Empurrei no cú da minha Tia

Olá, meu nome é Pietro tenho 23 anos.Moro em uma casa com meus pais e minha tia mora nos fundos da residência. Minha tia sofre com hemorróidas e certo dia me chamou pra ajuda-la pois estava passando mal, quando cheguei na sua casa ela estava de 4 na cama com uma poma para passar no anus. Perguntei para que ela aquilo, ela disse: Meu filho isso é pra hemorróidas para aliviar a dor. Minha tia tem 55 anos uma falsa gorda estilo cavala confesso que feia mas com uma rabo que so de pensar pai fica duro. Então naquela situação falei com ela, tia posso ate passar mas antes preciso bater uma punheta por que vendo você nessa posição me deixou louco, ela disse ok. Fui ate o banheiro e comecei a tocar uma ela bateu na porta e pelada disse empurre essa hemorroida com o pai não pensei soquei no rabo dela meti dei tapa na cara fiz ela de puta mesmo. Depois ela de uma cirurgia pra retirada da hemorroida e me da o toba com mais vontade confesso que o ponto entra igual mantega por que ficou frouxa mas pra vcs ai babacas que so querem as novinhas vai a dica minha tia deu ate a orelha ?? essa novinha so querem zuar. Valeu tia so sentir o cheiro de bosta meu pai fica duro…………..

EM BRASILIA 1

CONTINUANDO MINHA HOSTÓRIA…….UM DIA EM QUE NÃO TINHA COMPROMISSO COM A GOSTOSA….UM COLEGA DO CURSO ME DISSE QUE TINHA UM LUGAR CHEIO DE MULHERES…. CHAMADO BATACLAN…..RESOLVI IR COM ELE…..LA CHEGANDO , NUM PRÉDIO, ANDAR INTEIRO, PARECIA UM CLUBE…TINHA MAIS DE 100 MULHERES, EU ACHO…TODAS DE BEBYDOLL, DE CORES DIFERENTES…DIFICIL ESCOLHER A MULHER TODAS MUITO GOSTOSAS… ELAS ANDANDO PARA LÁ E PARA CÁ…. FOMOS AO BAR E TOMAMOS UMA DOSE….NEM DE QUE FOI….E LOGO ME INTERESSEI POR UMA DELAS…FOMOS PRO QUARTO E LÁ DESPEJEI UM BOA DOSE DE PORRA NA SUA BUCETINHA…VOLTAMOS PARA O SALÃO E DAÍ POR DIANTE, COMI MAIS UMAS 4 MULLHERES…. TODAS MUITO GOSTOSAS…DE FAZER INVEJA…A TODAS AS MULHERES QUE ANDAM NA RUA……EM OUTRO DIA…ALMOÇANDO COM MINHA TIA E SEU MARIDO, NO APARTASMENTO, CHEGOU PARA NOS ACOMPANHAR UMA LINDA MULHER,,,SOZINHA….ELA ERA SECRETÁRIA DE UM PRESIDENTE DE BANCO PARTICULAR…MEU TIO ERA CHEIO DE MODA…ANTES DO ALMOÇO UMA DOSE DE CONHAQUE….E FOMOS ALMOÇAR…SENTI QUE A MULHER NÃO TIRAVA OS OLHOS DE MIM,,,,E NUM CERTO MOMENTO DEPOIS DO ALMOÇO, CONSEGUI MARCAR UM ENCONTRO COM ELA…..NO ENCONTRO, FOMOS DIRETO PRO MOTEL…. LÁ CHEGANDO TIRAMOS A ROUPA E ELA JÁ SE DEITOU DE BRUÇO, QUERENDO DIZER QUE QUERIA PICA NO CÚ…NÃO ME FIZ DE ROGADO E COMI LINDAMENTE AQUELE CUZINHO LINDO E GOSTOSO…APERTADINHO, DO JEITO QUE GOSTO…GOZEI NELE UMAS DUAS VEZES….E FOMOS EMBORA…NUNCA MAIS VI A DITA CRIATURA…..SE POR ACASO ELA LER ESTE EPISÓDIO, ME MANDE UM E-MAIL, PARA RECORDAMOS NOSSO LANCE…

DORMINDO COM PAPAI – 2

OLA PESSOAL, VOLTEI, DEPOIS DE FUDER COM PAPAI INTENSAMENTE RELAXEI UM POUCO, TAMBEM NÃO É PARA MENOS, AGASALHEI TODO SEU CACETÃO EM MINHA PEQUENA BUCETINHA, HA PARA AQUELES QUE AINDA NÃO VIRAM MEU CONTO, (DORMINDO COM PAPAI ), SOU SABRINA, TENHO 20 ANINHOS, LOIRINHA , COM 1.52 CM PESO 52 KG,GOSTO DE CABELOS LONGOS, QUE VÃO ATE A CINTURA, UM POUCO CARANCOLADOS, POIS BEM, FIQUEI EXAUTA DE TANTO GOZAR, PAPAI É INSACIAVEL, ME DEIXOU MOLINHA, ADORMECI QUE NEM OS TROVÕES CONSEGUI OUVIR, O DIA JA ESTAVA CLAREANDO, VI PELA BRECHA DA CORTINA PASSAVA A CLARIDADE, ESTAVA DEITADA DE LADO DE COSTAS PRA PAPAI,TINHA ADORMECIDO SEM ROUPA ,NOTEI QUE O LENÇOL ESTAVA ALTO NA ALTURA DO SEU PAU, E SUA MÃO SE MOVIA , PENSEI, SERÁ QUE ELE ESTA SE MASTURBANDO, MAIS OLHEI PARA SEU ROSTO, ESTAVA SERENO DE OLHOS FECHADOS, AI FUI PUXANDO O LENÇOL ATE CHEGAR AO SEU CACETE, ELE SEGURAVA NELE FAZENDO LEVES MOVIMENTOS, MAIS DORMIA, ENTÃO PENSEI DEVE ESTA SONHANDO, VOU AJUDA-LO E TORNAR SEU SONHO MAIS GOSTOSO, ME APROXIMEI E PASSEI A LINGUA NA CABEÇONA DO SEU CACETE, ESTAVA UM POUCO SALGADA, E COM UM XERO QUE EU CONHECIA MUTO BEM, DAS MINHAS SECREÇÕES VAGINAIS, SO DE PENSAR QUE AQUELE XERO E O SALGADO DO SEU CACETÃO ERA MEU, ME EXCITEI, ABOCANHEI SEU CACETÃO E FUI ENGOLINDO ATE QUE A CABEÇONA ENCOSTOU NA MINHA GARGANTA, SEGUREI A RESPIRAÇÃO PARA NÃO ME SUFOCAR, ELE PAROU DE MOVER A MÃO EM SEU PAU, AI COMESSEI A PASSAR MINHA LIGUA EM SEU CACETE, MEU PAI ME FALA, QUE FORMA MAIS GOSTOSA DE SER ACORDADO, CONTINUEI SUGANDO MEU OBJETO DE PRAZER, SUBINDO E DESCENDO ATE ONDE MINHA BOQUINHA CONSEGUIA ABOCANHAR DO SEU CACETÃO, AGORA PARECIA MAIS GROSSO, ALISEI SEUS CULHÕES, APERTANDO DE LEVE, MEU PAI GEMEU, AAAANN LEVOU A MÃO PARA MINHA CABEÇA AFAGANDO MEUS CABELOS, FEZ FORÇA TENTANDO FAZER EU ENGOLI MAIS SEU CACETÃO, TOPOU EM MINHA GARGANTA, NÃO TINHA COMO ENTRAR MAIS, SENTI MEUS OLHOS LACRIMEJAR PELA PRESSÃO DA CABEÇONA EM MINHA GARGANTA, ELE PERCEBENDO DIMINUIU A PRESSÃO DA SUA MÃO, AI FUI TIRANDO SEU CACETE DA BOCA, SUBI EM CIMA DE SUAS COXAS , LHE FALO, NÃO RESISTI VÊ SEU CACETÃO DURO ME CONVIDANDO A SABOREA-LO, AGORA SINTA O GOSTO DO SEU PAU JUNTO COMIGO, FUI COLANDO NOSSOS LABIOS NUM BEIJO DELICIOSO E SUCULENTO, ELE ME ABRAÇOU ME PRENDENDO A SEU TORAX, MEU CORPINHO NÚ SE FUNDIU AO DELE, SENTI SEU CACETÃO FAZENDO PRESSÃO EM MINHA BARRIGA, ESTAVA DURO COM UMA PEDRA, NOSSAS LINGUAS TENTAVA SE ENROSCAR NUMA VORACIDADE COMO EU NUNCA TINHA BEIJADO NINGUEM, COMESSEI A REMEXER MEU CORPO SOBRE O DELE, ELE COMESSOU A FAZER MOVIMENTO DE SUSPENDENDO, COMO SE FOSSE UMA BONEQUINHA, SEU CACETÃO QUE ESTAVA PRESO PELAS MINHAS COXAS, PRECIONAVA MINHA BUCETA ME CAUSANDO CONTRAÇÕES, QUE ERA DELIRANTE, AS CONTRAÇÕES, DE MINHA BUCETA EM SEU CACETÃO, COLOQUEI MINHA MÃO ENTRE NOSSOS CORPOS E SEGUREI EM SEU CACETÃO QUE PULSAVA, FIQUEI APERTANDO COM FORÇA, MEU PEI GEMEU AAAANNNNNNNN, FUI DESCOLANDO NOSSAS BOCAS, JA ESTAVA ME FALTANDO AR, AI LHE FALO, VOU SENTAR DESTE MONSTRO, QUERO ENTERAR ELE INTEIRINHO, SEM SOLTAR SEU CARALHÃO, FUI ME LEVANTANDO, DIRIGI AQUELA CABEÇONA PARA A ENTRADA DA MINHA BUCETINHA, SENTI UM CALAFRIO, POIS IMPRECIONAVA A DIMENSÃO DO SEU CACETÃO, MESMO JA TENDO DEIXADO ELE ENFIAR TUDO EM MINHA BUCETINHA, AINDA NÃO ESTAVA ACOSTUMADA A RECEBER ALGO TÃO GRANDE E GROSSO, O QUE ME LEVAVA A TAL LOUCURA ERA O DESEJO DE SER PREENCHIDA POR CACETÃO DESCOMUNHAL, ENCOSTEI A CACEÇONA NA MINHA BUCETINHA, O LIQUIDO QUE SÁIA DA MINHA BUCETINHA LUBRIFICOU TANTO QUE PARECIA QUE TINHA COLOCADO OLEO, CHEGANDO A ESCORRER CACETE ABAIXO, ACOPLEI E DEIXEI MEU CORPO IR ARRIANDO, COLOQUEI MINHAS MÃOS SOBRE SEU PEITO, SENTI UMA TERNURA MUITO FORTE NO OLHAR DO MEU PAI, COMESSEI A SUBIR E DESCER, A CADA INVESTIDA SEU CACETÃO IA DESAPARECENDO DENTRO DE MIM, AI COMESSEI A GEMER UUIIIII, UUUUUIIIIIII HHHOOOOOOOOOOOO, QUE DELICIA DE CACETÃO FALEI, AI SOLTEI TODO O PESO MEU CORPO, , O CACETÃO ENTROU TODO, FRITEI COM A DOR DA CABEÇONA TOPANDO EM MEU ULTERO, AAAAIIIIIIIIIIIIIIIIII, VOU MORRRER, PAINHO TO SENTIDO MUITA DOR AAAAAIIIIIIIIIIIIIIIIIII, AAAAIIIIIIIIIIIIIIIIII, ELE ME SEGUROU PELOS OMBROS, ME PUXOU PARA ME BEIXAR, ME CURVEI, COLANDO NOSSAS BOCAS, AGORA SIM, ERA PRAZER DUPLO, DO CACETÃO DENTRO DA MINHA BUCETINHA E DO BEIJO QUE ERA INEBRIANTE, A DOR FOI DIMINUINDO SE TRANSFORMANDO EM PRAZER , ELE COMESSOU A SOCAR, SENTIA SEU CACETÃO TOPANDO DENTRO DE MIM, SO QUE AGORA A DOR TRANSFORMOU-SE EM PREZAR, ACOMPANHAVA SEUS MOVIMENTOS, FORÇANDO O CORPO PRA TRAZ, NÃO QUERIA PERDER UM MILIMETRO DO SEU CACETÃO, MINHAS PERNAS COMESSARAM A TREMER O PRAZER ESTREMECIA TODO MEU CORPINHO, AI COMESSEI A SENTIR OS ORGASMOS, NUM PRENUNCIO DE UMA GRANDE GOZADA, GRITEI PAINHO VOU GOZAR, AAAIIIIIIIIIII, UUUUIIIIIIIIIIIIIII, ME FAZ GOZAR ,ENFIA TUDINHO, BOTA, BOTA MAIS, AAIIIIIIIIII, UIIIIIIIIIIII, AI MEU DEUS, VOU MORRRER, ACABA COM SUA FILHINHA, NÃO TENHA DÒ, SO ME FAZ GOZAR, HHHOOOOOOOOOOO, MEU CORAÇÃO ACELEROU, MEU CORAÇÃO SO FALTAVA SAIR DO MEU PEITO, FUI ME ACALMANDO, ME DEBRUÇANDO SOBRE ELE, ELE ME FALA, NOSSA VOCE GOZOU COM VONTADE, NUNCA VI UMA MULHER TÃO VORAZ IGUAL A VOCE, SEU CACETÃO CONTINUAVA DURO PULSANDO DENTRO DA MINHA BUCETINHA, ENTÃO ELE FALA, AGORA É MINHA VÊS DE GOZAR, FALEI AI PAINHO, DESTE JEITO VOU MORRER DE TANTO GOZAR, NUNCA GOZEI TANTO COM MEU NAMORADO, SERA QUE AGUENTO OUTRO GOZO , AGUENTA FALOU ELE, SEI A MULHER QUE TENHO DIANTE DE MIM, JA VI ESTAS SENAS ANTES, VOCE É A CÓPIA DA SUA MÃE QUE GOZAVA VARIAS VEZES SEGUIDAS, NÃO FALA ASSIM PAI, QUERO QUE ME FODA SEM PENSAR NELA, NÃO CONSIGO FILHA, VOCE E IGUAL A ELA, MEU PRAZER E MAIOR PORQUE, COM ESTE SEU CORPINHA DE MENINA ME ESPANTA TANTO TESÃO, SE NÃO ESTIVESSEMOS TRANSANDO EU NÃO ACREDITARIA QUE VOCE FOSSE CAPAZ DE TAL PROEZA, VEM AMOR, FICA DE QUATRO, QUERO VÊ BUCETINHA POR TRAZ ENGOLINDO MEU CACETE, SUAS PALAVRAS FORAM COMO FAISCAS, SENTI MEU CORPO ESQUENTAR E VONTADE DE SENTIR O CARALHÃO NOVAMENTE, ME PROSTEI DE QUATRO, PUXEI O TRAVESSEIRO ENCOSTANDO A CABEÇA, MEU CORPO ESTAVA CURVADO, DE FORMA QUE EU PODIA VÊ O CACETÃO, ELE SEGUROU EM MINHA BUNDINHA E ACARICIOU , DEIXOU O DEDO TOCAR MEU CUZINHO, TREMI CONTRAINDO, ELE ENFIOU O DEDÃO EM MINHA BUCETINHA, QUE ESTAVA CHEIA DE LIQUIDO, RETIROU O DEDÃO E PASSOU SOBRE MEU CUZINHO, PERCEBI QUAL ERA SUA INTENSÃO, FALEI NÃO FAZ ISSO PAINHO, NUNCA DEI PRA NINGUEM, ESTE PAUZÃO DE CAVALO, VAI ME RAGAR TODA, NÃO VOU COMER SEU CUZINHO, VOU SO ENFIAR O DEDO, ME ABRI, FICANDO TOTALMENTE EXPOSTA A ELE, ENTÃO ME FALA, QUE VISÃO MAGINIFICA, NEM PARECE A PEQUENA QUE VOCE É, FOI ENFIANDO O DEDO DEGARINHO, A GRANDE QUANTIDADE DE LIQUIDO QUE TINHA EM SEU DEDO FACILIDOU, SENTI UMA PEQUENA DORZINHA, GEMI AAANNNNN AAANNNNNNNNNN, TA DOENDO PERGUNTOU, SO UM POUQUINHO, ELE COMESSOU A ENFIAR E TIRAR O DEDÃO, ENFIANDO ATE TOPAR, AAAIIIII PAINHO, AAAIIIIII, AAAIIIIII, ENFIA SEU CACETE EM MINHA BUCETINHA, VEM,VEM, HHHHOOOOOO, UUUIIIIIIII, FUI EMPURRANDO O CORPO TRAZ, SEU CACETÃO ENTROU COM FACILIDADE, FUI FORÇANDO O CORPO ATE QUE SENTI MINHA BUNDA ENCOSTAR EM SUAS COXAS, ELE CUSPIU EM MEIO REGO, AI RETIROU O DEDÃO DO MEU CUZINHO, MOLHOU SEUS DEDOS E AGORA ENFIOU O GRANDE E O INDICADOR, GRITEI, AAAIIIIIIIIIIIII, TA DOENDO, TA DOENDO, PARA, PARA, MAIS, NÃO ME DEU OUVIDOS, SEGUROU COM A OUTRA MÃO EM MEU QUADRIL E COMESSOU A SOCAR, PASSEI A GOSTAR, REBOLANDO EM SEU CACETÃO, SENTIA-O TODO ENTERRADO, AI PAI , QUE GOSTOSO, ME FODE, ME FODE, VOCE VAI ACABAR COMIGO, UUUUIIIIII, OOOIIIIIIIIIIIII, SUA FILHINHA VAI GOZAR DE NOVO, HHHHHOOOOOO, AAAANNNNNN SENTI ELE IR TIRANDO OS DEDOS DO MEU CUZINHO, FUI RELACHANDO, E GRITEI VEM PAINHO GOZA COMIGO, VEM, VEM, MAIS, MAIS, ENFIA MAIS, MAIS UUUUIIIIII, HHHHHOOOOOOOOO, ELE FOI ETIRANDO SEU CACETÃO, SENTIA, SEU MONSTRO IR SAINDO, FALEI, NÃO TIRA, NÃO TIRA, DEIXA DENTRO, DEIXA DENTRO, ELE FOI SE AFASTANDO ATE QUE O CACETÃO SAIU POR INTEIRO PINCELOU SEU CACETENA ENTRADA DO MEU CUZINHO, CONTRAÍ, GRITEI NÃO PAI, NÃO FAZ ISSO COMIGO, NÃO, NÃO, ELE ENCAIXOU A CABEÇONA E FORÇÃO, DA FORMA QUE EU ESTAVA FICAVA TODA ABERTA, TENTEI FEXAR MAIS ELE ESTAVA ENTRE ELA
S, POIS EU TINHA ABERTO AS COXAS SENTI A PRESSÃO DO SEU CACETÃO ME ABRINDO, GRITEEEI AAIIIIIIIIIIIIII, AAAAIIIIIIIIIIIIIIIIII, ASSIM VAI ME MATAR, MAIS O CACETÃO ESTAVA DEMASIADO LUBRIFICADO, ESPERNIEI, MEUS PÉS FICARAM SUSPENSOS PELO MEU MOVIMENTO TENTO SAIR, ELE SE APROVEITOU DISSO E COMESSOU A BOMBAR, A BOMBADA SEU CARALHÃO ENTRAVA MAIS, NADA MAIS EU PODIA FAZER, ESTAVA CONTROLADA POR ELE, FOI SOLTANDO MEU CORPO, DEIXANDO IR ARRIANDO NA CAMA, VEIO JUNTO COMIGO, PASSOU A BEIJAR MEU PESCOÇO, SEUS BEIJOS ERA QUENTES, MORDEU DE LEVE MINHA ORELHA, SENTI PRAZER, AI FALEI QUASE SUSSURRANDO, COME SUA FILHINHA, SEU TARADO, VEM VEM, ELE COMESSOU A SOCAR, AGORA ERA SO PRAZER, SEU CACETÃO ENTRAVA ATE SUA BARRIGA, ENCONTAR EM MIM, , ELE ACELERROU, ENTARRAVA TUDO, AI PEDI, GOZA PAINHO, GOZA NA SUA FILHIHNA , GOZA, GOZA, ELE ME ABRAÇOU FORTE, E FALOU, FILHA VOU GOZAR, VOU GOZAR, UUUUURRRRRRRRR, UUUURRRRRRRR, , FICOU PARADO, SUA RESPIRAÇÃO ERA BEM FORTE, AI FOI SE VIRANDO PARA O LADO, ME LEVANDO JUNTO, FICAMOS DEITADOS DE LADO, COM SEU CACETÃO ENTERRADO EM MEU CUZINHO, COMESSOU AME BEIJAR O PESCOÇO, COLOCANDO A LINGUA DENTRO NA MINHA ORELHA, COM ISSO EU CONTRAIA MEU CUZINHO, AS CONTRAÇÕES ERAM COMO MORDIDAS EM SEU CACETE, AI ELE ME FALA SEU CUZINHO ESTA ME DANDO VONTADE DE RECOMESSAR, EU ESTAVA SENTIDO UMA ARDENCIA, FALEI, AGORA NÃO PAI, VOCE ME ARROMBOU TODA, MINHA BUCETA COMPORTOU SEU PAU DE CAVALO, SEM MUITO ESTRAGO, MAIS MEU CUZINHO ESTA ARDENDO, TIRA SEU PAU, PRECISO IR NO BANHEIRO TOMAR UMA DUCHA, ELE FOI ME AFASTANDO SEU CACETE AINDA ESTA SEMI ERECTO, AI ASAIR ME VIREI PARA OLHAR SEU CACETE, TINHA UMA MISTURA DE ESPERMA E SANGUE. QUANDO FUI ME LEVANDO SENTI QUE COMESSOU A ESCORRER SEU ESPERMA DO MEU CUZINHO, COLOQUEI A MÃO NA BUNDA PARA EVITAR SUJAR O LENÇOL DA CAMA, SENTEI NO BIDÊ, PEGUEI A DUCHA, DEIXEI O JATO DÁGUA ENTRAR EM MEU CUZINHO, ENTROU COM FACILIDADE, POIS EU ESTAVA TODA ABERTA, A AGUA QUE SAIA CAUSAVA UMA CERTA ARDENCIA, MEU CUZINHO ESTAVA DILACERADO, AFINAL TINHA SIDO INVADIDO POR UMA CARALHAO DE RESPEITO, FIQUEI UM TEMPÃO DEIXANDO A AGUA SAIR, SO ENTÃO FUI TOMAR UM BANHO, MEU ENTROU NO BOX E FALOU, QUERO LHE DAR BANHO, FAZ TEMPO QUE NÃO ISSO, DA ULTIMA VEZ VOCE NÃO TINHA NEM PEITINHO, E MESMO, SO QUE HOJE, VOCE VAI PODER FAZER, POIS ME FEZ UMA MULHER COMPLETA, EM DOIS DIAS, ME FEZ A MULHER MAIS FELIZ DO MUNDO, PRATICAMENTE ME TIROU DOIS CABAÇOS, AGORA FAÇA DE MIM O QUE QUISER, POIS VOU QUER ESTE TRATAMENTO ESPECIAL TODOS OS DIAS, NOS BEIJAMOS DEBAIXO DO CHUVEIRO, A AGUA QUENTE ERA MUITO PRAZEROSA, ME AJOELHEI , COLOQUEI SEU PAU NA BOCA, COMESSANDO A PUNHETA-LO, SEU PAU FOI FICANDO DURO NOVAMENTE, ELA ELE ME FALA, FILHA VAMOS PELO MENOS TOMAR O CAFE, PRECISO REPOR MINHAS ENERGIAS, FIZ BEIÇINHO PRA NAO SAIR DO BANHO, AI FALEI LHE DOU VINTE MINUTOS SENHOR CARALHÃO, PARA RECOMESSARMOS, ELE ME SUSPENDEU, ME BEIJANDO COM MUITO DESEJO, E COMENTA,AGORA TENHO TUDO QUE BUSCAVA EM MINHA VIDA, UMA FILHA LINDA, QUE ADORA TREPAR E TEM UM UM VULCÃO NA PEQUENA BUCETINHA, SAIMOS DO BANHEIRO, COLOQUEI APENAS UMA CALÇINHA, ELE APENAS A CUECA, FOMOS PARA A COZINHA DE MÃOS DADAS, ATE PERECIA QUE TINHAMOS NOS CONHECIDO HOJE COMO DOIS ADOLESCENTES, BEIJOS A TODOS

O Trinco da porta: enquanto elas dormiam!

O Trinco da porta: enquanto elas dormiam!         Sou L e vou relatar uma história que é engraçada e que apimentou (apesar dos pesares) minha vida sexual com meu parceiro Lê.Era legal quando eu ia visitar o Lê… O quarto só para a gente, cama de casal – trepávamos a noite toda!        No começo foi o batente da porta – ele estava quebrado, deixando um vão entre a porta e a parede. Colocávamos uma toalha, mas, mesmo assim, não tínhamos a tranqüilidade de darmos uma boa foda sem que nos preocupássemos com os gritos e gemidos que pudessem ser ouvidos pelos demais moradores da casa.        Sobretudo porque, dependendo do ângulo de quem estava sentado no sofá da sala, dava-se para ver parte da cama – e tudo que estivesse acontecendo nela.        Manhãs de sábado eram um inferno! Não se podia dar a sempre bem vinda trepadinha matinal sem ouvir a movimentação daquelas “santas” senhoras evangélicas.        De tanto eu reclamar, o probleminha do batente foi solucionado, mas havia outro: a fechadura…        Numa daquelas malditas manhãs, estávamos deitados na cama, ainda nas “preliminares” e ele estava com as mãos dentro da minha calcinha, me bolinando por trás, e eu me contorcendo de tesão, já toda molhadinha, quando a avó dele (uma senhora de 72 anos) entrou no quarto. A pobre senhora ficou em estado de choque, e nós, fingimos que nada havia acontecido. Eu enlouqueci de raiva daquilo… Onde estava a nossa privacidade?        Decidi que compraria e colocaria eu mesma um trinco que fosse naquela porta – ou não teria mais sexo!        Comprei o tal do trinco e eu mesma coloquei… Não tinha sequer ferramentas naquela casa, mas eu dei um jeito.         Enquanto eu colocava o tal trinco na porta, falava para o Lê obscenidades… Instigando o seu lado mais selvagem…Prometendo-lhe o que “ele mais gostava” naquela noite…        Deitamos na cama para assistir tv, como de costume, mas eu fervia por dentro: na minha cabeça se passavam os piores pensamentos, imaginava mil coisas…        Nossas transas são bem quentes, ele é o parceiro ideal, pois dá asas a minha imaginação, sobretudo porque somente com ele vejo a possibilidade de realizar minhas mais obscuras fantasias e taras.         Comecei a beija-lo e a simples sensação daquela língua dentro de minha boca me enlouquecia e me deixava toda molhadinha. O Lê começou então a escorregar pelo meu pescoço, pelo meu colo e logo estava chupando meus seios – que naquela boca safada fica com os bicos durinhos e ainda mais rosados de tanto tesão. Eu gemia gostoso – sem me preocupar com o fato de que, no quarto ao lado, duas senhoras evangélicas (e não praticantes de sexo) dormiam o sono dos justos…        Eu gemia gostoso no ouvido dele e pedia “me morde”, “chupa mais”, “acaba comigo”, “quero sentir sua fome”, “mama… mama gostoso na sua putinha” – o que, para o meu êxtase masoquista era prontamente atendido.        Gozei como uma puta no cio quando ele cravou os dentes no meu mamilo direito e num pulo, cai de boca naquele pau suculento, que já babava de tesão pelo que estava por acontecer… Chupei gostoso, apertava com força entre meus lábios aquela cabeça tesuda… Lambi de leve, chupei, suguei aquele membro que pulsava dentro da minha boquinha sacana. Eu ia até onde dava, pois ele é muito bem dotado e depois subia lambendo aquela piroca, lentamente até a cabeça… devagar e depois mais acelerado. E percebia, como uma vadia que gosta de ver que trabalha bem, que ele estava ficando alucinado com aquilo… Ele gemia, quase chorando “não pára”, “não pára”… “chupa, sua putinha!”, “chupa esse caralho, bem gostoso”…        Acontece que numa foda, gosto de dar as ordens e eu parei de suga-lo – o que o deixou desesperado – ordenando-lhe “me fode gostoso”.        Óbvio que fui atendida…        Primeiro o Lê veio por cima, colocou só a cabeça na portinha da minha xana (que já estava completamente molhada, pois já tinha gozado uma vez e estava louca de tesão por ter mamado naquele pau tesudo) e ficou brincando… judiando de mim. Aquilo me deixava puta da vida, mas no fundo, era bom… Ele ficava roçando seu cacete no meu grelo, bolinando com aquele pau imenso minha xota, levando-me ao céu! E, sem que me avisasse, meteu com toda força, numa só estocada, aquela geba suculenta, rasgando-me por dentro. Estocada gostosa… Forte e profunda… E outra… E outra… Ele metia com tanta força que minha xana não demorou muito já estava babando novamente seu melzinho doce. O Lê sabe a medida certa de dor e prazer que eu gosto de sentir na hora de foder. Tenho orgasmos múltiplos com ele, sinto-me um mero brinquedinho do prazer daquele macho e isso me instiga, me acende. Eu ainda estava gozando quando mandei que ele caísse de boca na minha boceta… e ele bebeu cada gota do meu gozo, quente e doce. Ele me lambia, esfregava com força o rosto na minha xota toda e a sua barba por fazer me enlouquecia ao tocar no meu grelo. Ele mamou na minha xota… E foi tanto que até sobrou um pouco de gozo, que ele guardou em sua boca e depois veio me oferecer. Bebi, sentindo meu gosto, me lembrando do tempo que eu chupava uma bocetinha – uma não, várias! Quase enlouqueci de tesão…        Mal eu havia me refeito, ele me virou de bruços e voltou a foder minha xotinha. Eu gemia alto, gostoso… Pedia que ele me dissesse coisas… “me chama de vadia”, “me chama de puta”, “ta gostando de me foder, macho tesudo”, e ele completava “vaca!”, “vagabunda!”, “dá pra mim!”, “dá pra mim!”, “sente meu pau na sua xoxota”, “vou te rasgar toda, sua piranha”…Eu enlouquecia com aquilo, gozei e quase perdia os sentidos quando ele, puxando-me pela cintura, me colocou de quatro – posição em que ele mais gosta de meter em mim. Deixei que ele desse as primeiras estocadas sentia a cabeça daquele pau no meu útero e aquela dor me entorpecia, rebolei como uma vadia, eu era a puta que ele fodia sem pagar nada! Quando percebi que ele já estava quase gozando, disse “quero que você me enrabe”. Ele enlouqueceu…Eu adoro dar a bunda e ele mais ainda, gosta de fodê-la…No entanto, devido ao tamanho daquele membro e do meu cuzinho ainda estar muito apertadinho, não variamos muito nas posições: a penetração geralmente tem que ser feita em etapas… Fico de pé, e ele coloca, depois de muito lubrificante, a cabecinha… Assim, engatados, depois eu me sento bem devagar naquele mastro imenso e depois que o meu buraquinho já está mais larguinho, ele me coloca de quatro e mete gostoso… (tudo isso sem tirar o pau de dentro do meu rabo). Depois de penetrada completamente, ele faz aquele vai e vem que me enlouquece, me segurando com força nos quadris – nessa hora eu me sinto um bicho! Que é fodida pelo seu macho… sou a cadela daquele vira-lata, a potranca daquele garanhão! É o êxtase… Entro em transe quando dou a bunda!Porém, devido à circunstância de estarmos “inaugurando” nossa privacidade, eu queria fazer diferente e sugeri, de cara, que queria tentar um frango assado (sem tais preliminares anais). Ele duvidou, mas não perderia a oportunidade de me foder diferente…Lubrifiquei meu buraquinho, que a essa altura do campeonato já estava piscando de tanto tesão por aquela piroca – louco para ser fodi
do gostoso – e ele começou…A princípio foi difícil… Mas enquanto ele tentava me penetrar, bolinava gostoso a minha xana, brincando com o meu grelinho, chupando gostoso as minhas tetas. A cabeça entrou gostoso, soltei um gemido de satisfação e pedi “mete tudo”… Ele meteu cada centímetro daquele membro que latejava de tesão no meu rabo, devagarinho…Enquanto eu me contorcia e soltava longos gemidos de prazer…Ele ficava alucinado me vendo daquele jeito e começou a meter com força no meu cu, gostoso… Tirava o pau quase que inteiro para depois enterra-lo até o talo. Enquanto isso, metia os dedos um a um na minha xoxotinha que gozava sem parar.Eu estava enlouquecendo e pedia “mais”, “força” e aquela foda ficava cada vez melhor: o movimento de vai-e-vem fazia com que o meu corpo todo acompanhasse aquele ritmo, meus bicos rosados e durinhos o convidavam para um banquete. E ele me chupou gostoso…Eu pedia que me chamasse de vadia e ele, entre um xingo e outro, me dava tapas e cuspia com violência no meu rosto – como se tivesse raiva de mim… Ele era um bicho. Éramos dois bichos! Eu estava me realizando ali…Eu já emendava um orgasmo no outro quando o Lê me deu o tiro de misericórdia: cravou os dentes no meu bico, meteu os dedos (quase a mão toda) na minha xota e fodeu com violência a minha bunda e a minha xota no mesmo ritmo, estocadas fortes e profundas que me rasgavam por dentro.Aquele bicho insano aumentou o ritmo das bombadas e eu sentia a pressão daquela foda dentro de mim. Ele estava na iminência de gozar e eu rebolei com mais força naquele membro gostoso… Num espasmo, assisti aquele garanhão tremendo e revirando os olhos sobre mim, que derretia de tanto gozar. E o gozo daquele macho era um misto de dor e prazer que instigava meu lado sádico: ele tinha uma expressão de dor, mas era uma expressão de alívio e de prazer também. Pude então sentir o jato quente daquela porra inundando-me o rabo, escorrendo pela minha bunda, pela minha xota e misturando-se com o meu gozo. Ele gemia gostoso, aliviado e agradecido…Sem a menor sombra de dúvidas, o trinco daquela porta foi a melhor coisa que eu tinha feito pela nossa privacidade na vida sexual…Naquela noite, gememos e gozamos como dois bichos no cio, e tudo que eu desejei foi que os anjos acompanhassem os sonhos daquelas “santas senhoras” que dormiam no quarto ao lado…

primeira vez com um homem negro

minha puta não é racista, mas como na infancia e adolecencia teve problemas com um caseiro do avo dela ela sempre se esquivava de pessoas de cor negra, tanto que quando entramos para essa religião como eu chamo , ela sempre me pediu para não entrar em contato com pessoas de cor negra, como ela havia me contado o que tinha acontecido eu a respeitei sempre, mas ai aconteceu de eu estar de conversa com um rapaz que tinha visto os contos e fotos dela , e que gostaria de vei até nossa cidade para conhecer o casal , então como de costume pedi fotos dele, no que me mandou sem problemas algum, só pediu sigilo, tranquilizei ele sobre o sigilo , mas vi que o rapaz se tratava de um negro , e ai minhas esperanças se foram embora, mas como eu sempre mostro para ela as fotos dos machos que a querem eu a chamei para perto de mim , o rapaz com quarenta e cinco anos, corpo malhado de academia , e de rosto bonito , barba e cabelo bem aparados , e com uma ferramenta de 25 centimetros de comprimento por seis de grossura que fez minha putinha suspirar quando viu, como sei que não é o que ela gosta , disse vou dizer a ele que talvez um dia mas vc não sentiu tesão, falei para ver a reação dela , e ela diz pera ai deixa eu ver melhor, então disse que ia ao banheiro para deixar ela olhando a ferramenta dele, demorei uns cinco minutos e quando voltei ela falava com ele , então ela levanta da cadeira e diz vou experimentar , marca com ele para quando ele puder vir,então começamos a falar mais e praticamente todos os dias , até que sábado passado ele veio até nós, como ele veio de onibus fomos pegar ele na rodoviaria , trouxemos para nossa casa onde conversamos bastante , ficamos sabendo que ele é advogado , e solteiro, quando entramos no assunto sexo , falei a ele que a noite prometia ser muito boa, e ele disse que faria de tudo para proporcionar o maximo de prazer a minha esposa, a noite chegando e minha puta ansiosa pois estava louca para provar o cacete do novo amigo , então me chama no quarto e com cara de puta diz que não para de olhar para o volume da calça dele , então falei a ela espera aqui já volto, fui na sala e pedi para o amigo me acompanhar , entramos no quarto e eu disse ela ta louca para te chupar , e então ela veio até ele e abriu a calça , o pau dele ainda mole já era enorme e ela começou a lamber a glande foi para as bolas , metia uma depois a outra na boca , vinha escorregando a língua por toda a extensão do pau e parava na cabeçona do pau , ela mal conseguia por na boca , como minha sogra estava por chegar fiquei na porta do quarto olhando para eles e cuidado a porta de entrada da casa , de tanto ela esfregar ele não aguentou e gozou fartamente no rosto dela , ficando toda melada de leite grosso , e então ele disse a noite de dou leite em outro lugar, minha puta se foi ao banho , e depois foi ele ao banho, minha sogra chegou e fez muitos elogios ao nosso amigo sem saber que sua filha ja tinha mamado o pau dele e que estava por levar no cu e na buceta o pau dele , como ela não demora muito quando estamos de visitas ela se foi embora e eu convidei eles para nós ir para o motel , e fomos ela entrou tirando a roupa dele e a sua , mamou novamente o pau dele e depois ele a chupou até ela dar a primeira gozada , e então ela subiu para cima dele , esfregava a boceta em todo o pau dele deixando ele maluco para meter , então ela levanta o quadril um pouquinho mais e a cabeça do pau dele achou o buraquinho da boceta , ela gemeu com a cabeça querendo entrar , deu uma mexidinha e forçou mais e a cabeça entrou , ela gemia mas não saia dali, e então rebolou e foi metendo o pau para dentro , foi a metade e la subiu até a cabeça e sentou novamente agora em todo o pau como ela gosta , ficou entalada se acostumando com o tamanho do pau dentro dela , e então voltou a se mexer , ele quieto só com o pau duro e ela subia e descia no cacete dele , tentou ficar de cocoras mas não conseguiu a cabeça do pau empurrava o útero , então ele a colocou de ladinho e meteu um pouco assim, depois mesmo sem sair de dentro da boceta subiu encima dela e a puxou para que ficasse de quatro e então começou a socar com vontade , ela tentava empurrar ele mas ele estava agarrado na cintura dela e metia com força, saiu dela e sentou em uma cadeira ela veio de frente ´para ele e sentou no pau , esfregava a boceta com o pau todo dentro , gemia que parecia que estava apanhando , e pedia para ele meter , o negrão cheio de tesão e não se aguentando mais pediu para dar um tempo que não ia aguentar e ai ela fez por gosto em mexer e rebolar mais e mais com o pau atolado nela até ele encher a boceta de leite , ficaram assim por um tempo, ela sentada no colo dele com o pau dentro , quando ela saiu sua boceta tinha um enorme buraco , toda arregaçada e saia uma quantidade de leite dela, deitaram na cama e ficaram se namorando, ela foi ao banho , voltou e começou a passar a mão no cacete dele que deu sinal de vida e endureceu , ele falou agora quero sua bundinha redondinha gata , ela me olhou e eu peguei o óleo para anal e passei nela dei para ele e ele passou em todo o pau , como quem diz vou por todo, achei que ela não aguentaria , mesmo ela fazendo sempre anal, mas o pau dele era muito grosso e a cabeça também, primeiro ele esfregou bastante a cabeça do pau no anel do cu , depois começou a forçar sem pressa, demorou um pouco mas a cabeça foi ela gemia e gritava , e ele foi metendo até a metade parou e ficaram quietos , logo ela começou a se movimentar para frente e para trás , e ele aproveitou e mexia também , em seguida ele ja a socava não tão forte mas socava ela , por uns vinte minutos ficaram assim e ela sentiu o pau do negão inchar e encher seu reto de leite quente, novamente ficaram entalados por um tempo até o pau dar uma amolecida , ela de pernas abertas se foi ao banho , conversamos um pouco e ela saiu e foi ele ao banho, voltamos para casa , como já era tarde fomos para a cama , ele no quarto de hóspede , em nossa cama chupei e meti na minha puta que me dizia que adorou o pau do negão , dormimos e no outro dia cedo , ela me disse vou lá acordar nosso amigo posso , claro que disse que sim, só disse para ela não gemer alto e nem gritar , como eu tinha tomado umas cervejas virei na cama e voltei a dormir , acordando quase dez horas da manhã , levantei , tomei banho e fui procurar minha puta , abro a porta do quarto de hóspede e vejo ela de quatro e o negão com todo seus vinte e cinco centimetros de pau atolado no cu dela , estava só o conjunto de bolas de fora , e ela com o rosto no travesseiro urrando , pois ele estava novamente gozando no cu dela , depois que recomporem foram ao banho e como o onibus dele sai ao meio dia não deu tempo de fazer um churrasco para nós , levamos ele na rodoviaria e ele ficou de voltar com mais tempo ,pois adorou comer minha puta , quando voltamos para casa ela me falou que estava impressionada com a virilidade dele , pois disse que quando eu entrei no quarto que ele estava gozando no cu dela ele já tinha gozado duas vezes na boceta dela , disse que ele gozou e continua a meter até gozar novamente , e que depois pediu para ela chupar para ele gozar no cu dela , e assim foi nosso final de semana , como ele trabalha no forum da cidade dele ele pediu e ficou combinado que não teria fotos , e assim foi , ela que não gostava da cor escura já me falou que em breve quer ele novamente e que até podemos ir até a cidade dele , e assim vai ser.

Mais uma chupada incrível

Como vocês sabem de contos anteriores, nosso caso é antigo e essa história embora me cause muito tesao até hoje, é tão antiga quanto nosso caso.Eu trabalhava no centro da mesma cidade em que eu e minha putinha morávamos na época, porém ela trabalhava em uma cidade vizinha. Mais um dia comum de trabalho se passava, diria até que um dia tranquilo sem muitas atividades, o que abriu espaço para meus pensamentos e esses pensamentos passaram se sobrepor as responsabilidades. Queria minha putinha, precisava sentir seu corpo…Passei a conversar com ela e facilmente entramos em nosso joguinho favorito de dizer tudo que queremos em outras palavras e cheio de referências, queríamos transar loucamente e adoravamos brincar com isso. Logo surgiu a proposta dela-Hoje vou largar cedo, vou direto pra casa e vou estar sozinha…Não precisava falar mais nada, éramos o encaixe perfeito um pro outro.Fiquei ansioso. Meu trabalho foi completamente deixado de lado, eu só queria sair dali e ir ao encontro da minha putinha.Passada algumas longas horas, finalmente eu larguei, peguei o carro e fui imediatamente a casa dela.Vocês precisariam ver a cena: Linda, pele cheirosa e macia, cabelos loiros sempre muito bem cuidados, shorts e uma blusa soltinha, e um sorriso lindo. Ah, esse sorriso… Quem vê estampado em seu rosto não pode imaginar o quanto ela gosta de ficar de boca aberta pra receber leitinho, quem vê aquela cara de santa não imagina o quanto ela gosta de tomar tapas.Começamos a nos beijar, e logo ela pegou no meu que já estava bem duro e foi nessa hora que ela me falou que coincidentemente tinha menstruado a pouco tempo e que não poderíamos transar mas que ela queria me chupar.Foi foda. Tava louco pra chupar muito e comer a buceta molhada dela mas logo eu entendi e sinceramente? A Vadia tava menstruada desde cedo e não comentou antes pq não queria ficar chupar pau e beber leite. Percebi isso e olhei no olho dela e ela deu um leve sorriso, me fez sentar na poltrona e começou a mamar no meu pau.Puta que pariu!Como essa mulher chupa gostoso, ela mamava na cabeça e engolia tudo depois voltava lambendo das bolas a cabeça e voltava a mamar. Eu não conseguia dizer nada apenas gemia e segurava no seu cabelo. Chupava, engolia, lambia meu pau e fazia o mesmo com as minhas bolas. Ela fez isso por um bom tempo e eu já não estava mais aguentando e mesmo sem eu dizer, ela certamente percebeu que eu queria gozar então parou de chupar olhou pra mim e disse:-Da leitinho pra sua putinha, da? Eu quero leite…Minha putinha ajoelhada na minha frente, uma chupada incrível no meu pau e ver ela pedindo desse jeito eu não aguentei:-abre bem a boca que eu vou gozar.!Gozei! Bati uma bem rápido enquanto ela esperava ansiosa de boca aberta pelo prêmio dela e gozei muito forte, meu corpo inteiro se contorceu de tesao nesse momento. Ela engoliu tudo como de costume e nos beijamos, conversamos um pouco e logo depois fui embora…. Espero que vocês tenham gostado da minha lembrança (Principalmente você minha putinha ;]). Até a próxima.

A Deliciosa Bundinha de Minha Ex

De todas as namoradas que tive, indubitavelmente, Michelly é a dona da bunda mais gostosa. Usava, a meu gosto, biquínis minúsculos por que sabia que me deixava louco de tesão. Era automático! Bastava ela tirar a canga e, pronto! – meu pau endurecia rápido quando ela deitava de bruços na areia da praia e arrebitava sua bundinha gostosa para o meu olhar extasiado. Presenteava-lhe sempre com lindos biquínis fio-dentais – os menores que encontrasse no mercado – e ela nunca hesitava em usá-los. Muito pelo contrário, depois que tomou gosto pelos biquínis escandolosos, nunca mais vestiu um modelo comportadinho como antigamente, pois já não achava graça nenhuma em esconder o seu lindo corpinho e, principalmente, sua bunda maravilhosa, muito cobiçada e admirada por quem tivesse a sorte de vê-la na praia, seminua. Quando chegávamos da praia, sempre no final da tarde, depois do jantar, assistíamos diversos filmes de terror – nosso gênero predileto – até altas horas da noite, na sala de sua casa. Oportunidade tal para que eu visse o resultado do seu lindo bronze, adquirido em um dia inteiro de exposição indecente na praia. Maliciosamente, após o banho, ela sempre vestia uma roupa bem confortável – uma calcinha fio-dental de puta ou um micro-biquíni verde, que às vezes ela usava na praia, por que sabia que ia rolar um clima bem caliente. Durante o filme, eu já botava o pau para fora do short e ela não se fazia de rogada: metia sua boquinha gulosa em meu cacete ao mesmo tempo em que batia uma punhetinha gostosa em mim. Eu, por minha vez, levantava seu vestido ou saia e encontrava sempre uma calcinha minúscula, enfiadinha em seu reguinho, deixando à mostra aquele rabinho delicioso, que tanto me excitava. Enquanto ela chupava vorazmente a minha pica dura, eu aproveitava aquele momento de descuido e afastava sua calcinha, cutucando seu cuzinho com a pontinha do meu dedo. Introduzia, aos poucos, o dedo indicador inteiro em seu buraquinho e ela aceitava sem reclamar, gemendo bem baixinho. Para não deixar nenhum vestígio de gala no sofá, quando eu estava para gozar, ela sugava e engolia toda a minha porra quente. Depois daquele gozo fantástico, pedi que ela ficasse de quatro no chão da sala e baixasse a calcinha à altura das pernas já dobradas. Fiquei com a visão daquele cuzão maravilhoso se oferecendo para o mim. Pedi que ela enfiasse, em si mesma, o dedo indicador todinho em seu rabinho, enquanto eu batia novamente uma punheta, olhando aquele vai-vém gostoso em seu cuzinho rosinha e raspado. Cheguei a enfiar os meus dois polegares de uma só vez em seu cu. Ela me deixava completamente à vontade para explorar sua região anal. Os dedos, eu já tinha enfiado quase todos em sua bunda, então tive a idéia de enfiar alguns objetos no bumbum de minha ex-namorada. O primeiro objeto foi pequeno: um frasco de colírio. Tirei a tampinha e coloquei o frasco bem devagarinho e deixei somente a base de fora do seu cuzinho. Ela achou um pouco estranho, mas deixou. Depois coloquei um pequeno pedaço de plástico, parecia um vibradorzinho, roliço, em meu dedo e fiquei socando bem rápido em seu buraquinho, que já estava bem lacerado. Para terminar a sacanagem, chupei seu cuzinho gostoso e, quando ele estava molhadinho, desta vez enfiei os três dedos inteirinhos dentro do rabinho de minha namorada. Deixei de fora somente o polegar e o dedo mínimo. Michelly estava, então, com o cuzinho arrombado de tantos dedos que eu já tinha enfiado. Depois de tudo isso, não comer seu cu seria um pecado. Atolei toda a minha pica no rabo de Michelly e ela gritava feito uma puta no cia. Ela também curtia apanhar na cara enquanto estava sendo fodida por mim. Este foi mais um relato erótico. Publiquem e votem neste conto inédito. Até mais…   

ENCOCHEI A GATA NO ONIBUS E ROLOU UMA TRANSA

Encochada no ônibus….Hummmmm….. é sacanagem, mas que é bom, é. Qual o homem que nunca se esfregou em uma mulher dentro do ônibus cheio??? Tem aquelas que já te olha torto quando vc entra no ônibus, nessas, passe de costas e rápido, pode ser perigoso. Tem aquelas que não gostam, mas não tem reação, normalmente são japonesas ou aquelas garotas tímidas e estudiosas; sai fora também pô, é sacanagem. Finalmente tem as que liberam e até gostam, primeiro elas dão uma olhadinha pelo reflexo do vidro, se você for apresentável, tá liberado aproveite, afinal se considerarmos uma encochada como se fosse uma posição sexual, é muito bom, imagine só você e ela peladinhos, ela rebolando em seu pau e você acariciando seus seios e beijando sua nuca…. tesão né? A fantasia é essa, apenas fantasia, pois lembre-se, você está dentro de um ônibus, você e a garota vestidos, ela não te conhece e está cheio de gente a sua volta. Quando ela libera sua bundinha para ser encochada, sempre pinta uma dúvida: Será que ela está afins? Falo alguma coisa ou fico na minha? E a pior de todas: Será que ela está percebendo ou está viajando???? Comigo aconteceu algo muito legal, cheguei a transar com uma garota e tudo começou dentro de um ônibus como vou contar agora. Teve uma época da minha vida que trabalhava no centro da cidade e eu ia de ônibus; a principio, ia de carro mas certo dia percebi que os ônibus chegavam junto comigo até próximo a minha empresa, então decidi ir de ônibus, pois seria mais viável e aliviaria meu stress pois dirigir em sampa é um saco. Meu destino era o centro, saia aqui da Vila Sônia e descia lá no final da consolação. Na ida até que o ônibus ia vazio, mas na volta….tinha gente que ia pendurado até no pneu do ônibus. Bom nessas voltas do trabalho, certo dia, entrei no ônibus e me posicionei no meio dele, fiquei segurando naquele ferro que tem no encosto do banco e fiquei bem centralizado, quer dizer que fiquei com o pinto encostado no ferro onde a gente põe a mão, entendeu né? O transito estava um saco e a cada parada, entrava um monte de gente e durante um empurra empurra, surge do meu lado uma garota, com seus 29 ou 30 anos mais ou menos, pele branquinha, cabelos pretos e lisos, meio mestiça com japones, blusinha curta aparecendo a barriguinha, com um piercing no umbigo e uma calça bem apertada, enfim um tesão, as vezes eu inclinava um pouco para trás só para olhar sua bunda, que era um espetáculo, ainda mais visto de cima, descia aquela costinha deliciosa, depois aparecia a parte descoberta da blusa, que dava para ver uns pelinhos bem clarinhos e depois aquela bunda… que vontade de encochar que me deu, mas fiquei na minha. De tanto eu olhar sua bunda, ela percebeu, me esqueci do reflexo da janela, confesso que fiquei meio sem graça mas senti que ela se aproximou e se encostou em mim e segurou naquele ferro que eu segurava. A cada tranco que o ônibus dava, a mão dela ia encostando na minha, disfarçadamente, eu passava a mão no meu rosto e “sem querer” colocava minha mão sobre a dela, trocamos uns sorrisos sem graça e tive a brilhante idéia de me afastar um pouco e me segurar nos canos de cima, rapidamente ela colocou a mão bem de frente ao meu pau; não tive duvidas, no primeiro balanço do ônibus prensei a mão dela entre o cano e meu pau, ela nem ligou e meu pau que já dava sinal de vida, começou a ficar duro como rocha. Não tinha como ela não sentir, meu pau estava duríssimo e eu apertava a mão dela com força. Observei o movimento no ônibus e estava propicio: ao meu lado estava um casal, o cara estava meio de costas para mim, o pessoal sentado, tinha alguns dormindo, outros lendo, atrás, 2 jamantas italianas que não paravam de falar o tempo todo e ao lado da minha mestiça, uma mulher que não estava nem aí com o movimento, então fui me afastando e minha mesticinha que já estava grudadinha em mim, foi entrando na minha frente, seu espaço logo foi ocupado por uma das jamantas que estavam atrás da gente. Sua bundinha encaixou certinho na minha virilha, um bunda deliciosamente durinha, alta, não muito grande, minha virilha era mais larga, meu pau queria rasgar minha calça de tão duro, a principio ela não se movia, ficou totalmente imóvel, mas aos poucos foi se soltando, encostou-se toda em mim, as vezes ela debruçava como se fosse olhar algo na rua então eu até me abaixava um pouco, como se estivesse enfiando meu pau até o talo dentro de sua bocetinha, ela segurou-se nos canos de cima, e rebolava muito discretamente, eu coloquei minha mão sobre a dela e comecei a acaricia-la, ela abaixou sua mão e simulou que estava procurando algo no bolso de trás de sua calça e apertou meu pau com força tentando sentir o tamanho. Ficamos nessa brincadeira um tempão, pois do centro até a Vila Sonia com um transito pesado, demora mesmo. Desconfiei que ela até gozou pois uma hora senti sua respiração ofegante e ela simplesmente “deitou” em cima de mim. Quando estava quase chegando, disse-lhe baixinho em seu ouvido que iria descer e queria que ela viesse comigo para terminarmos. Fui na frente e ela veio atrás, descemos no bairro do Caxingui e mal viramos uma ruazinha agarrei-a e dei-lhe um beijo que foi prontamente correspondido. Ela me apertava com sua bocetinha e mesmo por cima da calça senti seu calor, peguei em sua mão e fomos descendo a rua a procura de um local escondido. No final da rua tem uma escola e apesar de ser época de férias, a escola estava aberta e percebemos umas pessoas em reunião em uma sala de aula, fomos até o pátio do colégio que estava escuro e de lá tínhamos visão total do colégio. Sentei-me em um banco e levantei sua blusinha e sultien, abocanhei seus seios e comecei a chupa-los. Eram deliciosos, com biquinhos rosados, durinhos meio empinadinhos para cima, minhas mãos acariciavam sua bocetinha por cima da calça mesmo, ela se contorcia de tesão e pedia para fode-la rápido, desabotoei sua calça ela debruçou sobre uma mesa ficando com sua bundinha maravilhosa para cima, abaixei minha calça e coloquei meu pau bem devagar, queria demorar para aproveitar o momento, sua bocetinha estava encharcada, meu pau deslizava dentro dela, puxava sua cintura para trás e ficava bombando bem lentamente, ela se ergueu e ficamos como estávamos dentro do ônibus, nesse momento ela começou a gemer e rebolar forte, estava gozando, retornou à posição anterior, agarrei forte em sua cintura, enfiei até o talo, ela gemia de tesão, me pediu para que gozasse em seu cuzinho, eu já estava quase explodindo, coloquei meu pau e fui enfiando, entrava sem dificuldade de tão melado que estava, ela colocou dois dedinhos em sua bocetinha e gemia de tesão, voltamos a posição do ônibus, estava encochando-a novamente só que com meu pau todinho enfiado em seu cuzinho, rebolava como louca, parecia que gozava o tempo todo, logo veio minha vez, agarrei forte em sua cintura e gozei, no primeiro jato, cheguei até a levanta-la do chão, vieram mais jatos, fazia tempo que não gozava tanto, meu esperma escorria em sua perna, lentamente fui soltando sua cintura, ela rebolava bem de leve agora e eu acompanhava seu movimento. Tirei meu pau de dentro dela, já amolecido, ficamos de frente para o outro e demos um longo beijo. Voltamos de mãos dadas até a avenida. Nos despedimos com outro longo beijo e ela entrou em um ônibus e foi embora. Depois disso nunca mais a vi e nunca mais rolou nada parecido. Encochar dentro de um ônibus é muito gostoso, mas quando a garota gosta, senão é mancada. Que tal uma encochadinha?????

5 ANOS TREPANDO…

POIS É, É BOM LEMBRAR QUE MINHA HISTÓRIA É REAL, SEM NENHUM FLOREAMENTO….MINHA ESPOSA E FILHOS FORAM PRA CASA DA MÃE, QUE FICAVA NOUTRA CIDADE, CERCA DE DUAS HORAS DE VIAGEM…FIQUEI SOZINHO NO NOSSO AP E QUANDO CHEGUEI NA SACADA, OLHANDO PRA BAIXO, VI UMA MULHER DESCONHECIDA, NO PÁTIO, COM UMA BUNDA DE FAZER INVEJA…NÃO RESISTI E DESCI…SENTEI-ME E FIQUEI APRECIANDO AQUELA LINDA BUNDA… FOI QUANDO UM VIZINHO CHEGOU PERTO DE MIM E COMEÇOU A CONVERSAR..MORAVA SOZINHO E ERA DIVORCIADO, CORONEL DO EXÉRCITO REFORMADO..CONVERSA VAI, CONVERSA VEM E ELE ME DISSE QUE NAQUELA NOITE IRIA A UM FORRÓ E ME CONVIDOU..SOZINHO, LOGO ACEITEI..E A NOITE PARTIMOS PARA O TAL FORRÓ… AO ENTRAR NO CLUBE, ME DEPAREI COM UMA MOCINHA, MULATA CLARA, QUE PARECIA ESTAR PROCURANDO ALGUÉM…CHEGUEI PERTO E PERGUNTEI PORQUE ELA ESTAVA ALI PARADA…ELA ME DISSE QUE TINHA SE PERDIDO DA IRMÃ…ELA, 18 ANOS… E APARENTEMENTE GOSTOSA…ENTÃO LHE FALEI, FICA COMIGO QUE NÓS VAMOS PROCURAR A SUA IRMÃ…DEMOS UMAS VOLTAS NO CLUBE, MUITO CHEIO DE GENTE, E NÃO ENCONTRAMOS A DITA IRMÃ…PERGUNTEI SEU NOME, ELA DISSE….DE…SA, NOME ESTRANHO, LHE FALEI, ENTÃO ELA ME MOSTROU SUA IDENTIDADE,,,REALMENTE ERA AQUELE MESMO NOME…NÃO DEMOROU MUITO E COMEÇAMOS A NOS BEIJAR. CADA BEIJO MELHOR QUE O OUTRO…ELA TINHA UNS LÁBIOS CARNUDOS E EU ME APAIXONEI POR ELES…DEPOIS DE CERCA MAIA HORA ELE PEDIU PARA IR AO BANHEIRO…E LÁ SE FOI….MARCAMOS DE NOS ENCONTRAR ONDE NOS ESTÁVAMOS…FIQUEI MAIS OU MENOS MEIA HORA E ELA NÃO VOLTOU…ACHO QUE SE PERDEU DE NOVO… POIS O CLUVBE ERA MUITO GRANDE E ESTAVA LOTADO….FIQUEI MEIO CHATEADO, E RESOLVI IR EMBORA…PASSARAM-SE MAIS OU MENOS UNS 15 DIAS E TIVE A MAIOR SURPRESA,,, ELA FOI ME VISITAR NO MEU ESCRITÓRIO…FALOU QUE PROCUROU POR MIM NO FORRO E SE PERDEU. NÃO ACHOU A IRMÃ E TAMBÉM FOI EMBORA…ME DISSE QUE SEUS PAIS MORAM NUM SITIO NO INTERIOR DO ESTADO..E MANDOU AS DUAS FILHAS ESTUDAREM NA CAPITAL, ALUGARAM UM PEQUENO AP., E INICIARAM OS ESTUDOS,,,,DISSE-ME TAMBÉM QUE PROCUROU NUMA LISTA TELEFONICA O MEU NOME WIL… E LIGOU PARA TODOS ATÉ ENCONTRAR UM WIL…ADVOGADO…ACHOU E VISITOU O MEU PRÉDIO, POR FORA, E PERGUNTOU AO PORTEIRO ONDE PODERIA ME ENCONTRAR, O PORTEIRO DEU O ENDEREÇO DO MEU ESCRITORIO….NESSE DIA NADA ACONTECEU…MAS, NO DIA SEGUINTE, LÁ ESTAVA ELA, ESPEROU TODOS MEUS FUNCIONÁRIOS IREM EMBORA E ALI MESMO NOS BEIJAMOS E TRANSAMOS…ELA PEGOU MEU PAU E COM MUITO CARINHO COMEÇOU A CHUPÁ-LO…PASSAVA SUAS MÃOS DELICADOS NELE TODO…E GOSEI…ENGOLIU TUDINHO, ATÉ A ÚLTIMA GOTA E ENGOLIU COM PRAZER… DESSE DIA EM DIANTE, NOS TORNAMOS AMANTES…VOLTA E MEIA ELA IA AO ESCRITÓRIO E OUTRAS VEZES NÓS ÍAMOS A MOTÉIS…COMI ELA DE TODOS OS JEITOS… O INTERSSANTE É QUE ELA ADORAVA VER MEU PAU ENTRAR E SAIR DE SUA BOCETINHA….ENTÃO, COMO SOU MUITO SAFADO. COMPREI UMA CANETA FILMADORA E FILMEI MUITAS VEZES AS NOSSAS FODAS, TANTO NO ESCRITÓRIO COMO NO MOTÉIS, ELA NUNCA SOUBE DISSO…SEMPRE ME DIZIA QUE GOSTARIA QUE EU ALUGASSE UM QUARTINHO PARA NÓS DOIS, E QUE QUANDO EU DORMISSE LÁ SEMPRE ACORDARIA COM ELA CHUPANDO MEU PAU…ELA ADORAVA MEU PAU…CHUPAVA COM MUITA DELICADEZA…UM CERTO DIA ME DISSE QUE TINHA UM VIZINHO DELA SOLTEIRO QUE GOSTARIA DE NAMORA-LA E CASAR COM ELA…EU DISSE, CASE, FLORZINHA….ELA CASOU, MAS, CONTINUOU A VIR AO MEU ESCRITÓRIO E MOTÉIS PARA FAZERMOS AMOR,,,…O INTERESSANTE DISSO TUDO É QUE ELA DEPOIS DE CASADA, QUANDO ÍAMOS TRANSAR ELA TIRAVA A ALIANÇA E COLOCAVA NA BOLSA… E NÃO MAIS ENGOLIA A MINHA PORRA – PERGUNTEI…PORQUE ISSO?   ELA DISSE QUE ERA RESPEITO AO MARIDO….   ESSE RELATO JÁ ESTÁ MUITO GRANDE, DEPOIS CONTO O RESTO, OK?

Exame Admissão

    Tudo começou quando fui contratado por multi-nacional um emprego o qual esperava muito estava muito feliz segunda-feira cedo fui fazer o exame admissional aqueles exames chatos no qual se tem um médico que nem olha na sua cara assina a ficha e blz, bom cheguei na clinica uma clinica bonita moderna mas vazia só tinha a atendente uma loirinha deliciosa muito gostosa ela estava de mini saia as vezes mostrava a calcinha só podia ser de propósito e eu ali secando as pernas maravilhosas imaginando dar uma chupada naqueles peitinhos meu pau estava duro e eu sem cueca ficava aquela barraca armada 22 cm e grosso, e para meu desespero ela me diz que era minha vez levanto todo atrapalhado com a mão no bolso para segurar o danado ela percebe e sorri entro na sala e dou de cara com uma médica maravilhosa um tesão de mulher ela devia ter uns 35 anos mas colocava muitas ninfetas no chinelo ela estava com vestido branco meio transparente e um jaléco e eu disfarçei e logo sentei meu pau que mau tinha amolecido voltou a se erguer e me mandou tirar os sapatos a camisa e deitar na maca ela se levantou tirou o jaléco e foi até o armário pegar o aparelho para medir a pressão ficando de costas para mim pude ver que ela usava uma calcinha enfiadinha, ai eu já não me aguentava mais me pau chegava a pulsar de tesão coloquei minhas mãos em cima do meu pau para tentar esconder o volume então ela veio em minha direção e pediu para esticar meu braço esquerdo ela começou a colocar o aparelho para medir a pressão ela deu uma abaixadinha e vi seus peitões ela estava sem sutiã nossa segurei firme meu pau com minha mão direita ai avho que ela notou e disse com um sorriso safado não precisa proteger que eu não te fazer nada então tirei a mão e deixei o mastro amostra ela viu e arregalou os olhos, e foi me examinando com estotoscópio e não tirava o olho da minha rola até que ela me pediu para ficar se cuecas eu disse que estava sem cuecas, não faz mal tire as calças não tenha vergonha eu fui tirando louco de tesão mas eu era inexperiente tinha acabado de completar 18 anos, ainda tinha dúvidas quais eram as pretensões da médica , fiquei peladão minha rola tava ali dura como uma rocha ela me mandou sentar na maca pegou com sua mão macia e quente em meu pau e falou nossa deve ter uns 22 cm e como é grosso do meu marido não chega nem perto ela começou a bater uma punheta e chegando com seu rosto maravilhoso uma pele branquinha parecendo um pessêgo seus olhos azuis ela solta seus cabeos longos loiros e começa a beijar a cabeçona do meu pau e a lamber e chupar a engolir com uma fome feroz ela chupa ela se levanta e começa a tirar o vestido a calcinha minúscula

VINTE ANOS COMENDO MINHA MÃE

          ‘Hereditariedade’ é uma palavras que me assusta porque a Medicina acredita que muitas doenças são hereditárias. Explico o porque da minha preocupação: meu pai aos 40 e poucos anos já não dava mais no couro e não havia o que resolvesse o ‘problema’ dele. Mamãe tentou de tudo, desde os vasodilatadores até as bebidas milagrosas, passando, claro, pelas simpatias e chás de alecrim e de raiz de catuaba. Nada adiantava porque meu velho não tinha mesmo era interesse na buceta de minha mãe. E de nenhuma outra mulher. Quem me contou o que acontecia foi Célia, minha irmã mais velha a quem minha mãe confiava essas questões. E Célia certo dia me fez a revelação, quando eu estava com 18 anos. Minha mãe (Marlene) estava então com 47 anos e era dessas mulheres bonitas sem precisar de artifícios e ajuda de salões de beleza que ela pouco frequentava. Ia só para cortar o cabelo e mais nada.          Meu pai, seu Agenor, tinha um comércio de material elétrico na cidade de 60 mil habitantes em que morávamos. Ele fazia parte da Associação Comercial do município, onde ia pelo menos três vezes por semana depois de fechar a loja. Minha mãe chegou a imaginar que ele tivesse uma amante, mas se enganou. Célia constatou que o velho ia mesmo às reuniões onde se discutia os problemas da cidade e política em geral. E só havia duas mulheres na associação, ambas comerciantes já beirando os setenta anos, solteironas e feias pra caramba. A verdade é uma só: seu Agenor não gostava da fruta. Mamãe teve paciência porque assim era seu marido e se conformou por algum tempo.          O problema é que minha mãe era, como eu disse, uma mulher bonita e gostosa que conservava um belo corpo, seios, coxas e a bunda maravilhosa. Estou falando isso porque cansei de bater punheta pensando no rabo da minha mãe. Engraçado era que, minha irmã, muito mais nova, nunca me despertara interesse. Já dona Marlene, minha mãe, mal imaginava que eu a cobiçava, assim como o vizinho seu Sílvio, homem casado que morava em frente de casa e que sabia os horários que minha mãe ia à padaria ou supermercado e sempre dava um jeito de cruzar com ela. A paquera era descarada. Sílvio era um homem até apresentável e minha mãe contou para Célia que chegou a pensar em ter um caso com ele porque estava na há meses sem saber o que era sexo. E havia ainda tio Antônio, irmão de meu pai e também casado, que chegou a convidar minha mãe para sair com ele. Minha mãe respondeu que se o cunhado insistisse contaria para a concunhada. Não culpo nenhum dos dois pelo assédio, muito pelo contrário, mamãe era irresistível.          Todos esses fatos me foram relatados por minha irmã e só serviram para aumentar ainda mais o desejo que eu tinha por minha mãe. Quando Célia casou e se mudou eu e minha mãe passamos a ficar mais tempo sozinhos e as ideias pululando na minha cabeça. Pouco a pouco fui me tornando mais afeiçoado a minha mãe, cheio de mãos e de carinhos. Ela devia achar que eu era um filho muito carinhoso e mal sabia que eu disfarçava e a soltava quando o pau endurecia. Aí eu corria para o meu quarto para me masturbar. Numa dessas ocasiões minha mãe entrou no meu quarto e me pegou batendo punheta, de olhos fechados pensando nela. Só percebi a presença dela quando mamãe disse: “Desculpe, Bruno. eu devia ter batido na porta antes de entrar”. Não consegui falar nada e ela só pediu para eu descer e tomar uma vitamina que ela havia preparado. Não tocamos no assunto nesse dia.          Meu tesão por minha mãe só aumentava e para ajudar estávamos no verão e mamãe gostava de usar aqueles vestidos leves e soltos. Eu em casa aguardando o resultado do vestibular que havia prestado em uma universidade numa cidade vizinha estava sempre rodeando minha mãe, abraçando-a por trás em abraços cada vez mais demorados. Mamãe não achava ruim, apenas, depois de um minuto eu colado a ela me dizia: “Bruno, tenho mais o que fazer, filho”. E procurava se soltar do meu abraço me empurrando com a bunda, por vezes até rebolando. Eu saía e ia direto para meu quarto punhetar.          Exatamente no dia em que recebi a notícia que havia passado em terceiro lugar no vestibular para Administração de Empresas foi que tudo que eu mais queria aconteceu. Corri para contar minha vitória para ela que me deu parabéns, um abraço e beijos nas faces. Retribui o abraço apertando minha mãe com força e beijando-lhe a testa, os olhos, o nariz, faces e várias vezes os lábios. Até tentei um beijo de verdade, de língua, mas mamãe não aceitou. Talvez até porque percebera meu pau duro encostando na barriga dela. Foi aí que tocou o telefone e era minha irmã que já sabia que eu havia sido aprovado no vestibular e ligara para minha mãe para cumprimentá-la. Ficaram conversando, minha mãe em pé e eu a abraçando por trás, com as mãos nos seus seios, beijando seu pescoço e com o pau duro encostado na sua bunda. Mamãe até tentou me empurrar, mas sem muita convicção e continuei a provocá-la, levantando seu vestido e colocando meu pau no meio das pernas dela. Minha mãe inventou uma desculpa e desligou o telefone. Se recompôs, sentou no sofá e me pediu para sentar também perto dela e me contou estas coisas:          — Bruno, seu pai não me procura, sabe. E faz tempo. E sou uma mulher normal, que tem desejos como todas as outras. Nunca o trai em respeito a ele, a você e a Célia. Esperei que viesse a menopausa para eu me acalmar, mas passada a menopausa eu sou a mesma mulher com os mesmos desejos. E de repente você, que já é um homem, começa a me provocar desse jeito. Vou lhe pedir para que pare com isso porque não é justo e não é direito. Mãe e filho é incesto, não é normal. Eu o amo como mãe e assim quero amá-lo.          — Mamãe – disse eu – há anos que fantasio com você. Para mim você é a mulher mais bonita que eu conheço. Namoro a Verinha e você sabe que nós transamos, mas até nessa hora eu penso em você. Penso que estou transando com você. Pode ser errado, mas eu sou louco por você, mãe.          Mamãe me abraçou e eu aproveitei para beijá-la, desta vez na boca. Ela não esboçou reação alguma e deixou minha língua se encontrar com a dela. Eu a levantei, ergui seu vestido e coloquei a mão em sua buceta, vendo que estava melada. Mamãe estava com vontade de foder. Puxei-a em direção ao quarto dela, tirei sua roupa, ela se deitou envergonhada, com o braço no rosto. Tirei a minha bermuda, abri suas pernas e, se é que pode haver respeito nesse momento, a penetrei. Mamãe deu um gemido enorme, gemido de prazer, bem alto mesmo. Depois outro e outro, me apertou contra ela e em menos de um minuto eu gozei dentro de minha mãe, enchendo sua buceta de porra. Ela, que já havia gozado, continuou no vai-e-vem gozando novamente. Depois se levantou, escondendo o rosto e foi ao banheiro.          Esperei na cama minha mãe voltar e quando ela saiu do banheiro com uma toalha eu a abracei, retirei a toalha, a beijei na boca, a deitei novamente e deitei ao seu lado. Mamãe em silêncio acariciou meu rosto. e logo meu pau endureceu e voltei a meter com ela, desta vez uma foda prolongada que fez minha mãe gozar três vezes até gozarmos juntos como verdadeiros amantes. Na noite desse dia meu pai, como de hábito, foi à Associação Comercial e pude foder minha mãe mais duas vezes, na cama deles e percebi que ela estava mesmo sedenta depois de tanto tempo sem um homem.          Eu e mamãe passamos a foder praticamente todos os dias. Chegamos a meter, em meu quarto, mesmo com me
u pai (velho corno) em casa, num fim de semana. Com o tempo e com jeito (gel) passei a comer o cu de minha mãe, que jamais havia dado o rabo para meu pai. E as nossas variações eram as mesmas de todo casal de amantes pois fazíamos até 69. Mamãe jamais contou que fodia comigo para minha irmã. Quando fui trabalhar numa grande empresa em outra cidade, ou mamãe ia até onde eu morava ou eu a visitava e metíamos com gosto ainda maior. Casei-me e quando meu pai faleceu retornei a nossa cidade para tocar a loja que fiz crescer um pouco, mas sem deixar de sempre visitar minha mãe sob os mais variados pretextos e meter com ela. Nunca ninguém suspeitou de nós.          Hoje, passados 20 anos, nossa relação incestuosa continua apesar de ser em ritmo menor. Mamãe envelheceu até que bem e está com 67 anos e muito gostosa ainda. Vou confessar a vocês leitores, que gosto de foder mais com minha mãe que com minha mulher. Só espero que agora, chegando aos 40 anos, eu não tenha o problema do meu pai e perca o tesão. Mas pelo jeito, enquanto mamãe viver isso não vai acontecer. Vou continuar comendo minha mãe até quando ela tiver oitenta anos ou mais.

DEI PARA UM DESCONHECIDO

NAQUELA NOITE NEM SEI PORQUE BRIGUEI COM MEU MARIDO QUE ME DEIXOU NA MÃO E MAIS PARA PROVOCAR DE MANHA ENQUANTO ME ARRUMAVA PARA SAIR COM ELE AINDA DEITADO COLOQUEI UMA DAS MINHAS MENORES CALCINHAS QUE DE TÃO MIUDINHA FICAVA QUASE TRANSPARENTE MOSTRANDO O ROSADO DE MINHA XOXOTA LISINHA MOSTRANDO O VEZINHO POR FICAR TODA ENTERRADA NA BUNDA E DE SALTO ALTO COBRI TUDO COM UM VESTIDINHO PRETO QUE TEIMAVA EM SUBIR QUANDO ANDO E QUANDO PUXO PARA BAIXO COLA NA BUNDA MARCANDO A MINUSCULA CALCINHA E SEM SUTIÃ COM OS MAMILOS DESTACANDO NO FINO TECIDO QUE TINHA TRABALHO PARA ESCONDER MEUS SEIOS SENTIA A CALCINHA MOLHADA PENSANDO QUE O CORNINHO NÃO ME DEIXARIA SAIR ASSIM E ENQUANTO RETOCAVA A MAQUIAGEM ELE LEVANTOU FAZENDO MEU CORPO FERVER PORQUE QUANDO ME PEGA JUDIA DEMAIS DE MIM, POREM PARA MINHA DECEPÇÃO NEM OLHOU PARA MIM INDO PARA O BANHO. COM UM RISINHO NOS LÁBIOS FUI EM DIREÇÃO AO BANHEIRO OUVINDO O BARULHO DO CHUVEIRO JÁ COM O TESÃO A FLOR DA PELE QUANDO SEU CELULAR CHAMOU E ATENDENDO ERA SUA SECRETARIA MANDANDO MENSAGEM PEDINDO QUE PRECISAVA DELE E COM SANGUE NOS OLHOS QUERENDO SABER O QUE AQUELA VADIA QUERIA COM MEU MARIDO NEM LEMBRO O QUE RESPONDI CHAMANDO ELA DE AMOR COM ELA SE ABRINDO TODA CHAMANDO ELE DE LOUCO AFIRMANDO QUE EU A MATARIA SE SOUBESSE DELES E ESCREVENDO COISAS QUE FARIA COM ELA QUANDO CHEGASSE NO ESCRITÓRIO PEDI QUE TOMASSE A INICIATIVA PORQUE GOSTO DE MULHERES MANDONAS E OUVINDO O CHUVEIRO DESLIGAR MANDEI BEIJOS AVISANDO QUE ESTAVA DE PICA DURA PARA ELA JOGUEI O CELULAR PELA JANELA E SAI NÃO SABENDO SE ME XINGAVA POR SER TÃO BURRA, OU MATAVA O FILHO DA PUTA E ENTRANDO EM MEU CARRO DIRIGI SEM RUMO PASSANDO DIRETO PELA CASA DE MAMÃE E ME DANDO CONTA ACABEI PEGANDO A ALÇA DE ACESSO DA RODOVIA SENDO QUE O RETORNO É NA CIDADE VIZINHA E ABRINDO OS VIDROS ACELEREI PISANDO FUNDO SENTINDO O VENTO ME DEIXANDO NUA E SENTINDO A LIBIDO A MIL COM AS BUZINADAS DOS CAMINHONEIROS QUANDO ME DEI CONTA PRECISAVA ABASTECER. MAIS QUE DEPRESSA ENTREI NAQUELE POSTO COM O RESTAURANTE AO FUNDO E ENQUANTO O RAPAZ QUE ME COMIA COM OS OLHOS CUIDAVA DE MEU CARRO RESOLVI COMPRAR ÁGUA SENDO A SENSAÇÃO DOS POUCOS TARADOS DE PLANTÃO FINGINDO NÃO VER ALGUNS DELES ME FILMANDO E NO RESTAURANTE ENQUANTO ESCOLHIA ALGO PARA O DESJEJUM JÁ COM A GARRAFA DE ÁGUA NA MÃO FUI ABORDADA POR UM SENHOR GORDO MAU ENCARADO QUE FALANDO GRACINHAS ME DEIXOU APAVORADA E AO MESMO TEMPO EXCITADA E MAIS QUE DEPRESSA TENCIONAVA SAIR DALI QUANDO ELE ME PUXOU PELOS CABELOS AVISANDO QUE SE GRITASSE IA ME MATAR DE PORRADA E ME FORÇANDO A ENTRAR NO BANHEIRO QUANDO OLHEI PARA AS CÂMARAS CHEGUEI A SUSPIRAR DE ALIVIO COM ELE AVISANDO QUE NÃO FUNCIONAVAM QUE MULHER CASADA QUE ANDA VESTIDA ASSIM GOSTA DE CHIFRAR O MARIDO OU ERA PUTA O QUE NEGUEI QUANDO ME PERGUNTOU E ENCOSTANDO NA PAREDE SEM SOLTAR MEUS CABELOS TIROU UM BELO CACETE QUE DAVA O DOBRO DO TAMANHO DO MEU MARIDO E MANDANDO ME CHUPAR COMECEI TIMIDAMENTE COM ELE FALANDO QUE SE MORDESSE ME MATARIA E TOMANDO GOSTO PELA COISA COM ELE ME INCENTIVANDO FALANDO QUE IA ME ENCHER DE PORRA E QUE MANDASSE MEU MARIDO CHUPAR MINHA BOCETA AFIRMEI COM A CABEÇA QUE SIM QUANDO PERGUNTOU SE MEU MARIDO ESTAVA POR ALI E AJOELHADA NAQUELE BANHEIRO ONDE QUEM ENTRASSE PODIA NOS VER CAPRICHEI NA CHUPETA COMO NUNCA CHUPEI MEU MARIDO TENCIONANDO FAZER AQUELE PORCO GOZAR LOGO POREM QUANDO GEMIA MORDENDO OS LÁBIOS MUDAVA O RITMO E JÁ COM A BOCA DORMENTE E GARGANTA DOENDO COM AS CABEÇADAS QUE LEVAVA ME MANDOU LEVANTAR QUASE RASGANDO MEU VESTIDO FICANDO ALUCINADO AO ME VER SOMENTE DE CALCINHA E ME JOGANDO PARECENDO ESTAR COM RAIVA ME CHAMANDO DE MADAME ME POSICIONOU APOIADA NA PIA E ANTES MESMO DE RECLAMAR MAIS POR ESTA SEM CAMISINHA ENTROU NUMA SÓ ESTOCADA EM MINHA BOCETA MELADA ME FAZENDO GEMER DESPUDORADAMENTE ENQUANTO OUTROS CARINHAS INCLUSIVE UMA SENHORA QUE FAZIA LIMPEZA DO LOCAL NOS FILMAVA E QUANDO OUTRO CARA QUIS ENTRAR NA BRINCADEIRA ELE NÃO DEIXOU AVISANDO QUE ERA SUA ESPOSINHA E ME MATANDO EM ORGASMOS AVASSALADORES ME FEZ ESTREMECER DE PRAZER ME MATANDO NUM PRAZER LOUCO E PREOCUPANTE QUANDO SEGUROU ME FIRME COM SUA PICA ATOLADA EM MEU ÚTERO ME ENCHENDO DE PORRA E ME LARGANDO FUI AO CHÃO LEVANTANDO A SEGUIR COM DIFICULDADE E CAMINHANDO PARA FORA DALI LEVEI VARIAS PASSADAS DE MÃOS E TAPAS NA BUNDA TENDO MINHA CALCINHA RASGADA QUANDO ARRANCARAM DE MIM E ME IMPONDO SENTINDO DEDOS DENTRO DE MINHA BOCETA MELADA ME RECOMPUS COMO DEU PAGUEI O SERVIÇO E SAI DALI NÃO SABENDO SE DIRIGIA PRESTAVA ATENÇÃO NO TRANSITO OU CHORAVA E ME RECOMPONDO INVADI ORAS DEPOIS O ESCRITÓRIO DE MEU MARIDO QUE DISSE NÃO PODER ME DAR ATENÇÃO PORQUE ESTAVA SEM SECRETARIA ME FAZENDO RI POR DENTRO MEIO QUE ARREPENDIDA QUANDO FALOU QUE SUA SECRETARIA FALTOU POUCO ESTUPRAR ELE NAQUELA MANHÃ NÃO TENDO OUTRA OPÇÃO SENÃO MANDA-LA EMBORA E AGARRANDO ELE NA FRENTE DE TODOS LEVEI ELE PARA O BANHEIRO E ME IMPONDO ENCOSTEI ELE NA PAREDE E ABOCANHEI SEU CACETE SEM IMPORTAR COM SEUS FUNCIONÁRIOS QUE POVOAVAM O LOCAL E ENQUANTO SENTIA A PORRA ESCORRER EM MINHAS PERNAS JUNTO COM MEU PRAZER ELE ME AGARROU ME LEVANDO PARA A COPA E TRANCANDO A PORTA ME CHAMANDO DE LOUCA ME JOGOU NO SOFÁ E ME VENDO DE PERNAS ABERTAS COM A BOCETA ESCANCARADA E MELADA VEIO COMO LOUCO PARA CIMA DE MIM NÃO SABENDO SE ME BEIJAVA OU CHUPAVA MEUS SEIOS COM OS DEDOS ATOLADOS EM MINHA BOCETA E QUANDO SE POSICIONOU PARA ME CHUPAR SEGUREI SUA CABEÇA E COMECEI A CHORAR COM ELE NÃO SABENDO SE PERGUNTAVA O QUE HOUVE OU OLHAVA EM MINHA BOCETA E QUANDO FALEI QUE TINHA SIDO ESTRUPADA ELE ARREGALOU OS OLHOS QUERENDO SABER EM DETALHES COMO FOI E ENQUANTO CONTAVA ENRIQUECENDO OS DETALHES SEMPRE ME COLOCANDO COMO VITIMA, DELIREI COM ELE PARECENDO QUERER COMER MINHA BOCETA ARRANCANDO A DE MIM E COM DIFICULDADE PARA FALAR E GOZAR DEPOIS QUE CHUPOU MINHA BOCETA ALUCINADAMENTE AO SABER QUE ERA PORRA DE MEU INVASOR ME COLOCOU DE QUATRO QUERENDO REPETIR O QUE CONTAVA O QUE O CARA FEZ COMIGO E ME DEIXANDO DOIDA DE TANTO ORGASMOS QUE ME DERA QUANDO ME ENCHEU DE PORRA DISSE QUE PRECISAVA REPETIR A DOSE SÓ QUE DESTA VEZ ELE ESTARIA POR PERTO.         

Prazeres Privados e Perversos – Parte 1

São quase seis horas da manhã, e Gisele, 20 anos, volta a pé pra casa, depois de uma longa e cansativa folia de carnaval. Usa um topzinho branco justo ainda um pouco molhado de suor, que deixa, além dos seios fartos ainda mais evidentes, as auréolas amarronzadas estampadas, e os bicos quase saltados sob o pano esgarçado; o shortinho jeans desabotoado e com o zíper parcialmente abaixado, um pouco puxado pra baixo por causa das virilhas inflamadas; uma sandália de salto alto estilo gladiador; prendendo os cabelos loiros, uma piranha colorida e, pra não dizer que nada remete ao carnaval, usa uma máscara preta com detalhes em dourado nos olhos.Com sede, entra numa padaria que acabara de abrir as portas e vai até o balcão. Pede uma garrafinha de água e a recebe com um tanto de má vontade por parte da atendente, que mira os seios de Yasmin displicentemente acomodados sobre o balcão, uma vez que ela, cansada, deixou o corpo se ajeitar sobre aquele espaço. Enquanto bebe, olha à sua volta e vê que o movimento é zero. Além da funcionária que não lhe tira os olhos, há apenas uma mulher de meia-idade no caixa.Com o sono começando a dar os primeiros sinais, fecha os olhos, e, de repente, ouve:-É um assalto! Mãos pro alto!Instintivamente, levanta as mãos, assim como as outras mulheres. Por causa do susto, Gisele leva a coisa a sério demais, e em vez de só dobrar os braços pra cima, os ergue, ainda que sem esticá-los, e na mesma hora percebe que um dos ladrões dá mais atenção pra ela do que pra mulher do caixa. Na verdade, pros seus seios…Tentando não se mexer muito, Gisele apenas movimenta os olhos pra baixo, e percebe que o tecido do top havia subido levemente e desnudado um pouco os seios. Quando retorna a olhar pro homem, ele a encara. Pensa em abaixar um pouco os braços, mas tem medo da reação do cara. Ele então olha em volta, pra se certificar que as outras mulheres estão cumprindo sua ordem, e designa ao outro, que está parado em uma das portas, pra que dê uma olhada no interior do estabelecimento.Quando o outro bandido percebe a moça, avança alguns passos na direção dela, mas ouve do parceiro:-Essa deixa que eu cuido.Parece ser o líder da dupla, porque o outro, apesar da hesitação momentânea, vai cumprir seu papel sem discutir. Num primeiro momento, com todas nervosas, ninguém se deu conta do que se passava com Gisele – ou com parte dos seus seios expostos. Mas depois que o cara disse que cuidaria dela pessoalmente, a jovem olha pra atendente, a mesma que não lhe tinha desgrudado os olhos desde que chegou e pediu a água, e ela lhe lança um olhar de “bem-feito”, como se estivesse sendo vingada pela afronta que aqueles seios sobre o balcão tinham lhe causado.Nisso o cara chega na frente de Gisele e faz um gesto, com a arma em punho, pra que ela levante mais os braços. Caralho, que puta vergonha, pensa e sente, hesitando um pouco, mas logo cumpre a ordem. O pano vai subindo, e parte das auréolas ficam expostas. Ele se afasta um pouco pra observar melhor, colocando a outra mão, que não está com o revólver, sobre a calça, apertando seu pênis. De rabo de olho a jovem percebe que a atendente esboça um sorrisinho de satisfação. Vaca, pensa.Então, esperando que não, mas sabendo que o que tá ruim sempre pode piorar, o cara se aproxima. Ela acha que ele vai tacar a mão em seus seios, mas o que ele faz é passar a pistola – uma pênis artificial, pra ele – pelos seios e, com o cano dela, levar o pano do top pra cima. Em poucos segundos, os bicos dos seios estão ali, longos e eretos, à mostra. Ele dá uma boa olhada, e ensaia um sorriso de canto de boca, cínico.Por medo, e também muita vergonha, Yasmin olha pra baixo, e então se dá conta de que tinha deixado o botão do shorts aberto, mas ainda sim preso por metade do zíper. A vergonha, então, se transforma em pavor, que logo é notado pelo cara quando ela, inconsequentemente, o olha com olhos arregalados, e novamente baixa o olhar pro shortinho. Ele leva a pistola em direção ao seu ventre, e desliza o cano pra baixo com alguma pressão. O zíper cede aos poucos, fazendo com que o jeans seja também deslocado. Em alguns segundos, a depilação bigodinho da vagina de Yasmin está exposta. Mesmo com tudo indicando o contrário, o cara para por aí.Então faz um sinal com a pistola pra que ela levante e se vire de costas pra ele. Caralho, vou me foder, pensa Gisele, meio que resignada. Fica de frente pra atendente, que morde os lábios. O cara então a encocha e puxa seu shortinho pra baixo, fazendo-o dobrar-se até o início das coxas, o que deixa suas nádegas expostas e, na parte da frente, apenas os grandes lábios cobertos. Tira seu pau de dentro da calça, já enrijecido, e o enfia com cuidado na bunda da jovem, que se deixa ser possuída sem relutar.Apesar do susto, apesar do medo e, principalmente da vergonha, Gisele começa a gostar da situação. Aquilo mexe com seus sentidos, e ela sente prazer a cada movimento que o bandido imprime no ato sexual. A cara da atendente percebendo a satisfação da outra, e ficando revoltada, é o que mais a estimula.O cara então a empurra até o caixa, ainda acoplado a ela, espremendo-a contra o balcão. Pela baixa altura do local onde se passam as compras, o ventre da jovem fica certeiramente exposto para a mulher, o que a deixa com uma cara de desprezo. Ele ordena que a mulher passe todo o dinheiro que tem no caixa, e ela obedece, mas quase sem tirar os olhos das partes íntimas da outra. Os movimentos mais intensos de vai e vem fazem Gisele soltar pequenos gemidos.Nesse momento o outro bandido, vindo de dentro e dizendo ter amarrado o padeiro, se aproxima, a pedido do líder, pra pegar o dinheiro recolhido do caixa. Vendo a cena, o cara também quer tirar sua casquinha, e em vez de pegar as cédulas, força a mão pra dentro do shorts dela, até conseguir chegar nos grandes lábios, pressionando-os. Então o líder tira seu pau de dentro de Gisele, jorrando a porra por suas nádegas, e a joga para o lado, se atracando com o parceiro. Quando a jovem cai no chão, e vê a arma de um deles do seu lado, nem pensa nas consequências, e rapidamente a pega e aponta-a para os dois:-Chega!, grita.Surpresos, os dois param na hora. Gisele ainda constata que o pau de seu estuprador ainda está em contrações, e o restante da porra escorre para o chão.-Atira! – ordena o líder, segurando seu motivo de orgulho: – Atira aqui!Mais assustada do que antes, Gisele olha pras outras mulheres. A do caixa só tem olhos pro ventre dela, e não está nem aí com a resolução da situação. A atendente segura seus próprios seios com força, como se quisesse esconder os atributos da outra, e tem um semblante de apreensão estampado no rosto. Sem saber o que fazer, a jovem, tremendo com a arma na mão, torna a olhar pros bandidos.-Puxa o gatilho – ri o parceiro do líder.Sem mais pensar, Gisele resolve fazer o que o bandido falou, e aperta o gatilho. Nada. A peça não se move.-É de brinquedo, gostosa. – afirma o líder.Gisele deixa a arma cair no chão, enquanto o parceiro do líder se levanta. Fodeu, vão vir pra cima de mim, pensa a jovem, e sem mais perder tempo, sai correndo pela rua. Apenas um dos caras vai atrás – o subordinado.A moça corre como pode, se equilibrando em sua sandália de salto alto pelas ruas e calçadas esburacadas. Pra sua sorte ou azar, não há movimento nas ruas por onde passa. Sorte porque, nesse momento, sua última preocupação é esconder suas partes íntimas – os seios, que balançam com força, a fazendo sentir dor, as nádegas lambuzadas do líquido viscoso e a vagina, semiexposta; azar porque não conseguirá fugir por muito tempo sem que alguém lhe socorra antes…Com o bandido a poucos metros de distância, acaba virando em uma rua sem saída. Porém, o muro ao fundo não é tão alto, e num impulso Gisele consegue agarrar-se ao topo e, numa agilidade que não julgava ter, logo põe o tronco pra cima. Não sem antes raspar seus seios, deixando marcas esbranquiçadas a princípio, que em pouco tempo se tornarão vergalhõ
es. Com a força e a pressão ao subir, o shortinho vai para o meio das coxas. Antes que possa subir completamente, o cara, em vez de segurar-lhe as pernas, agarra suas sandálias. As tiras logo cedem, arrebentando o calçado e o fazendo cair no chão. Ela, então, consegue passar uma das pernas por cima do muro, pro outro lado, mas não sem antes ter perdido o shortinho…Quando tenta colocar a outra perna pra cima, o bandido consegue agarrar-lhe o pé, puxando-a para si. Ela, por sua vez, faz força para o outro lado. Sua boceta, desprotegida em cima do muro de cimento, se ressente no movimento de vai e vêm, sendo raspada com tal intensidade que a dor torna-se cada vez maior e ela logo cede, deixando-se cair nos braços do cara. Ele, então, a senta no chão, encostada na parede, segurando-a pelos pulsos dos braços esticados pra cima. Abre o zíper de sua calça e coloca pau pra fora, ainda flácido.-Se você for bem gentil, eu te deixo em paz… – ri, sarcástico.Gisele então abre a boca, resignada, e o cara aproxima a genitália. Ela alterna entre estalinhos e chupadas na cabeça do pau, o que o faz erguer-se rapidamente. Em seguida, mete a boca com mais vontade, chupando em movimentos de vai e vem demorados. Fica assim por um bom tempo, até que o cara sente que vai gozar:-Gosta de leitinho quente, boneca?O primeiro jorro entra na boca da jovem, mas logo o cara tira o pau de sua boca e o aponta para o rosto de Gisele, lambuzando-a. Ela engole o líquido e passa a língua pelos lábidos, deixando o cara satisfeito.-Diz aí, você é puta, né não? – Ele guarda o pau nas calças, soltando os braços da jovem – E eu adoro uma puta…O cara então chuta a boceta de Gisele com força, fazendo-a se contrair de dor, e se afasta, indo embora. A jovem fica ali, deitada no chão com as mãos na genitália, nua e empapada de porra na boca, no rosto e nas nádegas, por algum tempo, quieta, quase imóvel.Se senta, tirando a máscara. Em seguida, o topzinho, o passando pelo rosto. É quase impossível remover aquela gosma completamente, e ela passa o pano, agora, com certa raiva, como se sentisse nojo do prazer que sentiu ao constatar que fora usada o tempo todo. E o pior: por dois desconhecidos, que usaram da força para invadir o seu corpo.Levanta-se, ficando de joelhos, e passa a parte ainda seca do paninho em suas nádegas. Em seguida, fica de pé e joga o pano grudento por sobre o muro, junto com a máscara. Pega o shortinho do chão e o desdobra com alguma dificuldade. Coloca-o, e constata que o zíper arrebentou. Para segurá-lo com mais firmeza, finca-o por entre a boceta e as nádegas. Ainda que seja uma solução provisória, o jeans cobre suas nádegas e pode usar uma das mãos pode ficar na frente, enquanto o outro braço cobre os seios, pensa. Olha para os lados, com um arrepio percorrendo-lhe a espinha – só agora, ao imaginar a melhor maneira de voltar pra casa sem ter suas partes íntimas mais uma vez expostas, é que se dá conta de que alguém poderia estar lhe observando. E realmente tem…Percebe, no último andar de um prédio pequeno de três andares, uma câmera apontada em sua direção. Não é possível identificar a pessoa na escuridão do cômodo, mas sabe que esse alguém certamente filmou todo o acontecido e, certamente, não hesitará em postar nas redes sociais. E se esse alguém a consegue identificar, e junto do vídeo expõe seu nome? Mais: e se esse alguém me conhece?… Preciso acabar com essa gravação, pensa. Mais uma vez, sem considerar as consequências, Gisele não hesita, e o resultado pode não corresponder ao seu objetivo.

Espertinhas

Noossa como é bom ficar mostrando o pinto pras garotas, outro dia não resisti acabei gozando pra caramba, estava dando uma volta de bicicleta em um bairro distante do meu, quando me deu uma puzta vontade de dar uma mijada, como estava perto de uma matinha escondida, com um córrego no meio, decidi aliviar-me ali, desci umas pedras com a bike nas costas me ajeitei e tirei o pau duro de vontade de mijar, tive que demorar um pouco até que amolecesse um pouco pra poder sair o xixi, quando percebi umas vozinhas uma dizendo à outra, psiu, fica quieta e olha, eu acho legal olhar. Que surpresa que tive, olhando de lado e de óculos escuros não puderam perceber que eu as tinha visto, duas meninas que deviam ser bem peraltas, escondidas atrás de umas folhagens, bonitas pra caramba, acho que eram de maior, olhando pra minha pica, que após a mijada, na chacoalhada voltou a ficar rija, eu fingindo não saber de nada fiquei chacoalhando bastante, dava pra ouvir os risinhos delas, claro que com o pau duro na mão e sabendo que estava sendo obsevado comecei uma punheta bem lenta, e fingindo não saber da presença delas me aproximei bastante das folhagens onde estavam para poderem ver bem de pertinho, as vezes batia punheta forte pro pau ficar mais duro, as vezes tirava a mõa da frente para poderem ficar olhando pro pau latejando perto de suas caras, mas claro que não aguentei, comecei a gozar jatos grossos de porra mesmo sem pegar no pinto, percebia elas se cutucando com os cotovelos e felizes da vida por verem essa cena. Depois disso me ajeitei de novo e fui saindo, topando com elas que assustaram, perguntei se fazia tempo que estavam ali, uma querendo rir, e a outra já foi respondendõ que não que acabavam de chegar. subi as pedras e saindo ainda pude vê-las agaixando para ver o leite no chão. Delícia…

EU , MINHA EX E O MARIDO DELA

O CANAL DOS CONTOS TRÁS PARA VC ESTE CONTO MARAVILHOSO , ENTRE DENTRO DESTA LINDA HISTÓRIA, VC PODE ESCOLHER EM SER , O EX MARIDO , O ATUAL MARIDO OU A ESPOSA ,BEM SOU O DENIS 52 ANOS , BR ,MAGRO 1,76M 78 KG , FUI CASADO COM A LELÊ POR 18 ANOS , ELA FEZ 41 ANOS , 1,67M , 60 KG , BR , CABELOS CASTANHOS E LONGOS , SRIOS GRANDES E RABO MÉDIO , COMPLETINHA FAZ TUDO , TIPO MAMA PAU E BOLAS , LAMBE O CUZINHO DO MACHO , TOMA LEITE , DA O CUZINHO A BUCETINHA , EXIGE SER CHUPADA BUCETINHA E CUZINHO , PEDE PRA GOZAR NO ROSTINHO , FAZ TD , AGORA ELA ESTA CASADA COM O JULIANO 48 ANOS , BR , 1,70M , 75 KG , BOM EU TIVE QUE RESOLVER ASSUNTOS PENDENTES DA SEPARAÇÃO E FUI CONVIDADO A IR NA CASA DELES O CARA NÃO QUERIA EU SOZINHO COM ELA , FUI LÁ E ME SENTI MEIO ESTRANHO VER MINHA EX COMPANHEIRA , ESPOSA POR 18 ANOS , SENTADA ALI NA MINHA FRENTE COM OUTRO MACHO , CARAMBA AMEI TANTO ELA E AGORA O CARA ABRAÇAVA E BEIJAVA NA MINHA FRENTE , CARALHO PARECE QUE O MARIDO DELA ATRAVÉS DOS CARINHOS NELA QUERIA DIZER , AGORA ELA TEM OUTRO DONO E SOU EU , ELA DE SHORT JEANS E BLUSINHA VALORIZANDO OS PEITOES , AS COXAS DE FORA , ELE AS VEZES TOCAVA AS COXAS DELA , BEIJAVA O LADO DO ROSTINHO LINDO , A ORELHA , A BOCA , E CONVERSAVAMOS , ELA COM UMA MÃO NA COXA DELE , EU ATENTO A TUDO MAS O TESÃO INVADIU MINHA MENTE , IMAGINANDO MINHA EX ESPOSA , ENTRANDO NA VARA DO AGORA MARIDO DELA , CARALHO , ONTEM ERA MINHA ESPOSA , AGORA ESPOSA DE OUTRO MACHO , TESÃO IMAGINAR QUE ELA FAZTUDO COM ELE O QUE ELA FAZIA COMIGO , ENTRE AS CONVERSAS VEIO A CERVEJA O PAPO O TEMPO PASSANDO ELA MANHOSA , DENGOSA , MEIGA BRINCAVA COM O MARIDO DELA , ELA EM PÉ DE COSTA O FDP COLOU ATRÁS DELA , ENCOXOU ELA NA VARA , ELA SÓ VIRAVA O ROSTO E BEIJAVA A BOCA DELA , AS BESTEIRAS , PUTARIAS , FORAM ME ENVOLVENDO , ELA JÁ TOCAVA EM MIM , EU CRIEI CORAGEM E A ABRACEI O MARIDO DELA A ABRAÇOU POR TRÁS, ACHO QUE A CERVEJA FEZ EFEITO , LOGO ELA BEIJAVA A BOCA DELE É BEIJAVA A MINHA , UMA LUTA DANADA EM CHUPAR A LINGUA DELA , ELA COLAVA A BOCA NA MINHA , EU SUGAVA A LINGUA DELA , ELE PUXAVA E COLAVA A DELE NA DELA ,   UMA PUTARIA MARAVILHOSA , ELA MASSAGEAVA A VARA DELE ,MASSAGEAVA A MINHA , TIRAMOS A ROUPA DELA DEIXAMOS ELA PELADINHA , PEITOS GRANDES , RABO MÉDIO , EU CHUPAVA UM PEITÃO, ELE O OUTRO É TIRAVAMOS NOSSAS ROUPAS , EU PELADO 18 CM DE PICA , MEDIA GROSSURA , ELE 16 CM GROSSÃO , COLOCAMOS ELA NA POSIÇAO FRANGA , EU CHUPAVA O CUZINHO DELA , ELE A BUCETINHA , TROCAVAMOS DE BURAQUINHO , ELA GEMIA ATÉ GOZOU NA NOSSA BOCA TOMAMOS O LEITE DELA , ELE PEDIU DEIXA EU CHUPAR VCS , DEITAMOS E ELA MAMOU MEU PAU O PAU DO MARIDO , MINHAS BOLAS , AS BOLAS DELE , UMA LOUCURA , ELA MAMAVA O PAU DELE EU NO CALOR DA EMOÇÃO , APALPEI AS BOLAS DELE , FALEI PRA ELA ESPERA AI , PEDI PRO MACHO DELA FICAR EM PÉ COM AS MÃOS NA PAREDE , ABRIR AS PERNAS , ELE FEZ ISSO AS BOLAS FICARAM LIVRES O PAU TB , EU E ELA POR BAIXO MAMAVA ELE , EU CHUPAVA UMA BOLA , ELA A OUTRA , ENQUANTO EU BATIA PUNHETA NO PAU GROSSO , DRIXAMOS ELE DOIDINHO , DEITAMOS ELE É COMEÇOU O TORMENTO DELE , ELA MAMAVA , EU TOMAVA A MAMADEIRA E MAMAVA , ELA PEDIA A MAMADEIRA EU SAIA ELA MAMAVA , ELE LOUCO DE TESÃO , REVESAMOS EM CHUPAR O PAU , ASBOLAS É O CUZINHO DELE , O MACHO GRITAVA DE TESÃO , ELE FALAVA VOU DAR LEITE PRA VCS , CARALHO , E GOZOU NA BOCA DELA , EU A BEIJEI TODA GOZADA , TOMAMOS O LEITE DELE , O FDP FALOU AMOR VEM JUDIAR DESTE SADADO É OS 2 COMEÇARAM A ME MAMAR PAU E BOLAS , MAS ESTE FDP ENFIAVA A LINGUA DENTRO DO MEU CUZINHO ENQUANTO ELA ME MAMAVA PAU E BOLAS ,CARALHO GOZEI NA BOCA DELA , ELES SE BEIJARAM TOMANDO MEU LEITE , FOI UMA NOITE MALUCA , NUNCA IMAGINEI ISSO MAS FICAMOS SÓ NAS CHUPADAS DE PAU , BOLAS , PEITOS , LINGUA , MAMILOS , CUZINHOS E BUCETA , COM LINDAS GOZADAS E TOMADAS DE LEITE , ACONTECEU NO INTERIOS DE SP .LEIA OS CONTOS DESTE CANAL

ENRABADO PELO DEFICIENTE

Olá,tenho 19 anos e moro no RECIFE/PE,nunca fui afeminado mas sempre tive tesão quando eu pensava em dar meu rabinho e chupar uma pica,eu tinha um pouco de receio por ser enrabado pois tinha medo que doesse muito mas se a oportuni-dade aparecesse eu aceitaria,então ela apareceu.Fui a casa deum amigo de faculdade fazer um trabalho,chegando lá ele não estava,quem estava era o seu irmão ,o márcio,tinha uns 32 anos e estava numa cadeira de rodas pois perdeu uma perna em um acidente de moto,eu conhecia márcio antes do acidente mas não tinha tanta intimidade com ele mas sempre falava com seu irmão.márcio tinha fama de garanhão e enrabador,fiz o trabalho no computador e fiquei conversando com márcio,o cara era muito safado,dizia que quando pegasse uma bundinha de novo iria devora-la com força e gozar muito,percebi que seriaminha oportunidade,márcio me convidou para assistir uns filmes pornô,eram filmes de sexo anal,seu irmão ia demorar a chegar e seus pais estavam no interior,márcio e eu se excitavamos com o filme de sexo anal,márcio dizia que não fazia sexo há 2 anos desde o acidente,que não via a hora de enrabar de novo alguém,márcio então brincou comigo,disseme dá sua bundinha!!!!,meu coração disparou,levei a sério e disse que sim,o pau de márcio explodiu embaixo da calça,rapidamente preparei-me para meu 1º boquete,me ajoelhei na cadeira de rodas e arregaçei sua cueca,cai de boca naquele orgão de carne e nervos,márcio gemia muito,por ser a minha 1ª vez eu estava um pouco desajeitado,tentava engolir tudo,márcio comandava um boquete quente e voraz,mordia e lambia suas bolas ele foi a loucura e de repente explodiu no gozo,encheu minha boca de mel cremoso e quente,gozou muito estava a muito tempo sem sexo,lambuzou meu rosto de creme,engoli o que pude,márcio queria minha bundinha,o filme mostrva uma enrabada,o que deixou ele mas excitado,ajudeio a vir para cama pois estavamos no seu quarto,ele era desajeitado,eraengraçado ver aquele homem sem uma perna tentando meenrabar,tinha um pau de aproximadamente 23cm,colocou um travesseiro e me abraçou por trás,forçou muito,comodoía,peguei um creme e lambuzei seu pau,ele então me penetrou,gitei muito,mas estava delicioso,minha primeiraenrabada era linda!!!!! márcio aos poucos estava todo meti-do dentro de mim,ele sabia como comer uma bunda,fodia forte mas vagarosamente,seu pau pulsava dentro de mim,minha barriguinha tremia,márcio babava de prazer,comoele salivava,já fazia uns 15 minutos de foda intensa e nadade ele gozar,resolvi começar a rebolar,movimentando meuquadril de um lado para o outro,o deficiente enlouqueceumeteu mais vigorosamente,queria enfiar até as bolas,elasbatiam no meu bumbum,márcio gemeu diferente e se contorceu,gozou,senti os jatos quentes,era uma verdadeira mangueira de sêmen,estava lambuzado por dentro,ficou engatado em mim por uns 10 minutos,depois fui emborapara casa gozado e feliz,minha bunda doía um pouco,já faz 6 meses disso, nunca mas dei,mas tenho uma vontade imensa de ser enrabado de novo,SE VCÉ DO RECIFE OU PROXIMIDADES E QUER COMER UMA BUNDINHA CARNUDA E MACIA VEM ME ENRABAR!!!!!!NÃO SOU AFEMINADO,SÓ QUERO SUA PICA.                                

UM CARA FUDEU MINHA COMADRE NA ESTRADA DO SITIO

A MINHA COMADRE TEM 44 ANOS , SE CHAMA VANIA , ELA ESTAVA SEPARADA E MORANDO COM OS PAIS DELA , UMA LOIRA , CABELOS CURTOS   1,70M DE ALTURA , 85 KG , MEIO QUE GORDINHA , PEITOS ENORMES E CUZÃO MESMO , SAFADA PRA CARALHO , MAS UMA SAFADA QUE RESPEITA A GENTE , DIGO SAFADA PORQUE ELA ADORA FUDER ,USA ÓCULOS , ELA MORA NO SITIO COM OS PAIS DELA , ELA NAVEGA NA NET EM SITE DE RELACIONAMENTOS E CONTA PRA MINHA ESPOSA AS TRAPALHADAS , ELA DISSE QUE NAVEGAVA PELO SITE AS 23 HS , QUE ELA ESTAVA COM MUITO TESÃO, LOUCA PRA MAMAR UM PAU E BOLAS E DAR A BUCETA E O CUZINHO ENTÃO CONHECEU UM CARA DE 40 ANOS , CASADO , MORA NA CIDADE PRÓXIMA ,NAQUELE MOMENTO O CARA DISSE QUE ESTAVA DOIDO PRA FUDER , FOI ENTÃO QUE ELA DISSE PRA ELE QUE ESTAVA LOUCA PRA DAR , O CARA FALOU Q DARIA UMA SAÍDA E A ENCONTRARIA , ELA TOPOU , FOI LOUCURA POIS 2 DESCONHECIDOS , MARCARAM NA ESTRADA DE TERRA A 3 KM DA CASA DELA , ELA TOMOU UM BANHO RÁPIDO VESTIU UM VESTIDO , UM FIO E FOI NO SEU CARRO ATÉ A ESTRADA , LOGO ENCOSTOU UM CARRO , ERA O JOSENILDO DE 40 ANOS CASADO , MORENO CLARO , DESCEU DO CARRO DELE E ENTROU NO DELA , DEU UNS BEIJOS NELA , AS MÃOS ENFIAVA POR BAIXO DO VESTIDO , O CARA DE SHORT , PAU DURO , LOUCO PRA FUDER ELA , ELE A BEIJAVA MUITO , ELA BEIJANDO O MACHO , ELE TIROU TIROU O SHORT E O ELA DISSE QUE O PAU DO CARA ERA GROSSÃO , PAU PRA FORA ELA PUNHETAVA É MASSAGEAVA AS BOLAS , ELE TIROU O VESTIDO DELA DEIXOU ELA SÓ DE FIO , FIO SOCADO , ELA MAMOU O CACETE É AS BOLAS , ELE LAMBENDO ENTRE AS COXAS DELA , ATÉ QUE CONSEGUIU CHUPAR A BUCETA DELA , DEITARAM O BANCO DO PASSAGEIRO ELA SENTOU NO PAU DELE E CAVALGAVA GEMENDO, MINHA COMADRE FALOU QUE SUBIA É DESCIA NA VARA GROSSA , ELA DISSE QUE O CARRO BALANÇAVA E O CARA GRUDADO NELA ELA ELA FALOU QUE ESTAVA COM TANTO TESÃO QUE MORDIA OS LÁBIOS DO CARA , ELE DIZIA PARA VC VAI ME MARCAR SUA CADÉLA , ELA DISSE QUE NA ESCURIDÃO DA NOITE SUA BUCETINHA ERA DEVORADA POR AQUELE DESCONHECIDO , ELA GOZOU NO PAU DO CARA ELE ENCHEU A BUCETINHA DE PORRA , ALÉM DE TUDO AINDA COMEU O CUZINHO DA COMADRE , ELE SE DESPEDIU E FOI EMBORA , PERGUNTADO DEPOIS SOBRE ESTE CARA ELA DISSE A MINHA ESPOSA QUE NÃO O VIU MAIS , MAS QUE O TIO DELA IRMÃO DA MÃE DELA ESTAVA TENTANDO FUDER COM ELA , ELE É UM COROA JÁ DE UNS 60 ANOS , ESTE COROA COMEU A IRMÃ DA MINHA COMADRE , ESTE COROA EU FUI NA CASA DELAS E VI ELE NO PC DA OUTRA BATENDO PUNHETA PRA ELA.

Homenagem à Camila!!!

Este conto é dedicado a Camila. Chegue no Rio para um seminário sem saber se poderia vê-la. A conhecia pela internet, e não sabia o que esperar. De certo que as fotos por ela mandadas me indicavam que era uma ninfeta muito gostosa. Morena, seios médios, cintura fina, bunda apetitosa e um olhar de menina inocente que me deixava louco. Liguei para ela e ela não estava. Falei com sua mãe e não deixei recado. Ela sabia o hotel que eu ficaria. Mandei um e-mail para ela indicando o n. do quarto do hotel que eu estava e fui para o congresso. O pessoal todo foi a um barzinho depois, mas eu voltei. Estava ansioso. Camila tinha deixado um recado na portaria. Tinha passado lá fazia 10 minutos. Deixou uma foto vestida de sainha e top. Dava para ver os bicos de seus mamilos furando o top. Passei a noite pensando nela. Dia seguinte era um sábado e tive a grata surpresa de encontra-la no saguão do hotel. Estava linda. Sainha e top. Rosto de menina. 16 aninhos… desisti do seminário. Fomos andar pela praia de Ipanema e ela andava rebolando e me provocando. Falava com uma voz sensual e me olhava nos olhos de um jeito encantador. Eu não aquentava mais. Tinha que ter aquela ninfeta. Chamei-a para o hotel e ela recusou. Sabia que eu estava ansioso e me provocava. Aquela garota, de 16 aninhos controlava um homem de 28 anos. Claro que voltamos para o hotel. Mas fomos almoçar. Fomos almoçar no hotel e ela me tratava como se eu fosse seu tio. Pediu sorvete de sobremesa e me provocou tomando bem devagar, lambendo a colher, e fazendo uma carinha, ora de inocente, ora de vadia. Acabamos de almoçar e subimos. A tortura tinha que acabar. Mal fechei a porta e agarrei ela. Não conseguia pensar em nada. Só em come-la. Camilinha sabia que eu estaria descontrolado. Comecei a beija-la de maneira animalesca. Nos devorávamos com uma intensidade única. Arranquei seu top e passei a chupar com força aqueles seios que eram objeto do meu desejo. Ela ainda tentou fazer um doce para me provocar e ganhou um tapa no rosto. Caiu na cama e eu arranquei sua saia. Ela estava sem calcinha. Começei a chupar seu corpinho todo. A menina inocente já não estava lá. Mas sim uma mulher experiente que segurava minha cabeça enquanto eu chupava sua pombinha raspada. Ela gozou na minha boca. Um orgasmo forte e longo. Nunca tinha visto ninguém gozar daquele jeito. Ela estava meio mole e eu ainda colocava meu dedo em seu cuzinho. Peguei um tudo ce KY e passei a massagear seu cuzinho e chupar seu grelinho. Ela se contorcia toda e pedia para eu meter nela. Dei outro tapa na cara dela e ela gemeu forte. Acho que gozou de novo. Coloquei ela de bruços vesti uma camisinha e comecei a forçar meu pau naquele rabinho. Que apertado. Ela disse que adorava dar o rabo, mas não parecia. Ela pediu para eu ir com calma e levou um tapão na bunda. Passei mais um pouco de KY e forcei mais. A cabeça entrou. E eu fui colocando mais. Ela gritava bastante. Eu metia naquele rabinho com força e ela suspirava. Lagrimas escoriam de seus belos olhos. Um gemido forte e ela gozou. Gozou junto comigo. Nunca tinha gozado assim na minha vida. Abracei a Camila e ficamos nos beijamos. Fomos para o chuveiro e lá recebi o melhor boquete da minha vida. Chupava forte. Lambia meu saco. Depois sugava minha glande. Como uma menina daquela idade conseguia colocar meu pau inteiro na boca? Enchi aquela boquinha de porra. Segurei a cabeça dela e ela engoliu tudo. Meu segundo orgasmo forte. Voltamos para para a cama e que voltei a tocar aquela bucetinha raspada. Meu e ela veio por cima para fazer um 69. Mas a safada só queria deixar meu pau mais duro. Quando ela ia sentar nele eu mandei que colocasse a camisinha com a boca. Supresa, mas excitada ela colocou e ainda chupou mais um pouco. Foi sentando devagar. Sua coninha era bem apertada. Começou a me cavalgar e apertar meu pau com a buceta. Em poucos minutos ela já subia e descia com fúria. Demorei muito a gozar e acho que ela gozou uma duas vezes. Quando eu ia gozar pedi para ela sair de cima. Gozei no rostinho dela. Ela, gulosa, puxava a possa com o dedo e engolia tudo. Sem dúvida uma tarde inesquecível. Camilinha foi a melhor transa da minha vida.

O COROA TOMOU VIAGRA E ME COMEU O CUZINHO

BEM SOU A PROFESSORA IDALENA TENHO 45 ANOS SEMPRE FUI MUITTO LEVADA , MAS O QUE VOU CONTAR AGORA É UMA COISA QE FIZ SEM PENSAR MUITO , TENHO 1,67 M , 63 KG , BR , BUNDA MÉDIA E SEIOS MÉDIOS , NÃO SOU GORDA SOU GOSTOSA , CABELOS CURTOS CACHEADOS , VOU DE ONIBUS PARA O TRABALHO , EU ESTAVA NO PONTO E UMA CAMINHONETE COMEÇOU A DAR VOLTAS E PASSAR NO PONTO ESTAVAMOS EM 3 MULHERES LOGO VEIO O ONIBUS DAS OUTRAS DUAS E EU FIQUEI ALI SÓZINHA , PERCEBI QUE ERA UM COROA DE UNS 60 ANOS E ELE PAROU E ME DISSE QUER CARONA , EU NEM OLHEI ELE FOI DEU A VOLTA NO QUARTEIRÃO E RETORNOU , FALOU TE LEVO ONDE VC FOR EU ESTAVA COM UM TESÃO ENORME , DECIDI E FALEI SÉRIO ELE DISSE SIM , ENTREI NA CAMINHONETE E FUI , EU DE VESTIDO E SALTO POIS VOU DAR AULAS CHIQUE MESMO , MAS MINHA BUCETA ESTAVA PEGANDO FOGO , ELE FOI CONVERSANDO , DISSE SER EMPRESÁRIO E FOI DESVIANDO O CAMINHO E ME CHAMOU AO MOTEL EU FIZ CUZINHO DOCE MAS ACEITEI , ELE FOI EM UM MOTEL DA CIDADE , MUITO CHIQUE , UM QUARTO COM TUDO ATÉ CADEIRA ERÓTICA , COM AMARRADOR DE PUNHOS E CANELAS , CHEGANDO LÁ ELE , JA FOI ME ABRAÇANDO E ME BEIJANDO , TIROU DO BOLSO UM VIAGRA E TOMOU , FOI ERGUENDO MEU VESTIDO ME DEIXANDO DE BUNDA E BUCETA DE FORA , ME DEIXOU SÓ DE FIO , SUTIEN E SALTO , O COROA SAFADO ME BEIJAVA E COMECEI A PEGAR NO PAU DELE POR CIMA DA CALÇA O NEGÓCIO COMEÇOU A CRESCER , ELE FOI SE DESPINDO ENTÃO EU VI A POTENCIA DO VIAGRA O CACETE DELE ESTAVA FEITO PEDRA , ELE PELADÃO COM O CACETE DURO , MAS ME LEVOU NA CADEIRA , PRENDEU MINHAS MÃOS E MEUS PÉS , A CADEIRA GIRAVA , ME DEIXAVA DE BUCETA PRA CIMA , QUANDO GIRAVA ME DEIXAVA DE CUZINHO PRA CIMA , ELE FOI GIRANDO CHUPAVA MINHA BUCETA , GIRAVA CHUPAVA MEU CUZINHO, GIRAVA E MAMAVA MEUS PEITOS BEIJAVA MINHA BOCA , GIRAVA E ME DEIXAVA DE BOCA NO CACETE , EU CHUPAVA O CACETE E AS BOLAS DELE QUE FICAVAM TODAS BABADAS , AS VEIAS DO PAU PARECIAM QUE IAM ESTOURAR , NUNCA DEI PRA UM CARA QUE TOMOU VIAGRA , MAS VI QUE ESTE FATO É MESMO MALUCO ,ELE ME VIROU DE BUCETA PRA CIMA CHUPOU , VEIO DE BUNDA VIRADA PRA MIM E COLOCOU O PAUZÃO NA MINHA BUCETA QUE SENTI AS BOLAS BATER EMBAIXO , ME FUDEU NESSA POSIÇÃO DEPOIS ME VIROU DE CUZINHO PRA CIMA EU FALEI NO CU NÃO , MAS ELE COMEÇOU A CHUPAR MEU CUZINHO E FALAR VOU COMER SEU CUZINHO EU IMPLOREI QUE NÃO POIS NUNCA HAVIA DADO O CUZINHO , ELE PEGOU GEL E PASSOU , EU DISSE VOU GRITAR , MAS ELE COLOCOU O CACETE NA PORTA DO CUZINHO E FOI COLOCANDO EU RECLAMAVA ELE ME DEU UMA TOLHA E DISSE MORDE ELA SE FOR GRITAR EU FIZ ISSO , NOSSA SENTI A VARA ENTRAR RASGANDO MEU CUZINHO , DEVAGARINHO ELE COLOCOU ATÉ AS BOLAS BATER NA BUNDA , MUITA DOR EU CHOREI , MAS ELE FALAVA AGUENTA FIRME VAI PASSAR , FOI DURO EU AMARRADA SENDO COMIDA O CUZINHO VIRGEM DOEU MUITO MESMO , MAS DEPOIS ELE TIROU DO CUZINHO FOI NO BANHEIRO LAVOU , VOLTOU E ME COMEU A BUCETA ME FEZ GOZAR , MAS ELE QUERIA AR NO CUZINHO MESMO SANGRANDO E ENFIOU NO MEU CUZINHO GOZOU DENTRO DO CU SAFADO FDP, FICOU ALI SENTADO E EU AMARRADA , PEDI ME SOLTA E ELE NÃO SOLTOU , DEPOIS DE 20 MINUTOS VOLTOU COMEU MEU CUZINHO OUTRA VEZ EU ESTAVA COM MEDO JÁ AMARRADA , MAS ELE DIZIA FICA CALMA , CANSOU DE FUDER DEITOU E DESCANSOU MAIS UM POUCO LAVOU O CACETE VEIO E COLOCOU NA MINHA BOCA , MAMEI POIS NÃO AMOLECIA MESMO , FOI ENTÃO QUE MAIS UMA VEZ ELE ME COMEU O CUZINHO , GOZOU DENTRO DO MEU CUZINHO E ENTÃO ME SOLTOU , NEM FUI TRABALHAR , MEU CUZINHO FICOU DOENDO POR 5 DIAS ,ESTOU SAINDO COM ELE , MAS ELE É VICIADO NO MEU CUZINHO.

acaso

A vida é feita de pedaços do acaso. E foi no acaso da vida que o acontecer do tudo , aconteceu numa tarde fria de abril.Passeava pelas ruas de Belo Horizonte, quando uma mulher de cabelos ebúrneo, olhar languido,corpo bem feito, estava olhando uma vitrine.

Comendo a noiva do sócio..

Olá,meu nome é Cassio,tenho 25 anos,1.84,80kg,cabelos e olhos castanhos…!!Desde os meus 20 anos tenho uma sociedade com um amigo meu..amigos desses de infância..sociedade de uma loja de roupas e sapatos.

Meu aluno sempre teve o que queria…

Tenho um aluno, o Aléx. Eu sempre achei que ele tinha um jeitinho de viado mas nunca tinha passado de suspeitas, até que certo dia ele me ligou e perguntou se tinha como dar uma passada na casa dele, pois achava que o computador tinha pego um vírus.

Mae e filha

Eu tive a experiência sexual mais fascinante da minha vida com uma jovem de 17 anos, que trazia consigo a essência do prazer. Como já revelei em outrs ocasiões, vivia um período de intensa liberdade, transando com homens e mulheres, para recuperar o tempo perdido do fiel casamento. Na realidade, havia sido seduzida pela mãe dela, lésbica assumida e que me proporcionou bons momentos, porém o seu espírito masculino rompia àquela expectativa de encontrar no mesmo sexo a compreensão a minhas necessidades. Ela queria me penetrar como uma vadia. No início, foi até bom, entretanto, com o passar do tempo aquilo me incomodava.

beijo com porragozou na picamulher com 2 bucetastesao de vizinhaandrea fudendomadrasta comendo enteadorelatos casadoscontos cornos e traiçaopinto de borracha 30cmbunda marcadacontos por categoriafigurinha de cornocasa dos contos eroticocontos eroticos com videoscu na marrafesta transexcomendo a minha maegarotos de pau molegordinha cornosexo com psicologacomeu o cu da mãequarentona safadacasada traipimenta no cu dos outrosdo no postecasadosconrosminha esposa adora dar o cucomendo a minha maeesposa adora dar o cufudendo a propria maevovô dotadomae gostosa do meu amigoesposa com amigacontos eróticos com imagenschupando o pedreiroesposa gordinhasonhar com cachorro cruzandocomendo o cu do casalgordinhasafadasecretaria safadawww casadoscontoschupando pau pela primeira vezmaridos cuckoldvou fazer voce gozargozando no pau do machobuceta da sobrinhawww casadoscontos com brcasada que traiesposas trepandocontos eroticos com videosmenage com dois homenspastor roludobunda de velhoesposa fazendo sexomaldito o homem que confiafudendo a mamãetransei com meu tiocomeu minha mulhercasadoscontos era culpa e da bebidagozei na ruabocetinha lindao que fistingvelho comedor2 gostosascomendo a mulher do policialcasadoscintosbombeiros gostososbuceta gosadacaricias nos seiosfilmei minha esposacomo saber se sou cornoprimeira vez no swingcomendo a irma mais velhacasa de massagem em maceiócavalo pata peludadentista safada