Ela pedia: mete na tua puta, seu fdp, corno, vai mete… e eu metia com força, com raiva, sentia que cada gozada dela. De repente parei e desci até sua buceta, comecei a chupar e acariciar sua buceta com os dedos também. Ela se contorcia e pedia para não parar. Chupei gostoso e ela gozou, mas antes de acabar de gozar pediu para que eu continuasse. Aí aocnteceu a grande magia: eu apenas tocava o grelo dela com a ponta da língua, rápido, sem parar, e o dedo acariciando a buceta dela por dentro. Ela olho pra mim e pediu pra fazer só com a língua e começou a urrar, como um animal. Eu deitado, lambendo aquele grelinho, e olhando aquele corpo delicioso e ela trancando os dentes e urrando, gemendo alto, senti que ela ia gozar forte, e de repente senti aquele jato de gozo na minha boca. Aquele líquido quente, gostoso, engoli a metade, e ela gozou fortíssimo, nunca vi assim. De repente apenas largou as pernas e abriu os braços, parecendo estar desmaiada.A almofada completamente molhada e fiz ela dar a primeira ejaculada na minha boca. Foi incrível. Ela permaneceu no chão por 10 minutos, mole, sem reagir. Eu não gozei nessa trepada, mas ao vê-la gozar dessa forma e ejacular, fiquei encantado. Como pode, depois de tanto tempo, uma mulher linda e maravilhosa dessa fazer isso. Achava que ejaculação de mulher era só em filme pornô, mas não, se ela tiver muito a fim e vc souber fazer direitinho, ela goza mesmo.Eu só espero conseguir fazer isso mais vezes, mas ela tá metendo muito bem, graças à uns estímulos que dou e porque me esforço muito pra ver o prazer dela. Vejam as fotos dela que vale à pena o esforço, ela é muito gostosa. Posso até não gozar, mas vê-la gozar assim é demais, é incrível.

Comi minha vizinha

Comi minha vizinhaGosto muito de contos erótico e resolvi escrever uma de minhas aventuras. Meu nome é Edu (fictício) e tenho 34 anos, 1,78m., olhos verdes, cabelos castanhos e pele clara, sou casado há 7 anos. Tenho uma relação legal com minha mulher, mas o sexo começo a ficar rotineiro, e como falam chegou à crise dos 7 anos e eu estava louco pra pular a cerca. Esta transa se passou há alguns meses atrás com minha vizinha, Dóroti, uma morena, cabelos pretos encaracolados, uma bundinha redondinha maravilhosa e peitos pequenos, um corpo bem malhado. Ela dividia o apto com uma outra garota que eu já tinha uma amizade de algum tempo. Meu caso com Dóroti começo quando eu ia trabalhar e lá estava ela toda gostosa esperando o ônibus para ir ao trabalho. Certo dia tomei coragem e lhe ofereci uma carona, era um dia chuvoso e ela meio relutante aceitou. Ao caminho do trabalho conversamos muito sobre música, estudos, amizades e falou de seu namorado que morava em outra cidade. Fiquei um pouco decepcionado de momento, mas senti que a relação dos dois não estava legal. Depois desse dia ela pegava carona comigo quase todos os dias, o papo começou a ficar picante, então ela revelou que a relação com o namorado realmente não estava legal, e que ele só queria transar com ela e depois da transa deitava para o lado e dormia, além disso não fazia nada diferente apenas o papai-mamãe, isso foi a deixa que eu precisava, comecei a interrogá-la sobre a relação e ela começo a se abrir e falar de suas fantasias que o namorado não realizava. Chegando perto do trabalho dela ela me convida para ouvir música em seu apto e que sua amiga não estaria em casa. Parece que tudo estava conspirando a meu favor, pois minha mulher tinha ido para seu curso de especialização que ela faz todo mês em Porto Alegre e ficaria lá 03 dias. Fiquei o dia inteiro imaginando aquela morena gostosa peladinha, não me concentrei no trabalho o dia todo. Cheguei em casa a noite e percebi que ela não estava em casa, tomei um banho, coloquei uma bermuda e fiquei sem camisa, pois a noite estava quente, coloquei uma música e me servi uma dose de whiski, passou-se uma hora e já havia tomado mais duas dose, já estava um pouco algo, foi quando escutei o barulho da porta do apto da vizinha se abrir. Dei um tempo e bati a campainha de seu apto, ela abre a porta e me deparo com ela enrolada na toalha, os cabelos molhados e muito cheirosa, isso me deixou doido de vontade de puxar aquela toalha e vê-la peladinha. Contive-me e disse:-        Desculpa, se vc quiser volto mais tarde. Ela meio sem jeito disse que estava tudo bem e pediu que eu entrasse e fosse vendo os seus CD’s enquanto se trocava. Voltou com um short minúsculo aparecendo a papadinha da bunda e um camiseta que marcava o bico de seus seios. Ela percebeu que eu já havia bebido e me ofereceu mais um drinque, aceitei na hora. Ficamos ouvindo música por algum tempo, quando ela trouxe algumas fotos para mostrar e sentou do meu lado, passou um tempo e eu sentindo aquele cheirinho gostoso comecei a ficar de pau duro e ela percebeu e pediu se estava tudo bem, pois eu comecei a ficar meio desconfortável, pois até aquele momento ela não tinha me dado nenhuma abertura. Então falei que ela estava me deixando daquele jeito, para minha surpresa ela começou a alisar minhas pernas e em pouco tempo estava alisando meu pau. Abriu minha bermuda e tirou para fora em ficou impressionada – Que pauzão, que cabeçudão! E começou a bater uma punheta maravilhosa, eu estava quase gozando e ela parou com uma cara de desesperada e pediu que eu fosse embora, pois não podia fazer aquilo com o namorado dela. Fiquei muito puto, mas como não podia fazer nenhum escândalo por causa da vizinhança, saí e tive que tomar um banho frio para baixar os ânimos. Decidi que iria comer aquela gostosa de qualquer jeito. No outro dia fui trabalhar pensando no que tinha acontecido, e fiquei impressionado quando recebo uma mensagem da morena em meu celular dizendo: – Desculpa por ontem……te compenso hoje. À noite quando vou abrir a porta do meu Apto ela abre a porta e diz – Estou te esperando. Tomo um banho rapidamente e vou até o apto dela, e quando ela abre a porta percebo em sua cara que ela estava doida para terminar o que tinha começado na noite anterior. Entro e ela já me puxa para seu quarto e começa a me beijar e alisar meu cacete que já estava a ponto de bala, tira minha camisa e vai beijando meu corpo, dizendo que não tirou o cabeçudão da cabeça a noite inteira e que hoje ela iria se deliciar. Abaixa minha bermuda e começa um boquete maravilhoso, chupa a cabeça do cacete, e depois engole até o talo dos 18cm e fica neste vai e vem por uns 10 minutos. Começo a tirar sua roupa e caio de boca em seu peitinhos, e ela começa a murmurar um monte de safadeza, – Chupa os peitinhos da tua vizinha gostosa! – Faz comigo o que o corno do meu namorado não faz! – Hoje, vou ser tua putinha e vou te der minha bucetinha quando você quiser! Desci até a bucetinha e tirei sua bermuda e a calcinha, e fui dando um banho de língua. Que bucetinha cheirosa e com os pentelhos bem cortados. Enquanto chupava seu grelinho enfiei um dedo na bucetinha, depois outro e fiz um movimento de vai e vem que a deixou louca…..- Come tua vizinha puta. – Eu estava louca pra te dar minha bucetinha. Tirei meus dedos de sua buceta e dei para ela sugar todo o seu caldinho, e que ela aceitou prontamente. – Agora e quero que você me coma, enfia este cabeçudão todo na minha bucetinha. Prontamente atendi seu pedido, lambuzei a cabeçona e enterrei tudo de uma vez, ela deu um berro..- Arrebenta toda a tua vizinha, seu puto, enfia todo este caralho dentro da minha buceta, me alarga toda. Depois comecei um movimento de vai e vem por uns 20 minutos e acabamos em um orgasmo simultâneo. Tomamos um banho juntos, onde ela já começou um boquete novamente, depois virou de costas e empinou a bunda, não agüentei e cai de boca naquela bundinha, comecei a passar a língua em seu cuzinho, e ela reclamou e disse que ali não e que era virgem. Levei-a pra cama e disse que seria cuidadoso e que ela iria adorar. Coloquei ela de quatro com a bundinha empinada e comecei dando um banho de língua naquele cuzinho, ela rebolava a cada passada de língua, comecei massageando o anelzinho e fui introduzindo um dedo e fazendo um vai e vem até ela começar a pediar para comer logo, pois estava adorando. Coloquei a cabeçona na entrada do anelzinho e fui forçando com coidado, ela começou a reclamar que estava doendo e que não iria entrar, pedi pra ela esgaçar bem e ficar calma, dei mais uma forçada e entrou a cabeçona, fui fazendo um movimento de vai e vem e a cada pouco introduzia mais um pouco, até o saco estar batendo em sua bucetinha. Ela começou a berrar dizendo que era uma delícia – Ai que bom, que pau gostoso, nunca levei no cu e já estou adorando. – Fode a tua vizinha, tira as pregas do meu cu. – Fode gostoso que este cuzinho é só teu, ai que macho gostoso. – Como você sabe me fazer de cadelinha. Ela pediu que quando fosse gozar ela queria tomar todo meu leite. Comecei a bombar freneticamente e tirei do seu cuzinho e levei até a sua boca e começou a fazer um boquete e inundei a sua boca de porra e ela não deixou escapar nenhuma gota. Deitamos e dormimos por um tempo. Me vesti e fui para o meu apto. Nos encontramos algumas vezes depois mas não conseguimos fazer nenhuma sacanagem ainda.Moro em Florianópolis e se alguém quiser trocar email´s ou fazer algum contato é só mandar suas histórias.                                

MEU MESTRE É O MESTRE DOS MESTRES!

.I, sou angela do Pará conforme relatei nos contos anteriores sou casada, fui miss verão,e agora tenho um mestre só pra mim.a abertura do envelope. Conforme relatei meu mestre deu um envelope de instruções para mim. eu estava ansiosa para ler e ele percebeu isso, porém continuo falando por um longo tempo com o meu marido sobre amenidades, fiz menção varias de sair para fazer alguma coisa, e ele percebendo minha angustia dizia assim. Pô zé (meu marido) parece que a sua esposa não gostou nada de mim, vim de Campinas aqui e ela nem quer falar um pouquinho comigo. já estava agastada, porém esperei impscientemente. E meu marido inocentemente dizia: não repara é que desde aquele assalto ela tem se comportado tão mal e tá tão deprimida. e meu mestre ria, e dizia na verdade seu zé ela tá é precisando de um tratamento, deixa ela se distrair sair um pouco, ela amuada ai dentro de casa. meu marido disse: é eu fala prá ela se distrai um pouco sai um pouquinho etc.etc. Falei assim. tá bom zé eu vou seguir se conselho agora me dá licença que eu tô ocupada e sai. entrei no banheiro e começei a ler as instruções. 1° se depile inteira – 2°vá de saia a mesma do ônibus e vá sem calcinha – leve gelo e uma bebida e copos – compre prendedores plásticos novos   –   traga vela e fósforo e um pires, tem dinheiro no envelope para comprar um vinho de boa qualidade. ´traga uma caneta. me encontre em tal lugar se vc. se atrasar vou embora. 0lhei o relógio e percebi que estava atrasada. abri o chuveiro e comecei a me depilar rapidamente e providenciei os itens da lista. consegui chegar faltando um minuto e vi que ele olhava no relógio, onde eu estava eu conseguia velo e ele não me via, derepente e entrou na camioneta deu partida e começou a ir embora, eu tive que correr até o outro lado onde a camionete teria que passar e consegui por um triz gritar e ele me ouviu. Ele desceu da camionete bravo e dando-me um tapa na cara disse assim: sua puta nunca mais ouse se atrasar, eu tentei explicar que falta ainda um minuto e ele ficou conversando etc. ele me lascou outro tapa e disse, eu não quero desculpa nunca mais se atrase. Entrei na camionete perplexa e excitada,aquele homen não tinha nenhum medo de me perder apesar de sentir o quanto me desejava e essa segurança me fez minar nas coxas, ele deu a partida novamente e imediatamente levantou a minha sai, pensei que iamos longe, porém ele me levou até um celeiro a uns 20 Kms de casa chegando lá, abriu a porta da caçamba da camionete e mandou eu descarregar a carga, tinh arreio, cordas, dois sacos de feijão, sentou numa cadeira e ficou esperando, qdo passei por ele, ele mandou eu tirar a roupa e fazer o serviço pelada, começei a perguntar se não tinha perigo de alguém me ver etc.etc. foi quando ele pegou-me no colo arrancou a minha roupa com estupidez e me deu uma sova de mão na minha bunda, uns 20 tapas bem dado, eu quase desmaiei de dor. Ele olho no meus olhos e disse\\\\\\; vou ser bem claro sua vagabunda, quando eu disser a vc. prá fazer alguma coisa,faça imediatamente, enetendeu? eu disse sim. levei um outro tapa na cara. Ele disse, daqui prá frente é sim Senhor meu mestre. entendeu?sim. levei outro tapa, como sou burra, estava tentando me adaptar era dificil, já não me aguentava de excitação.descarreguei a carga e ele falou. qdo terminar uma tarefa.abaixe a cabeça e fique na minha frente esperando a minha ordem. entendeu?sim, ele olhou com raiva e eu já completei, sim senhor meu mestre. ele sorriu e me afagou, me senti uma cachorrinha, estava super excitada pois não sabia o que me aguardava, Ele me deu instrução para eu deitar na porta do rancho. Eu não sabia porque, porém rapidamente me deitei lá. Ele estava vestindo uma bota tipo vaqueiro e eu fiquei aguardando, ai ele passeu um pouco pelo pátio, passou com a sua bota num poça de lágua e com os pés, bem sujo começou a limpar a sua bota no meu corpo, passava as botas na minhas cotas pernas e bunda, me sujando toda, subiu em minha bunda, Ele é um pouco pesado, barriga de chope, 43 anos branco e lindo de rosto. entrou e me levantei, ele voltou e disse: quem te ordem para levantar? outro tapa e fiquei estirada no chão, Ele sentou numa cadeira e começou a ler um jornal e eu lá. estava desamarrada, livre, porém a voz daquele homen, ele não gritava nem subia o tom, mais eram suas ordens mais fortes que as mais grossas corrente do mundo. comecei a vê-lo ali tranquilo rindo de alguma noticia parecia nem notar a minha presença ali. jogada como um saco de batata. nisso todo o meu instinto de fêmea se aflorou e eu me esfreguei como uma cobra naquela poeira do chão e gozei freneticamente, me desculpem as feministas mais o que uma mulher gosta e de um homen que a domine. Ele percebeu minha atitude e meu chamou sem olhar para mim. vem rastejando até aqui determinou. eu fui como uma cachorra obediente. Ele disse – fique aqui como um puff pois preciso descansar as minhas pernas. pensei desgraçado. descarreguei toda a carga, só os sacos de feijões pesavam uns 50 quilos e ele quer descançar as pernas. então eu disse. Sim senhor meu mestre. depois de uns 15 minutos, ele acendeu um cigarro (ele não fuma) e mandava estender a minha mão em forma de concha para fazer minhas mãos de cinzeiro e depois de uma cuspida na minha mão dalando que odiava quem fuma. então mandou eu trazer o vinho e o gelo, que já estava bem derretido e eu trouxe rapidamente, ele me mandou ficar de 4 e colocou o copo frio no meu dorso ele abriu um pacotinho de salgadinhos colocou no pires e fez de mim a sua mesa, Eu toda suja, reparei que ele olho fundo na minha bucetinha que estava toda molhada, não dá prá descrever como é gostoso ser humilhada, eu estava suja de lama, todos os homens babavam por mim, e este era meu dono eu estou completamente dominada por ele, louco para dar. tudo,tudo mesmo é tesão puro. o silêncio dele a definição clara de papeis, que manda e quem se submete, a alegria de eu sofrer para ele ter prazer me deixa extasiada de tesão.Ele tomou calmamente seu vinho e então mandou guardar o copo e a garrafa e trazer uma colheira de cachorro com enforcador. Peguei o objeto que estava na carga e trouxe a ele de 4.Ele me afagou e mandou eu balançar o rabo. pois a colheira em mim, me deu um novo nome e disse que ia me lavar daquela sujeira de lama. fiquei contente, fomos até uma banheiro bem sujo. ele me mandou limpar e disse que volta logo e para eu espera-lo na posição de cachorra. depois de uns 10 minutos ele voltou e disse que ia me lavar, tirou seu pinto pra fora. nunca tinha visto antes o seu pinto, era como pensei, tamanho médio bem rosinha e limpinho. e ele ma mandou virar e pegou uma escova de lavar roupa e começou a mijar em mim e esfregar com a escova, mijou na minha cara, na minha bunda, no rego que gostoso, aquele mijo lavou os anos de sexo ruim e sem graça que eu tive com meu merido corno.depois ele me lavou com um banho de verdade e me fez um carinho. como era gostoso essa mistura de insensatez,dor,humilhação e carinho Esse é o cara esse sabe tudo de mulher! colocou então encima dois dois sacos de feijões de costa e acendeu a vela e começou a olhar meu corpo centimetro por centimetro e fazia marcas com a caneta em diversar regioes do corpo(o local era um pouco escuro e ele usa óculos), ai ele disse, vc é uma escrava negrigente e estupida. Eu te falei para se depilar bem e isso é depilação que vc. se apresente? para cada região que estou marcando vc. vai receber uma punição. e riscava e riscava (nem podia imaginar como pagaria aquele vacilo que eu fiz)Ele disse. vc percebe que vc sofre porque é preguiçosa e prefere apanhar do que me obedecer? eu disse, sem meu senhor? vc merece apanhar? sim meu amo e mestre, me espanque como quiser, faça o que quiser comigo, minha vida está em tuas mãos e eu confio no senhor. Ele entao começou a enfiar o dedo no meu cú, carinhosamente e ele foi dilatanto, derepente ele enfiou a vela contudo no meu rabo, que delicia!!!!! meu cú virou um porta vela e eu achando que aqui
lo é que era a tortura, ai ele pegou o fósforo e acendeu novamente a vela, então fiquei com medo, de ele me marcar com fogo pra sempre (meu mestre jamais faz nada que eu não possa suportar ou que deixe rastro do nosso amor)mas naquela época eu não sabia. então a medida em que ele ia me recrimando pelo meu mau comportamento a cera ia escorrendo e iA QUEIMANDO ns minhs bunda, a vela era longa e eu comecei a gritar de dor e ele começou a enfiar o dedo na minha buceta e eu começei a gritar de dor e tesão, quanto mais eu mexia de tesão mais sera quente caia no corpo e eu já podia mais distinguir o que sentia dor ou tesão_tesão ou dor, só sei que tive orgamos multiplos, orgamos que eu nem sabia que existia numa mulher. já era do almoço, trouxe uma surpresa gostosa para ele comer(sou excepicional cozinheira) na hora do almoço foi assim, conversamos com dois bons amigos, eu estava liberada para falar com ele como amiga, ele é meu papai, posso falar de tudo com ele, na hora do almoço eu recebi seu primeiro beijo; sentei no seu colo como uma memninha. Ele me contou segredos e eu os meus para ele, Ele não é um mestre como muitos que vejo na internet, homens rudes e que expõe suas escravas a constrangimento desnecessários. Ele prefere escravas casadas, não pede que elas exponham a sua vida a ninguém. Ele é um homen que pode ter qualquer mulher e eu me sinto privilegiada de te-lo ao meu lado e ele merece uma mulher bonita como. Ele é poligrota e viajado, porém sabe conversar com uma mulher,humildemente fazendo ela se sentir a mulher mais inteligente do mundo. Ele é um mágico. vou continuar narrando mais um pouco do que fez comigo na tarde desse dia

contos eróticos de incesto com fotosfudendo com animaisfudeu a empregadasexo gay com indiocontosporcategoriacomi a amiga da minha esposacomer a irmãcorno e safadatia gostosonaegua piscando a bucetasuruba na lua de melgostosa casada safadadando pro cavalo gaycasa dos contos eroticogozou dentro da minha esposaprimeiro anal da loirinhatransei com minha irmaminha mulher pra outroconto erótico casafodendo a comadrecoroas a procura de novinhomassagem tantrica maceiocssa dos contos eroticosfotos de garoto de programao que significa sonhar com cunhadovadia dando pro cachorropaulinha ficso putinhabucetinha sobrinhatorando a cunhadaesposa adora dar o cusurubaacoroas gynpatrao safadocachorra safadacrente do cu quentecomendo a negra casadacomendo a minha mulhervarios homens chupando uma mulhermulher transando com dois cachorrosvelho roludominha cunhada dormindoultimos contos eroticos publicadosconto erótico últimodeitada no sofacasadoscontosgaycomendo a filha da minha mulhercontos eroticos sem imagensmeu cacetesexo oral com loiracorno tomando no cuesposa fazendo sexocagou no pau do namoradoa cabeça ficou louca só com aquele beijinho no canto da bocachupando a buceta debaixo da mesagostosa supermercadocasada transandocornos birelatos cornonegra deliciosacomo consertar alça de sutiãmamãe gostosascachorro gozou dentrogarotas da faculcasa dos conto eróticocasados contos.com.brsexo com a maninhacomendo o cu da vovósuruba com namoradacachorro comendo cu de mulherbanheiro de restaurantemadura com novinhodei viagra pro meu namoradofudendo a mamãeceraocomendo a esposa do pastorpastor everaldo peidoubunda gigantenamorada bimulheres casadas no cioa vida da gente capitulo 32cuzinho arrebentadotrai e me arrependi o que fazerrelatos eroticos por códigodeus de ebanowww casadoscontos.com.brlutador ejaculagoza no meu paumaldito o homem que confia