TENTANDO ENGRAVIDAR DO AMANTE

O CANAL DOS CONTOS TRÁS PARA VC ESTE LINDO CONTO , SOU A SANDRA (NA VDD ESTE NOME É DA MINHA IRMÃ) , POR SEGURANÇA VOU USAR ESTE , TENHO 1,67M , 60 KG , CABELOS LISOS , AO MEIO DAS COSTAS , SOU BRANCA , 34 ANOS , SEIOS MÉDIOS A GRANDES , BUNDA MÉDIA , SOU UMA MULHER LINDA ,MEIGA , BEM TRANQUILA , VOU USAR ALGUMAS LINGUAGENS AQUI PARA ESPRESSAR O OCORRIDO , PARA ENTENDEREM VOLTO AOS MEUS 15 ANINHOS , NESTA ÉPOCA NAMOREI O DRI DE 30 ANOS , NESTE TEMPO ELE ME TIROU A VIRGINDADE DA BUCETINHA AOS 18 ANOS SOZINHA , CONHECI O DENI 36 ANOS , UM CARA MUITO BACANA , ELE ME EMPOLGOU MUITO , UM CARA COMEDOR DE MULHERES , MAS RESOLVI SAIR COM ELE , SAIMOS E NO MOTEL ELE ME DESPIU EU TODA MAGRINHA LINDA , O SAFADO ME CHUPOU BUCETA , PEITINHOS E PARA MINHA SURPRESA ATÉ MEU CUZINHO LEVOU A LINGUA DELE DENTRO , MAS ADOREI E CONTINUEI A SAIR COM ELE , ME CASEI , FORAM ANOS DE CASAMENTO , TEMOS FILHOS ,BEM MAS AOS 31 ANOS REENCONTREI PELAS REDES SOCIAIS MEU EX NAMORADO , NOSSA ANOS CASADA , MARIDO EXCELENTE , VIDA MARAVILHOSA , TRABALHANDO BASTANTE E PROSPERANDO , MAS SURGE MEU EX COM LINDAS FANTASIAS , PALAVRAS CARINHOSAS , ME TRATANDO COMO PRINCESA NAS PALAVRAS , FALANDO SOBRE SEUS PROJETOS DE VIDA , MAS MEU ESPOSO ME TRATANDO TB COMO UMA PRINCESA , MEU ESPOSO ME AMANDO DE VERDADE , NO CASAMENTO TUDO MARAVILHOSO , SEXO FANTÁSTICO, VIDA MARAVILHOSA , MAS EU FUI SEDENDO E MARQUEI O PRIMEIRO REENCONTRO COM MEU EX NAMORADO, FIZ UMA LINDA ESCOVA NOS MEUS CABELOD , TOMEI UM BANHO ,PASSEI O ÓLEO PERFUMADO EM TODO O CORPO ESTE ÓLINHO MEU ESPOSO ENLOUQUECE QUANDO PASSO NO CORPO , VESTI UM VESTIDINHO SOLTINHO ACIMA DO MEIO DAS COXAS   FIOZINHO PRETO E MINUSCULO UMA FITINHA ENTERRADA AO MEIO DA BUNDA , PERFUMADA DOS PÉS A CABEÇA , SALTO , UNHAS FEITAS , BATON , PEGUEI MEU CARRÃO DO ANO , PRESENTE DO MEU ESPOSO , FUI ENTUSIASMADA PARA O ENCONTRO , NOSSA CHEGUEI AO ENDEREÇO , UMA CASINHA SIMPLES ALUGADA POR ELE , ELE ABRIU O PORTAOZINHO , SHORT SIMPLES , CAMISETA , SIMPLES , ENTREI ELE ME ABRAÇOU , ME DEU UM SELINHO , PEGOU MINHA MÃO, ME LEVOU PRA DENTRO , OBSERVEI A SIMPLICIDADE DO LOCAL , MAS O HOMEM QUE EU AMEI NO PASSADO ESTAVA ALI , OS ABRAÇOS , OS BEIJOS FORAM INEVITÁVEIS, ALI NA SALA DA CASA DELE , A EUFORIA TOMOU CONTA DE NÓS , ALI EU TRAIA MEU ESPOSO PELA PRIMEIRA VEZ , SENTI O PAU DELE DURO , MEU VESTIDINHO FOI TIRADO , EU DE SALTO , FIO DENTAL E SUTIEN , FUI ABRAÇADA SENTI O PAU MAIS DURO ENCOSTAR EM MIM , MEU SUTIEN FOI TIRADO , MEUS PEITOS MAMADOS , FUI LAMBIDA TODA ,LINGUA EM TODO CORPO , FIO TIRADO EU AINDA DE SALTO FUI CHUPADA ATÉ O CUZINHO , CHUPEI O PAU E AS BOLAS BRANCAS DELE , MAS LEVEI UMA VARADA EM PÉ ALI NA SALA , GOZEI NO PAU DELE E LEVEI UMA GOZADA SEM CAMISINHA , ME ENCHEU DE LEITE , EU NÃO TOMO REMÉDIO PARA EVITAR GRAVIDEZ , FOI MARAVILHOSO , VOLTEI PRA CASA MUITO FELIZ , POIS MEU AGORA NAMORADO TEM OUTROS FOCOS , NA VDD ELE TRABALHA COM UNS EVENTOS E TENDO PLANOS PRA NÓS 2 , BOM COMO FALEI PRO MEU ESPOSO QUE TOMAR ANTICONCEPCIONAIS ME FAZ MAL , ENTÃO ELE USA PRESERVATIVOS E QUANDO NÃO USA TIRA E FAZ COITO FORA (GOZA FORA) , MEU MARIDO COME BUCETINHA E CUZINHO , MAS AGORA TENHO ENCONTROS SEMANAIS COM MEU NAMORADO , FAZEMOS SEXO SEM CAMISINHA , EU LOUCA PARA ENGRAVIDAR DELE , VOU 3 X POR SEMANA NA CASA DELE , NOSSA COMBINAMOS FICAR SEM TRANSAR 10 DIAS PRA QUANDO ELE ME PEGASSE ME ENCHER A BARRIGA , EU QUERENDO UMA MENINA , MAS DO MEU NAMORADO , NÃO DO MARIDO , MAS COMBINADO QUE MEU MARIDO ASSUMIRIA , ENTÃO FICAMOS DIAS SEM TREPAR , 10 DIAS SEM SEXO , ME VESTI PRA IR NO MEU NAMORADO , SAI DO BANHO MEU MARIDO DEITADO OLHANDO EU NUA , OLHEI O PAU DELE DURO , EU JA NÃO DAVA PRO MARIDO A 20 DIAS 10 DIAS PRO NAMORADO , QUANDO DE COSTA PRO ESPOSO , VESTI O FIO ELE VEIO E ENGIOU A LINGUA NO MEU REGO , ATINGIU MEU CUZINHO , DEI UM PULO E RECLAMEI , NÃO DEI PRA ELE , ATÉ DEU UMA DISCUTIDINHA , FALEI VOU AO MÉDICO , FUI A CASA DO MEU NAMORADO , CHEGUEI E NOS ATRACAMOS AOS BEIJOS ,ABRAÇOS , ELE ME DEIXOU NUA , ELE NU , LOGO ELE DISSE VC NÃO DEU PRA ELE NÉ , FALEI NÃO, NEM DOU MAIS PRA ELE , MAMEI UM POUCO O PAU E AS BOLAS DELE , FUI CHUPADA , O PAU DELE PULSAVA , PRA NÃO PERDER LEITE FUDEMOS NA FRANGA ASSADA , ELE ME ENCHEU DE SEMEM , IMAGINEI QUE DELICIA ENGRAVIDEI , GOZEI NO PAU DELE , AGORA EU TINHA CERTEZA ESTAVA GRÁVIDA , CONTINUEI POR DIAS FODENDO COM O NAMORADO E NÃO DAVA PRO ESPOSO , SENTI SINTOMAS DE GRAVIDEZ , FIQUEI LOUCA PRA TREPAR COM MEU MARIDO , EU TINHA QUE TREPAR COM ELE , FUI PRO BANHEIRO DEIXEI A PORTA ABERTA PRA PROVOCAR ELE , DEU CERTO , ELE VEIO NA PORTA , CHAMEI ELE , JOGUEI A ISCA ELE MORDEU E VEIO , COMEÇOU ME BEIJANDO , MAMANDO PEITOS , MAS MAMEI O PAU E AS BOLAS DELE , SENTI O PAU ENTRAR NA BUCETA EM PÉ , MAS LEVEI ELE PRA CAMA , ELE TINHA FOME , ALI SERIA O PONTO FATAL PRA ELE ME ENGRAVIDAR , O PAU FODENDO ELE GEMENDO TRAVEI AS PERNAS NAS COSTAS DELE PRA RECEBER O LIQUIDO DELE DENTRO , MEU ALIBI ERA ISSO MAS ELE FORÇOU E GOZOU NA MINHA BARRIGA , NOSSA E AGORA , SE ESTOU GRAVIDA COMO EXPLICAR , MAS FUI SEDUTORA E MAIS UMA VEZ MAMEI O CACETE DO ESPOSO , ENTREI NA VARA DELE TRAVEI ELE PRA RECEBER O LEITE NA BUCETA ,MAS O FDP TIROU , MAS TIVEMOS UMA IDÉIA , FALEI AMOR ACHO Q ESTOU GRÁVIDA, ELE NÃO DE MIM NÉ , NOSSA FIQUEI BRAVA , MAS PRA ACABAR FUI MORAR COM MEU NAMORADO , FOI UMA ILUSÃO ENORME , A VIDA DO NAMORADO É UMA FARSA , NAO TRABALHA , NÃO TEM NADA , MOREI 3 ANOS COM ELE , SÓ ME FERREI , NÃO TIVE FILHO ,PERDI TODA MINHA VIDA DE PRINCESA , HJ SÓ LAMENTOS , AH MEU EX ESTA BEM , MAS ELE NÃO QUIZ VOLTAR COMIGO.

O PATRÃO DO MEU ESPOSO É MEU AMANTE

O CANALDOSCONTOS TRÁS AGORA PARA VC ESTE LINDO CONTO , OLÁ SOU A CRIS , 27 ANOS MORENA JAMBO , SEIOS PEQUENOS , COXAS GROSSAS E BUNDUDA , CABELOS LONGOS , ME ACHO LINDA , MORO NO INTERIOR DE MS , SOU CASADA COM O LS DE 38 ANOS , CAPATAZ DE UMA FAZENDA , O PATRÃO SEU AUGUSTO NOS CONTRATOU A 4 MESES , UM SENHOR DE UNS 50 ANOS , BONITÃO, CHARMOSO , CASADO COM UMA LINDA MULHER A EVELIN DEC43 ANOS , BEM MUDAMOS AQUI E O PATRÃO VEIO A PRIMEIRA VEZ , ME VIU E SE ENCANTOU , FOI SÓ ELOGIOS , NEM FALEI AO MEU ESPOSO , MAS FUI A CIDADE COMPRAR ALGUNS ITENS E O ÔNIBUS VOLTA SÓ A TARDE , COINCIDIU DO SEU AUGUSTO ESTAR PASSANDO PRA FAZENDA , ELE ME VIU E ME DEU CARONA , COLOQUEI AS COISAS E ENTREI , SÃO 1,40 H ATÉ A FAZENDA , ELE COMEÇOU OS ELOGIOS , EU OUVINDO , MAS QUE SAFADO , EU ESTAVA LOUCA PRA BEIJAR AQUELE COROA LINDO , MAS FIQUEI QUIETA , ELE RODOU UM POUCO NA CIDADE COMPRANDO COISAS PARA A FAZENDA , AINDA 14 HS , MAS SAIMOS E ELE ME CANTOU DURO , DISSE VAMOS PASSAT AQUI NO MOTEL , EU HEIN , MAS ELE ADENTROU , PEDIU UM QUARTO , FALEI O SENHOR É DOIDO , ELE DISSE RELAXA , NINGUEM VAI SABER DISSO , EU LOUCA PRA BEIJAR ELE , NUNCA HAVIA FEITO ISSO E ACONTECENDO TUDO ERRADO , MAS ENTRAMOS NO QUARTO 09 , EU DESCI MEIO QUE TONTA ELE PEGOU NA MINHA MÃO, ME LEVOU PRO QUARTO , DME BEIJOU A BOCA EU BEIJEI ELE COM TESÃO, FALEI VOU TOMAR BANHO , ELE ME AJUDOU A TIRAR A ROUPA , EU PELADINHA MAS VENCIDA , ELE ADMIRAVA MEU CORPO , ARRISCOU UMA CHUPADA NOS MEUS PEITINHOS , MAS FALEI VOU AO BANHO , ELE DISSE , NÃO FAZ XIXI OK   FALEI EU PRECISO , ELE TIROU A ROUPA VEIO COM O PAU DURO E SENTOU NO VASO , FALOU VEM ENCAIXA DE FRENTE E MIJA NO MEU PAU , EU NUNCA FIZ ISSO , MAS ME ENCAIXEI NELE E MIJEI NO PAU DELE , ELE DISSE QUE QUENTINHO , FOMOS PRO BANHO ELE ME BEIJOU , ME CHUPOU , EU CHUPEI O PAU E AS BOLAS DELE ALI EMBAIXO DO CHUVEIRO, ELE ME   COMEU EMBAIXO DO CHUVEIRO EU EM PÉ , GOZEI NO PAU DELE ALI MESMO ELE BOMBANDONE BEIJANDO MINHA NUCA GOZOU NA MINHA BUCETINHA , TERMINAMOS A TREPADA E O BANHO , DEITAMOS , LOGO ELE COMEÇOU A ME BEIJAR , MAMAR MEUS PEITOS , CHIPAR MONHA BUCETINHA , MEU CUZINHO ,EU MAMEI O PAU DELE E AS BOLAS EU PEDI PRA SENTAR NO PAU ELE DEITOU EU SENTEI E COMECEI A FODER , MAS ELE COMEÇOU A IMPLORAR PRA MIM GOZAR NA VARA DELE EU NÃO AGUENTEI E GOZEI , ELE GOZOU DENTRO DA MINHA BUCETINHA , QUANDO OLHAMOS A HORA ERA 17.12 HS , NOSSA SAIMOS CORRENDO , ELE ME LEVOU , QUANDO CHEGUEI , MEU ESPOSO RECEBEU O PATRÃO EU ENTREI , QUANDO SEU AUGUSTO FOI EMBORA MEU ESPOSO FICOU IRADO , DISSE NUNCA MAIS PEGUE CARONA VIU , EU FALEI DESCULPA AMOR   QUE INSISTIU ,MAS REALMENTE NESTE TEMPO TRANSEI MAIS UMA VEZ COM O PATRÃO, ELE PEDIU PRO MEU ESPOSO IR A CIDADE E ELE VEIO AQUI EM CASA .LEIA CONTOS DESTE CANAL , VC VAI GOZAR BEM.

Supresa de Amante

Me chamo Alex, tenho 27 anos, sou moreno, 1,79 olhos castanhos bem claros, e tenho um corpo até bem proporcional, pois pratico semanalmente natação.Eu trabalhava em uma empresa de petróleo, e lá conheci uma menina de 23 anos, mestiça (japonesa com brasileiro), muito gostosa. Ela é morena, cabelos longos, seios volumosos e firmes, bunda arrebitada, e muito carinhosa e prestativa. É claro que com todas estas qualidades não foi difícil eu me atrair por ela.Mas ela era casada e muito na dela. Mas pouco a pouco fui chegando, conversando, convidando para almoçar fora, e papo vai papo vem, ficamos quase uns 4 meses nos conhecendo, profissionalmente e pessoalmente.Ela sabia do meu interesse e tesão por ela, mas eu não podia estragar a amizade que existia entre nós. Mas parece que o destino sabe o que faz, e gradativamente acabamos nos envolvendo mais.Houve uma época em que ela não estava legal com seu marido, e nessa época eu sempre estava por perto. Uma certa semana ela estava bem disposta comigo, com muitas brincadeiras, e eu dando umas indiretas, quando de repente numa sexta-feira, quando fui abraçá-la, instantaneamente, passei minhas mãos em seus seios, não deu outra, meu pau ficou duro na hora, e é claro que ela percebeu, e apenas esboçou um sorriso.Nesse dia minha cabeça foi a loucura, e era uma sexta e seu marido a estava esperando na recepção da empresa. Vocês podem imaginar o tormendo que foi o meu final de semana.Na semana seguinte cheguei mais perto e ataquei com carícias mais ousadas, e já ia direto ao ponto, falando que estava louco pra beijá-la, e dar um trato bem merecido nela.A semana foi rolando com esses esfregações, até que num dia em que tivemos que trabalhar até tarde não deu outra, saimos da empresa para dar uma volta, e a convidei para entrarmos num motel.Primeiro ela argumentou, e falou que principalmente nunca havia se envolvido com outra pessoa, e que foi mulher apenas do marida dela. Mas eu dei total segurança que se ela não estivesse afim, a gente poderia voltar numa boa. A confiança sempre foi forte entre a gente.Assim que entramos no motel eu já a beijava igual a louco, joguei ela na cama, e fui despindo aquele corpo de deusa, peça por peça, ela gemia e pegava no meu pau.Quando tirei sua saia e arranquei a sua calcinha, não aguentei em ver aquela bocetinha pequena e com poucos cabelos, e caí de boca que nem lobo em cordeiro, acho que nunca tive tanta vontade de chupar, beijar, morder e lamber uma boceta em minha vida.Ela estava totalmente molhada, tanto que melou todo o lençol, estava excitadíssima, e gemia muito gostoso.Em um dado momento não aguentei arranquei minha roupa, e ela veio de boca aberta para chupar o meu pau. Ela sabe fazer uma gulosa bem gostoso, e eu fui ensinando do jeito que também gosto, e o que mais me impressiona, ela gosta de aprender.Ela chupava o meu pau deixando bastante saliva, brincava com a saliva, igual as putas dos filmes pornôs, batia com meu pau em sua cara de anjinho, colocava a lingua para fora e lambia da base até a cabeça do meu pau.Não aguantando mais, ela deitou, abriu sua bucetinha e começou a roçar a cabeça do meu pau em seu grelo, me deixando louco, e deixando ela mais molhada ainda. Eu não aguentei, e enterrei meu pau fundo em sua buceta, ela gemia e me beijava igual a louca, um beijo molhado e apaixonado.Eu não conseguia parar de foder aquela potranca, a coloquei de quatro, e batia firme em sua buceta e bunda, e ela rebolava feito cadelinha no cio.Ficamos nessa brincadeira por mais de 2 horas, e quando gozei pela primeira vez, tirei mau pau de sua buceta, e ela veio chupar, acabei esporrando fundo em sua garganta e boca, e ela chupando e me olhando nos olhos, ela estava adorando…Este dia terminou gostoso, e transamos outras vezes. Isso já faz 1 ano, e ainda hoje saimos. Há uns dois meses venho tentando convencê-la a termos outra pessoa transando conosco.Ela admitiu apenas se for uma menina, e que seja bonita e carinhosa.Estou tentando arrumar um jeito de vê-la com outro homem também, mas a princípio ela está um pouco relutante. Mas acho que acabo convencendo ela.Temos um bom tempo para nos encontrar, pois ela está fazendo alguns cursos de graduação em sua área, e desta forma está sempre na faculdade, o que nos dá uma boa vazão para nos encontrarmos.Somos de Maringá-PR, e podemos viajar para outras cidades próximas.Se você for uma menina bonita e carinhosa e gostaria de participar, responda este e-mail, de preferência com fotos.Se você for homem até uns 29 anos, e de preferência bem dotado (gostaria de vê-la nesta situação), mande foto também. Gostaria de convencê-la a ter sexo comigo e com outro.

A FILHA DE MINHA ESPOSA, MINHA AMANTE

ESTAVA NO QUARTO TERMINANDO DE ARRUMAR A BAGAGEM QUANDO KAROL, MINHA ENTEADA ENTROU COM OS BIQUINES NA MÃO QUERENDO SABER QUAL DEVIA USAR, NÃO QUERENDO QUE VISSE O VOLUME EM MEU CALÇÃO VIREI DE COSTAS FALANDO QUE QUALQUER UM ESTAVA BOM COM ELA INSISTINDO. QUANDO APONTEI O DE DETALHES VERMELHOS, ELA ME MOSTROU UM AMARELO PERGUNTANDO SE NÃO FICAVA MELHOR E NÃO QUERENDO ENCARAR ELA PORQUE USAVA CAMISETA BRANCA MARCANDO DEMAIS OS SEIOS AINDA EM FORMAÇÃO POR ESTAR SEM SUTIÃ E NA PARTE DE BAIXO USAVA NÃO SEI SE SHORT OU CALCINHA SENDO DOIS PANINHOS DE SEDA AMARRADO NA LATERAL DEIXANDO AS COXAS A MOSTRA DANDO PARA VER BOA PARTE DE SUAS VIRILHAS; QUANDO MARIANA, MINHA ESPOSA LIGOU AVISANDO QUE ESTAVA PEGANDO A RODOVIA DEPOIS DE PEGAR SEUS PAIS NA CIDADE VIZINHA, PARA AQUELE FINAL DE SEMANA PROLONGADO EM NOSSO SITIO, FIQUEI MAIS CALMO SABENDO QUE TINHA TEMPO PARA ME DELICIAR COM MINHA ENTEADA QUE A TEMPOS VEM SE INSINUANDO PARA MIM, E LIGANDO O ´FODA- SE´ RESOLVI DA TODA ATENÇÃO PARA A MENINA QUE ENFIANDO O BIQUINE POR DENTRO DO SHORTINHO ME PEDIU AJUDA PARA TIRA-LO E AMARRAR O BIQUINE. AJOELHANDO COM A CARA NA ALTURA DA XOXOTA DA MENINA DANDO PARA SENTIR O CHEIRO DO PERFUME EXALANDO DE SUA XOXOTA, CHEGUEI A SENTIR CALAFRIO NA ESPINHA QUANDO SEGUREI A FITA DO BIQUINE APROVEITANDO PARA ALISAR, ASSIM MEIO SEM QUERER A BUNDA DE KAROL QUE SOLTOU UM GRITINHO ABAFADO DE SURPRESA COM MEU TOQUE ME DEIXANDO VER SEU CORPO ARREPIAR, COM ELA ME EMPURRANDO ME CHAMANDO DE BOBO A ME VER COM OS OLHOS FIXOS EM SUA XOXOTINHA ESTUFADA E SALIENTE NO PANINHO DO BIQUINE, VIRANDO DE BUNDINHA PARA MIM FALTOU POUCO PARA NÃO FAZER BESTEIRA AO VER O PANINHO SUMINDO NAQUELA BUNDINHA REDONDA E ARREBITADINHA, COM ELA ME ACORDANDO QUANDO FALOU QUE ESTAVA MUITO APERTADO E QUE NÃO FICAVA BEM PORQUE ESTAVA MUITO CAVADO E INTERROMPENDO DEI UMA PISCADINHA FALANDO QUE APROVEITASSE PORQUE SÓ ESTAVA EU DE HOMEM NA CASA ALÉM DE MINHA MÃE, MINHA IRMÃ E SOBRINHA. QUANDO KAROL LEVANTOU NA PISCINA, MINHA IRMÃ DIVIDIA O OLHAR EM MIM E NA MENINA ME ENCARANDO AO VER ME COM OS OLHOS VIBRADOS NELA ENQUANTO BALANÇAVA OS CABELOS LOIROS JUNTANDO OS A SEGUIR ENROLANDO OS NA MÃO DEITANDO OS EM SEU OMBRO COM MINHA IRMÃ BALANÇANDO A CABEÇA NUM NÃO DE REPROVO AO VER A MENINA ME OLHANDO SORRINDO. QUANDO KAROL SAIU DA AGUA VINDO PARA MIM, NEM OUVIA O QUE MINHA IRMÃ FALAVA PORQUE NÃO CONSEGUIA DESVIAR OS OLHOS DAQUELE CORPINHO ESGUIO E CURVELINEO TENDO QUE ARRUMAR O CACETE NO CALÇÃO QUANDO VIROU DE COSTAS PARA SE ENXUGAR COM MINHA IRMÃ DANDO UM TAPA EM MINHA CABEÇA PEDINDO QUE TOMASSE VERGONHA ME FALANDO QUE ERA UMA CRIANÇA. QUANDO MARIANA CHEGOU ELA CORREU PARA O QUARTO VOLTANDO A SEGUIR COM O BIQUINE VERMELHO BEM MAIS COMPORTADO E ABRAÇADO A MIM ENQUANTO ESPERAVAMOS MARIA E SEUS PAIS CHEGAREM PARA NOS CUMPRIMENTAR, MINHA IRMÃ FALOU QUE TOMASSE CUIDADO FALANDO RINDO QUE A TENTAÇÃO ERA GRANDE. MARIANA VEIO PARA MIM ME ABRAÇANDO ME DANDO UM BEIJO COMO SE ESTIVESSE SÓ NOS DOIS ALI SEM IMPORTAR COM SUA MÃE E A MINHA PEDINDO QUE PARASSEMOS COM A POUCA VERGONHA E ENQUANTO CAMINHAVAMOS PARA A CASA CARREGANDO AS BAGAGEM, QUANDO NOSSOS OLHARES SE CRUZAVAM MARIANA MORDIA OS LÁBIOS, SINAL DE QUANDO QUER TRANSAR, DEIXANDO SEUS PAIS NO QUARTO SAIMOS PARA O NOSSO NOS PEGANDO EM BEIJOS ARDENTES ENQUANTO UM TIRAVA A ROUPA DO OUTRO SENDO MAIS FACIL PARA MIM PORQUE MARIANA USAVA APENAS O VESTIDINHO E AO ALISAR SUA XOXOTA FIQUEI COM A MÃO MELADA, POREM ELA NÃO ME DEIXOU CHUPA-LA AVISANDO QUE TINHA QUE SER UMA RAPIDINHA E QUE A NOITE IA ACABAR COMIGO. MARIANA MORDIA O LENÇOL PARA NÃO GRITAR COM A CARA E SEIOS APOIADOS NA CAMA, ABAFANDO OS GEMIDOS ENQUANTO DE JOELHO ATRÁS DELA METIA COM VONTADE ME DELICIANDO COM SUA BUNDA ARREBITADA COM O CUZINHO PISCANDO ENQUANTO SEU PRAZER AFLORAVA DE SUA BOCETA ESCORRENDO EM SUAS COXAS, QUANDO KAROL ENTROU FALANDO MÃNHÊEEEE, DE OLHOS ARREGALADOS, COM O TESÃO A FLOR DA PELE, SEGUREI MARIANA NÃO DEIXANDO QUE FUGISSE VIRANDO UM POUCO MAIS O CORPO DEIXANDO KAROL VER MINHA PICA ENTRANDO E SAINDO DA BOCETA MELADA DE SUA MÃE, TIRANDO QUASE TUDO DE SUA MÃE, METENDO NOVAMENTE CADA VEZ MAIS RÁPIDO ENQUANTO MARIANA NÃO CONSEGUIA SE CONCENTRAR EM MANDAR A FILHA SAIR DALI, GEMER MESMO SEM QUERER POR NÃO CONSEGUI CONTER O PRAZER OU IMPLORAVA PARA QUE PARASSE O QUE FIZ QUANDO ENCHI SUA BOCETA DE PORRA DEIXANDO QUE CAISSE NA CAMA SE COBRINDO AS PRESSAS TENTANDO RECUPERAR A RAZÃO PARA DAR ATENÇÃO A FILHA QUE NÃO CONSEGUIA TIRAR OS OLHOS DE MINHA PICA QUE JOGAVA LONGE OS ULTIMOS JATOS DE PORRA EM CIMA DO CORPO DA MÃE. MARIANA VOLTOU PARA O QUARTO HORAS DEPOIS TENDO TRABALHO PARA ME CONVENCER A SAIR DO PORQUE FINGIA ESTAR ENVEGORNHADO COM ELA ME DANDO BRONCA FALANDO QUE DEIXASSE DE SER BOBO PORQUE SUA FILHA SABIA MUITO BEM O QUE ERA AQUILO ME CONFIDENCIANDO QUE DESCONFIA QUE ELA JÁ ESTA ATÉ DANDO PARA SEU NAMORADINHO, O QUE ME DEIXOU BASTANTE ENCIUMADO. PASSAMOS UM DIA MARAVILHOSO E PARA ME EXIMIR DE QUALQUER CULPA, COMENTEI COM MARIANA QUE ME BEIJANDO FALOU QUE ESTAVA DE OLHO NA FILHA E QUE ERA NATURAL ELA ME OLHAR ASSIM PORQUE ASSIM COMO ELA, KAROL ME AMA ATE MAIS QUE O PROPRIO PAI. JÁ DE MADRUGADA TROCAVAMOS BEIJOS APAIXONADOS AGUARDAVAMOS TODOS DORMIREM, PRINCIPALMENTE AS MENINAS PARA COMEÇAR NOSSA SESSÃO DE FODA QUANDO MARIANA ME AGRADECEU POR AMAR DEMAIS ELA E SUA FILHA, NÃO FOSSE ESTAR ALISANDO MEU CACETE NÃO TERIA COMO DISFARÇAR O CACETE CADA VEZ MAIS DURO COM O TESÃO A FLOR DA PELE BEM MAIOR QUE A REPULSA ENQUANTO ME CONTAVA QUE O MOTIVO DE SUA SEPARAÇÃO FOI QUANDO NUMA NOITE DEPOIS DE SEU EX ‘JUDIAR’ DEMAIS DELA, COMO SEMPRE FAZIA DEIXANDO ELA DOLORIDA POR FAZER ANAL A FORÇA, QUANDO SAIU DO BANHO PEGOU ELE CHUPANDO A BOCETA DA FILHA TENDO TRABALHO PARA TIRAR ELA DELA PORQUE QUERIA METER NELA A TODO CUSTO FALANDO QUE SE NÃO FOSSE ELE SERIA OUTRO E SÓ CONSEGUIU EXPULSAR ELE DE CASA QUANDO COMEÇOU A GRITAR PEDINDO SOCORRO PELA JANELA E DESDE ENTÃO NUNCA MAIS SOUBE DELE. O DIA AMANHECIA QUANDO COLOQUEI MARIANA DE QUATRO E MANDEI PICA EM SUA BOCETA MELADA FAZENDO ELA GOZAR MAIS QUE ANTES, QUANDO PENSAVA EM ENCHER SUA BOCETA DE PORRA PELA TERCEIRA VEZ, ELA FALOU COM DIFICULDADE QUE COLOCASSE EM SEU CUZINHO ME PEDINDO COM VOZ MANHOSA QUE TIVESSE CUIDADO COM ELE E JÁ COM O SOL CLARO CONSEGUI ATOLAR ATÉ AS BOLAS NO CUZINHO DE MINHA AMADA COM SEU CU PARECENDO QUERER ESMAGAR MEU CACETE DE TÃO APERTADO QUE ERA, TENDO QUE TAPAR SUA BOCA PARA ABAFAR SEUS GEMIDOS QUANDO ALGUÉM BATEU NA PORTA QUERENDO ENTRAR ELA REUNINDO FALOU: AGORA NÃO KAROL, E SE ENTREGANDO AO PRAZER GOZOU COMO NUNCA ANTES ENQUANTO JUDIAVA DE SEU CU COM ELA RESPIRANDO ALIVIADA QUANDO GOZEI CAINDO EM CIMA DELA PARA NOS BEIJAR TROCANDO JURAS DE AMOR E JÁ QUASE DORMINDO ELA ME CHAMOU MANDANDO ME LEVANTAR PARA TOMAR BANHO AO VER MEU CACETE SAINDO DE SEU CU COM O PRESERVATIVO ESTOURADO E NÃO FOSSE KAROL INSISTIR QUASE DERRUBANDO A PORTA TERIAMOS NOS PEGADO NOVAMENTE NO BANHO. MARIANA SAIU DO BANHO PRIMEIRO TENDO QUE IR ATENDER A FILHA E ASSIM QUE SAIU DO QUARTO, ELA ENTROU NO BANHEIRO PARA CONVERSAR COMIGO DANDO PARA VER SEUS OLHINHOS BRILHAREM CHEGANDO A SUSPIRAR A ME VER PELADO, POR SORTE MEU CACETE FICOU SÓ MEIA BOMBA COM ELA NÃO CONSEGUINDO DESVIAR OS OLHOS DELE, QUANDO MARIANA CHEGOU NOS PEGOU CONVERSANDO NORMALMENTE E ENQUANTO LEVAVA A FILHA DALI ME DEU UMA PISCADINHA SORRINDO MALICIOSAMENTE QUANDO DEU UMA TAPA NA BUNDA DA FILHA PARECENDO SABER QUE ELA ENTRARIA EM BREVE EM MINHA PICA. ESTAVA TÃO FISSURADO EM KAROL QUE TUDO QUE FAZIA PARECIA MOTIVO PARA ME EXCITAR, QUANDO PEGAVA SUA MÃE ELA COMENTAVA SE ESSA EXCITAÇÃO ERA REALMENTE DELA O ERA PELA FILHA O QUE ME DEIXAVA COM A EXCITAÇÃO CADA VEZ MAIS INSUPORTÁVEL DEIXANDO CLARO QUE TINHA QUE PEGAR KAROL NA PRIMEIRA OPORTUNIDADE NEM QUE FOSSE SÓ PARA BRINCAR COM SEU DELICIOSO CORPO. NAQUELA TARDE QUANDO PERGUNTEI POR KAROL, MARIANA FINGIU PREOCUPAÇÃO COMENTANDO QUE A FILHA DEVIA TER IDO SOZINHA PARA A CACHOEIRA ME PEDINDO QUE FOSSE ATRÁS DELA, DEPOIS DE CAMINHAR POR QUASE CINCO MINUTOS CHEGUEI NO LOCAL AVISTANDO KAROL SENTADA NAS PEDRAS COM OS PÉS NA AGUA, A ME VER CH
EGANDO MERGULHOU INDO PARA DEBAIXO DA QUEDA D´AGUA, QUANDO CHEGUEI PERTO ELA SE JOGOU EM CIMA DE MIM ME SURPREENDENDO COM UM BEIJO BEM MELHOR E MAIS GOSTOSO QUE O DA MÃE FUNGANDO ABAFADO SOLTANDO UM UAU ARREGALANDO OS OLHOS QUANDO ENFIOU A MÃO EM MEU CALÇÃO PARA SEGURAR MEU CACETE FORÇANDO ELA PARA A MARGEM SENTEI ELA NAS PEDRAS LARGANDO NOSSAS BOCA PARA LAMBER E CHUPAR SEU PESCOÇO E ORELHA DEIXANDO ELA TREMULA E ARREPIADA COMENTANDO QUE EU ERA MUITO GOSTOSO PERGUNTANDO SE QUERIA NAMORAR COM ELA, QUANDO CHEGUEI NOS PEQUENOS SEIOS ELA JOGOU A CABEÇA PARA TRÁS GEMENDO DESPUDORADAMENTE ENQUANTO SUGAVA ELES PRENDENDO NA SUCÇÃO, QUANDO ELA DEITOU DESCI LABENDO SUA BARRIGUINHA ATÉ ME POSICIONAR COM A CABEÇA NO MEIO DE SUAS PERNAS FAZENDO ELA PIRAR QUANDO MORDI SUA BOCETINHA POR CIMA DO BIQUINE TIRANDO ELE COM DIFICULDADE FAZENDO KAROL ESTREMECER AO PASSAR A LÍNGUA DE SEU CU ATÉ SUA BOCETA SUGANDO SEU GRELO COM FORLA ENQUANTO ELA SE CONTORCIA ME DEIXANDO PREOCUPADO PELO MEDO DE SE MACHUCAR FICANDO MAIS A VONTADE QUANDO CONSEGUIU SEGURAR SUAS MÃOS E QUASE PERDENDO OS SENTIDOS SE TREMEU FECHANDO AS PERNAS TENTANDO ME TIRAR A FORÇA DELA ME DEIXANDO MARAVILHADO CONTEMPLANDO SEU CORPO NAQUELE ORGASMO INTENSO E AINDA OFEGANTE VEIO ME PARA BEIJAR ENQUANTO TIRAVA MEU CALÇÃO COM OS PÉS SE JOGANDO NA AGUA GEMENDO QUANDO MEU CACETE ACERTOU SUA XOXOTA E ARREGALANDO OS OLHOS DEIXANDO ESCAPAR AIS, REBOLANDO GOSTOSO, POREM QUANDO TENTEI TIRAR ELA ME PRENDEU COM SUAS PERNAS E INTENSIFICANDO O BEIJO QUE ABAFAVA SEUS GEMIDOS SOLTOU O CORPO FAZENDO MEU CACETE ESCORREGAR COMO FACA QUENTE NA MANTEIGA PARA SUA BOCETA COM ELA FAZENDO CARA DE DOR QUANDO A GLANDE BATEU EM SEU ÚTERO E CHORANDO E GEMENDO FALANDO COISAS SEM NEXO COMEÇOU UM REBOLADO GOSTOSO, QUANDO ME DEI CONTA PULAVA COMO DOIDA EM MEU CACETE TENDO QUE SEGURAR SUAS MÃOS PARA NÃO ME ARRANHAR E NEM MORDER MINHA BOCA COMO TENTAVA FAZER DANDO PARA VER O SANGUE QUE ESCORRIA DE SUA BOCETA SENDO LEVADO PELA CORRENTEZA O QUE ME DEIXOU PREOCUPADO TANTO É QUE CARREGUEI ELA NO COLO SEM SAIR DELA PARA FORA DA AGUA E DEBRUÇANDO ELA NA PEDRA FIZ A MENINA URRAR DE PRAZER METENDO COMO LOUCO EM SUA BOCETINHA E JÁ MOLINHA, QUANDO SE TREMEU EM MAIS UM ORGASMO MARAVILHOSO, SENTINDO QUE IA GOZAR TIREI RÁPIDO DE SUA BOCETA POR MEDO DE ENGRAVIDA-LA, QUANDO PRENSEI A GLANDE NA ENTRADA DE SEU CUZINHO TENCIONANDO ENCHER ELE DE PORRA, ELA SEGUROU AS NÁDEGAS ABRINDO AS E JOGANDO A BUNDA PARA TRÁS FEZ MEU CACETE ENTRAR ATÉ QUASE AS BOLAS EM SEU CU GULOSO ENQUANTO GOZAVA EM SUA BUNDINHA E NÃO DEIXANDO QUE AMOLECESSE ME DEIXANDO UM POUCO ASSUSTADO COM O ESCANDALO QUE FAZIA ME MANDOU METER SEM DÓ ME XINGANDO DE TUDO O QUE ERA NOME FEIO ENQUANTO CUTUCAVA CADA VEZ MAIS RÁPIDO E FORTE A PICA EM SUA BUNDA, QUANDO ESMOLECEU DEIXANDO O CORPO CAIR NUM ORGASMO ÉPICO, ENCHI SEU CU NOVAMENTE DE PORRA NÃO DANDO TEMPO NEM PARA DESCANSAR PORQUE OUVIMOS SUA MÃE NOS CHAMANDO, QUANDO ME VIU QUIS SABER DA FILHA E QUASE GRITANDO PARA ELA AVISEI QUE ESTAVA TENTANDO CONVENCER ELA IR EMBORA PORQUE HAVIA PERDIDO A PARTE DE BAIXO DO BIQUINE E MOSTRANDO MINHA CAMISETA PARA A FILHA MANDOU QUE FOSSE PARA ELA. QUANDO KAROL SAIU DA AGUA ME MANDOU VIRAR A CARA PARA NÃO VE-LA NUA ENQUANTO MARIANA SÓ FALTAVA MANDAR A FILHA ABRIR AS PERNAS PARA VER O ESTRAGO QUE HAVIA FEITO EM SUA BOCETA, NO CU NÃO PORQUE ME CONFESSOU DEPOIS QUE DAVA ELE SEMPRE PARA SEU NAMORADINHO E QUE AGORA SÓ DARIA PARA MIM. DEPOIS DESSE FATO TIVE QUE DÁ UM BREQUE EM KAROL TENDO QUE SER ATÉ MEIO MAU EDUCADO COM ELA PORQUE NÃO QUERI QUE SE APEGASSE A MIM DESSE JEITO, POREM NA ULTIMA NOITE QUE PASSARIAMOS ALI ENQUANTO TODOS ENCHIA A CARA RESOLVI NÃO BEBER NADA PORQUE DIRIGIRIA DE VOLTA NO DIA SEGUINTE, QUANDO DE MADRUGADA TIVE QUE LEVAR MARIANA NO COLO PARA A CAMA DE TÃO BEBADA QUE ESTAVA, KAROL DEITOU AO SEU LADO NÃO AVISANDO QUE NÃO SAIRIA DALI ENQUANTO NÃO FISESSE AMOR COM ELA ME DANDO TRABALHO PARA PODER CONSEGUI DÁ CONTA DO FOGO DA MENINA QUE CHEGOU A PEDIR ARREGO QUANDO METIA NELA CONTEMPLANDO O CORPO DESNUDO DE SUA MÃE AO NOSSO LADO, DESDE ENTÃO TENHO QUE TOMAR AZULZINHOS, EM ALGUMAS VEZES PARA PODER DÁ CONTA DA MÃE E DA FILHA, O QUE ME DEIXA MAIS DISCONFIADO QUE MARIANA SABE DE MIM E KAROL PORQUE SEMPRE QUE PEGO KAROL, A NOITE MARIANA VEM PARA MIM SÓ INDO DORMIR DEPOIS DE CABAR COMIGO NA CAMA.

Terminei o noivado por causa do meu amante

Eu andava insatisfeita com minha vida sexual porque meu noivo não me satisfazia na cama, porém eu não queria traí-lo. Eu tive várias oportunidades. Os homens ficam me cantando e me paquerando, pois sou muito atraente, mas sempre recuei na hora H, pois eu não queria magoá-lo. Meu noivo era muito educado e gentil, uma graça de pessoa, mas tem horas que o homem tem que ser safado na cama com uma mulher. Ele não conseguia e eu queria ser tratada como uma vadia, uma puta na alcova. Eu pedia pra ele me xingar, dizer sacanagens, gozar na minha cara, mas nada disso adiantava. Eu queria experimentar sexo anal e ele dizia que era coisa de puta . Eu vestia roupas provocantes, calcinhas pretas e vermelhas bem pequeninas, cinta-liga, lingerie sexy, pegava filmes pornográficos e ele nem sequer olhava ou dava atenção. Eu comentava isso com uma colega e ela achava um absurdo, pois sinceramente, eu não sou feia, tenho um corpo muito atraente, sou loira de olhos verdes e minha bundinha já rendeu bastante comentários no trabalho e na faculdade de direito. Comprei até um livrinho do Kama Sutra para tentarmos novas posições, além do sempre rotineiro papai-e-mamãe.

Realizando fantasias com a minha amante gostosa

Realizando fantasias com a minha amante gostosaOlá galera! Sou o Jota. Vou mais uma aventura! Sai do trabalho cedo e fui buscar a minha gostosa a Edilene no trabalho dela. Chegando lá, perguntei se ela não gostaria de passar num sex shop para comprar uns brinquedinhos. Ela muito safada topou na hora. Chegando lá entramos, e eu meio envergonhado, deixei a Edilene fazer as escolhas. Ela escolheu dois plugs anal com diâmentro da cabeça de 5,5 cm, uma cinta peniana dupla ( possui dois pênis, um para dentro e outro para fora) ou seja enquanto fode está também sendo fodida. E escolheu um pênis cor da pele com diâmetro de 6 cm. por 18 de comprimento. Logo após a compra, fomos para casa, e a Edilene toda eufórica dizendo…. amor, quero provar todos hoje! Em casa, preparamos a janta, tomamos um vinho, e fomos para o quarto. Fiz questão de deixar a porta encostada, pois a Letícia poderia querer dar uma olhadinha discreta. A Edilene fez a limpeza dos brinquedinho e foi logo falando… amor, quero um plug desse na buceta e outro no meu cuzinho viu? Eu falei… você manda amor. Tomamos um banho e voltamos para a cama. Coloquei a safada de quatro,e comecei chupar a buceta e o cuzinho dela, que rebolava e gemia gostoso. Comecei a penetrar a buceta dela com um dos plug, e a mesma gemeu alto dizendo… ai amor a minha buceta está toda preenchida com esse plug, dá muito prazer. Em seguida lubrifiquei o cuzinho dela e fui empurrando o outro plug. Deu trabalho, mas entrou arrancando um gritinho da puta safada. Em seguida deitei ao seu lado e a beijei gostoso. Ela falou amor… está tão gostoso esses dois plugs dentro de mim. Quero ficar um pouquinho quietinha curtindo esse prazer de estar totalmente penetrada. Eu falei… vai acostumando, que hoje você vai dormir com o cuzinho cheio de porra. Hoje vou gozar no seu cuzinho e colocar o plug para não vazar sua putinha gostosa. Ela falou… vou adorar dormir de cuzinho cheio. Colocou uma toalha no rosto e ficou de pernas aberta com joelho dobrado, curtindo o preencher dos plugs. Eu falei.. vou pegar um pouco de vinho pra gente amor! Ao sair me deparei com a Leticia que já estava olhando na porta. Eu peguei a Leticia pela mão, fiz sinal de silencia e a levei até perto da cama da mãe, onde ela via a Edilene com uma toalha no rosto, com dois plugs inseridos na buceta e cuzinho, alisando os bicos dos peitos e gemendo baixinho. Levei a Letícia até a cozinha, a beijei gostoso e falei… está vendo como a sua mãe é safada? Ela pediu para passar a noite com o cuzinho cheio de porra, e o dildo não deixará aporra escorrer. Ela confirmou, e continuou falando … é uma safada gostosa. Deixa a porta encostada Jota, eu gostaria de ver você comendo ela. Eu concordei, dei um beijo de língua, e falei no seu ouvido… deixa eu ir, que tem um cuzinho gostoso me esperando para fuder. Voltei para o quarto com a garrafa de vinho e duas taças. Servi a minha gostosa, e tomou um gole e falou.. amor… retira o plug do meu cuzinho e ver se está muito arrombado! Eu a coloquei de quatro, retirei o plug e vi o quanto estava dilatada. Falei… vou meter a pica para sentir o quanto está dilatado. A pica entrou fácil, e ela falando mete amor.. ai como estou arrombada. Pediu para quando eu gozar, recolocar o plug novamente. Ao olhar para a porta, vi a Lêlê esfregando os peitinho e a outra mão alisando a bucetinha. A Edilene gemia e falava alto… mete amor mete na sua puta… adoro dar o cú, sou viciada nessa pica no meu cú. A Safada falando essas coisa e a Lêlê se esfregando na porta, não agüentei e gozei dentro do cuzinho. A Edilene falou… goza tudo dentro amor, não tira agora, deixa escorrer todo o leitinho no meu cuzinho. Retirei a pica daquele cuzinho arrombado, e recoloquei o plug, que dessa vez entro fácil. Em seguida a safada disse: amor agora retira o outro plug e chupa a minha buceta, que eu quero colocar esta toalha no rosto, e imagina que é a Lêlê que está me chupando. Retirei o plug da buceta, que ficou toda arrombada na minha cara. Chupei lentamente aquela buceta gostosa, e a safada gemendo e rebolando, e falando ai Lêlê… chupa sua mainha vai… chupa gostoso minha putinha. Depois mainha chupa você também. Chamei com um aceno, a Letícia para perto da cama, que veio ainda com um vestidinho sem calcinha, e ficou ao meu lado se masturbando e alisando os peitinho enquanto me via chupar a Edilene e ouvia ela gemer chamando o seu nome. A Leticia em dado momento se afastou indo embora, acredito que estava gozando e não queria fazer barulho. A Edilene falou que estava gozando, e gozou chamando a filha de putinha gostosa. Após se recompor da gozada, a safada falou… amor, você me levou ao céu com essa chupada. A sensação de ter cú preenchido e cheio de esperma e a sua língua na minha buceta, eu lembrando da buceta de Leticia, enlouqueci de tanto tesão. Eu falei…. descanse um pouco amor. Servi mais uma taça de vinho e falei no seu ouvido…. estamos só começando… eu ainda vou colocar leitinho no seu cuzinho. Ela me beijou dizendo que me amava. Falou que agora que temos os brinquedos, só iria trepar com os buracos preenchidos, era dupla penetração sempre, pois o prazer de dar o cú com a buceta preenchida é indescritível. Fui no criado mudo e peguei o penis de silicone,que tinha um centímetro de diâmetro mais grosso do que minha pica. Ela o pegou e começou a esfregar na buceta dizendo: quero levar mais leitinho no cú, com esse pênis na buceta. E começou a meter e gemer baixinho. Ela pediu para mamar minha pica enquanto fudia a buceta com o pênis de silicone. Em seguida a coloquei de quatro, ainda metendo o pênis de silicone na buceta, e comecei a tirar e botar o plug no seu cuzinho. Ela falou… amor eu acho que estou muito arrombada hoje, esse pênis mais grosso está deslizando facinho para dentro e pra fora da minha buceta. Eu retirei o pênis de silicone e em seguida meti a minha pica, que se perdeu naquela buraco arrombado e molhado. Eu falei… Você está uma puta muito arrombada sua safada. Ela falou… ai amor me chama de puta arrombada, que eu adoro. Continuei xingando ela de puta arrombada de cadela arrombada, de piranha safada, até que ela gozou. Em seguida vi que ia gozar, retirei o plug e gozei em seu cuzinho também arrombado. Após me refazer, me deitei ao seu lado, dizendo: que puta safada é você em gostosa? Ela falou… eu te amos e me realizo contigo… quero realizar todas as minhas fantasia sexuais. Em seguida ela pediu para dar um cochilo, pois estava exausta, mas falou que daqui a meia hora era para acordar ela pois queria mais leite no cuzinho. Deixei-a relaxar e ao notar que ela estava ressonando, fui até o quarto de Letícia, acordei ela, vi que ela havia bolinado o cuzinho e a bucetinha, e falei para ela… vim aqui só para comer o seu cuzinho e fazer você gozar meu amor. Ela se colocou de quatro na beira da cama, abriu a bundinha com as duas mãos e falou come meu macho gostoso. Eu dei uma lambida no cuzinho dela de em seguida meti a pica devagar até o talo. Ela começou a rebolar e se masturbar pedindo pica. Falava come meu amor, come meu paizinho gostoso, come sua putinha. Eu suo a sua biscate safada, me faz de puta, meu pauzudo gostoso. Em poucos minutos ela falou que estava gozando. Gozou chamando o meu nome, piscando o cuzinho na minha pica diversas vezes. Após ela relaxar, eu falei… eu não vou gozar em você hoje não, pois tenho que gozar novamente no cuzinho da sua mãe putinha. Prometi que em alguns dias eu a faria dormir com o cuzinho cheio também… pedi que compreendesse. Ela me beijou e em seguida voltei para o meu quarto. Chegando no quarto, acordei a Edilene, que foi logo ficando de quatro. Eu meti o pênis de silicone na sua buceta e retirei o plu do seu cuzinho para meter. Pense num cuzinho melecado! Mas eu meti muito naquele cuzinho arrombado até que gozei dentro. Em seguida eu retirei o pênis de silicone da sua buceta e chupei ela colocando a minha boca e nariz dentro de tanto que estava arrombada. Ela em poucos minutos gozou, relaxou e dormiu. Eu ainda pensei
voltar no quarto da Leticia, mas desisti, deixando para outro dia.Por hoje é só amigos ! Grande abraço!

Meu tio é também meu sogro e amante!

Meu nome é Ana, sou quase quarentona, mas sou enxutona. Quando passo na rua, todos os homens quase quebram o pescoço para ver minha bunda grande e bem feita. Minha cintura continua bem fina e meus seios maravilhosos, depois de uma cirurgia, claro (250mm de silicone). Sou casada com meu primo Braz, um homem íntegro, discreto, trabalhador, excelente marido, fiel e honestíssimo. Eu não mereço um marido tão bom assim, porque tenho um amante, o Jorge, há mais de 15anos. O chato é que meu amante é meu próprio tio. E o pior é que esse meu tio, irmão de mamãe, é, também, o pai do meu marido. E, apesar de estar meio coroa, cinqüentão, é um amante gostosíssimo. Desde que eu era menina com 14 aninhos, e bem desenvolvidinha de corpo,já nutria uma paixão doida por esse tio . Que me iniciou comendo meu cuzinho. Aliás, me casei com o filho, para ficar bem perto do pai. Antes de me casar eu já fazia de tudo com o pai e foi ele que me ensinou tudo de sexo com sacanagem gostosa, não sexo com amor romântico! Quando o meu noivo,filho dele, viajou p´ra estudar em outra cidade eu me tornava o “cardápio completo” da dieta do meu tio. O caso mais sacana que aconteceu conosco naquela época foi quando fizemos um ménage a trois com minha prima, filha dele!! Tal situação continuou até quando minha prima casou e foi morar em outra cidade . De vez em quando ele ia lá fazer uma “visita” pra filhinha, quando dava um jeito de se livrar do maridinho, e dos dois filhos quando teve, pra se transformar na putinha do paizinho! Eu continuava como primeira dama antes e depois do casamento. No dia do meu casamento, meu sogrão fez questão de me dar uma gostosa despedida de solteira a dois. Levou-me a um motel e me comeu a manhã toda. Fizemos de tudo um pouco, começamos com um longo 69 e terminei dando o cuzinho, como era de praxe . Depois, ele me deixou, no começo da tarde, num salão de beleza, que eu marcara o dia da noiva, para que eu pudesse me produzir para o meu casamento, logo mais à noite. Depois do casamento,tivemos a recepção e quando chegou a hora para irmos embora, chamei meu tio discretamente e lhe disse que queria mais uma trepada antes de partir pra lua de mel. Assim ainda com o vestido de noiva, dei meu anelzinho pró meu sogro-tio e mamei todo esporra que ele pode me dar . Afinal eu iria ficar duas semanas longe daquela rola!! Fomos para Cancun passar a lua de mel, graças às passagens dadas pelo meu sogro, como presente de casamento. Quando voltei do México com o meu marido, meu sogro e tio me ligou e queria me encontrar de qualquer jeito, pois estava morrendo de saudade. Como ainda estava em lua de mel, não pude mesmo deixar meu maridinho sozinho e tive que dar um bolo no meu sogro. O cara de pau não agüentou a distância e foi jantar conosco, sentando-se à mesa bem perto de mim, encostando sua pena na minha e, de vez em quando, passando a mão, rapidamente, nas minhas coxas e na minha xaninha, por baixo da mesa,pois eu estava de sainha curta e leve. Fiquei molhadinha, até gozei de tanto tesão com aquele macho me afagando, me alisando, me tocando em segredo, enquanto sorria e brincava comigo e com meu marido. Que cara de pau. Que fingido, mas que fingimento delicioso. Que gostoso. Tudo o que é proibido é mesmo excitante. Quando o meu sogro (e tio) foi embora, senti que havia um pequeno papel enfiado na minha calcinha. Abri e estava escrito:”Quero te ver amanhã, sem falta. Tenho uma surpresa para você. Ligue-me logo cedo.” No outro dia, acabou-se a lua de mel, meu marido foi logo cedo para o trabalho, e eu liguei para o meu amante, sogro e tio, o Jorge. Coloquei uma das lingerie que comprara para lua de mel e fui me encontrar com aquele macho delicioso, bem mais velho do que meu maridinho, mas muito mais experiente e com um pau bem maior. Deixei meu carro num shopping e fiquei aguardando Jorge. Fiquei pasma com o que vi. Nem acreditei. Meu tio estava acompanhado por um casal. Se eu e Jorge havíamos combinados ir a um motel, por que titio estava com aquele casal no carro? Só me aproximando do carro e falando com os três para saber o que se passava, qual é o mistério. O rapaz, muito bonito e jovem, saiu do banco da frente do automóvel do titio e foi para o banco de trás, fazer companhia a uma belíssima loura, colocando o braço em suas costas. Sentei-me, dei um beijinho no rosto do Jorge. Suzy, quero que você conheça meus amigos Luiz e sua esposa Elen. Eles farão companhia para nós dois, se você concordar, claro. Fiquei muda, pasma, perplexa. Olhei para trás, dei uma risadinha amarela para o casal; falei: muito prazer, Suzy; e continuei olhando para frente. Jorge ficou um pouco constrangido com a minha reação e tentou quebrar o gelo, puxando conversa sobre Cancun, sobre minha viagem e outras banalidades. Sinceramente, não sabia o que fazer. Sair correndo daquele carro, estava fora de cogitação. Falar que não gostava de swing , também não podia falar, se não perderia Jorge e, além disso, não podia falar que não gostava de uma coisa que NUNCA havia experimentado. Devagar comecei entrar na conversa. Coloquei um CD de Maria Rita e elogiei sua voz. O casal entrou na conversa dizendo que assistiram um show da cantora no Rio. Ficaram um bom tempo descrevendo a cantora, o show, as músicas… Quando me dei conta, estava íntima do casal. E que casal lindo, o homem era moreno, alto, com lindos olhos azuis. A mulher loura, não muito alta, mas com um corpo escultural, conforme deu para ver examinando suas pernas e seios que quase saiam do decote ousado. Quando Jorge percebeu que eu já estava entrosada no grupo, tocou no assunto: Zu, a Elen e o Luiz querem ir conosco para o motel. O que você acha? Tudo bem? Deu um sorriso para todos e balancei a cabeça para cima e para baixo. Manifestei meu SIM, sem falar uma só palavra. Todos ficaram satisfeitíssimos, pois estavam morrendo de medo da minha recusa. É claro que isso jamais poderia acontecer, pois eu sabia que Jorge estava louco para se iniciar no swing. De vez em quando, ele falava isso no meu ouvido, enquanto gozava no meu cuzinho e enfiava um vibrador na minha xana. Já pensou se fosse outro pau: dizia sempre me deixando excitadíssima. Enquanto eu me lembrava disso, a minha bocetinha ficava ensopada. Fiquei até com medo de molhar o banco do carro do Jorge. Assim que Jorge percebeu que realmente eu estava de topando a transa a quatro, entrou num luxuoso motel, pedindo uma suíte dupla, completíssima, tendo até piscina. Quando entramos naquela suíte maravilhosa, com decoração egípcia, eu já estava preparada para o que der e vier. Queria aproveitar o máximo possível. Queria novas experiências. Queria experimentar aquele macho diferente, jovem, forte, bonito. E se a loura topasse, ia comer ela também . Ia redescobrir minha parte lésbica que eu havia experimentado com a filhinha de meu sogro-titio-amante! Entrei histérica, rindo alegremente, jogando os sapatos e roupas para os lados. Fiquei só de lingerie sex no meio daquele grupo assustado. Eu era o centro das atenções. Jorge nem acreditava no que via. Me agarrou e me jogou na cama. Tirou o pau para fora e colocou no meio das minhas pernas, me beijando como louco. Elen e Luiz foram para a outra cama e ela começou um boquete no marido, e a cena dela nua deitada com a bundinha pró alto me deixou louca, louca, louca pra ter minha chance de comê-la . Vendo aquele casal se chupando, fiquei super excitada. Quis fazer o mesmo. Tirei o resto da roupa e comecei um 69. Quando estava enfiando o pau do Jorge na boca, percebi que o Luiz estava se aproximando e, com um gesto, pediu com Jorge para ficar no lugar dele. Imediatamente, Jorge se saiu de perto de mim e correu para ficar no lugar do Luiz. Eu acompanhava com os olhos aquela movimentação e fiquei que era só tesão.Elen então ficou apreciando o tarugo do meu tio-amante antes de começar achupá-lo com sofreguidão!! . Então foi a vez do corninho dela. Luiz se ajeitou, enfiou a boca no meio das minhas pernas e deixou aquele tarugão à minha disposição. Segurei com as duas mãos e fi
quei medindo com os dedos. “_Que pau monstruoso! Será que isso vai caber na minha boca? E na minha xana? No cuzinho, nem pensar…” fiquei pensando com os meus botões, enquanto chupava, com sofreguidão, aquele pinto grande, grosso, que latejava, cheios de veias e sensualidade. Enfiei a cabeça do pau na boca e tentei chupar o máximo possível. Todo o líquido salgado que saia daquele pau eu sugava, com lascívia, com gula . Com as mãos e boca apertava e alisava aquele mastro erguido. Queria experimentar tudo aquilo dentro de mim, dentro da minha xaninha melada. Meu tesão era tanto, que, se ele quisesse por no meu cuzinho, toparia na hora. Olhei para a outra cama, Jorge estava comendo o rabinho da lourinha, que gritava, gemia, com o pau entrando e saindo do seu rabo . Olhando para o nosso lado, Elen chamou Luiz :Querido vem aqui, por favor, vem comer minha bocetinha, quero sentir dois paus. Agora, venha logo.” Luiz tirou a boca da minha xaninha e foi ao socorro da esposa. Ajeitou-se debaixo dela e enfiou o pau super duro na boceta da esposa. Elen sentou no pau do marido sem tirar o cacete de Jorge do cu. De lá do meu canto, fiquei olhando aqueles dois machos comendo a louraça, que rebolava, se agitava, se erguia e gritava como doida varrida:”_ Mete em mim, mete gostoso. Me coma maridinho corno. Coma meu cuzinho,Jorginho querido. Bota chifre nesse corno e coma meu cu . Vamos gozar juntos, mas não agora.” Ficaram assim, naquela gemeção, naquela algazarra, naquela dupla penetração um bom tempo. E eu no meu cantinho, deitada, batendo uma gostosa siririca. Eu sabia que logo era a minha vez de ser comida pelos dois machos deliciosos. Enfiei quase todos os dedos na xaninha e gozei na minha mão, enquanto os três explodiam num gozo só. Com porra escorrendo pela frente e por trás, Kátia foi se lavar no chuveiro, tomando uma demorada ducha. Fui fazer companhia e me ofereci para passar o sabonete naquela escultura grega. Pela primeira vez na minha vida senti o corpo de uma mulher. Passei a mão naquelas nádegas roliças e macias. Lavei seus seios várias vezes, caprichando nos biquinhos. Passei o sabonete no umbigo e desci ate a xaninha. Elen abriu as pernas e me deixou ensaboar sua bocetinha e seu cuzinho várias vezes. Larguei o sabonete, me ajoelhei e cai de boca naquela xana. Elen adorou meu boquete. Em seguida, retribuiu meu carinho e me chupou também. Os dois sacanas ficaram apreciando aquela cena se deliciando. Quando percebi que os paus dos machos estavam ficando duros, me enxuguei e me joguei no meio deles. Eles logo perceberam que eu também queria uma dupla penetração. Dei um jeito de ajeitar na minha bocetinha o pau do Luiz, que era bem maior, e deixei o cuzinho para meu sogro comer. Cavalgando devagar o pau de Luiz, a bunda ficou bem arrebitada aguardando o pinto do titio Jorge. Titio lambeu bem meu cuzinho, enfiando a língua o máximo que pode, e enfiou o pau no cuzinho, com determinação. Nem pensei em fazer frescura. Queria mesmo levar no cu. E era agora. Empurrei a bunda para trás e, com o empurrão de Jorge, seu pau entrou inteirinho no meu rabo. Quase perdi a respiração. A dor era intensa, mas o prazer era maior. Recuperei um pouco e iniciei um vai e vem, controlando o pau do Luiz para não sai de minha xaninha. Que coisa fora de série. Nunca na minha vida pensei em sentir uma sensação tão maravilhosa, tão gostosa. Melhor do que qualquer droga ou sonho. Estava no paraíso. O pau do Luiz preenchia minha boceta e o pau do meu sogro Jorge quase me separava pelo meio . Parecia que era um pau só dentro de mim, eu sentia que os dois se tocavam nas minhas entranhas. Que coisa boa. Imitei Elen e comecei a gritar palavrões e ofender aqueles dois machos do outro mundo. _Me comam seus putos. Metem nessa putinha. Ponha chifre em seu filhinho corno, titio tarado, meti esse pau no cuzinho da norinha, titito safado. Vamos Luiz, ajude o titio por chifre no filhinho corno dele. Ponha chifre naquela louruda linda. Me coma, coma essa puta, meta tudo. Consegui superar Elen nas gritarias, escândalos e gemeção. Fiquei naquela cadência gostosa, com dois paus dentro de mim, num vai e vem gostoso. De vez em quando, o pau do Luiz escapava de minha xana e eu segurava tudo aquilo com duas mãos e enfiava, devagar novamente. Que gostoso sentir aquilo entrando dentro de mim. Parecia que não acabava mais aquela penetração. E, enquanto isso, Jorge enfiava e punha, sem dó, o pau no meu cuzinho, agarrando minha bundona com vigor. Gozamos juntos. Até a Elen também gozou, batendo uma gostosa siririca. Após um pequeno descanso, fomos para os chuveiros. Fiquei com Jorge, enquanto Elen foi com o marido para o outro chuveiro. Depois fomos para a beira da piscina. Ficamos um bom tempo comendo alguma coisa e bebendo uns drinks, cobertos por roupões. Elen foi a primeira a se jogar na piscina. Jorge foi atrás e começou a bulinar a loirona que pagou uma “ maravilhosa espanhola” pra ele . Luiz se aproximou de mim e foi tirando meu roupão. Me pegou nos braços e me levou para a cama para continuar o 69 interrompido. Catei aquele tarugão e chupei com vontade. Luiz me fez gozar várias vezes com a língua em meu clitóris. Depois de uma longa sessão de chupa-chupa, Luiz quis enfiar o pau em mim. Deitei e esperei que ele enfiasse de novo aquele gostoso tarugo na minha xana. Com carinho, Luiz me virou de costa e começou investir no meu pobre cuzinho. Aqueles agrados deram certo pois logo fiquei torcendo para o Luiz enfiar logo o tarugo em meu cu.Ele então disse que seria menos”penoso” se eu fosse me sentando e ao mesmo tempo eu própria fosse guiando aquela torona p´ro meu rabinho. Dito e feito. Mas com um tranco só, Luiz Francisco enfiou o pau no meu rabo sem dó. Agüentei firme, mesmo sabendo que devia estar saindo até sangue das pregas arrebentadas. Eu só queria sentir aquele pau entrando e saindo do meu cuzinho, enquanto os dedinhos mágicos do Luiz excitavam meu grelinho. Gozei. Luiz também gozou no meu cu. Seu pau inchou ainda mais e dele saiu um jato quente inundando meu buraquinho . Na outra cama, Kátia estava dando o cuzinho para o Jorge. Deixei o Luiz Francisco descansando na cama e fui lá ajudar Jorge comer a louraça. Entrei por baixo de Elen e enfiei a boca em sua bocetinha depilada. Ela fez o mesmo comigo. Ficamos num 69 sensual, enquanto Jorge comia o cuzinho de Elen. Jorge tirou o pau do cu de Elen e pediu para ela ficar de lado, encostada em minha bunda, ele então chamou o marido-corninho caralhudo e disse que a Elen já estava lubrificada só preciva ser alrgada novamente. Pimba! Dito e feito, a louraça agasalhou aquela torona quase até os bagos do seu corninho, enquanto me beijava a nunca e arfava de tezão e gozo! . Depois foi minha vez com aquele corno maravilhoso e incansável. Elen deitou-se de costas e eu tabém mas por cima dela. Então ela me levantou as pernas expondo meus dois buraquinhos pra vontade do nosso corno. Então, dito e feito. Levei piroca no cuzinho já alargado por ele momentos antes. E era ainda como se a primeira vez. Meu sogrinho se masturbava e dizia que me amava, que eu era completa, que eu era a mais maravilhos das putinhas que ele já teve, etc etc. Gozei e gozei e parecia que não acabava mais!! Meu sogro ficou alucinado foi a vez dele. Só que ele queria nos duas dando ao mesmo tempo. \\mas ele não conseguia enfiar todo o seu pirocão em Elen. Então nos alternava-nos.Uma sentando em cima da outra enquanto a debaixo masturbava a que estavas em cima! Minha bunda ficou por cima e Jorge aproveitou para enfiar seu pau. Fizemos essa troca várias vezes. Jorge comeu os dois cuzinhos várias vezes e eu não larguei aquela xaninha gostosa que jorrava orgamos múltiplos sem parar. E eu fazia o mesmo. Depois de longo tempo, resolvemos todos gozar juntos. Dessa vez eu e Elen fizemos um 69, comigo por cima. Jorge gozou com o pau no meu cu. Senti seu líquido jorrando no meu rabinho e o último orgasmo de Elen na minha boca. Ela também vibrou com o líquido que, em quantidade, saia de minha xaninha feliz.E como saideira, sentei no meu titio agasalhando a piroca
com meu cuzinho, enquanto Elen me beijava e levava a tora do marido-corninho no anelzinho super dilatado!! Todos estávamos satisfeitos. Satisfeitíssimos. Foi um dia louco, inesquecível. Com o cuzinho ardendo e a bocetinha mais larguinha, fui para casa, ainda com um restinho de tesão. Quando meu maridinho chegou, eu o recebi numa linda lingerie preta e com um champagne na mão. Transei como nunca havia feito antes. Só de lembrar do que fizera naquela tarde, gozava à toa. Meu marido ficou muito feliz, achando que ele estava demais. Gozei junto com ele e fiquei largada na cama. Eu estava cansadíssima. Não agüentava mesmo mais nada. Essa aventura com Jorge e o casal foi a primeira de uma série de loucuras que fiz com meu tio. De fato, ele fez outras surpresas agradáveis para mim. Muito agradáveis mesmo. Mas isso eu conto em outra oportunidade, se esse conto tiver boa votação. Até lá.

Eu, minha irmã e a amante dela

Eu e minha irmã sempre fomos muito próximos. Temos somente um ano de diferença (eu 22 e ela 21), então sempre fomos amigos e confidentes, desde crianças. Vanessa é uma verdadeira gata, cabelos negros, lisos, olhos levemente puxados, boca carnuda e dentes perfeitos. Seu corpo é certinho, seios médios, bunda média, porém bem arrebitada e redondinha. A dois anos Vanessa confessou-me ser bissexual, curtindo tanto homens quando garotas. No momento namora sério um rapaz chamado Miguel, mas por fora sai com uma menina chamada Julia, uma loira toda uda (peituda, bunduda, gostosuda). Miguel não sabe desse segredo de Vanessa.Certo dia, estávamos eu e Vanessa vendo TV em casa, quando ela puxou papo sobre a Julia. Disse que as duas haviam conversado sobre fantasias sexuais.- Tá, e quais são as fantasias de vocês?- A minha não interessa. Mas a Júlia…- Qual é a dela?- A dela é fazer um menage com um homem e uma mulher.- E você vai realizar essa fantasia para ela?- Falei para ela que realizo, desde que seja com um homem de total confiança.- Ela conhece alguém de confiança assim?- Aí é que está, ela me encarregou de conseguir esta pessoa para que eu ficasse mais à vontade.- Já conseguiu alguém?- Não, mas já tenho alguém em mente. Você. Em você eu confio.Tomei um susto nessa hora, mas confesso que fiquei animado.- Já comentou sobre mim para ela?- Já sim, e ela aprovou totalmente.- Beleza, eu topo.Passados dois dias, a Vanessa voltou àquele assunto.- Lembra do que conversamos sobra a Júlia outro dia?- Claro, como poderia esquecer?- Então, topa sairmos na quarta?- Tudo bem, pode ser, na quarta posso faltar na faculdade.Na tal quarta-feira, pedi que a Vanessa fosse dirigindo meu carro. Chegamos à casa de Júlia num condomínio fechado, e ela saiu deslumbrante, com micro vestido frente única, preto, super decotado. Pensei comigo: Caralho, minha irmã é melhor que eu para pegar mulher… rss.Sentei-me no banco de trás para deixar as duas mais à vontade na frente. Vanessa nos levou para um barzinho escurinho, mais para namorados, com música ao vivo, mas que estava quase vazio por ser um dia de semana. Pedimos drinks e ficamos conversando sobre banalidades.A certa altura a Vanessa segurava a mão de Júlia discretamente. Senti o clima começar a subir. Aproveitando o pouco movimento do bar, de vez em quando as duas trocavam selinhos rápidos. Comentei em tom de brincadeira:- Só eu fico chupando o dedo! rssAs duas riram. Vanessa falou algo no ouvido da Júlia, que disse:- Então chega mais perto, ué.Imediatamente arrastei minha cadeira para mais perto de Júlia, que nesta hora segurou meu queixo e deu um selinho um pouco mais demorado na minha boca.Arrepiei de tesão nessa hora, imaginando a hora em que iria pegar aquela loira gostosa.- Vamos pedir a conta? – sugeri.As duas toparam. Dividimos a conta e saímos do bar. Dentro do carro, comigo sentado no bando de trás novamente, perguntei:- Aonde vai nos levar Vanessa?- Para a igreja é que não vou. Risos gerais.Fomos em direção à região dos motéis de nossa cidade. A Vanessa parou num motel muito legal, que eu já conhecia com minha namorada. Pediu uma suite grande, com sauna e piscina.Ao descermos do carro, ainda na garagem, Vanessa sentiu-se mais à vontade, agarrou a cintura da Júlia e lascou um beijão de língua. Subi as escadas e abri a porta. As duas passaram por mim como se eu não existisse e continuaram a se beijar.Sentei-me numa poltrona, e fiquei assistindo aquele espetáculo. A Vanessa de vez em quando me olhava enquanto chupava a língua da Júlia. Em certo momento, posicionou sua amante de costas para mim, e sem parar de beijá-la levantou o vestido de Júlia, expondo aquela bunda grande e empinada, maravilhosa, com uma calcinha fio dental tão pequena que mal dava para ver naquela bunda enorme. – Você gosta, né safado?- Quem não gosta de uma bunda maravilhosa assim? – respondi- Hoje eu divido ela com você. Só hoje, viu?Nessa hora minha imaginação girou a mil comigo fantasiando comendo aquele rabo fantástico.Vanessa então tirou o vestidinho preto da Júlia, deixando-a só de calcinha, e começou a alisar o corpo dela, explorando a cintura e os quadris, até que repousou cada mão em um lado da bunda da amante.No meio daquela beijação, pouco tempo depois a Vanessa começou a descer a micro calcinha da Júlia, revelando uma marquinha de biquini igualmente minúscula e super sexy, deixando-a peladinha. A essa altura meu pau latejava de tão duro.Então foi a vez da Júlia despir minha irmãzinha querida. Tirou a blusa e a saia, deixando a Vanessa só com o conjunto vermelho de sutiã meia taça, com os mamilos do peito de fora, e uma calcinha rendada minúscula, muito linda e sexy. Sem tirar o sutiã, a Júlia começou a mordiscar e mamar nos mamilos, fazendo a Vanessa fechar o olhos e curtir o tesão imensamente.Minha irmã fez sinal para eu fazer parte da festa. Levantei-me já sem camisa e sapatos. A Júlia, peladinha, ajoelhou-se na minha frente e começou a soltar meu cinto. Desabotoou minha calça e desceu o zíper lentamente e abriu a baguilha. Começou a acariciar meu pau por cima da cueca. Minha calça escorregou sozinha para baixo, e joguei longe com os pés. A Júlia fazia carícias na minha rola, experimentando o tamanho e a dureza com as mão, sem pressa. Nesse momento, Vanessa ajoelhou-se atrás dela, puxou os cabelos loiros de lado, e começou a lamber, mordiscar e beijar o pescoço de sua amante. Júlia então enfiou a mão pela perna da cueca, acariciando agora diretamente minha pica rígida feito rocha.Minha irmã estava acariciando os dois seios de sua amante com as mãos, agachada por trás dela, enquanto lambia seu pescoço por trás.Júlia finalmente baixou minha cueca, e então minha pica saltou dura como uma pedra. Em instantes eu assistia meu membro desaparecer lentamente na garganta da garota de minha irmã. Era impressionante a facilidade como ela engolia minha rola todinha sem engasgar. Mamava com força, como se quisesse engolir. Lambia de cima a baixo e chupava com força minhas bolas, provocando até dor, mas uma dor gostosa e excitante. Minha irmã então levantou-se, pego nossas mãos e levou-nos para a cama. Júlia deitou-se de costas, e aguardei para esperar a iniciativa de minha irmã. Vanessa então ajoelhou-se perto de sua amante e começou a acariciar e beijar seus seios, fazendo circulos com a lingua, mordiscando e chupando com força. Logo ajeitei meu rosto entre as pernas da Júlia e comecei a chupar aquela buceta linda e lisinha que se oferecia para mim. Lambi lentamente entre os lábios, enfiei minha lingua dentro dela o mais que pude. Fui subindo minha lingua até encontrar um grelhinho inchado de tanto tesão. Fazia círculos nele com a lingua, mordiscava, lambia, beijava, chupava com força. E veio a primeira gozada da Júlia. Segurei as pernas da Júlia e posicionei minha pica na entrada da sua buceta. Comecei penetrando devagar. Minha irmã abriu as pernas nesse momento e encaixou na boca da Júlia, sentando no seu rosto. Vendo essa cena comecei a meter mais forte. Socava com tanta força que movia a cama inteira. Vanessa apertava e lambia seus próprios seios, com a lingua da Júlia enfiada na sua buceta.

Virei amante do meu primo 2

Como no outro conto todos já sabem que virei amante do meu primo e também a putinha dele .Sou solteira tenho 30 anos e sou baixinha, peituda , bunduda e as pernas bem grossa e bastante fogosa e tenho meus rolinhos e meu primo é casado alto magro ,safado com um pauzao de dar inveja e gostoso demais , tanto que não consigo parar de dar pra ele , tenho um tesão fora do comum nele , que só de ver ele ja fico molhadinha .Depois da primeira vez que transamos nunca mais paramos sempre arrumamos um jeitinho ,a gente se vê quase todos os dias mais sempre tem muita gente perto rsrs e sempre dou um jeito de provocar ele e ele de me provocar mais nesse conto vou relatar o dia que dei meu cuzinho pra ele.Marcamos de nos encontrar a tarde e logo de manhã já mandei uma foto do que esperava por ele e esperei ele com um salto alto e uma lyngerie preta que realçou meus peitos e um fio dental que destacou a minha bunda que já se destaca por si rsrs quando ele chegou ficou louco foi beijo caliente tapa na bunda tapa na cara puxão de cabelo e ele  me pegava com força me chupava e eu chupei ele e sentei naquele pauzao dele e calvalguei gostoso igual uma puta mesmo e o tesão estava tanto que resolvi dar o cuzinho pra ele .Fiquei de ladinho e ele com seu pauzao começou a enfiar devagar porque meu cuzinho é apertadinho parou um pouco pra me acostumar e depois foi metendo e com os dedos na minha bucetinha e eu chupava os dedo dele sentindo meu mel até que gozei com aquele pau enorme no meu cuzinho foi um misto de dor e prazer que fiquei molinha … depois ele tirou do meu cuzinho voltou a comer minha bucetinha até me deixar ardendo . E combinamos que a bucetinha posso dar pra outro mais o cuzinho é só dele já não vejo a hora de dar pra ele de novo agora temos plug anal , temos vibrador , temos protese vários brinquedinhos pra deixar a brincadeira mais divertida . Até o próximo conto galera bjss

DEMOROU MAS ACONTECEU: UM AMANTE PARA MINHA MULHER

       Meu nome é Caio, 55 anos, casado há 28 com Elizabeth (Beth), de 50. Não é por ser minha mulher, mas acho Beth muito bonita e ela conserva ainda um corpo bastante desejável com os seios fartos se destacando com os decotes generosos que peço para ela usar. Os cabelos com reflexo lhe dão um ar ainda mais atraente e fico feliz quando ela recebe elogios de amigos e mesmo de estranhos.       Anualmente passamos um mês no litoral norte paulista durante o verão, ocasiões em que alugamos sempre um apartamento de uma tia da Beth. Nossos filhos já são casados e isso nos dá total liberdade nesse mês de férias. Beth usa maiô de duas peças na praia e meu maior prazer é ver os homens, mesmo os mais jovens, a comerem com os olhos. Nos últimos anos venho tentando convencer Beth a ter um caso com um daqueles homens que flertam com ela. E a resposta é sempre a mesma: “Vamos ver…”        No último verão eu aumentei a pressão e senti Beth muito mais maleável. Como costumo fazer, peço a ela para caminhar sozinha pela praia e de longe observo quem a segue com os olhares, muitas vezes eles até mudando de rumo. Eis que avisto Beth voltando pela praia e conversando com um senhor mais baixo que ela, gordinho e calvo. Passaram à frente do nosso guarda-sol e Beth apontou para mim. Mais adiante o homem se afastou e Beth retornou me contando que acabara de levar uma cantada. Perguntei se ela se interessara pelo carequinha e Beth riu dizendo que não, que não toparia nada com ele. E completou dizendo: “Uma hora qualquer acontece, Caio. Não vamos precipitar nada”.       No dia seguinte Beth foi caminhar pela praia, e estava mais gostosa que nunca, com uma saída de praia curta que deixava aparecer a parte de baixo do maiô e dentro dela sua bela bunda. Quando voltou para nosso guarda-sol Beth tinha um sorriso diferente no rosto e os olhos brilhavam. Ela me disse: “Adivinha…” E completou quando perguntei o quê: “Fiz amizade com uma pessoa que eu gostei muito. Tem a sua idade, casado, muito simpático e está sozinho aqui pois a esposa está em São Paulo e só poderá descer na outra semana”. Enquanto Beth falava desse jeito meu pau foi ficando duro e apontei para ele dizendo: “Olha o tesão do corno”. Beth disse: “Calma, amor, mas de verdade eu gostei do Fernando”.       Beth explicou que Fernando estava sentado mais adiante sob um guarda-sol azul e que iria fazer nova caminhada para ver se o novo amigo a seguiria novamente. Observei bem de longe e vi quando Beth passou por ele e Fernando se levantou. Ficaram conversando em pé por uns dez minutos e depois Beth voltou, mais feliz que dá vez anterior e logo me disse: “Amor, o Fernando vem aqui para conhecer você”.       Nos apresentamos, Fernando elogiou Beth dizendo que ela era muito simpática e marcamos de nos encontrar à noite para comer uma pizza e tomar chopp. Beth colocou um vestido branco, curto, com alças e superdecotado. Ela estava uma loucura de mulher e enquanto conversávamos Fernando era só elogios e parecia querer despir Beth com os olhares atrevidos. Ele falou da esposa que era uma mulher problemática, religiosa demais e que só queria saber do trabalho assistencial na igreja. Por isso deixara ele vir sozinho.        Fernando tinha um apartamento num prédio pequeno de três andares e nos convidou para conhecer seu apartamento. Lá chegamos e falei que éramos um casal liberal mas sem experiência nenhuma com uma terceira pessoa. Fernando explicou que devido ao comportamento da esposa se vê forçado a procurar amizade fora do casamento e que estava feliz por nos ter conhecido. Em certo momento eu disse que havia esquecido meu cartão de crédito no caixa da pizzaria e que iria buscá-lo. Pedi que ela me esperasse no apartamento de Fernando e que em meia hora eu estaria de volta.      Beth me contou que, nem bem eu sai e Fernando a beijou, a despiu na sala mesmo e a levou para o quarto. Disse que o pau de Fernando era um pouco maior que o meu e que ele a chupou, beijou de todas as maneiras e depois foderam gostoso, de um jeito que ela não imaginava que seria tão bom. Quando retornei ao apartamento, quase uma hora depois, Beth estava vestida e seu ar de felicidade falava melhor que qualquer palavra que pudesse dizer. Combinamos que no dia seguinte Fernando iria conhecer o apartamento em que estávamos, ele me abraçou como que em agradecimento e nos despedimos.       Beth fez um relato pormenorizado da trepada que ela e Fernando deram e um detalhe chamou atenção pois ela disse que ele insistiu em colocar um e depois dois dedos em seu cuzinho. Beth disse que achava que Fernando iria querer enrabá-la numa nova transa, mas que o pau dele era bem mais grosso que o meu e poderia machucá-la. Tomado pelo maior tesão com aquela conversa lubrifiquei meu pau e o cuzinho de Beth e a fodi assim para prepará-la para a eventualidade de Fernando querer possuí-la analmente.       O novo encontro no dia seguinte foi na praia, sentamos juntos os três e Fernando estava bem mais abusado, conversando o tempo todo com a mão sobre a perna de Beth, isto quando não a colocava em seu ombro. Parece que ele havia percebido que isso me deixava em êxtase de tanto tesão. Convidei-o para irmos todos para nosso apartamento. Lá chegando disse para eles ficarem à vontade que eu iria tomar banho e depois estaria na sacada olhando o movimento da rua. Sem o menor constrangimento Fernando a abraçou e foram para o nosso quarto. Fernando ainda me perguntou se eu não gostaria de entrar com eles. Disse que preferia deixá-los à vontade.       De onde estava podia ouvir os gemidos de Beth que deve ter gozado várias vezes. Mais tarde os gemidos pareciam ser de dor pois eram ‘ais’ prolongados. Eu sabia que Fernando a estava enrabando, o que ela me confirmou mais tarde. Quando terminaram a foda vieram para a sala e conversamos como se nada houvesse acontecido. Fernando voltou para seu apartamento e antes marcamos novo encontro para aquela noite no nosso apartamento. Foi aí que Beth relatou que primeiro foderam normalmente, ele com os dedos sempre bolinando seu cuzinho e depois de meia hora voltaram a trepar, desta vez em outra posição. Foi aí que Fernando comeu o cu da minha mulher, como queria.       À noite Fernando retornou para nosso apartamento e eu perguntei a ele se estava ‘em forma’. O amigo disse que não abria mão de um azulzinho de 50mg para não falhar. E que havia tomado novamente por que Beth era gostosa demais, a melhor mulher que ele fodera na vida. Agradeci o elogio e Fernando me propôs que eu assistisse ele comendo minha mulher. Falei que poderia ser mas que eu gostaria que acontecesse uma dupla penetração, ele comendo a buceta e eu o cuzinho de Beth. Minha mulher ouviu essa parte da conversa e brincou: “Ninguém me pede autorização? Vocês dois não prestam. Nem sei se vou aguentar”.       Com os três na nossa cama, Fernando se deitou, Beth sobre ele encaixando sua buceta no pau do amigo e empinando um pouco a bunda. Chupei o cu de Beth, enfiei a língua nele e percebi que piscava de tesão enquanto o pau de Fernando entrava e saia em sua buceta. Lubrifiquei o cuzinho de Beth e também meu pau e penetrei Beth bem devagarinho. Ela gemia de prazer com os dois paus dentro dela enquanto Fernando a beijava feito louco. Fui o primeiro a gozar e fiquei sobre ela sentindo o movimento dos dois que pouco depois gozaram também. Levantei e os deixei na cama, saindo do quarto.       Beth apareceu nua na sala e disse que Fernando havia adormecido de cansaço de tanto meter naquele dia. Combinamos que ela iria se deitar junto com ele e ver a reação quando ele acordasse. O cansaço, os Viag
ras tomados naquele dia, tudo somado faziam Fernando dormir como uma criança. Só foi acordar às três da manhã com Beth dormindo ao seu lado. Pela manhã fui acordá-los e disse apenas: “Metendo na minha mulher ainda, Fernando?” Ele respondeu que dormira a noite toda mas que gostaria de repetir tudo novamente à noite. Avisou que teria só mais dois dias porque a mulher e a filha chegariam no sábado. Disse a ele que então aproveitasse tudo que pudesse pois Beth estava amando aquelas férias.       Nos vimos algumas vezes ainda naqueles dias de féria e Fernando nos apresentou a mulher e a filha, ambas bem chatas mesmo. Terminada a temporada voltamos para São Paulo e Fernando, sempre que pode vem nos visitar. Por vezes rola ménage entre os três com dupla penetração, mas eu refiro que Fernando foda minha mulher, fazendo de mim um corno manso perfeito. E como isso é bom! Não há nada melhor no mundo!

A defloração anal da loirinha

A defloraçao anal da loirinha Sou moreno, alto , porte atlético e amante das várias modalidades de sexo, pois conhecedor dos segredos para satisfazer uma mulher na cama, vivi algumas experiências, a que passo relatar agora uma delas. Na empresa em que eu trabalhava, composta na maioria por homens, havia uma loirinha sensacional que se chamava Débora. Tinha 18 aninhos, era loira, mignon e possuia um corpo fantátisco, daqueles de deixar qualquer um babando de tesão. Seus cabelos eram lisos e compridos, possuia seios médios e firmes bastante saborosos que viviam empinados, olhos azuis e uma boca carnuda, que imaginei ser capaz de fazer loucuras, em todos os sentidos. Porém o que mais chamava atençao naquela garota, era aquela bundinha espetacular que desfilava pelos corredores da empresa, sempre deixando os marmanjos malucos.A loirinha sabia usar todos os artificios para seduzir, vestindo-se de maneira elegante e sensual. Ficava louco quando a via de minissaias e vestidinhos colantes, que tentavam esconder inultimente aqueles fantátiscos par de seios, ou aquele traseiro arrebitado, sem falar nas pernas grossas e bronzeadas, que destacavam mais a maciez da sua pele.Por ser uma pessoa discreta, despertei imediatamente sua simpatia e amizade, que resultaram em muitos almoços, festas e saídas nos finais de semana. Senti que despertei a inveja de muitos colegas no serviço, pela companhia daquela femea, e com o passar do tempo foi aumentando cada vez mais nossa intimidade. Inevitavelmente transamos pela primeira vez, na sua casa, como pude contar anteriormente e durante algum tempo vivemos varias aventuras. Fomos vivenciando algumas experiências, e apesar da resistencia a determinados tabus, talvez por medo, experiência ou oportunidade, fomos descobrindo juntos formas e maneiras de obter prazeres intensos.Devido a nossa intimidade vivia elogiando sua bundinha, e dizia que era cobiçada por mim e por todos os homens na rua que não resistiam em dar pelo menos uma olhadinha naquele monumento. Ela ria e desconversava, visivelmente excitada com tudo aquilo, e dizia que éramos tarados, mas admitia que cuidava da sua forma física, especialmente daquela parte da sua anatomia. Disse também que um ex-namorado vivia pedidndo para traçar sua bundinha., e que após várias negativas, resolveu ceder aquele pedido especial, que ele vivia cobiçando, e que ela influenciada por algumas amigas que diziam que era uma forma excitante de fazer amor. Devido a inexperiencia de ambos, acabaram desistindo por causa do desconforto que lhe causou, na primeira investida naquele rabinho.Ela porém morria de curiosidade de agasalhar por completo um pau no rabo e estava treinando seu esfincter diariamente durante o banho, enfiando inicialmento o dedo médio e com o tempo estava preparando para enfiar os dois dedos. Teci para ela todo meu conhecimento, sobre o assunto, explicando as técnicas, as posiçoes e o que algumas amigas diziam sentir com a pratica do sexo anal. Debora ouvia atentamewntnte, nao escondendo o interesse, e abria a possibilidade de tentar novamente concretizar o ato, que pela forma com que olhou e piscou para mim, eu poderia ser o felizardo que seria premiado com aquele cuzinho.Nesta época eu havia comprado na banca uma fita intitulada: O guia do sexo anal – Nina Hartley, um manual prático, escrito por uma pornstar – e emprestei para Debora aprender com mais didatismo ás tecnicas usadas para o conforto e prazer máximo.Debora abraçou-me e roubou um beijo apaixonado e senti que era questão de tempo traçar aquele rabinho. Na expectativa de um final de semana prolongado devido a um feriado, e com o calor do verão convidativo, tive a ideia de viajar para o litoral. Seria cenário ideal para o que eu tinha em mente. Prazer e praia decididamente era uma mistura deliciosa. Meu tio possuia uma casa de praia, em Caraguatatuba e por sorte na ocasiao deste feriado, ninguem iria usa-la, e gentilmente ele colocou á minha disposiçao. Era uma casa muito bonita, e se localizava na praia de Tabatinga, cerca de uns 100 mts da praia.Para esta viagem, convidamos também a Kelly que é uma prima da Debora, e o seu namorado.Dia combinado, decidimos ir em dois carros, pois Carlos(namorado de Kelly), pretendia conhecer várias praias do litoral norte. Fomos numa sexta-feira á noite e chegamos de madrugada. Logo na manhã, após um curto descanso, fomos curtir as delicias daquela praia maravilhosa. As duas gatinhas estavam exuberantes, nao poupando esforços para ficarem mais gostosas que a outra. Usavam biquinis sumários, que deixavam os seios pontudos e volumosos totalmentes á mostra. Tive uma surpresa grata ao reparar na bundinha de Kelly, uma leve penugem loura cobria aquelas coxas grossas e macias tal como pessego.Carlos não desgrudava os olhos do bumbum de Debora, e engoliu em seco, quando ela se deitou de bruços, na toalha exibindo toda a pujança daquele traseiro. Percebi que Kelly estava com a bucetinha totalmente raspadinha e a parte da frente do biquini teimava em entrar pelos lábios. Fiquei um pouco constrangido devido meu pau dar sinais de vida, mas por sorte ninguem percebeu.A noite foi maravilhosa, cada um nos seus respectivos quartos que devido a proximidade nao abafavam os gritinhos das gatas, ou os gemidos de prazer dos casais. Foi uma noite mágica, e custou a cessar os ruidos do embate amoroso de ambas as partes.No dia seguinte, fomos a praia de manha, com Carlos E Kelly optando por ir até Sao Sebastiao. Ficamos durante algum tempo curtindo a praia, e já que estavamos num lugar meio deserto abracei Debora, enlacando-a pela cintura por trás. Aquela bunda magnifica de encontro ao meu membro teve efeito instantaneo. Imediatamente meu shorts ficou estufado e Debora sentiu toda a envergadura do meu membro latejando no seu bumbum. Sorriu maravilhada com aquela situaçao. Virei-a de frente para mim e encaixei meu pau no seu púbis, por cima do biquini. Desci a boca de encontro aos seios dando leves mordiscadas por cima do biquini. Debora entrou em transe devido as chupadas. Os bicos estavam enrijecidos de tanto tesão. Resolvemos voltar para a casa, já que estavamos sozinhos. O retorno da praia, pareceu uma eternidade, tamanha excitaçao que sentiamos. Após um banho revigorante, dirigi-me até o quarto, onde Debora já me esperava, trajando uma lingerie branca, que contrastava com o lindo bronzeado. Eu somente com a toalha na cintura, tive uma ereçao instantanea. Debora riu alegremente com aquela cena. Abraçamo-nos, com meu membro espetando sua barriguinha lisa. A toalha caiu no chão. Débora dirigiu-me delicadamente com ambas as maos, fazendo com que eu sentasse na beirada da cama, e em seguida empurrou-me deixando meu corpo estirado na cama. Me deu um longo beijo, fazendo evoluçoes com a lingua, enquanto com as maos livrava os peitinhos escondidos no soutien. Pude sentir toda a textura e maciez daqueles seios pontudos no meu peito. Foi descendo lentamente fazendo pequenas evoluçoes com a lingua na minha barriga arrepiada. Ajoelhou-se no chão macio , e segurando com as duas maos a base da minha pica, foi aproximando a boca faminta daquele colosso latejante. Abocanhou com delicadeza e gula, massageando a cabeçorra com a lingua. Fui aos ceus, sentindo todo o calor daquela boca gostosa sugando os fluidos que saia da cabeça do pau.A gatinha gemia intensamente, traduzindo todo o prazer que sentia em dar aquele tratamento oral em mim. Passava a lingua em volta do pau, na cabecinha, chupava as bolas e voltava a engolir completamente meu mastro. Era expert na arte da felaçao. Durante algum tempo pude curtir aquele vai e vem frouxo e molhado, que a sua boquinha quente transmitia ao meu membro . A sensaçao era indescritivel, e o barulho que fazia chupando deixava com mais tesão. Decidi retribuir aquela chupada incrivel. Coloquei a gata deitada na cama, tendo o cuidado de colocar um travesseiro embaixo do seu quadril. Fui descendo sua calcinha, puxando-a até sair pelas pernas. Levei-a até o nariz, sentindo aquele gostinho delicioso do nectar da gata. Fui beijando seus seios, circulando com a lingui
nha seus mamilos durinhos.Sua bocetinha estava totalmente exposta. Debora arfava e sussurava intensamente. Toquei delicadamente a lingua no seu grelhinho. Ela soltou um gritinho. Passei suavemente a lingua no clitóris rubro de tanto tesão. Ela apertou minha mao. Fui invadindo sua grutinha todinha com a lingua. Enfiava e dava pequenas estocadas com a lingua. Prendia os labios com os dentes. Sua grutinha estava ficando encharcada do seu mel. Sorvi todo aquele nectar, até me sentir saciado. Debora explodia em gozo.Ato continuo, fui virando-a de bruços. Aquela bunda deliciosa com a marquinha recente do biquininho, me deixou transtornado. Debora se manteve de bruços, e delicadamente puxei-a para baixo de forma que ficasse de quatro no chão, com o tronco apoiado na cama. Naquela posiçao sua bundinha e seu buraquinho sedento ficaram totalmente expostos á minha exploraçao. Abri delicadamente com ambas as maos sua bundinha, e com a lingua toquei levemente aquele botaozinho rosado, que devido aquela caricia ousada piscou avidamente. Deixei-o molhadinho, estocando-o com a lingua. Debora gemia forte. Coloquei o dedo médio na boca, deixando-o completamente molhado e devagarinho fui enfiando naquele rabinho em brasa. No inicio devido a surpresa inesperada senti uma certa resistência, que foi cedendo com algumas caricias nos seios. A loirinha apertava meu dedo com o esfincter, e ao mesmo tempo que ia introduzindo o dedo por aquele tunel estreito, enfiava a lingua na bocetinha. Debora estava sentindo um prazer intenso, que pude constatar, com as contraçoes que apertava meu dedo. Após algum tempo, quando senti que estava completamente relaxada, enfiei outro dedo que deslizou com mais facilidade por aquele caminho desconhecido. Meu cacete estava durissimo, e por causa da sua posiçao, com a mao fui dirigindo a vara para o meio das suas coxas, tendo como alvo principal a sua bocetinha ensopada. Fui metendo devagar, sentindo uma certa dificuldade naquela grutinha apertada. Quando estava completamente dentro dela, fechei os olhos para saborear aquela gostosa penetraçao. Colocava o membro até tocar as bolas na sua bundinha, e ia tirando lentamente a vara totalmente encharcada com seu gozo, até a pontinha.Ela protestava veemente, exigindo-o todinho dentro de si. Rebolava as ancas de encontro ao meu corpo, fazendo que todo o membro a penetrasse. Ficamos um bom tempo nesta cadencia. Quando o gozo se aproximava, eu subitamente parava para prolongar o prazer. Naquela posiçao, seu cuzinho desprotegido á merce daquela potente vara, que entrava e saia da sua boceta causava uma visão espetacular, e sugeria uma ardente sodomia com a loirinha. Estiquei o braço até a mesinha, e peguei a Ky, um lubrificante á base de agua, que havia comprado especialmente para aquela ocasiao. Debora sorriu, assentindo com a cabeça,concordando com aquela inevitavel enrabada. Tirei o membro molhado da bucetinha, para iniciar os preparativos. A gatinha aguardava ansiosamente pelo desbravamento do seu rabinho. Untei o dedo com o lubrificante e passei no anelzinho virgem. Passei uma boa quantidade de lubrificante na cabeça do meu pau . A menina aguardava o momento ansiosa. Instrui-a a dobrar o tronco sobre a cama, empinando seu rabinho, e com ambas as maos, e a cabeça apoiada na cama, ela abriu a bunda firme deixando o botaozinho desprotegido, avido por uma vara. Meu cacete estava duro como ferro, e devido a expectativa de comer aquele cuzinho gostoso , tinha atingido grandes proporçoes . decidido, com a mao guiei-o em direçao a entrada do seu cuzinho gostoso. Fui forçando a cabeçorra, que devido a lubrificaçao escapava do alvo. Com muita dificuldade, consegui colocar na portinha daquele cuzinho, e fui entrando com dificuldades. Debora gemia. Pedia para ir com calma, pois nunca tinha feito aquilo. Com bastante calma e delicadeza, fui invadindo aquele ânus sentindo sua maciez e calor. Parava em alguns momentos sentindo a resistencia, consequencia do medo da dor, para que ela relaxasse, e após senti-la relaxada, enterrava mais alguns centimentros. Ela rebolava o traseiro, para facilitar a penetraçao, já demonstrando estar curtindo aquela defloraçao anal. Pedia que eu enfiasse tudinho naquele cuzinho macio. Nao me fiz de rogado, e numa única estocada, me senti inteirinho dentro do seu cuzinho, enquanto passava a mao na sua xoxota encharcada. Fiquei durante um bom tempo, atochado naquele tunel, prolongando infinitivamente aquelas sensaçoes deliciosas. A loira iniciou um rebolado fantástico, mostrando que tinha aprendido a liçao. Tirava a bundinha da minha vara, deixando somente a cabecinha dentro, e num movimento cadenciado, tornava a engolir totalmente aquele pauzao com seu rabinho . Aqueles movimentos fizeram com que o gozo se aproximasse e tirei o pau do seu rabo e livrando-se da camisinha coloquei-o proximo do seu rosto. A lorinha abocanhou meu pau até o talo, iniciando uma gostosa chupada, exigindo seu pagamento naquela boquinha carnuda. Deitado na cama,assistia as suas habilidades orais, com aquela boca gulosa. Aquela felaçao caprichada, engolindo totalmente meu pau, num movimento cadenciado, levou-me a experimentar sensaçoes incriveis. Senti o gozo proximo, retesei o corpo e entao explodi num orgasmo alucinante. O jato veio forte e abundante. Debora aparava o esperma com a boquinha na pontinha da pica. Eu gozava na sua boca, lambuzando totalmente seu rosto, e escorria pelos lábios molhando os seios rigidos. Saboreava toda aquela porra, lambendo os lábios e pedia mais. Passava a lingua em volta do membro, sugando as ultimas gotas que saia do seu interior. Caimos exaustos totalmente molhados de suor, daquela batalha de prazer.Ficamos ali abraçados por um longo tempo, até recuperarmos nossas forças. Deitada de bruços Debora permitia a visão esplendorosa daquela bunda totalmente deflorada, após ter sido invadida pelo meu pau, numa enrabada ardida. Depois deste dia, tive outras aventuras com a loirinha, que ficou viciada em sexo anal.

MINHA ESPOSA DE SERTANEJA RECATADA A AMANTE DO PATRÃO

O CANALDOSCONTOS TRÁS PARA VC A HISTÓRIA DELICIOSA DA CAATINGA A SELVA DE PEDRA , SOU O CONHECIDO POR TOINHO DE JULIÃO, TENHO 25 ANOS , CASADO CO JESUITA DEC23 ANOS , UMA MULHER FRANZINA , 1,70 M , 38 KG , PEITOS PEQUENINOS E BUNDA PEQUENA , CALOS NAS MÃOS DE TRABALHAR COM A ENXADA   NO SITIO DO MEU PAI NO SERTÃO TRABALHAMOS MUITO , MAS DECIDI VIR EMBORA PRA SÃO PAULO , MINHA ESPOSA TOPOU , VIEMOS , MEU TIO ARRUMOU UM TRABALHO PRA MIM EM UMA MANSÃO DE UM SENHOR , O GETULINO 57 ANOS   SEPARADO , A EMPREGADA ME FALOU QUE ESTAVA PRECISANDO DE UMA EMPREGADA A MAIS , FOI AI QUE INDIQUEI MINHA ESPOSA , O SEU GETULINO MANDOU MINHA ESPOSA VIR , PARA ENTREVISTA , NO OUTRO DIA TROUXE MINHA ESPOSA E ELA FOI AO ESCRITÓRIO , ELA VEIO COM A MELHOR ROUPINHA , CONVERSARAM , ELA GOSTOU MUITO DA MINHA ESPOSA , MAS NÃO DA ROUPA , MAS ELE QUETIA CONTRATAR , POIS GOSTA DE MIM E ME AJUDARIA , ELE DISSE , DONA JEZUITA , VC VAI SER CHAMADA DE JÊ , VAMOS NA LOJA COMPRAR UMAS ROUPAS PRA SENHORA COMEÇAR A TRABALHAR , ELE FOI COM MINHA ESPOSA , COMPROU , CALÇAS , BLUSAS , SALTO , TENIS , SANDÁLIAS, CALCINHA , NORMAIS E VARIOS FIOS , MARCOU CABELEIREIRO , MANICURE E PEDICURE , MAQUEADOR , CARA , O MOTORISTA LEVOU MINHA ESPOSA AS 9 HS DA MANHÃ DA TERÇA FEIRA BUSCOU AS 15 HS , MINHA ESPOSA CHEGOU LINDA , UMA MODELO , FIQUEI PASMO DE VER A BELEZA DELA , COMECEI A TER UM CIUME , MAS ELA NUNCA TEVE , O PATRÃO ME CHAMOU E DISSE , A JÚ VAI ME AJUDAR A TOMAR CONTA DO ESCRITÓRIO , VAI SER MINHA SECRETÁRIA, POXA QUE BACANA CARA , ELA FOI TRABALHANDO , SE MANTENDO LINDA , MAS EU SABIA QUE MEU PATRÃO ESTAVA DE INTERESSE NA MINHA ESPOSA , DECIDI QUE IRIA TIRAR SATISFAÇÃO, MEDO DE PERDER O TRABALHO EU TIVE , ELA TAMBÉM PERDER O TRABALHO DELA , MAS FUI NO ESCRITÓRIO , MINHA ESPOSA ME ANUNCIOU , ELE DISSE PEDE PRO SEU ESPOSO ENTRAR , EU ENTREI ELE FECHOU A PORTA , SENTOU NA CADEIRA SUPER CONFORTÁVEL , FALOU PRA MIM SENTE – SE MEU GAROTO , EM QUE POSSO AJUDAR VC ? EU DISSE NEM SEI COMO FALAR ISDO MAS VOU FALAR   ELE DISSE SIM , FALEI , O QUE O SENHOR QUER COM MINHA ESPOSA? COMO ASSIM ?ELE DISSE , O SENHOR ENTENDEU O QUE ESTOU FALANDO , O SENHOR TRATA ELA COMO PRINCESA , ELE ME SURPREENDEU , DISSE , MEU RAPAZ , SUA ESPOSA É UMA PRINCESA , POR ISSO TRATO ELA COMO PRINCESA , GOSTO MUITO DE VCS , QUERO QUE ME ENTENDA , NÃO FIQUE BRAVO ,MAS ACHO ELA LINDA , VC TEM MUITA SORTE EM TER ELA , EU QUERIA TER UMA MULHER ASSIM , ADORO ELA ,ME DESCULPE VIU ,MAS É ISSO , FUI SAINDO ELE DISSE TONY , SEGREDO É SEGREDO , ENTENDI ELEQUERIA TRANSAR COM MINHA ESPOSA , NOSSA VIDA ESTAVA BEM , CONVERSEI DO ASSUNTO COM ELA , ELA SE RECUSOU , MAS A GENTE MORANDO DE FAVOR , ELE INVESTIU NA MINHA ESPOSA , OFERECEU UMA CASINHA PRA GENTE MORAR E DISSE PODE SER DE VCS , ELA ME CONTOU , EU DISSE , VC SE RECUSOU , ELA FALOU QUERIA VER SUA OPINIÃO, EU DISSE AMOR PEGA ESSA CASINHA PRA GENTE , MAS FUI LÁ E FALEI SEI O QUE O SENHOR QUER ,MAS VAI DAR O QUE PROMETEU , ELE DISSE SIM , COM CERTEZA , ELE NOS CONVIDOU PRA IR A NOITE NA CASA DELE , MINHA ESPOSA VESTIU UM SHORTINHO , TÊNIS, FIOZINHO , TODA LINDA , FOMOS , ELE HAVIA PLANEJADO TUDO , A MESA COLOCADA , COMEMOS , TOMAMOS , FOMOS PRO SOFÁ , ENTÃO ELE ABRAÇAVA MINHA ESPOSINHA , BEIJAVA A BOCA DELA , ACARICIAVA AS COXAS DELA , OS CABELOS AGORA LINDOS , TODA MUDADA , ELE TIROU A BLUSINHA DA MINHA ESPOSA , TIROU O SHORT DEIXOU ELA DE FIOZINHO DOURADO E TENIS NO PÉ   PORRA QUE DOIDURA É ESSA FÍ DA MULÉSTA , EU COM TESÃO EM VER OUTRO CARA PRESTES A COMER MINHA ESPOSA , ELE CHUPAVA OS PEITINHOS DELA   EU PARADO , MAS O FDP TIROU O FIO COM OS DENTES , A BUCETINHA LISINHA , O CUZINHO DEPILADINHO , ELA FOI TIRANDO A CAMISA DELE , A CALÇA O SAFADO DE CUECA O PAU DURO ,MINHA ESPOSA APALPAVA , ELA EIROU A CUECA , AGACHOU E MAMOU O PAU DELE , EU ME PUNHETAVA , ELE GEMIA COM ELA MAMANDO AS BOLAS , O FDP DERRUBOU ELA NO CHÃO, CHUPOU A BUCETINHA O CUZINHO E PENETROU MINHA ESPOSA , NOSSA , ELA GEMIA NA VARA , COMEU DEITADO , FRANGA ASSADA , 4 , ERGUIDA   ELA GOZOU NO PAU DELE AI EU NÃO AGUENTEI E GOZEI NA PUNHETA , ELE GOZOU DENTRO , ELE DEU A CASINHA PRA NÓS , NESTES 8 MESES QUE ELE ESTA COM.MINHA ESPOSA , JA NOS AJUDOU MUITO , ELA HJ É TIPO MINHA ESPOSA E ESPOSA DELE , SEMPRE ESTÃO NAMORANDO , NOSSA VIDA É BEM CONFORTÁVEL , LEIA CONTOS DO CANAL   GOZE BEM.

Uma Menina Muito Experiente em Sexo Anal…

O meu entusiasmo por sexo anal sempre me pareceu uma tara muito particular de um homem liberal e moderno, porem a minha dificuldade estava em encontrar uma menina disposta a liberar o seu medo de sentir prazer e gozar… Mas vamos a minha historia verídica… Sou gerente de uma grande empresa e estava precisando de uma secretaria, pois a atual estaria entrando de licença maternidade, fui indicado por um amigo a procurar por Vanessa a qual fiz uma entrevista, era esbelta, cabelos curtos e castanhos, nariz pequeno e uma boca sedutora, usava uma saia comprida bem discreta, vinte e cinco anos ou seja um modelo de eficiência, mas nada que me inspirasse profundas fantasias do meu cacete adentrando as suas pregas… Só comecei a reparar mais em Vanessa quando a empresa fez uma convenção em Foz do Iguaçu num hotel cinco estrelas e quando eu estava tomando sol a beira da piscina ela apareceu em seu minúsculo biquíni…Ah, que surpresa ver aquela menina que era do tipo falsa-magra, os seios pequenos para médio e um delicioso bumbum marcando aquelas bochechas maravilhosas, descobertas pelo pequeno biquíni… Apartir daquele dia da convenção, resolvi que valia a pena pelo menos tentar alguma coisa com Vanessa, comecei a puxar mais assuntos, coisas ingênuas da sua vida pessoal, família…mas ela não me mostrou muito animada com a conversa… só acabou animando-se muito com aquilo que seria motivo de uma grande gafe de minha parte, pois eu havia comprado uma coleção de fitas de vídeo acompanhadas das fotos das atrizes, todas da minha preferencia sexo anal…eram poses de penetração, com close do pênis invadindo o ânus da atriz, ou quase-lá, outras quando o dedo sumia por entre as pregas da menina…e estavam na gaveta da minha mesa. Durante uma reunião no final do dia na sala de reunião eu precisei de um relatório e pedi a Vanessa que fosse a minha mesa buscar, só não entendi no momento que ela voltou porque estava meio nervosa com os dedos trêmulos quando me entregou o relatório… No fim do expediente, foi a própria Vanessa que sugeriu uma hora extra, era um assunto pouco importante, poderia esperar o dia seguinte. Mas havia tanta malícia em sua voz…que resolvi aceitar o jogo, pedi para Vanessa vir a minha sala no final da tarde e começamos a trabalhar com a maior seriedade…só levei um susto quando Vanessa falou…Marcelo quer dizer que a sua preferencia sexual é…ela sorria, mordendo de leve a caneta…e diante do meu rosto apontando a gaveta. As fitas de vídeo e fotos!!! eu falei, e tentei mentir…elas são de um amigo meu, eu tive só curiosidade de ver…Vanessa repetiu… Cú (ela reforçou a silaba) ri-o-si-da-de…mesmo??? Nunca tentou??? Vanessa estava tão sedutora, apesar da roupa fechada(ou talvez exatamente por isso). Apenas sugerindo coisas ditas com voz suave em tom baixo, coisas que me fizeram ficar de pau duro… Por que voce quer saber??? Eu só (imitei Vanessa) Cú-ri-o-si-da-de, da sua parte??? ela respondeu… não, pode ser mais do que isso… mas para ser gostoso o sexo anal precisa de algumas regras… regras femininas… se é que voce entende…ela levantou, recolheu o material sobre a mesa… seguei a sua mão, exitado…mas Vanessa puxou a mão…se aceitar as regras, poderemos começar…mas amanhã…e foi embora, me deixando tonto, sem saber o que havia de real naquela conversa, imaginando o que o dia seguinte poderia me proporcionar prazer… no dia seguinte Vanessa logo pela manha entrou em minha sala do jeito de sempre…bom dia Marcelo…voce esta sozinho??? Eu confirmei que sim… então Vanessa sorriu e abriu devagar a bolsa, pegou um estojinho… foi até a porta e trancou com a chave…após ter trancado a porta ela levantou a saia até a cintura…Ah, que tesão…apenas de ligas e meias, eu enxergava o triângulo de sua boceta quase totalmente depilada…os sapatos altos alongando ainda mais as suas pernas, suas coxas gloriosas…eu continuava sentado em minha poltrona de boca aberta com a tranqüilidade dos seus gestos de menina…Vanessa caminhou até perto de mim, abriu o estojinho…era uma espécie de consolo (dedo de plástico fino e duro)…ela mostrou calmamente para mim, seu deixar que eu ainda a tocasse…Vanessa abriu um pote de creme, e passou o creme devagar no dedo plástico, e depois pegou a minha mão, olhou bem para as minhas unhas aparadas, e esfregou com cuidado o creme no meu dedo indicador…em seguida ela se apoiou na mesa, abrindo o bumbum com as mãos…e falou…Marcelo aqui no ânus…primeiro coloque o dedo…vai bem profundo…Ah que loucura…ouvir da boca de Vanessa essa sugestão profunda…louco de excitação (que vontade de tirar o cacete e meter mesmo, naquele anel de beiradas escuras)…meti o dedo, que sumiu inteiro naquele cuzinho guloso…vai devagar… vai e vem…assim…ela rebolava, eu queria beijar e lamber aquele bumbum maravilhoso, mas me contive, apenas em colocar o dedo…foi Vanessa que decidiu a hora de parar…agora, tire o dedo e coloque o dedo de plástico…bem fundo, até o fim…fiz o que ela pediu… e o seu cuzinho foi tapado pelo dedo plástico…fiquei esperando uma atitude de Vanessa, pois imaginei que pelo menos ela faria uma chupetinha…mas nada disso aconteceu…a menina alisou a saia…impecável na sua postura de secretária competente…só deu um sorriso malicioso e falou… Imagine Marcelo que ele vai ficar o dia inteiro no meu bumbum…guardando lugar para voce…e quando eu me sentar, ou andar, vou sentir o seu dedo lembrando-me sempre a toda hora…que eu vou me entregar de corpo e alma para voce, hoje a noite… Ah, que dia terrível…como eu poderia me concentrar no trabalho, pois eu via Vanessa andando, e ficava com o meu pênis até inchado, de tão duro, só de imaginar que no seu ânus estava o meu dedo…ela agachava-se para pegar alguma coisa no arquivo, ou sentava-se na cadeira…que tortura… no final do dia, percebi um bilhete com sua letra em cima da minha mesa…não esqueça do seu compromisso de hoje a noite, continha um endereço, um horário e nada mais…fui para casa, tomei um banho caprichado, sentindo o meu pênis latejando de tanto tesão, pois aquela noite prometia ser maravilhosa…e foi mesmo…pois Vanessa morava sozinha em um apartamento próximo ao centro, bem discreto e sem porteiro…toquei o interfone, ela atendeu com uma voz bem sensual…pois não…eu respondi é Marcelo…Ok …abriu…respondi que sim…quando cheguei ao seu apartamento, apertei a campanhia, esperei um pouco, ela não atendeu…tentei girar a maçaneta, a porta não estava trancada… Vanessa??? perguntei…nenhuma resposta…vi a luz acesa apenas de um outro cômodo…tranquei a porta com a chave, ouvi uma musica suave, e senti um perfume de incenso que pairava no ar…segui até o cômodo, empurrei a porta devagar…Ah, que visão magnifica!!! Deitada na cama, entre lençóis de seda, Vanessa estava nua, onde de costas, me oferecia uma visão de seu lindo bumbum… movendo-se sensualmente, subindo e descendo os quadris, como se estivesse me chamando para o prazer…tirei a minha roupa e comecei a beijar o seu bumbum, a morder de leve aquela carne deliciosa e fui deixando a minha língua percorrer aquelas curvas, do ânus até a vagina…Vanessa continuou movendo os quadris, e sussurrou: Voce não vai tirar o dedo do meu…ele ficou o dia todo guardando o lugar para voce…e depois eu quero sentir o seu pênis inteiro nele…Ela segurou o meu pênis com força, colocando na boca, fazendo uma loucura com a língua…eu devagar com muito carinho fui tirando o dedo de plástico (consolo) do seu ânus, que estava meio dilatado e úmido, e comecei a fazer uma massagem com a ponta da língua e fui colocando um dedo, depois mais um até conseguir colocar três…com o bumbum para cima Vanessa me esperava…foi a penetração mais fácil que já fiz na minha vida, pois parecia que o ânus se abria, devorando o meu pênis com uma fome intensa, ela ia movendo os quadris e sussurrando…agora vem junto comigo, no vai e vem…e foi o que eu fiz, movimentando o corpo mum vai
e vem e ao mesmo tempo acariciando com as minhas mãos o seu clitóris…ela começou a gemer alto…dizendo que era delicioso dar atrás e que estava gozando…eu também estava gozando naquele bumbum maravilhoso, apertado de dobras quentes…fiquei um tempo abraçado e contemplando o seu belo corpo nu, beijando a sua nuca e lambendo o seu suor perfumado, até que meu pênis foi amolecendo e saiu… eu estava absolutamente espantado, pois achava difícil que existissem no mundo meninas que gostassem tanto de sexo anal, mas ela era diferente gostava tanto que preferia mais atrás do que na frente, era como achar um diamante perfeito… Falei isso para ela, que abriu o jogo comigo…Olha Marcelo são poucas as meninas que sabem consegui o prazer…A maioria prefere ficar nessa de não ceder, ter medo…eu mudei muito quando namorei um homem bem mais velho do que eu…ele tinha preferencias sexuais muito intensas, entre elas o sexo anal…Eu não me arrependi de ter feito de tudo com ele e de realizar todas as suas fantasias…Vanessa ia me contando as suas aventuras e movendo o corpo de olhos fechados, foi então que resolvi entrar no jogo novamente, fiquei de joelhos no chão, colocando a minha boca na altura da sua vagina, e comecei a beijar o clitóris, ao mesmo tempo fui enfiando o dedo no seu ânus…Vanessa continuou falando…como dava tesão…tudo era excitante, todos os nossos carinhos eram feitos para atingir o orgasmo…Eu sugava o pênis dele, ele acariciava os meus seios, e meu bumbum era invadido pelo seu pênis, tudo aquilo se juntava…dando o maior prazer…tanto para mim, quanto para ele…Ah, que loucura, que loucura maravilhosa…e depois que eu gozava (Vanessa dizia isso com dificuldade, mordendo os lábios, dando pequenos gemidos, que cortavam as suas palavras, pois estava a beira do gozo). Ele voltava a me penetrar o cuzinho…e eu sabia, que tinha que deixar os músculos relaxados, como se estivesse evacuando e não tensos…Ai a penetração era uma delicia… Vanessa não completou a historia, pois enlouquecida, apertava o meu rosto de encontro as suas coxas, umedecendo a minha boca com seu gozo, enquanto eu ia preparando o seu ânus com os dedos e toda a nossa excitação se concentrava em aceitar de novo aquele louco sexo anal, de uma menina tão experiente e sensual… Gostaria de troca de experiências e confidencias…mas só para meninas que queiram saber de mais detalhes da arte do sexo anal…oral….etc…

MINHA AMANTE A MÃE DO MEU AMIGO

Eu me chamo Magno, tenho 26 anos, casado, e aconteceu um fato que realmente me apaixonei por essa pessoa e passamos a ser amantes até hoje. Bem o fato foi o seguinte, no cursinho que estava fazendo pro vestibular, tive amizade com um rapaz que se chama Fernando(mudei os nomes porque ele também lé muitos contos), depois de alguns meses Fernando me convidou para um churrasco em sua casa, fui meio que por causa do convite, quando cheguei, notei o luxo da casa dele, churrasqueira, piscina, etc., Fernando começou a me apresentar aos convidados, quando de repente vejo uma coroa de uns 45 anos, mais muito gostosa e rabuda uma bunda gigantesca, morena, cabelos lisos até na cintura e um sorriso cativante, a mulher parecia que ia decolar, sua roupa uma calça branca colada com uma calcinha vermelha dava pra ver a cor tipo fio dental, e um top com uns peitos com bicos durinhos, os tamancos a deixavam um tesão, em fim não tive como não notar aquela delícia conversando com uns convidados, eu falei pro Fernando: quem era aquela morenaça linda que delícia, ele parou um pouco e disse meio que surpreso: é minha mãe, eu envergonhado e em tom de brincadeira disse: desculpe Fernando, é que eu só conhecia sua mãe por telefone, ele chamou sua mãe e disse pra ela na minha cara sorrindo: mãe esse é o magno, magno essa é a morenaça linda, e delícia, que você disse, Laura, eu envergonhado disse prazer dona Laura desculpe o que disse pro fernando, ela me respondeu: o prazer é nosso Magno, aliás já nos conhecemos por telefone, e não precisa se desculpar pelo elogio, quem não gosta de ser elogiada, eu mesmo adoro se você um rapaz me achou atraente é sinal que ainda to bonitona! rsrsrsrsrsrs….ai eu pude perceber um sorriso de contentamento. Depois de muito tempo no churrasco ter conversado com várias pessoas a irmã do fernando, seus primos, e até mesmo seu pai (cara sortudo, pensei) começamos a beber a cervejada, depois de algum tempo vejo alguns olhares indiscretos da Laura em mim e conversando e sorrindo, eu só retribuia, via ela não como a mãe de um amigo, mas como uma deusa morena, é raro coroas gostosas como ela. Fui embora lá pelas oito da noite, quando a maioria dos convidados já haviam ido embora. me despedi de todos e Laura fez questão de me acompanhar até lá fora, no portão quando não estavamos mais sobre os olhares de ninguém, laura apertou minha mão disse pra voltar mais vezes a hora que eu quizesse, e me deu um beijo no rosto. No dia seguinte, Domingo, meu celular toca um numero de celular desconhecido, ai vem o que eu nunca esperasse que acontecesse, era a Laura me convidando para ir até sua casa de cara eu aceitei, toquei o interfone, perguntei a onde eles estavam, ela disse na piscina, quando cheguei na piscina procurei, ai eu vi um thcauzinho, vindo de uma espreguiçadeira num canto da piscina, me aproximei, e tive um tesão daqueles, a Laura (mãe do Fernando) estava com um biquini tipo Fio dental com uma gargantilha brilhante na cintura, a mulher é um tesão, ela estava tão alegre e sorridente, e me disse pensei que não viria, ai eu perguntei cade o Fernado, ela disse ele foi pescar com o seu pai, e so voltam amanhã meio dia. Dai aproveitei o dia para pegar um bronzeado e aproveitar o domingo, estava me sentindo sozinha por isso te chamei pra você me fazer companhia e a gente se conhecer melhor, você trouxe calção de banho, eu disse que havia trago, ai eu disfarcei um pouco e disse: daqui a pouco eu tomo banho, pois não dava pra ficar de sunga no estado em que eu estava.Depois de algum tempo, e conversarmos sobre diversos assuntos, ela se levantou e foi até a ducha, aquele corpo era um colirio para os meus olhos, Laura é rabuda mesmo e ainda usa biquini fio dental, depois ainda deu uma conferida, e me mostrou a marquinha que estava ficando, eu disse pra ela, não faz isso comigo, que você sabe do que eu já te chamei no churrasco ontem, ela sorriu olhou nos meus olhos e disse, você me acha mesmo uma delícia? eu disse não sei por que ainda não provei. Ela sorriu disfarçou um pouco e entrou na piscina, ai sim percebi a chance que tinha naquela dia, mesmo com uma leve ereção resolvi entrar naquele jogo de sedução e provocala um pouco também e fique só de sunga, sou moreno-claro, 1,75 70 Kg, faço academia torax muito bonito, e por bater muita punheta um dote de 18 cm. Ela percebeu que eu era também uma tentação e fitou os olhos no meu pau, começamos a tomar banho, ela me pediu pra lhe passar o bronzeador, e se deitou, eu começei nas costas, e depois comecei a tremer de tesão ao passar as mãos com força em sua bunda ela deu um gemidinho bem baixinho, passei em suas pernas e depois voltei praquela bundona linda e gostosa e lá eu fiquei fazendo já quase que uma massagem, e Laura dava uns gemidinhos, eu passava o bronzeador e triscava ora um dedo ora dois dedos na sua buceta, que já estava molhadinha, depois passei um dedo em seu cuzinho, ela gemeu e deu mais uma empinadinha, ai eu não guentei e disse, Laura olha só como eu estou, Ela respondeu nossa como tá grande seu pau, se ele quer sair deixa, eu continuei passando o dedo em seu cuzinho, e ela dizendo como estava gostosa aquela massagem que nunca tinha recebido uma massagem daquelas, tirei um fiozinho que cubria o cuzinho um pouco de lado, e disse: Sabe Laura e agora que eu vou saber se você é uma delicia ou não, e empinei ainda mais seu quadril e comecei a dar umas lambidinhas na sua bunda e adentrei com lambidinhas no seu cuzinho e na bucetinha dela, lambia da buceta ate o seu cuzinho, ela gemia e dizia ai que gostoso que lambida gostosa. ela se levantou e disse que agora ela que iria me fazer uma massagem, com meu pau já pra fora fez um boquete daqueles quase engolia ele todo, e disse, ai magno eu estava aqui sozinha e me deu um tesão, eu sabia que você ia matar meu tesão, como você tem um pau gostoso. Ai eu coloquei ela de quatro e comecei a fuder sua buceta, meu pau entrava com facilidade naquela maquina de fuder, dei algumas bombadas nela ela gemia bem alto, como é bom comer uma coroa de quatro, depois eu sentei e ela cavalgou em cima de mim só ai pude chupar os seus seios, dai ela sentou de costas e disse que de costas e rebolando gozava rapido e foi ai que ela gozou, e mesmo sem sair de cima de mim continuo só rebolando, ela rebolava aquele bundão gostoso em cima do meu pau, como era gostasa aquela cena,e ai eu disse, Laura vamos trocar o buraquinho, ela disse que estava com medo de não aguentar pois meu pau era muito maior que o do seu marido, e ele não comia seu cuzinho, embora ela tinha muita vontade, ai eu disse que ia colocar bem devagarinho, e assim bem devagarinho fui entroduzindo naquele rabão, ela foi centando se mechendo toda se encachando até que ela já ditava o ritmo subia e descia o seu cuzinho no meu pau, me dizendo que aquela era a melhor foda dela, gozei um jato de porra em sua bunda, ela foi ao banheiro, e depois ficamos dentro da piscina nus nos abraços e beijos. Ela me disse para repetirmos de novo pois tinha sido mesmo sua melhor foda, eu disse que uma gostura uma delícia daquela devia ser comida semanalmente, e assim tem sido toda semana pelo menos um dia damos um jeito de nos encontrar, em motéis, ou na sua casa quando o corno do seu marido viaja e o fernando vai pra casa da sua namorada, é por isso que nos tornamos amantes. Coroas de Goiânia e região que sejam gostosas independente da idade me escrevam pois não vão se arrepender.

MINHA ESPOSA É AMANTE DE UM PROFESSOR

CONTO RECEBIDO POR EMAIL , ENVIADO PELO MARIDO.SOU O RICARDO 45 ANOS CASADO COM A CRIS DE 40 ANOS , UMA MORENA ALTA ,MAGRA DE CABELOS LONGOS QUE SE VC VER JÁ TE LEVANTA O PAU , CLARO QUE SABEMOS QUE UM MONTE DE CARAS QUEREM COMER NOSSA MULHER , QUANDO VC ANDAR NA RUA COM ELA OBSERVE OS CARAS , O OLHO COME ELA , NO PENSAMENTO E NA PUNHETA , VIZINHOS COMEM AS VIZINHAS NA PUNHETA EU JÁ COMI TODAS AS MINHAS VIZINHAS NA PUNHETA , POIS É MEU AMIGO ANDAM COMENDO SUA ESPOSA NA PUNHETA VIU , QUANDO NÃO NA VARA MESMO , POIS BEM FOMOS EM UMA FESTA NA CHÁCARA DO MEU TIO E ELE CONVIDOU UM AMIGO NOSSO , O DANIEL E ELE FOI , POIS ELE ESTA SEPARADO DA ESPOSA , BEM CHEGAMOS POR LÁ UMAS 20 HS E JÁ TINHA CHURRASCO E TUDO MAIS , COMPRIMENTE A TODOS INCLUSIVE O PROFESSOR DANIEL , POR ALI TOMEI UMAS CERVEJAS , BATEMOS UM PAPO LEGAL ,MINHA ESPOSA ENTROU E COLOCOU UM SHORT ,SHORT DESCENTE MAS POR TRÁS ENTRAVA NO RABO DELA , ENTÃO MINHA ESPOSA VEIO ABRIU O FREEZER COM O RABO VIRADO PARA O DANIEL , OBSERVEI QUE O CARA FIXOU O OLHO NO RABO DELA QUE ENGOLIA O SHORT , FIQUEI MEIO SEM JEITO MAS DEPOIS NÃO ME SAIA DA CABEÇA A CENA DELE DESEJANDO MINHA MULHER , MEU PAU ENDURECIA , QUANDO FICAVA MOLE EU VIA ELE OLHANDO EU FICAVA LOUCO COMECEI A IMAGINAR ELE COMENDO MINHA ESPOSA , MAS UM BOM TEMPO DEPOIS ELE COMEÇOU A PUXAR CONVERSA COM ELA E ELA É BOA DE PAPO ENTÃO BATERAM UM PAPO LONGO , FALEI COM ELA O QUE ELE QUERIA E ELA DISSE NADA SÓ FALANDO DE CURSOS , QUE CONVIDOU ELA PARA FAZER CURSO ONDE ELE FAZ , BEM DEPOIS DISSO ,NOS DESPEDIMOS E ELE DEU UM BOM ABRAÇO NELA E UM BEIJO NO ROSTO , CARALHO CHEGUEI EM CASA TIVE QUE COMER ELA PRA ELE , POIS BEM HJ MINHA ESPOSA ESTA FAZENDO UM CURSO JUNTO COM ELE , DESCOBRI QUE ELES SAEM JUNTOS QUANDO TEM AULAS VAGAS , AS VEZES NÃO COMPARECEM NO CURSO , POIS BEM COMECEI A IR ATRÁS E OS SEGUI , ELES FORAM A UM BARZINHO E SENTARAM EM UM LUGAR BEM DISCRETO ,MAS CONSEGUI FILMAR OS DOIS , DEPOIS SAIRÃO E FORAM AO MOTEL EU REGISTREI TUDO , ELA CHEGOU EM CASA 00:35 MIN , INDAGUEI ELA DISSE QUE SE ATRASOU DEVIDO TRANSITO , NÃO SUPORTEI E FALEI QUE A VI ELA NEGOU DE PÉS JUNTOS NÃO SER ELA ,MAS MOSTREI A FILMAGEM , PEDI A SEPARAÇÃO ELA CHOROU E ME PEDIU MIL PERDÕES , ENCOSTEI ELA LEGAL NA PAREDE E ELA ME REVELOU QUE ESTAVA COM ELE A 3 MESES , MAS INDAGUEI O QUE ELES FAZIAM NA CAMA ELA SÓ DISSE SEXO , EU QUIS SABER QUE TIPO ELA FALOU TUDO , MAS EU ESTAVA COM RAIVA E TESÃO AO MESMO TEMPO , FALEI FALA E ELA REVELOU QUE FAZ , ORAL,VAGINAL,ANAL E QUE ELE GOZA NA BOCA DELA , MAS PERDOEI ELA , POIS ELA FALOU EM NÃO AZER MAIS , MAS SEI QUE ELE CONTINUA COMENDO , QUANDO TREPO COM ELA TREPO E GOZO PRA ELE. O BOM DE TUDOO É QUE SEI QUE ELE COME , DIFERENTE DE MUITOS QUE A ESPOSA TREPA COM OUTRO E ELE FALA DE BOCA CHEIA MINHA ESPOSA É FIÉL , FICA DE OLHO.

Primeira vez dela com o amante em casa

Vou contar agora o encontro que tivemos em nossa casa. Depois de 4 encontros para menagecom o nosso amigo mauricio, e mais um dela sozinha com ele, decidimos então marcar um encontro em nossa casa para ralizar uma das fantasias dela que seria de passar a noite com nos dois.Então marcamos com ele indicamos o local, foi numa terça ela ainda daria aula das 19 as 21h, estava muito anciosa principalmente pq seria o primeiro encontro em que nao usaríamos preservativo pois previamente combinados fizemos exames e de comum acordo decidimos confiar mutuamente, resumindo, seria a primeira vez que outro homem gosaria em sua xota algo que ela fantasiava muito, sempre quis ficar cheia de leite sem contar no prazer de não precisar usar o desconfortável preservativo, eu tbem estava louco para comela ensopada com a porra de outro.    Ele xegou antes dela vir da sua aula então fomos os dois buscala no carro dele, claro eu na frente para não chamar atenção pois somos muito conhecidos.   Chegamos em casa fomos eu e ela preparar o jantar, ficamos os três conversando banalidades, as vezes eu os deixava a sos para ver se rolava alguma coisa mas infelizmente não pois ele a trata muito seriamente, uma pena pois fico louco para vela sendo agarrada enquanto saio.   Apos uma janta leve, perguntei se queriam beber algo, mas as respostas foram unânimes todos queriam tomar banho para irmos para o quarto. Ele tomou banho primeiro e foi para o quarto de toalha pois já tínhamos muita intimidade devido aos outros encontros q tivemos com ele, eu e ela então fomos ao banho eu deixei ela tomar primeiro e após isto entrei para o chuveiro ela se secou e eu disse para ela ir para o quarto com ele, até axei q ela não ia kerer mas me surpreendeu indo com cara de sem vergonha e me disendo q estava louca para dar, eu claro demorei mais do que o normal no banho pois queria ver como os dois estavam, fui para o quarto silenciosamente, entrei e eles estavam na penumbra, ele já em cima dela mas sem penetrala, somente a beijando eles gostam muito de se beijar, eu liguei o abajur e fechei a porta, deitei ao lado sem atrapalhar, ele então foi descendo e passou a chupala, ela me xamou para participar então dei meu pau para ela xupar, ela deitada com ele a xupando e eu ajoelhado levando um maravilhoso bokete, foi então q ele saiu foi ate sua bolsa e tirou um consolo não muito comprido mas bem grosso, eu já havia dito a ele q ela gostava então ele como tbem gosta de vela sendo penetrada trouxe um, aqueles com borracha macia, parece de verdade, ela adorou, ele a chupou muito tempo brincando com o consolo nela ela delirava, eu não agüentei e tirei o pau da boca dela pois senão gozaria, fiquei xupando os peitos dela, ele não agüentando mais tirou o consolo, subiu e preparouse para penetrala num papai e mamãe, isto ele já tinha feito muitas vezes mas esta era a primeira sem preservativo, ele a beijou, ergueu o corpo e mesmo sem colocar a mão com o pau super duro foi colocando nela devagar, eu ali delirando vendo a cara de prazer dos dois por akele momento tão esperado por nós, ele colocou devagar até o fundo então os dois suspiraram ele elogiou a xota molhada dela e ela disse q assim o pau dele ficava ainda mais grosso e realmente é, muito grosso e muito duro tbem, então ele meteu um pouco com o corpo erguido olhando fixamente nos olhos dela e ela passando a mão no seu peito cabeludo e de vez enquando cravandolhe as unhas de leve nas costas dele, então ele abaixou e colou o corpo no dela, sempre beijandoa com muito carinho, ela adora isto, alias ela sempre me disse q não gostava muito desta posição pois ficava sufocada, mas com ele ala adora e ele solta todo seu peso sobre ela, e mexe muito, o mais gostoso é ouvir os gemidos dela, são característicos de muito prazer, não são exagerados são delicados e realmente sinceros, ele então a comeu assim por um bom tempo, ele em cima dela coloca as duas mãos por baixo da bunda dela e fica abrindo mais a bunda ela adora com isto o peso fica todo sobre ela mas ela não reclama, somente arreganha mais as pernas kerendo mais, ele fica bem suado poois mexe muito mas ela não da bola, ele a comeu muito assim, as vezes levantava, colocava as pernas dela nos ombros e metia forte mas eles não agüentavam muito tempo assim pois adoram se beijar então ele voltava a deitar sobre minha esposinha, ela tão pequenina debaixo daquele cara q metia muito nela, ele mete do jeito q ela gosta, ela gosta q meta tudo e mexa com quase tudo dentro, não gosta muito q fique tirando e botando, mas as vezes ele fazia isto claro par se controlar para não gozar, então depois de muita meteção assim, ela pediu para ficar de 4, ela fez isto para poder me xupar ela tbem adora mas eu não agüento muito então ela deita em meu peito e ele ficou a comendo e ela gemia e empinava mais a bunda para ele. Vi q ela estava a mil então pedi para ela cavalgar ele, esta sim a posição q mais ela gosta e consegue gozar melhor, ela então sentou nele o pau dele como ferro bem duro, ela começou a cavalgalo, no inicio com o corpo colado no dele e muitos beijos depois ela sentou, e mexeu muito, ela agarra o peito dele e mexe, a sorte q tínhamos desmontado a cama e colocado o colchão no chão pois a cama não nos agüentaria, então depois de muito mexer me olhou e pediu pára eu fazer o q ela adora tbem q é uma dp vaginal, então eu me posicionei atrás dela e meti, já tínhamos feito isto mas sempre de camisinha, e claro desta vez sem foi maravilhoso, ela bem apertada e molhada, pena é q eu não agüento muito nesta posição logo gozaria se não parasse, então eu ficava botando e qdo tava quase gosando tirava, mas isto a incomodava pois ela não conseguia gozar qdo ela tava quase gozando eu tirava, então eu notei e sai para ela poder gozar com ele, ela sentou nele eu fiquei de pe em cima dele e de frente para ela, ela se agarra em meus quadris e a principio não me xupou pq ela tem um pouco de nojo o meu pau tava lambusado do suco dela, mas ela começou a mexer para gosar e qdo ela ficou louquinha e ia goza, nem deu bola e me xupou, tive q me segurar pois keria gozar na xota dela.   Eu tirei o pau da boca dela e ela caiu sobre ele, satisfeita, rimos um pouco e brincamos disendo q ela tinha q acabar o q tinha começado, ela disse q a noite estava apenas começando, então saiu de cima dele, deitou no nosso meio e ficou agarrando nossos paus q estavam muito duros pois nos ainda não tínhamos gozado, ela muito satisfeita no meio de dois maxos sei q ela gosta de saber q da conta de dois, ficamos um pouco ali ela punhetando os dois fazendo carinho, foi então q ele saltou logo da cama e disse q tinha trazido outra surpresa para ela, pegou na bolsa um tubinho de pomada para sexo anal, e disse rindo q não ia perder a xance de tentar comer o rabo dela já q podia a comer sem camisinha, ela disse q seria difícil pois o dele é muito grosso, mas q tentaria, ela tem vontade, alias muita vontade de dar o rabo mas infelizmente ela sente dores, então como ia disendo ela topou,, ele todo faceiro foi se preparando ajoelhado na cama, mas ela já cortou logo disendo q tinha q ser com carinho e q precisávamos abrir caminho primeiro, ou seja tive q diser a ele q sempre q consigo a comer por trás antes eu coloco o dedo no cuzinho primeiro e era isto q ela tava kerendo pedir, então ela olhou para mim para ver se eu ia fazer isto e eu disse q não q ele q keria, então mais q depressa ela deitou de bruços com akele maravilhoso rabo pra cima com um tavesseiro debaixo da cintura para ficar mais empinado, ele lambuzou o dedo com a pomada q tinha cheiro de canela, deitou do lado dela e começou a esfregar o dedo no cu dela, ele beijava todo o pescoço e costas dela e eu olhando o dedo dele entrando no rabo dela, q tesão,. Ela gemia baixinho e as vezes reclamava mas sempre ele tapava a boca dela com a dele ate q o dedo sumiu na bundinha dela, ele tentou mexer um pouco mas ela não deixou, então ele ficou beijandoa mais um pouco e pediu para tentar botar o cacete, ela
disse q tudo bem mais teria q ser de 4 pois assim ela poderia controlar mais, então eles se posicionaram, ele lambuzou seu pau q estava bem duro melecou mais o rabo dela e começou a tentar penetrala, eu só fiquei olhando, ele ficou muito tempo tentando colocar o caralho q é bem mais grosso q o meu, mas só conseguiu botara a metade e não pode mexer pois ela sentiu muita dor mas ele ficou tarado pelo cuzinho apertado dela e disse q um dia ainda iria gozar nequele rabo. Paramos de tentar o anal e eu e ele já não nos agüentávamos mais de tanta vontade de gosar então ele disse para eu a comela pois no inicio eu tinha pedido para gosar primeiro dentro dela pois tinha medo de ter nojo de meter nela com a porra dele, então ela ficou de 4 pra mim e xupando ele eu vendo akilo logo gosei, inundei ela de porra, ela secou com um pano para não pingar na cama e logo se posicionou para ele vir num papai e mamãe, eu ali acabado e eles no maior tesão dava para escutar o barulho do pau na xota dela ensopada por mim e ele adorou fudela assim alagada, logo gozou urrando e metendo fundo nela a safada apojou tudo piscando a xota e fazendo ele delirar pois ela comprime bem forte a xota, ela pegou o pano se limpo e ele saiu exausto, ficamos deitados com ela no meio nos fazendo carinho, logo me virei e encoxei ela, fazendo com q ela virasse pra ele e ficasse alisando o peito e o saco dele. Ficamos assim um pouco, ele foi ao banheiro se lavar e perguntei se ela havia gostado ela disse q adoro sentir os dois gosando dentro dela, principalmente ele q a comeu ensopada pois eu ja havia gosado nela primeiro, então ele voltou ao quarto, ela foi pro banho,eu esperei ela voltar para dpois ir, para que enquanto eu estivesse la eles pudessem ficar sozinhos. Dito e feito fui pro banho, demorei mais q o necessário e qdo voltei silenciosamente eles ja estavam se beijando de lado, ela nos braços dele com o pau dele na mão e ele agarrando a bunda dela, eu xeguei e deitei do lado sem incomodar, eles continuaram beijandose ardentemente, eu passei a mão na bunda dela tbem, ainda estava cansado, ela punhetiava o pau dele ja duro então decidi passar a mão na xota dela, foi ai q tive uma ótima surpresa nunca pensei q sentiria tanto tesão pois o q senti foi uma xota inxada e principalmente molhada pois nossas porras escorriam pelas coxa dela e a xota tava inundada ainda, eu pela primeira vez senti e adorei, enfiei dois dedos e notei akela gruta inundada e alargada pelos nossos paus, ela adoro gemia e punhetava mais ele, claro q meu pau imediatamente fico em ponto de bala por sentir akilo, fiquei ali com os dedos enterrados nela e ela beijando ele, eu xupava o pescoço dela e ela ja estava louca de tesão em nosso meio, até q nao aguentou mais ajoelhouse sobre ele e foi xupar akele pau q como ja disse nao é tao comprido mas é bem grosso, xeio de veias e ela adora, eu fikei deitado do lado dele assistindo ela fazer akele bokete incrivel, foi então q ela me pediu para penetrala, ela keria q eu sentisse a xota dela alagada e eu fui, no inicio eu havia pedido pra gozar primeiro por medo de ter nojo de sentir porra de outro nela, mas qdo a penetrei notei q iria ficar viciado em comela esporrada por outros pois é uma delicia, ela xupando ele e eu me deliciando com meu pau dançando nakela xota alargada, vcs não imaginam como é delicioso uma buceta toda ensopada e larga, o pau entra correndo com facilidade e o barulho q faz então…Ja estava quase gosando qdo ela parou de xupar ele e foi pra cima dele para cavalgalo, eu literalmente fikei com o pau na mão todo lambusado, mas tendo uma magnifica visão dela cavalgando ele, do pau entrando com facilidade, ela tirava quase tudo e enfiava de vez e eu observando por trás via a porra escorrendo pelas coxas dela e ela bem loca beijava ele e falava olha como me deixaram toda melecada, agora eu kero gosa com dois paus na xota eu ainda estava bokiaberto com ela fudendo como uma cadela, então ela disse, e ai mete logo nela, então me preparei para a dp vaginal q ela adora, desta vez o meu pau entrou com facilidade na xota molhada e como ja tinha gosado pude aguentar mais tempo sem gosar, o suficiente pra ela enlouquecer com os dois paus na xota, ela rebolava na medida do possivel e eu podia sentir o pau dele junto com o meu la dentro dela, pra completar o momento de loucura ainda sentia o saco dele encostando no meu, o saco dele ensopado pela porra q escorria dela, e ficamos a fudendo assim, eu batia na bunda dela e a xingava de puta cadela, vagabunda e ele abria a bunda dela e enfiava um dedo no cu dela, e foi nesta loucura toda q ela anunciou o goso,disse q estava gosando e ela gosa bastante e nao preciso diser q eu ja estava gosando tbem e nosso amigo tbem ou seja gosamos os tres no mesmo momento foi a melhor gosada de nossas vidas, eu logo tive q sair da posição pois minhas pernas nao aguentavam mais, mas eles ficaram ali, ela em cima dele deitada no peito dele exausta com o pau dele entalado ainda, eles devem ter ficado alguns minutos assim até q o pau dele começou a muxar entao ela teve q sair, pegou uma toalhinha acocorouse sobre ele e saiu para nao sujar a cama, mais uma vez ela deitouse no meio com o pana no meio das pernas e rindo da cituaçao disendo q nunca havia ficado tao lambuzada, comentamos um pouco sobre a delicia q tinha sido akela gosada e cansados pois todos ja haviam gosado duas veses fomos dormir. Eu estrategicamente deixei o som ligado e apaguei o abajur, com o som ligado o quarto todo ficava iluminado com as luses q ele possui então depois de alguns instantes qdo os olhos se acostumam eu podia ver qualquer movimento q houvesse deles, claro sem q eles pudessem ver se meus olhos estavam abertos ou não, ela no inicio abraçouse em mim, mas logo disse estar cansado e virei de costas, então claro ela foi pro lado dele, deitou no peito dele, e pude ver pois estavamos descobertos q ela ficou acariciando o pau e o saco dele, assim q ela virou pra ele eu dei um tempo e fikei de barriga pra cima pra poder observalos, ele logo dormiu pois escutei o ronco, mas eu e ela nao conseguiamos eu fingi dormir tbem alterei a respiração pra ela axar q eu tinha adormecido e com o braço por cima do rosto pra ela nao perceber meu olhar, mas vi q ela suspirava muito e nao parava de mexer no pau dele q estava mole e babado, alias de nos tres kem menos dormiu nakela noite foi ela, nao levou meia hora eu ja estava quase adormecendo notei uma mudança na respiração dele, ele acordou, então para ela não perceber me virei de costas ainda fingindo dormir, comecei a escutar ele a beijar e ela gemer bem baixinho, vcs nao imaginam meu t esão ali escutando e vendo q eles faziam tudo baixinho para ver se eu nao acordava, eles nao falaram nada somente se beijavam muito e ela principalmente gemia baixinho bem baixinho mas muito gostoso, a puta tava delirando, dei um tempo e virei de barriga pra cima dnovo, eles pararam um pouco mas como escutavam meu ronronar continuaram axando q eu estava dormindo, ele a beijava e xupava os seios dela ja com a os dedos enterrados na xota dela, ela acariciava a cabeça dele e com certesa a outra mão estava no pau, ficaram assim um bom tempo, e logo ele começou a puxala pro lado dele pra q ele pudesse subir sobre ela, então ela foi se arrastando e abriu as pernas para esperalo, claro q ela teve o cuidado de nao encostar em mim, então ele subiu e sempre beijandoa logo foi botando pra dentro pude perceber pelos gemidos abafados pela boca dele e pelos movimentos, eles se beijavam sem parar e ele mexia calmamente mais enfiava bem no fundo fazendoa suspirar, eu acabei me virando pra eles pra poder olhar melhor axei q eles nem tinham notado, qdo senti a mao dela procurando meu pau axei q ela keria me punhetar mas a puta somente keria conferir se eu tava acordado pois ela so pos a mão como viu q tava mole concluiu q eu ainda estava dormindo, eu tava era me controlando pois se eu endurecesse o pau eu encostaria nela, mas felizmente funcionou ela axo q eu tava dormindo e se entregou mais a ele, gemendo e pedindo pra ele mete tudo, foi só o q ela falo, ela alisava as costas dele, cravava a
s unhas gemia arfava como uma puta, nunca a vi tão tesuda, ela segurava a bunda dele pra ele permanecer todo dentro dela neste instante percebi q ambos estavam gosando, ele gozou como um animal tentando conter seus gemidos, la no fundo dakela xota q acabara de ficar mais enxarcada, vcs não imaginam como é gostoso assistir a mulherzinha amada se satisfazendo, neste dia pude notar q apesar de sempre participar dos menages o q eu gosto mesmo é de vela fudendo e o melhor ainda vela sem ela saber pois assim ela se entrega mais, qdo estou junto ela se preocupa em me satisfazer tbem e isto pode atrapalhala e claro q sem mim ela se solta mais, voltando akela maravilhosa noite, ele goso ela pego o pano e ele caiu ao lado dela, eles riram baixinho pq ela tava lambuzada e logo ela deito no braço dele e assim logo os dois adormeceram, qdo notei q ela dormia comecei a me masturbar sem q eles notassem lembrando do acontecido, no meio da punheta não resisti e tentei de leve levar a mão a xota dela pra ver como estava, foi ai então q ela acordo com meu dedo na xota e virou pra mim, nosso amigo roncava, eu me fingi q nao sabia de nada e comentei q ela ainda estava muito enxarcada, inclusive escorria porra da xota dela ai ela veio toda feliz me fala q ele havia acabado de fudela eu disse, como eu nao vi nada, ela disse q nao conseguia dormi q fico agarrando o pau dele ate q ele acordo e partiu pra cima dela, q tinha sido muito bom pois eles fizeram em silencio pra mim nao acordar, e q ela tinha gosado junto com ele, eu disse q nao aguentava mais pois estava com a mao na xota dela e q keria gosa denovo nela, ela então viro pra ele, deito no braço dele e empino a bunda pra mim meter de ladinho, Não preciso diser q meti nakela lagoa e gosei rapidissimo, e ela toda feliz, me deu uma toalhinha, eu coloquei na xota dela e ela permaneceu ali deitada no braço dele e ele ainda roncando, eu fikei encoxandoa mais um poco e logo os tres estavamos dormindo, até agora ja foram seis gosadas dentro da xota dela, depois disso adormeci mesmo, qdo acordei ainda de madrugada qual foi minha surpresa pois estava de costas e ouvi os gemidos dela, eles estavam trepando dnovo, desta vez mais barulhentos, eu tava de costa pra eles e ouvia os gemidos dela abafados mas desta vez ela falava baixinho ja q ela sabia q eu tinha gostado de saber q ele a tinha comido sem eu ver da outra vez, ela falava pra ele mete tudo q tava gostoso q ela tava quase gosando, q ele era gostoso, q ela adorava o pau grosso dele, desta vez eu permaneci de costas pq nao aguentei escutar e fikei de pau duro e pra eles nao verem entao fikei de costas, e continuava a ouvir e sentir o balanço do colchão a puta tava mais puta q nunca, ela gosava no papaiemamãe com ele, comigo é dificil gosar assim mas com ele ela gosava e claro q cada transa deles era mais demorada q a ultima, então desta vez esperei ele gosar, dpois q ele goso e saiu de cima dela ela foi novamente pro braço dele e a safada empino bem a bunda pra encosta em mim pude sentir a xota dela molhada encostando em minha coxa, então dei um tempo até ele dormir e me virei ja loco de tesão e de pau duro, e meti sem nenhuma dificuldade nela, ela ja tava quase dormindo mas acordo comigo ja quase gosando somente empino mais e eu logo gosei, ficamos ali parados ela no braço dele eu com meu pau dentro da lagoa q era sua xota. Lentamente meu pau foi saindo pois amolecia logo, ela nem teve preocupação em se limpar pois dpois de tantas gosadas mal saiam alguns pingos de esperma de nós, e ela estava adorando ficar lambusada, qdo meu pau saiu completamente continuei encaixado nela e ela nele, ainda passei a mão nas coxas dela e realmente estava tudo lambuzado até o rabo dela tava molhado de porra uma delicia, mais uma vez adormecemos os tres, mas não havia acabado, dormi mais uma vez de costas acordei com ela se ajeitando pra ele subi, fikei de costas escutando, ja tinham sido oito gosadas na xota dela, ela nem sei quantas veses goso, ela se ajeito indo mais pro lado dele pra ele poder subir nela, e começaram dnovo a fuder, ela eu via q estava ainda excitada pois gemia caracteristicamente, eu de costas e com meu pau ja dando sinal de vida denovo, continuei assim e ele a fudia ali do meu lado, desta vez ela nao aguento muito tempo e eu escutei ela pedindo a ele para trocarem de posiçao pois ela nao conseguia gosa no papaiemamãe, então ele saiu ela foi por cima, eles deram risadas da cituação pois tentavam nao fazer barulho nem movimentos bruscos por minha causa, então conseguiram ela subiu em cima dele e começou a mexer, ficaram assim fudendo por um tempo mas ela nesta posiçao gosta de sentar e mexer bem rápido e eles não keriam fazer isto por minha causa, até q ela meteu a mão no meu pau levemente pra ver se eu estava acordado e ele tava meia boca então ela axo q eu estava dormindo e convidou ele pra ir pro sofá da sala pois la ela poderia tentar gosar mexendo mais a vontade, e assim foi, primeiro ele levantou com cuidado e ajudou ela a se levantar para q eu nao acordasse e assim foram ainda soltando pekenos risos, eles foram pra sala mas deixaram a porta do quarto aberta pra nao fazer barulho ao fexala, eu ai sim fikei mais excitado imaginandoos sozinhos, dei um tempo e me levantei com todo cuidado, realmente do quarto não escutava nada pois o som tava ligado baixinho, fui até a porta do quarto e abaixeime pois nosso sofa fica posicionado de costas pra porta do quarto sendo assim eles não me veriam, e assim pra detras do sofá, no inicio só notei beijos ardentes e silêncio, dpois vi movimentação mas ainda não enxergava como estavam foi ai q ele começou a falar, xamava ela de loca q ele ja estava esgotado, q ela tava muito gostosa q ele nunca tinha comido ninguem assim alagada e q tava gostando, ele falava e gemia, eu ai q fui entender q ela tava xupando o pau dele, pois escutei tbem os estalos do bokete, ele deveria ta sentado no sofa e ela ajoelhada no carpete no meio das pernas dele, akela puta xupava o pau dele q deveria com certesa estar com o gosto de nossas porras, ela q é toda nojenta pra me xupar dpois q meto nela, escutei por mais um tempo os gemidos dele e depois vi pelo barulho e movimento q ela estava subindo pra cima dele, fui mais pro lado do sofá e pude ver q ela estava se preparando pra senta no pau dele do jeito q ela gosta ajoelhada cavalgando o cara com os tetos na cara dele, pude ver ela segurando o pau dele pra senta em cima, antes ela deu uma esfregada da xota até o rabo, ele gemeu e comentou q ela estava ensopada q ele até axava q agora entraria no cu dela mas ela disse q não q ela keria gosar e keria mais leita na xota, os dois riram baixinho e ela foi sentando no pau dele antes q entrasse tudo ela enfiou de vez pois estava bem lubrificada mesmo, então ela se ajeitou e começou a mexer, inicialmente tirava quase tudo e sentava com violencia na vara dele, gemendo e olhando pra ele q arfava de tesão, ela mandava ele xupa os peitos dela e dexar marca pra mim ver dpois, notei q ela tinha se soltado mais axando q eu nao estava ali, pois dava mais ordens pra ele, falava mais putarias inclusive mandou ele enfia o dedo no rabo dela q ela keria gosa com o dedo dele no cu e ele prontamente fez isto, ela paro de mexe um poukinho até q ele encaixase e enfiase o dedo médio quase todo no rabo dela e começou a mexer como louca, qdo ela ker gosar ela nao fica tirando e metendo o pau na xota ela enterra tudo e fica esfregando com força e rapides a xota no pau, assim q ela gosa e ela tava loukinha pois mexia muito esfregava os peitos nele e qdo cansava parava e ficava beijando ele bjos ardentes então logo ela começava a mexer dnovo e eu ali de quatro no xão me punhetando e cuidando pra nao gosar na mão pois keria guardar para ela, num dado momento ela levanto tive q me abaixa rápido dpois escutei ela se ajeitando pra ele, me mantive abaixado até notar q os movimentos começaram dnovo, então voltei a espiar, a safada tinha virado de costas e tava sentando no pau dele com o bundão virado pra ele, ele claro com o dedão no rabo dela, ela ficou um pouco assim no senta-levanta com o pau na xo
ta, até q sem ele pedir ela levanto e veio com o cu na direçao do pau dele, nao podia ver bem mas notei pela demora na sentada e pelas palavras dela pedindo pra ele ficar parado pra ela controlar a penetração, ela descia um pouco reclamava de dor e subia denovo ele só gemia e acariciava ela, com dificuldade ela conseguiu sentar até o fim akela puta, e assim q entro tudo ela se jogo pra trás e começo a rebola com o cu no pau dele, eu nao aguentava mais pois desta vez estava loco pra participar, imagina assim nesta posição a xota dela ficaria livre pra minha lingua ou pra meu pau, mas me contive e fikei assistindo e escutando, ela ficou falando besteiras q nunca falou na minha frente tipo: come meu rabo gostoso seu pauzudo, ta gostando da putinha casada te dando o cu safado gostoso, q pau duro ta me arrombando, meu maridinho vai nota meu cu esfolado assim , ele só gemia e concordava a xamando de puta safada, até q ele disse q achava q não iria aguentar, ai ela reclamou e disse q ainda nao tinha gosado e apesar dos pedidos dele pra enche o cu dela de porra ela levanto e disse q neste dia somente a xota dela iria levar muito leite, rapidamente ela sento no pau dele com força ja de freente pre ele e começo a mexer como loca gemendo e ja anunciando q tava quase gosando, e gosaram juntos novamente, ela sofocando ele com as tetas e ele atolando o dedo no anel dela, ficaram ainda se beijando até acabar o goso, ela reclamou da dorsinha no rabo qdo ele tirou o dedo, então ela saiu sento do lado dele, ficaram se acariciando um pouco eu ja estava me retirando mas ainda escutei os elogios a ela e ela agradecendo a gosada maravilhosa q tinha dado q segundo ela foi a primeira vez q ela conseguiu gosar com algo no cu(o dedo dele) pois eu ja havia tentado mas na hora H ela pedia pra tira pois tava atraçalhando, eu então vi q eles iam se retirar e fui direto pro quarto e me fingi de dormindo, tive q me controla muito pro pau amolecer eles não notarem, fikei quase na mesma posição , ela veio direto da sala pro quarto, deitou de leve a meu lado, ele foi ao banheiro e pude ouvir o xuveiro, pensei, claro com ela em cima dele qdo ela saiu a porra toda escorreu nele, logo ele veio pro quarto e deitou levemente, novamente eles se encaixaram, deram algumas risadas baixinho, eu me virei pra eles e novamente ela me testou agarrando meu pau pra ver se eu tava dormindo, ainda comentou com ele q axava q eu nao tinha notado nada, pude ver ela deitada no peito dele agarrando seu pau mole, assim esperei eles adormecerem dnovo , ele era facil notar como ficava de barriga pra cima ele roncava logo, ai esperei mais um poco e fingi acordar me mexendo, encaxei nela, ela automaticamente empino a bunda meio dormindo, eu ainda pude conferir o estrago na xota dela ensopada, tentei bota um dedo no cu dela ela retirou minha mão sem nada falar, então ainda sentindo a porra do cara na xota dela fikei de pau duro e novamente meti nela, com poucas bombadas ja estava me acabando e ela parecia dormir nem dava bola pra meu pau q entrava correndo nakela xota inundada q vasava porra, o lençol no meio onde ela dormiu fico xeio de porra q escorreu da xota dela durante a noite, eu gosei logo e mais uma vez nem me preocupei em limpar o pau e deixei ele sair naturalmente a medida q ia amolecendo, com esta ja era a décima gosada na xota dela na noite, ela permaneceu um pouco assim no peito dele e pela primeira vez virou pra mim na cama eu ja estava quase adormecido com o pau e o saco lambuzado de tanta porra, ela virou pra mim e meio dormindo disse q me amava q akela noite estava sendo muito especial, q nem acreditava no q estavamos fazendo, eu a elogiei e chameia de puta e q eu tinha muito orgulho de ter esta mulher gostosa e fogosa e qdo eu imaginei q iria dormir pude notar ela balançando pois desta vez ele tinha visto eu gosando nela de lado e fico com tesão vendo eu comela como ela virou o rabo pra ele ele aproveito e meteu nela tbem, ela desta vez não gemia pois tava com o rosto colado no meu eu somente a acariciei para ela ver q eu tava vendo ela me apertou bastante enquanto ele bombava a xota dela, apesar de gostar nao fikei de pau duro pois tinha acabado de gosar mesmo ela acariciando ele, logo ele gosou novamente na xota dela e como eu ele continuou encaixado nela e ela deitada no meu peito, pude ainda colocar a mão na xota dela de leve e sentir q o pau dele ainda estava la, apesar dela estar com a bunda empinada pra ele a porra vasava pra frente da xota tbem, tava tudo ensopado, fikei acariciando a xotinha dela enquanto ambos adormeciam e contabilizando esta tinha sido a decima primeira gosada dentro dela, e afinal adormecemos mais uma vez, o dia ja estava clariando. Finalmente amanheceu para nós parecia q nao tinhamos dormido, acordei sem me lembrar de espiar e pude ver ela ja em cima dele beijando-o, deveria ser umas dez horas da manha, ele tinha q ir antes do meio dia por causa da desculpa pra esposa, não tive como disfarçar e mexi com eles dizendo q tinham começado sem mim, eles riram e disseram q estavam dando a saideira, ela tava em cima dele mas ele ainda nao havia metido, eu me ajoelhei na cama pra poder ver o pau entrando e fui alisando a bunda dela, passei o dedo no cuzinho enfiei um pouco pude ver q estava molhado e mais largo q o normal, e eles ali se beijando coladinhos um no outro, enfiei o dedo na xota dela ainda escorria porra, ela tava esfregando a xota no pau dele, ele tava com o saco e o pau ensopado da porra q ainda saia dela, ficamos assim por alguns instantes até q ela ageitou o pau dele ja estava no ponto e foi enfiando sem nenhuma dificuldade, eu ja estava sentado na cama atras assistindo akele pau grosso entrando nakela buceta ensopada e gulosa, o dia tava claro e nosso quarto bem iluminado pude curtir akela visão maravilhosa da xota dela vermelha e molhada e o cu tbem bem vermelhinho, deixei eles ali se beijando   ardentemente, ela gemendo com o pau todo dentro bem com ela gosta, ele abria bem a bunda dela parece q para me provocar pois assim eu enxergava melhor, e ela as veses enloukecia de tesão e tirava quase todo o pau e dpois metia com força, vcs não imaginam q barulho maravilhoso q fazia akela xota ensopada qdo o pau entrava era um barulho gostoso de xota alagada e preenxida pelo pau dele, eles ficaram ali fudendo um bom tempo alternando beijos ardentes com mexidas mais violentas, susurros gemidos e suspiros de praser e eu assistindo a tudo de trás, até q ela olhou pra mim e me convidou pra participar e claro como ela gosta numa dp vaginal, eu no inicio tentei meter no cu dela mas ela protestou, me deu vontade de diser: mas ontem no sofa tu deu o cu pra ele não é Vadia, mas deixei pois vi q ela keria gosar com os dois paus na xota, então sem nenhum esforço acomodei meu cacete bem duro nakela xota q ja estava com o pau dele, que maravilha estava a buceta da minha esposinha, apesar de entrar apertado por estar ocupada, la dentro era uma lagoa só, no momento q coloquei ela começou a rebolar e gemer como louca pois ela adora assim, e eu e ele tbem começamos a gemer muito pois estava muito bom, ela falava q nos tinhamos a enloukecido a comendo a noite toda, q eramos tarados, eu a chamava de puta safada q tava toda esporrada por dois machos, ele abria a bunda dela e eu batia nas nadegas dela q ja estavam vermelhas, e assim gosamos, eu fui o primeiro a anunciar o goso disendo q nao aguentava mais q ia gosar qdo comecei a esporra-la ela mexeu mais vigorosamente anunciando q tbem estava gosando, e quase no mesmo momento ele começou a urrar e pude sentir os esguichos do pau dele q estava encostado no meu dentro dela, foi maravilhoso um goso triplo, ela continuou mexendo até apojar todo nosso leite pois gosa demoradamente, eu logo não aguentei pois estava em uma posição incomoda e tirei meu pau dakele riacho q era a xota dela, ela deito no peito dele e ainda ficou um pouco até o pau dele amolecer, todos nós comentamos a delicia q tinha sido akela gosada e q em breve noutro dia iriamos repetir, ela então dpois de beijalo mais saiu de cima dele alcançou uma toalhinha para ele limpar toda porra q
tinha escorrido dela, descançamos um pouco ele foi pro banheiro tomar banho se arrumou e foi embora, eu me vesti pra ir abrir a garagem para ele e voltei para cama, nakele dia nao trabalhamos, ficamos na cama até tarde, a noite ainda transamos loucamente com direito a uma uma chupada q dei na xota dela ainda sentindo um cheiro de porra, mas como a minha tava ali junto nem tive nojo, e gosamos novamente, ainda de noite ela estava com a xota esporrada pois ainda escorria e estava deliciosa alagada. Depois deste dia ficamos mais cumplices e ele ja foi la em casa outras veses, mas estas são outros relatos. Tudo q narrei realmente aconteceu, ainda hoje saimos com ele e tbem liberei ela pra sair sozinha com ele, espero q tenham gostado.

Eu e meu Pai, amantes II

EU E MEU PAI, AMANTES II Continuação do relato Eu e Meu Pai, Amantes I Em 1980, minha mãe convenceu meu pai a ir morar na capital para dar um futuro melhor aos filhos. Não seria fácil   para meu pai deixar a vida na roça, mas, muito a contra gosto ele acabou indo para Teresina. Na época, o homem ainda estava novão, cheio de tesão, por isso deu muito trabalho a minha mãe. Vivia nos cabarés fudeno as putas e as mulheres de rua. Roubava as coisas de casa, mantimentos alimentícios para dar as mulheres mendigas em troca do tabaco, isso provocava raiva e ciúme na minha mãe. Quanto menino, eu ouvia falar nestas proezas de meu pai, mas eu me encantava e procurava me aproximar do velho e algo me dizia que nós dois tinha muito em comum. Com meu espirito de escritor e historiador, eu queria saber mais sobre meu pai e sua personalidade. Quando eu viajava para o Piauí ou minha mãe vinha passear aqui no DF eu aproveitava para saber mais sobre o passado, presente e a personalidade de meu pai. Minha mãe me contava tudo e confirmava muitas coisas que eu já tinha visto falar. Mãe, e meu pai, melhorou o comportamento? Ela, que nada, aquele não tem jeito, quanto mais velho, safado ele fica. Continua atrás das mulheres veias e agora deu de pegar escondido as minhas coisas para dar para as elas em troca de safadeza. O pai de vocês   não tem jeito, o bicho é uma coisa seria, dizia minha mãe. Mãe, será porque meu pai é assim? Não sei ao certo, mas na verdade, desde de novinho ele sempre deu muito trabalho para o pai dele.   Acho que isso tem muito haver com a loucura que teve quando dizem que ele tentou o pacto com o Diabo. Mãe, mas meu pai é também um homem bom? Ah, sim, fora as presepadas dele, o pai de vocês é uma pessoa boa, sempre disposto a ajudar alguém, cumpridor de seus deveres, disso não tenho do que me queixar. Mãe, e agora com a idade avançada, meu pai estar mais calmo? Ora, mas menino, aquele só vai mudar quando morrer, vai ficando mais velho vai piorando. De vez em quando ele é flagrado espiando as meninas quando estão no banheiro. Dia desses a Glorinha estava no banheiro lavando uma calcinha com a porta aberta e ele entrou e tirou o pinto pra fora e começou a mijar na frente da menina. quando eu vi aquilo eu dei um grito nele e ele saiu caladinho sem falar nada e caminhou pro fundo do quintal. E a Glorinha? Eu me passei pra ela e disse uma coisas pra ela, se teu tio entrou no banheiro, era pra tu ter saído em quanto ele estava lá, tu já sabe que ele é um velho safado e ele só entrou lá por tua causa. Eu só briguei com a Glorinha porque em vez de sair de lá, não ficou foi esfregando a calcinha (fazendo festo) e olhando com rabo de olho, disse minha mãe. È aquela velha história, de perto ninguém é normal. O tempo passa, o tempo voa e já era o ano de 2010, minha idade já estava acima dos 50 anos e meu pai já passava do 70. A cada viajem que eu fazia, nós conversava bastante sobre todos os assuntos, a prosa girava em torno de assuntos íntimos, sacanagens e putarias, nós se parecia dois amigos. Eu perguntava-lhe sobre muita gente que há anos eu não havia e ele me respondia tudo com detalhes. Pai, e fulano, ah, ele se casou com a filha de beltrano, estão bem e ate ficaram ricos por ser muito trabalhador. E, fulana, ah, esta também já se casou mas largou o marido, dizem que ela dar pra todo bicho, eu pensei em procurar ela para ver se eu ia nela, dizia o velho. E, o Zezão? Ele se casou com a filha do Beto mas depois ela largou ele, dizia que ele era muito fogoso, só queria estar em cima dela, tinha o pau grande e ela não aguentava e além do mais dizia que ele só queria saber do cu dela, ela não aguentou e largou ele. Mas, continua mulher seria, trabalhando e criando os filhos. Ele me contava outras historias de pessoas da região. mas, sempre no mesmo tom. Todos os dias no final das tardes, nós ficava na calçada conversando sobre sacanagens e putarias. A noite, a gente ficava ate tarde papeando na área de serviço próximo o quintal, enquanto as mulheres ficavam na sala vendo novelas. A cada viagem nossas conversas esquentavam ainda mais. a gente falava de nossos passados. Ele me contou que quando era novo não tinha hora e nem lugar certo para fuder na minha mãe, bastava sentir vontade e era todos os dias. Eu só elogiava a performance dele e dizia-lhe que eu também era igualzinho a ele, eu trepo na tua nora todos os dias. Eu disse-lhe que quando estou fudeno a Nadir, eu penso em você e as gozadas são de arrepiar os cabelos do cu. O velho escutava tudo abismado e bem a vontade, escutando o filho abrir o coração e contar tudo o que ele mais gostava de escutar. Eu falei de meus encontros com homens e de minhas relações incestuosas com meus filhos e falei do meu desejo e tesão que sentia por ele. Agora eu queria saber mais sobre ele, sua vida intima e ele bem confiante por já saber tudo sobre o filho, ele começou abrir seu baú de confidências e me contou tudo, era inacreditável, seus casos escabrosos, era cada histórias reais e verídicas e comprovadas. Meu pai contou de suas relações incestuosas que não passava pela minha cabeça, eu estava longe de saber quem era meu pai no campo da intimidade e olha que eu já sabia que ele não era um santo. Disse-me que fudeu na sua avó quando era rapazinho, antes de se casar e depois de casado com minha mãe, por pouco, mas, por pouco mesmo ele não fudeu a própria mãe. Esse detalhe eu conto no conto que em breve estarei publicando neste site. ele me confirmou que realmente, tinha passado a mão nos peitinho de uma das filhas e desejou a bucetinha dela por imaginar ela namorando um rapazinho sobrinho dele que era meu primo, o Rafael. Disse também que realmente pegou na xana das meninas sobrinhas e neta que moravam com ele e as tinha como filhas que foram acolhidas pela minha mãe. Ele me revelou que fudeu uma sobrinha novinha que tinha se tornado puta, mas foi ela que se ofereceu porque estava precisando de dinheiro para comprar um sabonete e ele aproveitou e meteu a pica nela que era muito gostosa, disse-me. Disse também que quando era rapazinho chegou a fuder o cu de um primo e de um rapaz da região. ainda sobre incesto, ele fez sexos oral com uma irmão, a tia Elizabete, já tinha mais de 50 anos, casada e já deveria ser avó. Esse caso me chamou atenção e pedir para ele me contar os detalhes. A irmã morava na zona rural e estava na casa dele para fazer tratamento medico. todos tinham saído de casa, só estava eles dois. Ele viu ela sentada na cama com as pernas abertas e a buceta cabeluda a mostra… ele avançou em cima dela e ela assustada empurrava ele, me larga seu louco, eu sou tua irmã, não pode… ele insistia e ela resistia, mas não teve jeito, ela cedeu, mas disse que não deixava ele meter o pau e ele se conteve só em cheirar e passar a língua na xana da irmã que depois deixou ele repetir outras vezes porque ele dava dinheiro e sua carência era tamanha que ela dava por dinheiro. Este homem é o meu pai e ele me contou muitas outras histórias de arrepiar os cabelos do cu e fazer defunto macho estremecer na tumba. Descobrir que realmente nós temos muito em comum e somos iguais, tipos almas gêmeas, nós estava pau a pau, tal pai, tal filho. Eu revelei toda minha história e o desejo que sentia por ele por mais de 44 anos e que ele era o único homem que nuca tinha saído de minha cabeça e contei-lhe tudo com todas as letras e sem rodeio, o preto no branco. A essa altura, acho que meu pai sentia que nossos corações pertencia um ao outro e já estamos visgados e prontos para o que der e vier. Ele dormia em quarto separado nos fundo da casa que é grande, no extremo do fundo do quintal. Pela localização de seu quarto, tinha uma janela que dava para o fundo do quintal e poda ficar sempre aberta e fazia menos calor, por este motivo eu passei ficar mais tempo no quarto de meu pai depois do almoço e no inicio da noite. Era uma desculpa para poder ficar junto com meu pai. Na verdade, eu ficava lá era para ficar se pegand
o, aliás, era somente eu que ficava o tempo todo alisando meu pai, ele ficava quietinho só recebendo as ações . Ele ficava nuzão e eu ia passando a mãe e acariciando-o em todo seu corpo e ele achando bom. Eu passava as mãos na barriga, peitos, rosto, na cabeça, nas coxas e brincava com os pelinhos das pregas do cu dele e como era bom passar os dedos na sua rosquinha, eita cuzão. Acariciava os ovos grandes que era gostoso de pegar, punhetava sua rola totalmente broxo e sumida lá dentro por causa da operação de próstata Ele recebia as ação de olhos fechados. Eu cochichava baixinhos as sacanagens em seu ouvido e ele consentia. Eu beijava seu rosto e não podia beijar na sua boca porque ele fica sem ar por causa do coração, ele estava cárdico e também tinha outras doenças crônicas como diabete e hipertensão. Quando todos iam dormir, eu me levantava pisando leve e ia pro quarto de meu pai para    fazer sacanagens e falar putarias baixinhos. Isso só era possível quando minha esposa não estava em Teresina, se encontrava na zona rural na casa de seus familiares enquanto eu ficava mais alguns dias com os meus. Não sei como meu pai processava tudo isso em sua cabeça, a julgar pelo fato dele não ser culto para explicar seus pensamentos e atitudes. Certo dia eu me levantei cedinho ainda escuro e nu, com a cueca na mão eu fui ate o quintal, eu sabia que ele se levantava cedo e tinha o habito de andar nu, uma vez que todos ainda dormiam. Cheguei na cozinha e ele estava lá, justamente como eu pensei e esperava, ele estava nuzão, trocamos olhares insinuantes e famintos diante de tal situação. Nós se   se olhava olho no olho de um jeito que transmitia tesão e admiração a nossas nudez em pleno ambiente familiar. O risco de nós ser vistos era grande, mas, também se tinha certeza de que o pessoal só se levantavam quase 7h e ainda não era nem 6h. mesmo assim a gente não podia correr o risco. Fui pego de surpresa com uma atitude de meu pai, de repente ele se inclina numa mesa e exibia sua bunda para mim. Me sentir sem ação porque não esperava aquele gesto obiceno e eu fiquei ali parado e abismado vendo meu pai me oferecendo através da gesto a sua bunda. Fiz também um gesto obceno, fiz um alongamento de modo que ele vise bem meu corpo completo com a visão de meu pau e depois virei as costas e retribui exibindo minha bunda pra ele. Em seguida, com   um olhar, eu dei um sinal de alerta para o perigo de nós dois ser vistos por alguém que poderia se levantar mais cedo do que de costume. Em 2011, quando estive com meu pai, sua saúde já era bem frágil mas, ainda tinha força e disposição para nossos bate papos sobre deboches e sacanagens na tranquilidade de seu quarto. Eu explorava todo seu corpo e as vezes dedava o cu dele e falava muitas putarias no ouvido dele. dizia-lhe o quanto seria bom se nós tivesse se entendido quando erámos mais novos e dizia-lhe também que eu estava muito feliz pelo nosso encontro amoroso estar acontecendo   a esta altura de nossas vidas com nossas idades bem avançadas. Pra mim, você é o mesmo homem que eu desejei desde seus 30 anos de idade. Não faço ideia de como teria sido o nosso relacionamento quando nós era mais moços e como teria rolados as transas entre a gente e se nós teria trocados os cu, ele me comia e eu fudia ele. Posso imaginar que teria sido muito bom. Embora meu pai me revelou que quando novinho, tinha fudido o cu de um primo e de um rapaz, foram relações ativas e não poderia se r diferente porque ele é realmente hetero. Uma noite quando nós estava na rede se pegando, ele me surpreendeu ao falar no meu ouvido, eu quero que tu tome teu viagra para fuder meu cu Disfarçando o meu espanto, eu perguntei, então você quer que eu meta no seu cu? Ele, é sim, quero. Tá bom, pai, então amanhã eu me preparo e nós vamos fuder. e ele consentiu. Na noite seguinte eu me preparei, as 21h eu tomei a pílula azul, tomei banho, escovei os dentes, me perfumei e fiquei no ponto, o viagra já dava sinal e meu pau já palpitava. Já passava das 22h quando todos foram dormir e eu fui pro quarto de meu pai que nuzão já me esperava na rede. Ele disse-me que ficava logo nu para deixar tudo liberado. Eu me ajoelhei ao lado de sua rede e comecei a pegação e falando sacanagens e dedando o cuzão dele. Era chegado o tão esperado momento quando eu disse; pai, agora vamos fuder, eu vou botar no seu cu, ele se levantou da rede e se se em encostou na janela, apoiou os braços, inclinou o corpo e deixou a buda na altura de meus meus 15 centímetros de rola dura igual ferro sobre o efeito do viagra. Peguei o creme e melei bem o cu do velho, passei bastante na cabeça de meu pau e na base e apontei na rosca dele e comecei a empurrar, forçando a entrada e sentindo o pau entrando no cu de meu pai, fui forçando com carinho ate entrar todinhos e comecei a bombar com os movimentos e vai e vem e acariciava sua bunda e as costas, numa demonstração de carinho e felicidade, afinal, aquele homem idoso era meu pai, o homem por quem eu fui apaixonado por toda minha vida. O momento era muito especial afinal, eu esperei por quase 50 anos por meu pai que tanto desejei. Logo que sentir meu pau no cu de meu pai, eu pequei as bochechas de sua farta bundo e com as mão afastei para os lados para sentir o pau entrar mais fundo e ele sentir os cabelos de meu pau. Depois de alguns momentos bombando no cu de meu velho, eu tirei o pau do cu e dei um abraço frontal bem carinhos e   beijei    na testa e disse-lhe o quanto eu amava e estava feliz e agradeci ele por tudo, por ser meu pai e agora erámos amantes. foi um momento marcante e memorável entre eu e meu pai. Quando eu gozei, me despedi dele para tomar banho e dormir no meu quarto. Eu estava curioso para saber se meu pai já tinha dado o cu antes para outros homens – com sinceridade, ele me disse que não, nuca tinha dado o cu, mas senti vontade de dar pra tu que é meu filho, afirmou. A resposta de meu pai reforçou a análise de que um homem hetero pode dar o cu pelo menos uma vez na vida por alguma circunstância. Pela sua carência de cultura e sabedoria ele se mostrou preocupado com o (mito) em relação ao vírus que afeta ao homem sair por ai dando o cu. Eu lhe tranquilizei explicando que não existe este vírus, isso é (lenda) e que ele ficasse sossegado. Depois, eu fiz outras viagens ao Piauí, mas meu pai já estava com a saúde bem frágil, sempre se em ternando em hospitais, ainda assim, nós ainda fizemos sexos oral algumas vezes. Em dezembro de 2015, meu velho pai   precisou se em ternar varias vezes nas U. T. Is e não resistiu e em dezembro do mesmo ano faleceu aos 82 anos de idade. Peguei um voo de ultima hora pagando um preço absurdo e fui fazer minha ultima despedida de meu pai. Agora, meu pai se tornou uma bela lembrança na minha mente. Não faço ideia com seria minha vida sentimental se meu pai tivesse morrido e   eu não tivesse realizado o meu desejo amoroso com ele. Eu nunca iria imaginar se ele ia me aceitar ou não. Seria uma duvida cruel. Quanto a foda que eu dei em meu pai com o titulo (Eu Meti a Rola no Cu de Meu Pai) eu prometo contar com detalhes em breve. Acredite se quiser, mas esta é minha história real com meu pai, meu amante, o homem que desejei por quase 50 anos.   Para finalizar eu digo; os homens que já desejaram um relacionamento com seus pais me entendem. Abraço a todos e que a paz seja constante na vida de todos.

MINHA SOGRA É MINHA AMANTE A 4 ANOS

O CANALDOSCONTOS TRÁS PARA VC ESTE MARAVILHOSO CONTO O PRAZER QUANDO DE COMUM ACORDO É MARAVILHOSO , DEPOIS DE ANOS ME ACONTECE UMA DOIDURA DESSA , SOUNO OTAVIO 65 ANOS , CASADO COM A LUIZA DE 66 ANOS , NA VERDADE A PUTARIA NA VIDA DA GENTE É MUITO GRANDE , A IDADE NÃO IMPEDE O TESÃO FLUIR EM NÓS , MINHA SOGRA A DONA FILOMENA ,PENSA NUMA SENHORA SAFADA , ELA FICOU VIUVA A 6 ANOS , 2 ANOS DEPOIS DISSO EU CHEGAVA NA CASA DA MINHA SOGRA ELA DAVA IM ABRAÇO , EU SENTIA OS PEITÕES EM MIM , MINHA SOGRA É BRANCA , 170M ,60 KG , PEITÕES E BUNDA MÉDIA , ELA FALA MUITA PUTARIA , EU FUI LÁ NA CASA DELA FAZER UM TRABALHO E ELA ESTAVA NA PIA , LAVANDO LOUÇA , EU CHEGUEI E ABRACEI ELA POR TRÁS , PERCEBI MEU PAU ENDURECER E SE ALOJAR ENTRE AS NADEGAS DELA , ELA PERCEBEU E RIU , PASSOU A MÃO EM MEU PESCOÇO , EMPURROU UM POUCO A BUNDA PARA TRÁS, PRENSSANDO MEU CACETE NO RABO , BRIJEI O PESCOÇO DA COROA , ELA LEVOU A MÃO PARA TRÁS E PEGOU NO MEU CACETE , EU ENFIEI A MÃO POR BAIXO DO VESTIDO E ACARICIEI O RABO DELA , MAS ELA ME LEVOU PARA O QUARTO DELA , ME DEITOU , ME DESPIU E ME MAMOU O PAU E AS BOLAS , CARALHO , EU LOUCO DE TESÃO, PUXEI MINHA SOGRA E A DEITEI , TIREI O VESTIDO A CALCINHA , O SUTIEN , A BUCETINHA DELA PELUDINHA , EU CHUPEI OS PEITÕES, CHUPEI O GRELO , ELA GEMIA NA LÍNGUA, ANOS SEM FODER , CARALHO COMI MINHA SOGRA DE 4 , ELA ADORA DAR DE 4 , SEMPRE QUE ELA QUER FODER ELA LIGA PRA MINHA ESPOSA E PEDE PRA EU IR LÁ NA CASA DELA , ELA INVENTA UM SERVIÇO PRA MIM FAZER E VOU , HJ ELA É MINHA AMANTE A 4 ANOS , O LEGAL É A DIFERENÇA DA MÃE PARA A FILHA , VEJA SÓ :MINHA ESPOSA , MAMA O PAU , DA A BUCETINHA E O CUZINHO , NÃO GOSTA DE LEITE NA BOCA , GOSTA DE LEVAR SENTADA NA VARA .MINHA SOGRA ,MAMA , PAU E AS BOLAS CHEGA BABAR , ADORA LEITE NA BOCA , ENGOLE TUDO , DA SÓ A BUCETINHA , NÃO DA O CUZINHO , ADORA LEVAR DE 4 . APESAR DA IDADE A GENTE ADORA FODER , MINHA ESPOSA NEM IMAGINA ISSO , MINHA SOGRA É MUITO MAIS SAFADA QUE MINHA ESPOSA . LEIA OS CONTOS DESTE CANAL.

EU E MEU PAI, AMANTES I

EU E MEU PAI, AMANTES   I Olá, amigos leitores virtuais, confrades e confreiras colaboradores do site, estou de volta com mais um relato verídico. Meu nome é Dico, já passo dos 60 anos de idade, casado há 35 anos, tenho filhos adultos bem sucedidos a nível profissional   e formação superior, aliás, tenho a família que pedir a Deus. Moro em Brasília-DF. Não é bem um conto e nem um relato, prefiro dizer que é um longo comentário sobre minha história com meu pai e nossa relação incestuosa que só veio acontecer em 2011, eu com 58 anos de idade e ele com 78. Em todos meus contos já publicados eu me defino bissexual e também gay discreto, entendo que bi é também um gay, afinal, gosta de homem e de se divertir com uma rola, ainda que seja casual. Este longo comentário é uma prévia de um conto que pretendo publicar em breve e já tem titulo; Eu Meti a Rola no Cu de Meu Pai. Eu nasci na zona rural perto de uma cidade do interior do Piauí há 60 km da capital. Desde menino eu vivia sempre insatisfeito com a vida na roça, eu gostava mesmo era de viver na cidade com energia elétrica, asfalto, muita gente, agitação urbana e cheiro de gasolina dos carros transitando pelas ruas. Quando estava me tornando maior de idade, convenci meus pai me deixar morar na cidade e muito a contra gosto, meu pai viabilizou minha ida e morar na casa de parentes para continuar meus estudo que aprendi na escola da fazenda. Depois, fui morar também em outra cidade do interior do Maranhão para arrumar emprego decente que, não aconteceu e finalmente, vir morar em Brasília em busca de uma vida melhor e a tão sonhada cidadania. Na capital federal eu trabalhei como operário de obras, estudei e melhorei minha formação intelectual. Descobrir minha vocação artística, me tornei militante cultural, sou dublê de escritor, a julgar pela dezenas de textos literários publicados em coletâneas e antologias. Fui colunista social de razoável sucesso e prestigio na cidade satélite de Brasília onde moro. Pertenço também algumas instituições culturais (agremiações literárias), academias de letras e outras atividades no campo das artes, mas, por favor, não vão me julgar pelos incontáveis erros de gramatica contidos neste texto. Em 1980, eu me tornei servidor publico concursado e minha vida mudou da água para o vinho, digo isso porque eu vir de família extremamente humilde. A minha relação intima com meu pai só foi possível graças a minha cidadania e ascensão social que facilitou o acesso através das viagem ao Piauí. Desde menino eu já sentia atração por homens e sempre vi muitos homens nus quando nós ia tomar banho na lagoa, riachos e poços. Estes homens era meus tios, primos e outros homens da região. Entre estes homens, o que mais gostava de ver nu era meu pai. Meu pai era vaqueiro e diariamente eu via-o nuzão quando a gente ia pra lagoa dar banho nos animais. Quando eu era menino, não gostava de acompanhar meu pai nesta rotina, tinha raiva e preguiça. Porém, quando eu me tornei adolescente nas idades 13 a 14 anos, que percebe   surgir cabelos no pau, no cu e nas pernas e o cheiro de suor se torna evidentes, o tesão desperta o interesse que se tem oculto em nosso corpo. Foi justamente nesta época que passei a ver meu pai com outros olhos e despertei meu desejo e tesão por ele, agora, eu adorava acompanhar ele nas tarefas que fosse, pra lagoa, riachos, levar os animais para o pasto, pra roça e pra onde quer que fosse, sua companhia me fazia bem. Quando nós chegava na lagoa, a gente ficava nus na água a altura dos joelhos e passava uns 30 minutos lavando os animais. Eu segurava o animal pelo cabresto e meu pai ia jogando água no corpo do bicho. ele se abaixava com a bunda pra meu lado e pegava água com as mão para lavar o cavalo ou égua e eu discretamente admirava e apreciava seu cuzão com as pregas cheias de pelos, os ovos que era grande e bonitos, ate hoje nunca vi igual, e olha que já vi muitos homens nu. E a rola, não era grande, era media, grassa, bem cabeçuda e rosada, era, sim um pau bonito. A verdade é que passei toda minha infância ate me tornar adulto vendo meu pai nu, estas lembranças estão sempre presente na minha memoria e nem que eu viva 100 anos nunca vou esquecer. Em algumas situações eu defino meu pai como uma pessoa ingênua e as vezes sem pudor. direi que era pura ingenuidade quando ele se abaixava com a bundona virada pro lado do filho.Meu pai era analfabeto, inteligente que sabia fazer contas de cabeça e outras coisas que dependi da inteligência nato. Não era um padrão de beleza masculino, mas era bonito, simpático, atencioso e comunicativo nas horas certas. tinha cor branca e cabelos meio enrolados, porque seu cabelo liso caiu quando era menino por um susto de meningite, dizem. Era um homem meio primitivo, sem vaidade, não tinha o habito de usar pasta kolina para escovar os dentes, fazia a higiênico   bucal somente com água. Não usava sabão ou sabonete para tomar banho. Parece óbvio, mas era também uma cultura de homens comum na sua época. que viviam no campo. O jeito simples e natural de meu pai, o seu cheiro de suor, sem perfume, o hálito sem o cheiro de pasta colina despertava mais tensão em mim. Não consigo descrever em palavras o tamanho do tesão que sentia pelo meu pai ao pegar em seu corpo inteiro, no seu sexo e sentir seu calor. Não é difícil imaginar que passei todo meu tempo me punhetando e pensando nele. Diferentemente dos demais garotos do meu tempo, eu era meio afeminado, gostava de brincar com as meninas e compartilhar seus brinquedos. Alguma pessoa adulta deveria pensar que quando eu me tornasse adulto, me tornava um veado ou marica como se dizia na época. Enganou-se, porque as coisas mudaram, eu me desinteressei pelos hábitos do passado e passei a me interessar em namorar as meninas, minhas primas e outras garotas da região. Mas o pensamento e tesão por homens era cada vez mais evidente e principalmente pelo meu pai. No inicio da década de 70 eu já morava em Brasília e em 1979 eu me casei com a Nadir. Amo e continuo apaixonado por ela, adoro transar com ela, mas, sempre que estou trepando nela eu   penso no meu pai. Sempre fui muito discreto, acho que não dar para desconfiar da minha homossexualidade enrustida, não. Mesmo nos tempos difíceis vivendo de baixa renda salarial, mas sempre viajei em período de férias para o Piauí para rever minha família, amenizar a saudade e saborear as delicias da doce terrinha. Quando me tornei funcionário publico, eu, minha esposa e filhos passamos a viajar com frequência todos os anos seguidos e ainda se dava o luxo de muitas coisas que antes era inatingível. Com o passar do tempo, passei a viajar ate 3 vezes por ano para minha terra natal. O melhor das viagens era os abraços no meu pai, na chegada e na despedida. Era abraços emocionantes, fraternos entre pai e filho. Era também abraços apertados e aconchegantes. Para mim, aqueles abraços dizia algo mais além do sentimentos pai/filho, já para meu pai que não imaginava o que se passava na minha cabeça, era apenas um abraço paternal. Em 2000, meu pai já estava na melhor idade como se diz em relação a 3. idade e eu já me aproximava dos 50 anos de idade e meu desejo e tesão só aumentava pelo velho meu pai. Meus pensamentos era as mil e muitas punhetas na intensão dele. eu gostava de ler relatos sobre relação incestuosas nas revistas eróticas, mas, as publicações impressas se limitam em publicar somente assuntos leves. Os relatos sobre incesto envolvia apenas primo/prima, tio/sobrinha, padrinho/afilhada, cunhado/cunhada e as vezes irmão/irmã. Nada de pai/filha, mãe/filho, avó/neto, avô/neto, pai/filho, nora/sogro, estes parentescos que se envolve em incestos só é possível se ver na internet e foi justamente quando eu tive acesso a internet que passei a saber que as relações incestuosas envolvendo as pessoas citadas acima, porque como dizia meu pai, rola dura desconhece parentesco, se ela sentiu vontade, rola nela o
u nele, seja pai com filha, avô com neta e por ai vai. Li sobre pessoas que não conseguiram realizar seus desejos com parentes muito próximo porque não tiveram chances, coragem e com o passar do tempo a pessoa desejada morreu. Uma moça dizia em seu relato que desejou muito o avô e se tivesse chance mas não buscou a tempo e quando imaginava que poderia dar certo, ele morreu e ela se dizia frustrada. Uma pessoa consolou-a, dizendo-lhe que talvez a relação viesse acontecer, pós o avô poderia renascer em um sobrinho, filho ou neto, isso no campo da espiritualidade. Pensando assim, passei a me preocupar que algo não acontecesse com meu pai. Fiz uma análise de todo meu desejo, tesão e a personalidade de meu pai e log percebi que haveria chance e possibilidade de acontecer algo sobre nós dois. Já existia uma brecha entre nós, a gente era muito amigos, falava de tudo e todo tipo de intimidade, porque ele gostava de uma boa prosa e se envolvesse sacanagem, melhor e nós tinha muito em comum. Meu pai tinha um histórico de sua personalidade marcante e impressionante em relação ao seu comportamento que descrevo lá na frente, na segunda parte deste comentário. Meu pai tem uma personalidade e comportamento bem alterado em se comparando aos demais homens da sua região e época, mas era um homem bom, justo, cumpridor de seus deveres e obrigações, polemico em relação ao seu comportamento sexual, mas nada que afetasse sua conduta moral como cidadão na sua comunidade. Nunca fez nada errado contra alguém, era acima de tudo um amigo de verdade e leal.   Diferentemente de seus irmãos, ele dava muito trabalho ao pai quando jovem. Costumava fazer algo escondidos, como esconder no mato, roupa, calçado e prender um jumento possante (Jegue) para a noite fugir para as festas em localidades próximo da região em que morava. Como se tudo isso não bastasse, ainda colocava objetos na rede para simular alguém deitado e dormindo. Aos 16 anos ele se casou e se tornou vaqueiro por vocação. Tinha fama de homem fogoso. Por ser vaqueiro ele fudia toda espécie de animais e putas da região. Minha mãe não escapava nem mesmo log após os primeiros dias em que ganhava nenê, o fogo do homem não tinha limite, isso ele me confirmou quando nos se tornamos amigos íntimos. Dizem que quando meu pai era muito novo, fez um pacto com o Diabo para se tornar o melhor vaqueiro da região com o poder de conseguir pegar boi brabos nas matas e selvas. (entenda o caso). Ate hoje, dizem que existe pessoas que faz isso em troca de fama ou riqueza. Alguém na atualidade já viu dizer que alguns apresentadores de programas de televisão contemporâneos deu a alma para o Diabo em troca de fama. Então, é mais ao menos isso que dizem de meu pai no final da década de 50 quando eu era pequeno. Mas, esta história sobre meu pai nunca foi confirmado se é verdade ou não. A verdade é que na mesma época, logos após os boatos, meu pai ficou doente dos nervos, problemas psiquiátrico que gerou-o muito sofrimento e a família também que lutaram muito levando-o nos médicos da especialidade e aos rezadores e curadores que, com ajuda de todos, graças a Deus o homem ficou curado, bonzinho, nunca teve recaída e quem conhece meu pai não diz que ele teve problemas mentais no passado. Alguém da família diz que o problema era espiritual e motivado pelos boatos do pacto com o bicho. Minha mãe, associa o fogo de meu pai o caso de loucura quando ele era muito novo. Isso é uma pagina virada a mais de 5 décadas. quando nós se tornamos íntimos e depois amantes, não tive a oportunidade de tocar neste assunto de pacto com o Diabo e ter uma confirmação ou resposta de sua própria boca. Minha mãe, tem duvida, mas acredita que possa ser verdade. Diferentemente dos demais homens da localidade onde morava, meu pai era destemido, não tinha medo de nada, andava a qualquer hora da noite nos caminhos escuros pelas matas e selvas. Não tinha medo de alma, fantasma, assombração e era capaz de dormir num cemitério escuro da zona rural, acredita? Fiz uma análise da personalidade de meu pai e cheguei a conclusão de que era possível chegar nele e ter um caso. a julgar pela sua tara sexual, ele era capaz de fuder do urubu ao sapo cururu e nem precisava ser fêmea, bastava ter buraco debaixo do rabo para enfiar sua vara de macho. Nossa intimidade era o suficiente para mim perceber esta possibilidade. Eu cresci e me tornei adulto vendo meu pai na intimidade, sempre nu, de pau duro quando nós ia dar banho nos animais, quando mijava de manhã cedinho, quando estava fudeno na minha mãe eu espiava pelo buraco da parede e em seguida eu batia aquela bronha e gozava gostoso. O homem era um fenômeno aponto de deixar minha mãe estar sempre atenta de olhos bem abertos em relação ao comportamento e a tara sexual. Quando garoto, eu escutei minha mãe dando broncas nele. Tu pensa bichim, que eu confio em tu, não tenho coragem de deixar minhas filhas sozinhas em tua companhia. Minha mãe se referia minhas irmãs, filhas (dele) é claro. As desconfianças de minha mãe não era em vão, havia evidencias e ele me confirmou tudo quando se tornamos íntimos e amantes. Caros amigos, eu já tinha postado este comentário, mas, devido um erro de minha parte na hora de enviar, não chegou no site, de modo que a segunda parte já estar publicado. Abraço a todos e que a paz seja constante na vida de todos.

EU , MINHA ESPOSA , SOMOS AMANTE DO GENRO

O CANAL DOS CONTOS TRAS PARA VC ESTE LINDO CONTO , SOU O ANTONIO 45 ANOS CASADO COM A DAGMAR DE 42 ANOS , TEMOS UMA FILHA A ALICIA DE 24 ANOS , CASADA COM O KAUAN DE 26 ANOS , BOM MINHA ESPOSATEM 170M , 46 KG , MAGRA , SEIOS PEQUENOS , BUNDA PEQUENA ,CABELOS LONGOS , MEU GENRO TEM 1,92 M , 112 KG , OBSERVEI QUE MEU GENRO TINHA UM TESÃO EM MINHA ESPOSA , ENTÃO DEI UMAS INDIRETAS E ELE NEGOU MAS FUI MAIS A FUNDO E ELE CONFESSOU QUE SIM , FALEI COM MINHA ESPOSA E ELA ESCUMUNGOU , MAS A SAFADA DISSE A ALICIA DISSE QUE ELE TEM PAU ENORME , PORRA , EU IMAGINAVA , MAS EU ESTAVA EM CASA COM MINHACESPOSA E CHEGOU MEU GENRO   , MINHA ESPOSA DE VESTIDINHO , TOMAMOS CAFÉ E ROLOU UMAS BESTEIRAS , EU DE PAU DURO   MEU GENRO COM UM OLHAR FAMINTO PRA MINHA ESPOSA , ELA FOI NA PIA ELE VEIO E SE ARCOU ABRAÇANDO ELA ,O FDP ERGUEU ELA , ELA DEU UM GRITINHO , A PUTARIA COMEÇOU ALI , ELA PEGOU NO MEMBRO DELE , LOGO ROLOU BEIJOS , A MÃOZONA NA BUNDA DELA , ELE ERGUEU MINHA ESPOSA , EU OLHANDO AQUILO , ELE SABIA QUE EU TINHA VONTADE DE VER AQUILO , LOGO FORAM TIRANDO A ROUPA ,EU TB TIREI E QUANDO VI O ENORME CACETE ,PQP ELE ERGUEU MINHA ESPOSA NUA ESCANCHADA NELE , O ENORME PAU POR BAIXO , ELA COM O CUZINHO E A BUCETINHA ACIMA DA PICONA   EU ABAIXEI POR BAIXO DO RABO DELA CHUPEI A BUCETA E O CUZINHO , COM A PICA RALANDO EM MIM , NÃO ME CONTIVE ,MAMEI O PAU E AS BOLAS DO MEU GENRO , COLOQUEI A ENORME VARA NA BUCETINHA DA MINHA ESPOSA , ELE SUBIA E DESCIA ELA NOS 22 CMS , ELA GEMIA NA VARA , EU TIRAVA DA BUCETA E MAMAVA , RECOLOCAVA NA BUCETA , MINHA ESPOSA GOZOU NA VARA DO GENRO , EU TIREI E MAMEI O LEITE DELA , QUE ESTAVA NA VARA , RECOLOQUEI NA BUCETA E A FODA CONTINUOU , MEU GENRO NO TESÃO SE ARCAVA COLOCAVA ATÉ O PÉ EU ESTAVA PRA GOZAR , OUVI ELE DIZER VOU GOZAAAAR , TIREI A VARONA DA BUCETINHA E MAMEI O LEITE DELE TODO NA BOCA , GOZEI MAMANDO , HJ SOMOS AMANTES DELE NOSSA FILHA NEM SONHA COM ISSO .LEIA OS CONTOS DO CANAL.

Prima e amante

Meu nome é André, tenho 33 anos, sou negro, cabelo cortado a máquina, 72 Kilos e 1,72 de altura. Tudo começou no carnaval quando todos os meus parentes viajaram na sexta-feira pra Araruama (Região dos Lagos no estado do Rio) e eu tive que ficar no Rio, pois na mesma sexta e no sabado tinha que trabalhar, combinei com todos que após o trabalho no domingo e assim que amanhecesse, eu iria pegar um ônibus e partiria. Então, sozinho em minha residência, resolvi beber uma cerveja para relaxar até a hora do trabalho. Fui até o bar de esquina e comprei seis latinhas, liguei o som e fiquei escutando um charminho da melhor qualidade.Foi quando apareceu uma prima de minha noiva (hoje somos casados) e eu inocentemente, ofereci um copo de cerveja e ela aceitou. Começamos a beber juntos e após a quarta cerveja, ela começou a falar que já fazia tempo sentia o maior tesão por mim, porem eu nunca dava confiança, a não ser em questão de amizade. Ela de uma forma safada, começou a me instigar, dizendo só loucuras, que tinha sonhado comigo e que no outro dia sua mãe foi jogar no bicho e pediu para jogar no cavalo, referindo-se ao sonho comigo.Daí, eu perguntei se ela um dia, haveria visto a minha pica e ela mencionou que não, mas já imaginava o tamanho. Eu perguntei para ela se teria vontade e ela disse que sim, então, chamei ela até o banheiro e coloquei minha pica pra fora, onde ela já caiu de boca, chupando a porra toda até os gomos (Puxa que chupada gostosa!). E ela continuando naquela linguada gostosa na cabeça do meu pau, envolvendo-o todo e chupava e chupava tanto, que me levava ao céu. Ela chupando o meu pau e eu a despindo toda (que peitinho gostoso e duro), ela se levantou, fui tirando a sua saia e sua calcinha, estava toda molhada de tanto tesão. Cai de boca naquela xota maravilhosa, sugava gostosoarrancando gemidos de prazer, ela gozou gostoso na minha boca eu quase explodindo.Daí enfiei, essa minha pica dura e quase explodindo que dava para ver as veias na sua bucetinha e fizemos o sexo mais gostoso que já fiz até hoje, foi buceta, sexo anal. Tomamos um banho e voltamos para a varanda, uma hora mais tarde chegou minha noiva e ficamos os três conversando, como se nada tivese acontecido. Dando a hora, fui trabalhar e no dia seguinte, repetimos a dose. No domingo logo pela manhã eu e minha noiva, fomos viajar, pegamos o ônibus, que apesar de ser um domingo de carnaval, estava quase vazio eu acho que tinha mais ou menos umas 17 pessoas, sentamos lá trás, onde não tinha ninguém e ela me pediu um beijo e eu já cansado da transa e do trabalho, dei só um beijinho.Foi quando ela pediu para deitar no meu colo e insaciável, abriu a minha calça e começou a me masturbar com sua boca, eu não agüentei, com muito tesão coloquei a mão por debaixo da saia dela e comecei a masturbá-la também. Eu quase gozando e ela chupando tudo, foi daí que a virei de lado e com raiva coloquei tudo, arrancando um gemido, onde as pessoas chegaram a se levantar e olhar para trás, porem não viram nada. Foi quando eu dei aquela gozada gostosa, molhando toda a sua bucetinha. Que gostoso! foi uma das maiores loucuras que já cometi. Hoje somos casados, e a prima continua sendo comida até hoje. No ano passado quase tivemos uma noite a três, mas minha esposa desistiu…Esta porem é uma outra fantasia que espero realizar em breve.

DP anal da Ninfetinha religiosa

Seguindo as instruções de Elisa, seus dois amantes, Bene e Rogério levaram o escort de João, noivo de Elisa, para Melecão, chefe violento daquela parte da favela. O escort cobria o pedágio da dupla de morarem lá e ainda foi negociado um retorno em dinheiro que a dupla se apressou em comprar os materiais para a negociação do resgate de João. Quando chegaram no reduto de Melecão, houve o já sabido intimidamento e coisa e tal. Mas o carro foi entregue e o dinheiro recebido. Melecão os chamou para fazerem um assalto a um banco. A dupla disse que no momento já estavam com uma jogada em andamento, mas que eles poderiam topar sim. Voltando ao casebre-apartamento, encontraram Elisa lendo uma revista, deitada no colchão e nua.-Tenho uma surpresa pra vocês!!- disse Elisa abrindo as bem torneadas e robustas coxas revelando toda sua xotinha depilada, exalando o perfume da adolescente no cio!-Nós já temos o dinheiro e…- começou Rogério a falar.-Agora não, gatinho!! Vocês tem que me sujar bastante antes que eles me encontrem!!Bene logo entendeu e começou a tirar a camisa enquanto Elisa se debruçou para arriar-lhe a bermuda!! Rogério se ajoelhou ao lado de Elisa e procurou sua boca com a dele, começando um grudento beijo molhado!! Neste momento a verga de Bene pula ao ar em todo seu esplendor!! Elisa descola sua boca da de Rô e coloca seus polpudos lábios em volta da cabeçorra que pulava como um cavalo selvagem a frente de seu belíssimo rosto!! No próximo segundo a boquinha de Elisa desliza pra frente e pra trás até a metade da vergona! Rô ao seu lado olha hipnotizado toda a performance da sucção da boquinha de Elisa no pausão de seu amigo Bene. Sem saber como, Rô estende a mão até alcançar os bagos de BEne, acariciando-os!! Elisa arregala os amendoados olhos castanhos sem parar a sucção da rola de Bene, que está com a cabeça levantada e de olhos fechados apreciando aquela boquinha aveludada lhe sugando a cabeçorra da pica!! Agora Rô está segurando a rolona pela base enquanto Elisa faz o vai e vem com seus lábios em redor daquela torona de ébano!! De repente Elisa deixa de chupar a picona por um segundo e aplica um melado beijo em Rô que se surpreende no ínicio para logo em seguida lhe sugar quaisquer vestígios de saliva e pré-gozo de Bene!! Logo, Elisa mordendo-lhe o lábio inferior levemente, traz a boca de Rô para bem perto da cabeçorra da rolona do companheiro-bandido!! Não tinha mais volta. Rogério começou a fazer seu primeiro de muitos boquetes que passaria a praticar daí em diante!!Rô agora já tem metade da rola dentro da boca enquanto Elisa lhe guia o vai e vem com a boquinha deslizando pelo lado lado do caralhão negro de Bene!! Em seguida Elisa vai até os bagos dele e os suga como se fossem bolas de sorvete de café!! Rô vendo Elisa, quer fazer também, foi quando Bene se tocou do que estava acontecendo!! Duas bocas vorazes lhe sugando a genitália!! Ao olhar pra baixo se surpreendeu com o amigo, de olhos fechados e extasiado, com seus bagos dentro da bocona e Elisa lhe encarando com um sorriso maroto e lhe acariciando o buraco da uretra com sua lingüinha cor de rosa!! A sensação era por demais maravilhosa para que Bene protestasse!! Logo, Elisa e Rô se confirmavam como fêmeas de Bene, que aceitou um pouco reticente. Rô e Elisa se alternavam em chupar a cabeçorra e se beijarem entre si, dividindo o gosto de suas salivas!! Depois de algum tempo assim, Elisa disse pra Rogério ficar nu!-Vamos fazer uma rodinha!! – exclamou Bene, se ajeitando entre as pernas de Elisa enquanto ela se ocupava do caralhão de Rô, que voltou a abocanhar a imensa rola de seu amigo!! Bene começou a expelir lentamente seu pré-gozo ao sentir o cheiro da xotinha pink de Elisa. Seus lábios grossos colados na bocetinha dela, era como uma ventosa que fazia Elisa se contorcer incontrolavelmente já que seu orgasmo se aproximava!! A língua frenética de Bene lhe dava mil choques de prazer no grelinho e logo logo poderia lhe perfurar o hímen!! Rô, por sua vez, estava tendo o melhor dos dois lados, o prazer de chupar e ser chupado!! Ele foi o primeiro a gozar no exato momento que Elisa dava um longo suspiro retirando a rola dele da boca pra respirar. Chuvas de esperma foram cair nos anelados cabelos e rosto da adolescente religiosa!! Elisa ainda conseguiu abocanhar de volta a pica de Rô para sentir o resto de espasmo de seu gozo!!-Vou gozar…também!!…Não pára…Rô…continua…continua chupando…assim…assssiiim!!Pela primeira vez Rô tem a boca cheia de rola que explode um monte de esperma dentro dela!!-Não engole tudo!! Põe um pouco no meu …cuzinho!! Para lubrificar…gostosinho!…Bene está com os dentes trincados pela agonia do extraordinário gozo da chupação de Rõ e do gosto da xotinha de Elisa que agora o está convocando para sodomizá-la!! Porém Rogério tem outros planos. Ele ainda tem muito do mingau da rola de Bene dentro da boca e se aproximando do belo rosto daquela adolescente cor de café, lhe beija a boca docemnte derramando parte da porra na lingua de Elisa!!-Não engula…Elisa. Faz em mim o quê voce me pediu pra fazer… em você!! Quero ser…uma fêmea completa…agora!!Elisa ainda em estado de multi-orgasmo se excitou mais ainda com a idéia e prontamente acomodou a bela face entre as nádegas de Rô, que suspirou longamente ao sentir os cheios lábios dela depositando a gosma de Bene em seu rabinho!!Bene estava sentado em cima das próprias pernas recuperando o fôlego e ainda de pau duríssimo, ouviu aquilo e arregalou os olhos.-Que isso, Rô?!! Tá louco?!!-Por que não, meu gato preto?!!Eu e Rô seremos suas fêmeas agora!! Vai…vai tira o cabacinho dele!!Depois de toda dificuldade inicial da enrabação de Rogério, os vemos agora do seguinte jeito. Rô de joelhos e com a cabeça entre as pernas de Elisa que lhe suga a rola com avidez, chegando a escorrer saliva pelas lados de sua boquinha!! Bene está em pé, mas de joelhos um pouco curvados e as coxas em cada lado dos quadris de Rogério, enterra e tira lentamente sua coluna preta de músculo em toda profundidade do anus, também rosinha, de seu comparsa de crime!! As mãozonas de Bene estão espalmadas nos firmes glúteos de Rogério, que já começa um sensual rebolado com a rola enterrada em seu rabinho!! Elisa acaricia os bagos de Rô com uma das mãos e com a outra separa os rosados lábios da xotinha pra dar melhor acesso a vibrante língua dele por toda a extensão!! De vez em quando Elisa eleva a cabeça para engolir toda a rola dele até sentir a pontinha de seu afilado nariz tocar-lhe o saco!! Permanece assim o máximo que sua aspiração por ar permite e quando encosta sua nuca no colchão novamente, uma avalanche de saliva e esperma escorre pela coluna da piroca lhe melando toda a belíssima face!! Rogério gozara desta vêz!! E caí de lado semidesfalecido. Tanto Elisa quanto Bene se assustam por alguns segundos.-Vem cá… putinha!! Vem… vem terminar o que… o Rô… começou!! Vem…vem…me dá esse… cuzinho guloso… minha putinha!!Enquanto fala Bene ajuda à Elisa, ainda um pouco tonta, a vir se sentar em sua pirocona!!-… não fala… assim. Já disse… que adoro… te dar… meu cuzinho!! Mas não me chama… de… puta!! Papai do céu… sabe que… não posso… controlar…de sentir o gostinho… a dorzinha de… uma rola… entrando… em…meu cuzinho!…Elisa está ajoelhada entre as pernas de Bene ajeitando a arroxeada glande na boquinha do anel rosado de seu cuzinho e depois de encaixar mais da metade da cabeçorra dentro do anelzinho, ela vai sensualmente rebolando, com as mãos separando as duas bandas das nádegas enquanto a negra cobra de Bene vai lhe invadindo o cuzinho convidativo!! Ao chegar a metade da rola engolida, Elisa que tinha a cabeça levantada, solta um urro e agacha-se o máximo que pode até sentir toda a rola dentro do cuzinho e sua polpas encostarem nos bagos de Bene!! Então solta um grito de agonia e prazer que sente ao mesmo tempo pela própria empalação!! Lá na cozinha, amarrado e amordaçado, João escuta os
gritos de sua amada noivinha e grossas lágrimas escorrem de seus olhos!!Ele se culpa por todo o sofrimento que Elisa está passando por sua causa!! Enquanto isso, Elisa com os olhos semi-cerrados em êxtase e um leve sorriso na bela face, sussurra prazerosamente enquanto a rolona de Bene desliza num entra e sai sem fim de seu cuzinho!!-…mete… mete mais… mais!! Me dá mais..mais dessa… pirocona! Meu rei… meu pai… perdoa esta… tua cordeirinha!!… eu… prometo… que… vou… dar… um… grande… dízimo… para tua… glória!! Sei… que tudo… tem um… motivo!! Eu vos… agradeço… pelo que… estou sentindo… e pelo… que estou fazendo… que é pela… tua glóriaaa!! Aahhhh!! que bom!! Mais… quero… mais!!De repente Elisa e Bene sentem uma língua deslizar pelos bagos e rego da bundinha. Rogério se aproxima pelas costas de Elisa e lhe procura a boca.-Faz a glória… de meu… rei… ser duplicada!! Mete em mim…também!! Vai…mete mesmo… no meu… cuzinho!! Asssimm!! Aaahhh! Essa dorzinha… me… purifica… aos olhos de meu rei meu pai!!A rola de Rogério se enrosca na de Bene dentro do estreito cuzinho de Elisa, que se contorce toda enquanto impiedosamente o bissexual Rogério, puxa-lhe os encaracolados cabelos da nuca para não perder o equilíbrio, mas parecendo como se estivesse montando numa eguinha!!-Eliiiisa… putinha gostosa!! Deixa eu… sentar… também na rola de… Bene!!-Você…agora é que é… a putinha dele!! Eu… só gosto… de dar meu… cuzinho!! Vem… Rô putinha… vem… vem sentar… bem gostosinho… AAiii!!Elisa sente a rola de Rô deslizar pra fora de seu cuzinho enquanto a rola de Bene permanece lá por alguns segundos, até Rô a ajudar a levantar-se, fazendo a negra coluna balançar de um lado pro outro brilhando dos fluidos dos dois! Em seguida Elisa segura a pica de Bene guiando-a ao recente cu descabaçado de Rô! Ele ainda sem prática vai medrosamente se abaixando e se contorcendo de dor, mas agüentando firme, até a cabeçorra e parte da rola desaparecer dentro de seu cuzinho recém arrombado!! Porém dalí não passava. Rô, ao mesmo tempo que queria se tornar uma fêmea pra homens, sentia medo!! Elisa começa então a mamar no caralho de Rô, que aos poucos vai esquecendo o medo devido aqueles lábios sugadores da cabeçona de sua piroca!! Bene está deitado, Rogério sentado em sua rolona, inclinado pra trás e com os braços esticados se apoiando no colchão enquanto rebola lentamente com metade da tora de Bene lhe invadindo o anus. Elisa está a frente de Rô numa posição quase fetal e com os bagos dele inteiro dentro da boquinha enquanto lhe acaricia masturbatoriamente a coluna de carne acima de seu rosto!!-Aahhh! Dói… mas é… gostoso!! Chupa… chupa… gostosinha… putinha!!- diz Rô, querendo provocar Elisa.Elisa nada responde, continuando a melar a tora de Rô com sua saliva. De repente se levanta e virando as costas pra Rô lhe diz.-Me lubrifica, sua putinha!!- e com as duas mãos abre a própria bunda onde aparece a rosquinha pregueada.-Me chupa, vai viadinho!! Putinha!! Aassssimmm!… gostoso… enfia mais… a língua no… meu cuzinho… viadinho gostoso!!Enquanto fala Elisa esfrega com vigor seu grelinha, deixando-a próxima do orgasmo!! Bene vendo e escutando tudo aquilo não tem como não se contorcer de tezão, mas não conseguindo ir mais além na penetração do cu de Rô!-Agora vou te mostrar quem é putinha, viadinho!!Dizendo isso, Elisa se agacha, segura a pica de Rô e vai se abaixando até sentir a ponta da rolona ser beijada pela boquinha de seu cuzinho!! E então lentamente a piroca de Rô vai entrando em seu cuzinho aveludado!! Enquanto vai fazendo essa descida, Elisa está se firmando e se equilibrando nos músculos das torneadas coxas. Ela torce a cabeça pra trás e ordena.-Me beija, viadinho!!Ao fazer a tentativa de beijá-la, Rô sente quando Elisa deixa todo o peso do corpo cair em cima do seu, faznedo ao mesmo tempo que sua rola lhe penetre por completo o cuzinho dela enquanto a torona de Bene lhe vai até o fundo, fazendo sua bundinha encostar-se nos bagos do amigo bandido!! Rô não consegue conter o alto urro que solta!! Elisa está gozando e cada vez mais agoniadamente ela rebola em cima do pau de Rô que conseqüentemente rebola no pau de Bene, que por fim acaba gozando abundatemente dentro do reto de Rô, que a esta altura já se recuperou da dor da abrupta penetrada e acompanha extasiado a frenética rebolada dos imensos e belos quadris de Elisa!!-Aaaahhhh!!!…. uuhhmm!! Meu rei!! Meu rei!!… gozei… gozeeeeiii!!João escuta a série de gritos e urros de Elisa e imagina o quanto ela está sofrendo por ele!                                

fazenda dos contos ibiunacaralhos gostososcuzinho transminha mulher cornohomem comendo a cabritacomendo na marracasadoscontos gaycomendo um cu na marradepilando bucetinhaminha mulher me traindogordinha cornobundao de mulherrola de jeguecu morenoreencontrei meu primeiro amorcomeu minha esposacumpricidadetomei no cucontos eróticos corno biconto erótico heteroo cachorro precisa grudar para engravidarduas bucetaslelezinha alturaclodoaldo matadortrepando com o chefeesposa na punhetameu amigo comendo minha mulhercasadosocntosloira insaciávelsexo cabo friomãe gostosa do amigomendigo de pau duropeguei meu marido se masturbandocontoeroticosdividindo a namorada com o amigopenis cabeçudospunheta na sala de aulaporno nova iguaçucasada fudendo com cachorrodando o cu para um cavalovelhas na varavelha gozacontos cuckolddedo no cu delaempregada rabudamoleque comendo meninabuceta da titiameu amigo comendo minha esposacatinhavelho fudedorcasa de contos eroticosvovó trepandochurrasco e sexolaura fudendomulher sendo abusada no ônibuscoroas a procura de novinhopraia de nudismo em trancosocasadoscontos eróticoschupando pela primeira vezsexo com a maninhacomendo a mulher madurapaferultimos contos eroticosesposa na varasexo com maninhasuper trepadagay dando para cavalominha mulher trepandochupando picoléboca veludodormindo com papai e mamãecontos eroticos netinhaesposa gozadahomem comendo cabrachupa a cabeça da minha pica vem me dar uma mamadapunheta nelesocegarégua piscando a bucetamadrasta comendo enteadocontos por categoriamulher com duas bucetasinversao esposacasa dos comtos eróticosbatendo punheta na salachupando a buceta da netafodendo a vizinha casada