SURPRESAS!!!

Minha mulher – que usarei o nome fictício de Mara – e eu sempre tivemos uma relaçao muito aberta, e sempre tivemos muito claro a diferença entre sexo e amor. Toas nossas fantasias sempre foram discutidas e sempre que possível realizadas. Numa dessas ela disse que havia um caro no trabalho que era um tesao!! Um cara de uma filial da empresa, que pouco vinha a matriz – o que facilitava as coisas no que diz respeito a futuro envolvimento – e que estava muito a fim de trepar com ele. Não tive dúvida, falei para que ela armar e sair com o cara – que chamarei Roberto. Ocorre que ela gostaria que eu estivesse junto!! Sendo bem sincero, sempre aceitei as escapulidas da Mara. Eu também dava as minhas e afinal de contas o que os olhos não veem o coração na sente. Porém, agora era diferente. Eu teria que estar junto, ver e quem sabe participar!! Fiquei meio sem saber o que dizer e fiquei alguns dias pensando na ideia. Pensei em como seria? Que faria? Qual seria minha reaçao? No fim a ideia começou a me agradar. Li alguns relatos a respeito e o tesao começou a crescer!! Afinal, estava pronto para entregar minha mulher a outro cara!! Só impus uma condiçao, já queria participar de tudo!! Do começo ao fim!!! Acordo feito, maos a obra. Havia um encontro rotineiro do pessoal da empresa e como ela sabia que o Roberto estaria, apareci também e começamos. Sentados na mesma mesa, fomos apresentados e logo começou entre os três um papo muito agradável. Roberto era um homem muito bonito, com traços e jeitos rústicos mas muito másculos. Era alto, tipo 1.90m, corpo bonito, moreno e queimado do sol. No começo ficou meio sem graça da minha presença, imagino que gostaria de estar só com ela, mas logo quebrou-se o gelo. A Mara estava visivelmente excitada. Num vestidinho, de verao muito sensual, se podia sentir o cheiro a sexo, de femea no cio, que exalava. Como estava entre Roberto e eu, enquanto falava, deixava por vezes que ele visse seus peitos, suas coxas… Discretamente, enquanto falava, colocava a mao em sua perna apertando sensualmente. O ambiente já estava ficando bem quente e excitante e o chamei para que fossemos em casa. Podiamos jantar e continuar o papo que estava muito agradável. Já no carro, eu a deixei dirigir e fui. Ela continuava se insinuando e do banco de tras comecei a acaricia-la e beija-la enquanto dirigia. Já se podia notar o pau do Roberto, que se fazia saliente sobre a calça. Num momento, parados en um semáforo, enquanto eu a beijava ela acariciou a perna de Roberto declarando definitivamente nossas intençoes. Então, começamos um papo mais sensual preparando Roberto para a noitada!! Já em casa, estávamos muito descontraídos e intimos. Falavamos e riamos muito, sentados no tapete da sala. Num momento de silencio, tomei a Mara nos braços e comecei a beija-la e acaricia-la até que quando busquei seu seio, encontrei a mao de Roberto. Olhei e ele estava meio sem saber o que fazer, havia acariciado o peito de Mara por instinto e queria voltar atrás. Não sabia qual seria minha reaçao. Eu estava sentindo algo insólito. Um mixto de ciúmes, tesao, raiva, desejo e curiosidade!! Creio que se Mara tocasse meu pau, gozaria!!! Para quebrar o gelo do momento, levemente levei a cabeca de Mara, que ainda tinha nas maos proximo a Roberto. Rapidamente ela percebeu e o agarrou para um longo beijo! Enquanto isso, eu comecei a beijar-lhe o pescoço, acariciar-lhe o seio, a bunda, desabotoando o vestido, logo a deixei só de calcinha e finalmente em pelo. Eles ainda contiuavam se beijando. Quando quis começar a despir-me, ela não deixou, e começou a tirar nossa roupa. Uma peça de cada um, sem pressa e sempre som muitos carinhos juntos. Ao ver Roberto nú entendi porque ela queria tanto dar para ele. Posso te dizer que ele era quase anormal!! Não evia ter mais de 19cm mas tinha pelo menos uns 7 cm de diametro. Nesse momento senti ciumes, vergonha, diminuído, enfim, estava em posiçao inferior!!! Que cacete lindo!!! Mara foi muito habil, imediatamente me beijou e falou no meu ouvido que eu era o maior!!! Que isto tudo era só sexo, no final ficaria só comigo e começou a gemer, e não flava mais… Roberto a estava chupando, e acariciando por tras. Ela começou a me chupar também. Estava para explodir e o Roberto também!! A situaçao era demais!! A Mara nos colocou juntos e começou a chupar-nos alternadamente. Rapidamente Roberto começou a gozar na cara dela. Não aguentei e gozei junto!! Ela aproveitou tudo, claro!! O gozo, nos acalmou um pouco. Mara se deitou no tapete e disse que não faria nada mais. O trabalho dela tinha terminado. Que agora era conosco!!! Não tivemos dúvida!!! Chupavamos seus peitos um cada um. Acariciavamos a xoxota e o cuzinho. Ela já estava no ponto!!! Então foi o teste de ferro. A coloquei de quatro, abri bem suas pernas e peguei no pau do Roberto, trazendo-o bem de vagar até sua xoxota!!! Ela estava gemendo e se mexia com tesao, sem nem entrar. Coloquei na portinha, soltei e Roberto colocou de uma só vez. Ela gritou como se a estivessem machucando. Até ele se assustou, ameaçou de tirar e ela gritou que se tirasse o mataria, para que começasse a foder!!! Ele começou um vai e vem vigoroso, cadenciado. Ela gemia muito, me apertava o braço, comecei a chupar-lhe os peitos ela mandou que os mordesse. Roberto a segurava pelos cabelos da nuca a trazia. A cena estava muito erótica. Eu nunca a tinha visto tao puta, tao tarada. Dei-lhe meu pau para chuapar e ela o sugava com tanta força que as vezes doia. Não demorou muito para que ambos gozassem. Ela urrava, rebolava e ele já quase sem forças se soltou no tapete. Eu vendo tudo e ela me chupando gozei de novo. Ficamos os três deitados por um instante recuperando energia. Não precisou muito tempo para começarmos de novo. Uma caricia aquí, outra ali, e já estávamos loucos de novo, desta vez, ela foi por cima dele, sentou em seu cacete e começou a cavalgar. Eu fui por tras e comecei a roçar seu cu. Ela deu um jeitinho e colocou meu pau para dentro, ficando então comigo en seu cú e Roberto em sua xoxota. Cavalgou um pouco mais e gozou!!! Nós nem tivemos tempo de fazer nada!! Aí ficamos os dois com um puta tesao e ela queria descanso. Mandou que nos acariciassemos!! Eu tomei como brincadeira e fui por cima dela, procurando seus peitos e sua bureta, que já estava cheia de porra minha e dele! Ela se abriu, toda me colocou entre suas pernas e entrei em sua xoxota com uma facilidade incrível. Também, depois de receber o do Roberto o meu não passava de um dedo!! Enquanto a fodia, ela passou as pernas por tras de minhas costas, se pendurando em mim e expondo toda sua bunda por baixo de nós. Roberto veio por tras e a chupava o cú. Senti sua cabeça por tras e não me sentia a vontade, afinal estava de quatro um tanto exposto. Tentei trocar de posiçao e ela não deixou, estava muito bom assim. Ao tentar de novo ela percebeu o que acontecia e me susurrou no ouvido, para relaxar que seria algo inexquecível!!! Não entendi, até que senti ela puxando o Roberto por cima de nós. Na verdade por cima de mim!!! Tentei sair e dizer que não topava, mas ela tapou minha boca com um beijo, segurando minha cabeça e ainda com as pernas cruzadas em minhas costas. Fiquei sem forma de sair e senti aquela anomalia do Roberto rondando meu cú! Estava assustado!! Nunca tinha dado antes, não fazia meu gosto. E sabia que para a bureta dela havia doido e muito, imagino no meu cú!! Virgem!! Roberto, lambuzou com porra e saliva que sobrava em Mara e começou a forçar. Eu me desvencilhei e disse que não!! Não estava a fim!! Ela me pediu, com jeitinho e com um olhar de cumplicidade, prometeu o que eu quizesse em troca. Ela sabia que o meu grande tesao era minha cunhadinha. A única fantasia que ela não permitia. Em troca da cunhadina?!?!? Só pedi para que fosse de uma vez. Como retirar esparadrapo de machucado!! Ela voltou a me susurrar no meu ouvido para relaxar, que me amava, que ir….Gritei feio um louco, urrei, tentei sair! Ele me segurou pela cintura e ameaçou que se escapasse iria colocar de novo!
! A Mara voltou a me agarrar, colocou meu pau de volta em sua bureta, e pediu para fode-la!! Com força!!! Fazer vai e vem bem forte!!! Eu não podia, tinha um mastro no meu rabo me rasgando. Comecei bem devagar, fui relaxando e começou a ficar gostoso!! Rapidinho já estava muito gostoso, era uma sensaçao indescritivel. Entendi porque a Mara havia gemido tanto e havia pedido tanta violencia quando ele a comeu. Aquela posiçao, aquela dor, te faz senir tao possuido que tudo que você quer é continuar assim, ser cada vez mais dominado!! O Roberto já estava me fodendo com gosto e mais uma vez gozamos quase juntos. Desta vez fiquei largado. Estava todo mole. Meu cú ardia muito!!! Os dois estavam ao meu lado também deitados e descançando. De onde eu estava podia veu bem de frente, a bureta da Mara que estava cheia de porra. Não havia levantado nenhuma vez, desde que começamos. Já havia como três ou quatro gozadas ali. Escorria um pouco, e levei a mao para impedir. A Mara, que me conhecia bem, disse que havia guardado para mim! Puxou minha cabeça e me deixou chupa-la. Eu sempre gostava de chupa-la depois de gozar. Mas era a primeira vez que fazia com porra de outro. Nunca a havia visto tao molhada. Enquanto a chupava ela já tinha o cacete do Roberto na boca, que já estava por cima dela. Não tive dúvida. O agarrei por tras. Também queria enraba-lo. Meio que por vingança, por tesao, sei-la!!! A Mara estava adorando. Se colocou de quatro, e quiz fazer um trenzinho. Eu brinquei dizendo para relaxar, que eu a amava e.. Também gritou muito e pediu para tirar!!! O Roberto nem a escutava. Enquanto a prendia pela cintura, se arrumava porque eu já estava abrindo sua bunda. Entrei sem muito esforço. Creio que já estava meio acostumado. Nos fodemos mais uma vez!!! E pela derradeira vez nos largamos no tapete. Desta vez para dormir um pouco e levar Roberto ao Hotel. Nos despedimos e na semana seguinteMara saiu da empresa. Para evitar futuros envolvimentos ou situaçoes embaraçosas. Nos dois ficamos com o cú dolorido por uns dias mas tivemos momentos inesquecíveis. A história com a minha cunhadinha??? Fica para outra vez…

A primeira vez que trai meu marido

Sou uma mulher casada. casei virgem, e nunca havia conhecido outro homem. meu marido varias vezes me perguntou se eu nao tinha curiosidade em transar com outro homem. eu respondia que nao, mas na verdade tinha, mas tambem ficava com medo. mas a oportunidade surgiu. varias vezes o gerente da minha agencia, trabalho em um banco, havia se insinuado para mim, mas eu fazia que nao entendia e ficava por isso. um dia ele me chamou e disse que ia me mandar fazer um curso em SP. o curso seria de uma semana e que seria muito importante para mim fazer o curso. falei pro meu marido que iria ter que viajar a SP para o tal curso. ele achou normal e eu tambem. mal sabia surpresa que me esperava. O curso seria dentro de duas semanas. eu viajaria no domingo a noite, pois segunda feira de manha começaria o curso. Viajei. chegeui em SP e fui para o hotel. dormi cedo para estar bem disposta na segunda feira.

A professora submissa – Capítulo 14

Este conto já foi publicado em outro site, não por mim, mas por outra pessoa, autora Jessica69, ela os apagou deixando o pessoal sem o conto e sem o final. Como este conto não teve final, eu providenciei a continuação, tentando ser a mais fiel possível a historia, espero que gostem. Outra pessoa publicou este conto em outra pagina de contos, como se fosse o autor, mas deixo claro que a autora foi a Jessica69, e eu Marina G fui a coautora, eu dei continuidade e fim ao conto.Conto de Jessica 69 e Marina GA professora submissa – Capítulo 14Logo cedo Lisa foi ao quintal casa, por volta das 07h30min da manhã, só para ver a professora, tremendo frio do lado de fora. Mariane estava encolhida de baixo da toalha que naturalmente, não era grande o bastante para oferecer-lhe conforto e muito menos proteção contra o frio.— Bom dia senhora C.Falou Lisa com um sorriso irônico no rosto. A professora com os olhos inchados de tanto chorar e amordaçada, não tinha como responder, ela estava nua, suja, com frio, com fome e com muita vontade de fazer xixi. Lisa tirou as algemas dos tornozelos da professora e ajudou a se levantar, depois segurando firme na trela da coleira, Lisa perguntava para sua cadela de estimação.— Você quer fazer xixi, antes de entrarmos, senhora C?Imediatamente a professora lembrou a humilhação do dia anterior, mas ela estava realmente precisando fazer xixi. Com a boca amordaçada, tentava dizer que sim, mas não conseguia, apenas balançou a cabeça afirmativamente ao mesmo tempo em que murmurava.— Huuumm huummm… Lisa retirou a mordaça-pênis da boca da professora e em seguida, repetia a pergunta.— Agora me responda minha querida cadela, você por acaso está com vontade de fazer xixi?A professora respondeu com a cabeça baixa.— Sim senhorita Simons, eu estou muito apertada, por favor, me deixa fazer xixi, eu imploro.— Muito bem, eu permito que você faça suas necessidades, aqui, mas seja rápida.A professora voltou a se agachar para fazer a sua necessidade tentando se equilibrar, sobre aqueles sapatos de 8 centímetros de salto, com os joelhos afastados e sua buceta boquiaberta, ela começava a fazer o seu xixi que fazia espuma no chão de tão cheia e apertada que estava. Lisa sorria e tirava belas fotos com o seu inseparável celular.A professora fazia xixi no quintal que pelo frio da manhã fumegava, mas e quando ela precisasse fazer cocô o que ela iria fazer? Será que Lisa iria a mandar fazer sujeira em seu próprio quintal? Depois que a professora terminou de fazer xixi daquela forma humilhante, ela foi levada para dentro da casa e conduzida ao banheiro. Lisa retirou as algemas da professora e também permitiu que ela tirasse os sapatos de salto.— Agora eu quero que você tome um belo banho senhora C e claro, não brinque com a sua buceta e nem pense em usar o vaso sanitário.Lisa prendeu a coleira da professora ao próprio chuveiro e deixou a professora lá, para se banhar com a água quente. Mariane estava exausta, ela não tinha conseguido dormir direito nas duas últimas noites, todos os músculos do seu corpo doíam, os seus pés estavam doloridos e muito inchados, além disso, tanto os bicos dos seios quanto o seu cuzinho, estavam doloridos por causa dos abusos do dia anterior.A professora Mariane deixava que a água quente massageasse todo o seu corpo, curtia aquele momento e fechava olhos fechados, a água que caía sobre o seu rosto escorria por todo o seu corpo, contornando todas as suas belas curvas, escorria pelos seios, ombros, costas, quadris, bunda, xoxota, lado interno e esterno das coxas, pernas e pés, até finalmente chegar ao chão e escorrer pelo ralo. Ela esfregou a sua pele rosada com uma buchinha e depois lavou os cabelos com shampoo, duas vezes.Depois de alguns minutos, Lisa entrou no banheiro, desprendeu a coleira da professora que estava presa ao chuveiro e levou a professora para o quarto, a professora estava molhada e pingando. Então Lisa entregou uma toalha para a professora.— Enxugue-se senhora C, depois quero que você arrume o cabelo e faça a sua maquiagem do jeito que eu gosto.Enquanto a professora se enxugava.— Tenho uma boa notícia para lhe dar senhora C, meus pais ligaram enquanto você estava no banho, disseram que estão ansiosos para conhecê-la pessoalmente, por isso, quero que você fique bem bonita, porque hoje vou leva-la para minha casa para conhecer os meus pais.Aquela notícia pegou a professora de surpresa, ficou preocupada, porque o pai de Lisa era por acaso o dono da revista para a qual ela tinha posado nua, embora isso já tivesse sido há muitos anos em outra cidade e para azar dela, ele veio morar na mesma cidade, ela sempre teve medo de ser reconhecida.— Ainda não decidi que roupas você vai usar, mas por enquanto arrume os cabelos e faça sua maquiagem, você tem 15 minutos para fazer isso, depois me encontre na cozinha.A professora fez conforme sua dona havia mandado, desceu as escadas e foi até a cozinha. Quando chegou à cozinha, Lisa estava comendo ovos fritos com café e torradas, Lisa olhou para a professora.— O seu café da manhã está logo ali no chão, minha querida cadela, fique de quatro e aproveite a sua refeição.A professora olhou para o chão e via uma pequena tigela com um pouco de ração de cachorro, molhada com leite. A professora completamente nua caiu de quatro no chão e começou a comer a ração de cachorro, não tinha escolha, a ultima refeição descente que ela teve foi na última sexta feira na escola, antes de se tornar escrava de Lisa Simons, agora a professora estava tão faminta que aquela ração de cachorro parecia ser deliciosa.Enquanto a professora na posição de quatro, comia a ração de cachorro que estava na tigela, Lisa ficava admirando o seu belo traseiro empinado. Quando a professora terminou de comer, Lisa ordenou que ela lavasse os pratos e depois fosse para a sala de estar. A professora lavou os pratos e foi para a sala de estar, chegando lá, Lisa entregou a ela o plug anal e um tubo de lubrificante.— Agora, senhora C, enfie esse plug de volta no lugar que pertence, ou seja, no seu cu.A professora humilhada pegou o plug e o lubrificante e já se dirigia ao banheiro.— Onde você pensa que vai, cadela? Por acaso eu dei permissão para sair da sala?— Estou indo ao banheiro colocar o plug senhorita Simons.— Você vai enfiar esse plug no seu rabo, aqui e agora, seja rápida, eu não temos o dia todo.A professora voltou para o meio da sala e abrindo o tubo de lubrificante, começou a passar lubrificante em todo o plug, ela também passou um pouco de lubrificante na entrada do seu cu. Enquanto passava lubrificante no plug e também no seu cu, a professora pensava.— “Só tinha uma única maneira de enfiar aquele plug em seu rabo, seria se agachando no chão e empurra-lo com força para dentro do meu cu”.E foi exatamente isso que ela fez. Enquanto se agachava e empurrava o plug para dentro de seu cu, Lisa observava tudo de perto e filmava.— Mais material para que você seja sempre obediente cadela. Agora olhe pra cá e de um sorriso natural. Disse Lisa. Não estava sendo tão difícil quanto da primeira vez, mas a entrada do plug em seu cuzinho ainda provocava muita dor, principalmente quando chegava à parte mais grossa do plug, sentia uma dor forte e aguda, até que passou para dentro, ficando apenas a base do plugue para fora do cu, uma vez que estava dentro, não tinha mais como sair sozinho.Então obedecendo a sua dona, Mariane deu um sorriso, forçando para que saísse o mais natural possível. Depois que o plug ficou bem preso no cuzinho da professora, Lisa ordenou que ela ficasse de joelhos no chão.— Bem senhora C, você sabe como nos fez aprender algumas regras da gramática e da escrita, impondo sua rígida e rigorosa disciplina escolar e quando alguns de nós não conseguíamos seguir as regras, você nos corrigia e em alguns casos até nos punia, isso é ou não é verdade? — Sim, senhorita Simons.Respondeu a professora e Lisa continuou falando.— Bem, foi pensando nisso que eu criei uma lista de regras para você. Se voc
ê não entender alguma coisa, você deve imediatamente perguntar. Não quero ver você interpretando nada a sua maneira. Entendeu cadela?— Sim, senhorita Simons.Lisa entregou para a professora uma lista de regras.— Agora leia isso em voz alta, senhora C, para termos certeza de que você entendeu, quero que você saiba também que as regras podem ser modificadas ou novas regras podem ser adicionadas de acordo com a minha vontade, agora leia.A professora de joelhos no chão e com as mãos tremendo, começou a ler a lista de regras.— Regras para minha cadela. 1 – Eu ficarei sempre nua, quando estiver sozinha dentro de casa, usarei apenas os sapatos de salto tamanho 34 e a coleira em meu pescoço. 2 – Quando não estiver sozinha em casa, usarei uma minissaia e um top ou um vestido bem curto, escolhido por minha dona ou já predeterminado. 3 – Eu sempre vou arrumar o meu cabelo e fazer a minha maquiagem do jeito que minha dona gosta. 4 – Eu só vou comer o que minha dona permitir e vou comer no chão na posição de quatro, como uma verdadeira cadela que sou.5 – Eu nunca mais me sentarei em um vaso sanitário, estando sozinha em casa, as minhas necessidades serão feitas no quintal dos fundos, caso precise usar o vaso sanitário para defecar, terei que implorar para que minha dona me dê permissão para isso, mesmo que minha dona permita que use o banheiro, terei que ficar agachada sobre o vaso sanitário e nunca sentada nele. Caso minha dona não esteja presente e não tenha como entrar em contato com ela, defecarei agachada sobre o vaso, não poderei sentar.6 – Eu sempre vou manter a minha buceta, raspada e careca do jeito que a minha dona gosta, devendo fazer depilação a cada 10 dias.7 – Eu vou manter o meu cuzinho sempre lubrificado para que dessa forma, esteja sempre pronta para o sexo anal.8 – Eu nunca mais vou usar calcinha ou sutiã, somente se minha dona permitir.9 – Eu dormirei sempre nua, deitada no chão frio e com as minhas mãos algemadas para trás, para garantir que não vá brincar com a minha buceta, sem a permissão de minha dona, quando minha dona estiver presente. Quando minha dona não estiver presente, apenas as algemas, estarão dispensadas.10 – Vou usar a minha coleira o tempo todo em casa e quando estiver próxima de pessoas conhecidas, manterei a coleira dentro da minha bolsa, junto com os outros brinquedos sexuais.11 – Vou me exercitar todos os dias para me manter sempre em forma, os exercícios poderão ser feitos tanto na academia, quanto em casa para que dessa maneira, eu não tenha desculpas para não me exercitar. Os exercícios, assim como a sequencia e o tempo de duração, serão determinados de acordo com a vontade da minha dona.12 – Nunca vou me sentar em nenhum lugar sem a permissão de minha dona.13 – Nunca vou tomar decisões sem antes consultar a minha dona.14 – A partir de hoje a minha bolsa terá sempre um kit de sadomasoquismo dentro quando sair de casa e sempre carregarei, um plug anal , um par de algemas, um pênis de borracha, os prendedores de mamilos, um vibrador, um chicote, uma coleira e algumas camisinhas, devo estar sempre preparada para tudo que minha dona possa vir a desejar fazer comigo.15 – Eu nunca mais vou gozar sem a permissão da minha dona, se eu desejar gozar, primeiro eu terei que agradar a minha dona, sendo uma escrava totalmente submissa às vontades dela, só depois disso, eu poderei implorar para que ela me permita ter, o benefício do gozo.16 – Usando o vibrador ou o pênis de borracha, vou me masturbar todos os dias de manhã, depois do almoço, antes de ir a academia e também antes de dormir. Nos finais de semana como não tenho academia devo me masturbar de manhã, antes do almoço, antes do lanche da tarde e antes de dormir é claro jamais poderei gozar sem a permissão da minha dona, por isso, quando estiver me masturbando e sentir que o orgasmo já está chegando, a masturbação deverá ser interrompida imediatamente.17 – Eu reconheço que estou obedecendo a todas essas regras e ordens, porque eu sou uma pervertida e quero ser uma boa cadela de estimação para agradar a minha dona.18 – Eu entendo que a minha vida agora, pertence e é totalmente controlada pela minha dona, que eu estou muito feliz em ser sua escrava e de obedecer e satisfazer a todas as suas vontades e taras.— Muito bem, senhora C. Alguma dúvida?A professora respondeu.— Não senhorita Simons.— Muito bem senhora C, já que você não tem nenhuma dúvida, vamos ao seu quarto, vestir a roupa que escolhi para você hoje, vou levar você para conhecer os meus pais, por isso você precisa ficar bem sexy.Chegando ao quarto Mariane viu que Lisa havia escolhido a fantasia de estudante, uma minissaia xadrez, rodada e plissada, uma blusinha branca de botões com emblema escolar, sapatos de boneca com salto alto, meias brancas que chegavam aos joelhos e duas Maria Chiquinha. Lisa obrigou a professora a se vestir como uma colegial.Não tinha outra escolha a não ser obedecer às ordens de sua dona. — “Porque esses pensamentos, essa exposição e esse constante sentimento de humilhação, faz minha buceta ficar tão molhada”?Pensava a professora, enquanto vestia a minissaia e a colocava a blusinha. A minissaia escolhida por Lisa era realmente curta e mal escondia a sua buceta raspada, isso para não falar da blusinha, tão colada que dava para ver de longe os bicos de seus seios que estavam duros e pareciam querer perfurar o tecido. Quando a professora terminou de se vestir, Lisa se aproximou, soltou todos os botões da camisa escolar, deu um nó bem a baixo dos seios volumosos da professora. — Agora sim, você está apresentável a meus pais. Agora termine de se arrumar e não esqueça a Maria Chiquinha.A professora colocou as meias brancas, ainda estava meio atrapalhada com os sapatos de boneca de salto que fora bem difícil de calçar, ela terminou de calçar os sapatos, dividiu o cabelo e colocou a Maria Chiquinha, pegou a bolsa e saiu do quarto. A professora estava descendo as escadas e no meio da sala, começou a implorar.— Por favor, senhorita Simons tenha piedade, eu não posso ir para a sua casa, conhecer os seus pais vestida desse jeito, estou igual a uma colegial.— Não se preocupe com isso senhora C, eles não vão dar a mínima pra sua roupa,agora coloque a coleira no seu pescoço e vamos embora, pois já estamos muito atrasadas, quero ver se conseguimos chegar lá antes do almoço ter começado.A professora meio confusa, colocou a coleira no pescoço e seguiu Lisa. As duas já estavam dentro do carro e naturalmente não ouviram quando o telefone tocou dentro da casa. Uma voz eletrônica falou.— Você está ligando para a casa da família Clarkson, deixe o seu recado após o sinal.— Oi, mamãe, aqui é a Aninha, tudo bem aí com você? Bem, estou ligando só para dizer que estou voltando hoje para casa, vou chegar por volta das 17:30. Infelizmente as coisas não deram muito certo por aqui, não consegui a bolsa de estudos de New Jersey, vou aguardar a resposta de Fênix e Atlanta. Por isso vou ter que voltar, talvez faça um curso, só para não ficar só em casa, além disso, terminei com o meu namorado, acontece que descobri que estava me traindo com outra, mas isso não importa mais, então liguei só para dizer isso que já estou voltando pra casa e também estou com muita saudade da senhora e do papai, espero que ele já tenha voltado da última viagem é só isso que eu queria dizer. Amo vocês dois, beijos, até mais.CONTINUA…Conto de Jessica 69 e Marina G

Viagem de Prazer

Eu estava naqueles dias em que tudo que você pensa é em fazer sexo. Mas meu namorado e eu nunca havíamos transado. Ele tinha 31 anos na época e eu 18. eu sei que ele é velho pra mim mas isso não interessa.

Transa gostosa de casada no baile funk

Olá. Meu nome é Flávia, tenho 26 anos, sou casada a cinco anos, meu marido como eu viajamos muito. Ele é um Diretor Financeiro no empresa de grande porte em São Paulo e eu sou Auditora de um grande escritório. E em visita a um destes clientes, aconteceu algo que nunca imaginaria que fizesse. Tenho 1,69 de altura, tenho seios bem grandes mas durinhos e bicudinhos. Sou bem sarada, faço sempre muita ginastica e dança de salão. Tenhos coxas bem torneadas e grossas com pelinhos bem loirinhos.Sempre quis conhecer um baile funk, mas ñunca tive coragem. Mas o que sempre escutei que acontecia lá dentro sempre me motivou e sentia muita vontade de conhecer.Isso se tornou realidade, quando uma amiga que tenho no rio disse que iria a um baile no centro. Ela me perguntou de queria ir. Na hora, disse que sim.Chegando a noite, me arrumei. Safada e louca de tesão, coloquei um top cor de rosa e sem sutien, comprei uma sainha de um tecido bem levinho florido cor de rosa tbem, tinha uma sandalia bem alta e de amarrar no tornozelo e peguei minha menor calcinha.Quando minha amiga me viu, ela não acreditou e falou que seria o centro da atenção.Chegando lá, estava uma fila enorme e cheio de caras lindos. Adoro homens fortes e negros. Me surpreendi quando vi muitas pessoas de bermuda e algumas até sem camisa. Como nunca tinha ido, até me assustei um pouco.Quando entramos, estava lotadissimo um calor enorme e muita gente dançando. Eu e minha amiga, tinhamos até dificuldades de andar juntas. Ai combinamos nos encontrar na porta as 4:00 hs da manhã.Começou a me dar uma excitação que até então nunca tinhba sentido. Um calor, já estava até começando a suar. Começei a dançar que nem uma louca. Remexendo, rebolando e começou alguns caras quase a me encochar muitos sem camisa e de bermudas. Um deles, era enorme. Um negro lindo. Era muito forte, imagino quase 2 mts de altura, Estava sem camisa e tinha um peitoral que me deixou milhada. Ele tinha uma grande tatuagem também. Não conseguia parar de olhar pra ele. Foi quando ele chegou perto de mim e sem dizer nada, me abraçou muito forte e começo a me beijar loucamente.Fiquei molhada na hora. Ele enfiava sua lingua quse na minha garganta. Começou a alizar minhas coxas e bumbum.Ele me disse para acompanha-lo. Não sei o que me deu. Fui atrás dele. Ele me levou para um canto muito escuro perto das caixas de som. Ali seria o abate….Começou a me beijar de novo loucamente. Começou a passar a mão por baixo da saia sem a menor serimonia. Eu já estava molhada. eu também beijava com vontade e estava com um incrivel tesao. Fazia mais de uma semana que não transava.Ele me fez aguachar e tirou para fora seu pau. Eu até assustei. Nunca tinha visto um pau daquele tamanho. Mas não me fiz de rogada, chupei com toda a minha força. Uma delicia. foi quando ele me levantou e arrancou minha calcinha e jogou longe. Me deixou sem calcinha. Me encostou na parede, e senti encostando o pau na minha boceta. Ele falou no meu ouvido: Agora vc vai ser minha putinha. E empurrou para dentro tudo de uma só vez. Vi estrela. Mas logo estava recuperada. Ele combando seu pau com toda a força e eu rebolando que nem uma puta no pau. Foi quando eu senti ele gozando. Encheu minha buceta de porra que começou a escorrer pelas minhas coxas. sem parar,, ele me fez chupa-lo de novo. Aquele pau todo melado de porra … que delicia o fiz maravilhosamente. Em um instante, já estava duro de novo. Foi quando, para minha surpresa, me colocou de pé e dem cerimonia ergueu toda minha saia deixando minha bundinha totalmente a mostra e puxou meu top sendo que os meus seios sairam pra fora tbem….e me disse no meu ouvido: quero que todos vejam a mulher gostosa e safada q vc é….e meteu o pauzão dele no meu cuzinho….gritava, rebolava, gemia, mas a musica alta impedia que qualquer um ouvisse. Sentia as bolas dele batendo na minha buceta. Foi quando gozou loucamente de novo…escorrendo de novo. Quando olhei, varios caras estavam do meu lado , alguns batendo punheta. Quando percebi, estava praticamente pelada. O meu negro gostoso sumiu….Depois de perna até mole fui para a entrada e encontrei minha amiga…ela até se assustou mas entendeu o q tinha acontecido….estava descavelada, toda vermelha e arranhada e toda gozada. E sem calcinha. Mas esta foi a minha maior experiencia sexual. Meu marido, nem desconfia. Mas quando for ao rio de novo, quero repetir a dose.Me enviem email adoro fotos e flagras de bailes funk.

MICHELLE

Não sabia se chupava ou contemplava a boceta mais linda e gostosa que já tive na vida ouvindo os gemidos abafados de Michelle minha ex com meu cacete atolado em sua garganta ficando aliviado, por não querer gozar ainda quando ela estremeceu num orgasmo avassalador caindo tremula em cima de mim e mais que depressa fui pra cima beijando sua boca melada enquanto sua boceta recebia meu cacete parecendo querer prender ele nela e quando a glande bateu em seu útero ela enlouqueceu, como sempre prendendo as pernas em minha cintura me fazendo intensificar o beijo para abafar o escândalo que fazia falando palavras sem nexo quando a porta do quarto quase foi ao chão com minha esposa invadindo o quarto num escândalo que deu medo me arrancando de cima da menina enchendo ela de socos tapas e ponta pés e não sabendo se me vestia ou socorria Michelle que apanhava quieta porque se quisesse matava minha esposa na porrada e segurando a vontade de manda-la reagir tirei minha esposa de cima dela prensando a na parede que aos berros xingava Michelle que se vestindo calmamente me olhou nos olhos como me dando adeus e sumiu dali me deixando angustiado porque meu desejo era ir com ela e num esforço descomunal segurei minha esposa sentindo seu corpo quente e ofegante tendo que prensa-la na parede e agora chorava muito tentando fugir de mim principalmente de minha pica endurecendo cada vez mais no meio de suas pernas e inebriado com seu perfume segurei firme em seus cabelos resistindo as minhas tentativas de beija-la porem quando nossas boca se encontraram ela foi se rendendo ao poucos correspondendo o beijo e quando enfiei a mão em sua calça espalmando sua boceta por cima da calcinha ela tentou me agredir mordendo meus lábios e rosto e quanto mais me batia mais tesão me dava e com muita dificuldade consegui tirar sua calça deixando a no meio das pernas junto com a calcinha segurando seus braços atrás do corpo rasguei sua blusa levantando seu sutiã alternando os beijos com chupões em seus seios com ela não sabendo se me xingava tentando resistir ou se entregava ao prazer e quando tirei o preservativo e consegui acertar a entrada de sua boceta já com metade dentro olhei ternamente em seus olhos e fazendo menção de tirar, me olhando com os olhos arregalados me chamando de filho da puta jogou o corpo para a frente fazendo o cacete acabar de entrar e me beijando acabou de tirar a calça me puxando para a cama deixando seus gemidos tomar o ambiente enquanto sacudia seu corpo com estocadas vigorosas ate encher sua boceta de porra e agarrada a mim mordendo meu ombro anunciou orgasmos intensos ficando uma eternidade agarradinhos com ela interrompendo os beijos para perguntar porque fazia isso com ela e antes mesmo de tentar responder ela saiu de mim se colocando de quatro na cama falando que tivesse cuidado porque nunca deu ele para ninguém e de pica dura mesmo já ter gozado, mais que depressa me ajeitei atrás daquele monumento de mulher chupando sua boceta aproveitando para lamber seu cu fazendo ela se arrepiar toda me chamando de porco comentando que nunca mais ia beijar minha boca, gemeu alto em gritinhos de prazer quando enfiei dedos nele untando com salivas ouvindo ela sussurrar que estava uma delicia e com a pica dura como poucas vezes com ela me ajeitei atrás tendo muito trabalho para meter em seu cu apertado e quando com quase metade atolado nele parei por ver sua expressão de dor com ela falando que me mataria se tirasse e me puxando para cima dela deitou na cama fazendo me cair por cima fazendo assim a pica atolar em seu cu com ela mordendo o lençol para não gritar e mesmo chorando rebolava gostoso e cada vez mais rápido jogando a bunda em meu cacete e entrando no ritmo comecei a cutucar de leve num entra e sai porem quando nos demos conta segurava suas ancas metendo sem dó parecendo querer varar ela que gemendo entre gritinhos anunciava orgasmos avassaladores falando com dificuldade que se soubesse como era bom tinha dado o cu antes e mordendo meu cacete com seu cu apertado me fez gozar novamente caindo agarradinhos. Ainda dentro dele trocávamos juras de amor porem ao sentir o cacete dando sinal de vida me empurrou fazendo me sair dela me chamando de porco tarado ao ver o preservativo estourado e minha pica suja de sangue e fezes me mandando para o banheiro chegando depois e mesmo tomando banho comigo não me deixou sequer tocar seu corpo avisando que em casa conversaríamos. Sentindo a água fria no corpo pensando em tudo que vivera até ali como que passando um filme em minha mente me culpando porque na época ainda jovem e imaturo não consegui contrariar a família deixando a expulsar Michelle de mim me fazendo sofrer muito ate o dia que conheci minha atual esposa mulher linda e maravilhosa que me envolveu de tal jeito e em poucos meses de namoro nos casamos e agora meu maior medo era perder Michelle novamente mesmo porque conhecendo minha esposa sabia que isso não ficaria assim o que era bom para mim porque assim poderia curtir minha ex sem maior culpa. Depois disto meu relacionamento deu uma esfriada minha esposa preferia sair com sua família irmãs e amigas sendo que na maioria das vezes parecia que eu nem estava ali e quando decidia ir embora, parecendo adivinhar me agarrava me levando para a cama me deixando fazer dela o que quisesse jurando me amar demais porem nem me deixava tocar no assunto. Estava quase me convencendo que era melhor assim até o dia que alguém me mandou um vídeo dela e um homem num carro na mesma noite que me ligou avisando que dormiria na casa de sua mãe e assistindo o vídeo um milhão de vezes não conseguia me convencer que ela também tem o direito e cada vez mais com raiva e ciúmes fui atrás de Michele não ficando um dia sem meter naquela delicia porem quando começou a me cobrar sentimentos dei um jeito de esquecer ela nos braços de outras sem importar com mais nada até um travesti, amigo de um funcionário meu eu tracei e este só não me comeu porque sua pica não levantou e assim me tornei um devasso pegando ate mesmo minhas funcionarias até um sábado de manha quando minha esposa me acordou com um beijo como a tempos não me beijava me pedindo que levasse ela num lugar e enquanto dirigia olhando ela serena sentada ao meu lado imaginando que ia dar para alguém e o que me acalmava era deixar ela em seu destino o mais rápido possível e seguir para um churrasco na casa de uma amigo tendo que desligar o celular porque segundo ele, as meninas estavam cobrando minha presença, porem quando cheguei naquele resort demorando entender que minha esposa esperava que abrisse a porta do carro para ela e descendo não largou minha mão me levando junto com ela indo para a mesma mesa do restaurante onde demos nosso primeiro beijo e enquanto comiamos bebendo vinho ela lembrava do quanto éramos felizes e me entregando o celular pediu que assistisse com atenção ao vídeo dela com o cara no carro e com lágrimas nos olhos pediu perdão por quase ter me traído me contando que estava com tanta raiva de mim que resolveu me dar o troco porem o máximo que conseguiu deixar o rapaz beijar sua boca porem quando ele deitou em cima dela tentando tirar sua roupa teve trabalho para se livrar dele afirmando que nada aconteceu além disso. Hoje faz seis meses que isso aconteceu minha esposa esta cada dia mais linda e apaixonada quanto continuo pegando todas fingindo não saber que ela esta tendo um caso com um carinha da sua empresa.                                

Lina Boqueteira da Turma

LINA BOQUETEIRA DA TURMA – ENTREI NA RUA SEIS CAMINHANDO PARA PROCURAR ALGUÉM NA CASA DE MARQUINHO E ENCONTRO PARTE DA TURMA NA RUA, ESTAVAM TODOS SENTADOS RINDO DE ALGO, ENTÃO CHEGUEI PERGUNTANDO O QUE ESTAVA OCORRENDO E TODOS FICAM CALADOS, ENTÃO PERGUNTEI NOVAMENTE E NINGUÉM FALOU NADA, ENTÃO COMO SEI QUE A TURMA DAQUELA RUA É SACANA POR NATUREZA ME SENTEI DO LADO DELES E PENSEI SE FOR SACANAGEM ESTAREI FERRADO MESMO, ENTÃO VOU FICAR AQUI NA MINHA, NISSO DO NADA SAI DA CASA DE LINA O MARQUINHO GALINA E OLHA PARA A TURMA DO OUTRO LADO DA RUA E CHEGA PERTO DE MIM DEIXANDO UM NÚMERO ESCRITO NUMA FOLHA E VAI EMBORA SEM FALAR NADA, NISSO ENTRA CARLINHOS, FICANDO CAPU E RODRIGO AO MEU LADO, UM TEMPO DEPOIS SAI CARLINHOS SEMENTEIRA OLHANDO PARA A FILA COMO NÃO TINHA NINGUÉM AO MEU LADO, ELE VAI EMBORA SEM FALAR NADA, ENTÃO ENTRA CAPU, FICA UM TEMPO E SAI EM SEGUIDA, ATÉ AQUELE MOMENTO NÃO ESTAVA ENTENDENDO ABSOLUTAMENTE NADA, MAS COMO A TURMA DA RUA SEIS É TODA DOIDA, NADA NAQUELA TARDE DE SÁBADO ME DEIXARIA DE CARA, ENTÃO RODRIGO ENTROU NA CASA DE LINA E FICOU UM TEMPO, DEPOIS AO SAIR OLHOU PARA O OUTRO LADO COMO NÃO VIU NINGUÉM SENTADO NA FILA FOI EMBORA, NISSO ENTRO NA CASA DE LINA E TRANCO O PORTÃO NO ARRAME, COMO OS MUROS DA CASA DE DELA SÃO BEM ALTOS NÃO DAVA PARA VER DA RUA O QUE ESTAVA ACONTECENDO DENTRO DA CASA OU NO QUINTAL, ENTREI E TRANQUEI A PORTA E FUI CHAMANDO POR LINA, FUI SEGUINTO PELA CASA ATÉ QUE VI LINA NA COPA SENTADA NA CADEIRA SOMENTE DE CALCINHA E ME FALA, NOSSA VOCÊ É O PRÓXIMO, ENTÃO PERGUNTEI O PRÓXIMO DO QUE, ELA SORRIU E DISSE VENHA, TEM MAIS ALGUÉM LÁ FORA, NÃO EU RESPONDI, ENTÃO ELA FALOU COMIGO O SEGUINTE, ESTAVA AQUI PAGANDO BOQUETES PARA OS MENINOS, QUANDO ELES SAISSEM SE ESTIVESSE ALGUÉM SENTADO NA FILA AO LADO DE ALGUÉM QUE ESTIVESSE NA FILA DARIA O NÚMERO QUE EU ENTREGAVA AQUI DENTRO E DEPOIS TERIA DE IR EMBORA PRA CASA OU NUNCA MAIS REPETIRIA ISSO COM ELE, NISSO ELA DEITA NA CAMA E DIZ, VOCÊ ENTROU EM CASA E NÃO TINHA MAIS NINGUÉM LÁ FORA, EU RESPONDI QUE NÃO. ME DISSE PARA TIRAR A ROUPA E SUBIR NA CAMA COM ELA, TIREI A ROUPA E ELA SENTOU NA CAMA, SEGUROU EM MEU PAU E FOI ME CHUPANDO COM TODA MAESTRIA QUE PODERIA, FICOU TODA ANIMADA QUANDO NOTOU QUE ELE ESTAVA FICANDO MAIOR EM SUA BOCA E SOLTOU UM “NOSSA ELE É BEM SERVIDO MESMO, QUE COISA, VOCÊ TÃO PEQUENO ASSIM E COM UM INSTRUMENTO TÃO POTENTE, BOM, MUITO BOM ACHO QUE VOU APROVEITAR-TE PARA UMA OUTRA COISINHA”. LEMBRO DISSO COMO SE FOSSE HOJE E ELA FICAVA ME CHUPANDO ENQUANTO COM UMA DE SUAS MÃOS ENTRE SUAS PERNAS, AQUILO TUDO FOI ME DEIXANDO EXCITADO E COM UM TESÃO DOIDO. LINA TINHA UMA BOCA MUITO QUENTE, ESTAVA MUITO ANIMADO COM AQUILO TUDO E COM O TEMPO ELA VIRA PRA MIM DIZENDO QUE QUER SENTIR-ME DENTRO DELA, NÃO TIVE O QUE DIZER, APENAS DEITEI SOBRE SEU CORPO E ENCOSTEI MEU PAU NA SUA XOXOTINHA, OLHA ELA SOLTOU UM GEMIDO QUANDO ENTREI, ELA FALOU COMIGO, CALMA MENINO, COM OS OUTROS EU SÓ PAGUEI UNS BOQUETES E TOQUEI UMA BOA SIRIRICA, AGORA CONTIGO ACHO QUE CONSIGO FAZER UMAS COISAS MAIS ANIMADAS E FIQUEI NAQUELE ENTRA ATÉ O FUNDO PARA DEPOIS IR SAINDO, QUANDO TENTAVA SAIR ELA QUASE PIRAVA COM MINHAS ESTOCADAS, ELA REALMENTE NÃO ESTAVA MUITO ACOSTUMADA COM AQUILO E FICAMOS BRINCANDO COM AQUILO POR UM TEMPO, NÃO TIVEMOS MUITO TEMPO, POIS POUCO TEMPO DEPOIS LINA COMEÇA A GEMER E SE VIRAR NA CAMA QUE NEM UMA DOIDA, SEGURANDO NO MEU CORPO E DEPOIS TENTANDO SEGURAR NA CAMA, QUANDO ELA FOI FICANDO DESCONTROLADA IA SÓ MENTENDO, FAZENDO ELA FICAR CADA VEZ MAIS DOIDA COM TUDO AQUILO, ELA UM TEMPO DEPOIS DIZ QUE VAI GOZAR E QUE EU NÃO DEVERIA PARAR DE DAR ESTOCADAS NELA, OLHA FIQUEI ALI ENQUANTO ELA PEDIA PARA SENTIR MINHAS INVESTIDAS ENTRE SUAS PERNAS, FOI UMA TARDE MARAVILHOSA, UM BOM TEMPO DEPOIS ACABEI GOZANDO ENTRE SUAS PERNAS, ELA ME LEVA ATÉ O BANHEIRO E TOMA UM LONGO BANHO COMIGO SÓ ENTÃO ELA ME PERGUNTA O QUE EU TINHA IDO FAZER NA RUA SEIS, RESPONDI QUE FUI LÁ APENAS PARA VER SE A TURMA ESTAVA APRONTANDO ALGUMA COISA NOVA E PELO VISTO ESTAVAM SIM, LINA ACABOU EXPERIMENTANDO TODOS OS MOLEQUES DA RUA, SÓ QUE DEPOIS QUE ELA VIU QUEM ERA REALMENTE OS QUE FAZIAM ELA GOZAR FOI DESCARTANDO OS OUTROS, PRA QUEM FOI ESCOLHIDO COMO EU, TUDO BEM, MAS PARA QUEM FOI DESCARTADO ERA GOZAÇÃO NA CERTA, UM TEMPO DEPOIS LINA TEVE DE SE MUDAR DA RUA SEIS E TODOS PERDEMOS SUA BOCA QUENTE. DIA DESSES ENCONTREI LINA NUMA FEIRA LIVRE, ENTÃO ELA ME LEVA NO CANTO E PERGUNTA SE AINDA SOU BEM SERVIDO COMO NAQUELA ÉPOCA, RESPONDO QUE SIM E QUE ESTOU AINDA MELHOR, ELA ENTÃO RESPONDE ISSO NÃO VALE MENINO, FICO RINDO ENQUANTO ELA COMENTA UMA COISA DIZENDO QUE TEM SAUDADES DE NOSSOS ENCONTROS, ENTÃO RESPONDO PARA ELA QUEM SABE UM DIA E HORA A GENTE AINDA NÃO SE ENCONTRE PARA UNS PEGAS, POIS APRENDI MUITO COM LINA GORDINHA DA RUA SEIS, PESSOA DE BOM CORAÇÃO E COM UMA BOCA CALIENTE QUE SÓ.

AS CONTRAÇÕES DA BUCETA E AS PISCADAS DO CUZINHO DA EDNA

CONTO MEU ESTE , GOSTARIA AQUI DE RELATAR QUE TEM MULHER SUPER DIFERENTE , ESTA MULHER É INCRÍVEL TEM UMA DIFERENÇA DA MAIORIA QUE EU JÁ TRANSEI , BEM EU ENTREI EM UM APLICATIVO E CONHECI A EDNA , BATEMOS PAPO , TROCAMOS WATTS E FINALMENTE NOS ENCONTRAMOS , ELA 48 ANOS , MORENA QUASE NEGRA , CABELOS LONGOS E LISOS , PRETOS COMO A NOITE , 1,65 M , 65 KG , NÃO É GORDA E SIM CORPUDA , SEIOS PEQUENOS E O RABO ENORME , COXUDA DEMAIS OS TORNOZELOS GROSSOS, , BARRIGA CHAPADA ,BONITA , USA ÓCULOS , CALÇA JEANS COLADA AO CORPO E UMA BLUSA BRANCA DE BOTÃO , BEM FOMOS AO SHOPPING E ALI TOMAMOS UM CHOPP , CONVERSAMOS MUITO , EU GOSTEI DELA , ELA ESTAVA SEPARADA DO ESPOSO A UNS 2 MESES,ME MOSTROU A FOTO DO ESPOSO UM CARA UM POUCO MAIS VELHO QUE ELA , MAS BARRIGUDO , ALOU QUE ELE NÃO DAVA A MINIMA A ELA QUE O NEGÓCIO DELE É AMIGOS , BEM COM ISSO SE DEU OS PRÓXIMOS ENCONTROS TROUXE ELA EM MINHA CASA , APRESENTEI MINHA CASA FUI AO MEU QUARTO E LÁ ELA DE JEANS COLADA AO CORPO , O RABÃO ENORME EU NÃO RESISTI FECHEI A PORTA E DE PAU DURO COMECEI A JUNTAR ELA , BEIJANDO AQUELA BOCA DELICIOSA , ELA SE ENTREGANDO TODA , EU PASSAVA AS MÃOS PELO CORPO DELA , EU FIQUEI LOGO PELADO COM O CACETÃO ENORME ELA MEIO QUE SEM JEITO , MAS EU FUI TIRANDO A BLUSA E DEPOIS A CALÇA DELA DEU TRABALHO PRA SAIR DO CORPO , O GOSTOSO QUE EU ESTAVA ATRÁS DELA E AQUELE RABO ENORME NA MINHA CARA EU APROVEITEI E COMECEI A LAMBER A BUNDONA , ELA RIA E FALAVA SAFADO , EU CONSEGUI TIRAR A CALÇA DELA E O FIO ENTERRADO NO CUZINHO , EU LAMBIA A BUNDA ENFIEI A LINGUÁ NO REGO QUE LAMBI O CUZINHO DELA , ELA TODA SAFADA , MAS MEIO QUE COM VERGONHA , EM PÉ AO LADO DA MINHA CAMA EU A BEIJEI A BOCA , MAMEI OS 2 PEITINHOS PEQUENOS , DESCI A LINGUA PELA BARRIGA E ENFIEI NO UMBIGO , ELA GEMIA DE TESÃO , LAMBI TODA A BARRIGA E DESCI PARA A BUCETINHA LISINHA LAMBI AO REDOR , COLOQUEI ELA EM PÉ DE FRENTE PRA CAMA , DEBRUCEI ELA COM OS PEITOS E ROSTO NA CAMA , A BUCETINHA FICOU EXPOSTA E COLOQUEI NA BUCETINHA DELA , SEGUREI NA CINTURA DELA E METI NA BUCETINHA DELA , ALI ELA GOZOU , EU GOZEI , USEI CAMISINHA , MAS O MELHOR VEIO DEPOIS , ELA ME DISSE VOU TRAZER EXAMES E QUERO SEU LEITE DENTRO DE MIM , E ASSIM ELA O FEZ , ELA VEIO COM EXAMES REALIZADOS , ENTÃO DESTE DIA EM DIANTE FOI MUITO SHOW , ENTRAMOS NO QUARTO , ELA DE SHORT COLADINHO E BLUSINHA EU JA FUI TIRANDO E BEIJANDO ELA NA BOCA CORPO TODO , MAMEI OS PEITINHOS , LAMBI TODA A BUNDONA , LAMBI O CUZINHO , CHUPEI A BUCETINHA , ELA GEMIA NA LINGUA E DIZIA NUNCA MEU MARIDO ME CHUPOU ASSIM , O MARIDO ERA REALMENTE DAS ANTIGAS , ELE NÃO CHUPAVA ELA , ELA NÃO SABIA CHUPAR O PAU , COMEÇOU FALANDO DE DAR BEIJINHOS , MAS EU A INSTRUI A MAMAR E ELA COMEÇOU A MAMAR , ELA DISSE QUERO SENTAR NO PAU ENTÃO EU ME DEITEI E COM O CACETE PRA CIMA ELA VEIO SENTAR , EU FALEI VEM AMOR COLOCA ELE DENTRO DA BUCETINHA E ELA DISSE BUCETÃO MESMO , VC VIU ELA , CLARO QUE EU TINHA VISTO CARNUDA E LINDA INCHADONA , A POSIÇÃO QUE ELA FODE SENTADA QUE É ESPETACULAR , ELA NÃO SE AJOELHA , ELA FICA DE CÓCORAS , ASSIM DA PRA VC VER O PAU ENTRANDO , ELA COLOCOU O PAU NA BUCETA E COMEÇOU A DESCER E SUBIR , ADMIRÁVEL A FORÇA QUE ELA TEM NAS PERNAS , UM TESÃO DO CARALHO ELA MORDIA OS LÁBIOS GEMIA , SUBIA E DESCIA EU COLOQUEI AS MÃOS POR BAIXO E SEGURAVA NO RABO DELA , MAS QUANDO ELA GEMENDO DISSE VOU GOZAR E SENTOU ATÉ O PÉ , AI SIM DESCOBRI QUE ALI ERA UMA MULHER SUPER DIFERENTE , ELA SENTADA COM O PAU INTEIRO NA BUCETA , EU SENTIA QUANDO A BUCETA CONTRAIA GOZANDO E O CUZINHO DELA PISCAVA , ERA EU SENTIR E GOZAR, PORRA É MARAVILHOSO FUDER COM ELA , FIQUEI 1 ANOS COM ELA , ELA VINHA TODO FINAL DE SEMANA PRA MINHA CASA , ENTÃO EM UMA TREPADA EU ESTAVA COM O PAU NA BUCETA , FALEI QUERO COMER O CUZINHO , ELA DISSE NÃO NUNCA DEI , MAS ELA ACEITOU , COM MUITO GEL E CALMA EU FUI DA SEXTA ATÉ O DOMINGO PENETRANDO NO DOMINGO EU CONSEGUI COMER REALMENTE O CUZINHO DELA , DURANTE O TEMPO QUE FIQUEI EU COMIA SEMPRE O CUZINHO DELA , POIS A BUNDA DELA É MARAVILHOSA , ENTÃO ELA DISSE , ATÉ MEU CUZINHO VC COMEU , MEU MARIDO DEIXOU PRA VC , O LEGAL QUE ELA MORA EM UMA CIDADE VIZINHA , QUANDO ELA VINHA A NORINHA DELA DIZIA É DONA EDNA JÁ VAI LÁ DA ATÉ O CUZINHO NÉ , ELA DIZIA ME RESPEITA MENINA , ELA ME CONTAVA E RIA , AINDA FALAVA VIAJO 100 KM PRA DAR MESMO ATÉ O CUZINHO PRA VC , MAS TERMINEI DELA , MAS ELA É INESQUECÍVEL , POIS QUANDO LEMBRO DA BUCETINHA E DO CUZINHO DELA PISCANDO ME DA UM TESÃO É MUITO FORTE AS CONTRAÇÕES DELA , EU SENTIA AS PISCADAS O LEITE DERRAMAVA DENTRO DA BUCETINHA OU DO CUZINHO DELA, TENHO ELA NO ZAP , ELA VOLTOU COM O MARIDO, REALMENTE A MULHER PRA FUDER OLHANDO O PAU ENTRAR E SAIR , SENTIR , ELA GOZANDO NO PAU , GUARDO AQUI EM CASA COM CARINHO UMA CAMISOLA E UM FIO DENTAL DELA , LEIA MEUS CONTOS , COMENTE E VOTE.

CARA OU COROA

Bom dia. Voltei para contar outro momento inesquecível meu. Aqui em Montes Claros (MG), eu morava numa pequena vila suburbana, onde existia uma pizzaria na qual eu era o entregador de pizzas. Um certo dia, era fim de expediente, pediram para eu fazer uma entrega de uma pizza de calabresa na casa de uma senhora. Quando cheguei lá, que senhora! Isaura, uma morenona maravilhosa, cabelos sedosos, tinha uns peitões deliciosos e umas curvas bem perigosas, além de ser muito charmosa. Isaura pediu para que eu servisse a pizza para ela e convidou-me para participar do banquete. Comemos a pizza numa boa e depois fomos para a sala. Lá, ela pediu para que eu tirasse minha roupa. Depois, ela tirou as suas roupas também. O meu pau subiu que nem um rojão, quando a vi pelada, e eu já queria atacar. Mas aí Isaura pediu para que eu esperasse um pouco. Pegou uma moedinha para jogar o cara ou coroa. Deu cara. Então, ela se aproximou de mim e começou a chupar meu pau alucinadamente. Nossa, era uma delícia aquela boca carnuda na minha pica. Depois, ela se deitou, abriu as pernas e coloquei meu pau naquela xoxota deliciosa. Comi a danada todinha. Daí pra frente, foi uma festa. Isaura gozava e urrava cada vez que trocávamos de posição. A noite foi inesquecível para mim. Ela, satisfeita, agradeceu e prometeu repetir a dose. Depois daquela noite, ficava sempre na expectativa de Isaura encomendar outra pizza e eu entregar. E duas semanas depois, aconteceu novamente. Levei outra pizza de calabresa no fim do expediente e a jantamos novamente. Aí chegou a hora da transa, de novo tiramos as roupas. Aí ela pegou novamente a moedinha para jogar cara ou coroa. Desta vez, deu coroa. Foi aí que entrou um carinha magrinho chamado Washington, o marido da Isaura. Eu pensei: “Vamos dividir a Isaura? Legal!”. Negativo! Washington tirou a sua roupa, veio por trás de mim e começou a pegar nos meus mamilos. Tentei resistir: “Não faz… assim não… que… que… eu gozo!!!!!!!”, balbuciei e amoleci. Washington me botou de quatro e colocou o pau dele dentro do meu cuzinho e foi me comendo. A Isaura ficou só olhando, batendo uma siririca danada enquanto o Washington me comia. O pau de Washington dentro de mim estava me deixando muito louco e eu amolecia. Washington gozou dentro de mim e ainda fez eu chupar o pau dele todo gozado de esperma. Essa experiência foi inesquecível para mim, mas depois a Isaura acabou mudando junto com o Washington e não tive mais outra experiência daquelas. Só de lembrar, meu pau fica durinho e meu nozinho fica emocionado…

Filha adotiva

Filha adotivaChamo-me Paulo, tenho 31 anos, 1,72 90 kg, vou contar um fato que esta perturbando minha vida e que nunca achei que iria acontecer comigo, me casei com Paula quando tinha 21 anos e ela 34 uma mulher muito linda, separada e mãe de Julia de três anos, as duas de cabelo preto liso e de pele branca e olhos negos as sobrancelhas das duas era muito finas naturalmente e com boca largas e lábios bem desenhados, vivi muito feliz com Paula por seis anos, mas ela resolveu sair pelo mundo sem dar noticias disse que iria atrás do sonho dela que era trabalhar em Tóquio, vivemos casados assim por mais um ano e ela então acabou falecendo, e como não tinha parente que eu tivesse conhecido fiquei com a Julia, a menina me lembrava muito sua mãe, eu por minha vez não me aproximei de nenhuma outra mulher, resolvi criar a filha que a vida me deu, tinha minhas relações amorosas e percebia o ciúme que minha filha sentia como ela é parecida comigo nunca ninguém perguntou se era adotiva ou não, passou um ano após o falecimento de Paula, eu me mudei de cidade porque fui promovido, minha relação com Julia como comecei chamar, era muito boa e normal realmente eu tinha sentimento de pai por ela, embora muitas vezes eu até me esquecia de que ela não era minha filha de sangue, só às vezes ela tinha gestos que lembravam a mãe dela, um dia Julia me pediu a toalha pra secar os cabelos só estiquei o braço com a toalha pra dentro do banheiro e ela disse que eu poderia entra e me chamou de bobo, eu expliquei que ela já estava ficando mocinha e que deveria se resguardar.Bem nesse ano ela teve sua primeira mestruação, levei no ginecologista e como era desregulado ele deu um remédio pra ela.Está menina começou a mudar no decorrer dos meses, o corpo dela que já não era tão infantil, explodiu, o pessoal do serviço me chamava de sogro e tal , ela era muito linda, é linda, uma verdadeira baixinha com seus 1,55 mais ou menos 50 kg, e ainda começou a usar roupas de adolescentes, e em casa teimava em usar quase nada de roupas, se sempre com os mesmos costumes sempre andando de camisolinha e tal, nunca tinha me perturbado com isso, ela ganhava sua mesada, nunca deu trabalho em nada, ela comprava suas roupas na grande maioria das vezes sozinhas, nunca tinha me perturbado até o dia que eu estava olhando um filme na sala, e ela se levantou para ir na cozinha tomar água, e quando vi ela , fiquei mexidoEla estava usando um sutião de bojo e uma calsinha de renda não fio mas bem enfiada na bundinha que era bem grandinha, eu ainda mexi com ela na naturalidade, perguntando se ela era louca pra dormir de situa, ela disse que estava experimentando, ela foi e tomou água, ficando se costas pra min., e na hora o diabinho falou comigo e eu olhei pela primeira vez com olhar de homem pra ela, que corpo ela tinha meus deus , a calsinha justinha e retratando a bucetinha que parecia uma maçã da arvore do paraíso.Ela veio sentou o um lado olhou o filme por dez minutos deu boa noite e saiu, a bunda passou na altura do meu rosto, eu fiquei me recriminando por ter reparado nas curvinhas dela, lembro que na quela mesma semana liguei pra um contratinho e fiz um sexo com muito tesão.Reparei que Julia estava virando uma verdadeira mocinha e que logo iria começar a aparecer namoradinho, então como pai dela vasculhei o quaro dela quando ela não estava em casa, não tinha nada de ilícito, tipo droga ou coisas assim apenas coisas de meninas, mas não pude deixar de notar que ela tinha duas gavetas de calcinhas e uma era de calcinha que eu digo normais e a outra era de lingeries muito sex, cada fiozinho e casa rendinha, que me impressionaram muito, esperei passar bom tempo e quando ela fez mais um aniversário eu conversei com ela sobre sexo, gravidez e doenças ela muito bem centrada disse que já sabia de tudo isso mesmo sendo virgem, e disse que não era nenhuma avoada e de cabeça boba, disse que eu a criei bem nesses 9 anos que eu era o pai dela, nesse mesmo ano eu arrumei uma namorada , Julia no início se deu bem com ela, mas não sei porque começou a implicar com minha namorada, que digas se de passagem era uma pessoa muito egoísta sexualmente onde ela só queria ter prazer, Julia não sabia de nada disso, mas me falava que não gostava dela que ela não merecia namorar eu, e não sei na época ( hoje sei que era propositalmente) achei que era coisa da minha cabeça, mas sempre que eu brigava com minha namorada, Julia me parecia andar com cada vez menos roupas em casa, e com shorts de lycra e jeans muito curtos, e começou a me perturbar, até passou um ano inteiro e terminei com minha namorada , ficamos amigos , e ela me disse uma coisa que me deixou com a pulga atrás da orelha, falou que Julinha ( falou assim pra debochar) tinha um paixãozinha por min, só eu que não tinha percebido.Aquilo mexeu comigo, comecei a vigiar Julia, vasculhar o PC e ver que ela entrava em sites pornográficos direto, parecia eu , se passou mais um ano e eu não parava de pensar em que minha ex tinha falado, comecei a imaginar Julia e ter saudade da mãe dela, e comentei com ela, ela dizia que sabia que eu lembrava a mãe dela, mas ela falava com um jeito insinuoso, e me dei de conta que ela realmente poderia ter uma paixonite por mim, restava saber se era uma curiosidade ou outra coisa.Resolvi deixar rolar, não queria realmente que isso evoluísse, na época não, mas como falei o diabinho fala com a gente, uma belo dia ela vem com um filme e usando uma pijama de abrigo e pediu pra olhar no meu quarto comigo, disse que o DVD estava estragado, colocamos na conexão USB da TV , mas a TV fica na lateral da cama na parede eu me deito na beira , ai ela pediu pra trocar de lugar eu fiquei nas costas, bem longe, e ela disse vem e me abraça bobo, ficamos assim sem estar muito colado olhando o filme, até que ela dormiu, e eu fiquei olhando filme, nem percebo que ela acordou e tirou a calça do abrigo dizendo que estava calor, e fui tomar água e voltou e pude notar que ela estava com esses shortinhos folgados pra dormir,e uma blusinha curtinha e deitou de lado, ela se encostou em mim e eu fui pra traz ela ainda disse que não mordia que eu era pai dela . Bom ela voltou o filme e eu dormi, lembra da sensação como se fosse hoje , agora, eu estava sonhando com um sexo não gostoso que vim do meu sonho e percebo que ela estava bem colada em mim a eu estava abraçadinho os dois de conxinha, ela estava rebolando e ransonando baixinho , estávamos bem assim, eu de lado com a mão esquerda em baixo do travesseiro e segurando a mão esquerda dela com os dedos entrelaçados, minha mão direita estava na cintura dela, a mão direita dela estava sobra minha coxa quase na bunda, minha pika estava dura e colada em minha barriga, eu gelei na hora   e fiquei com medo dela acordar e pensar que eu tinha orquestrado tudo aquilo e fiquei imóvel, ela foi rebolando com um destreza e eu jurava que ela estava sonha, hoje sei que ela estava era fingindo e tinha acordado pouco antes de mim e fingiu dormir, eu gosei nas minhas cuecas em silencio, e ela seguiu até ter o orgasmo dela, nós dois ofegávamos, ela fingiu se acordar e eu fingir dormir ( dois fingidos)Ela se levantou e tomou água mais uma vez Eu fiquei ali ela então veio com outra calcinha, fio dessa vez e deitou novamente , quando ela colou ela sentiu o melado, mas ficou fria, eu esperei uns 15 minutos e fui no banheiro, me limpei e voltei, passou uns 3 dias ela veio de novo querer olhar o filme , eu deixei bem feliz, comecei a gostar da situação , até então eu achava que ela estava dormindo e se ela achasse que eu também , eu não teria culpa, e assim aconteceu eu fingia dormir ela também, e remexia e eu gozava em seco, isso aconteceu 4 vezes, até que ela percebeu que eu não dormia, até que eu já de pau duro antes do filme coloque um calção sem cueca, quando eu julgava que ela estava dormindo me virei coloquei ele duro pra baixo e me virei de modo que ele se acomodou bem no meio das pernas dela, eu ali fingindo dormir e ela rebolando, agora imagina minha surpresa a hora que
ela levou a mão e ajeitou minha pika de modo que ela entrou no shorts, eu tive certeza que ela estava acordada, eu quase broxei na hora e disse em voz alta, Julia , ela virou o rosto e disse que? Ficando parada, eu falei hóquei estava acontecendo, ela disse que estávamos trocando carinho, eu falei como assim, ela disse que nós dois éramos tudo um para o outro e sabia que ela lembrava a mãe dela e que eu era muito sozinho , que por causa dela as outras mulheres não davam atenção pra mim e que não tinha nada de errado trocar carinho, e disse assim. Se você não quer fica paradinho que eu quero. E seguiu rebolando, mais e mais, e como eu não demonstrei reação , pois estava decidindo se me entregava ou não ela disse pra eu ficar de barriga pra cima, eu me virei ela veio tirou a blusa e o shorts e começou a desliza sobre minha pika, eu nunca tinha sentido uma sensação de Prazer e culpa ao mesmo tempo, ela gosou assim e continuou, eu não gosei assim, ela saiu de cima de mim e ficou me olhando , pegou na minha pika e disse é assim que faz e começou a bater uma punheta, ela deu umas duas ou três punhetadas e eu gozei assim, nossa que gosada.Ela então se levantou e eu virei pro lado a cabei dormindo sem falar nada, no outro dia de manha eu evitava falar no assunto em um misto de culpa com prazer e desejo, ela agiu normalmente, fui trabalhar mas só estava de corpo presente no escritório, no almoço, eu falava nada e ela conversando normal, até ela disse assim.Que saco isso, não quero que fique esse clima entre nós, não fizemos nada de errado, nem filha de sangue eu sou tua.Eu me impressionei com a firmeza e a praticidade, não fale nada e fui pro trabalho ,na saída fui tomar uma gelada com amigos e arrumar uma transa pra me sentir limpo do meu pecado, mas quando fui pro carro a paquera só me atiço, fui em uma rua que sempre tem garotas de programas mas só tinha travestis, como não curto isso, liguei pra meu amigo e perguntei onde eu podia achar, ele disse que só da danceteria da cidade, eu fui pra casa de saco cheio, quando cheguei em casa, ela estava olhando TV, ali com uma camisolinha estilo vestido, muito curta, era pra me provocar , ela veio e disse que ia esquentar a janta, eu jantei tomei banho, pensei em bater uma punheta , mas o diabinho veio falar comigo mais uma vez, eu pensei, se não penetrar e não beijar não terei culpa, então me deitei e passou uns dez minutos, ela vem abre a porta do quarto, e diz assim.Não fica assim comigo, poxa ( já fazendo manha e biquinho) gosto tanto de ti.Eu falei que não tava diferente e que ela não esquentasse a cabeça, ela disse. Me abraça então pra confirmar que esta bem, não quero que sinta vergonha com o que aconteceu.Eu levantei da cama e abracei ela, ela me deu um senhor abraço, muito gostoso e disse.Vou deitar um pouco contigo. Eu aceitei , de certo modo eu estava ansiando isso, ela deitou se acomodou e começou a dizer surrando, que gostava de mim que eu protegia ela e foi esfregando a bundinha na minha pika que subiu na hora, ela se esfregou se esfregou e pediu pra virar e ficam embaixo de min, eu aceitei ela tirou a camisola e ela estava com uma calcinha muito pequena, ela foi me beijar na boca eu desviei, e ela disse tudo bem, entendeu que eu esta me acostumando com a ideia,   ela pediu para eu tira a cueca eu tirei e quando olhei ela estava sem calcinha, nunca tinha visto uma bucetinha tão nova ao vivo, e lisinha perfeita, com lábios fininhos e parelhos, gosei esfregando minha pika nos lábios dela e ela gosou duas vezes, mas minha pika estava dura ainda, ela disse que queria que eu gozasse na bundinha dela sem enfiar, ela virou de bruços e eu fiquei esfregando no rego dela, quando ia gosar eu falei e ela disse.Encosta a pontinha no meu cu e joga porra la dentro,e foi que eu fiz, encostei a ponta da pika na entradinho do cuzinho dela e gosei e a porra chegou a entrar , e ela dizia que tava sentido ela La dentro, eu bati uma punheta assim,mas não cheguei a gozar um monte, mas foi maravilhoso, ficamos ali eu dessa vez não sentia culpa,fomos tomar um banho, e ela disse que queria me mostra uma coisa, fomos pra cozinha comer algo que estávamos com fome, ela disse.Lembra que queria te mostrar algo?E pegou uma banana descascou e disse pra eu olhar e colocou um senhor pedaço dento da boca e me olhou e piscou, e tirou ela, meu pau deu sinal de vida na hora, ela disse que fazia umas semanas que ela treinava, e queria fazer comigo, tomamos o lanche e fomos deitar ela veio e começou a chupar , ela colocava toda a minha pika na boca e tirava me olhando nos olhos, mas eu não ia gosar, eu tinha gosado duas vezes , ela dizia que nunca iam baixar meu pau, eu então disse deita e abre as pernas, eu dei uma chupada nela, uma buceta linda e virgem chupei com vontade e percebi que ela era uma mulher multiorgástica, tinha múltiplos orgasmos um em cima de outro, mandai ela virar de bruços e ela enlouqueceu quando lambi o cuzinho dela, ela disse que não sabia que isso era tão bom , depois coloquei ela de pernas aberta na cama e eu me ajoelhei e chupei a buceta dela e o cuzinho, quando ela foi gozar eu lambi o cuzinho dela e masturbei ela com a mão, tive que tomar outro banho pois fiquei com a cara melada, cheguei no quarto e ela disse que queria beber minha porra, como já tinha passado bastante tempo ela chupou e eu gosei.Agora ficamos repetindo isso sempre todas as noites, mas agora começamos a fazer sem hora marcada e sem escolher local, não penetrei ela ainda, mas esta muito bom do jeito eu esta, ela disse que fazia 3 anos que ela percebeu que sentia atração por mm e que desejava muito isso.Ficou grande, mas é verdade, não tem loucuras ou super penetrações, pois tudo é verdade, vocês não tem ideia como a opinião de uma pessoa pode mudar conforme a vida vai passando. Nunca imaginei me envolver com ela, mas a danadinha foi arquiteteando tudo até acontecer.

o zelador do motel

meu nome é Leandro 27 sou um homem bem gostoso para minha mulher que amo tenho 1,78 peso 76kg, minha namorada mônica 29 jornalista 1,64 e 51kg é uma delicia, mais assim, é muito tesuda tem um rabo gostoso de dar inveja a muita mulher, e fazer muito vagabundo ficar de pau duro, puta que pariu que rabo gostoso, sem falar da cara de safada e sacana que ela tem, bom em fim, juntos temos fantasias em comum quando transamos ficamos nos imaginando numa praia da Grécia, de como seria transar gostoso na frente das pessoas, falamos de passar bronzeador até comer o cuzinho rosado, virgem e delicioso dela, ai que rabo.Certo dia fomos a um casamento de uma amiga jornalista, sabe como são esses eventos igreja, padre, piadas, risadas, festa e muita bebida. Bebemos muito, eu diria que ficamos embriagados ela estava muito sensual esse dia, usando um vestido sexy e provocante, ainda por cima estava fazendo charme, dançando como uma louca cheia de tesão, provavelmente com sua boceta toda molhada atiçando os olhares dos machos ao redor, confesso que fiquei até com um pouco de ciúmes e fui dançar com ela e suas amigas, o cheiro de sexo de suas entranhas umedecidas pairava no ar, dava para notar que ela queria era um membro entalado em sua boca e um macho para fodê-la gostoso ali mesmo na frente de todos, vê-la pagando um boquete e socando uma punheta com sua boca aberta esperando meu leite quente gostoso jorrar em sua boca, ali mesmo, era tudo que eu queria. Não preciso nem dizer que meu pau ficou uma viga de aço incandescente querendo explodir pra fora da calça e dar lhe uma surra de pica bem dada naquele rostinho lindo e delicado seria ótimo.Saímos da festa e estava meio que combinado de dormimos em um motel, eu estava embriagado, daí deixei –a Dirigir, pois parecia que estava melhor, engano meu minha gata estava terrível, endiabrada fez barbaridades no transito ate chegar no motel, já fui sentido o que seria naquele motel. Chegando lá havia uma espera de aproximadamente 30 minutos, encostou o carro num canto próximo a cabina da recepçãoe o clima pegou fogo, Juntou tesão com o diabo e eu já com meu pau duro de 18 x 5cm, saquei a benga pra fora e dei a ela para mamar, por um instante de lucidez lembrei que estávamos no carro esperando vaga no quarto mais até ai já era comecei a arrancar sua roupa a lamber seu corpo de cima ate chegar sua boceta completamente encharcada, eu me enfiei de cara com gosto, suas atitudes eram voraz eu parava de chupar e ela mordia minha benga com vontade me olhando com uma cara de cachorra querendo ser extremamente enrabada. Foi quando a coloquei de quatro no banco de passageiro da frente abri bem seu rabo peguei na minha benga entumecida e empurrei com força pra dentro daquele rabo gostoso que não parava de latejar, foi quando para minha surpresa olhei pela janela e vi o zelador do motel nos olhando, não quis nem saber continuei bombando naquela rabeta sem deixar de dar umas sapatadas naquela bunda divina, olhei de novo e vi que o zelador estava se aproximando, dei uma ultima bombada bem dada e avisei a ela, minha gatinha levou um susto se recompôs em milésimos de segundos dando uma última gemidinha “aie” , então o zelador se aproximou bem perto da janela e deu a chave do nosso quarto.      

meu primeiro boquete

olá, hj vou contar para vcs como rolou meu primeiro boquete tudo aconteceu assim.Um dia o meu colega (vizinho meu mais velho que sempre me comia) voi até minha casa e me chamou para brincar de esconde esconde com ele.

A ESPOSA DO ALFREDO ME MAMOU

AS VEZES ENCONTRAMOS PESSOAS MUITO BACANAS , MAS NO ENTANTO INOCENTES , EU FUI HJ CEDO LÁ NO SITIO DO SEU ALFREDO , UM CONHECIDO , SENHOR BOM DEMAIS , CASADO COM A DONA CIDA , UMA SENHORA , DE 1,65M , UNS 65 KG , SEIOS GRANDES , BUNDA GRANDE , NOSSA FUI MUITO BEM TRATADO , DONA CIDA COM UM VESTIDO DE FLORES , OS PEITOS ENORMES , FEZ CAFÉ , TOMAMOS , DEPOIS O ALFREDO FALOU FICA AQUI QUE VOU ALI APARTAR OS BEZERROS , FALEI EU VOU COM VC , ELE DISSE NÃO VEM NÃO, TEM VACA BRAVA , RECUEI É FIQUEI ALI NA VARANDA A DONA CIDA COLOCOU OS DOIS PEITÕES EM CIMA DA MESA , NOSSA QUE LINDO EU BABEI NELES , ELA FALOU QUE FOI , OLHAR FIXO FALEI NOSSA , NOSSA , ELA NUM ATO LOUCO , DESCEU O ZIPPER DO VESTIDO , OS PEITOS SALTARAM PRA FORA ,OS 2 EM CIMA DA MESA , ENORMES , ELA RIU E DISSE ALFREDO ESTA VINDO , FDP ME APRESSOU , EU COMECEI A ALISAR MAS SÃO GRANDES , ENORMES BOLAS , EU CONSEGUI DEBRUÇAR NA MESA E MAMAR OS BICO GRANDES , DAVA PRA VER SEU ALFREDO LA NO PIQUETE , EU DE SHORT , PAU TRINCANDO , DEI A VOLTA NA GRANDE MESA , SUBI NO BANCO E SENTEI NA MESA , ELA PUXOU MEU PAU PELA PERNA DO MEU SHORT ESPORTIVO E MAMOU ,PUXOU MINHAS BOLAS E MAMOU , A DANADA FEZ UMA GARGANTA PROFUNDA , ENGOLIU MEU PAU TODINHO , BABAVA NO PÉ DO PAU ,MAMOU AS BOLAS E PEDIU ME DA LEITE ,ME DA , E MAMOU COM VONTADE MEU PAU , QUE NÃO AGUENTEI E SOLTEI LEITE NA BOCA DELA , OUVIMOS O ALFREDO CHEGANDO ELA VORREU PRA DENTRO EU SENTEI NO BANCO , TOMAMOS MAIS UM CAFÉ ,PAPEAMOS É LOGO ELA VEIO , VIM EMBORA LOUCO PRA FODER VOM ELA , IMAGINO A BUCETONA LINDA.

coroa do do aplicativo

tudo bem com vcs esse e meu primeiro relato vou te falar com sou sou moreno,1,77 um pouco acima do peso 98 kilos, casado a 15 anos tenho 39 .                                                                                          Bom tudo começou quando instalei um aplicativo de relacionamentos nos primeiro dia começei a conversar com uma mulher de 59 anos conversa vai, começamos á conversas picantes mais depois disse que era casado pra minha sorte ele disse que ja tava com tesão em mim, então marcamos de nos conhecer e logico se a quimica continuasse ia para um motel.                                                                   Sou da região da grande vitoria no espirito santo,marcamos de nos conhecemos num terminal rodoviario daqui, chegando la ela tava na catraca onde marcamos ela tava de vestido ate o joelhos batom vermelho ela era gentil nos apresentamos ela se chama vera lucia, nem conversamos ela disse vamos .                                                                                                                                                               E dentro do taxi comecou ja as caricias beijos ja coloquei a maos nas pernas e ja pessei a mao a buceta dela por cima da calcinha ,chegando no motel fomos para a suite ela sentou na cama antes de qualquer coisa ja deitei ela na cama levantei o vestido dela e sen tirar a calcinha so puxei pro lado chupei sua buceta ela gemia mordia os labios apertava minha cabeça contra sua vagina eu particulamente adoro chupar uma buceta foi uma sensaçao maravilhosa .                                                   Quando parei ela ficou nua foi uma visão maravilhosa,agora eu deitado na cama ela veio e ajoelhou e começou a mamada magnifica ela chupava a cabeça ela chupava as bolas aquele boquete bem babado delicia .                                                                                                                                           então ela deiitou e cai de boca no seios dela eram medios chupava passava a mao parecia que eu estava perdido kk, enato ela ficou de 4 começei a passar a lingua na buceta e no cu ela se contorcia de prazer entao comecei a penetraçao de devagar e fui bombando cada vez mais forte mais sempre passava o dedo no anus de tambem a cabeça do piru ela ja sabia oq eu queria ela gemia me chamava de cachorro de safado.                                                                                                                                 Entao comecei a chupar ela denovo mais agora dando mais atençao ao cuzinho dela chupava a buceta e lubrificava o cu dela então comei a forçar meu pau no cu ela gemia eu loko de prazer, começou o vai e vem frenetico gozei iqual um loko na bunda dela entao fomos pro banheiro tomar uma ducha ela me passou sabonete e começou a me chupar e la fomos nois uma vez pra saidera.       bom amigos meu conto termina aqui mais vou voltar com mais alguns relatos se quiser entrar em contato comigo.

os arrepios de Lurdinha V

Era tarde passava das 10:00Hs da noite,fazia calor,Lurdinha estava sentada na calçada em frente á sua casa,lembrava sua primeira experiência sexual,com os dois meninos na casa em obras,sentia vontade de ter outra,uma excitação tomava conta de seu corpinho,estava com um top,e,uma mini-saia,dava pra ver suas calçinhas,as vezes passava a mão na sua bucetinha de leve,estava só,sua mãe,e,seu pai estavam vendo tv despreocupados,quando foi surpreendida por dois homens que passavam na rua,haviam saido do bar próximo:

MINHA ESPOSA DE SERTANEJA RECATADA A AMANTE DO PATRÃO

O CANALDOSCONTOS TRÁS PARA VC A HISTÓRIA DELICIOSA DA CAATINGA A SELVA DE PEDRA , SOU O CONHECIDO POR TOINHO DE JULIÃO, TENHO 25 ANOS , CASADO CO JESUITA DEC23 ANOS , UMA MULHER FRANZINA , 1,70 M , 38 KG , PEITOS PEQUENINOS E BUNDA PEQUENA , CALOS NAS MÃOS DE TRABALHAR COM A ENXADA   NO SITIO DO MEU PAI NO SERTÃO TRABALHAMOS MUITO , MAS DECIDI VIR EMBORA PRA SÃO PAULO , MINHA ESPOSA TOPOU , VIEMOS , MEU TIO ARRUMOU UM TRABALHO PRA MIM EM UMA MANSÃO DE UM SENHOR , O GETULINO 57 ANOS   SEPARADO , A EMPREGADA ME FALOU QUE ESTAVA PRECISANDO DE UMA EMPREGADA A MAIS , FOI AI QUE INDIQUEI MINHA ESPOSA , O SEU GETULINO MANDOU MINHA ESPOSA VIR , PARA ENTREVISTA , NO OUTRO DIA TROUXE MINHA ESPOSA E ELA FOI AO ESCRITÓRIO , ELA VEIO COM A MELHOR ROUPINHA , CONVERSARAM , ELA GOSTOU MUITO DA MINHA ESPOSA , MAS NÃO DA ROUPA , MAS ELE QUETIA CONTRATAR , POIS GOSTA DE MIM E ME AJUDARIA , ELE DISSE , DONA JEZUITA , VC VAI SER CHAMADA DE JÊ , VAMOS NA LOJA COMPRAR UMAS ROUPAS PRA SENHORA COMEÇAR A TRABALHAR , ELE FOI COM MINHA ESPOSA , COMPROU , CALÇAS , BLUSAS , SALTO , TENIS , SANDÁLIAS, CALCINHA , NORMAIS E VARIOS FIOS , MARCOU CABELEIREIRO , MANICURE E PEDICURE , MAQUEADOR , CARA , O MOTORISTA LEVOU MINHA ESPOSA AS 9 HS DA MANHÃ DA TERÇA FEIRA BUSCOU AS 15 HS , MINHA ESPOSA CHEGOU LINDA , UMA MODELO , FIQUEI PASMO DE VER A BELEZA DELA , COMECEI A TER UM CIUME , MAS ELA NUNCA TEVE , O PATRÃO ME CHAMOU E DISSE , A JÚ VAI ME AJUDAR A TOMAR CONTA DO ESCRITÓRIO , VAI SER MINHA SECRETÁRIA, POXA QUE BACANA CARA , ELA FOI TRABALHANDO , SE MANTENDO LINDA , MAS EU SABIA QUE MEU PATRÃO ESTAVA DE INTERESSE NA MINHA ESPOSA , DECIDI QUE IRIA TIRAR SATISFAÇÃO, MEDO DE PERDER O TRABALHO EU TIVE , ELA TAMBÉM PERDER O TRABALHO DELA , MAS FUI NO ESCRITÓRIO , MINHA ESPOSA ME ANUNCIOU , ELE DISSE PEDE PRO SEU ESPOSO ENTRAR , EU ENTREI ELE FECHOU A PORTA , SENTOU NA CADEIRA SUPER CONFORTÁVEL , FALOU PRA MIM SENTE – SE MEU GAROTO , EM QUE POSSO AJUDAR VC ? EU DISSE NEM SEI COMO FALAR ISDO MAS VOU FALAR   ELE DISSE SIM , FALEI , O QUE O SENHOR QUER COM MINHA ESPOSA? COMO ASSIM ?ELE DISSE , O SENHOR ENTENDEU O QUE ESTOU FALANDO , O SENHOR TRATA ELA COMO PRINCESA , ELE ME SURPREENDEU , DISSE , MEU RAPAZ , SUA ESPOSA É UMA PRINCESA , POR ISSO TRATO ELA COMO PRINCESA , GOSTO MUITO DE VCS , QUERO QUE ME ENTENDA , NÃO FIQUE BRAVO ,MAS ACHO ELA LINDA , VC TEM MUITA SORTE EM TER ELA , EU QUERIA TER UMA MULHER ASSIM , ADORO ELA ,ME DESCULPE VIU ,MAS É ISSO , FUI SAINDO ELE DISSE TONY , SEGREDO É SEGREDO , ENTENDI ELEQUERIA TRANSAR COM MINHA ESPOSA , NOSSA VIDA ESTAVA BEM , CONVERSEI DO ASSUNTO COM ELA , ELA SE RECUSOU , MAS A GENTE MORANDO DE FAVOR , ELE INVESTIU NA MINHA ESPOSA , OFERECEU UMA CASINHA PRA GENTE MORAR E DISSE PODE SER DE VCS , ELA ME CONTOU , EU DISSE , VC SE RECUSOU , ELA FALOU QUERIA VER SUA OPINIÃO, EU DISSE AMOR PEGA ESSA CASINHA PRA GENTE , MAS FUI LÁ E FALEI SEI O QUE O SENHOR QUER ,MAS VAI DAR O QUE PROMETEU , ELE DISSE SIM , COM CERTEZA , ELE NOS CONVIDOU PRA IR A NOITE NA CASA DELE , MINHA ESPOSA VESTIU UM SHORTINHO , TÊNIS, FIOZINHO , TODA LINDA , FOMOS , ELE HAVIA PLANEJADO TUDO , A MESA COLOCADA , COMEMOS , TOMAMOS , FOMOS PRO SOFÁ , ENTÃO ELE ABRAÇAVA MINHA ESPOSINHA , BEIJAVA A BOCA DELA , ACARICIAVA AS COXAS DELA , OS CABELOS AGORA LINDOS , TODA MUDADA , ELE TIROU A BLUSINHA DA MINHA ESPOSA , TIROU O SHORT DEIXOU ELA DE FIOZINHO DOURADO E TENIS NO PÉ   PORRA QUE DOIDURA É ESSA FÍ DA MULÉSTA , EU COM TESÃO EM VER OUTRO CARA PRESTES A COMER MINHA ESPOSA , ELE CHUPAVA OS PEITINHOS DELA   EU PARADO , MAS O FDP TIROU O FIO COM OS DENTES , A BUCETINHA LISINHA , O CUZINHO DEPILADINHO , ELA FOI TIRANDO A CAMISA DELE , A CALÇA O SAFADO DE CUECA O PAU DURO ,MINHA ESPOSA APALPAVA , ELA EIROU A CUECA , AGACHOU E MAMOU O PAU DELE , EU ME PUNHETAVA , ELE GEMIA COM ELA MAMANDO AS BOLAS , O FDP DERRUBOU ELA NO CHÃO, CHUPOU A BUCETINHA O CUZINHO E PENETROU MINHA ESPOSA , NOSSA , ELA GEMIA NA VARA , COMEU DEITADO , FRANGA ASSADA , 4 , ERGUIDA   ELA GOZOU NO PAU DELE AI EU NÃO AGUENTEI E GOZEI NA PUNHETA , ELE GOZOU DENTRO , ELE DEU A CASINHA PRA NÓS , NESTES 8 MESES QUE ELE ESTA COM.MINHA ESPOSA , JA NOS AJUDOU MUITO , ELA HJ É TIPO MINHA ESPOSA E ESPOSA DELE , SEMPRE ESTÃO NAMORANDO , NOSSA VIDA É BEM CONFORTÁVEL , LEIA CONTOS DO CANAL   GOZE BEM.

HISTÓRIA – 9 – ALEZINHA E AMIGA NA REPUBLICA DOS UNIVERSITÁRIOS

SOU ALEZINHA , TREPEI COM O PROFESSOR ACERTEI MINHA SITUAÇÃO E AGORA MINHA AMIGA DE SALA A ANNE, ME FEZ UM CONVITE PARA TOMAR UM VINHO NA REPUBLICA DE UNS GAROTOS DE UM CURSO MATINAL , PASSAMOS NA CASA DELES , LÁ TINHA 2 , NA VERDADE MORAM EM 3 RAPAZES , ENTÃO , PASSEI DEIXEI ELA E FUI EMBORA , POIS QUERIA IR PRA CASA VER MEU MARIDO , NO OUTRO DIA ENCONTREI MINHA AMIGA DE SALA TODA ROXA , PERGUNTEI PRA ELA O QUE HOUVE E ELA ME FALOU QUE OS 3 RAPAZES E ELA TOMARAM UMAS CERVEJAS E VINHO E ELES PEGARAM ELA , DEIXARAM ELA NUA E CHUPARAM BUCETA CUZINHO , PEITOS , COMERAM A BUCETA O CUZINHO , ELA MAMOU OS 3 , OS 3 CHUPARAM ELA , EU FIQUEI LOUCA DE TESÃO COM ESSA CONVERSA E ELA FALOU VAMOS LÁ QUALQUER HORA EU DISSE VC ESTA DOIDA , MAS EU ESTAVA DOIDA PRA IR LÁ , PASSADO 8 DIAS ELA ME CONVIDOU PARA IR ATÉ LÁ SAIMOS AS 8 HS DA FACULDADE , ELES MORAM PERTINHO , ENTRAMOS NA REPUBLICA ESTAVAM OS 3 , PAPEAMOS E COMEÇAMOS A TOMAR , EU TOMO 1 OU 2 LATINHAS , MAS COMEÇOU A PUTARIA MINHA AMIGA PEGANDO NO PAU DOS 3 ELES GRUDANDO ELA , EU DISSE VOU EMBORA , MAS UM ME GRUDOU E DISSE VAI NÃO LINDA , POXA EU DE CALÇA E COM UM FIO DENTAL ENTERRADO NO RABO , PEITÕES E UMA BUNDINHA DELICIOSA , NÃO DEU OUTRA MINHA AMIGA DISSE PEGUEM ELA EU QUERO ASSISTIR , FOI CRUEL , OS 3 GRUDARAM EM MIM EU TENTEI ME LIVRAR MAS ARRANCARAM MINHA ROUPA , QUANDO VIRAM O FIO ENTERRADO NO MEU RABO QUE ENLOUQUECERAM , ELES ME CHUPAVAM OS PEITOS A BARRIGA , BUCETA E CUZINHO , UM SAIA DO CUZINHO OUTRO VINHA , UM SAIA DA BUCETA VINHA OUTRO , EU ESTAVA DOMINADA POR 3 RAPAZES DE IDADES ENTRE 22 A 24 ANOS , MINHA AMIGA FALAVA VAI COME ELA , MAS ELES COLOCAVAM OS PAUS NA MINHA BOCA EU MAMAVA UM , DEPOIS OUTRO E DEPOIS OUTRO ERA UM RODIZIO , QUANDO COMEÇARAM A COMER MEU CUZINHO E MINHA BUCETA FOI DUPLA PENETRAÇÃO QUE EU SENTIA UM PAU TOCAR O OUTRO DENTRO DE MIM EU SEMPRE TIVE VONTADE DE SER PENETRADA POR DOIS CACETE , UM TIRAVA DE UM BURACO VINHA O OUTRO E PRENCHIA O BURACO VAZIO , MINHA AMIGA COMEÇOU A SACANEAR CHUPAVA O PAU DE UM E COLOCAVA DENTRO DE MIM , CHUPAVA O OUTRO E COLOCAVA EM OUTRO BURACO O PAU QUE IA SOBRANDO EU MAMAVA , MINHA AMIGA MAMAVA , ELES COMEÇARAM A FUDER NÓS DUAS AGORA , MONTAVA DOIS EM MIM E UM NA MINHA AMIGA , AS VEZES OS 3 CARAS EM UMA DE NÓS , ME BATERAM TANTO NA BUNDA E FORA OS ROXOS QUE SOFRI DA PEGAÇÃO , LEVEI DUAS GOZADAS AS DUAS NA BUCETA , MINHA AMIGA LEVOU UMA NO CUZINHO , EU CASADA MINHA AMIGA NOIVA , MINHA AMIGA FUDEU MUITAS VEZES COM ELES EU SÓ TIVE A OPORTUNIDADE DE IR LÁ 3 VEZES MAS VALEU A PENA FIZ DUPLA NA BUCETA E DUPLA NO CUZINHO , UMA VEZ TRIPLA 2 PAUS NA BUCETA E 1 NO CUZINHO , MINHA AMIGA FAZIA DE TUDO, MAS FUDEMOS MUITO NESTAS 3 VEZES , EU CHEGAVA EM CASA SÓ O BAGAÇO DE TANTO ELES ME COMEREM , LEVEI MUITA GOZADA DELES E SEM CAMISINHA EU ADORO QUE GOZEM DENTRO.

Loucuras com picolés

Oi! Vou contar uma história bem louca para soltar a imaginação de vocês, internautas. Pode parecer loucura, mas realmente aconteceu, no parque da cidade, aqui em Cuiabá (MT). Sou uma loira alta, com umas formas definidas, safadinha e muito criativa nas minhas fantasias sexuais, mas naquele dia, eu bati o recorde. Eu vendia picolés num quiosque no parque da cidade, cheio de trilhas, pistas para caminhadas, aparelhos de ginástica e muito verde, justificando a fama de “Cidade Verde” que a cidade recebe. Já tinha experimentado muitas formas de sexo, mas nunca uma relação sexual com outra mulher. E nesse dia estava muito calor, e eu derretendo de suor, mas ali, querendo ganhar o meu pão. Foi quando chegou no quiosque uma morena que estava praticando um Cooper no parque. Ela parou e pediu um picolé de uva para refrescar, pois ninguém é de ferro. Atendi-a e ela chupou o picolé ali mesmo no quiosque. Reparei as curvas daquela morena, bem cuidadas, de tanta malhação. Ela usava uma blusinha amarela, realçando os seus seios empinados e um shortinho azul bem colado na bunda. Ela começou a puxar uma conversa comigo, e então ficamos jogando conversa fora. Depois de ganhar alguma confiança, nos apresentamos uma a outra. Seu nome era Simone. E ela insinuou-se para mim, dizendo que eu era muito bonita. Aí, fiquei com um pouquinho de vergonha e agradeci, dizendo que ela também era muito bonita. Simone sorriu e pediu outro picolé, mas que desta vez, ela escolheria. Deixei ela mexer no freezer, e quando ela baixou o corpinho e empinou a bundinha, não resisti e passei a mão com calma naquela bunda sarada. Simone levantou e me olhou, assustada. Eu pensei que tinha feito algo errado e disse: “Ah, desculpe, eu…”, mas depois, a Simone me olhou, pegou na minha mão, colocou-a novamente na sua bunda e se aproximou de mim. Me abraçou, pegou pela minha cabeça e deu um beijo na minha boca. Veio uma sensação louca para nós. Despi os peitos dela e ela começou a tirar as minhas roupas. Encerrei o expediente no ato e fechei o quiosque. Continuamos a arrancar nossas roupas e ficamos roçando nossos seios um no outro, aumentando o desejo. Quando tirei o shortinho da Simone, eu vi que ela não usava calcinha, e me espantei com essa audácia. A Simone justificou que não usa calcinha quando corre de shortinho. Fiquei mais louca ainda e retribuí com um beijo gostoso naquela boquinha maravilhosa. A partir daí, botei minha criatividade para funcionar. Deitei a Simone no chão e peguei no freezer um picolé de limão. Passei o picolé nos peitinhos da Simone, o que deixava ela arrepiadinha e fui lambendo-os, sugando o suco de limão que formava ali. Fui passando pelo corpo da Simone e lambendo, à medida que passava. Depois, cheguei na bucetinha dela. Lambi o seu grelinho, fazendo-a gemer e aproveitei para passar o picolé de limão naquela buceta. A Simone ficava muito arrepiada e gozava muito, à medida que eu tacava o picolé na buceta dela e lambia gostoso. Buceta de limão, uma delícia que acabara de inventar na hora. Depois, voltei para a boca da Simone, fiz ela chupar o picolé e beijamos-nos novamente. Taquei mais ainda o picolé de limão na buceta dela e ela só que gozava… Aquilo era muita tentação para um dia de calor!!! Depois de algumas metidas nela, passei o picolé para ela. Fiquei de quatro e ela lambuzou o meu pescoço e sugava-o com os lábios. Depois, o picolé foi descendo nas minhas costas e me arrepiando. A Simone passou a delícia do picolé nas minhas nádegas e sugava-as, beijava-as e ficava muito louca. Terminou o picolé, deitamos, beijamo-nos novamente. A Simone gostou da brincadeira e resolveu pegar outro picolé. Desta vez era de abacaxi. Aproveitei e pedi para ela pegar um de morango também. Eu comecei a chupar o picolé de limão e ela pegou o de abacaxi e foi fazendo a mesma coisa. Passou pelos meus seios, meu corpinho até chegar na minha buceta. Ela foi tacando gostosinho na minha buceta aquele picolé de abacaxi, enquanto eu passava a língua no picolé de morango. Ela deliciava-se na minha buceta e eu fazia de conta que estava chupando um pau de morango. Delicioso!!! Nós ficávamos tão íntimas que eu a chamava de amor e ela de gostosa. Depois de um bom tempo, o que sobrou do picolé de abacaxi, ela passou nos meus seios e chupou-os com muita firmeza. Depois, fui até a gaveta do caixa e peguei um brinquedinho gostoso para brincarmos mais. Uma calcinha acoplada a um pau que eu tinha comprado na véspera e tinha esquecido ali. Pedi para a Simone vestir. Ela fez isso e eu passei o picolé de morango naquele brinquedo. Inaugurei-o, levando a minha boca em direção a aquela delícia lambuzada. Fiz de conta que tava fazendo um boquete para a Simone e que ela iria me foder. Depois, deitei-me, abri minhas pernas e ela foi se aproximando, enfiando aquele “cacete” de brinquedo dentro de mim. Ajeitei minha buceta para facilitar a penetração, e ela foi me comendo, e eu gozando, cada vez mais, aquilo tava ficando bom demais!!!!! Ela ficou ali, me fodendo por um bom tempo. Depois, mudamos de posição. Ela ficou sentada, e eu montei nela, ficando por trás. O gozo saiu melhor ainda. A Simone passava a mão nos meus seios e a língua no meu pescoço enquanto eu requebrava toda. A alucinação era tanta que eu enfiei a minha mão por baixo da calcinha e comecei a bater uma siririca na buceta da Simone enquanto ela me comia. Gozamos ao máximo. Exaustas, deitamos-nos e soltamos mais um beijo caloroso. Então resolvi agir. Pedi a calcinha de volta e a vesti. Agora era a minha vez. Pedi para ela chupar o pau e fazer o boquete nele. Enquanto isso, a Simone passava a mão na boceta dela e se masturbava, para aumentar a excitação. Posicionei-a de quatro logo depois, tinha ainda um pouquinho de picolé de morango, lambuzei o cuzinho dela e fui metendo o pau nela. A guria gritou e gemeu de prazer. Eu estava ali, comendo a bunda de outra mulher, minha fantasia se realizando. Claro, com jeitinho, pois também sou mulher, e sei como mulher gosta de levar ferro no cu com jeitinho, bem devagarinho. A bunda da Simone batendo na minha calcinha e eu comendo ela ali, tava muito bom mesmo. Fodi ela muito, mesmo. Depois, terminamos deitadinhas, beijando nossas bocas. Simone estava muito satisfeita e gostou muito de dar o cu para outra mulher. Eu também a elogiei e depois, ela se vestiu. A Simone fez questão de pagar os picolés, embora eles fossem objetos da minha fantasia. A Simone aproveitou também e deixou, junto com o dinheiro, um cartão com um telefone e o endereço do apartamento dela, para que eu conhecesse, olhando-me sacanamente. Agradeci e prometi ligar outro dia para novas loucuras. Fizemos um gesto de língua uma para outra, e ela saiu. Estava sem fôlego, exausta, mas muito feliz pela fantasia que pratiquei. Mais novidades, claro, vocês estarão sabendo, assim que surgi-las.

mijando na minha namorada

oi meu nome é Ricardo tenho 25 anos e o que aconteceu comigo é realmente verdadeiro há algum tempo eu namorava uma menina chamada Vanessa ela era muito bonita e gostosa ela era loira tinha olhos verdes tinha 1,65 de altura seios medios e bumbum bem arrebitado apesar de ser novinha tinha apenas 19 anos ela sempre foi muito tarada eu aprendi varias coisas com ela

Viajou 3000 km para sentir meu pênis

Olá queridos leitores amigos. Sou o tonho, e tenho 36 anos. Estou relatando nestes contos experiências que vivi durante minha vida. Os nomes são fictícios, mas todas todas as histórias são verídicas. Hoje vou fala de uma maranhense que conheci.Há uns 15 anos atrás eu fiz amizade com um rapaz do Maranhão chamado deu(fictício). Como eu não tinha outro parente próximo, ele era como um irmão pra mim. Em épocas eu conseguia trabalho para ele, e vice-versa. A família dele também estava toda no Maranhão. Eu tinha comprado uma moto para agilizar meus dias. Ele juntou dinheiro pra comprar uma moto também. Então nós dois tínhamos veículos. Alugamos um AP para nós dois, a gente se divertia bastante, mas não sei por que a gente não falava de nossas famílias. Ele juntou dinheiro e foi visitar sua família. Depois de uns 20 dias ele voltou, trazendo muitas comidas típicas de lá, mas a mais gostosa foi a sissi(fictício) sua irmã. Loirinha pequenininha, pouco acima de 1,40 metros, olhos claros e um corpo lindo, ela tinha 27 anos. Mas parecia ter 16. Se apresentou, e já foi bem direta, e disse : só vi pra te conhecer. Já maldei tudo, ela iria ficar com a gente no ap, logo eu iria provar as delícias do Maranhão. No dia seguinte o deu precisou ir buscar um documento em um bairro um pouco distante. Eu tinha passado o recado pra ele, então sabia que ele iria demorar pelo menos 1 hora para ir e voltar. Na noite anterior, enquanto deu banhava, sissi e eu já tínhamos dado uns amasso, ela estava muito folgosa. Então ele saiu para buscar o documento, esperamos uns 5 minutos e já fomos cruzar. Aquela buceta era a coisa mais linda do mundo, rosinha com pelinhos loiros. Fiz um carinho, mas ela disse que queria rola, que saiu do Maranhão já querendo isso. Ela estava tão molhadinha que mesmo sendo pequenininha, aguentou tudo de uma vez, e fui estocando com vontade de um cavalo. Mas não sei se perdemos a noção do tempo, mas mal comecei a foder aquela xana, o deu já estava de volta. Ouvimos quando ele abriu a porta e fez bastante barulho, acho que pra não pegar eu comendo sua irmã, nos vestimos as pressas. E ele não estava feliz com a intimidade que percebeu entre nós. Ele não deu mais a oportunidade de eu ficar a sós com a sissi, então não rolou mais. Logo depois eu conheci Amanda do conto quem faz gostoso faz de novo, e aí é outra história. Mas a sissi continua gostosa até hoje.

A História do papai.

Fala galera, sou o Carlos o pai da Gigi, essa guria que vcs já conheceram e viram como ela é foda para sacanagem, desde de pequena gosta de uma rola na xoxota, fica maluquinha quando engole porra quentinha, a minha então perdi as contas de quantas vezes eu gozei na boquinha e nos buraquinhos dela. Muito safada deve por causa de nosso DNA, o meu e o da Lis, Elisabeth a mãe dela e da Márcia a Tia dela, duas putinhas que comecei a comer ainda rapaz, com uns 20 anos tinha tirado o cabaço das duas uma com uns 15 a outra com uns 13, há tinha a Sílvia a vizinha gostosinha que também estorei o cabaço. Hoje eu conto a saga de conhecer e namorar a Lis, essa eu comecei a paquerar no colégio, lá já via essa menina muitas vezes, nos horários entre as aulas e nos corredores fofocando com as colegas, eu jogava Basquete no colégio, era do time que participava de campeonatos, e como sempre tinha um destaque pois já tinha uma boa estatura e força para o jogo, mas isso fica para o passado vamos ao que interessa. Nesse tempo já ficava com uma ou outra menina as vezes rolava uma sacanagem, fora as amigas da minha mãe que me davam mole, minha mãe era jovem e bonita, as amigas também eram do mesmo top, tinha a Guta essa gaúcha baixinha, lourinha, perninhas grossas a voz então que tesão que me dava. Um belo dia minha mãe me pediu para eu buscar uma encomenda com ela, e la fui eu na boa cheguei na casa dela e a Guta tava lá de camiseta e short, limpando a casa me atendeu na porta e pediu para entrar, como ela era baixinha ela me pediu para ajudar na escada onde ela estava pegando a encomenda da mãe, nessa subida que visual eu tive, o short era larguinho deu para ver tudo claro eu dei uma abaixadinha e pronto o pau ficou logo ativo, pois a visão do reguinho dela era lindo, pelinhos lourinhos apareciam da xoxota dela e as beirolinhas que lindo. Como o marido dela so chegava a noite depois do trabalho fiquei tranquilo e pensei “hoje vou comer essa baixinha”, nisso ela olhou para baixo e me viu agachado e perguntou “gostou do que viu”. Fiquei sem ação mas pensei rápido e falei “logico, vc e muito gostosa e a visão daqui e maravilhosa”…. ela sorriu e desceu da escada, com o embrulho na mão mas falou, “tua mãe não deve estar com pressa, né”, eu balancei a cabeça de forma que sim sem pressa, ela então me pegou pela mão e me levou para o quarto e já foi tirando a minha blusa e lambendo meu tórax, garotão tava sarado na época, o pau já tava daquele jeito que só a bermuda segurava, eu também não perdi tempo, tirei a blusa dela e já comecei os trabalhos nos peitinhos rosadinhos dela que visão duas roelhinhas rosadinhas um sinalzinho do lado do biquinho que me deixou doido, chupava e chupava ela toda tirei o shortinho dela a calcinha vermelha então enterrada no rabo dela, dei um puxão e arranquei tudo já começando a enfiar os dedos no cuzinho dela e na xoxota, ela vibrou tremeu e deu um gritinho muito gostoso, e foi logo para o meu cinto tirando minha bermuda, e já pegando na pica e colocando na boca, ela trabalhou muito gostoso e eu naquele tesão já virei ela de quatro e botei com tudo na xota dela, que ficou maluquinha começou a rebolar para a piroca entrar toda quando comecei a meter com vontade ela pedia mais e falava que o marido dela não era assim tão grande, e que eu tava muito doido, tirei a piroca e preparei para o cuzinho dela dei aquela cuspida na olhota e passei um pouco na ponta da minha pica, ela virou a cabeça falando “mete, vai mete com tudo”, foi a deixa preparei a pica e numa estocada só foi quase a metade que ela gritou um “puta que pariu” com sotaque delicioso, e comecei a bombar com vontade até as bolas começarem a roçar a xota dela, e fui socando e socando cada vez mais ela virava a cabeça para cima, para baixo parecia uma égua no cio de tanto tesão, ficamos uns 15 minutos nessa até ela gozou eu não demorei, e fique pronto para gozar ela mandou eu gozar no rabo dela, pois o marido não gostava de comer o cú dela, atendi de pronto deixei a porra sair com a maior pressão possível que rapidinho inundou tudo e começou a transbordar, tirei a piroca e coloquei na boquinha dela ainda sujo de merda, sangue e porra que ela chupou tão delicioso que o pau ficou duro novamente, ela pediu mais um pouco de piroca, agora fizemos um papai mamãe, mas uns minutos e de novo gozei só que agora foi na boca direto, garotão tinha porra de litro para botar para fora. Nisso as horas já estavam passando e o telefone tocou era minha mãe perguntando por mim, a Guta falou que eu fiquei ajudando a ela numa arrumação, ia fazer um lanche la e já ia para casa, tomamos banho lá comi ela de novo, como ela era baixinha colava na minha cintura e ficava fudendo muito colada na parede e eu socando minha pica na xota dela, acabamos gozando de novo, só que eu realmente me arrumei fiz um lanche para recupera e fui embora para casa tranquilão, fizemos mais algumas sessões dessas.

Conto 2. Segredos de uma locomotiva gostosa

Lendo o conto 1 vai acompanhar melhor essa continuação. Mas um resumo para sentir o clima… sou uma mulher madura gostosa de 56 anos mulata … divorciada e aposentada. Sou bem resolvida na vida domestica e familiar, mas me falta um parceiro sexual.Caminho sempre como atividade física, e numa dessa encontro um homem de 45 anos disposto a me comer, mas resisti no início, acho que o clima quente calcadão ajudou ao destino para essa aventura. Ele trabaha num empresa recém instalada e veio como encarregado geral. Ele é moreno, solteiro, mas ja teve um envolvimento de casamento que gerou um filho. Ja estamos no jogo de quer ou não quer há um tempo.Marcamos para sair hoje a noite , uma sexta feira. Me arrumei de calcinha com um fecho nos lados facil de abrir e soutean amarelo com o fecho na frente. Visto uma blusa branca de alças e saia justa acima do joelho. Sandália de salto alto preta. Gosto de baton vermelho uso sempre o tom de hoje é cereja de longa duração, e marco os olhos com lápis preto. Na realidade quero deixa-lo doido, com tesão, sem sossego. Nos encontramos num Shopping proximo de casa.Quando chego ele ja esta lá. Me olha fascinado, é a primeira vez que me ver de saia, vamos ao carro e rumanos para um lugar no centro da cidade que tem uma comida boa e caseira, é o lugar agradável. Durante o jantar me alisa os braços e as pernas levantando o vestido. As vezes deixo e em outras ameaço tirar. Terminamos e resolvemos ir numa praça próxima, com pouca gente mas com guarita policial. Andamos e ficamos num fundo de um box fechado. Me abraça, deixo afinal não sou adolescente ingênua. Agora beija com a lingua me comendo e apertando meu corpo no seu, apalpa a bunda de 112 cm. Sente que é dura… coisa da raça. Desmancha um laço da blusa e tira um dos meu seios do bojo e chupa… ele mesmo geme… eu mordo os lábios… – Estou doido pra lhe chupar toda minha princesa… Esta transtornado, vem alguem um casal. Me recompondo e saimos.No carro meio escuro… volta a me seduzir. Levanta a saia e ver a calcinha …aperta os olhos e passa a mão. Tenho as marcas da idade mas a cor da pele e o bronze esconde. Volta para me beijar mordendo e machucando meus lábios, e desfazer os laços da blusa e abre o soutean na frente. Meus seios ou melhor meus peitões saltam … bronzeados… duros… em pé… rigidos …quentes e olha-os.Curva-se e chupa um e outro eles crescem … querem serem esmagados pela boca dele. Ele é implacável e morde morde…gooozo… e vai sugando… chupando… gooozo e … puxando os bicos com os dentes … grito.Ele está lívido leva minha mão ao pênis duro… quanto tempo sem um homem… sinto a carne latejando… Se ajeita e masturbu-o … mas esta pronto… solta um melzinho…mas não e gozo… somente um ensaio.O chefe dele o chama pelo celular, e ele não pode recusar…Voltamos a realidade e nos arrumamos … Nas sinaleiras chupa meus peitões e amo. Diz:- Quero passar todas as noites mamando nesses peitões até me fartar. – Quero ser mimado com leitinho da vaca. Sorrio. – Quero chupa essa xoxota e te dar prazer como nunca. Estremeço. Até minha casa… beijos … apertos e chupadas.Em casa tomo um banho morno para dormir, mas, mando self primeiro peitões ensaboados um ângulo sensual e depois da xoxota envolta na espuma tambem bem convidativa.Manda voz de áudio falando sacanagem.De madrugada acordo com uma self do pênis ereto e diz:- Você é a razão do meu estado. – Amanhã te como toda …Sorrio…Continua a ultima parte…

COMENDO A FÊMEA NA PRAIA DESERTA

A virada para 2005 passei com amigos numa agitada danceteria de Santa Catarina. A balada estava ótima e faltando pouco mais de meia hora para a virada de ano, conhecei Camila, uma gaúcha muito gata. Estava de férias e junto com outras amigas revolveram conhecer um pouco das baladas catarinense. A atração mútua fez com que ambos avaliassem dos pés a cabeça todo o conjunto da obra. Atualmente com 28 anos, 1.71m, 67 kg, olhos castanhos esverdeados e super bronzeado, acabei conquistando-a pelo meu sorriso e bumbum gostoso (como haveria de me confessar mais tarde depois de algumas cervejas). Camila tinha 24 anos, morena bronzeada, 1.68m, 50 Kg, olhos verdes levemente puxados. Bumbum um pouco avantajado e durinho, seios medianos, roliços e empinados. Garota de academia, suas pernas (primeira coisa que reparo em uma mulher) eram fenomenais. Mini saia branca e top branco foram o ponto chave para meu pau enlouquecer. Além de simpática, era muito descontraída o que fazia dela “a companhia perfeita” para a hora da virada.Na brincadeira, disse-lhe que se na virada ninguém beijar, ia ficar um ano sem dar. Então a meia noite ela segurou meu pescoço e beijou ardentemente para dar sorte e trepar muito em 2005.Quase de manhã, depois de muita bebida, fomos para o mar e sentamos na areia para ver o sol nascer. Claro que rolou muitos amassos e tudo o que falávamos àquela hora era só sobre sexo.Começamos a rolar na areia, e agilmente, comecei a bolina-la por cima da calcinha. Muitos beijos e algum tempo depois pude sentir a calcinha toda molhada. Desloquei-a para o lado e meti dois dedos de uma vez tirando-os em seguida e chupando para sentir o gosto de sua bocetinha. Camila, abriu suas pernas e voltei a meter meus dedos agora masturbando-a intensamente. Com o dia quase clareando comecei a avistar algumas pessoas muito longe. Agilizei meus dedos, e a danada gozou gemendo bem discretamente. Chupei meus dedos e para minha surpresa, ela também enfiou seus dedos dentro dela e experimentou seu gozo. Beijei suas coxas maravilhosas e caí de boca em sua bocetinha totalmente raspadinha do jeito que mais gosto. Chupei por alguns instantes, mas seu nervosismo era tanto devido às pessoas que podiam aparecer e acabou encerrando a brincadeira. Fiquei meio decepcionado, pois meu tesão estava nas alturas e depois que Camila certificou-se que não havia ninguém nas proximidades, massageou minhas bolas abrindo o zíper da calça para minha surpresa. Sacou meu caralho e bateu uma punhetinha de leve. Mais olhadas ao redor e Camila colocou o rosto entre minhas pernas e engoliu meu caralho punhentando e chupando ao mesmo tempo. Ao imaginar aquela gata cavalgando em mim, gozei fartamente e sem desperdiçar uma gota, a sacana engoliu tudo e depois me beijou deliciosamente.Queria continuar, mas as primeiras pessoas chegaram e nossa festa acabou. Ela confidenciou que nunca havia feito isso na praia com ninguém e que tinha adorado. Pensei em surpreende-la com uma fantasia, mas primeiro precisava marcar um segundo encontro. Levei-a para casa e na despedida, dentro do carro, mais amassos a deixaram em ponto de bala. Estrategicamente coloquei um ponto final (até porque estava caindo de sono) e marcamos para sair na noite seguinte. Dormi até o meio dia, e a tarde fiquei planejando uma fantasia que já realizei algumas vezes, mas que para Camila seria algo para nunca mais esquecer e matar as amigas de inveja. A 50 minutos de onde estava, conhecia uma praia deserta (cujo nome não irei aqui revelar), que seria perfeita para a primeira transa do ano, porém à tarde Camila ligou desmarcando o encontro. Ficaria apenas mais quatro dias nesta praia e depois seguiria para uma outra onde já havia apartamento alugado e tudo. Ela, no entanto ficou de me ligar, e dia 5 de janeiro de 2005 o encontro rolou.Saímos de carro e Camila queria saber onde iríamos. Respondi que era surpresa e ela ficou na dela. Chegamos na praia e estacionei num local reservado. A noite estava completamente estrelada. Milhares de estrelas iluminavam o céu numa noite absurdamente quente. Ficamos os dois, sentados no carro entre beijos e amassos. Ela confidenciou que não havia me tirado de cabeça todos esses dias e que não via a hora de me ver. Respondi que sentia o mesmo, mas pensei que nunca mais a veria.Camila vestia uma mini saia rosa e um top branco que salientava muito bem seus apetitosos seios. Pedi que deixasse sua sandália no carro porque iríamos caminhar um pouco. Tirei uma mochila do carro e ela só olhou sem nada responder. Peguei uma lanterna e saímos caminhando na areia bem próximo do mar. Atravessamos uma divisão de pedras, depois passamos uma trilha, e caímos em numa praia nativa completamente deserta. Lógico que era não era a primeira garota que levei neste local, porém como toda vez é diferente e especial, me empenhei em criar coisas novas. Andamos por quase 20 minutos e chegamos próximo a um barraco de pesca abandonado e coloquei nossas coisas sob um tronco de árvore imenso que estava tombado na areia.A nossa frente o mar negro e infinito, e em nossas costas uma mata virgem nos protegia. Nem uma casa ou construção ao nosso redor. O barulho de grilos, cigarras e outros bichos mesclados ao estouro das ondas na praia revelavam a mais pura natureza inteiramente a nossa disposição.Depois de estender algumas toalhas na areia, apaguei a lanterna e comecei a despi-la lentamente. Beijei-lhe o pescoço, seios, barrigas e terminei de joelhos a sua frente chupando sua boceta raspadinha. A gata arrepiou-se toda e logo interrompi para que também pudesse me despir. Sentamos lado a lado e ficamos alguns minutos contemplando o mar. Somente poucos minutos. Os amassos começaram intensos e tomando a iniciativa deslizei a língua por todo seu corpo, sugando seus seios enquanto dedilhava sua bocetinha. Camila gemia se contorcendo toda. Afastei seus lábios vaginais e meti a língua enrijecida dentro dela como se fosse meu caralho. Continuei metendo até sentir o gozo ensopá-la por inteiro. Resolvemos fazer um delicioso 69, e mais uma vez pude curtir a chupada de Camila. Ela tinha um jeito todo especial de punhetar e chupar ao mesmo tempo fazendo sua boca encher de porra em fração de segundos. Mesmo assim mantive o controle, e enquanto metia a língua em seu rego penetrando seu cuzinho, a danada chupava minhas bolas e também a parte interna de minhas coxas. Meti dois dedos em sua bocetinha e um em seu cuzinho deixando-a bastante animada. Aproveitando a posição, Camila que já estava por cima mesma, sentou-se de costas e iniciou seu rebolado engolindo todo meu cacete. O clima era de muito tesão e impossível de descrever. Para se ter uma idéia, meus pensamentos eram: “macho e fêmea” nos primórdios que trepavam na mata sem pudor algum”. Camila, encarnava a própria fêmea no cio não conseguindo parar de foder. Ela cavalgou incessantemente, inclinando seu corpo para frente onde pude enfiar meu dedão em seu cuzinho para que ela mesma em seguida jogasse todo seu corpo para trás na hora do orgasmo.Coloquei-a no tradicional papai e mamãe, puxando firme seus cabelos e bombando sem parar. Acabei cavando um buraco na areia, que serviu de apoio, deixando meu corpo mais firme e duplicando a força das estocadas. Do seu belo corpo, só via as silhuetas e seus gritos que ultrapassavam o barulho do mar.Meu peito raspava em sua boca, enquanto a sacana entrelaçava ao meu corpo com as pernas deixando claro que só poderia parar quando ela quisesse. Ela chupava meus mamilos, enquanto eu falava em voz alta “sua gostosa”, “sua sacana”, “minha fêmea tesuda”.Ao gozar, Camila destravou as pernas libertando-me. Notei um certo cansaço (reflexo da cavalgada demorada) e duvidei que agüentaria muito mais tempo. Mesmo assim, coloquei-a de quatro, e puxando firme pelas ancas fui bombando lentamente. Ao enfiar meu dedão em seu cuzinho, ela rebolou sendo chamada novamente de “minha fêmea tesuda”. Enquanto metia de quatro, olhei para as estrelas que cintilavam no céu. Procurei na escuridão a fim de assegurar que não havia ninguém esprei
tando, e continuei metendo em ritmo mais forte. Naquele instante eu era o “macho garanhão”, comendo sua fêmea de quatro protegido pela mata selvagem. Camila anunciou o gozo e como estava segurando minha explosão, acabamos por gozar juntos ao som de palmadas, gemidos e gritos intensos. Deitamos para descansar e alguns minutos depois, puxei-a em direção ao mar. De imediato ela freou, alegando medo e receio da água fria. Aquele mar agitado escondido na escuridão da noite era mesmo assustador. Aos poucos ela foi entrando e nossos pés afundaram na areia fofa no fundo do mar. Passamos o perímetro da quebra das ondas e ficamos ali abraçados curtindo as estrelas. A água estava uma delícia uma vez que a noite estava infernal. Chupei seus seios, enquanto ganhei uma punheta submarina de tirar o fôlego. Aproveitei para invadir com meus dedos cuzinho e bocetinha preparando-a para o segundo tempo.Um banho de mar a noite e inteiramente nu é a receita de relaxamento e recuperação mais eficiente que já vi na vida. Simplesmente revigorante. Em pouco menos de 15 minutos estava com um puta tesão e totalmente calibrado. Ao sair da água nossos corpos molhados e salgados ficaram muito mais apetitosos. Nos abraçamos calorosamente nos enroscando, unindo nossos corpos, enquanto a água do mar molhava nossos pés. Ali mesmo na areia molhada, Camila deitou e deixou-se penetrar sem medo nem frescuras. Suguei seus seios agora com o sabor do mar e seguia bombando tirando todo o pau e colocando inteiro até o fundo em movimentos ritmados. A onda estourava e lavava nossos corpos formando um buraco em toda a região em que Camila estava deitada. Sentindo que um novo gozo se aproximava, minha tesuda gritava “vai fundo… mete tudo” e cravando meus joelhos na areia atolei até as bolas satisfazendo seu desejo. Por pouco a mãe natureza não atrapalha a gozada dela. Quando Camila gritou e cravou suas unhas em minhas costas, percebi que a gata estava tendo uma seqüência de múltiplos orgasmos. Comecei a meter num ritmo bem rápido resultando em pequenos orgasmos que se seguiram após a primeira explosão. Nisso uma onda quebra muito próximo da gente nos cobrindo totalmente, lavando nossos corpos parecendo cena de cinema.Seguimos para a parte seca onde estava nossas coisas e sentei no imenso tronco de madeira que servia como banco. Camilinha veio por cima e sentou confortavelmente firmando suas pernas sobre o tronco. Posição super excitante, onde até liguei a lanterna para curtir melhor. Ela roçava sua boceta em mim engolindo e triturando meu cacete. O melhor era poder acompanhar o movimento de entra e sai aumentando ainda mais meu tesão. Fortes palmadas faziam a gostosa gingar mais rápido. Seus peitos saltitavam e não me contendo caí de boca neles enquanto continuava sendo devorado. Deixei o tempo correr esperando por um gozo, porém naquela posição ela não conseguiu. Segurando pelas pernas, fiquei em pé e rapidamente a gata agarrou meu pescoço. Era a primeira vez que ela trepava em pé e sendo assim não sabia como agir.Elevei seu corpo com muita facilidade e aos poucos ela foi se soltando e curtindo as sensações da nova posição. Seus longos cabelos negros balançavam ao vento, e em meio a escuridão com o barulho do mar o clima selvagem mais ou vez apossou-se de mim, e naquele momento me senti o macho mais sortudo do mundo por ter a chance que viver aquele momento intensamente. A posição exigia de meus braços uma resistência incrível, porém tinha prometido para mim mesmo que só iria parar depois que ela gozasse. Camila subia e descia fincando sua boceta em meu pau latejante e a brisa do mar umedecendo seu bumbum. Quando a sapeca grudou com mais força em meu pescoço, senti que estava gozando e ao amolecer seu corpo dobrou seu peso onde caímos exaustos na areia. O calor estava insuportável e resolvemos voltar para o mar. Camila mergulhava e ressurgia como uma sereia do fundo do mar. Na escuridão da noite seu corpo bronzeado não era o destaque, e sim as mínimas partes brancas que cobriam seus peitos e seu bumbum. Mesmo na água nossos corpos pegavam fogo. Beijar sua boca, chupar seus peitos e masturba-la em pleno mar era o auge do naturalismo, do tesão, do medo de ser flagrado, do emocionante por ser uma fantasia que poucos realizam. Voltamos ao nosso ninho de amor, e deitados ficamos admirando as estrelas, completamente molhados, pulsação a mil e o desejo de ambos em recomeçar tudo novamente. Camila veio para deitar-se em meu peito e começou a beija-lo com carinho. Foi descendo beijando minha barriga chegando ao meu pau ainda adormecido. Ela ficou massageando-o e dando beijinhos causando um ligeiro tesão. Ainda mole, Camila lambeu minhas bolas, colocou-a na boca com cuidado e ficou ali chupando e lambendo disposta a levanta-lo a todo custo. Em pouco tempo, ela endoidou em sentir ele crescendo e crescendo cada vez mais até não caber mais em sua boquinha. Iniciou uma punheta maravilhosa deixando-o em ponto de bala. Satisfeita, virou-se arremessando sua bunda gostosa sobre meu rosto e iniciamos um delicioso 69. O fato de ter sido dela toda a iniciativa deixou-me com muito tesão, pois significava que a fêmea ainda não estava satisfeita, e sendo assim, veio pra cima de mim com o objetivo de satisfazer sua vontade e matar seu desejo em busca de mais gozadas. Neste instante, alcancei o bolso da mochila e retirei um gel lubrificante. Passando na entrada de seu cuzinho, resolvi colocar a ponta do dedo dentro dele. Ela gritou, gemeu e não reclamou. Caí de boca em sua boceta sugando e mordendo levemente seus lábios vaginais. Comecei a masturba-la com a língua e com um dedo em seu rabinho. Ela rebolava, e a cada gingada, metia um pouco mais até que meio dedo entrou. Achei apertado e parei para ela se acostumar um pouco. Minha língua masturbava-a sem parar e ao gemer alto percebi o quanto estava curtindo. Enfiei mais um pouco do meu dedo e iniciei os movimentos para sentir como ela se comportaria. Camila abriu ainda mais as pernas, arregaçando sua bundinha e encaixando minha língua em seu ponto G. A sacana gozou e mais uma vez pude sentir o gosto de seu mel em minha boca.Ela então se posicionou de quatro e revolvi meter em sua boceta encharcada enquanto lubrificava seu cuzinho para a penetração. Como não resisto a uma mulher de quatro, esqueci do tempo para curtir seu rebolado e meu pauzão entrando e saindo com vigor. Camila então pede para comer seu rabinho porque estava louca de tesão e com uma imensa vontade de experimentar pela primeira vez um pau de verdade em sua grutinha. Lubrifiquei-a com cuidado e forcei a entrada rompendo as pregas para que a cabeça entrasse. Ela nervosa contraiu a musculatura e foi obrigado a parar. Massageei sua bunda e dei umas boas palmadas que a fizeram relaxar na marra. Para facilitar, ela abriu bem as pernas empinando seu bumbum ao máximo e como já havia visto em filme muitas vezes, começou a masturbar-se em busca de mais um gozo enquanto seu macho a deflorava por trás. Suas primeiras vezes também foram doloridas quando perdeu a virgindade de sua boceta, porém agora podia curtir quantos orgasmos seu corpo pudesse suportar. Pensando assim, ficou molhada de tesão pensando que após a superação da dor, quanto poderia gozar e quantas novas sensações iria sentir?Em meio a tudo isso, meu pau desliza para dentro e para não castiga-la coloco o suficiente para começar a movimentar-se e abrir passagem. Fui bombando devagar e Camila sente a dor incômoda misturada com tesão e pensando em seu macho de joelhos por detrás, calmo, paciente e gostoso. Ela continua se masturbando e rebolando levemente para que meu pau se ajuste da melhor forma dentro dela. Mais umas palmadas e seus músculos relaxam ainda mais e as bombadas iniciam lentas e rítmicas rompendo todas as pregas e elaciando sua gruta.Perguntava a todo instante como ela estava, e Camila afirmava sentir pequenas dores, mas suportáveis pedindo que não parasse por nada. Ela permanecia rebolando e aos poucos aumentei as estocadas, porém em nenhum momento bombei pra valer. Sem pressa, comi seu cuzinho devag
ar desejando que Camila absorvesse as novas sensações do sexo anal, pois a partir daquele momento sua vida sexual teria outro estímulo e se modificaria para sempre.Bombei muito contemplando meu caralho no meio daquela bunda gostosa, inaugurando seu cuzinho virgem como a praia e a mata ao nosso redor. Me senti forte, macho e revigoroso no meio do nada, na escuridão da meia noite, segurando de quatro a cintura de uma fêmea tesuda, enrrabando-a pra valer, completamente dominada dando-lhe só prazer.Fortes palmadas ajudavam-na a se soltar e a rebolar com mais intensidade até Camila gritar que seu cuzinho estava pegando fogo. Minha fêmea estava gozando ou pelo menos sentindo prazer pela primeira vez e na empolgação empurrou seu corpo para trás atolando quase que totalmente meu caralho. Meu tesão foi a mil e depois de tudo abrigado dentro dela, meti com força fazendo o cuzinho da ninfeta incendiar de tesão bastando poucas estocadas para gozar em seu rabo maravilhoso. Permaneci com ele atolado por algum tempo até recuperarmos o fôlego.Tomamos mais um banho delicioso de mar e depois voltamos caminhando na beira da praia inteiramente nus. Ao chegar próximo da civilização nos vestimos e fomos para o carro. No caminho de volta Camila olha pra mim sorrindo e diz: “ta saindo leitinho do meu cuzinho ainda acredita?”. Nos despedimos sabendo que não nos veríamos mais, pois ela estava de viagem marcada para a Inglaterra onde iria estudar pelos próximos três anos. Essa transa ficará gravado em minha memória por muito tempo, e com certeza em Camila sua bocetinha lateja e seu cuzinho queimam só de relembrar essa noite. Você garota que gostou da minha transa e queira trocar algumas idéias, me escreva… MSN:

edilene amor de maepaumartcontos eróticos ultimoscomeu a amiga de trabalhoindiretas para amantes de homens casadosaline fudendovizinha trepandocontos eroticos de incesto com fotoscomer a irmãfotos minhamulhercoroas a procura de novinhocomer a irmãsexo cabo friocomo consertar alça de sutiãhomem comendo cu de cavalobuceta de anancontos eróticos fantasiacontos eroticos avôodeio meu maridocomendo a negra casadamoto na favelacunhada se masturbandomacho na varavovo bem dotadobonita e gostosachupei elatrepando com o chefemijando na namoradaquarentona safadasidmacandando na praiacunhada putatransando com a mulher do irmãocontos eroticos selecionadoscachorro cruzando com porcacasada dando pro cachorrofamilias nuas na praiasecretaria safadafantasia de estudante para festadelicia de picapau cabeça de cogumelomulher cagou no paufudendo minha filhatransando de madrugadaputinha do interiortransando com secretariasexo com esposa gordinhamulheres casadas no cioabrassassetuco grande familiacachorro engatado na bucetameu cachorro me lambe muitomasturbação com cenouracasa dos contos xxxesposa trepandoesposa dando pro cachorromensagem de aniversário para ex cunhadinhafiz ela gozarcasada em dupla penetraçãopiroca de anaominha sogra safadacasada chorando na varanamorando no sofawjnetcavalo pata peludacomendo o cu da minha irmãcoroas gynmaior bunda do mundopiru de natalcasado no cio