5 ANOS TREPANDO – CONTINUAÇÃO

POIS BEM, ALÉM DE ESTAR COM ELA, SEMPRE TINHA OUTRAS AMANTES…DURANTE O NOSSO MAMORO, TINHA OUTROS, TAIS COMO, A MULHER DE UM PREFEITO DO INTERIOR, A MULHER DE UM JUIZ DE DIREITO, E UMA VIZINHA….TINHA QUE CUMPRIR MINHA OBRIGAÇÃO COM TODAS E INCUSIVE COM MINHA ESPOSA….. ENTÃO, MINHA MULHER EM OUTRA VIAGEM, , NÃO SEI COMO, PEGOU A O DVD QUE EU TINHA GRAVADO AS FODAS COM A DE ….SA….LEVOU PARA A CASA DA MÃE, SEM SABER O CONTIDO NO DVD…QUE EU TINHA ESCRITO…FAMÍLIA, PARA NÃO CHAMAR ATENÇÃO….MINHA ESPOSA, ENTÃO, NUMA FESTA DE FAMILIA, RESOLVEU MOSTRAR O TAL DVD….E TODOS REUNIDOS, NUMA SALA VIRAM, EU COMENDO A DE…SA… MINHA ESPOSA FICOU LOUCA E VOLTANDO PARA CASA.INICIOU UMA BRIGA DANADA.E ME EXPULSOU DE CASA…EU NÃO QUIZ REAGIR, PORQUE ESTAVA ERRADO…TODOS DA FAMILIA DELA LHE DIZIAM, DEIXE ESSE FDP…MULHERENGO, SAFADO…E ASSIM ELA FEZ… FUI MORAR NO ESCRITORIO…CONTINUEI COM TODOS OS MEUS ROMANCES E INCLUSIVE CONHECI UMA ENFERMEIRA, LINDA, ALTA, MORENA CLARA…DEOLHOS VERDES…, COM APENAS 25 ANOS..MAS TINHA DOIS FILHOS…. E COMECEI NOVO IDILIO COM ELA…ME APRESENTOU A SUA FAMILIA,, E NOME ELA ERA DA,,,,,ELLE….FUDI MUITO AQUELA BOCETA E ELA ME CHUPOU POR INUMERAS VEZES…TAMBÉM ADORAVA TOMAR O MEU LEITINHO…. FIQUEI COM ESSA CERCA DE UMA ANO…ATÉ QUE IA CASAR COM ELA MESMO, ATÉ QUE COLOQUEI NO MEU MICRO QUE FICARIA NOIVO, MINHA ESPOSA TALVEZ FICOU COM CIUMES E ME CHAMOU PARA UMA CONVERSA…NÃO MINTO ADORAVA MINHA ESPOSA…FUI SEU ÚNICO HOMEM ATÉ HOJE… DAÍ NOSSA CONVERSA RUMOU PARA O SEGUINTE…OU VOCÊ FICA COM ELA OU COMIGO…. MUITO DIFICIL RESOLVER, MAS PREFERI FICAR MESMO COM MINHA ESPOSA, SÓ QUE TINHA UMA CONDIÇÃO…ELA FEZ UMA PROMESSA QUE NENHUM HOMEM A TOCARIA ATÉ MORRER….E EU NUNCA ,MAIS PUDE CONSEGUIR O SABOR DE SUA BOCETINHA   COM A DA…ELLE. DEIXEI-A DE LADO… E ELA LOGO A SEGUIR ARRUMOU OUTRO HOMEM PARA A VIDA DELA….UMA NOVIDADE;…TINHA UM CADERNRNO EM QUE ESCREVIA TODOS OS NOMES DAS MULHERES QUE EU TRANSAVA, DESDE OS MEUS 14 ANOS…JÁ SOMAVAM MAIS DE 4.000 MULHERES…E NUM DIA EU ACHEI QUE ERA DEMAIS..,MAS, FOLHEANDO A REVISTA PLAYBOY VI UMA RESENHA DE UMA CARA QUE CRUZOU COM MAIS DE 14 MIL MULHERES…INFELIZMENTE PERDI O CADERNO E NUNCA MAIS CONSEGUI RELEMBRAR TODAS ESSAS FODAS…NOTA.. MEU FILHO TAMBÉM SEGUIU MEU CAMINHO E JÁ TEM INSCRITO MAIS DE 400 MULHERES.

EU, MARCOS, ME APAIXONEI POR CARLINHOS, MEU CUNHADO

       Sou Marcos, 32 anos, casado com Marisa que tem um irmão a quem chamamos afetuosamente de Carlinhos. Comecei a namorar Marisa há dez anos e há cinco anos estamos casados. Meu cunhadinho tem 18 anos e há tempos percebi que Carlinhos era um rapaz especial. Bonito, simpático, ainda que um tanto tímido. Sempre nos demos muito bem e neste fim de semana aconteceu algo que selou definitivamente nossa amizade. Temos um apartamento na praia, prédio simples de quatro andares com 16 apartamentos e sou o síndico desse pequeno condomínio no qual as reuniões com os condôminos ocorrem bimestralmente sob minha direção. Na última reunião Marisa não pode me acompanhar e convidei Carlinhos para ir comigo. Confesso que uma ideia não saía da minha cabeça ao chamar meu cunhado. Este ficou contente e no sábado pela manhã rumamos no meu carro para o litoral.          No caminho conversamos sobre diversos assuntos até que perguntei a Carlinhos se ele tinha namorada. A resposta foi negativa e então maliciosamente emendei: “E namorado?” Carlinhos demorou um pouco para responder e por fim disse que não tinha namorado, mas sim um amigo especial chamado Paulo. Perguntei: “Como assim, Carlinhos, por que esse Paulo é especial?” Então meu cunhado contou que ele e Paulo às vezes ficam juntos. Perguntei se eles transavam e Carlinhos disse que sim. Com essa resposta confirmou o que eu imaginava, ou seja, que Carlinhos era homossexual, mas não manifestei nenhuma surpresa, deixando-o à vontade. Durante a viagem Carlinhos pediu para que eu não contasse nada para sua irmã e explicou que seus pais eram muito conservadores e que ele tinha que esconder deles esse fato. Respondi que ele podia confiar em mim.          Nossa conversa prosseguiu, agora de forma mais aberta e perguntei a Carlinhos como ele havia começado a transar dessa forma. Meu cunhado contou que tinha um amigo inseparável chamado Rogério e que os dois estavam sempre juntos estudando, jogando vídeo-game e tudo mais. Carlinhos contou que entre eles havia mais que amizade e certo dia aconteceu de se relacionarem sexualmente, o que passou a acontecer sempre que possível, na casa de um ou de outro. A família de Rogério, cujo pai é militar, mudou-se para o Norte do país e desde então a amizade continua mas apenas usando os recursos de internet. Continuam amigos e confidentes, com muita saudade um do outro. Foi então que Paulo entrou em sua vida com a diferença que Paulo se comporta como ‘macho’ e namorado de Carlinhos. Paulo, inclusive tem uma namorada.          Toda essa conversa me deixou excitado e eu não via a hora de chegarmos para eu poder tentar comer Carlinhos, que era o que eu mais queria. A essa altura eu tinha certeza que a intenção de meu cunhado também era dar o cuzinho para mim. Chegamos no litoral, o sol estava forte e fomos à padaria tomar café. Aproveitei e fui à farmácia para comprar um protetor solar porém o que eu queria comprar mesmo era gel lubrificante. No apartamento eu disse a Carlinhos para darmos um passeio na praia e como estávamos ambos de bermuda eu falei para ele tirar a camiseta que eu iria passar protetor nas costas dele. Tirei também minha camiseta enquanto meu cunhadinho tirava a dele e quando vi seu corpo o tesão tomou conta de mim totalmente.          Preciso falar um pouco sobre Carlinhos. Ele ainda não tem o corpo totalmente definido, é um magro elegante, 1,70m para uns 58 quilos de peso. Meu cunhadinho chama a atenção por seus modos delicados sem serem femininos. O que eu mais gosto nele são seus cabelos mais compridos que o normal, descendo pela nuca e quase sempre em desalinho pela testa, o que lhe dá um charme todo especial. Pode-se dizer que é um moço muito bonito com seu corpo de poucos pelos e que faz sucesso com as mulheres e com os homens também, tenho certeza. Conheço-o há tanto tempo agora estamos os dois aqui no apartamento da praia, bem à vontade e com muita vontade.          Comecei a passar protetor solar nas costas de Carlinhos acariciando-o com prazer. Meu pau logo endureceu e com uma das mãos desabotoei a bermuda, descendo-a; em seguida tirei minha cueca sem parar de esfregar as costas dele, a nuca, chegando com a mão até o rego de sua bundinha. Carlinhos jogava a cabeça para trás demonstrando gostar daquilo. Encostei meu pau levemente na bunda de meu cunhado que imediatamente colocou a mão para trás e tocou meu pau exclamando “Nossa!”, tirando de uma só vez sua bermuda e sua cueca, deixando surgir seu rabinho branco, liso, lindo demais e que eu tanto desejava ver e tocar. Coloquei meu pau entre suas nádegas o que fez Carlinhos dizer “Ai, que delícia, Marcos”. Segurando-o pela cintura puxei-o para junto do sofá e peguei o gel. Carlinhos abaixou-se naturalmente no braço do sofá com as pernas entreabertas e a bunda se oferecendo todinha para mim. Fiz uso do gel e apontei meu pau encostando em seu cuzinho.          Estávamos ambos tesudos e loucos para foder; eu para comer o cu de meu cunhado e ele para sentir meu pau dentro de seu cu. Meu pau não é dos maiores pois tem 16cm, mas é grosso e fui forçando para ele penetrar aquela bundinha tão bonita e gostosa, Aos poucos fui sentindo o calor interno de Carlinhos que gemeu quando a cabeça de meu pau passou pelo anel do seu cuzinho. Gemido de dor e de prazer seguido de um movimento que fez meu pau deslizar todo para dentro e os dois engatados passamos a fazer movimento juntos de vai-e-vem. Minhas mãos estavam nos peitinhos de Carlinhos, acariciando-os. Desci depois uma mão até seu pau que estava duro e o punhetei. Nenhum de nós aguentou mais e eu gozei naquele cuzinho que tanto desejava secretamente.          Descansamos um pouco e depois fomos almoçar num restaurante self-service. Durante o almoço conversamos e Carlinhos contou que há mais de dois meses não dava para o Paulo e que agora nem queria mais dar, preferindo a mim, mesmo com as dificuldades que poderiam aparecer. Quando voltamos ao apartamento fomos logo para o quarto e na cama de casal passamos a nos abraçar e beijar na boca, beijos ardentes mesmo e depressa fiquei com vontade de foder com meu cunhado outra vez. Ele pediu para esperar um pouco e chupou meu pau, no que me virei e peguei seu pau colocando-o na minha boca e ficamos nesse 69 delicioso. O pau de Carlinhos é quase do tamanho do meu mas bem mais fino. Virei Carlinhos de bruços e passei a chupar seu cuzinho, preparando para penetrá-lo outra vez. Dentro dele pude sentir a delícia do calor do cuzinho de meu cunhado que apertava seu ânus me proporcionando maior prazer, enquanto eu chupava sua nuca, orelhas e apertava seu pau numa punheta discreta. Fodi Carlinhos por quase meia hora deste jeito até que gozamos com gemidos bastante altos, os dois. E pegamos no sono do jeito que nós estávamos, eu dentro dele.          Quando acordei Carlinhos havia se levantado e lembrou que às 17 horas haveria a reunião de condomínio. Nos despedimos com um longo e carinhoso beijo, beijo de namorados. A contragosto desci para a reunião que contou, ainda bem, com apenas oito condôminos. a reunião teria sido muito mais rápida, não fosse um senhor chamado Teodoro que passou meia hora falando da necessidade de se construir um playground para as crianças (para a neta dele, isto sim). Já perdendo a paciência argumentei que o verdadeiro playground local era a praia. E minha cabeça estava em outro playground, o meu cunhado Carlinhos que me esperava com uma sunguinha minúscula e uma regata que mais parecia um baby-doll. Ao vê-lo assim me despi, abracei-o tirando sua sunga e erguendo sua camiseta e fomos para a cama onde ficamos nos beijando prolongadamente. Disse a Carlinhos que d
everíamos primeiro descer e comer uma pizza e foder gostoso na volta.          Na pequena pizzaria nós parecíamos namorados nos olhando nos olhos o tempo todo e disfarçadamente com mãos dadas. Carlinhos me perguntou se eu já havia saído com outros homens e lhe contei que só com travestis. Meu cunhado ficou espantado e disse: “Não acredito!”. Então contei que certa vez conheci uma travesti linda, morena alta e não resisti em ter minha experiência com ela. Chamava-se ‘Tatiana’ e seu corpo era maravilhoso com seios e uma bunda que confesso nunca havia visto igual. Depois de transarmos Tatiana perguntou se eu queria dar também e eu estava mesmo com um tesão enorme, mas o pau de Tatiana devia ter uns 20 centímetros. Era enorme e nem coube na minha boca quando o chupei. Voltei a encontrar com Tatiana disposto a dar para ela, mas todas as tentativas foram em vão porque a dor era maior que a vontade. Tatiana então me disse que tinha uma amiga chamada Cristina, que era graciosa e que tinha o pau pequeno. Marquei com Cristina a quem comi gostoso e que me tirou as pregas com seu pau que era a metade do pau de Tatiana. Comecei a gostar de dar o cuzinho para Cristina, mas para minha decepção ela voltou para Minas Gerais e decidi que não deveria me habituar a sair com travestis. Nunca mais sai com nenhum outro.          Carlinhos passou a mão no meu rosto e disse: “Agora você nunca mais vai sair com alguém que não seja eu, tá bom?” Concordei e fomos dar uma caminhada pela praia semideserta, de mãos dadas porque ambos estávamos nos apaixonando um pelo outro e não queríamos sequer deixar de nos tocar. Retornamos ao apartamento e já na cama aconteceu a surpresa quando Carlinhos falou: “Marcos, quero comer você, como a Cristina te comeu”. Sem nada responder me deitei de bruços, com travesseiros sob a barriga me preparando para receber o pau de meu cunhadinho. ele beijou meu cu, o penetrou com a língua, acariciou meios peitos, beijou a nuca, me deixou no maior tesão, até que abriu minhas nádegas e começou a penetrar meu cu. Soltei um grito de dor no início mas quando senti seu pau entrando centímetro a centímetro disse apenas: “Que delícia, Carlinhos, me fode gostoso, bem gostoso”. Foram dez minutos que me levaram às nuvens sentindo o que eu nunca havia sentido na vida.          Quando Carlinhos gozou dentro de mim eu o virei e com meu pau já endurecido o enrabei mais uma vez. E a cada vez que isso acontecia parecia ser ainda melhor porque estávamos íntimos agora. Namorados, amantes, sei lá o que. Assistimos a uma série de TV, os dois pelados e nos beijando o tempo todo. Fomos dormir às onze da noite porque no dia seguinte iríamos voltar pela manhã bem cedinho. Nessa noite Carlinhos me comeu duas vezes e eu meti nele mais uma vez. Estávamos exaustos mesmo de tanto meter. Exaustos e apaixonados um pelo outro. No retorno dirigi de mão dada com Carlinhos que por vezes enfiava a mão dentro da minha bermuda e eu acariciava seus peitinhos. Quando havia segurança trocávamos beijos rápidos. Avistei um motel na estrada e embiquei como se fosse entrar. Nos olhamos, rimos e eu disse: “Vamos para casa senão o povo vai ficar preocupado e sei lá o que vão pensar”. Carlinhos respondeu: “Jamais vão imaginar o que fizemos na praia”.          Eu e Carlinhos tomamos todo cuidado possível para que não percebam que somos amantes. Nem Marisa, nem meus sogros jamais comentaram nada, apesar de terem notado que eu e Carlinhos agora assistimos futebol juntos, corremos juntos aos sábados pela manhã e eu o ajudo nas dúvidas que tem com Matemática. Nem é preciso dizer que quando meus sogros saem eu dou um jeito de ir à casa deles para ficar com Carlinhos e o mesmo acontece quando Marisa não está em casa. Outro dia Carlinhos disse brincando: “Marcos, larga da minha irmã e casa comigo”. Respondi que não precisava porque eu preferia assim pois ninguém iria sofrer e nós, de certa forma éramos também um casal, casal secreto, mas éramos.

Reencontro

Sou casada, mas meu marido nao satisfaz totalmente meu apetite sexual, com isso sempre senti que faltava algo e sempre lembrava de um ex que topava tudo, que me comia do jeito que eu gostava, dizia que era meu dono e que eu era sua putinha, isso me deixava louca e me rendia varias gozadas brincando sozinha, ja meu marido nao gosta desse tipo de sexo, pra ele o normal ja e o suficiente. Por ironia do destino, um dia desses esse tal ex me reencontra nas redes sociais e logo comecamos a conversar e esquecemos que fazia tanto tempo que nao nos falavamos. Começamos a relembrar o quanto nossas transas eram boas, mesmo casada nao pude me segurar, so de pensar naquele pau gostoso ficava molhada, entao logo marcamos de nos reencontrar. Em um de nossos encontros, pedi pra ele me encontrar no horario do meu almoco ja que estaria fechada a loja e ninguem desconfiaria que eu estivesse saido. O encontrei em uma rua perto e entrei como se fosse um uber. Fomos pra o motel mais perto que tinha da loja, ja que eu estava em horario de almoco nao podia demorar pra voltar, mas a vontade de dar pra ele era tao grande que eu tinha que aproveitar o maximo. Chegando la comecamos a nos beijar, o tesao era tanto que minha bucetinha pulsava querendo aquele pau, logo ele comecou a me chupar e enfiar os dedos em mim, eu ja estava sem aguentar de tanto tesao, precisava parar ele se nao iria gozar logo entao pedi pra ele parar pq eu queria lhe chupar. Me ajoelhei e comecei a chupar aquele pau gostoso, tao duro, coloquei todo na boca e comecei a salivar pra deixar ele bem molhado (se tem uma coisa que eu gosto e de chupar pau, passaria o tempo todo chupando), desci pras bolas e coloquei toda na boca, ele puxava meu cabelo e dizia que eu era uma putinha muito safada, do jeito que eu gosto de ser chamada. Continuei chupando seu pau e ele me dava tapas na cara, me xingava de puta e cachorra, batia com o pau na minha cara e eu adorando, logo desci mais uma vez pras suas bolas e passei a lingua em baixo delas, gosto de chupar tudo, pau, bolas, em baixo… Gosto de um boquete bem feito.Minha buceta ja estava muito molhada e pulsava querendo pau, entao pedi pro meu dono me dar pau. Logo ele atendeu ao meu pedido e enfiou aquele pau gostoso todo na minha bucetinha e comecou a me comer com força, eu ja estava doida de tanto prazer, eu tinha lembranças que era bom o nosso sexo mas na pratica era mais do que bom, era sem explicaçao. Ele pediu pra que eu ficasse de quatro entao logo empinei meu rabo pra que ele enfiasse aquele pau gostoso na minha bucetinha, o que ele fez imediatamente e comecou a meter com forca e me bater, pergundo se era assim que a sua putinha queria ser comida. Enquanto ele metia na minha bucetinha ele comecou a brincar com meu cuzinho, eu nunca dei mas quando ele comecou a brincar comecei a sentir mais tesao ainda, uma vontade louca de dar o meu cuzinho a ele. Ele tirou o pau da minha bucetinha e pediu pra que eu chupasse pra sentir meu gostinho, logo como boa puta que sou comecei a chupar com gosto. Entao pedi pra que ele me chupasse de novo pq eu queria que ele me fizesse gozar com a boca entao logo ele comecou a me chupar e enfiar os dedos na minha bucetinha e brincar com meu cuzinho, cada vez que ele passava a lingua no meu cuzinho eu enlouquecia de tesao entao ele comecou a passar o dedo tambem, nao conseguir me controlar e gozei. Me ajoelhei e voltei a chupar ele e pedi que ele me desse leitinho na boca, se tem um lugar que gosto de ganhar leite e na boca, entao chupei com bastante vontade ate ele dizer que ia gozar e dar bastante leite pra sua putinha. Abri a boca e deixei ele gozar sem desperdiçar uma gota, engoli todo o leitinho do meu dono e dei uma chupada no seu pau pra me certificar de que nao tinha passado nenhuma gota daquele leitinho delicioso. E assim recomecamos com os nossos encontros proibidos, a putinha e seu dono.

COMEU MINHA ESPOSA NO NOSSO QUINTAL.

OLHA EU SOU O AGNALDO , NOME FICTICIO , 50 ANOS BR , NUMA BOA FASE DA VIDA , CASADO COM A LEE DE 32 ANOS , MORENA CLARA , CABELOS LONGOS , ROSTO FINO , NARIZ BEM BONITO , OLHOS ESTILO MESTIÇA , BOCA DELICIOSA , LINDA MESMO , 1, 68M , 60 KG , PEITOS MÉDIOS PARA GRANDE , BUNDA GOSTOSA , MUITO BOA DE FODA , ELA ME CONVIDA PRA FUDER E GEME MUITO NA VARA , POIS BEM EM CASACELA FICA DE FIOZONHO OU DE SHORTINHO CURTINHO MICRO SHORT AS VEZES , NOSSA CASA TEM UM PORTÃO NO CORREDOR QUE ESCONDE OS FUNDOS DA CASA DE QUEM CHEGA NO PORTÃO , EU TENHO UM DIGAMOS AMIGO Q SEMPRE VEM NA NOSSA CASA PEGAR ENCOMENDAS DELE. , OU SEJA MERCADORIAS Q VENDO , ESTE AMIGO SE CHAMA JOÃO , TEM 40 ANOS MAGRO ALTO , BR , FEIO MESMO , MORA SOZINHO E GOSTA MUITO DE PORNOGRAFIA , ALIÁS É VICIADO MESMO , MUITAS VEZES QUE ELE VEM EM MINHA CASA ELE COME MINHA ESPOSA COM OS OLHOS , COM CERTEZA ELE BATE MUITA PUNHETA PRA ELA , ELE JOGA MUITA PORRA PRA FOA PENSANDO NO RABO DELA , BEM EM UM SABADO MINHA ESPOSA LEVANTOU , TOMOU UM BANHO VESTIU UM FIOZINHO ENTERRADO NO CUZINHO EU QUANDO VI NÃO RESISTI GRUDEI ELA POR TRAS ELA DANDO RISADAS FALAVA PARA AMOR MAS O TESÃO ERA MUITO CARA VER AQUELE FIO COMENDO O CUZINHO DA MINHA ESPOSA MEU PAU JÁ BABAVA EU DERRUBEI ELA NA CAMA E AOS BEIJOS E ABRAÇOS ELA SE ENTREGOU , CHUPEI OS PEITOS , LAMBI A BARRIGA , LAMBI A BUNDA , PASSEI A LINGUA POR TODA BUNDA DELA LAMBI O REGO QUE SENTI MINHA LINGUA PASSAR NO CUZINHO POR CIMA DO FIO , CUZINHO QUE EU COMO SEMPRE ELA DE 4 EU MONTEI E PENETREI A BUCETINHA , ELA PEGOU MINHA MÃO E BATIA NA BUNDA ENTÃO DEU UMAS BELAS PALMADAS ELA GOZOU DE 4 EU MONTEI E SENTEI NA BUNDA DELA GOZEI DENTRO UMA BOA TREPADA SEM TIRAR O FIO DO CORPINHO DELA , LEVANTAMOS ELA SE LIMPOU VESTIU POR CIMA DO FIOZINHO UM SHOR DE DORMIR ROSA , FOLGADO NAS PERNAS , PEQUENO DEIXA UM POUCO AS COXONAS DE FORA , FUI PRA CIDADE ELA FOI LAVAR ROUPAS , A CAMPAINHA TOCOU ELA ALI SOZINHA DE SHORTINHO E BABY LOOK , VEIO ABRIU O PORTÃO DO CORREDOR ERA O JOÃO Q VEIO PEGAR ENCOMENDAS , ELA ABRIU O PORTÃO PRINCIPAL PARA ELE ENTRAR NA GARAGEM ELE ENTROU ELA FECHOU POIS É ELETRÔNICO , ELE SENTOU NA GARAGEM ELA ENTROU PELO PORTÃO DO MEIO FECHOU E FOI PEGAR O ENCOMENDA , EM SEGUIDA ELE ABRIU O PORTÃO ENTROU PELO CORREDOR ATRÁS DELA , ELA DISSE EU VOU PEGAR SUAS COISAS ELE COM A CARA DE TARADO GRUDOU ELA POR TRÁS , ELA LUTOU PRA ESCAPAR , CAIU DE BUNDA PRA CIMA O SHORT DEIXOU A BUNDA DE FORA , ELE MONTOU EM CIMA DELA , ELA PEDINDO PRA ELE SOLTAR MAS ELE PRENDEU AS OERNAS DELA SENTANDO EM CIMA , UMA MÃO SEGURANDO O PESCOÇO ELA E A OUTRA TIRANDO O PAU DO SHORT ELA FALAVA VOU GRITAR ELE NÃO GRITA , MAS ELA ESTAVA COM O SOM LIGADO O FDP CONSEGUIU TIRAR O PAU COM SACRIFICIO , PUXOU A PERNA DO SHORT DELA DEIXOU O RABINHO DE FORA E CONSEGUIU COLOCAR O PAU NA BUCETINHA DELA ,MESMO ELA LUTANDO MUITO PRA ELE NÃO COMER ELA, MAS ELE COMEU MINHA ESPOSA NO CHÃO , GOZOU NA BUCETINHA DELA , QDO ELA ME RELATOU ISSO EU QUERIA FAZER BESTEIRA , MAS CONVERSEI COM ELA POIS ELA NÃO PODERIA TER DEIXADO ELE ENTRAR E COMO PODERIAMOS PROVAR ALGO , HJ ME DA MUITO TESÃO EM IMAGINAR ELE LOUCO EM CIMA DELAVTENTANDO ENCAIXAR O PAU NA BUCETA DELA , PELO RELATO DELA FOI UMA LUTA MAS ELE COMEU , ELE VEM EM CASAVMAS FAZEMOS DE CONTA QUE ESTA TD BEM , ELE ESTA TENTANDO COMER ELA OUTRA VEZ , VAMOS VER SE ROLA , DEPENDE DELA ACEITAR.

domingo na fazenda

ola meu nome e bianca bem eu sou loira olhos verdes cabelos lisos e compridos tenho 169cm e 47kls bem distribuidos sou o estilo gostosa e por saber disso adoro sair e ir a shoppings exibindo meu corpo em minusculos shortinhos e mini saia nao tem nem conta das vezes que fui a shopping para subir as escadas com as ini sias e sem calcinha bem tenho uma bundiha durinha de 103 centimetros e um busto de 94cm e tenho inumeras calcinhas transparentes e shortinhos tenho um shot de 8 centimetros que adoro bem nao stou saindo do assunto apenas me apresentadno afinal e minha primeira vez aki no domingo passado dia 18 dezembro minhas prima me chamou para ir a fazenda para curtir o dia numa piscina enorme que tem na casa dela e ai fiz fui para la e aproveite o meu miquini ou mini biquini fio dental que tenho e sei usar modestia a parte e ficamos la por uma boa parte da manha e da tarde ai ela chamou para irmos a localidade para ver o movimento a tarde na praça e troquei meu biquini por uma clcinha transparente brankinha e o meu shortinho de 8 centimetros e um top rosa minha primas tb e linda e fomos a praça os homens de la quase caiam kando avistavam a ela e a mim e nos comiam com os olhos a praça nao stava legal resolvemos voltar p fazenda e a noite voltariamos a praça quando estavamos voltando ja na fazenda dela deveria ser por volt de 16:40hs avistei um cavalo enorme que eles tem e ele estava querendo dar uma na egua e a safada parecia ajudar então ele pegou e montou sobre ela e colocou akela coisa enorme dentro dela confesso que fiquei lokinha doidinha fiquei cm uma inveja doida dela toda molhadinha de vontade de estar ali de 4 e levndo akela pica enorme dentro de mim e começei a passar carinhosament os dedinhos em mim e vendo a cena ele metia com força sem do nenhma e chegava a roncar a barriga entao minha prima falou eu tb sinto tsao e meteu a mao em mim ai fiquei lokinha pois ja tinha um certo tesao nela entao ali mesmo sob as arvores deitamos e vimos o cavalo descer e da xaninha d egua escorrer muito semem entao senti as maos da inha priminha percorrerem meu corpo e depois sua lingua em minha xaninha sugando meu mel que ja stava escorrendo ela chupava muito bem pela sua primeira vez eu ja xupei e fui xupada por mulheres muitas vezese ela xupava e colocava o dedinho era otio entao foi a minha vez de xupar e peguei akela xaninha minuscula que ela tem e xeirosinha xupei bem devagarinho pegando o grelinho cm pontinha da lingua estava otimo e ai era a vez do cavalo e da egua pareciam olhar e entendr foi legal e coloquei dois dedinhos dentro dela e fazia ela xupar os dedinhos e ela adorava levantamos e ela meteu dois dedos em mim e depois um no meu rabinho eu gritava e ela falava ker mais como se fosse homem eu fikei tao loka nunca imaginei que uma cena provocasse tanto tesao fiquei lokinha para que tivesse la com nos um homem com um penis enorme e cheinho de veias para me colocar de 4 e me fuder como uma eguinha keria sentir o saco batendo em minha popinhas e sentir ele me arrombando por tras mas na segunda feira eu consegui cm o irmao dela na fazenda mesmo bem nao sei flar direito e que fiquei cm tanto tesao que keria demonstrar e falar cm alguem mas como na real e dificil neh beijinhos espero que gostem se gostarem vou passar todos meus momentos aki p vcs apesar de 19 anos tenho uma vidinha um pouco agitada no que diz a sexo gosto de meninos e meninas e adoro sexo e sem frescuras gosto de tudo e todas posiçoes imaginaveis ou nao.beijinhos                                 

FILHA EXEMPLAR (PROVOCAÇÕES)

Com muito cuidando, ela foi puxando o lençol, até conseguir ver o corpo desnudo de seu pai; olhou para a benga repousando sobre o ventre dele e sentiu o coração bater mais forte e a garganta secar. Bianca ainda hesitou no seu intento, mas, olhou para o corpo de seu pai, para aquele membro suculento e viu que não havia como recuar …, precisava fazê-lo …, precisava senti-lo; com a mão trêmula, ela segurou a rola, massageando-a lentamente …, e foi sentindo o membro recrudescer cingido por sua mão …, ele estava em plena ereção!Quando o falo paterno atingiu seu ápice, Bianca arregalou os olhos e mordeu os lábios, sentindo algo quente escorrer entre suas pernas; timidamente, ela começou a manipular a rola enorme, tencionando uma masturbação; aos poucos, ela foi tomando jeito e logo estava punhetando a rola de seu pai …, sentia uma vontade imensa de tê-la em sua boca …, mas, por enquanto, não ousou, permanecendo na punheta vigorosa.Otávio, ora resmungava, ora gemia, ora grunhia, sem, no entanto, acordar de seu sono; Bianca seguia com a punheta, até sentir sua mão e seu braço doer com tanto esforço; mesmo assim, ela não desistia de ver aquela rola verter sêmen sob seu domínio manual. A certa altura, não suportando a dor, a jovem passou a valer-se das duas mãos, punhetando com muita força.E quando ela menos esperava …, Otávio soltou um longo gemido, contraindo o corpo, ao mesmo tempo em que Bianca via a rola pulsar e inchar, anunciando o inevitável! Sob a regência da filha, Otávio gozou, ejaculando vigorosamente; ante o olhar estupefato da filha, os jatos de sêmen projetaram-se para o alto, vindo a cair desordenadamente, lambuzando o ventre do macho e ainda respingando no rosto de sua filha que regojizava pelo próprio feito.-Hã …, Filha? O que é isso? O que está acontecendo – balbuciou Otávio, saltando do sono profundo e vendo o que havia se sucedido.-Acontecendo? Não está acontecendo nada! – ela respondeu com naturalidade, tendo um sorriso sapeca iluminando seu rosto – Já aconteceu, papai …, você gozou pra mim!Imediatamente, Otávio saltou da cama e tomou a filha pelos braços, apertando-a com certo rigor; naquele momento, Bianca temeu pelo pior, supondo que Otávio pudesse, num arroubo descontrolado, aplicar-lhe um corretivo …, todavia, o que restou foi o olhar estupefato de um pai perdido na maior encruzilhada de sua vida …, Bianca …, sua filha ou sua fêmea?-Bianca …, filha …, por favor …, vá para seu quarto! – disse Otávio com um tom de voz fraquejante, com a mente envolvida por milhares de pensamentos ambíguos.Bianca, percebendo o dilema ardendo em seu pai, achou por bem atender ao seu pedido, e manquitolando, ela deixou o recinto …, deixando para trás um homem que não sabia o que pensar, e muito menos o que sentir de todo aquele redemoinho de sensações. E na manhã do dia seguinte, ele não teve coragem de encarar o rosto de sua filha; Otávio levantou-se mais cedo que o habitual e avisou Júlio e Cláudia que tinha negócios a resolver na cidade e que demoraria a retornar, pedindo que eles avisassem sua filha.Ao receber a notícia da ausência de seu pai, Bianca ficou triste e preocupada; imaginou que ele poderia ter procurado por sua mãe e contado tudo a ela! Imaginou também que ele fora atrás de uma daquelas mulheres siliconadas que viviam oferecendo-se a ele, a fim de satisfazer o tesão que sentia por ela! Todos eram pensamentos inadmissíveis e inaceitáveis …De seu lado, Otávio foi para a cidade, sentindo-se desorientado, sem saber o que pensar e como agir naquela situação; chegou a ponderar a possibilidade de confidenciar o acontecido com Rebeca, mas, logo desistiu, imaginando o que ela poderia pensar a seu respeito (nesses casos, a culpa sempre é do homem!); após rodar pelas ruas sem destino, foi até a agência bancária conversar com Núbia, sua gerente, pois, haviam alguns assuntos pendentes.Núbia era uma morena escultural, que já dera mole para Otávio, sem que ele correspondesse, pois sabia que ela era noiva de um policial residente na cidade. E qual não foi sua surpresa, ao entrar na agência e ser por ela recebido, saber que não estava mais noiva (notícia que ela fez questão de enfatizar antes de qualquer outra coisa!). Otávio, de pronto, sentiu como se aquilo fosse uma espécie de sinal.Na sala de Núbia, eles resolveram as pendências bancárias e financeiras de Otávio já próximo do horário de almoço. “Nossa, seu Otávio! Como o tempo passou rápido, não é? O senhor está com fome?”, ela perguntou com um tom insinuante e com sorrisos. Ouvindo a voz macia de Núbia, a mente de Otávio foi tomada por ideias lascivas e cheias de tesão.-Estou faminto – ele respondeu, com um tom safado – Quer almoçar comigo?-Claro que sim! Aliás, adoraria! – ela respondeu em tom esfuziante – Conheço alguns lugares por aqui …, o senhor tem alguma preferência?-Conheço um lugar ótimo! – ele respondeu em tom assanhado – Vamos até meu carro …, é um pouco longe daqui …, e talvez, demore um pouco …, mas, você vai gostar!Núbia abriu um largo sorriso e pegou sua bolsa; já no interior do carro de Otávio, ela pousou a mão sobre sua coxa, aproximando-se, discretamente, de sua virilha. “Faz tempo que eu cobiço um macho mais experiente como o senhor …, nossa! Já tá de barraca armada! Uau! Que macho!”, comentou ela, com um tom lânguido. Otávio não cabia em si de tanto tesão, e foi obrigado a tomar cuidado para não cometer um acidente enquanto dirigia.Logo, chegaram ao seu destino, um motel afastado da cidade, e passaram rapidamente pela recepção, já que Otávio estava prestes a explodir de tesão. E mal entraram na garagem da suíte, Otávio, abriu a blusa de Núbia, descobrindo que ela não usava sutiã!!! Ficou maravilhado com seus peitos firmes de bicos salientes; caiu de boca naquelas coisinhas suculentas, sugando e lambendo como um tarado, ouvindo Núbia gemer puxando a cabeça dele contra seus peitos.Otávio saboreava os peitos deliciosos ao mesmo tempo em que sentia suas mãos abrindo sua calça e pondo a rola pra fora, aplicando uma punheta com direito a massagem nas bolas. “Puta que pariu! Que caralho grande e grosso!!!! Vou me acabar nessa rola, hoje!”, balbuciou ela com tom insano. Ouvindo isso, Otávio puxou-a para si e eles se beijaram.Já no interior da suíte, eles despiram-se quase em fúria, e Otávio ao ver a nudez exuberante de Núbia, enlouqueceu, jogando-a sobre a cama e enterrando sua rola com um só golpe; Núbia gemeu longamente, ao sentir-se preenchida pela rola grossa e grande que lhe causou um orgasmo imediato. Otávio, ensandecido de tesão, não deu atenção a essa première, dando início a uma sequência de golpes pélvicos vigorosos, enfiando e sacando a rola com veemência, o que, imediatamente, causou em sua parceira, um encadeamento de orgasmos, que sacudiram se corpo, fazendo-a contorcer-se entre gritos e sussurros.-Ai! Ai! Ai, papaizinho …, que delícia! Você fode tão gostoso! – ela balbuciou a certa altura.Ao ouvir aquelas palavras, a mente de Otávio teve uma reação inesperada, obrigando que ele imaginasse a sua Bianca dizendo aquelas mesmas palavras em seu ouvido, funcionando como um estopim que lhe acendeu ainda mais o desejo …, não por Núbia, mas por outra mulher …, e tendo isso em mente, ele acelerou ainda mais seus golpes, fazendo a fêmea submetida ao seu assédio voluptuoso, recebesse uma onda ainda maior de orgasmos, cada um mais intenso que o anterior.Núbia, acolhendo em seu ventre, os golpes fartos e contundentes do macho, gozava como nunca, deixando-se conduzir pelo tesão desatinado de Otávio que perdeu a noção de quanto prazer estava proporcionando para sua parceira, que já não tinha mais forças para contra-atacar, dominada que estava pelo prazer intenso a que seu corpo era submetido.Atingindo o limite de sua fisiologia, Otávio acelerou os movimentos, até que, ao final, urrou, gozando como uma fera acuada pela própria natureza; ele ejaculou caudalosamente nas entranhas de Núbia, cuja
reação foi gemer e abrir-se para receber o sêmen quente e viscoso em seu interior. Suados, ofegantes e exauridos, Otávio e Núbia quedaram-se como estavam, esforçando-se em recuperar alguma energia que os fizesse sair da letargia.Algum tempo depois, enquanto Núbia tomava uma ducha, Otávio estava deitado, fumando um cigarro que ele pegara no carro (há muito que não fumava); pensava no que acontecera ao ouvir a frase proferida pela parceira, supondo que seu subconsciente lhe pregara uma peça ao pensar em Bianca, e que tudo não passava de uma ilusão de sua mente e de seu desejo de macho. Ele não aceitava a possibilidade de trepar com sua própria filha, sangue de seu sangue, fruto de um casamento que, bem ou mal, rendeu-lhe esse lindo fruto.Definitivamente, ele tinha a intenção de, ao voltar para casa, esclarecer isso com Bianca, pondo fim ao devaneio da filha e, consequentemente, do desejo proibido que orbitava em sua mente e redundava em seu corpo. Envolto nesses pensamentos foi surpreendido quando Núbia, saindo só banheiro, atirou-se sobre a cama, tomando sua rola com a mão e começando a lambê-la com voracidade, até tê-la dentro de sua boca em uma gostosa mamada.Não demorou muito para que a boca gulosa de Núbia surtisse o resultado almejado, deixando Otávio, novamente, em ponto de bala; sem perda de tempo, a fêmea subiu sobre o macho, descendo em direção a sua rola, até fazê-la desaparecer dentro de sua vagina, e iniciando uma tensa e tórrida cavalgada. Segurando os peitos firmes de Núbia, Otávio deliciava-se ao vê-la cavalgando sua verga com a habilidade de uma amazona experiente, como também ficou extasiado quando ela anunciou a chegada de mais uma torrente de gozos tão úmidos que chegaram a lambuzar o ventre do macho, misturando líquidos e gemidos.Foderam por mais de uma hora, e o desempenho de Otávio, surpreendeu a fêmea que abalou-se em saciar seu tesão naquele corpo másculo e viril que tanto prazer lhe proporcionava …, e ao cabo de tanto tempo, mais uma vez, o macho gozou, ejaculando dentro da fêmea uma nova carga de sêmen, que de tão volumosa, acabou por escorrer pelo seu corpo. Ambos gemeram e gritaram, dominados pelo prazer que haviam usufruído com tanto esforço e habilidade.De volta ao carro, após um merecido banho e uma refeição rápida, Otávio deixou Núbia em sua casa, já que o expediente bancário, findara-se há muito tempo; despediram-se com beijos e com promessas de novos encontros. Otávio, então, rumou de volta ao lar, pensando em Bianca e de como seria sua reação ao vê-la novamente …, queria muito que tudo não passasse de uma ilusão que pudesse ser desfeita pelo próprio tempo, senhor de todas as ocasiões …, todavia, ele bem sabia que isso não seria possível, já que a marca indelével do desejo de pai e filha haviam sido revelados e não podiam mais ser esquecidos ou escondidos.

O tempo passa e a Lusitana Roda.

Há alguns anos atrás eu trabalhava como consultor numa empresa de consultoria aqui de São Paulo. Minha rotina de trabalho era a seguinte: na primeira semana do mês eu ficava na sede da empresa fazendo os relatórios e projetos. Nas outras semanas ficava na rua visitando os clientes. Então eu só aparecia na sede na primeira semana de cada mês, o resto ficava rodando os clientes. Na sede, no meu departamento, além de mim, haviam mais sete outros caras mais ou menos da mesma idade que eu. Bom, um dia, começou uma nova funcionária que iria trabalhar na sede no setor de banco de dados, que era ligado ao meu departamento. Ela era portuguesa de Lisboa, recém imigrada, tinha aquele sotaque característico das Lusitanas. Era uma garota bonita, magra, cabelos castanhos e branquinha, cara de portuguesinha mesmo, não era nenhum avião, mas era bem bonitinha. Eu e ela criamos um estreito contato e bastante diálogo, pois eu comecei a instruí-la nas suas novas funções, ficamos bem amigos. No primeiro mês dela, eu a acompanhei todos os dias da primeira semana para ensinar o trabalho, nas semanas seguintes, segui meu roteiro de visita aos clientes e ela sempre que encontrava alguma dúvida ou problema me ligava no meu celular.

Eu, a Professora e a Coordenadora Sozinhos no colé

       Eu estudava na zona sul do Rio de Janeiro, e um dia fomos avisado que em um mês ocorreria uma olimpíada escolar só com as escolas da zona sul, e que o colégio selecionaria alguns alunos pra representá-lo nessas olimpíadas e que haveria teste para seleção dos competidores. Então quando os teste começaram eu nem estava muito a fim de fazer, mas só fui por que quem ai avaliar os alunos era a professora Cristina, que era professora de educação física do meu colégio, mas não dava aulas para minha turma. Cristina é uma coroa com 45, mas com tudo em forma, ela sempre dava aula de calça comprida e um agasalho, mas um dia um aluno da turma dela desafiou ela para uma corrida, e ela apareceu no colégio com um shotinho de lycra bem pequeno e apertadinho e uma blusinha bem apertadinha que deixava os bicos dos seus seios bem marcadinhona blusa, os seios dela eram grandes, mas durinhos e sua bunda é enorme e bem empinadinha suas pernas também eram bem lisinhas sem nenhuma celulite, neste dia o colégio parou, a professora achou que era para ver o desafio, mas na verdade era para admirá-la. Então eu fui o indicado para representar o colégio nos 100 e nos 200 metro rasos, e que Cristina seria minha treinadora e de mais dois amigos meus, e que para compensar a falta de preparação nos iríamos treinar aos sábados.       No começo todos iam treinar os sábado, mas depois os meus amigos relaxaram e só quem ia aos treinos de sábados era eu. No sábado só ficava eu, a professora Cristina e a coordenadora que aparecia para abrir o colégio. No ultimo sábado antes da competição eu treinei forte com a ajuda da professora, e enquanto eu terminava os alongamentos depois do treino, ela foi para o vestiário tomar banho e se trocar para ir embora. Depois que eu terminei o alongamento fiquei esperando ela sair do vestiário. Para poupar tempo só abríamos o vestiário masculino. Então ela saiu e disse que já ia embora, e que quando eu acabasse fechasse o vestiário e passasse na coordenação antes de ir embora para a coordenadora saber que eu já estava indo, e que ela podia fecha o colégio. Então eu fui tomar banho, mas devido aos treinos eu estava me poupando e não transava a três semana, então eu pensei que não tinha problema eu tocar um punheta ali, já que a coordenadora nunca descia e a professora já tinha ido embora, então comecei a bater uma punheta imaginando a minha professora. Então eu ouço a voz da minha professora dizendo:       – Eu vou entrar! Mas não deu tempo disfarçar, pois nos chuveiros não a divisórias e quando ela entrou me viu como minha mão no meu pau bem duro. E perguntou rindo:       – O que é isso? e eu sem graça e sem desculpa disse:       – Me desculpa professora! Mas desde que começaram os treinos eu não transo e não estou agüentado mais! Ela respondeu:       – Você é tão disciplinado, se tivesse me falado antes eu podia ter te ajudado. E perguntou:       – Quer minha ajuda! E eu respondi sem graça:       – Lógico! Ela então tirou sua roupa todinha na minha frente e começou a tocar uma punheta para mim nua embaixo do chuveiro. Ai ela começou a lamber a cabeça do meu pau como se fosse um picolé, nessa hora eu não agüentei mais de tesão e gozei na boca dela. Ela então começou a esfregar meu pau todo gozado na cara dela. Então ela se virou para mim e disse:       – Vem mamar nos peitos da sua professorinha! Então eu comecei a lamber aqueles seios, e ela apertava minha cabeça contra os seus peitos. Eu lambia e chupava os peitos dela, alem de aproveitar para apalpar aquela bundinha maravilhosa que sempre quis comer, e afiar a mão entre as pernas dela e fazer um carinho na xoxota dela. Ela então começou a gemer e disse:       – Come minha bucetinha! Ela estar molhadinha! E então eu a encostei no canto da parede, e segurei uma das perna dela para que ficasse bem aberta, então eu coloquei a cabeça do meu pau na entrada da xaninha dela e comecei a esfregar, e ela começou a ficar ofegante e disse:       – Mete logo! Eu não agüento mais! Então eu enfiei me pau bem devagar na xereca dela e ela deu gemido bem alto. Foi então que eu comecei a meter na xoxota dela, e aproveitava para mamar nos peitos dela, cada gemido que ela dava me enchia mais de tesão, e eu fui metendo cada vez mais forte. No meio do vi e vem ela deu um grito, pedido para que eu batesse na bunda dela, eu não perdi tempo comecei a dar uns tapinhas na bunda dela e aproveitei para dar uma dedada no cuzinho dela, que deu varias piscadinha quando ela sentiu meu dedo entrar. Nesse momento eu já não agüentava mais e então ela gritou:       – Eu to gozando! Eu to gozando! E gemeu. E eu também não agüentei, goze tanto que minhas pernas ficaram bambas. E depois de ter comido aquela xoxotinha deliciosa eu sentei em eu uns bancos que para descansar um pouco. Ela então perguntou:       – O que você achou do meu cuzinho quando dedou ele? Eu nesse altura já tinha perdido todo o meu pudor e respondi:       – Acho que dever ser o cuzinho mais gostoso do mundo! E ela perguntou:       – Quer comer ele! Meu pau nesse momento ficou duro na hora. E ela segurou no registro do chuveiro e começou a rebolar empinando aquela bundona, e disse:       – Se você der um beijinho na minha rodinha, eu deixo você meter nela à vontade! Eu tomado pelo tesão fui ate o chuveiro onde ela estava peguei as metades daquela bunda separei elas bem e dei um beijinho de língua bem no cuzinho dela que estava bem limpinho, pude sentir ela piscar o cuzinho e se arrepiar todinha, então ela falou:          – Pode meter a vontade, que eu sou sua putona! Essa frase me encheu de tesão. Eu a tirei do chuveiro coloquei ela de quatro com as mãos apoiadas nos bancos do vestiário, e montei encima dela. Fui enfiando meu pau ate meu saco encostar na xota dela. Ela então gritou:         – Mete arromba meu cuzinho! E então eu comecei meter, ela gemia de prazer. Eu então forçava meu pau cada vez rápido e forte tentando penetrar cada vez mais fundo. E nesse momento ela começou a gritar cada vez mais forte, e quando eu tava quase gozando ouvi alguém entrar no banheiro e dizer:         – O que estar acontecendo aqui! Eu nem dei atenção e continuei a meter bem forte, mas depois de ouvir a voz Cristina parecia ter explodido de tesão. Começou a berrar bem alto e a urrar sem pudor, ela realmente gritava, e ai eu gozei. Então me virei e percebi que quem estava olhando com cara de horror para cena era a coordenadora. Rosa tinha 55 anos cara de velha, mas gostava de andar bem arrumada como uma socialite ela era magra, mas tinha o corpo com suas suaves curvas, e seios pequenos porem durinhos. Então Rosa perguntou novamente:         – O que vocês pensam que estão fazendo! Vou levar isso à diretora! Então Cristina falou:         – Deixa de papo furado! Você bem que ficou excitada de ver eu trepando com ele! Ela ficou sem graça e disse:         – Eu vou contar tudo para diretora! Então Cristina virou para mim e falou:         – Ela esta assim por que não trepa a cinco anos. Daí eu perguntei como ela sabia disso, e ela respondeu dizendo que a própria Rosa tinha contado para ela. E que ela tinha dito também que estava louca para trepar de novo só não tinha coragem de chegar em alguém. Então Rosa pediu para que Cris
tina parasse de contar detalhes sobre as conversar que ela tinha. Então Cristina disse:          – Pode deixar ele saber! Por que ele vai comer você também! Então Cristina perguntou:          – Você quer comer ela? E eu já com o pau duro respondi:          – Se ela quiser me dar eu como agora! E então Cristina falou que era tinha a tara de ser comida no na sala da coordenação, encima da mesa dela! E perguntou para Rosa você quer que ele te coma:          – Se isso for ficar em segredo eu quero! Então fomos todos para a coordenação. Eu só de cueca e a professora Cristina toda nua. Então chegamos à coordenação Rosa foi logo abaixando minha cueca e segurando com as duas mãos o meu caralho. Então Cristina retirou todos os papeis de uma mesa enorme que havia no meio da sala, e disse para Rosa:          – Ele só vai comer você, se eu participar também! E eu lógico que concordei! No começou Rosa não quis concordar, mas depois de ver Cristina acariciar meu pau duro ela concordou logo. E então Cristina foi Tirar a Roupa dela. Depois de tirar a blusa e o sutiã, da coordenadora Cristina começou a acariciar os peitos de Rosa, e me chamou para mm sentir os bicos dos peitinhos dela. Então Cristina começou a mamar nos peitos de Rosa, e eu também. Foi então que Cristina me mandou deita sobre a mesa, e mandou que Rosa chupasse meu pau. Rosa chupava vorazmente, lambia a cabeça e ia descendo ate o saco. Ela então começou a esfregar meu pau no céu da boca dela. Enquanto isso tudo rolava Cristina ai aproveitando para tirar a calça e a calcinha de Rosa. E começou lamber a xoxotinha de Rosa. Eu já delirando de Tesão com a cena Comecei a força à cabeça de Rosa contra o meu pau. E então eu comecei gozar. E depois de encher a boquinha de Rosa de porra, ela disse:          – Nossa fazia um tempão que eu não sinto esse gostinho de porra. Então Cristina começou a lamber a xoxota da Rosa, e depois de lambuzar ela toda: Cristina disse:          – Vem comer a Buceta dela! A essa altura eu já estava exausto, meu pau já estava doendo de tanto fuder, mas com as provocações de Cristina ele ficou duro novamente. E então eu comecei a esfregar meu pau na entrada daquela xoxotinha, e ela começou a meio que rebolar. E então disse:          – Mete logo Por favor! Então eu não perdi tempo. Enfiei meu caralho todo de uma vez na buceta dela. Ela deu um gemido forte, pois havia muito tempo que ela não recebia uma pirocada na xota dela. Então Cristina deu um tapa na minha bunda e falou:          – Vai arromba essa vadia! Então eu comecei a meter nela, e em quanto eu arrombava aquela bucetinha aproveitava para lamber os peitinhos dela. Foi ai que Cristina subiu na mesa, e ajoelhou de frete para mim, mas com a buceta na cara de Rosa, e disse para mim:            – Para de Chupar os peitos dela! Vem Chupar os meus! Ela então falou para Rosa lamber a xoxota dela, e para quem não queria que Cristina participasse, ate que Rosa foi Bem Rápida em atender pedido. Então demorou um pouco, mas aquele vai e vem logo me fez gozar. Então Rosa Parou de lamber a buceta da Cristina e começou a gritar de prazer, os berros dela eram enormes, e enquanto ela berrava de tesão Cristina morria de rir. Então eu fui e sentei em uma Poltrona que há na coordenação para poder descansar um pouco, Cristina veio sentar do meu lado e começou a acariciar meu pau, mas a essa altura eu já não conseguia ficar de pau duro tão fácil, então ela perguntou:            – Você gostou? Está satisfeito neném? E eu respondi que sim. Então Rosa disse que tínhamos que nos vestir por que já estava na hora de fechar o colégio. Então Cristina disse:            – Ainda tem tempo para mãos uma! Lembra que você disse que Nunca tinha tomado no cu antes? E Rosa respondeu:            – Sim! Então Cristina disse que se ela quizesse dar eu meteria no cú dela. E Rosa concordou, então Rosa colocou umas almofadas que havia na coordenação no chão e ficou de quatro encima delas. Então quando Cristina falou no meu ouvido para meter no cú dela de uma vez só e com o máximo de força. E eu obedeci. Coloquei meu pau na entradinha do buraco dela, e empurrei com toda força, ela então soltou um grito de dor. Então Cristina começou a esfregar a sua xota na cara de Rosa e a gritar para mim a arrobar o cú de Rosa. Então eu excitado pela situação montei literalmente em Rosa e comecei a usar o peso do meu corpo para arrombar o buraco de Rosa, que nesse momento gritar e lambia a xoxota de Cristina e urrava de prazer também. Então eu senti que o gozo já estava vindo e comecei a enfiar com cada vez mais força ate a alcançar o fundo do buraco dela, quando alcancei enchi ele todo de porra. Então tirei meu pau do cu dela e continuei a ver lamber a xoxota de Cristina a ela gozar também. Então voltamos para o vestiário tomamos banhos juntos, e depois fomos embora, mas antes de sair Cristina disse que era uma pena que os treinos tinham acabado, e que devíamos ter aproveitado desde o começo. Mas na semana seguinte eu ganhei umas das provas que participei, e houve uma festinha particular no apartamento da coordenadora, e a Cristina estava presente. Agora mesmo depois de ter saído do colégio eu continuo freqüentado o apartamento da coordenadora e da Professora de Educação Física.        

Fodendo o Cú de uma Putinha Casada – Gato Guerreiro

          Estava morando em outra cidade, mas vinha seguido nos finais de semana ver meus pais, na época eu morava na capital. Tenho 40 anos, olhos verdes e o tom da minha pele é bem hispânico, meço mais que 12,80 cm.    Em uma destas vezes, em um sábado de janeiro no começo da tarde, cheguei ao pai e estava um casal na casa do meu pai, ela com seus quase 30, e ele já passando dos 60 e um filho, logo que entrei e fui apresentado vi que ela me deu uma olhada, e não pude deixar de notar que era muito gostosa, estava com um short jeans e uma blusinha de verão e vi que estavam se arrumando para ir para a piscina, o pai e o marido estavam na sala, e vi que ela e o filho de seis anos foram para o pátio com minha madrasta e fiquei na sala conversando com eles, até que o pai me pediu para pegar uma cerva na cozinha, e nossa, quando olhei para o pátio a vi com um biquíni preto socado no rabo, levei a cerva para o pai e voltei para a cozinha dizendo que ia fazer um lanche e aí pude conferir melhor o “material”, ela era pequena, acho que tinha um pouco mais que 1,50 m, uma bunda grande que me deixou louco e seios pequenos, quando ela estendeu a esteira para deitar e tomar um bronze viu que eu olhava sem parar se jogou na piscina, e logo saiu da água virada de costas para mim e ajeitou a calcinha do biquíni no rabo, depois virou de frente para onde eu estava e ficou me olhando, me encarando mesmo, fiquei louco, querendo pegar o corpo, e foi aí que ela disse que iria ao banheiro e veio em direção a mim perguntando por que eu não entrava na piscina, com essa resolvi ir para a sala onde estavam o pai e o marido, e perguntei por que não íamos para a piscina, estava muito quente, e ouvi que estavam muito bêbados e que preferiam dormir, mas que eu aproveitasse a piscina e o pai chamou minha madrasta e pediu que arrumasse uma cama para que o Marido fosse deitar, pq ele já estava indo para o quarto sestear, eu como havia começado a beber a pouco estava tranquilo, pedi uma calção do pai e fui para a piscina, e já mergulhei direto, pois meu caralho olhando aquele rabão já dava sinais de vida, e fiquei dentro d’água conversando com elas, me disseram que teria um jogo de cartas e que estavam esperando mais algumas amigas, bah notei que ficaria ali com Ela por pouco tempo, mas tudo bem, o marido estava lá, havia o filho e tudo mais.    Resolvi saber mais sobre o casal, ou melhor, a casada, e me contou que ele era aposentado e tinham uma loja para animais, um pet, mas que estavam com dificuldade de encontrar um veterinário que ficasse pelo menos 20 horas para atender, falei que era Veterinário e que era uma pena por que eu estava morando em Porto Alegre, e que talvez preferissem alguma veterinária e etc., e ela foi me perguntando o que eu fazia em Porto Alegre, se tinha namorada por lá, onde morava, se gostava de lá e a campainha tocou, eram mais três mulheres, todas com mais de 50 anos que haviam vindo para o jogo, e aí ficou o impasse de quem ficaria de fora, pois jogavam 4 pessoas, e foi quando Ela disse que ficaria de fora cuidando do filho e tomando sol, e fui buscar mais uma cerva e me pediu um copo, e voltamos a conversar e beber juntos, e a safada toda hora se levantava, eu estava dentro da piscina e ficava admirando aquele rabo quase que todo de fora e se jogava na piscina, saia rindo e arrumando o biquíni dizendo que a pequena peça insistia em não querer ficar no lugar, eu louco para atacar,mas como? E assim passou à tarde, resolvi entrar, pois vai que o marido acordasse e me pegasse ali só com ela e o filho.       Pai acordou, e logo o marido, e me perguntaram se eu não faria um churrasco para eles, respondi afirmativamente e os dois pediram para que eu fosse comprar carne, carvão, pão e trago, e vi quando o Marido pediu a Ela que fosse até a casa deles e trouxesse uísque, já que o pai não toma destilados. Enrolei um pouco até que ela saísse na minha frente, e segui atrás até nos afastarmos algumas quadras da casa do pai, e fiz sinal de luz e ela parou, disse que queria falar com ela, disse que eu a seguisse, e fomos para uma rua com pouco movimento atrás do clube. Entrou no meu carro, perguntou o que eu queria, e falei que o mesmo que ela, e tentei um beijo, me disse que não, que nunca havia feito nada depois do casamento, que eu era louco, mas eu insisti e foi cedendo até que correspondeu ao beijo, parecia faminta pela minha boca, a língua procurando a minha e acabamos em um beijo intenso, e coloquei a mão nas coxas, tirou minha mão e então levei a mão dela até a minha piça, tentou tirar, mas eu segurei a mão dela e disse:- Olha como ele esta louco por ti;- EU SEI, VI NA PISCINA QUE ELE TAVA ME QUERENDO, MAS NÃO POSSO, SOU CASADA E NÃO TRAIO MEU MARIDO, MESMO QUE JÁ TENHA TIDO VONTADE,e abriu a porta do carro, puxei-a de volta e disse que queria mais um beijo, e correspondeu, novamente levei a mão até as coxas e depois toquei a buceta por cima do short,disse me que NÃO e abriu novamente a porta do carro, então pedi só o nº do celular, me disse e saiu.          Peguei as coisas no mercado e retornei para casa, ela já havia voltado e mal me olhou, e o jogo havia passado para a sala e fui para a churrasqueira do pátio ao lado da piscina, o meu Pai, Marido e Ela vieram para a volta e o filho na piscina. Comecei o churras e perguntou se poderia me ajudar, eu disse sim, e com a carne no fogo, sentei para beber e ouvi quando ela disse para o marido que aquele dia estava com vontade de beber, ficamos conversando e bebendo, eles indagando da minha vida, falávamos da estância e às vezes eu ia até a piscina tomava um banho, e em outras ela tirava a canga ia até a piscina, brincava um pouco com o filho na parte mais rasa, até que o Marido pediu gelo, ela foi até a cozinha e eu disse que precisava ir ao banheiro, cheguei à cozinha e ela estava na ponta dos pés tentando pegar gelo no freezer da geladeira, cheguei por trás e encoxei, perguntei se precisava de ajuda, e a puta rebolou na minha pica:- PRECISO DE AJUDA PARA OUTRA COISA;Desvencilhou-se e retornou a churrasqueira, comemos o churras, o jogo parou as pessoas foram embora e ficamos apenas nós e o casal, o Marido já tinha um porre enorme, e meu Pai também, e foi quando resolveram ir embora e o Pai disse que eu fosse com eles para carregar o Marido até a cama, Ela me deu uma olhada que nossa, eu disse que claro que sim, e colocamos o cara no carro, o filho e fui seguindo eles. Chegando a casa ela me pediu que abrisse o portão, e a ajudasse com o marido até a cama, ajudei-o a subir até o segundo piso e o deitamos, depois me pediu que esperasse lá embaixo enquanto colocava o filho na cama, a casa era meio que afastada, com muitas árvores em volta e esperei na varanda sentado em um sofá, e depois de uns 15 minutos ela veio de banho tomado, louca de cheirosa, de vestidinho curto e com cerveja na mão, me ofereceu, mas eu disse que era melhor ir, que o cara poderia acordar, me disse rindo que só se ficássemos ali até o outro dia de manhã, pois do jeito que deitou não acordaria tão cedo, então puxei-a para o meu colo, ela relutou,mas sentou no meu colo e começamos a beijar, que beijo gostoso, a língua faminta e sedenta por um beijo gostoso, e minha piça foi crescendo, o caralho foi ficando duro e ela quis sair, mas eu peguei de jeito e dei-lhe outro beijo e meti a mão por baixo do vestido, toquei uma calcinha de algodão completamente molhada, e pelo lado da calcinha enfiei a mão e meti dois dedos na buceta, ela se levantou e disse que iria na cozinha buscar cerveja, logo que entrou eu fui atrás, peguei-a por trás, encostei no balcão da pia, e fui beijando o pescoço, e ela se derretendo, começou a rebolar comecei a levantar o vestido e quando olhei a calcinha me tarei, uma calcinha branca socada naquele rabo maravilhoso, e abri minha calça, ela me chamando de louco,coloquei a calcinha para o lado, tive a visão do cuzinho
e bucetinha bem rosadinhos e forcei a cabeça da pica naquela buceta pequena, me pediu para parar,mas ao contrário eu forcei até que a cabeça rompeu a resistência dos lábios vaginais e entrou, só que a cadelinha deu um grito e ouvimos barulho vindo da na parte superior da casa, ela tirou a cabeça da minha pica de dentro da buceta e saiu correndo para ver o que era, eu peguei uma cerveja e me dirigi para onde estava meu carro, e ela veio correndo, pedindo para eu não ir, e perguntei o porque? Beijamos-nos gostoso, se agachou na minha frente, abriu minha calça, tirou meu pau para fora, agarrou com suas pequenas mãos e começou a chupar, sabia o que fazia, e parecia estar com fome, pois quase arranca minha piça chupando, mordia a cabeça, lambia e colocava o que cabia na boca, eu vendo que ia gozar, levantei-a e a coloquei de costas para mim apoiada no capô do carro e levantei o vestido, rasguei a pequena tira lateral da calcinha que caiu no chão e me abaixei, lambi e chupei aquela bucetinha rosada, e passei a língua no cuzinho, ela rebolava muito até que pediu para eu meter, me levantei e sem cerimônias fui enfiando o caralho, passou a cabeça e ela gritou, tapei a sua boca e não perdi tempo e mandei piça para dentro da buceta tesuda, ela rebolava ao ponto de eu quase me descontrolar e gozar, mas tirei a pica, ela reclamou e enfiei bombando forte para dentro, e olhando aquele cú não tive dúvidas, enfiei um dedo, ela reclamou e coloquei outro mais, eu fazia com os dedos o mesmo movimento da pica,quando eu socava o caralho, ou seja, enterrava os dedos no seu rabo, até que ela disse que ia acabar, e eu disse no ouvido dela:- Goza, te acaba na piça que tu ta precisando;Acabei de falar e mordeu a mão que tapava sua boca para logo em seguida gozar pedindo porra, perguntei se queria leite dentro, disse que SIM, que queria dormir cheia de porra, e não tive dúvidas… acabei dentro, enchi de porra até a buceta transbordar, ela se virou, se agachou começou a limpar a pica voltando a mamar sem deixar a piça amolecer, mas não me deixou gozar na sua boca, levantou,me deixando de pau literalmente na mão me deu um beijo gostoso, disse estava louca para fuder, e que não iria conseguir dormir sem fuder comigo, e pediu que eu esperasse que ia buscar uma cerva, que eu não fosse embora, peguei a calcinha do chão,cheirei e coloquei no bolso.Trouxe a cerveja e ficamos conversando encostados no carro, me disse que depois que casara ainda não tinha traído o marido, mas não sabe porque comigo teve vontade, que não se lembrava da última trepada com o marido, que ele só queria beber, não queria ajudar no trabalho, que já vinha com muito tesão, que era raro o dia que não se masturbava, mas que não tinha coragem de trair, pois ele havia sido sempre muito bom para ela, mas que talvez por conhecer meus pai e madrasta teria sentido confiança para fuder comigo, sabia que eu morava em outra cidade, que eu sabia que era casada, que tinha filho.Falei que tinha ficado tarado nela, que a bunda perfeita havia me deixado louco, e que achei que valeria a pena correr riscos e nisso foi que nos entregamos a mais beijos ardentes, nossa que seca ela estava, que vontade de beijar, e sabia beijar, o beijo era ótimo e voluntarioso, foi quando encostado no capo do carro e com ela recostada no meu corpo comecei a levantar o vestido, e ela sem calcinha, eu havia rasgado e guardado no meu bolso, fui apertando a bunda, fui abrindo a bunda até que cheguei no cuzinho onde enfiei um dedo, me chamou de safado, mas começou a rebolar com o dedo no cú, enfiei outro e avisei no ouvido que queria fuder aquele rabo, disse que NÃO, que era virgem no rabinho,que não havia dado ainda, Eu quis saber o porque? Eu queria saber, como que com aquela bunda maravilhosa ninguém tentará fuder seu cú, disse que uma vez deixou um cara tentar, mas que foi bruto, que quando tentou meter a fez sentir muita dor, o que fez com que não deixasse enfiar, e que não deixou mais ninguém, mas falei que queria tentar fazer sem ela sentir dor, prometeu pensar, eu dizia que ela ia gostar, se rebolava como uma vadia só com os dedos no cú, imagina com uma pica, mas este assunto esfriou ela, que disse que precisava entrar, mas pedi que nos encontrássemos de novo, ela disse que sim, perguntou quando eu iria embora, falei que na segunda, me disse que era uma pena, pois segunda pela manhã poderia me ver, eu disse que tentaria transferir meu retorno, ela me deu um beijo, sorriu e falou que eu não iria me arrepender se ficasse e entrou em casa e fui embora.    No domingo passei o dia no meu Pai, mas não apareceram e como ela havia ficado de me ligar, não liguei, quando estava no carro saindo da casa do Pai,lá pelas 20h30, recebi um watts dela dizendo que queria me ver, perguntei: (>> como? Marido e filhos?> FALEI PARA ELE QUE VOU À CASA DE UMA AMIGA QUE ESTA DE ANIVERSÁRIO, QUE É UMA REUNIÃO SÓ DE MULHERES, ONDE POSSO TE ENCONTRAR?Falei para deixar o carro no estacionamento de um amigo meu e que lá a pegaria, que em 15 minutos estaria lá. Liguei para meu amigo e combinamos tudo com o ronda do local, e mandei um watts pedindo que ela buzinasse na frente e entrasse com o carro, que eu estaria lá dentro aguardando. Tudo combinado e depois de uns 10 minutos de espera ouvi uma buzina e o carro dela entrar e estacionar ao lado do meu, e logo ela estava sentada ao meu lado, vestido curto preto e sandálias (eu não deixaria minha mulher sair assim para a casa de uma amiga) e me abraçou e me beijou demoradamente na boca e falou para sairmos dali, e não perdi tempo, e já fui perguntando aonde iríamos, falou em ir até um trailer de lanches para tomarmos uma cerveja, então parei o carro em uma rua com menos movimento, puxei a para mim e dei um beijo bem intenso, e já coloquei a mão no meio das coxas procurando a bucetinha, toquei por cima da calcinha, e no seu ouvido disse que não tínhamos muito tempo, e que o melhor era bebermos alguma coisa no motel sem o risco de sermos vistos, ela disse que topava e fomos até o motel, escolhi uma suíte com hidro e logo que abrimos a porta eu já fui puxando ela, pegando gostoso, beijando com tesão, e virei a de costas, apoiei a na pequena mesa do quarto e levantei o vestido, nossa que bunda, que rabo gostoso, e uma calcinha preta socada no cú, não tive dúvidas me abaixei e abaixei a calcinha até os joelhos e chupei por trás aquela bucetinha com pelos bem aparados, enfiei a língua lá dentro e a puta toda olhada e rebolando e lambi bem gostoso o cuzinho, quando cuspi vi que se arrepiou toda, e tirei a calcinha dela que estava pelos joelhos, me levantei e tirei minha roupa e apontei a piça para a buceta e fui metendo a cabeça, ela rebolou e parei, e quando suplicou pedindo pica fui metendo todo o pau bem devagar até que enterrei, dei um tapa na bunda e mandei rebolar, ela rebolava muito gostoso, e comecei então a socar…socar, tirar toda a pica, e enfiar de novo só quando ela suplicava, e as vezes tirava e pincelava o cuzinho, ela dizia que ali não, mas eu queria aquele cú, só que não tinha pressa, e foi então que comecei realmente a meter sem tirar para ela gozar e não demorou muito me disse que ia gozar, que queria porra dentro, mas eu não falava nada, e senti quando se contraiu e gozou, se acabo na piça, os gemidos e os gritos acho que foram ouvidos nos outros quartos, me encostei na parede e ela veio, se agachou e começou a chupar minha pica toda melada do seu gozo, e que vontade de chupar caralho, lambeu todo e depois colocou a cabeça e o que deu na boca, e depois foi chupando compassadamente enquanto batia uma punheta me fez enlouquecer, eu avisei que iria me acabar na boca, mas eu queria era o cú de safada, e no cú ela só dizia que não, e não aguentando mais gozei, e fiz ela toma toda a porra e ai que vi que me chupava e punhetiava com uma mão,mas tinha a outra na buceta massageando o grelo, então coloquei a na cama e comecei a chupar a buceta gostosa, e que bucetinha apertada, chupei aquele grelinho até me avisar que iria gozar, e parei, coloquei a de 4 na cama, lambi o cu
zinho e soquei pica na buceta, ela gemeu e comecei a fuder forte, socando sem tirar, até que deixei todo dentro e se pôs a rebolar na vara, enfiei um dedo no rabinho e ela não falou nada, meti dois dedos e fiz o mesmo movimento que fazia com a piça na buceta, e pedia o cú, que queria meter e ela só dizia não, então tirei da xota, melei com meu pau todo o cú e o reguinho e falei que ia meter, ela reclamou, mas meti a cabeça vendo aquelas pregas se abrirem, a cabeça passou, disse que estava doendo, esperei o rabo se acomodar com meu pau, até que disse para eu meter mais um pouco, e fui metendo, saboreando cada centímetro aquele cú até que entrou todo e pedi que rebolasse, nossa como rebolava, parece que estava gostando da pica no cú e foi quando eu resolvi tirar e vi aquele cú gostoso todo aberto, me disse para colocar e gozar lá dentro, que queria saber como era porra no rabo, e enfiei e soquei até ela pedir para eu gozar porque estava ardendo, e acelerei meus movimentos e gozei dentro do cú, e logo ela pediu para eu tirar e quando tirei caiu na cama, deitei ao seu lado e falei que iria para o banho. Quando estava no banho ela começou a encher a banheira, colocou uma touca na cabeça para não molhar os cabelos e entrou rapidinho comigo, me deu um beijo gostoso, se lavou rapidinho e disse que agora queria na banheira, perguntei o que desejava na banheira?- QUERO QUE TU FODA MEU CÚ;Mais que depressa sai do chuveiro, ela já esta imersa na água morna da banheira, entrei já de caralho duro e ela veio para cima de mim, com as pernas abertas sentou no meu colo, e sentou com a piça digamos que deitada, e ela esfregando a buceta no lombo do pau, e trocávamos beijos ardentes, chupei os seios, mordi um e depois o outro, tirei a touca de banho, pediu que eu cuidasse para não molhar os cabelos, levantou um pouco e ficou agachada, meu caralho ficou posicionado na entrada da buceta, e ela deixou o corpo cair fazendo com que a pica entrasse toda enterrando toda na buceta, e começou a levantar e abaixar, levantar e abaixar,até que tirou, foi para o outro lado da hidro, se apoiou na borda expondo aquele rabão para mim, e disse:- VEM!Fiquei de joelhos, ensaboei bem o cuzinho, coloquei meu pau no rabo já aberto e meti tudo em uma estocada só, ela gritou,urrou e começou a rebolar gostoso, falei que se masturbasse e segui metendo forte no rabo, mas o que eu mais curtia era tirar todo o caralho e ver aquele cú arrombado, todo aberto e assim foi até que ela gemeu alto, pediu para eu gozar com ela e nos acabamos junto. Virou-se para mim, sentou novamente no meu colo e disse que queria que fossemos amantes, perguntei como????- EU DOU UM JEITO, VOU A CAPITAL FAZER ALGUM CURSO, TU VEM, SÓ NÃO QUERO FICAR SEM FUDER CONTIGO.Saímos do banheiro, tomamos uma rápida ducha, pediu que eu a levasse até o carro que já estava tarde, prometi que ligaria para o meu gerente dizendo que faria algumas prospecções de clientes na cidade.

Divertindo-se com bonequinhas

Quando tô sozinho com minha gata,fazemos loucuras.Meus pais são separados e tenho duas irmãs pequenas por parte dele.Meu nome é Gabriel e o da minha gata é Andréia,os amigos íntimos me chamam de Gabi e minha gata de Déia.Um dia eu e minha gata estávamos na casa do meu velho,mas ele resolveu passear com a família,e eu e a Déia(minha gata) ficamos sós.Aliás,sós não pq tinha uma penca de bonecas no quarto de minhas maninhas,e aí eu vi que ia ser uma tarde bem boa.Detalhe:Elas são todas originais e compradas em shoppings,não tem nenhuma do Paraguai e camelô.Todas muito bem cuidadas,limpíssimas,caríssimas e tratamento VIP mesmo.Mais bem tradadas q muita gente por aí,infelizmente(tola e triste comparação,mas é verdade)Não demorou 5 minuntos que eles saíram e nós começamos a nos beijar e nos amassar.Tiramos a roupa lentamente e comecei a cheirar a Andréia,tocar na bunda dela ,lambê-la e comer o cocô dela,limpar o cuzinho dela com minha língua e fiz bom proveito.Tudo em cima da cama de uma das minhas irmãs. Depois tomei um Licorzinho de Cacau básico pra continuar tudo limpinho por dentro,hehehe. Às vezes repito a dose enquanto estou tomando esse remedinho e mesmo qdo não tô tomando, pois dura meses.Faça isso,é divertido. Tu gozarás muuuuuito.Se vocês se conhecem bem,se cuidam,sabem que são saudáveis e limpinhos não há problema. Bem,não é necessário comer, isso é pra quem gosta muito da pessoa ou da tara(como eu),mas dar uma lambidinha e se lambusar na cara com é divertido,saca?! E as bonequinhas das tuas irmãzinhas que não tão em casa, tudo assistindo vocês se deliciando,ô coisa boa!

Minha mãe Janaina

Férias, Ahhhhh finalmente férias depois de vários anos de trabalho e faculdade.Deu certo e a féria de mamãe caiu junto com a minha, já papai novamente não conseguiu.Sou Pedro 25 anos, estudante de engenharia, branco, 1,77m, olhos castanhos, cabelos curtos e pretos.Janaína minha mãe, branca, 48 anos, 1,68 aproximadamente, olhos castanhos claros, cabelos pretos como os meus, seios médios para grandes, quadril largo, coxas roliças, levemente acima do peso e uma bunda maravilhosa ( eu jamais havia olhado para ela dessa maneira e reparado esses dotes todos até acontecer o que vou relatar aqui).Os nomes e descrições são reais, mesmo porque devem existir milhões de pessoas parecidas e mesmos nomes, e, no entanto, somente eu e ela sabemos o que aconteceu. É nosso segredo!Planejamos em família férias para todos já há alguns anos, mas nunca calhava escola/ faculdade, trabalho meu , de mamãe e papai.Neste ano deu certo meu trabalho/ faculdade e trabalho de mamãe, planejávamos os três visitar parte do Brasil de carro, mas mais uma vez papai não pode.Estávamos já chateados por cancelar os planos e papai insistiu que curtíssimos as férias, eu, e mamãe, o que acabamos por aceitar.Conforme planejamos, arrumamos as malas, revisamos meu carro que é mais novo e saímos de viagem.Destino? Um pouco do sul e um pouco do nordeste, iriamos de carro para o sul e viríamos subindo e conhecendo alguns lugares, retornando à nossa casa em São Paulo em cerca de 20 a 30 dias.Dinheiro e cartões no bolso, malas no porta malas, disposição a mil…. Lá fomos nós estrada a fora.Nada de anormal até então, conversamos amenidades no caminho , papo de mãe e filho, nada de mais.Ela quis, então dirigiu nos primeiros 300 km, paramos e almoçamos, como eu ia dirigir o restante do dia, comi pouco e tomei um suco, já mamãe disse que queria curtir a paisagem um pouco e relaxar e como não ia mais dirigir, almoçou e tomou cerveja, o que a deixou levemente alegre.Seguimos viagem, achei que ela ia cochilar, mas na verdade o papo acabou ficando mais animado, o que é bom pois não daria sono ao volante.Demos muitas risadas, contamos piadas, falamos mal do vizinho, da vizinha , enfim, essas coisas naturais.Acabamos entrando no assunto sexo, algo que não tínhamos costume nenhum de fazer, mas ambos encaramos com naturalidade total.Somente quem estudou engenharia sabe o que é a vida social de estudante, realmente não existe vida social, menos ainda sexual.Ela me perguntou a respeito e fui direto, dizendo que a mais de um ano quase nem punheta batia e ainda retruquei:- Mãe, feliz é você que pode ter sexo sempre que quiser…- Não é bem assim filho… ( disse ela ) ainda tenho muito fogo, mas seu pai é bem devagar, e com a idade chegando está rareando mais, tb estou quase seis meses sem nem ver o brinquedo !- Você faz engenharia mãe?Ela caiu na gargalhada e eu também.Os assuntos foram ficando cada vez mais picantes, e fomos nos abrindo um para o outro.Quis saber se ela já tinha tido outros, e ela disse que não, que havia perdido a virgindade com meu pai, embora já tivesse tido vontade de experimentar outro , e já ter transado pensando em outro e se masturbado tb.Ela tb perguntou de mim e eu disse que já tinha tido algumas garotas umas 3 ou 4, e que tb já tinha transado com a última namorada e pensado em outra na hora da transa e me masturbado pensado em outra tb.Rimos muito, o papo estava muito natural e descontraído, mas muito excitante, meu pau parecia que ia explodir com aquele papo de sexo, e ela estava muito solta, e exaltada o que mostrava que também estava muito excitada com o papo.- mãe, posso fazer uma pergunta indiscreta?- claro filho, não temos mais nada a esconder..- É que esse papo me deixou excitado, você também ficou excitada?- Confesso que também fiquei, também é natural né? Ambos na seca, e falando de rios e lagoas……Novamente rimos muito, mas não paramos de falar no assunto, estávamos visivelmente muito excitados, mas falamos sobre posições sexuais, tamanho de pênis, clitóris, oral, vaginal, anal…. o que confessei que nunca tinha feito.Ela confessou que fez apenas umas três vezes, pois papai não era muito chegado, e que ele tb nunca tinha gozado na boca dela e nem ela gozou com oral dele.Já tínhamos rodado quase 700 km e o cansaço era grande, paramos num restaurante, jantamos e procuramos um lugar para dormir e descansar.Mas um erro nosso na viagem, foi não marcar pontos de parada e descanso, e próximo apenas motéis de beira de estrada, acabamos parando em um.Com todo respeito pegamos um quarto, claro, uma enorme cama de casal, entramos e ela quis um banho, o banheiro era separado do quarto por apenas um vidro e ela pediu que eu não olhasse, caralho mano, dia todo de pau duro, a coroa entra no banho com aquele vidro transparente…. juro que eu tentava ver a tv, mas vira e mexe meus olhos corriam para a vidraça e pela primeira vez eu a via como mulher, não como minha mãe.Ela acabou seu banho, colocou uma camiseta regata e uma calcinha pequena preta, e veio para a cama, no meu banho, procurava pensar em outra coisa e ficava de costas para ela, pois meu pau estava duríssimo.Deitamos, cada um num lado da cama, nos cobrimos com lençol e assistimos um pouco de tv adormecendo em seguida; estava meio friozinho e acordei de madrugada encaixado nela de conchinha, de pau duro, a cabeça saindo pra fora do short, eu estava sem cueca, caraca velho, eu tava encoxando mamãe , meu pau no rego dela, babando, e ela segurando meus braços em volta dela.Foi difícil dormir assim, e ela estava consciente daquilo com certeza… acordamos de conchinha, ela olhou para trás e perguntou se eu tinha dormido bem.Isso é pergunta?-Mãe, sinceramente…. não foi fácil dormir nessa posição……-Eu sei, acho que o friozinho da madrugada fez com que ficássemos assim naturalmente, sem querer, mas estava quentinho, e, acabei ficando excitada também….Continuávamos deitados de conchinha após essa troca de dialogo, para ambos estava gostoso… Eu de pau duro ali com ele encaixado no meio das nádegas dela, caralho mano, tesão da porra….Ela deu uma leve espreguiçada e em seguida puxou meus braços forçando um abraço nela por trás mais forte, ao mesmo tempo forçou sua bunda levemente para trás, eu a acompanhei no movimento, agora forçando a pica dura por entre suas pernas.Desse abraço, fiz um movimento leve com a pélvis e ela acompanhou, e poucos segundos após mexíamos as pélvis encoxando mais gostoso….Puta que pariu, que coroa gostosa velho, que bunda….. não era mais minha mãe, mas uma coroa deliciosa e não era mais seu filho, era um garotão caralhudo…..Era inevitável, e minha mão escorregou para dentro de sua calcinha, revelando uma buceta encharcada de tesão. Ela se virou e enfiou a mão no short liberando minha rola pra fora.Masturbou um pouco, me deu um selinho e caiu de boca na piroca….Puta que pariu que tesão, caralho, como a velha chupa bem pra caralho, melhor chupada até aquele dia….Arranquei sua calcinha, e retribui da melhor forma possível, chupando seu grelinho, correndo a língua na entrada de sua buceta, indo até o cuzinho e voltando, dando muita atenção ao grelinho e aquela buceta encharcada, (acho que foi a mais encharcada que conheci).Perdi um tempo ali naquela buceta , lambendo muito e chupando, arrancando um primeiro gozo dela em minha boca, quase quebrou meu pescoço com as pernas, tamanho espasmo no gozo.Tomei todo seu mel, que aliás estava delicioso, que buceta maravilhosa, ele então me puxou de encontro ao seu corpo, e meu pau foi entrando em sua buceta sem pedir licença.Comecei um vai e vem e ela começou a gemer forte, quanto mais forte ela gemia, mais forte eu metia em sua buceta, estávamos doidos de tesão.Tirei de sua buceta coloquei ela de 4 e sem dó meti fundo em sua buceta, com força e vontade, arrancando gemidos cada vez mais fortes e altos.- Fode… Fode filho, comeeeee, me fode, põe tudo caralho que pau duro gostoso, fodeeeeeAimmmm que pau delicioso grosso, tá arrombando a mamãe…. fodeeeeee.
…Ela dizia e gemia sem parar, e cada vez mais eu socava naquele bucetão, que estava bem fechadinha por sinal, muito quente e melada, nossa que potranca……Em meio a estocadas ela novamente gozou forte estremecendo as pernas e lambuzando mais ainda meu pau com sua buceta e apertando meu pau com seus espasmos, fazendo com que eu gozasse dentro dela….Caímos na cama deitados, mas ainda por cima dela e pau dentro de sua buceta ainda duro, respirações ofegantes, ficamos assim por um tempo relaxando, meu pau foi amolecendo até sair sozinho de dentro.Ela se virou e me beijou loucamente na boca.Mano…. caralho, que coroa deliciosa, nunca tinha visto ela como mulher, apenas como minha mãe. A velha mete muiiiiiiito…..Sorrindo ela me disse – será nosso segredo…. por favor…..Pedro…… seu pai…..Colocando meu dedo em sua boca….- Shhhhhh….. Será nosso segredo, ninguém jamais vai saber, papai não pode nem desconfiar Dna Janaína…..Novamente nos beijamos como namorados apaixonados.Após leve cochilo, nos banhamos e pedimos café, e após o café, trocávamos impressões sobre a foda ocorrida.- Pedro, que delicia de pau você tem, mais grossinho que seu pai, me fez me sentir virgem de novo.-Dna Janaína, você é muito gostosa, tem uma buceta maravilhosa, apertadinha….Nos beijamos e ela novamente me chupou, me fazendo comentar que era a melhor chupada na rola que eu tinha recebido…Ela sorriu e continuou o boquete maravilhoso e meu pau mais uma vez deu sinal de vida e ficou muito duro.Mais uma vez meti fundo em sua buceta, que estava meladaça, gozamos juntos desta vez, metemos mais um pouco mais tarde e acabamos saído do motel somente após o almoço.Após muito sexo, muito melado, muita porra….Após conversarmos a respeito… decidimos publicar o ocorrido,Continua…..

Comi a sogra querida por engano

Minha sogra e uma senhora destinta,pessoa séria .Do tipo que não fala nada na malícia etc .Sempre me tratou bem .nunca tive nada contra ela.Certa vez numa virada de ano fizemos um churrasco no meu sítio no interior de São Paulo.Foi a família toda , e como eu não ia dirigir não economizei na bebida,até minha sogra que não e de beber exagerou .A festa estava rolando e todos se divertindo.Falei para a minha esposa que iria para o quarto e que se ela quisesse se devertir era só ir lá depois .Fui para um dos quartos de hóspedes bem no fundo .Fiquei nu como gosto de ficar .Eu estava bem chapado,logo vejo a porta abrir,quarto estava escuro,vejo um vulto entrar ,só senti um cheiro gostoso de sabonete ,eu já fiquei de pau duro .A cama do quarto e dessas king ,enorme .Eu sempre brinco com a minha esposa ,deixo ela dormir para atacar .Como ela sabe ela deita de bunda para cima .Bom logo percebi que estava deitada de bumbum para cima ,e que estava de vestido .Eu cutuquei não falou nada .Opa sinal que vai ter brincadeira.Dei uma alisa na bucetinha,mas estava diferente,porém como eu estava chapado nem liguei .Só sei que murmurou algo que não entendi nada .Dei uma boa cuspida no pau ,abri a bunda e meti o pau .Senti meu pau entrar muito justo e um grito apertado como se tivesse mordendo o travesseiro.E ficou inerte sentindo o pau entrar e sair e gemendo não sei se era de dor ou prazer.Soquei forte ,sentia as bolas bater na bunda sem nem querer saber de nada que não fosse a sensação de invadir aquele cu( que até então era da esposa )Quando num tesão enorme eu gozo lá no fundo daquele cu, porém percebi que ela também gozou suspirando .Fiquei encima dela sentindo o cu piscar .Quando ela vai até a luz acende .Nossa que susto,era a minha sogra toda descabelada enrolada no cobertor ,estava ainda grog da bebida e da gozada .Tentei explicar,que eu achava que era a minha esposa etc.Ela falou que estava mais com vergonha que com raiva .E que minha esposa jamais poderia saber do ocorrido,pois era uma mulher direita e seu falecido esposo se quer tinha cogitado fazer algo daquele tipo.pois nem mesmo dar um beijo durante o ato sexual dava,muito menos essas coisas de sexo oral anal etc .Eu sempre tive o maior respeito pela sogra ,que era viúva a anos e recatada.Mas naquela hora me deu um tesão ,pois pensei se ela nunca foi chupada Será chupada hoje .Não sei se foi a situação ou a bebida,não pensei duas vezes.Puxei ela para a cama que ficou sem ação ,cai logo de boca na buceta cabeluda dela ,ela ficou sem saber o que fazer e só gemia ,quase me jogando para dentro da buceta ,imagina uma senhora de 65 anos sendo chupada pela primeira vez.Ela se contorcia toda na minha língua,não demorou a gozar .Ficou mole jogada a na cama .Eu logo peguei meu pau e coloquei na boca dela que nega deixar meu pau entrar .Eu forcei até que ela cedeu ,mas não sabia o que fazer ,falei para ela chupar ,falei que ela podia não ter feito ,mas que no mínimo já havia visto filme e que fizesse igual ,assim ela fez mas seus dentes raspavam muito ,então mandei ela ficar com a boca parada .Dei umas metida na boca dela bombando.Até que sem nem pensar em camisinha,soquei o pau naquela buceta a anos sem levar rola e toda gozada .Não sei explicar,mas era uma sensação deliciosa,pois era bem apertada ,fiquei num vai e vem delicioso,e logo gozamos juntos.E ficamos aguarrados sem falar nada só abraçados .Logo comecei um vai vem outra vez,como eu já estava com o pau na buceta foi começar .Coloquei ela de quatro e fudi gostoso, acho que ela nunca tinha gozado tanto quanto aquele dia .E quando eu senti que iria gozar virei ela e soquei meu pau em sua boca ,gozando no fundo de sua garganta,segurei a cabeça dela para não fugir ,e quando eu vi ela estava vomitando em pau que continuava a jorrar porra em sua guela .Mas não soltei enquanto não parei de gozar .Logo estavamos lá cheio de porra e vômito .Ela me deu uma bronca .Fui para o banheiro tomei um banho , chamei minha esposa a mando dela e falei que sua mãe estava passando mal devido a bebida .Limpamos o quarto com minha esposa tirando sarro da mãe , mau sabia ela né.No dia seguinte,minha sogra me chama e fala que foi um erro ,porém que adotou ,mas não podia falar para ninguém e que nunca mais tocasse no assunto .Assim fizemos ,porém eu que já era querido pela sogra passei a ser mais paparicado por ela ,que sempre me olha com desejo .Espero que tenham gostado e dêem seu voto.

Tomei Leitada de um Motorista do Uber.

Tinha acabado de sair da Sauna Relax daqui de Campo Grande, aqui busao somente até a meia noite, ai que que recorri ao famoso aplicativo Uber, tinha tomado algumas cervejas e curtido uma noite legal, afinal o local é agradável e sempre vou pra sair da rotina.Sou Leandro, tenho 19 anos, corpo magro, olhos castanhos e cabelo liso jogado no olho, tenho 1.70 de altura e trabalho como vendedor numa loja do centro, curto sexo e uma boa rola, pra mim o cara tem que ser daqueles com pegada, que saiba comer um cu sem dó.Como disse chamei o Uber que não demorou muito, como estava com pressa nem me detalhei a beleza do motorista que só pude admirar quando adentrei no carro.- Boa Noite!Aquela voz grave e sua cordialidade me chamava a atenção, fomos conversando ao ponto dele me perguntar.- Onde você estava é uma sauna gay?Respondi que é sim e o papo foi fluindo, ele devia ter por volta dos 29 anos, estava bem vestido e ao analisar tinha uma barba de leve, moreno e meio encorpado.Como moro longe fomos conversando e ele parecia curioso a respeito da sauna e confessou que tinha receio de ir.- Mas lá rola pegação?Perguntava ele.- Se você for nesse intuito sim, mas tem gente que vai pelo ambiente. Respondo.Então aquele motorista gostoso me confronta.- Você foi por qual?Dei uma risada de leve e disse que fui pelo ambiente, mas acabei curtindo com cara, acabei mamando ele é só, falei assim já pra estigar, afinal estava perguntando demais.- Então você gosta de mamar kkkk (dava uma risada maléfica)Respondo na lata.- Se o conteúdo valer!Noto que ele diminui a velocidade da corrida ao entrar numa rua escura.- 20 centímetros mata sua vontade? Tá balançando pra você!Na hora fiquei sem reação e dei uma olhada, era uma magestosa pica grande e grossa…. Ele parou o carro e fui para o banco da frente conferir de perto aquele instrumento, pequei naquela pica convidativa a ser mamada, com veias saltando e uma cabeçona.Comecei a chupar aquele pau, putzzzzzz que rola gostosa, mal cabia na minha boca, ele forçava minha cabeça e literalmente eu caia de boca ouvindo ele gemer.Aquele cara delirava e fodia minha boca, apesar do carro ser meio apertado eu curtia aquela situação, enquanto tinha uma pica me fudendo pela boca eu ainda sentia seu corpo.Me apoiava naquela perna grossa enquanto caminhava minha lingua por toda extensão daquela geba.Ele viajava na mamada ao ponto de gozar em momentos, me lambuzava com cada gota que saia aos poucos, porém queria mais e mais… queria seu jato todo de porra me fazendo engasgar, queria engolir seu leite… Chupava suas bolas enquanto o punhetava, então sentia o pulsar daquela rola no extremo prazer, começo a mamar, engolir cada centímetro e num vai e vem rápido e violento, aquela forma de engolir e voltar acelerado ao ponto de se engasgar, ele anunciava seu gozo e então loucamente ouço seu urro de prazer, sentia a quentura da sua porra é então engolia tudinho sem perdoar nenhuma gota.Que delíciaaaaaaaaaaa!!!!!Aquele motorista além de roludo tem uma potência na gozada, maravilhoso sentir jatos quente…Depois naquilo pequei o número dele, já me deixado em casa ele me avisou.- Na próxima quero gozar no seu cuzinho.Sai rebolando pra ele e já com cu piscando.FimAutor. Daniel?Gostou do conto? Deixe seu voto e seu comentário, pois assim você ajuda a gente melhorar a cada dia mais.??????????????????                                

o sogro

Referência (ID): 1238veses ela que tambem se sentindo culpada suportava a situaçao .quase se deprimindo com a vida que estava levando . e por se sentirem distantes ele propos retornar a casa de seu pai pois seu novo emprego o afastaria ate quinze dias ou mais dela. E para que não ficasse so, ela teria a compania de seu pai que enviuvara a seis mesess, assim solucionaria a situaçao para ambos . pois Este conto começa,quando Marli ao lado de alberto veem morar com o sogro após cinco anos de casamento , onde durante treis anos tentaram serem pais . mas ao nao conseguir engravidar sua esposa . Ele frustado perdeu seu apetite sexual . e nestes dois ultimos anos procurava poucas ela se sentiria menos so o mesmo valendo para seu pai. Ele poderia viajar tranquilo sabendo que ambos não estariam sos. Sr evandro um sessentao alegre estrovertido sentira muito o falecimento da esposa mas calejado pela vida toocava para frente conformado não se abatera, e ficou muito feliz por ter compania no enorme casarao que habitava já a seis meses sozinho. A semana foi uma novidade para ambos . pois marli se encantara com a arquitetura e os jardins do velho casarao . e se distraia ao lado do sogro cuidando com esmero das plantas e propondo ate uma reforma uma nova pintura para o novo lar .oque deixou alberto satisfeito pois acertara em seu intento de deixar todos bem acomodados. Assim poderia viajar tranquilo pois seu pai e sua esposa estariam bem ..tudo acomodado alberto partiu numa segunda feira para suas vendas e so retornaria dezoitodias depois. Sr Evrando e marli pareciam duas crianças cuidando de tudo juntos faziam o café da manha depois iam cuidar das plantas faziam o almoço descansavam retornavam ao jardim banho jantar , tv dormir cinco dias depois isto já seria uma rotina. Se não fosse que osr Evandro disse a ela que toda sexta feira ele se reunia com os amigos para uma trucada .mas que ela não preocupace que tudo ficaria bem e assim que pudesse ele estaria em casa .ela ate incentivou ele a ir mesmo que seria bom para ele sair da rotina. E assim foi. O dia estava amanhecendo quando ele voltou.ela nem viu ele chegar pois dormira num sono profundo.naquele sabado ele não desceu para o café . nem para o almoço . ela sem saber que ele voltara tao tarde . preocupada subiu as escadas pois o quarto dele ficava na parte sobradada da casa . ia bater na porta mas percebeu que ela estava encostada. Entao para não incomodar resolveu espiar se tudo estava bem .Evandro roncava deitado de barriga para cima somente com uma cueca samba cançao, que deixava escaparaquele enorme falo adormecido como seu dono mas de uma protubelancia nunca imaginada por ela mole como estava tinha o dobro de tamanho do pau do filho .um arrepio percorreu seu corpo e marli saiu dali atordoada.eram duas horas da tarde quando ele desceu, marli prestou atençao pela primeira vez naquele homem .ele era enorme tinha um corpanzil de quase dois metros pesava uns cem quilos timha uma mao enorme e dedos compridos os cabelos grisalhos ea barba por fazer davam a ele um jeito masculo que encantou marli. Como um predador sempre alerta em busca da caça ele sentiu o olhar de desejo nos olhos dela .decidido audaz resoluto ele caminhou em direçao ate ela colocou um dedo sobre a boca dela contornou os labios e pressionou forçando –o entrar ela fitou bem fundo os olhos dele depois cerrou seus olhos serpentiu a lingua naquele dedo.esorveu com deleite deixando escapar um gemido choroso. Entao ele penetrou outro dedo naquela boca gulosa e começou um movimemnto de ir e vir entrando e saindo. Com a outra mao desnudou seus seios que saltara m pontudos denunciando todo extase que ela sentia ganiu como uma cadela quando ele manuseou aqueles bicos enormes salientes.insana ela desabotou sua calça e viu saltar um caralho enorme duro completamente erecto. Alucinada ela trocou os dedos que estavam em sua boca pelo caralho que babava lambendo toda glande e depois engulindo o maximo que podia. Ele a despiu e viu que da sua buceta escorria veio de mel que lambuzava suas coxas. Jogou-a literalmente sobre a mesa .Marli escancarou as pernas , ficando toda exposta sua buceta piscava ela sentia faiscas percorrerem seu corpo implorou chorosa paraque ele enmtrace nela. Ele judiava passando a glande por sobre seus grandes labios.e depois se afastava deixando ela alucinada.evandro afastou as coxas dela e beijou o grelo ela deu um uivo animalesco ao sentir o toque da lingua dele e se esvaiu em gozos alucinados sendo lambida na vulva ele sabia oque estava fazendo dando chicotadas com a lingua em sua buceta. Como se estivesse tendo um ataque epiletico marli tinha convulçoes se contorcendo comoum animal ferido deu um grito profundo e desfaleceu num orgasmo violento profundo choroso alucinado …..

O ÊXTASE CONDENSAVA OS INSTANTES

O   ÊXTASE   CONDENSAVA   OS   INSTANTESAo pisar na rua de casa, veio o alívio de mais um dia de trabalho. Subiu sem mais preocupações os últimos metros; pegando o chaveiro e identificando em meados as chaves que iria usar.Se aproximando do portão, percebeu que estaria só. Neste instante um sorriso se fez. Pois sua vida sempre foi feita sobre regras e disciplinas e naquela condição se sentiria mais a vontade.Fechou a porta da sala, colocando um ferro atrás. Evitaria se surpreender com a entrada repentina de alguém.Avistando o seu quarto do corredor, tirou os sapatos deixando-os encostados pelas paredes do mesmo.Quarto à dentro colocou os acessórios do vestuário em cima de uma cadeira, juntamente com o chaveiro e a bolsa. Em seguida prendeu para o alto com dois grampos, os leves cabelos que o vento antes beijara.Deitou na cama e fechou os olhos aos toques no controle do aparelho de som.Respirações profundas foram promovidas em base no poema musicalizado. Ficou naquele estado por alguns minutos.Ao terminar a primeira canção, pôs-se de pé. Abriu a janela, tirou a roupa e jogou no sofá.As músicas se seguiam e com um brilho nos olhos aumentou o volume.Na estante pegou uma toalha, uma bucha, o sabonete líquido e seguiu para o banheiro. Este de cor esverdeado a cobria de anseios.Debaixo do chuveiro, ainda desligado, pendurou a toalha e soltou os cabelos colocando o sabonete no chão.Abriu a torneira e de olhos cerrados, ficou ouvindo o delicioso barulho continuo, do cair da água. Sentia cada respingar.Vagarosamente, os dedos penetraram na água. Aquela sensação, fez ficar ereto os pelos da pele desnuda.A água corria pelos cabelos, pescoço, seios, barriga, pernas e pés.As paredes do banheiro ficavam molhadinhas, com o calor omitido de ambas as matérias.Já com os olhos abertos, via a água evaporando. Sua pele esquentava com a água, a água esquentava em sua pele e ambas esquentavam com o ambiente teso.Sentou no piso verde, estendendo as pernas. O friozinho do chão trazia sensações novas e delirantes.Abriu o sabonete e deixou que gota a gota caísse. Aquelas gotas embranquecidas, trouxe um gosto a boca.Massageou as pernas envoltas no líquido, os pés, os dedos dos pés, as solas dos pés, os tornozelos. Subiu para os joelhos, as partes externas das coxas e as internas.Chegando em seu sexo, despejou em jatos o sabonete. Não se contendo, levou rapidamente suas mãos. Acariciou os pelos pubianos, o Monte de Vênus, o clitóris, os lábios maiores e os menores. Na entrada da vagina, em meio a sussurros, deixou que o dedo impregnado penetrasse.Contorcia de prazer, em meio à água corrente, o vapor e o líquido embranquecido por toda parte.Foi se restabelecendo aos poucos, para dar continuidade a outros prazeres que viriam.As mãos cheias de sabonete foram de encontro às nádegas. Os mesmos dedinhos bailavam na entrada do ânus. Ouve-se então, mais sussurros.O clima entorpecia e um vento frio da janela chegava até a sua alma; contribuindo sem saber, para o aumento da excitação daquele momento.Ela pensa em sexo, cheira sexo, vê sexo, ela é sexo.Quase em desespero, correu com as mãos lentamente para as costas, barriga e umbigo. A quantidade de sabonete nos seios trouxe novamente o gosto da língua na boca. Acariciou suavemente os seios, pescoço, pálpebras, orelhas, lábios, seios… Para suavizar um pouco, levantou para pegar um frasco de xampu, que estava sobre uma prateleira de vidro. Despejou nos cabelos e desembaraçou-os com os dedos das mãos.Olhando para o frasco de xampu, de volta na prateleira se excitou, ao notar a sua forma. De volta em suas mãos, o lambeu e depois introduziu na boca em movimentos os mais diversos. Percorreu com o cabo do frasco, em regiões determinadas e não determinadas. Parou em seu sexo e friccionou intensamente. Com um gemido agudo de gozo, ocorreu à penetração.Envolta de tesão, ao tentar se agarrar na parede notou na prateleira outro frasco de xampu.Que delícia! Pensou apossando dele.Lambuzou todo o fálus com o sabonete, levando a boca, lambeu todo o seu sêmen. Em seguida, o cabo do frasco do xampu, sofregou por entre a sua espinha dorsal. Envolto do seu furico, soltando mais um gemido agudo. Ocorreu a segunda penetração.As leves batidinhas dos frascos, contra a parede, lhe tirava mais e mais gemidos de prazer.Naquele grandioso mundo de um banho, o êxtase condensava, os instantes em minutos ardentes.Algum tempo depois, retirou os frascos gostosamente um a um.Pondo-se agachada, introduziu um dos frascos, fazendo movimentos contínuos de entrada e saída. Passava-o para frente e para trás, para trás e para frente, sugando e expulsando, sugando e expulsando, sugando e expulsando.Agora com os dois, fez ocorrer novamente à dupla penetração.Não havia mais música, somente a exalada do som do seu desejo, do seu cheiro.Ficou de quatro, cinco, seis, sete… Deitou de barriga para cima, para baixo, de lado, virada…A água incessante escorria por entre os gozos.O desejo foi se satisfazendo e acalmando. Retirou o frasco de seu sexo e lambeu sua secreção, seguido do outro, que adocicou mais sua boca.Retornou os frascos para a prateleira e em atos contínuos, deixou que a água caísse sobre os cabelos. E deles escorreram uma espuma branca, que cobriram os seios, correndo pra os pés.Desligou a água e pegou a toalha, voltando para o quarto.O som seguia a sua programação, continuava em seu trabalho.Passou aquele creme e aquele perfume. Vestiu um vestido que era mais leve que o próprio vento. Em tons marrons, mostrava um pouco da fascinação da Índia. Calçou o sapato, colocou o brinco, o colar e o anel. Passou batom marrom avermelhado, pegou a bolsa e em meio à música do aparelho de som, foi ao cinema.“Alguém me disse um dia, o mundo é todo seuSonhar já existia, quando o amor nasceuSenti naquele instante um toque de magiaSonhos não são impossíveis, são sentimentos reaisVocê não sofre sonhando, você não sofre vivendoPor isso eu vivo te amando e te querendo sempre maisNaquele instante eu via um mundo todo meuDe amor e fantasia e agora aconteceuParece que foi ontem mais hoje é outro diaSonhos não são impossíveis, são sentimentos reaisVocê não sofre sonhando, você não sofre vivendoPor isso eu vivo te amando e te querendo sempre maisO amor é a própria vida, precisa de emoçãoSerá que tem saída, fala coração!Se o amor te chama agora não perde se desenvolvendoSonhos não são impossíveis, são sentimentos reaisVocê não sofre sonhando, você não sofre vivendoPor isso eu vivo te amando e te querendo sempre mais”Letícia Luccheze.O conto é uma narrativa em terceira pessoa e Letícia lembra como se fosse hoje. Subindo a rua de casa, chaveiro na mão, jogou sapatos nas laterais do corredor, corpo nu, música alta, banheiro verde e aquele jato embranquecido de encontro ao seu sexo. Ah, aquele banheiro verde! Sabe que na casa dela tem um banheiro verde.A música tema do conto é SONHOS NÃO SÃO IMPOSSÍVEIS, de Adriana. A música original é em inglês e é titulada KILLING ME SOFTLY WITH HIS SONG, de The Fugees.

Japonesa e o namorado oriental Corno

A japonesa e o namorado oriental Corno Eu sou uma mulher oriental de 37 anos, totalmente independente. Faz exatamente nove meses que conheci através da internet o Ken o japonês, ele é 20 anos mais velho do que eu, mas isso não atrapalha a nossa relação, pois ele consegue suprir o vulcão que existe dentro de mim.Desde o início, senti uma forte atração por ele, no nosso primeiro encontro, queria me entregar todinha para ele, mas me contive, nem o deixei me beijar.Mas, no nosso segundo encontro, aconteceu tudo aquilo que deixamos de fazer no encontro anterior, fomos para um motel próximo ao Aeroporto de Congonhas e nos satisfizemos completamente, fiz tudo que tinha vontade, chupei e cavalguei em seu pau, fiquei de quatro, adorei sentir a sua pica dentro de mim. Ele foi maravilhoso, fez um oral maravilhoso, adoro ser chupada, foi carinhoso e me deixou totalmente relaxada. Ficamos por vários meses nos deliciando a dois. Mas, num belo dia, o Ken propôs que começássemos a fazer amor a três, além de insistir em ir a clubes de swing. Confesso que a principio me assustei, nunca tinha conhecido alguém que dissesse algo tão abertamente.A principio resisti, devido a minha formação religiosa, a qual ele dizia se uma falsa moral e que deveríamos nos atualizar. Mas, com o passar do tempo, começou a crescer dentro de mim uma curiosidade muito grande a respeito deste assunto, fui até conhecer uma casa de swing, mas apenas de passagem, pois me assustei com o que vi, não estava acostumada. Depois o Ken,criou um e-mail e anunciou num classificado, com o intuito de encontrar um homem para fazer ménage conosco. Várias pessoas ficaram interessadas, contudo, um e-mail me chamou a atenção, era do Carlos que enviou fotos do seu enorme cacete. Entramos em contato com ele, desde o início senti uma simpatia muito grande pela sua voz e as palavras que ela transmitia.Marcamos de nos encontrarmos num sábado no Bar de Casais, quando chegamos por volta das 22:00 hs, ele já se encontrava no local, estava vestido com uma camisa preta e calça branca, era tudo o que imaginava pelo telefone, além de ser um homem super charmoso. Eu estava vestida com um vestido preto curto e meias 7/8 pretas.Ficamos conversando por 30 minutos, me portei como uma mulher séria, não deixei ele me tocar, foi intencional. Depois pagamos a conta e rumamos para a realização da nossa fantasia, que consistia em fazer amor no banco de trás com um desconhecido, enquanto que o Ken dirigia.O Carlos deixou o carro com o manobrista do estacionamento, e se dirigiu ao nosso carro, sentou-se no banco de trás, eu estava no banco da frente.O Ken começou a dirigir, e pediu para eu passar para o banco de trás, com o carro em movimento. Eu prontamente atendi, passando no meio dos bancos, sentando no colo do Carlos, começamos a nos beijar, ele começou a me bolinar, desceu a alça do meu vestido e passou os lábios nos meus seios, depois só me recordo dele chupando a minha boceta, e eu gozando em sua boca, foi maravilhoso.Como eu já estava deitada e super molhada, ele colocou o seu pênis na minha xoxota, e começou a dar fortes estocadas que tocavam o meu útero, adorei senti-lo dentro de mim, o seu membro era enorme e super grosso, me invadia completamente. Cavalguei também em seu pau, além dele tentar provar o meu rabinho, como estava difícil, disse que deixasse para a próxima vez.Nesse meio tempo, o corno do Ken ficava dirigindo bem devagar e olhando para mim transando com o Carlos, ficava perguntando se eu estava gostando. Eu estava adorando.Ficamos fazendo sexo por 2 horas, o carro balançava bastante, pena não ter espaço para o Ken participar, acho que por este motivo, ele começou a pedir que terminássemos. A minha vontade é que aquele momento não acabasse nunca.Por fim, ouvimos os seus apelos e nos recompusemos, ajeitando as nossas roupas. Deixamos o Carlos no estacionamento, mas antes, ele falou bem baixinho no meu ouvido que queria se encontrar novamente comigo, pois eu o havia surpreendido, ele achou no bar que eu era uma japonesinha certinha e que no nosso encontro não rolaria muita coisa, mas quando me sentiu toda molhadinha, ele ficou louco. Despedi-me dele, com um longo beijo na boca e prometendo que nos encontraria novamente.Depois passei para o banco da frente, e o Ken a esta altura estava com o pau super duro, estava querendo chegar logo no apartamento para curtir a sua putinha que havia se entregado totalmente ao Carlos.Agora estamos pensando em realizar muitas outras fantasias.

Ménage com esposa e um velho amigo

Olá, este é o quarto conto, e foi relatar como realizei a terceira fantasia de mulha esposa, meu nome é Rodrigo, tenho 32 anos, 1,80 de altura e 90 kg, sou loiro e tenho olhos azuis e cabelos compridos. Minha esposa chama-se Ana e tem 33 anos cabelos pretos e curtos, olhos verdes e pele bem branquinha, com pequenas sardas no peito, possui 1,67 de altura 70 kg seios e bunda grandes e um corpo cheinho bem proporcional , moramos nos ES e nos conhecemos quando eu tinha 21 anos, depois de 2 anos de amizade começamos a namorar e estamos juntos até hoje, já contei anteriormente como realizei a fantasia de mulha mulher de ficar com uma amiga nossa, depois contei como realizei sua fantasia de fazer troca de papeis comigo, e depois contei sobre como tive um caso com a irmã de minha mulher durante 6 meses, o que vou contar agora é o casode quando minha mulher quis fazer um ménage com outro homem. Depois que minha cunhada se mudou de nossa casa, minha esposa voltou a ficar toda assanhada e com muito tesão, ela dizia durante o sexo que queria outra pica na boca enquanto eu a penetrava, que queria outra pica no boceta enquanto me chupava, aquilo foi me deixando muito excitado e resolvi propor a ela que fizéssemos um ménage com alguém, mas ela ficou com vergonha e disse também que tinha medo da pessoa contar pra outras pessoas, a solução foi quando encontrei um velho amigo que eu não via a 11 anos no facebook, eu combinei com ele para que ele viesse passar uma semana de férias em minha casa, e ele aceitou, seu nome é Roberto, ele tem 41 anos e mora em Santa Catarina, enquanto as férias não chegava eu comecei a instigar minha esposa com a idéia de transar com o Roberto, meu amigo que via ficar alguns dias conosco, ela adora que eu falasse sacanagens sobre ele enquanto a comia, e quando fazíamos troca de papel era ela quem dizia que queria ver o pau dele entrando no meu cuzinho. Aquilo me deixava louco de tesão. Até que finalmente ele veio nos visitar, quando ele chegou disse que estava cansado e pediu pra tirar um cochilo, minha esposa achou ele bem bonito, mas ficou bem retraída, a noite nós saímos pra jantar e beber um pouco, depois viemos pra casa, trocamos de roupa e resolvemos ver um filme Roberto estava só com um shortinho samba-canção e minha mulher com uma ropa de dormir confortável bem fininha e folgada, pedi pra minha esposa sentar no meio do sofá e sentei a sua direita, Roberto sentou a sua esquerda, na parte onde o sofá faz um L, como estava chovendo e frio, minha esposa cobriu nós 3 com um edredon, e começamos a ver o filme, logo que começamos a assistir eu comecei a passar a mão em sua cocha e depois por dentro da bermudinha folgada dela, por cima de sua calcinha, comecei a perceber que sua boceta estava ficando molhada, me ajeitei melhor, passando o braço sobre seu ombro e comecei a beijá-la. Roberto ficou nos olhando meio sem graça, meio que assistindo ao filme, meio que nos assistindo, meti a mão por baixo de sua blusa e puxei seu seio pra fora do sutiã, minha esposa se ajeitou melhor no sofá e ficou apertando minha mão contra o seio, nessa hora tirei o edredon de cima de nós e vi que o pau de Roberto fazia um grande volume sob seu calção, peguei a mão de Roberto e sem falar nada com ele pus a mão dela sobre seu short, ela começou a acariciar o pau dele e depois puxou ele pra fora do short e começou a bater uma punhetinha pra ele, Roberto estava parado, adorando aquilo, mas meio que sem saber o que fazer, eu disse a minha esposa, vai amor, põe ele na boquinha, ela ficou de quatro no sofá e começou a chupar o pau dele bem devagar, só na cabecinha, ela passava a língua em sua glande e me olhava com um brilho nos olhos, eu tirei meu pau pra fora, tirei o short dela, puxei sua calcinha de algodão pro lado e comecei a comer ela bem devagar, sua boceta estava quente e latejando de tesão, ela pediu pra trocar de lugar com Roberto, ficando sentada no L enquanto ele ficou em pé a sua frente, ela começou a mamar com vontade e em pouco tempo sua boca encheu de porra e eu vi o sêmen de Roberto escorrendo da boca dela para o seu queixo e pescoço, ela me puxou e me deu um beijo forte, transferindo parte do semêm dele para mim, então disse que queria ir pro nosso quarto, lá ela deitou de pernas apertas, e pediu pra Roberto por o pau na boca dela novamente, enquanto eu a penetrava em um papai/mamãe, aquela visão me deixou louco e comecei a fodê-la no mesmo instante, logo o pau de Roberto voltou a ficar duro, ela então me puxou para me beijar e pôs o pau dele na minha boca, dizendo que queria que eu a comece chupando o pau de Roberto, então começamos a dividir aquela pica até que ela gozou de novo, como eu e Roberto ainda não tínhamos gozado ela disse que queria que eu gozasse na boca dela, e mandou eu deitar de pernas abertas, enquanto eu estava deitado ela começou a me chupar e Roberto começou a comer ela de quatro, ela me chupava, gemia e me perguntava se eu gostei de chupar o pau dele, eu disse que adorei e ela falou que queria ver ele dendro de mim, eu disse que tudo bem, então ela foi pro lado, passou KY em meu cuzinho e no pau de Roberto, e mandou ele ir me comendo bem devagar, que era a primeira vez que eu via uma pica de verdade em meu cu, Roberto foi pondo bem devagar, centímetro a centímetro, enquando minha esposa me chupava e me chamava de viadinho e corno, logo Roberto começou a aumentar o ritmo das bombadas em meu cú, e eu fui ao delírio com isso, minha esposa começou a me chupar com mais voracidade e quando senti a porra de Roberto enchendo todo o meu cuzinho eu também gozei na boca de minha esposa…ficamos os 3 deitados por algum tempo e depois passamos uma ótima semana nos divertindo a 3. Espero que tenham gostado deste conto.

TREPEI COM MINHA SOBRINHA

Bem sou coroa tenho 55 anos , fui a uma festa familiar estava ocorrendo o aniversàrio de uma irmã minha , muitas mulheres lindas , da familia e amigas , minhas 4 sobrinhas muito gostosas , mas a luana de 23 anos estava com uma sainha justinha e curta , morena , cabelos aaltura dos ombros , peitos mèdios e rabo delicioso , a amiga dela linda , eu estava doido de tesão por minha sobrinha o decote deixava os mamilos quase todos de fora , 2 bolas , umas 1.15 da manhã ela me chamou pra ir no carro com ela pois estava com medo , fui e lá ela debruçou para pegar a bolsa eu atrás , o rabo dela encostado no meu cacete ja duro ela sentiu e falou nossa tio.kkkk, me fiz de bobo , voltamos e ficamos por ali ela me chamou outra vez pra ir lá no carro fomos , ela ficou fuçando dentro do carro procurando o outro celular , dizia ela , eu não aguentei pois aparecia a calcinha enfiada no rabo , dei uma passada de lingua no reguinho dela atè no cuzinho , ela se encolheu e disse ta doido tio.Mas ela deu mole e sentei no banco do carona ela entrou e me abeaçou me deu uns beijos , ela tomou umas 4 latinhas , grudou meu pau , abriu minha calça e me punhetou , safada encaixou uma perna pro lado a outra pro outro lada puxou a calcinha de lado e sentou meu pau foi entrando na bucetinha umida , entrou atè o pè ela suspirou e começou a subir e descer rapidinha a putinha gozou , eu retribui e gozei dentro sem camisinha , a safadinha toma remèdio para não engravidar , saimos e ficamos na festa atè as 2.40 hs , vou ver se como outra vez.

A CUNHADA GOSTOSA que se tornou amante!

Imaginem! Trabalho como operador de programação, minha esposa trabalha como contadora numa fabrica de descartáveis, o fato de trabalhar sempre à noite, durante o dia, sempre estou em casa, repousando, moramos numa casa grande, e não temos domestica, portanto, as vezes, minha esposa pede ajuda a sua irmã, que é casada, para ajudá-la na limpeza da casa, sempre fazem isso juntas, e fazem isso, principalmente quando não estou em casa, perguntando no dia anterior se eu estarei em casa no dia seguinte, coincidiu que numa quarta-feira, como combinado, minha esposa acertou com minha cunhada para fazer a faxina, eu iria viajar e sai de casa logo cedo, no entanto, minha esposa teve que se ausentar, deixando minha cunhada sozinha fazendo a faxina, e eu, por volta das 9 horas, retornei para casa, já que a viagem tinha sido adiada, quando entrei em casa, fiquei surpreso, com minha cunhada sozinha, que é de chamar a atenção pela sua beleza e sensualidade, com um vestido bem curtinho, passei a observa-la, sem que ela percebesse que eu tinha chegado, ela, passando pano na casa, ouvindo música alta e ainda cantando, consequentemente, encantando também, quando se abaixava, o vestido curto, eu via parte da calcinha dela, que era branca e pequenina, de repente, ela se virou e se deparou comigo olhando, ficou desconcertada, perguntei pela minha esposa, e ela disse que a mesma teve que ir para a fabrica fazer um balanço contábil inadiável, eu disse que iria subir para o meu quarto, e que ela podia ficar a vontade, continuando o que estava fazendo, ela baixou o som e de logo, disse que podia deixar o som ato, que gostava também daquele estilo de música, ainda brinquei, dizendo que ela podia até dançar, ela abriu um sorriso, perguntando que música eu preferia ouvir, e eu disse que gostava das músicas do TIM MAIA, SKANK e da RITA LEE, ela logo colocou músicas da Rita Lee, bastante sugestivas para algo surreal que iria acontecer ali, aproveitei a deixa e ofereci algo para beber, disse não ter cerveja na geladeira, mas tinha whisky e vodka, afirmei que ira preparar um drink, ela agradeceu, mas disse que não queria, e eu, claro, com segundas intenções, sem titubear, peguei um leite condensado, uma vodka e kiwi, peguei o liquidificador e iniciei o preparo do drink, quando estava pronto, ofereci novamente a ela, que logo respondeu dizendo, que adorava aquela fruta, e com leite condensado então, gostava mais ainda, entretanto, questionou o fato de ser bebida alcoólica, e ela disse, não ter costume de beber, insisti dizendo que seria uma única taça, e que não iria embebedar, ela aceitou e começou a beber, cada vez que ela colocava a taça naquela boca sensual, eu imaginava beijando-a, não demorou muito, estávamos numa mesa conversando, escolhendo as músicas a serem ouvidas no celular e enviando via bluetooth para a caixa de som, ela mesmo enchia a taça dela, dizendo que o drink estava uma delicia, foi quando eu, fui até a geladeira e peguei morangos, fiz mais drinks, colocando ainda, morangos inteiros na mesa, ao lado do leite condensado, ela adorou, dizendo ser melhor ainda, ainda brincou com o leite condensado, dizendo que era como bombril, mil e uma utilidades, frase tendenciosa, e eu, sabiamente, de forma planejada, quando ela ia comer o morango, virava o rosto, e de logo, ela perguntou porque estava fazendo aquilo, eu disse que ela estava muito sensual e que aquela cena era algo excitante, e que eu não iria resistir, que ela era muito linda, e que estava muito provocante, ela não falou nada, pegou um morango, recheou com leite condensado, deixando escorrer sobre os dedos da sua mão, e levou em direção a minha boca, comecei a lamber seus dedos, saboreando o leite condensado, segurei o morango com os dentes e levei ele até sua boca, passei a beija-la intensamente, escorregando minhas mãos pelo seu corpo, peguei na mão dela e direcionei até minha pica, que já estava tinindo de dura, ela abriu o zíper da minha calça, colocou minha pica para fora, desabotoou a calça, e desceu, foi quando minha pica pulou para fora da cueca, ela logo derramou leite condensado e começou a lamber, ficou de joelhos, enquanto lambia minha pica, olhava para mim com o olhar de vibrante e dizendo safadezas, dizendo que queria sentir aquela pica na buceta dela, como ela estava de vestido, facilmente tirei sua calcinha, tirei seu vestido, colocando ela no colo, elevei ela sobre a mesa, peguei o leite condensado e pinguei pelo seu corpo, fazendo um caminho para o paraíso, iniciando nos seus lábios, descendo pelo pescoço, percorrendo os dois seios, descendo até o seu umbigo e chegando no paraíso, aquela buceta carnuda, gostosa, e decorada com os pelos bem ralinho, cai de boca, beijando, passeando com a língua de forma bem lenda, revezando com beijos pontuais, ela gemia de prazer, pedindo para continuar, enquanto eu chupava sua buceta, ela derramava o drink sobre o corpo dela, e eu, deliciava ainda mais, de forma inesperada, mas, planejada, ela pegou o celular e ligou para minha esposa, só percebi, quando ela se contorcendo de prazer, falou o nome da minha esposa, perguntando se ela ia demorar para chegar em casa, e ajuda-la na limpeza da casa, colocou no viva voz, eu fiquei assustando, mas, de logo, ouvi minha esposa dizer que iria demorar, que só no final da tarde, ela iria voltar, observava a safada da minha cunhada, com um sorriso cínico, expressou a intenção de aproveitar cada minuto comigo, e disse para a minha esposa, não está disposta para fazer a faxina sozinha, e combinou para vir no dia seguinte, e fazerem a faxina juntas, minha esposa concordou e nem perguntou por mim, ela desligou o celular, foi quando a minha cunhada disse que agora iria aproveitar aquele momento único e surreal, sugeriu irmos para o quarto de hospede, é uma cama de casal, certificamos que a casa estava fechada, e subimos para o andar de cima, na escada, segurei ela, e fiz ela ficar de 4, imagine que bumbum lindo, a visão era de se admirar, o fato dela ser fofinha, o pacote da buceta era avantajado, passei a língua novamente, enquanto dava tapinhas naquela bunda gostosa, enfiei a pica com vontade, ela gemia de prazer, se contorcendo toda, e pedia para enfiar todinha, mas com carinho, soquei gostoso, e durante uns 5 minutos, ela ajudava se balançando e rebolando na minha pica, quando disse que estava perto de gozar, ela mudou de posição, sentando no degrau da escada, e começou a chupar minha pica novamente, dizendo que tinha sonhado com aquilo, e que o marido dela, não a satisfazia, que tinha vontade de fazer de tudo, e que eu proporciona-se isso a ela, perguntei o que ela mais tinha vontade de fazer, e ela disse que era sentir a pica entrando no cuzinho dela, mas que eu fizesse carinhoso, já que ela nunca tinha tido essa experiência, ela falando aquilo, de forma ofegante, enquanto chupava minha pica, pegava com as duas mãos, enquanto chupava a cabeça dela, passeava com a língua, deslizando-a, passava gelo na minha pica e aquecia com o calor da sua boca, sempre olhando para mim, e dizendo detalhes do que queria fazer comigo e o que queria que eu fizesse com ela, enquanto ela chupava minha pica, eu massageava sua buceta, com as mãos, passeando com um dos dedos no seu cuzinho, isso deixava ela louca de tesão, ao ponto dela levar a mão dela até a minha e pressionar para que eu enfiasse o dedo naquela bunda gostosa, estava tão bom, que mesmo sem querer, não suportei muito tempo, e alertei ela que iria gozar, ela parou de chupar, e pediu que eu gozasse sobre seus seios, e foi o que fiz, de tão gostoso que estava, o jato de prazer foi maior do que o normal, ela admirada, passou as mãos e comentou sobre a quantidade, eu disse, que aquilo era proporcional a satisfação do sonho realizado, demonstrava o quanto eu a deseja e o quanto gostosa ela era, e que ela sabia fazer gostoso, ela sorriu e pediu para irmos para o quarto, entrou no banheiro para tomar banho, e eu disse, que iria logo em seguida, antes, peguei minha carteira, e tirei dois comprimidos azuzinhos que guardava para ocasiões especiais, tomei os do
is de uma única vez, e entrei no banheiro, ela estava toda ensaboada, tomamos banho juntos, nos beijando intensamente debaixo do chuveiro, saímos, e no quarto tinha um móvel da altura da cintura, o qual coloquei ela sobre ele, e enquanto a beijava, minha pica entrava naquela buceta deliciosa, logo em seguido, já na cama, fizemos um tradicional 69, quando comecei massagear aquele cuzinho, ela se espremia de tesão quando passava as pontas dos dedos sobre o anelzinho dela, que logo comecei a beijar, estimulando ela a pedir intensamente para enfiar a pica gostoso, minha pica lubrificada, molhada de tesão, comecei a passear sobre a sua bunda, pedi que ela relaxasse, que eu ia enfiar a pica com carinho, não demorou muito, já estava socando naquela bunda gostosa, ela com toda disposição, ajudava rebolando sobre minha pica, dizendo o quanto era gostoso sentir minha pica no seu cuzinho apertado, sussurrava no meu ouvido, enquanto mordia carinhosamente minha orelha, ela por ter uma disposição atlética, era insaciável, por 3 vezes disse ter gozado gostoso, e que nunca mais ia esquecer aquele dia, e eu, falava que queria era repetir varias vezes, ela admirada pelo fato da minha pica não baixar, eu dizia para ela aproveitar, e ela mudava de posição, ficando de 4 e pedindo para eu enfiar com força, estávamos suados de tanto fazer gostoso, tomamos outro banho e ela voltou a chupar minha pica, dizendo que queria sentir o gosto do meu tesão, que pela primeira vez, deixaria gozar na boca dela, começou a bater uma punheta revezando com a boca, eu, ajudando, até que gozei novamente, ela se lambuzou com o meu prazer, se deliciando e dizendo o quanto era gostoso, e que nunca iria esquecer aquele dia, ela foi tomar outro banho e se recompôs, enquanto eu arrumava o quarto, descemos, e eu fiz questão de levar ela em casa, ainda na minha garagem, ela no carro, percebeu minha pica dura d’novo, e antes de sairmos em direção a sua casa, sentou no torno, e disse que queria chegar em casa, com a buceta cheia de gala minha, já estava sem forças, mas, não resisti e aproveitei novamente aquela gostosura, meu carro é uma S10, cabine dupla, com película bem escura, acredite, ela ainda foi chupando minha pica até a porta da sua casa, nos despedimos, e passamos a ser amantes, depois disso, no mínimo uma vez por semana, passamos a nos ver, inovando, levo ela para lugares diferentes, surpreendendo ela ainda mais, e em outro momento, narrarei estes momentos de prazer. ESPERO QUE TENHAM GOSTADO, portanto, querendo, deixem seu comentário.   

Mamãe em um site de relacionamentos? – Parte 1

Minha mãe nunca foi uma pessoa de relacionamentos sérios, sempre pintava um ou outro malandro em casa. Ela é desencanada, vaidosa e sempre comum sorriso no rosto. Embora todos duvidassem da maternidade dela por eu ser negro, nunca me faltou nada, sempre fui o preferido e mais mimado. O nosso relacionamento até a minha adolescência era similar a de irmãos, pelo fato dela ser mais do estilo tiazona liberal. Entre os meus 14 e os 15 anos, o tratamento dela comigo mudou ligeiramente, sendo um pouco mais restritiva e controladora, mas nada perto de mães convencionais. Um belo dia, durante as férias, acordei e, como todo sábado, preparei meu café-da-manhã, e fui para o pc. Entre um vídeo e outro, entre um gole de café e outro, o google me sugere um site de encontros. Fiquei surpreso e curioso. Ao clicar, percebo que a conta já está logada. Usuário: Putanal. Fico bestificado. Vou na parte do perfil e logo a surpresa virou tesão. A descrição do perfil era absolutamente envolente e excitante. adoro/amooooooo anal. sem preconceito, quero tarar e ser tarada…sacanagens tipo g. shower, fisting… falar putaria e gozar muito dando muito prazer e rebolando gostoso.Quero fazer coisas diferentes, fetiches proibidos e novas descobertasSou uma fêmea que adora ser dominada na cama, te levo à loucura, faço vc gozar como nunca gozou…Imaginei minha mãe, uma milf de respeito no auge de seus 43 anos, seus 1,85m, corada de sol e com uma bunda de dar inveja. Neste momento, percebi o porquê das tantas visitas. Sigo fuçando o perfil. Clico em fotos. Não acreditei no que vi. Álbuns e mais álbuns, fotos e mais fotos dela e da sua enorme bunda. As fotos estavam meio desfocadas e desenquadradas. De repente, ouço um barulho vindo do quarto e no reflexo fecho o navegador. Era ela despertando. Passou, me deu bom dia com aquele sorriso contagiante e seguiu rumo ao banheiro. Durante este trajeto, fiquei admirando, comendo com os olhos aquele monumento desfilar com todas as suas curvas. Minha boca salivava e meu pau pulsava. Não resisti abri as guias fechadas. Continuei a vasculhar o perfil. Fui para os videos. MEU DEUS. Quando dei play, o modo como passei a olhar minha mãe, definitivamente havia mudado. Havia 11 videos com ela se masturbando com um vibrador preto, enfiava ele no cu sem nenhum constrangimento, fazia um boquete lindo, babado, profundo. Ouço a porta do banheiro abrir e fecho novamente a aba. Ela passa em direção ao quarto. No momento em que ela fecha a porta, eu vasculho todas as pastas do pc para ver se eu acho mais fotos ou videos que saciem meu desejo pela minha mãe. Não encontro nada e, frustrado, cesso minha busca batendo uma no banheiro.De noite, combinamos de assistir um filme na Netflix. Depois de algumas cervejas, demos play. Em dado momento do filme, começa rolar uma cena de sexo com gemidos e gritos. Normalmente, esse tipo de cena provoca um clima tenso, estranho quando em família. Mas desta vez foi diferente, enquanto a cena comia solta, ela deitou no meu colo e instantaneamente comecei acaricia-la, primeiro na testa, passando pela orelha, ao passar pela nuca, sinto ela se arrepiar e continuo, numa espécie de massagem. Tomo coragem e pauso o filme. Olho nos olhos dela e pergunto: -Quem é Putanal?Ela desconsertada respondeu, cinicamente: -Não sei. Porquê?Eu sorri e expliquei que abri sem querer e que fiquei preocupado se minha irmã visse. Ela sorriu como se não acreditasse na minha intenção e soltou: -Não gosto que você fiquei fuxicando nas minhas coisas. – e me deu um tapinha no ombro com um esboço de sorriso em seu rosto.Confesso que foi o momento mais desconcertante da minha vida. Dei um sorriso e falei meio sem jeito: -Uma pena que você não é uma boa fotógrafa. – ela fechou a cara e eu continuei – se quiser, da próxima vez eu tiro pra você.Com seu belo(e safado) sorriso de volta, ela se aproximou e sussurrou no meu ouvido:-Cuidado com o que você promete, que eu posso cobrar. – suspireiAvaliem e mandem comentários. Em breve, eu posto a Parte 2 deste conto.

O SEGREDO DA IMAGINAÇÃO EM VER A ESPOSA COM OUTRO MACHO

O CANALDOSCONTOS TRÁS AGORA PARA VC ESTE LINDO CONTO , BEM PESSOAL EU ME CHAMO DANILO 38 ANOS CASADO COM A CIBELE DE 32 ANOS , 1,65M , 45 KG , BRANCA , CABELOS AVERMELHADOS A ALTURA DOS OMBROS , PEITINHOS PEQUENOS , COM BIQUINHOS PEQUENINOS , BUNDA MÉDIA A PEQUENA , MINHA ESPOSA ANDA DE SHORTINHOS , SAINHAS , VESTIDINHOS , ELA É LINDA UMA GATINHA , MAS TEM UM CARA AQUI PERTO ELE TEM UM MICRO EMPRESA , ELE SE CHAMA SIDNEI ,62 ANOS , BRANCO , POUCO BARRIGUDO , BIGODE , 1,80M , UNS 90 KG , ESSE CARA COMEÇOU A OLHAR MINHA ESPOSA PASSAR , SEMPRE QUE ELA TRANSITAVA ELE SAIA LÁ FORA OLHANDO , BOM FUI VER O HISTÓRICO DO CARA , UM AMIGO FALOU QUE ELE ÉRA COMEDOR DE CASADAS , FIQUEI PUTO COM ISSO DELE FICAR SECANDO MINHA ESPOSA , MAS CARA A GENTE RESISTE , MAS MEU INCONCIENTE IMAGINAVA , SE ELE PEGAR MINHA ESPOSA QUE TESÃO EU QUERIA VER , UMA VONTADE DE VER MINHA ESPOSA NA VARA DO COMEDOR , EU LUTANDO CONTRA ESSE PENSAMENTO , FUI ANALISANDO PESQUISANDO E FUI DESCOBRINDO QUE É UM DESEJO DA MAIORIA DOS MARIDOS , VER A ESPOSA EM OUTRA VARA , MAS ISSO NÃO, MINHA ESPOSA NUNCA , ELA É SÓ MINHA , SÓ EU COMO ESSA BUCETINHA O CUZINHO ELA NUNCA ME DEU , MAMA POUCO , MEU PENSAMENTO SEMPRE PEDINDO PRA VER ELA COM OUTRO , EM MEIO ESTE TEMPO MINHA ESPOSA JÁ COMPRIMENTAVA O SIDNEI , ELA CONTRATOU ELE PRA FAZER UM TRABALHO AQUI EM CASA , ELE FICOU VINDO REALIZAR O TRABALHO , EU PERCEBI O TESÃO DELE NELA , COMENTEI E ELA SE SAFOU , MAS DEI CORDA E ELA DISSE EU VI ,MAS NÃO DOU BOLA , ESSE VELHO SAFADO , FIQUEI DE BOA , TREPAVA COM ELA E GOZAVA IMAGINANDO ELA TREPANDO COM ELE , ISSO MUITOS HOMENS FAZEM , FODEM IMAGINANDO OUTRO COMENDO E GOZAM , MAS FUI CONVERSANDO , ZOANDO E ELA DISSE , SAI FORA ESSE VELHO SAFADO , MAS NA VERDADE MINHA ESPOSA SEDUZIA ELE , ERA SÁBADO O SIDNEI VEIO DAR CONTINUIDADE AO TRABALHO , MINHA ESPOSA LEVANTOU TOMOU UM BANHO, ELA SABIA QUE EU ESTAVA LOUCO PRA TREPAR A 3 , ENTÃO ELA SE PERFUMOU , VESTIU UM FIOZINHO VERMELHO , UM VESTIDINHO CURTINHO , QUANDO O COMEDOR DE CASADAS (SOLTEIRAS , NOIVAS E DIVORCIADAS ) CHEGOU , ELA O ATENDEU , EU OUVI ELE DIZER BOM DIA , TD BEM , VC ESTA LINDA , CADÊ O DANILO , ELA DISSE ESTA AQUI , ENTROU , FICARAM CONVERSANDO , EU DEI UMA OLHADA E PERCEBI QUE MINHA ESPOSA ENTROU NA DELE , SORRISOS , ATÉ PEGADA NA MÃO, FIQUEI NA MINHA , ELA VEIO EU DISSE EU VI , ELA O QUE , FALEI VAI ROLAR SIM , ELA RIU , SAIU E ENTROU NO COMODO ONDE O SEU SIDNEI ESTAVA , DEU UMA AGACHADA O RABO FICOU DE FORA ELE DOIDO FALOU NOSSA QUE RABO LINDO , AI COMEÇOU , ELE GRUDOU ELA BEIJANDO , ABRAÇANDO , EU ENTREI , ELE ASSUSTOU , MAS ELA TOMOU A FRENTE DO NEGÓCIO , PEGOU NA MÃO DELE E VEIO PRO NOSSO QUARTO , NA MINHA CAMA , ISSO SERIA UM DESRESPEITO , MAS UM TESÃO TAMBÉM, ELE BEIJA MINHA ESPOSINHA NA BOCA , COLOCAVA AS MÃOS POR BAIXO DO VESTIDINHO , PASSANDO NA BUNDINHA DELA , EU AGACHEI PRA VER ELE ACARICIAR A BUNDINHA DELA , AS MÃOS DELE PASSAVA OS DEDOS NO REGUINHO , DELA SENTINDO O FIOZINHO , UM CARA ENORME GRUDADO NA MINHA PEQUENA ESPOSA ELE FOI TIRANDO A ROUPA , FICOU NU , MEIO BERRIGUDO , BIGODE , PAU DE UNS 17 CM MEIO GROSSO DURO , SACÃO PELUDO , PUXOU O VESTIDINHO DA MINHA ESPOSA PELA CABEÇA DELA , OS PEITINHOS SEM SUTIEN , AQUELA BOCA COM UM BIGODE MAMAVA OS PEITINHOS , EU TIREI O SHORT , CUECA E SENTEI NA CAMA , ELES EM PÉ , MINHA ESPOSINHA DE OLHOS FECHADOS , EU FUI NO FIO E TIREI COM OS DENTES , O COROA FOI DESCENDO LAMBENDO E BEIJANDO A BARRIGA , ENFIAVA A LINGUA NO UMBIGUINHO DELA , ELE COLOCOU UMA PERNA DELA EM CIMA DA CAMA , ELA COM UMA MÃO NA PAREDE , A BUCETINHA LISINHA , O CUZINHO LISINHO FICARAM LIBERADOS ELE FOI DESCENDO A LÍNGUA, CARA EU ESTAVA PRA GOZAR VENDO ISSO , ELE LAMBEU AO REDOR DA BUCETINHA DELA , MINHA ESPOSINHA GEMIA , ELE LAMBEU A BUCETINHA , FOI NO CUZINHO , LAMBEU TODO O CUZINHO , ENFIOU A LINGUA ELA SE CONTORCIA DE TESÃO, EU NUNCA TINHA LAMBIDO OU CHUPADO O CUZINHO DELA , ELE DEGUSTOU BEM O ANÉLZINHO COM A LÍNGUA, FOI NA BUCETINHA LAMBEU E GRUDOU NO GRELINHO , CHUPOU , SOLTOU EU OLHEI O BIXINHO ESTAVA ENORME , ELE LEVANTOU , COLOCOU UMA PERNA NA CAMA E BEIJOU ELA , MINHA ESPOSINHA FOI DESCENDO A NOCA PELO PESCOÇO DELE , DESCEU A BOQUINHA NO PEITO PELUDÃO E MAMOU OS MAMILOS DELE , ELE URRAVA DE TESÃO, ELE ACARICIAVA OS CABELOS LISOS DELA , ELA FOI DESCENDO A BOQUINHA PEQUENA PELA BARRIGA TODA CHEIA DE PELOS , FOI NO PAU E COLOCOU ELE NA BOCA MEIO SEM JEITO , MAS UM COROA EXPERIENTE É UM ÓTIMO PROFESSOR , ELE DAVA AS COORDENADAS E ELA IA MAMANDO O PAU , AS BOLONAS CHEIAS DE PELOS , ELE CHEGAVA SE ENCOLHER DE TESÃO NA LINGUA DA MINHA MENINA , EU NA PUNHETA E ASSISTINDO TUDO , O FDP DEITOU ECTROUXE ELA POR CIMA , DEI GEL ELE PASSOU NA PICA , FUI PELAS PERNAS DELE , AGACHEI E VI MINHA ESPOSINHA ACERTAR A PICA DELE NA BUCETINHA DELA E IR SENTANDO DEVAGARINHO , ELA SUBIA E DESCIA , CHEGAVA AMASSAR OS OVOS DELE , O PAU DELE TODO MOLHADO , ELA SENTOU , LEVOU A MÃO PRA TRÁS E FICOU COM O PAU DELE ENTERRADO , E BULINANDO AS BOLONAS ELE SEGURAVA NA CINTURA DELA , QUANDO MINHA ESPOSA DEITOU OS PEITINHOS NELE ELE MAMOU OS DOIS , ELA FALAVA , ASSIM NÃO AGUENTO , EU GOZO , ELE FALAVA , ME DA LEITE NO PAU , ME DÁ , ELA FALAVA NÃO PEDE ASSIM , ELE ME DÁ, ELA GOZOU NO PAU DELE , ELE FALOU VOU GOZAR JUNTO E GOZOU , FICARAM OS DOIS TRELADOS , EU PUNHETEI E GOZEI NAS BOLAS DELE , FOI MARAVILHOSO , ELE FEZ O TRABALHO , MAS AS 17 HS , OUVI MINHA ESPOSA FALAR , TIRA , TIRA , TÁ DOENDO , FUI LÁ, O COROA TINHA PEGO ELA POR TRÁS E ESTAVA COMENDO O CUZINHO VIRGEM DELA , PORRA , ELA PEDIA PRA ELE TIRAR O PAU DO CUZINHO , ELE FALAVA CALMA , EU ACALMEI ELA , DEI SINAL PRA ELE NÃO TIRAR , ELA CHORANDO , MAS ACALMAMOS ELA , ELE COMEU DEVAGARINHO , EU ANALISEI O CACETE DENTRO DO CUZINHO , O PAU ESTAVA PRENSSADO , EU GOZEI OLHANDO O APERTO QUE O CUZINHO DA MINHA ESPOSINHA DEU NA PICA DO COROA , ELE GOZOU NO CUZINHO DELA , ELE FICOU COMENDO MINHA ESPOSA 1 ANO , ELA COMIGO , ME SEPAREI E ELE COMEU ELA MAIS 2 ANOS ELA SOZINHA .LEIA OS OUTROS CONTOS DESTE CANAL , VC VAI GOZAR COM AS HISTÓRIAS.

Corno a pedido 2

Sou casado pela segunda vez, tenho 52 anos, minha bela esposa morena, tem 35 anos, sem filhos, rosto jovial, cabelos na cintura, seios pequenos e duros, bunda empinada e dura, malhada, massoterapeuta, esteticista, depiladora e de vez em quando, vende pacotes turísticos para as praias lindas do meu estado e muito procurado pelos turistas, ela tem um supervisor, que comanda vários vendedores, inclusive, minha linda mulher, certo dia ele escalou minha esposa para acompanhá-lo em uma visita a uma badalada praia turística, para fiscalizar os pontos de parada que os ônibus da empresa param, para os turistas conhecerem e para minha esposa conhecer in locopara poder vender os pacotes com conhecimento de causa, ela então me falou e pediu para ir, eu autorizei, afinal era o trabalho dela e a viagem era bate e volta no mesmo dia, ele mandou pegar um motorista pegar minha esposa e levar para o ponto de encontro do ônibus e os turistas, a viagem começou as 4h da manhã e chegou no destino as 9h em uma bela e paradisíaca lagoa, ele falou que ela poderia ficar a vontade como se fosse uma turista, ela colocou seu fio dental e foi tomar banho e pediu para o chefe dela bater alguma fotos para mandar pra mim e assim foi feito, fotos de todo tipo, principalmente de costas, mostrando suas nádegas lindas e suas tatuagens, inclusive as das costas, eu fiquei maravilhado com aquilo e desconfiei que era ele que batia, mas não perguntei nada, a tarde ela me disse que o supervisor não gostou de um certo atendimento de um restaurante e que precisava arrumar outro para as viagens subsequentes e para isso era necessário pernoitar por lá, ela me falou isso muito desconfiada e com receio do seu marido achar ruim, só que achei foi bom, mas não disse nada, ela acrescentou apenas que colocasse mais uma cama de solteiro no quarto, já que tinha só de casal e foram para a praia belíssima e ele tirou mais fotos dela a pedido e me mandou, até que falei que ela poderia fazer uma massagem gratuita nele, como forma de agradecimento por conhecer tão beli e paradiso lugar, tudo gratuitamente e ela falou que estava pensando nisso, mas faltava eu autorizar, ao voltarem da praia, foram para a pousada, tomar banho e almoçar, chegando lá ela viu apenas uma cama de casal, mas não disse nada, foi para o banheiro tomar banho, quando estava no banho, ainda de biquíni, ele bate a porta e pergunta se podia urinar no vaso, ele disse que sim, afinal estava dentro do box e de biquíni, ele entrou, usou o banheiro e sem pedir, abriu o boxe e entrou, então ela meio sem graça, pediu a ele para esfoliar as costas dela, ele começou a passar a buxa nas costas dele e encostou o pênis dele na sunga ainda e duro, nas nádegas dela, ela ficou petrificada com a ousadia dele, mas curiosa em ver aquilo tão grande e grosso, dentro da sunga, ele pegou e desfez o laço do biquíni de cima, aparecendo a Mariquinha braça na pele bronzeada da minha esposa, a virou e a beijou na boca, depois chupou velozmente os seios da minha esposa, puxou ela para fora do boxe, se sentou nele, puxou minha esposa para o colo dele, ela com as pernas abertas, afastou a calcinha do biquíni para o lado e puxou ela para junto dele e não seu como pôde caber aquele pau de 23 cm e grosso igual um pepino, na pepeca raspadinha da minha esposa, ela disse que foi muito difícil aguentar tamanho pênis e que a dificuldade maior, foi a grossura, mas como ela estava muito melada e ele a segurou com muita força, a puxando de encontro ao púbis dele, ela teve que aguentar, ate que ela sentiu o pau dele encostando no útero dela e as paredes vaginais, ficaram alargadas e muito preenchidas, ficaram parados um pouco, ate ela se acostumar com aquilo dentro dela, pois nunca tivera filhos, sendo portanto, tecnicamente virgem, depois ele se levantou com ela atracada nele e a levou para a cama e lá começou as bombadas terríveis, depois a colocou para cavalgar e foi nessa posição que ela gozou muito, pois ela só goza nessa posição, depois a colocou de quatro e a penetrou mais profundamente nela, dando as bomba das finais, fazendo aquele barulho do púbis dele, nas nádegas da minha esposinha, gozando segundo ela, igual um cavalo, inundando de esperma, a xoxota da minha mulher, de um jeito que ela nunca tinha visto, derramando e escorrendo pelas pernas, depois foram almoçar, conhecer outros lugares e mesmo depois de se lavar, continuou a sair esperma da xoxota dela, durante toda a tarde, depois ela me falou tudo por mensagem, fiquei um pouco triste por ela não me avisar antes, mas no fundo, eu gostei, a noite chegou e só ela sabe o que aconteceu de novo, pois não quis me falar, hoje ele fica querendo sair com ela de novo e não deixo, só por aqui perto, para tomarem uns drinks, mas viagem nunca ma mais, pois tenho medo dele roubar ela de mim…

velha putonacomedor de casaiscuzinhos e bucetinhasfudedeiracachorro transando com cadelacasa conto eróticocasa dos contos.com.brtransex em maceiomassagem para esposaamigos contamos nos dedosfudendo com animalfudendo a mamãepeguei meu marido se masturbandoesposas gustosascavalo comendo cu do gaycasadiscontostomou no cucasa fos contos eróticoscasadas trepandocomendo a amiga da minha maearrebentou o cupenis cabeça de cogumelominha esposa putinhatora grossanovinho fudedorprima putapopinha da bundatrepa gostosasou casadanovinha fogosawww michellystriper netcoroa engatada com cachorrobunda de veiomassagem erotica em sorocabaultimos contos eroticos publicadosniver irmã mais velhaultimoscontoseroticosminha esposa me traiucheirando picafode demaisbato punhetagay dando pro cavalocu de cavalosexo com cabritacasais fazendo menageminhamulher.cimcontos eróticos gordinhas2 gostosasbunda marcadamaldito o homem que confiamaridos cuckoldultimos contos eroticos publicadoszoofilia cucada dos contos eróticosminha mulher trepandocomo saber se sou cornocasa dos eroticosgozando no cu da irmãsomos amantesfodendo a cunhada dormindominha esposa me traindocomendo meu amigovarios homens chupando bucetacssa dos contos eróticoscu de cavaloesposa na varacoça de bucetagay dando para cavalocomendo o cu da minha sografudendo esposa e cunhadaeu karlinhafodendo a cunhada dormindo